Autor Tópico: O que é o Eu?  (Lida 14564 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #100 Online: 07 de Abril de 2008, 09:35:23 »
O que me deixa puto da cara é quando a busca pelo "Eu" faz o indivíduo virar um maconheiro. :umm:

Sinceramente, o "Eu" é o que você é e o que você faz. Não é o que Sanjaya, Krishna ou Arjuna disseram, nem o que uma ideologia define, ou o que você sente quando está chapado ( :umm: ), uma vez que a busca do "Eu" está na consciência de cada um e de uma auto-análise (em plena consciência) de seus pensamentos e suas ações SEM INTERVENÇÃO EXTERNA.

Se houver intervenção externa isso já não pode mas ser considerado de "busca pelo Eu" e sim de "busca pelo que os outros querem que seja o 'Eu'".

Quanto preconceito contra os maconheiros ... cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências.
O problema é que as pessoas só veem as coisas pelo lado da sociedade, encher o cú de alcool está ótimo, mas fumar um baseado é sempre associado com termos pejorativos, como "maconheiro".

Além disso, o Eu, a que eu me referi é a "consciência" ( Se é que é essa a palavra ) em sua plenitude, não é o que eu ou você fazemos, o Eu não é o ego. O Eu é igual em mim e em você, é igual em um cachorro ou um cavalo.

Realmente não existe isso de alcançar o Eu, porque o Eu já está aqui, sempre esteve e sempre estará. O que nós temos que fazer é conseguir percebe-lo, e para isso o ego tem que sair de cena.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Jeanioz

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.501
  • Sexo: Masculino
Re: O que é o Eu?
« Resposta #101 Online: 07 de Abril de 2008, 09:43:30 »
Quanto preconceito contra os maconheiros ... cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências.
O problema é que as pessoas só veem as coisas pelo lado da sociedade, encher o cú de alcool está ótimo, mas fumar um baseado é sempre associado com termos pejorativos, como "maconheiro".

Além disso, o Eu, a que eu me referi é a "consciência" ( Se é que é essa a palavra ) em sua plenitude, não é o que eu ou você fazemos, o Eu não é o ego. O Eu é igual em mim e em você, é igual em um cachorro ou um cavalo.

Realmente não existe isso de alcançar o Eu, porque o Eu já está aqui, sempre esteve e sempre estará. O que nós temos que fazer é conseguir percebe-lo, e para isso o ego tem que sair de cena.

Também não gosto de cachaceiros. :hihi:

Sim, cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências. Mas que arquem sozinhos, o que nem sempre acontece...

E sobre o Eu: sim, o Eu está conosco, pelo menos até aqui concordamos. :hihi:

Porém, como pode o Eu ser igual para mim e ser igual para você, para um cachorro e um cavalo? O "Eu" sou eu, logo está relacionado apenas comigo e isso não é egoísmo. E percebe-lo é simples uma vez que é necessário apenas uma auto-análise sobre o que fazemos e o que pensamos e sentimos.

A menos que você tenha uma idéia diferente sobre o "Eu" que seja diferente de "indivíduo", como se o "Eu" fosse uma entidade ou um deus (lá vem ::) )...

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #102 Online: 07 de Abril de 2008, 09:57:25 »
Citação de: Jeanioz
Também não gosto de cachaceiros. :hihi:

Sim, cada um faz o que quiser da própria vida, e que arque com as consequências. Mas que arquem sozinhos, o que nem sempre acontece...

As pessoas fazem muitas coisas que prejudicam as outras, não somente quando estão "chapadas", ou bebadas ( embora a possibilidade seja maior ), mas as pessoas estão sempre prejudicando as outras, com palavras, com atitudes, em casa, no trabalho vc não acha?

Citação de: Jeanioz
E sobre o Eu: sim, o Eu está conosco, pelo menos até aqui concordamos. Hihi!

Porém, como pode o Eu ser igual para mim e ser igual para você, para um cachorro e um cavalo. O "Eu" sou eu, logo está relacionado apenas comigo e isso não é egoísmo. E percebe-lo é simples uma vez que é necessário apenas uma auto-análise sobre o que fazemos e o que pensamos e sentimos.

A menos que você tenha uma idéia diferente sobre o "Eu" que seja diferente de "indivíduo", como se o "Eu" fosse uma entidade ou um deus (lá vem Rolling Eyes )...

