Autor Tópico: Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?  (Lida 165602 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.679
  • Love it or Hate it
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2800 Online: 10 de Janeiro de 2017, 00:40:36 »
Citar
Woman Unknowingly Prays to ‘Lord of the Rings’ Figurine for Years



A great-grandmother from Brazil has accidentally been praying to a figurine of Elrond, and elf from J.R.R. Tolkien’s Lord of the Rings, after mistaking it for Saint Anthony, the late Portuguese priest and patron saint of lost things.

Gabriela Brandão, a make-up artist from Florianópolis, Brazil, made this hilarious discovery last week, posting a series of photos of the Elrond figurine on Facebook. “My daughter’s great-grandmother prays to this figure of Saint Anthony every day, but looking more closely…,” she wrote. She had noticed that something wasn’t right about the figurine, so she started doing some online research. She managed to find an exact replica on an online store, which listed it as Elrond, an Elven character from The Lord of the Rings fantasy universe. She called it the “funniest discovery of 2016.”



But trying to explain the mix-up to the old woman actually took a bit of effort. “We tried to explain right away but she didn’t understand at first,” Brandão told Buzzfeed. “The next day we explained again and she understood and we got her a new figure of Saint Anthony.”

Brandão’s Facebook post went viral almost instantly, with over 3,700 shares on the social network, and hundreds of funny comments. It was also picked up by dozens of international news outlets and even got the attention of actor Ian McKellen, who played Gandalf in the blockbuster trilogy The Lord of the Rings. “A woman in Brazil has apparently been praying to Elrond, thinking he’s Saint Anthony. She’s found herself a new idol,” he wrote on Facebook.



“I never expected any of this to happen, it’s crazy,” Gabriela Brandão said about the attention her post has gotten in the last few days. “But it’s the funniest thing that ever happened to me.”

Elrond, in Tolkien’s Middle Earth, is the lord of Rivendell, the elvish kingdom. In Sir Peter Jackson’s trilogy, he is portrayed by actor Hugo Weaving. Saint Anthony was canonised in the year 1232 by Pope Gregory the Ninth, and is widely known as the patron saint of lost people and the recovery of lost items. They don’t seem very similar, but any die-hard LOTR fan will tell you that they actually have quite a lot in common. Plus, looking at the photos of these figurines, can you really blame the old lady for getting them mixed up?


http://www.odditycentral.com/news/woman-unknowingly-prays-to-lord-of-the-rings-figurine-for-years.html

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.274
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2801 Online: 11 de Julho de 2017, 08:08:26 »
Fiquei até sem saber onde postar...

http://jornalggn.com.br/noticia/espiritismo-marxismo-e-psicanalise-%E2%80%93-e-a-complexidade-do-real-por-dora-incontri

Citar
Espiritismo, Marxismo e Psicanálise – e a complexidade do real, por Dora Incontri

CIÊNCIA ESPÍRITA

Espiritismo, Marxismo e Psicanálise – e a complexidade do real

por Dora Incontri

Três modelos teóricos de interpretação de mundo, de visão do ser humano e de ação prática nasceram no século XIX. Os três se autodenominavam científicos. Os três pretendiam desvendar aspectos de certa maneira até então desconhecidos ou desconsiderados, que melhor explicariam o comportamento humano, individual e coletivamente.


E as três correntes ainda hoje não são consideradas científicas pela ortodoxia da ciência, dita mainstream. Mas o marxismo e a psicanálise pelo menos têm espaços largos em universidades e inúmeros pesquisadores e intelectuais desdobraram seus pressupostos; já o espiritismo, por mexer com paradigmas talvez mais cristalizados, com preconceitos muito arraigados e, sobretudo, por ferir interesses muito estabelecidos (ao mesmo tempo do materialismo e das religiões institucionais, com seus mistérios), e também talvez por ter se popularizado como uma forma de religião –  é o que mais sofre ostracismo e silenciamento – apesar de ser talvez das três propostas, a que coleciona maior número de evidências de pesquisa, que corroboram seu modelo explicativo.

Vamos nos debruçar brevemente sobre essas questões, que são complexas e sutis e que num breve artigo de blog podem apenas ser esboçadas, como um convite para pesquisas, diálogos e estudos mais aprofundados.

Primeira coisa em comum entre as três vertentes: há algo que não se vê, de que não se está consciente, mas que influi e até determina nosso modo de estar no mundo.

Para o marxismo, são as infraestruturas econômicas, são os determinismos da classe social em que nascemos. Então, por exemplo, alguém que nasce na burguesia, está sem perceber embebido da ideologia dessa classe social e age, sem pensar, como produto de sua classe, reproduzindo as formas de relação de poder.

