Autor Tópico: Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?  (Lida 219468 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.295
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2900 Online: 25 de Abril de 2018, 01:28:48 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2901 Online: 25 de Abril de 2018, 01:45:56 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração. 

Offline Fenrir

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.433
  • Sexo: Masculino
  • Cave Canem
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2902 Online: 25 de Abril de 2018, 06:11:21 »
realmente, orações tem um poder tremendo
nem sei para que médicos, afinal
e porque tantos estão na m*****
mas eles não devem ter fé, não é simples, gafanhoto?
com tanto poder, mas tanta m*****, então o problema deve ser uma falta generalizada de fé. E eu que achava que os incréus eram uma minoria.
já eu não oro há uns 40 anos, pretendo continuar outros 40 e dai em diante sem orar e sigo enfrentando os problemas da vida (tenho os meus) com culhões e coragem, sem precisar de oração, nem de fé, deus e de nenhuma outra muleta que a religião oferece
« Última modificação: 25 de Abril de 2018, 06:24:28 por Fenrir »
"Heaven and Earth are not benevolent;
They treat the myriad of creatures as straw dogs"
― Laozi

"No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
― David Hume

“Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
― Mark Twain

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.624
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2903 Online: 25 de Abril de 2018, 07:27:59 »
Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração. 
Esta "explicação" me lembra a de uma crente com quem discuti. Ela disse que Paulo não proibiu as mulheres de falar nas igrejas. Foi apenas o caso particular de uma igreja onde as mulheres faziam muita bagunça.

Ou a tentativa de "explicar" a contradição entre Judas ter se enforcado ou morrido porque tropeçou, caiu e suas tripas saíram fora: Judas teria se enforcado, mas a corda arrebentou, ele caiu e as tripas saíram (continua sem explicar a contradição sobre o que ele fez com as 30 moedas).

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.624
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2904 Online: 25 de Abril de 2018, 07:30:49 »
realmente, orações tem um poder tremendo
nem sei para que médicos, afinal
e porque tantos estão na m*****
mas eles não devem ter fé, não é simples, gafanhoto?
com tanto poder, mas tanta m*****, então o problema deve ser uma falta generalizada de fé. E eu que achava que os incréus eram uma minoria.
Pois é. Se funciona nas igrejas, por que os crentes não vão aos hospitais e curam todo mundo? Será porque, nos hospitais, os doentes são de verdade?

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.295
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2905 Online: 25 de Abril de 2018, 07:58:19 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração. 

Autoridade sobre a natureza.... :histeria:
Poder da oração.... :histeria:

Os crentes "entendem" apenas o que combina com suas fantasias.
Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline Fenrir

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.433
  • Sexo: Masculino
  • Cave Canem
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2906 Online: 25 de Abril de 2018, 08:08:50 »
Ah, o contexto...
Dependendo de quem faz a merda, usa-se o contexto como justificativa.
Se o zé amaldiçoa uma arvore por (pasmem) não dar frutos fora de época, zé é estúpido
Troque zé por JC, que a coisa muda totalmente
"Heaven and Earth are not benevolent;
They treat the myriad of creatures as straw dogs"
― Laozi

"No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
― David Hume

“Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
― Mark Twain

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.074
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2907 Online: 25 de Abril de 2018, 08:42:50 »
Ah, o contexto...
Dependendo de quem faz a merda, usa-se o contexto como justificativa.
Se o zé amaldiçoa uma arvore por (pasmem) não dar frutos fora de época, zé é estúpido
Troque zé por JC, que a coisa muda totalmente

Ué, o cara tem autoridade sobre a natureza... é praticamente um Moro ecológico.
"Deus prefere os ateus"

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2908 Online: 25 de Abril de 2018, 09:17:41 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração.

Se havia quem pudesse "converter" a figueira, isto é, torná-la uma "árvore frutífera", segundo o livro, ali estava o cara. Em vez disso, no entanto, ele preferiu amaldiçoá-la.

Foi você quem não entendeu nada.

Queima ele, Jesus!   :sleepy:

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2909 Online: 25 de Abril de 2018, 09:31:38 »
Ah, o contexto...
Dependendo de quem faz a merda, usa-se o contexto como justificativa.
Se o zé amaldiçoa uma arvore por (pasmem) não dar frutos fora de época, zé é estúpido
Troque zé por JC, que a coisa muda totalmente

Ué, o cara tem autoridade sobre a natureza... é praticamente um Moro ecológico.

O primeiro terminou crucificado, abandonado pelo Supremo...  :sleepy:

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.767
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2910 Online: 25 de Abril de 2018, 11:34:56 »
[...]
Taí um ótimo exemplo do que eu chamo de ''crença cética''.

O sujeito açodado lê parte do texto, não o liga ao contexto, o interpreta ao pé da letra, e ainda omite a parte mais esclarecedora, que nesse caso é a continuação da narrativa de Marcos sobre a figueira:

''Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.'' (Marcos 11:20-25)

Jesus teve um propósito bem definido ao realizar este milagre para passar uma lição, a saber: afirmar sua divindade, demonstrar sua autoridade sobre a natureza, e ensinar sobre o poder da oração.   

Mas o ''crente cético'' também não procura fazer o mínimo esforço para analisar os pormenores do texto religioso que ele pretende atacar, senão vejamos:

É chocante ver um sujeito que transforma água em vinho (dentre outras coisas) ficar reclamando de uma figueira só porque deu vontade de comer figos fora da época.