Se o Eu é a consciência plena, pura como ele pode ser diferente em mim e em você? Em um cachorro ou um cavalo? O Eu é igual, o que muda é aonde o Eu está presente, porque os sentidos, as percepções, a personalidade, o ego. Todas essas coisas mascaram o Eu, que está no mais profundo interior de todos os seres. Portanto para percebe-lo precisamos nos livrar de tudo que impede que o vejamos com clareza.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #103 Online: 07 de Abril de 2008, 10:16:42 »
Luis, depois que vc colocou alguns pontos nesse tópico, eu dei uma pesquisada no conceito de anatman, e pelo que eu li, o budismo diz que não existe o eu ou alma individual, mas que existe uma natureza búdica, ou um estado, ou coisa que está presente em todos os seres, ou em todas as coisas, pude entender que talvez isso seja o estado absoluto da realidade.

Porém o atman não é exatamente isso também? Pelo que eu entendo, o atman não é algo individual, diz-se que o atman é brahman, o atman é o absoluto, então qual é a grande diferença entre o atman e o anatman?
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Jeanioz

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.501
  • Sexo: Masculino
Re: O que é o Eu?
« Resposta #104 Online: 07 de Abril de 2008, 10:17:18 »
As pessoas fazem muitas coisas que prejudicam as outras, não somente quando estão "chapadas", ou bebadas ( embora a possibilidade seja maior ), mas as pessoas estão sempre prejudicando as outras, com palavras, com atitudes, em casa, no trabalho vc não acha?

Acho sim, mas uma coisa não justifica a outra. Prejudicar outras pessoas é algo condenável e se esse tipo de ação é estimulada por drogas então as drogas também são condenáveis.

Se o Eu é a consciência plena, pura como ele pode ser diferente em mim e em você? Em um cachorro ou um cavalo? O Eu é igual, o que muda é aonde o Eu está presente, porque os sentidos, as percepções, a personalidade, o ego. Todas essas coisas mascaram o Eu, que está no mais profundo interior de todos os seres. Portanto para percebe-lo precisamos nos livrar de tudo que impede que o vejamos com clareza.

Eu li os outros posts do tópico. Então o que você chama de "Eu" na verdade é a tal "Iluminação", não é?

Pois bem, então falamos de "Iluminação": você pode citar o que significa, na prática e com exemplos, o que é de fato a Iluminação? O que significa, novamente na prática e com exemplos, livrar dos sentidos, das percepções, da personalidade e do ego?

E uma questão que muito me preocupa: não é realmente necessário eu usar alucinógenos, não é? ::)

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #105 Online: 07 de Abril de 2008, 10:31:44 »
Citar
Eu li os outros posts do tópico. Então o que você chama de "Eu" na verdade é a tal "Iluminação", não é?

Pois bem, então falamos de "Iluminação": você pode citar o que significa, na prática e com exemplos, o que é de fato a Iluminação? O que significa, novamente na prática e com exemplos, livrar dos sentidos, das percepções, da personalidade e do ego?

E uma questão que muito me preocupa: não é realmente necessário eu usar alucinógenos, não é? ::)

Não é que o Eu seja a Iluminação, a Iluminação é a percepção do Eu.

Não, não é necessário o uso de alucinógenos, alucinógenos são prejudiciais, porém existem drogas alucinógenas como o LSD por exemplo, e plantas enteógenas como a Ayahuasca ( Santo Daime ). Que são BEM diferentes. Mas nenhum dos dois é necessário, e acho que se o individuo não souber exatamente o que procura e não tiver discernimento, pode faze-lo continuar iludido, porém é um fato que os enteogenos provocaram insights imensos, principalmente nas pessoas que estão completamente ignorantes sobre a Realidade, e pode ajuda-las a encontrar uma luz para seguir um caminho melhor para si mesmo e para os outros.

Porém eu acho que precisar de enteogenos já é uma forma forte de apego, o que dificulta e muito a iluminação, então temos que ter muito cuidado, acho que não dá pra generalizar muito nesse ponto porque depende muito da própria pessoa.

Sobre os exemplos, o que eu posso te falar é o que eu acho. Como falei no começo do tópico, se eu penso:
Eu sou este corpo, eu me apego e não posso perceber minha real identidade porque minha mente é ignorante e eu não consigo perceber as coisas como elas são. Se eu penso, eu sou essas sensações, continuo ignorante, se eu penso, eu sou a mente, a personalidade, o ego, a consciência, eu continuo ignorante e não vejo as coisas como elas são.