Para a Psicanálise, é o inconsciente que impulsiona palavras e ações, sem que nos demos conta de nossas profundas motivações – que podem ser pulsionais (provindas do ID – essa zona nebulosa do nosso psiquismo, zona dos desejos, dos impulsos de vida e de morte) e que podem ser também provindas do nosso superego, que são as normas e leis que introjetamos da cultura, que freiam o nosso ID. Estabelece-se uma arena de conflito dentro de nós, intermediada pelo Ego, a parte mais consciente de nossa estrutura psíquica.

Para o Espiritismo, o que está em relação com nosso eu, são as heranças de nossas vidas passadas, com nossas capacidades já desenvolvidas e nossos desajustes inatos, e as influências espirituais que nos cercam, para o bem e para o mal, de acordo com as afinidades que estabelecemos.

Duas questões interessantes se nos apresentam então:

Uma teoria anula a outra? De jeito nenhum! E até o seu entrelaçamento pode ser altamente interessante. A realidade é mais complexa do que a que cabe num só modelo teórico. Pode haver diferentes camadas sociais e psíquicas, biológicas e espirituais, que constituem o ser humano. Cenários antropológicos, cósmicos, internos podem se conectar em diversos nexos. Psicanálise e Marxismo já dialogaram através de vários autores fecundos, como Erich Fromm e Zygmunt Bauman. Entre Espiritismo e Marxismo, por exemplo, há textos de Humberto Mariotti e Herculano Pires. Entre Espiritismo e Psicanálise, ainda está por ser feito um diálogo.

Há possibilidade de liberdade e transcendência diante dos condicionamentos apontados nas três teorias? Podemos nos sobrepor aos nossos determinismos de classe? Sim, para Marx é possível, tomarmos consciência dos modelos de exploração e dominação em que estamos inseridos e fazermos a hora (ou a história), como na canção de Geraldo Vandré. Para Freud, é possível a sublimação, que seria a forma de transformarmos nossas pulsões de vida e de morte em cultura, civilização, arte… e obtermos alívio de nossas tensões internas. Para o espiritismo, mais ainda… porque o espírito imortal está destinado à evolução, à transcendência, com realização plena de si e pode sempre exercer seu livre arbítrio.

O problema filosófico que se apresenta para um diálogo com essa terceira ciência nascida no século XIX – o Espiritismo – que tanta resistência encontra e que é tão desconhecida por seus próprios adeptos é que tanto o Marxismo como a Psicanálise (pelo menos a freudiana), desqualificam qualquer forma de espiritualidade. E o Espiritismo justamente quer abordar a dimensão espiritual do ser humano, revelando-a como uma instância natural. Marx e Engels consideram religiões, formas de alienação, e Freud, formas de ilusão – fantasias inúteis e patológicas.

Mas essas críticas, como já disse em meu livro Deus e deus, podem ser proveitosas aos que aceitam o espírito – porque elas nos previnem de uma religiosidade comprometida com o conservadorismo que explora o outro ser humano, em nome de Deus e também nos alerta para os possíveis aspectos fantasiosos de nossas percepções extra-sensoriais. Separar o que é de nosso inconsciente do que é de uma manifestação mediúnica; distinguir o que é um trauma de infância de um trauma de outra vida; avaliar o que é projeção de nossos desejos e o que é uma percepção extra-sensorial; tudo isso pode ser um exercício necessário, em que o autoconhecimento e o desenvolvimento de nossas potencialidades mediúnicas se conjugam.

Ficar no materialismo positivista do século XIX sem qualquer abertura de diálogo com a espiritualidade é um caminho de dogmatismo, que muitos praticam. Assim como permanecer no Espiritismo, sem tomar conhecimento de outras formas de pensar o mundo, que nos descortinam outros horizontes sociais e psíquicos – é encarcerar-se num sistema fechado de pensamento, coisa que Kardec não propôs, e estacionar à beira da história.
 

*Retirado, com autorização da autora Dora Incontri, do blog da Associação Brasileira de Pedagogia Espírita

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.633
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2802 Online: 11 de Julho de 2017, 08:29:18 »
Fiquei até sem saber onde postar...

http://jornalggn.com.br/noticia/espiritismo-marxismo-e-psicanalise-%E2%80%93-e-a-complexidade-do-real-por-dora-incontri

Citar
Espiritismo, Marxismo e Psicanálise – e a complexidade do real, por Dora Incontri

CIÊNCIA ESPÍRITA

Espiritismo, Marxismo e Psicanálise – e a complexidade do real

por Dora Incontri

Três modelos teóricos de interpretação de mundo, de visão do ser humano e de ação prática nasceram no século XIX. Os três se autodenominavam científicos. Os três pretendiam desvendar aspectos de certa maneira até então desconhecidos ou desconsiderados, que melhor explicariam o comportamento humano, individual e coletivamente.