Além do que já escrevemos logo acima, isso aí é facilmente refutado pelos próprios detalhes que Marcos já nos forneceu:

''Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto.''

Certas figueiras dão fruto cedo, antes da estação. Se a figueira que Jesus avistou já estava coberta de folhas, como o texto deixou claro, é razoável supor que Jesus foi ao seu encontro para ver se ali já teria figos verdes, porém havia somente folhas crescidas e nenhum fruto. Enganosa era sua aparência; madura parecia ser, mas não era. E disso extraímos uma valiosa reflexão.

Eis uma síntese do pensamento de outro "crente cético", plenamente 'cientificista':

1) "Crentes céticos" 'cientificistas' não veem sentido em analisar textos religiosos de modo racional-cientificamente, em especial as partes ligadas a "milagres".

2) Há dúvidas da existência de Jesus Cristo.

3) Mesmo que tenha existido, não há nenhuma evidência palpável que ele tenha feito "milagres", que são, em essência, violações das condições naturais (físico-química-biológicas).

4) Não existem evidências de "milagres", sejam antigos ou hodiernos.

5) No campo da mitologia agora. É de estranhar que a deidade cristã, filho de Yaveh, não exercesse a sua onisciência para saber que aquela figueira, plenamente folhada, estava desprovida de frutos.

6) Ainda na mitologia. Pior ainda é fazer uma demonstração tosca de poder sobre uma árvore. Que ele removesse uma montanha!
Foto USGS

Offline Gorducho

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.207
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2911 Online: 25 de Abril de 2018, 11:53:03 »
E no  entanto essa da figueira — junto c/outras passagens já analisadas em outros lugares, claro — é pra mim um indício de possível autenticidade n'algumas passagens referentes a essa (supostamente existente) pessoa  :!:
O fato é TÃO besta que me parece dificilmente seria bolado se tudo tenha sido 100% inventado acerca desse Sr. "Jesus"...
Essa pessoa pode de fato ter visto a árvore folhada de média distancia, achado que tinha figos —visto que há casos de darem já nessa "pré"-época — e se irritado com seu próprio engano.
Me parece mais plausível que supor tenha sido todo episódio 100% inventado pelos apologistas posteriores.
A menos que seja alguma readaptação d'alguma passagem análoga existente na tradição da Palestina ou região do autor  :?: que a gente (claro) desconhece.
« Última modificação: 25 de Abril de 2018, 12:01:21 por Gorducho »

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2912 Online: 25 de Abril de 2018, 15:02:40 »
realmente, orações tem um poder tremendo
nem sei para que médicos, afinal
e porque tantos estão na m*****
mas eles não devem ter fé, não é simples, gafanhoto?
com tanto poder, mas tanta m*****, então o problema deve ser uma falta generalizada de fé. E eu que achava que os incréus eram uma minoria.
já eu não oro há uns 40 anos, pretendo continuar outros 40 e dai em diante sem orar e sigo enfrentando os problemas da vida (tenho os meus) com culhões e coragem, sem precisar de oração, nem de fé, deus e de nenhuma outra muleta que a religião oferece

Você agora fez um desabafo pessoal em relação ao que até então era uma simples questão interpretativa imparcial de um texto bíblico, e isto é revelador.

Já vi os mesmos desabafos em muitos debatedores ''ateus''; uma tendência em se revoltarem contra a religião só porque m***** existem, como se o Poder da Oração viesse a ser um fato caso o mundo fosse um mar de rosas, e depois ainda negam que não tem crenças.


realmente, orações tem um poder tremendo
nem sei para que médicos, afinal
e porque tantos estão na m*****
mas eles não devem ter fé, não é simples, gafanhoto?
com tanto poder, mas tanta m*****, então o problema deve ser uma falta generalizada de fé. E eu que achava que os incréus eram uma minoria.
Pois é. Se funciona nas igrejas, por que os crentes não vão aos hospitais e curam todo mundo? Será porque, nos hospitais, os doentes são de verdade?

Como disse, antes estávamos interpretando um texto, mas alguns extrapolaram para questões de cunho mais pessoal.

Caro Fernando, o texto de Marcos diz exatamente que a Fé tem sim o poder de alterar a realidade, mas é somente um texto, e nada mais... Não é porque algo está escrito num papel que tem que ser obrigatoriamente verdade.  :lol:


Ah, o contexto...
Dependendo de quem faz a merda, usa-se o contexto como justificativa.
Se o zé amaldiçoa uma arvore por (pasmem) não dar frutos fora de época, zé é estúpido
Troque zé por JC, que a coisa muda totalmente

Atribuir justificativas para o que Jesus fez ou deixou de fazer em relação a um episódio que você não testemunhou demonstra que você tem uma crença cética bastante solidificada.

Já na ausência total de crenças, tudo o que podemos fazer é analisar o texto com imparcialidade, porém nesse caso uma exegese minuciosa nem se faz tão necessário, pois o texto é demasiadamente claro por si só: Jesus viu uma figueira florida fora de época, foi lá constatar se havia frutos nela (notem que o texto ora nenhuma afirma que Ele à priori acreditava que tivessem frutos). Não vendo os mesmos, amaldiçoou a figueira por se tratar de uma árvore que aparentava ser madura, enquanto não era, e aproveitou a lição para ensinar o Poder da Fé para seus seguidores. Isso é tudo o que o texto diz.