A meditação sem duvida nenhuma é a ferramenta mais adequada para perceber essas coisas, quanto vc percebe que não é o corpo, nem os sentidos, nem a mente, você passa a não ser mais afetado por eles. O que acontece depois disso eu não sei, porque eu não cheguei lá, mas é algo como não ter conceitos, teorias ou idéias sobre as coisas, vc não ve as coisas segundo o seu ego, segundo suas experiências passadas, segundo sua memória, você ve as coisas no aqui e agora como elas são realmente.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Jeanioz

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.501
  • Sexo: Masculino
Re: O que é o Eu?
« Resposta #106 Online: 07 de Abril de 2008, 10:51:49 »
A meditação sem duvida nenhuma é a ferramenta mais adequada para perceber essas coisas, quanto vc percebe que não é o corpo, nem os sentidos, nem a mente, você passa a não ser mais afetado por eles. O que acontece depois disso eu não sei, porque eu não cheguei lá, mas é algo como não ter conceitos, teorias ou idéias sobre as coisas, vc não ve as coisas segundo o seu ego, segundo suas experiências passadas, segundo sua memória, você ve as coisas no aqui e agora como elas são realmente.

Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu". Ouvi dizer também que é como alguns pescadores definem pescar (não, isso não é uma ironia, por favor :hihi: ): quando você não pensa em nada e relaxa completamente.

Não sei se é realmente isso o que você chama de percepção do Eu: a calmaria, o alívio, a "paz de espírito".

Uma vez, quando eu servia no exército e estava de guarda, eu fui para meu posto de guarda, já de madrugada, e não sei por que, talvez a brisa estava boa,  e a japona estivesse muito comfortável, eu não senti sono e me senti incrivelmente bem durante as duas horas que fiquei de guarda, senti uma paz de espírito enorme. Foi estranho, nunca fiquei daquele jeito antes. E também foi a única vez. :o

Posso dizer que isso foi "um passo em direção a Iluminação" ou algo parecido?

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #107 Online: 07 de Abril de 2008, 12:11:41 »
Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu". Ouvi dizer também que é como alguns pescadores definem pescar (não, isso não é uma ironia, por favor :hihi: ): quando você não pensa em nada e relaxa completamente.

Não sei se é realmente isso o que você chama de percepção do Eu: a calmaria, o alívio, a "paz de espírito".

Uma vez, quando eu servia no exército e estava de guarda, eu fui para meu posto de guarda, já de madrugada, e não sei por que, talvez a brisa estava boa,  e a japona estivesse muito comfortável, eu não senti sono e me senti incrivelmente bem durante as duas horas que fiquei de guarda, senti uma paz de espírito enorme. Foi estranho, nunca fiquei daquele jeito antes. E também foi a única vez. :o

Posso dizer que isso foi "um passo em direção a Iluminação" ou algo parecido?

Sim, há estudos, mas meditação não é isso, embora essa seja uma das suas consequências.

Percepção do Eu é a percepção do Eu, não é calmaria, nem alívio e nem paz de espirito.

A meditação é MUITO, mas MUITO mais do que a gente pode imaginar cara, meditar não significa só sentar num lugar e ficar parado repetindo Aum. Só você pode saber se deu algum passo em direção a iluminação, oq mudou na sua vida desde esse dia? Vc busca o auto-conhecimento? Não sou eu quem vai te falar isso, eu sou só um leigo, embora eu ache que a discussão e a reflexão são ferramentas poderosas para o discernimento.
« Última modificação: 07 de Abril de 2008, 12:14:43 por Mauricio Rubio »
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: O que é o Eu?
« Resposta #108 Online: 07 de Abril de 2008, 12:26:48 »
Vc busca o auto-conhecimento?
Auto-conhecimeto é fundamental. Como já dizia Sócrates, conhece-te a ti mesmo.  :ok:
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Skorpios

  • Visitante
Re: O que é o Eu?
« Resposta #109 Online: 07 de Abril de 2008, 18:17:21 »

Offline FZapp

  • Administradores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.924
  • Sexo: Masculino
  • El Inodoro Pereyra
    • JVMC
Re: O que é o Eu?
« Resposta #110 Online: 08 de Abril de 2008, 12:53:58 »
Citar
Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu".

Nem uma coisa nem outra.

Através de uma melhor percepção do seu corpo (esqueça isso de 'eu') é mais fácil entender suas reações emocionais assim como você pode ter um controle motor mais eficiente.