E as três correntes ainda hoje não são consideradas científicas pela ortodoxia da ciência, dita mainstream. Mas o marxismo e a psicanálise pelo menos têm espaços largos em universidades e inúmeros pesquisadores e intelectuais desdobraram seus pressupostos; já o espiritismo, por mexer com paradigmas talvez mais cristalizados, com preconceitos muito arraigados e, sobretudo, por ferir interesses muito estabelecidos (ao mesmo tempo do materialismo e das religiões institucionais, com seus mistérios), e também talvez por ter se popularizado como uma forma de religião –  é o que mais sofre ostracismo e silenciamento – apesar de ser talvez das três propostas, a que coleciona maior número de evidências de pesquisa, que corroboram seu modelo explicativo.

Vamos nos debruçar brevemente sobre essas questões, que são complexas e sutis e que num breve artigo de blog podem apenas ser esboçadas, como um convite para pesquisas, diálogos e estudos mais aprofundados.

Primeira coisa em comum entre as três vertentes: há algo que não se vê, de que não se está consciente, mas que influi e até determina nosso modo de estar no mundo.

Para o marxismo, são as infraestruturas econômicas, são os determinismos da classe social em que nascemos. Então, por exemplo, alguém que nasce na burguesia, está sem perceber embebido da ideologia dessa classe social e age, sem pensar, como produto de sua classe, reproduzindo as formas de relação de poder.

Para a Psicanálise, é o inconsciente que impulsiona palavras e ações, sem que nos demos conta de nossas profundas motivações – que podem ser pulsionais (provindas do ID – essa zona nebulosa do nosso psiquismo, zona dos desejos, dos impulsos de vida e de morte) e que podem ser também provindas do nosso superego, que são as normas e leis que introjetamos da cultura, que freiam o nosso ID. Estabelece-se uma arena de conflito dentro de nós, intermediada pelo Ego, a parte mais consciente de nossa estrutura psíquica.

Para o Espiritismo, o que está em relação com nosso eu, são as heranças de nossas vidas passadas, com nossas capacidades já desenvolvidas e nossos desajustes inatos, e as influências espirituais que nos cercam, para o bem e para o mal, de acordo com as afinidades que estabelecemos.

Duas questões interessantes se nos apresentam então:

Uma teoria anula a outra? De jeito nenhum! E até o seu entrelaçamento pode ser altamente interessante. A realidade é mais complexa do que a que cabe num só modelo teórico. Pode haver diferentes camadas sociais e psíquicas, biológicas e espirituais, que constituem o ser humano. Cenários antropológicos, cósmicos, internos podem se conectar em diversos nexos. Psicanálise e Marxismo já dialogaram através de vários autores fecundos, como Erich Fromm e Zygmunt Bauman. Entre Espiritismo e Marxismo, por exemplo, há textos de Humberto Mariotti e Herculano Pires. Entre Espiritismo e Psicanálise, ainda está por ser feito um diálogo.

Há possibilidade de liberdade e transcendência diante dos condicionamentos apontados nas três teorias? Podemos nos sobrepor aos nossos determinismos de classe? Sim, para Marx é possível, tomarmos consciência dos modelos de exploração e dominação em que estamos inseridos e fazermos a hora (ou a história), como na canção de Geraldo Vandré. Para Freud, é possível a sublimação, que seria a forma de transformarmos nossas pulsões de vida e de morte em cultura, civilização, arte… e obtermos alívio de nossas tensões internas. Para o espiritismo, mais ainda… porque o espírito imortal está destinado à evolução, à transcendência, com realização plena de si e pode sempre exercer seu livre arbítrio.

O problema filosófico que se apresenta para um diálogo com essa terceira ciência nascida no século XIX – o Espiritismo – que tanta resistência encontra e que é tão desconhecida por seus próprios adeptos é que tanto o Marxismo como a Psicanálise (pelo menos a freudiana), desqualificam qualquer forma de espiritualidade. E o Espiritismo justamente quer abordar a dimensão espiritual do ser humano, revelando-a como uma instância natural. Marx e Engels consideram religiões, formas de alienação, e Freud, formas de ilusão – fantasias inúteis e patológicas.