Já extrapolar para alegações tais como ''Jesus ficou irritadinho'', ''se revoltou porque queria comer figos'', ''acreditava que ali havia figos fora de época'', ou seja, acreditar em (e atribuir) fatos que não estão no texto, trata-se unicamente de crenças.


Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração.

Se havia quem pudesse "converter" a figueira, isto é, torná-la uma "árvore frutífera", segundo o livro, ali estava o cara. Em vez disso, no entanto, ele preferiu amaldiçoá-la.

Foi você quem não entendeu nada.

Queima ele, Jesus!   :sleepy:

Para quê Jesus precisaria ''converter'' uma figueira?

És um homem de muita fé.  :hihi:


Ah, o contexto...
Dependendo de quem faz a merda, usa-se o contexto como justificativa.
Se o zé amaldiçoa uma arvore por (pasmem) não dar frutos fora de época, zé é estúpido
Troque zé por JC, que a coisa muda totalmente

Ué, o cara tem autoridade sobre a natureza... é praticamente um Moro ecológico.

O primeiro terminou crucificado, abandonado pelo Supremo...  :sleepy:


E se tivesse acontecido o contrário, você acreditaria nele?


Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração. 

Autoridade sobre a natureza.... :histeria:
Poder da oração.... :histeria:

Os crentes "entendem" apenas o que combina com suas fantasias.

Você não leu o texto, obviamente, senão diria o contrário.

Negar isso e atribuir termos que não existem (''irritadinho'', ''revoltadinho'') a um texto claro e de fácil compreensão aí sim é uma evidência de que os ''crentes entendem apenas o que combina com suas fantasias''.

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2913 Online: 25 de Abril de 2018, 15:13:11 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração.

Se havia quem pudesse "converter" a figueira, isto é, torná-la uma "árvore frutífera", segundo o livro, ali estava o cara. Em vez disso, no entanto, ele preferiu amaldiçoá-la.

Foi você quem não entendeu nada.

Queima ele, Jesus!   :sleepy:

Para quê Jesus precisaria ''converter'' uma figueira?

És um homem de muita fé.  :hihi:


Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira?

És um homem de pouca lógica.  :P

Ah, o contexto...
Dependendo de quem faz a merda, usa-se o contexto como justificativa.
Se o zé amaldiçoa uma arvore por (pasmem) não dar frutos fora de época, zé é estúpido
Troque zé por JC, que a coisa muda totalmente

Ué, o cara tem autoridade sobre a natureza... é praticamente um Moro ecológico.

O primeiro terminou crucificado, abandonado pelo Supremo...  :sleepy:


E se tivesse acontecido o contrário, você acreditaria nele?

Acho que não.  :)
« Última modificação: 25 de Abril de 2018, 15:18:09 por AlienígenA »

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2914 Online: 25 de Abril de 2018, 15:26:37 »
[...]
Taí um ótimo exemplo do que eu chamo de ''crença cética''.

O sujeito açodado lê parte do texto, não o liga ao contexto, o interpreta ao pé da letra, e ainda omite a parte mais esclarecedora, que nesse caso é a continuação da narrativa de Marcos sobre a figueira:

''Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.'' (Marcos 11:20-25)

Jesus teve um propósito bem definido ao realizar este milagre para passar uma lição, a saber: afirmar sua divindade, demonstrar sua autoridade sobre a natureza, e ensinar sobre o poder da oração.   

Mas o ''crente cético'' também não procura fazer o mínimo esforço para analisar os pormenores do texto religioso que ele pretende atacar, senão vejamos:

É chocante ver um sujeito que transforma água em vinho (dentre outras coisas) ficar reclamando de uma figueira só porque deu vontade de comer figos fora da época.

Além do que já escrevemos logo acima, isso aí é facilmente refutado pelos próprios detalhes que Marcos já nos forneceu:

''Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto.''

Certas figueiras dão fruto cedo, antes da estação. Se a figueira que Jesus avistou já estava coberta de folhas, como o texto deixou claro, é razoável supor que Jesus foi ao seu encontro para ver se ali já teria figos verdes, porém havia somente folhas crescidas e nenhum fruto. Enganosa era sua aparência; madura parecia ser, mas não era. E disso extraímos uma valiosa reflexão.

Eis uma síntese do pensamento de outro "crente cético", plenamente 'cientificista':

1) "Crentes céticos" 'cientificistas' não veem sentido em analisar textos religiosos de modo racional-cientificamente, em especial as partes ligadas a "milagres".

Não precisa de nada disso. Não é preciso complicar o que já está claro. Basta apenas ler o que está escrito e não ir além. O que vier depois é somente uma questão de crenças.   



Citar
2) Há dúvidas da existência de Jesus Cristo.

Sim, mas não há dúvidas sobre a interpretação daquele texto. Não é um erro ou uma contradição bíblica, como ficou bem entendido.



Citar
3) Mesmo que tenha existido, não há nenhuma evidência palpável que ele tenha feito "milagres", que são, em essência, violações das condições naturais (físico-química-biológicas).

4) Não existem evidências de "milagres", sejam antigos ou hodiernos.

Evidências de que ele tenha feito milagres e também de milagres modernos existem sim através de testemunhas oculares, o que é bem diferente de dizer que milagres como violações das condições naturais são reais.   