Exemplo prático: junto com a meditação há exercícios corporais que melhoram a postura de sua coluna. Ao mesmo tempo, ao fazer esses movimentos bem devagar e de forma repetitiva, você 'ensina' ao seu corpo (isto é, permite que o hipotálamo grave a postura correta).

A meditação não tem relação com 'iluminação' a menos que seja meditação trascendental, e, na boa, não conheço ninguém que faça isso hoje. :)

--
Si hemos de salvar o no,
de esto naides nos responde;
derecho ande el sol se esconde
tierra adentro hay que tirar;
algun día hemos de llegar...
despues sabremos a dónde.

"Why do you necessarily have to be wrong just because a few million people think you are?" Frank Zappa

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #111 Online: 08 de Abril de 2008, 13:06:21 »
Citar
Se não me engano, há estudos comprovando que a meditação é eficaz para relaxamente e alívio do stress. Não sei se é isso a "Iluminação" ou a "percepção do Eu".

Nem uma coisa nem outra.

Através de uma melhor percepção do seu corpo (esqueça isso de 'eu') é mais fácil entender suas reações emocionais assim como você pode ter um controle motor mais eficiente.

Exemplo prático: junto com a meditação há exercícios corporais que melhoram a postura de sua coluna. Ao mesmo tempo, ao fazer esses movimentos bem devagar e de forma repetitiva, você 'ensina' ao seu corpo (isto é, permite que o hipotálamo grave a postura correta).

A meditação não tem relação com 'iluminação' a menos que seja meditação trascendental, e, na boa, não conheço ninguém que faça isso hoje. :)

Isso também, meditação é atenção plena, não só na postura, mas em tudo que nós fazemos, a cada instante, a cada sensação, a cada percepção, a cada pensamento, etc.
Pelo que eu vejo, a iluminação é a atenção plena no agora sem distrações. E sendo assim, nós podemos perceber a Realidade como ela é, não segundo nossas crenças, segundo nossas opniões, segundo nossas experiência, ou seja, segundo o passado. E sendo assim nós vemos as coisas como elas realmente são. Ao meu ver é isso que constitui a meditação.

Agora qual a relação disso com o Eu que eu coloquei como ponto de discussão? Se nós chegamos em um estado que está além do passado, e além do futuro, um estado que se baseia unicamente no AGORA, nós não estamos mais ligados ao corpo, nem as sensações, nem as percepções, nem a personalidade e nem ao ego. Nós só percebemos essas coisas como corpo, sensações, percepções, personalidade e ego. Então sendo o Eu a consciência pura, ela é a essência que está em todos os seres, seja eu ou você, um humano ou um cachorro, porque a essência é a mesma em tudo, só o que muda são as formas, as sensações, as percepções, a personalidade e o ego.

É +ou- isso que eu penso.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #112 Online: 08 de Abril de 2008, 15:47:40 »
Luis, depois que vc colocou alguns pontos nesse tópico, eu dei uma pesquisada no conceito de anatman, e pelo que eu li, o budismo diz que não existe o eu ou alma individual, mas que existe uma natureza búdica, ou um estado, ou coisa que está presente em todos os seres, ou em todas as coisas, pude entender que talvez isso seja o estado absoluto da realidade.

Porém o atman não é exatamente isso também? Pelo que eu entendo, o atman não é algo individual, diz-se que o atman é brahman, o atman é o absoluto, então qual é a grande diferença entre o atman e o anatman?

Um outro exemplo que encontrei:

[SN 3.196] At one time in Savatthi, the venerable Radha seated himself
and asked of the Blessed Lord Buddha: "Anatta, anatta I hear said
venerable.
What pray tell does Anatta mean?"
"Just this Radha, form is not the Soul, sensations are not the
Soul, perceptions are not the Soul, assemblages are not the Soul,
consciousness is not the Soul. Seeing thusly, this is the
end of birth, the Brahman life has been fulfilled, what must be done
has been done"

Será que o Budismo não diz a mesma coisa que o Vedanta?
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Alenônimo

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.545
  • Sexo: Masculino
    • Alenônimo.com.br
Re: O que é o Eu?
« Resposta #113 Online: 08 de Abril de 2008, 19:37:25 »
* Alenônimo caíndo de pára-quedas no tópico.

O Eu é o Mussolim Bucetê que mudou de nick.
“A ciência não explica tudo. A religião não explica nada.”