Mas essas críticas, como já disse em meu livro Deus e deus, podem ser proveitosas aos que aceitam o espírito – porque elas nos previnem de uma religiosidade comprometida com o conservadorismo que explora o outro ser humano, em nome de Deus e também nos alerta para os possíveis aspectos fantasiosos de nossas percepções extra-sensoriais. Separar o que é de nosso inconsciente do que é de uma manifestação mediúnica; distinguir o que é um trauma de infância de um trauma de outra vida; avaliar o que é projeção de nossos desejos e o que é uma percepção extra-sensorial; tudo isso pode ser um exercício necessário, em que o autoconhecimento e o desenvolvimento de nossas potencialidades mediúnicas se conjugam.

Ficar no materialismo positivista do século XIX sem qualquer abertura de diálogo com a espiritualidade é um caminho de dogmatismo, que muitos praticam. Assim como permanecer no Espiritismo, sem tomar conhecimento de outras formas de pensar o mundo, que nos descortinam outros horizontes sociais e psíquicos – é encarcerar-se num sistema fechado de pensamento, coisa que Kardec não propôs, e estacionar à beira da história.
 

*Retirado, com autorização da autora Dora Incontri, do blog da Associação Brasileira de Pedagogia Espírita

O melhor seria na seção de 'Piadas'.
Foto USGS

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.274

Offline Spencer

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.188
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2804 Online: 11 de Julho de 2017, 09:32:53 »
Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Espiritismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.274
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2805 Online: 11 de Julho de 2017, 09:41:09 »
Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Espiritismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:

Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Marxismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:

Offline Gorducho

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 633
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2806 Online: 11 de Julho de 2017, 12:14:49 »
Eu respondo a isso separando a consciência hominal em compartimentos distintos e quase completamente disjuntos.
Num a física, o mundo da realidade externa (implícito: adoto como dogma meu o anti-solipsismo).
Noutro a metafísica; a fantasia. O tal do "coração" do Pascal. É exatamente o mesmo mecanismo pelo qual alguém bem posto socialmente, culto, até mesmo "rico" ($) se apaixona como qualquer outro humano e pode por tudo a perder por ciúmes, má escolha &c...
Por isso sempre ressalto que status social ou profissional NÃO é referência para o âmbito místico/religioso (onde se inclui a religião marxista, claro).
Exatamente como a possibilidade do sujeito se apaixonar e por quem irá se apaixonar independe também desses parâmetros.

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.274
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2807 Online: 11 de Julho de 2017, 13:30:30 »
Eu respondo a isso separando a consciência hominal em compartimentos distintos e quase completamente disjuntos.
Num a física, o mundo da realidade externa (implícito: adoto como dogma meu o anti-solipsismo).
Noutro a metafísica; a fantasia. O tal do "coração" do Pascal. É exatamente o mesmo mecanismo pelo qual alguém bem posto socialmente, culto, até mesmo "rico" ($) se apaixona como qualquer outro humano e pode por tudo a perder por ciúmes, má escolha &c...
Por isso sempre ressalto que status social ou profissional NÃO é referência para o âmbito místico/religioso (onde se inclui a religião marxista, claro).
Exatamente como a possibilidade do sujeito se apaixonar e por quem irá se apaixonar independe também desses parâmetros.

Eu respondo a isso com ceticismo. Também independe do status social e profissional. Nos ensinam a acreditar num monte de coisas ao longo da vida, espiritismo, marxismo, psicanálise, alma gêmea, são só algumas delas. Até que um belo dia nos ensinam (ou não) o ceticismo e você põe cada uma delas à prova (ou não). Você não escolhe por quem se apaixonar, mas pode escolher com quem ficar, namorar, casar. Tem desculpas, não!  :P

Offline Gorducho

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 633
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2808 Online: 11 de Julho de 2017, 14:24:25 »
Mas às vezes esse "outro lado" - o irracional, "do coração", claro - da mente vence.
O cara acaba casando com aquela pomba mesmo apesar de tudo e de todos. E muitas vezes vivem felizes pra sempre, claro  :)

Offline Spencer

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.188
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2809 Online: 11 de Julho de 2017, 14:42:50 »
Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Espiritismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:

Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Marxismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:
perceberam o que eu dizia?
Marxismo é ideologia que envolve aspectos políticos e sócio-econômicos.
Espiritismo, apenas o tocante ao espírito ou religião, depende.
Acho que vc sabe disso.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.775
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2810 Online: 11 de Julho de 2017, 15:23:07 »
Agora fiquei curioso com o holodomor e a revolução cultural chinesa na visão cármica espírita.