Citar
5) No campo da mitologia agora. É de estranhar que a deidade cristã, filho de Yaveh, não exercesse a sua onisciência para saber que aquela figueira, plenamente folhada, estava desprovida de frutos.

Talvez ele já soubesse. Mesmo assim se encaminhou para lá porque pretendia passar uma lição. Acho que já ficou claro este ponto.



Citar
6) Ainda na mitologia. Pior ainda é fazer uma demonstração tosca de poder sobre uma árvore. Que ele removesse uma montanha!

E se ele tivesse removido uma montanha? Então te convenceria?

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2915 Online: 25 de Abril de 2018, 15:30:51 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração.

Se havia quem pudesse "converter" a figueira, isto é, torná-la uma "árvore frutífera", segundo o livro, ali estava o cara. Em vez disso, no entanto, ele preferiu amaldiçoá-la.

Foi você quem não entendeu nada.

Queima ele, Jesus!   :sleepy:

Para quê Jesus precisaria ''converter'' uma figueira?

És um homem de muita fé.  :hihi:


Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira?

És um homem de pouca lógica.  :P

Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira? Ora, meu caro, você está perguntando para a pessoa errada. Por quê não questiona ao autor do texto, que é Marcos?  :biglol:

Depois eu é que sou um homem de pouca lógica.

Offline Agnoscetico

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.631
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2916 Online: 25 de Abril de 2018, 15:55:38 »
Há pessoas religiosas muito inteligentes e compententes, eu tenho alguns amigos assim.

Em compensação tem líderes religiosos que parecem muito sábios por dizer várias frases de efeito mas por outro lado fazem coisas.... :inri: :parede:

Esse aqui achei no comentário de alguém que se dizia judeu e questionou esse pretenso messias. Esqueci de pôr aqui antes essa pérola:


   Segundo o Novo testamento Jesus amaldiçoou uma figueira por ela não ter dado frutos; mas a Bíblia mesmo explica que não era tempo de frutos. Jesus cometeu uma gafe:

Marcos 11:13-14

Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto. Aproximou-se da árvore, mas só encontrou folhas pois não era tempo de figos. E disse à figueira: Jamais alguém coma fruto de ti! E os discípulos ouviram esta maldição.

   E esse mesmo que se dizia judeu ainda acrescentou, baseado numa passagem que critica atitudes parecidas com a que o pretenso messias fez:

Deuteronômio 20:19-20

Quando sitiares uma cidade durante longo tempo e tiveres de lutar para apoderar-te dela, não cortarás as árvores a golpe de machado; comerás os seus frutos, mas não derrubarás as árvores. A árvore do campo seria porventura um homem para que a ataques? Somente aquelas árvores que souberes não serem frutíferas poderás destruí-las e abatê-las para os trabalhos do cerco contra a cidade inimiga, ate que ela sucumba.

Taí um ótimo exemplo do que eu chamo de ''crença cética''.

O sujeito açodado lê parte do texto, não o liga ao contexto, o interpreta ao pé da letra, e ainda omite a parte mais esclarecedora, que nesse caso é a continuação da narrativa de Marcos sobre a figueira:

''Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.'' (Marcos 11:20-25)

Jesus teve um propósito bem definido ao realizar este milagre para passar uma lição, a saber: afirmar sua divindade, demonstrar sua autoridade sobre a natureza, e ensinar sobre o poder da oração.   


Mas o ''crente cético'' também não procura fazer o mínimo esforço para analisar os pormenores do texto religioso que ele pretende atacar, senão vejamos:

É chocante ver um sujeito que transforma água em vinho (dentre outras coisas) ficar reclamando de uma figueira só porque deu vontade de comer figos fora da época.

Além do que já escrevemos logo acima, isso aí é facilmente refutado pelos próprios detalhes que Marcos já nos forneceu:

''Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto.''

Certas figueiras dão fruto cedo, antes da estação. Se a figueira que Jesus avistou já estava coberta de folhas, como o texto deixou claro, é razoável supor que Jesus foi ao seu encontro para ver se ali já teria figos verdes, porém havia somente folhas crescidas e nenhum fruto. Enganosa era sua aparência; madura parecia ser, mas não era. E disso extraímos uma valiosa reflexão.


Pra um ser que sabia (ou dizia saber) o que passava na mente das pessoas  via o futuro, era de se esperar que uma figueira não tivesse figo.

E ainda tem questão de Jesus ter brigado om uma figueira, que nem consciência. Tipo alguém que briga com pedra porque fez ele tropeçar.

Porque essa desculpa do contexto pra um cara com ele que faz milagres, lê pensamentos, é profeta, é bem esfarrapada.  :histeria:

 
« Última modificação: 25 de Abril de 2018, 15:58:20 por Agnoscetico »

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2917 Online: 25 de Abril de 2018, 15:57:48 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração.

Se havia quem pudesse "converter" a figueira, isto é, torná-la uma "árvore frutífera", segundo o livro, ali estava o cara. Em vez disso, no entanto, ele preferiu amaldiçoá-la.

Foi você quem não entendeu nada.

Queima ele, Jesus!   :sleepy:

Para quê Jesus precisaria ''converter'' uma figueira?

És um homem de muita fé.  :hihi:


Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira?

És um homem de pouca lógica.  :P

Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira? Ora, meu caro, você está perguntando para a pessoa errada. Por quê não questiona ao autor do texto, que é Marcos?  :biglol:

Depois eu é que sou um homem de pouca lógica.