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: O que é o Eu?
« Resposta #114 Online: 08 de Abril de 2008, 19:44:46 »
 :histeria:


Deixe-me dar a minha contribuição:

O eu é um pronome pessoal reto na primeira pessoa do singular  :)
« Última modificação: 08 de Abril de 2008, 19:46:53 por Adriano »
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: O que é o Eu?
« Resposta #115 Online: 08 de Abril de 2008, 20:04:40 »
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #116 Online: 08 de Abril de 2008, 22:42:06 »
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: O que é o Eu?
« Resposta #117 Online: 08 de Abril de 2008, 22:50:55 »
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Está subestimando o desenvolvimento da psicologia. Mesmo as abordagens iniciais sendo mais externas, avançou-se cada vez mais para a interiorização do ser humano, como acontece na cultura oriental, que já tem isso ínsito em sua tradição.

Tanto é que, a psicologia transpessoal já ultrapassou os meandros das análises mais egoistas e já parte para a questão que a sociedade entende como necessidades espirituais, o que transcente o ego e o indivíduo.

E mesmo as experiências de estados alterados da consciência feitas por Grof, com o LSD, fazem parte desse desenvolvimento da psicologia moderna.

No meu entendimento você está abordando o mesmo tema, mas com ênfase no orientalismo, igorando o ocidentalismo, que tem o seu valor e uma ligação mais forte com o experimentalismo e racionalismo.

Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #118 Online: 08 de Abril de 2008, 22:56:02 »
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Está subestimando o desenvolvimento da psicologia. Mesmo as abordagens iniciais sendo mais externas, avançou-se cada vez mais para a interiorização do ser humano, como acontece na cultura oriental, que já tem isso ínsito em sua tradição.

Tanto é que, a psicologia transpessoal já ultrapassou os meandros das análises mais egoistas e já parte para a questão que a sociedade entende como necessidades espirituais, o que transcente o ego e o indivíduo.

E mesmo as experiências de estados alterados da consciência feitas por Grof, com o LSD, fazem parte desse desenvolvimento da psicologia moderna.

No meu entendimento você está abordando o mesmo tema, mas com ênfase no orientalismo, igorando o ocidentalismo, que tem o seu valor e uma ligação mais forte com o experimentalismo e racionalismo.



Vc consegue ver qual é a diferença entre um teórico de psicologia ( Seja ela qual for ) e um Buda?

Não é que eu esteja puxando para o lado do orientalismo, não existe o ocidentalismo e o orientalismo para entender o Eu, o que existe é o auto-conhecimento, que independe de onde o individuo nasce.

A diferença é que no oriente o auto-conhecimento e a instrospecção foram sempre incentivados por questões culturais, e no ocidente o foco foi sempre exteriozirar as coisas, vide a própria ciência.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: O que é o Eu?
« Resposta #119 Online: 08 de Abril de 2008, 23:05:32 »
Mas na boa Maurício, para fazer uma eliminação do eu como é socialmente conhecido o conceito, somente através da obra de Freud, da análise do ego, e dos mecanismos de defesa do ego. Só depois de dissecar esse pormenores da individualidade básica do ser humano é que podemos passar para uma fase um tanto mais transpessol do ser humano. É percorrer todas as escolas da psicologia. É como vejo o assunto, tem alguma lógica para você isso?  :?

É que penso que dessa maneira estariamos adentrando no pensamento ocidental da individualidade, podendo a partir disso fazer comparações e analogias com os conceitos orientais.

Não, não tem lógica porque eu não quero saber o que os psicologos acham, o auto-conhecimento é uma coisa individual e não externa.
Teorias não podem mostrar o que é o Eu. O Eu tem que ser percebido pelo próprio ser nele mesmo.

De que adiantam as teorias? De que adianta o conhecimento cientifico nesse caso? Todos esses conhecimentos são externos, parciais e limitados, o Eu não pode ser descrito por palavras, nem por idéias, nem pelo pensamento.

Portanto tudo isso é inútil e prejudicial.
Está subestimando o desenvolvimento da psicologia. Mesmo as abordagens iniciais sendo mais externas, avançou-se cada vez mais para a interiorização do ser humano, como acontece na cultura oriental, que já tem isso ínsito em sua tradição.

Tanto é que, a psicologia transpessoal já ultrapassou os meandros das análises mais egoistas e já parte para a questão que a sociedade entende como necessidades espirituais, o que transcente o ego e o indivíduo.

E mesmo as experiências de estados alterados da consciência feitas por Grof, com o LSD, fazem parte desse desenvolvimento da psicologia moderna.