Bem, resumidamente, FDPs tendo o que bem merecem.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2811 Online: 11 de Julho de 2017, 16:34:27 »
Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Espiritismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:

Existem pessoas cultas, inteligentes, questionadoras, que adotam o Marxismo com grande facilidade.
Mas também aquelas outras, de mesmo nível intelectual, para as quais a Religião não merece qualquer consideração... Ilusão + perda de tempo.

Se esta opção não depende de qualquer qualificação mental, como cultura e inteligencia, dependeria de quê?
Sempre entendi que no fcc esta questão poderia ser discutida e talvez até se chegasse a alguma conclusão.
Não imaginava que apenas ouviria piadas, remoques, e a falta de interesse.
Em fim... :ok:
perceberam o que eu dizia?
Marxismo é ideologia que envolve aspectos políticos e sócio-econômicos.
Espiritismo, apenas o tocante ao espírito ou religião, depende.
Acho que vc sabe disso.
Trata-se de serem ambos ideologias, propostas idealizadas do mundo.

Offline Gorducho

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 633
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2812 Online: 11 de Julho de 2017, 17:02:38 »
Tabela de conversão entre as religiões cristã e marxista
[retirado d'A História da Filosofia Ocidental do Russell]
____________________________________
Jeová                  | Materialismo Dialético
O Messias            | Marx
Os Eleitos            | O Proletariado
A Igreja              | O Partido
A Segunda Vinda | A Revolução
O Inferno            | Punição dos Capitalistas
O Milênio (*)       | A Comunidade Comunista
____________________________________

(*) 2057 pro "espiritismo evangélico".
« Última modificação: 11 de Julho de 2017, 17:06:35 por Gorducho »

Offline Spencer

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.188
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2813 Online: 11 de Julho de 2017, 17:39:27 »
Tabela de conversão entre as religiões cristã e marxista
[retirado d'A História da Filosofia Ocidental do Russell
____________________________________
Jeová                  | Materialismo Dialético
O Messias            | Marx
Os Eleitos            | O Proletariado
A Igreja              | O Partido
A Segunda Vinda | A Revolução
O Inferno            | Punição dos Capitalistas
O Milênio (*)       | A Comunidade Comunista
____________________________________
 
(*) 2057 pro "espiritismo evangélico".
Caracas! Nada a ver.
Além do que, referente a 2057, delírio infamante. Início, bem início mesmo de um estágio de trabalho com retorno, esforço compensado, inteligência criativa.
Qualquer semelhança com Milênio de prosperidade, paz e glória é mero devaneio da oposição. :hihi:

Offline Spencer

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.188
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2814 Online: 11 de Julho de 2017, 17:43:37 »
perceberam o que eu dizia?
Marxismo é ideologia que envolve aspectos políticos e sócio-econômicos.
Espiritismo, apenas o tocante ao espírito ou religião, depende.
Acho que vc sabe disso.
 
Citação de: Sergio
Trata-se de serem ambos ideologias, propostas idealizadas do mundo.
Como centenas de outras que sempre existiram, mais ou menos globalizadas.

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.274
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2815 Online: 11 de Julho de 2017, 17:48:53 »

Citação de: Sergio
Trata-se de serem ambos ideologias, propostas idealizadas do mundo.
Como centenas de outras que sempre existiram, mais ou menos globalizadas.

BINGO!  ::)

Offline Spencer

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.188
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2816 Online: 11 de Julho de 2017, 18:00:09 »
Agora fiquei curioso com o holodomor e a revolução cultural chinesa na visão cármica espírita.

Bem, resumidamente, FDPs tendo o que bem merecem.
Somos todos nós, estes FDPs, em momentos diferentes da História.
Quando vc viu o Stalin, na figura de um negrinho, pele e osso na Naníbia, se condoeu e questionou o Carma. :ok:

Offline AlienígenA

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.274
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2817 Online: 11 de Julho de 2017, 18:24:22 »
Agora fiquei curioso com o holodomor e a revolução cultural chinesa na visão cármica espírita.

Bem, resumidamente, FDPs tendo o que bem merecem.
Somos todos nós, estes FDPs, em momentos diferentes da História.
Quando vc viu o Stalin, na figura de um negrinho, pele e osso na Naníbia, se condoeu e questionou o Carma. :ok:

Coitado do negrinho pele e osso da Naníbia. Ainda tem gente que acha que ele mereceu sua sorte. Coisa mais tocante! :hmph:

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!