Não só de pouca lógica, mas também de pouca memória.  ::) 

Há pouco você sabia até no que Cristo acreditava.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''.

Agora diz que estou perguntando a pessoa errada. Nisso, ao menos, você deve ter razão.  :P

Ah, esses cristãos...   :consolo:

Offline Agnoscetico

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.631
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2918 Online: 25 de Abril de 2018, 16:09:20 »
E no  entanto essa da figueira — junto c/outras passagens já analisadas em outros lugares, claro — é pra mim um indício de possível autenticidade n'algumas passagens referentes a essa (supostamente existente) pessoa  :!:
O fato é TÃO besta que me parece dificilmente seria bolado se tudo tenha sido 100% inventado acerca desse Sr. "Jesus"...
Essa pessoa pode de fato ter visto a árvore folhada de média distancia, achado que tinha figos —visto que há casos de darem já nessa "pré"-época — e se irritado com seu próprio engano.
Me parece mais plausível que supor tenha sido todo episódio 100% inventado pelos apologistas posteriores.
A menos que seja alguma readaptação d'alguma passagem análoga existente na tradição da Palestina ou região do autor  :?: que a gente (claro) desconhece.


Essa pessoa pode de fato ter visto a árvore folhada de média distancia, achado que tinha figos —visto que há casos de darem já nessa "pré"-época — e se irritado com seu próprio engano.

Corrigindo: — e se irritado com a figueira pra disfarçar seu próprio engano.

É como alguém que põe culpa em outros (consciente ou não) pelos próprios erros.








Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2919 Online: 25 de Abril de 2018, 16:12:00 »
Há pessoas religiosas muito inteligentes e compententes, eu tenho alguns amigos assim.

Em compensação tem líderes religiosos que parecem muito sábios por dizer várias frases de efeito mas por outro lado fazem coisas.... :inri: :parede:

Esse aqui achei no comentário de alguém que se dizia judeu e questionou esse pretenso messias. Esqueci de pôr aqui antes essa pérola:


   Segundo o Novo testamento Jesus amaldiçoou uma figueira por ela não ter dado frutos; mas a Bíblia mesmo explica que não era tempo de frutos. Jesus cometeu uma gafe:

Marcos 11:13-14

Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto. Aproximou-se da árvore, mas só encontrou folhas pois não era tempo de figos. E disse à figueira: Jamais alguém coma fruto de ti! E os discípulos ouviram esta maldição.

   E esse mesmo que se dizia judeu ainda acrescentou, baseado numa passagem que critica atitudes parecidas com a que o pretenso messias fez:

Deuteronômio 20:19-20

Quando sitiares uma cidade durante longo tempo e tiveres de lutar para apoderar-te dela, não cortarás as árvores a golpe de machado; comerás os seus frutos, mas não derrubarás as árvores. A árvore do campo seria porventura um homem para que a ataques? Somente aquelas árvores que souberes não serem frutíferas poderás destruí-las e abatê-las para os trabalhos do cerco contra a cidade inimiga, ate que ela sucumba.

Taí um ótimo exemplo do que eu chamo de ''crença cética''.

O sujeito açodado lê parte do texto, não o liga ao contexto, o interpreta ao pé da letra, e ainda omite a parte mais esclarecedora, que nesse caso é a continuação da narrativa de Marcos sobre a figueira:

''Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.'' (Marcos 11:20-25)

Jesus teve um propósito bem definido ao realizar este milagre para passar uma lição, a saber: afirmar sua divindade, demonstrar sua autoridade sobre a natureza, e ensinar sobre o poder da oração.   


Mas o ''crente cético'' também não procura fazer o mínimo esforço para analisar os pormenores do texto religioso que ele pretende atacar, senão vejamos:

É chocante ver um sujeito que transforma água em vinho (dentre outras coisas) ficar reclamando de uma figueira só porque deu vontade de comer figos fora da época.

Além do que já escrevemos logo acima, isso aí é facilmente refutado pelos próprios detalhes que Marcos já nos forneceu:

''Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto.''

Certas figueiras dão fruto cedo, antes da estação. Se a figueira que Jesus avistou já estava coberta de folhas, como o texto deixou claro, é razoável supor que Jesus foi ao seu encontro para ver se ali já teria figos verdes, porém havia somente folhas crescidas e nenhum fruto. Enganosa era sua aparência; madura parecia ser, mas não era. E disso extraímos uma valiosa reflexão.


Pra um ser que sabia (ou dizia saber) o que passava na mente das pessoas  via o futuro, era de se esperar que uma figueira não tivesse figo.

E ainda tem questão de Jesus ter brigado om uma figueira, que nem consciência. Tipo alguém que briga com pedra porque fez ele tropeçar.

Porque essa desculpa do contexto pra um cara com ele que faz milagres, lê pensamentos, é profeta, é bem esfarrapada.  :histeria:

Você está atribuindo tantas informações a um personagem e a um texto que já estava bem definido que chego a pensar que o ser sobrenatural que tem a capacidade ver o futuro, ler pensamentos e fazer profecias é você, pois sua crença em acreditar em coisas que não existem ultrapassa até mesmo a dos exegetas cristãos mais exaltados.

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2920 Online: 25 de Abril de 2018, 16:19:41 »
E no  entanto essa da figueira — junto c/outras passagens já analisadas em outros lugares, claro — é pra mim um indício de possível autenticidade n'algumas passagens referentes a essa (supostamente existente) pessoa  :!:
O fato é TÃO besta que me parece dificilmente seria bolado se tudo tenha sido 100% inventado acerca desse Sr. "Jesus"...
Essa pessoa pode de fato ter visto a árvore folhada de média distancia, achado que tinha figos —visto que há casos de darem já nessa "pré"-época — e se irritado com seu próprio engano.
Me parece mais plausível que supor tenha sido todo episódio 100% inventado pelos apologistas posteriores.
A menos que seja alguma readaptação d'alguma passagem análoga existente na tradição da Palestina ou região do autor  :?: que a gente (claro) desconhece.


Essa pessoa pode de fato ter visto a árvore folhada de média distancia, achado que tinha figos —visto que há casos de darem já nessa "pré"-época — e se irritado com seu próprio engano.

Corrigindo: — e se irritado com a figueira pra disfarçar seu próprio engano.

É como alguém que põe culpa em outros (consciente ou não) pelos próprios erros.

É como eu disse no post anterior. É preciso de muita crença para tentar adivinhar os pensamentos de um personagem que viveu numa outra cultura há milhares de anos.

És dotado de poderes sobrenaturais?

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2921 Online: 25 de Abril de 2018, 16:29:38 »
Jesuis foi disparado o maior crente cético da humanidade. Ele acreditou nos figos de uma figueira coberta de folhas mas precisou ir até ela para ver se havia figos, mesmo sabendo que não era época de figos. É crer para ver o que crê. E quando se viu frustrado ficou revoltadinho...



Malvado...

Você continua não entendendo.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''. Está demonstrado no próprio texto de Marcos que a intenção foi fazer um novo milagre para afirmar sua autoridade sobre a natureza e também para ensinar sobre o Poder da Oração.

Se havia quem pudesse "converter" a figueira, isto é, torná-la uma "árvore frutífera", segundo o livro, ali estava o cara. Em vez disso, no entanto, ele preferiu amaldiçoá-la.

Foi você quem não entendeu nada.

Queima ele, Jesus!   :sleepy:

Para quê Jesus precisaria ''converter'' uma figueira?

És um homem de muita fé.  :hihi:


Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira?

És um homem de pouca lógica.  :P

Para quê Jesus precisaria amaldiçoar uma figueira? Ora, meu caro, você está perguntando para a pessoa errada. Por quê não questiona ao autor do texto, que é Marcos?  :biglol:

Depois eu é que sou um homem de pouca lógica.

Não só de pouca lógica, mas também de pouca memória.  ::) 

Há pouco você sabia até no que Cristo acreditava.

Jesus não acreditou que havia glaucos figos só porque a figueira estava coberta por folhas. Ele se dirigiu à figueira para mostrar que existem ''árvores enganosas'', que aparentam dar frutos e serem maduras fora de época, e a maldição não foi porque ele ficou ''irritadinho''.

Agora diz que estou perguntando a pessoa errada. Nisso, ao menos, você deve ter razão.  :P

Ah, esses cristãos...   :consolo:

Melhor ser homem de pouca memória do que ser um cético de muita fé, o que é contraditório.  ;P

E de novo você se engana e distorce o que escrevi a fim de justificar sua crença cética.

O que eu escrevi sobre Jesus está corretíssimo e não precisa de alterações (como muitos tem feito aqui), pois é o que o texto diz. Agora o motivo de Marcos (ou Jesus?) ter escolhido uma figueira ao invés de uma montanha para passar uma lição, você precisaria perguntar pra eles. :biglol:

Eu só sei o que era a lição. Agora se quiser ir além disso, apelar para a fé você precisará, ou quem sabe consultar teu colega que respondi agora mesmo que parece ter dons sobrenaturais de adivinhar pensamentos.  :histeria:

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.767
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2922 Online: 25 de Abril de 2018, 16:58:54 »
[...]
Taí um ótimo exemplo do que eu chamo de ''crença cética''.

O sujeito açodado lê parte do texto, não o liga ao contexto, o interpreta ao pé da letra, e ainda omite a parte mais esclarecedora, que nesse caso é a continuação da narrativa de Marcos sobre a figueira:

''Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.'' (Marcos 11:20-25)

Jesus teve um propósito bem definido ao realizar este milagre para passar uma lição, a saber: afirmar sua divindade, demonstrar sua autoridade sobre a natureza, e ensinar sobre o poder da oração.   

Mas o ''crente cético'' também não procura fazer o mínimo esforço para analisar os pormenores do texto religioso que ele pretende atacar, senão vejamos:

É chocante ver um sujeito que transforma água em vinho (dentre outras coisas) ficar reclamando de uma figueira só porque deu vontade de comer figos fora da época.

Além do que já escrevemos logo acima, isso aí é facilmente refutado pelos próprios detalhes que Marcos já nos forneceu:

''Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto.''

Certas figueiras dão fruto cedo, antes da estação. Se a figueira que Jesus avistou já estava coberta de folhas, como o texto deixou claro, é razoável supor que Jesus foi ao seu encontro para ver se ali já teria figos verdes, porém havia somente folhas crescidas e nenhum fruto. Enganosa era sua aparência; madura parecia ser, mas não era. E disso extraímos uma valiosa reflexão.
Eis uma síntese do pensamento de outro "crente cético", plenamente 'cientificista':

1) "Crentes céticos" 'cientificistas' não veem sentido em analisar textos religiosos de modo racional-cientificamente, em especial as partes ligadas a "milagres".
Não precisa de nada disso. Não é preciso complicar o que já está claro. Basta apenas ler o que está escrito e não ir além. O que vier depois é somente uma questão de crenças.

Você pleiteia por uma interpretação do contexto, subentendendo que é uma narrativa histórica algo modificada, e eu avalio que é uma discussão inócua, porque não há nenhum registro histórico. É uma narrativa que faz parte da mitologia cristã.


2) Há dúvidas da existência de Jesus Cristo.
Sim, mas não há dúvidas sobre a interpretação daquele texto. Não é um erro ou uma contradição bíblica, como ficou bem entendido.

Ok.

Mas não vejo sentido científico em uma discussão de interpretação de fábulas.

A não ser que você queira dar uma conotação moral sobre esta estória.


3) Mesmo que tenha existido, não há nenhuma evidência palpável que ele tenha feito "milagres", que são, em essência, violações das condições naturais (físico-química-biológicas).

4) Não existem evidências de "milagres", sejam antigos ou hodiernos.
Evidências de que ele tenha feito milagres e também de milagres modernos existem sim através de testemunhas oculares, o que é bem diferente de dizer que milagres como violações das condições naturais são reais.   

Testemunhos oculares desacompanhados de indícios palpáveis são, quando muito, evidências anedóticas.

No caso em tela, não há como considerá-las minimamente, pois que fazem parte de uma narrativa de uma crença institucionalizada.

Ter suspeição sobre ela, portanto, seria o mínimo.


5) No campo da mitologia agora. É de estranhar que a deidade cristã, filho de Yaveh, não exercesse a sua onisciência para saber que aquela figueira, plenamente folhada, estava desprovida de frutos.

Talvez ele já soubesse. Mesmo assim se encaminhou para lá porque pretendia passar uma lição. Acho que já ficou claro este ponto.

O 'talvez', aqui, não é admissível pois que se trata de uma deidade que é, alegada e propaladamente, onisciente.


6) Ainda na mitologia. Pior ainda é fazer uma demonstração tosca de poder sobre uma árvore. Que ele removesse uma montanha!
E se ele tivesse removido uma montanha? Então te convenceria?

Talvez.  :)

Se eu tivesse acesso aos locais onde supostamente ela teria sido removida e depois assentada, poderia implementar uma análise do arcabouço geológico da região e procuraria evidências deste "deslocamento milagroso", de natureza atectônica.

Algo me diz que eu não encontraria nada.  ::)
Foto USGS

Offline Martinho Lutero

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 196
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2923 Online: 25 de Abril de 2018, 17:34:42 »
[...]
Taí um ótimo exemplo do que eu chamo de ''crença cética''.

O sujeito açodado lê parte do texto, não o liga ao contexto, o interpreta ao pé da letra, e ainda omite a parte mais esclarecedora, que nesse caso é a continuação da narrativa de Marcos sobre a figueira:

''Ao passarem de manhã, viram que a figueira estava seca até a raiz. Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Olha, Mestre, secou-se a figueira, que amaldiçoaste! Tornou-lhes Jesus: Tende fé em Deus. Em verdade vos digo que quem disser a este monte: Levanta-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se faz o que ele diz, assim lhe será feito. Por isso vos afirmo: Tudo quanto suplicais e pedis, crede que o tendes recebido, e tê-lo-eis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lha; para que também vosso Pai que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.'' (Marcos 11:20-25)

Jesus teve um propósito bem definido ao realizar este milagre para passar uma lição, a saber: afirmar sua divindade, demonstrar sua autoridade sobre a natureza, e ensinar sobre o poder da oração.   

Mas o ''crente cético'' também não procura fazer o mínimo esforço para analisar os pormenores do texto religioso que ele pretende atacar, senão vejamos:

É chocante ver um sujeito que transforma água em vinho (dentre outras coisas) ficar reclamando de uma figueira só porque deu vontade de comer figos fora da época.

Além do que já escrevemos logo acima, isso aí é facilmente refutado pelos próprios detalhes que Marcos já nos forneceu:

''Avistou de longe uma figueira coberta de folhas e foi ver se encontrava nela algum fruto.''

Certas figueiras dão fruto cedo, antes da estação. Se a figueira que Jesus avistou já estava coberta de folhas, como o texto deixou claro, é razoável supor que Jesus foi ao seu encontro para ver se ali já teria figos verdes, porém havia somente folhas crescidas e nenhum fruto. Enganosa era sua aparência; madura parecia ser, mas não era. E disso extraímos uma valiosa reflexão.
Eis uma síntese do pensamento de outro "crente cético", plenamente 'cientificista':

1) "Crentes céticos" 'cientificistas' não veem sentido em analisar textos religiosos de modo racional-cientificamente, em especial as partes ligadas a "milagres".
Não precisa de nada disso. Não é preciso complicar o que já está claro. Basta apenas ler o que está escrito e não ir além. O que vier depois é somente uma questão de crenças.

Você pleiteia por uma interpretação do contexto, subentendendo que é uma narrativa histórica algo modificada, e eu avalio que é uma discussão inócua, porque não há nenhum registro histórico. É uma narrativa que faz parte da mitologia cristã.

O mais engraçado é que é isso que venho falando o tempo todo. Quem parece ter levado a narrativa para um acontecimento histórico foram outros aqui.

Já minha intenção não é discutir se a narrativa foi real ou não. Isso pertence ao domínio das crenças. Apenas quis chamar a atenção para o fato de que alguns foristas se equivocaram em atribuir um erro bíblico aonde ele não existe.     


Citação de: Geotecton
2) Há dúvidas da existência de Jesus Cristo.
Sim, mas não há dúvidas sobre a interpretação daquele texto. Não é um erro ou uma contradição bíblica, como ficou bem entendido.

Ok.

Mas não vejo sentido científico em uma discussão de interpretação de fábulas.

A não ser que você queira dar uma conotação moral sobre esta estória.

Concordo. Interpretações científicas não cabem mesmo aqui. Pelo menos sei que não fui eu quem se enveredou por esta seara.


Citação de: Geotecton
3) Mesmo que tenha existido, não há nenhuma evidência palpável que ele tenha feito "milagres", que são, em essência, violações das condições naturais (físico-química-biológicas).

4) Não existem evidências de "milagres", sejam antigos ou hodiernos.
Evidências de que ele tenha feito milagres e também de milagres modernos existem sim através de testemunhas oculares, o que é bem diferente de dizer que milagres como violações das condições naturais são reais.   

Testemunhos oculares desacompanhados de indícios palpáveis são, quando muito, evidências anedóticas.

No caso em tela, não há como considerá-las minimamente, pois que fazem parte de uma narrativa de uma crença institucionalizada.

Ter suspeição sobre ela, portanto, seria o mínimo.

Não há porque fazer tanto alarde sobre essas questões. Já expliquei que o meu posicionamento foi somente apontar um erro que alguns cometeram e que evidencia (aí sim) uma provável crença cética



Citação de: Geotecton
5) No campo da mitologia agora. É de estranhar que a deidade cristã, filho de Yaveh, não exercesse a sua onisciência para saber que aquela figueira, plenamente folhada, estava desprovida de frutos.

Talvez ele já soubesse. Mesmo assim se encaminhou para lá porque pretendia passar uma lição. Acho que já ficou claro este ponto.

O 'talvez', aqui, não é admissível pois que se trata de uma deidade que é, alegada e propaladamente, onisciente.

Mesmo assim não seria um erro se a intenção de Jesus fosse passar uma lição aos seus discípulos, que é o que o texto claramente diz.

A crença, ao meu ver, é ficar adivinhando o que se passou na cabeça de um personagem que você mesmo afirmou agora mesmo ser mitológica.     



Citação de: Geotecton
6) Ainda na mitologia. Pior ainda é fazer uma demonstração tosca de poder sobre uma árvore. Que ele removesse uma montanha!
E se ele tivesse removido uma montanha? Então te convenceria?

Talvez.  :)

Se eu tivesse acesso aos locais onde supostamente ela teria sido removida e depois assentada, poderia implementar uma análise do arcabouço geológico da região e procuraria evidências deste "deslocamento milagroso", de natureza atectônica.

Algo me diz que eu não encontraria nada.  ::)

Mas e se o deslocamento fosse de natureza tectônica? Afinal, Ele não é um Deus?  :hihi:

Offline Agnoscetico

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.631
  • Sexo: Masculino
Re:Qual foi a maior besteira que você já ouviu de um religioso?
« Resposta #2924 Online: 25 de Abril de 2018, 17:48:15 »


@El Elyon

Porque, aos olhos deles, você provavelmente é encarado como um tipo de hílico,

Hílico:

https://www.dicionarioinformal.com.br/hílico

   Se ele souber ou tiver consciência que o que tem de descerentes desapagedaos ao materialismo do que muitos pastores e cristãos 

1 Cor 1:17 --> Esse trecho fala justamente sobre não usar palavreado rebuscado pra pregar, o que não é o caso do Saint-Martin, que fez isso. Se dependesse de caras como ele, nem precisaria me preocupar com proselitismo, pois a maioria que não entende nada do que ele diz, não correria risco de se converter levado pela lábia ou comoção.



@Saint-Simon


Para um ateu comum,

Defina ateu comum e não-comum no seu ponto de vista? Ateu que descrê em deuses. Isso é comum a todos ateus, então todos são comuns.



@Martinho Lutero

Não é porque algo está escrito num papel que tem que ser obrigatoriamente verdade.

   Então como determinar que trechos sejam verdade ou não?


Atribuir justificativas para o que Jesus fez ou deixou de fazer em relação a um episódio que você não testemunhou demonstra que você tem uma crença cética bastante solidificada.

   Ele tava fazendo uma exemplificação, criticando atitude de religiosos que são seletivos em criticar atitudes, quando não são feitas pelos ídolos deles.
Aliás, essa crítica a Jesus, veio de um judeu, também crente e também seletivo pra desqualificar crenças dos outros. Não foram ateus, ainda que céticos possam usar essa crítica também.


Evidências de que ele tenha feito milagres e também de milagres modernos existem sim através de testemunhas oculares, o que é bem diferente de dizer que milagres como violações das condições naturais são reais.

   Uma coisa que questiono faz muito anos é o fato de não ter milagres cristãos de mutilados recuperaram membros perdidos. É sempre algo discreto ou de alguém que dizem estar morto. omo não tinha laudo com evidência de morte, fia o dito pelo não dito.

   Agora isso aqui não vejo acontecer om frequência, mas deveria acontecer:

Marcos 16:17

Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!