No meu entendimento você está abordando o mesmo tema, mas com ênfase no orientalismo, igorando o ocidentalismo, que tem o seu valor e uma ligação mais forte com o experimentalismo e racionalismo.



Vc consegue ver qual é a diferença entre um teórico de psicologia ( Seja ela qual for ) e um Buda?
Eu consigo, tenho até uma nomenclatura tecnica para discriminar o fenômeno da iluminação, por exemplo.

O que disse da psicologia, é que ela faz um desenvolvimento que caminha na direção mais ampla do auto-conhecimento, como a psicologia integral, que avalia os diversos níveis de ética, nos mais diversos graus existente no mundo, com textes empíricos fazendo essa comprovação.

Não é que eu esteja puxando para o lado do orientalismo, não existe o ocidentalismo e o orientalismo para entender o Eu, o que existe é o auto-conhecimento, que independe de onde o individuo nasce.

A diferença é que no oriente o auto-conhecimento e a instrospecção foram sempre incentivados por questões culturais, e no ocidente o foco foi sempre exteriozirar as coisas, vide a própria ciência.
Concordo. Por isso que defendo uma proposta de programa de pesquisa científica que usa o auto-conhecimento como um de seus pilares metodológicos, o seu paradigma.

E nesse contexto existe um forte trabalho de integração entre este conhecimento brasileiro e o chinês, com intercâmbios e eventos em conjunto com universidades chinesas. Estão estudando Confúcio e outros temas orientais, com bastante profundidade.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #120 Online: 08 de Abril de 2008, 23:13:13 »
Adriano, o que eu quero dizer é as teorias continuam no campo do pensamento, por mais "profundas" que sejam, continuam sendo relativas.
É o INDIVIDUO que tem que perceber aquilo que É. O Eu é a Realidade, é o ABSOLUTO.

E como pode o Absoluto ser descrito por teorias?
« Última modificação: 08 de Abril de 2008, 23:15:40 por Mauricio Rubio »
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: O que é o Eu?
« Resposta #121 Online: 08 de Abril de 2008, 23:30:24 »
A experimentação da expanção da consciência é uma realidade para muitos pesquisadores desta linha de pesquisa científica que estou em referindo.

Existe o fenômeno da cosmoconsciência, que se assemelha em muito com a iluminação, e devido a complexidade deste fenômeno, não dá para tecer as análises comparativas por esta ferramenta de comunicação que é o fórum.

A autoexperimentação é você ter as suas próprias experiências e no caso de citar o Buda, está caindo no erro do processo religioso, que é o de projetar em terceiros essas práticas de autoconhecimento. O exemplo dele serve para ilustrar, mas não para provar. A prova é algo pessoal, e só tem valor esse tipo de experiência tida como subjetiva, nesse novo campo de estudo do qual faço parte.

O absoluto já foge da questão do eu, que está sendo abordada. Tem muita coisa que é mateologia, discussões sem um resultado prático, pelo menos momentâneo. Acho que essa pergunta entra nesse caso, já que no meu entender foge muito do assunto.

Mas diga aí qual a relação que vê entre absoluto e o eu.

Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Mauricio Rubio

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.019
  • Sexo: Masculino
  • Beyond Good and Evil
Re: O que é o Eu?
« Resposta #122 Online: 09 de Abril de 2008, 06:57:42 »
A experimentação da expanção da consciência é uma realidade para muitos pesquisadores desta linha de pesquisa científica que estou em referindo.

Existe o fenômeno da cosmoconsciência, que se assemelha em muito com a iluminação, e devido a complexidade deste fenômeno, não dá para tecer as análises comparativas por esta ferramenta de comunicação que é o fórum.

A autoexperimentação é você ter as suas próprias experiências e no caso de citar o Buda, está caindo no erro do processo religioso, que é o de projetar em terceiros essas práticas de autoconhecimento. O exemplo dele serve para ilustrar, mas não para provar. A prova é algo pessoal, e só tem valor esse tipo de experiência tida como subjetiva, nesse novo campo de estudo do qual faço parte.

O absoluto já foge da questão do eu, que está sendo abordada. Tem muita coisa que é mateologia, discussões sem um resultado prático, pelo menos momentâneo. Acho que essa pergunta entra nesse caso, já que no meu entender foge muito do assunto.

Mas diga aí qual a relação que vê entre absoluto e o eu.

Sim, eu concordo que a prova é algo pessoal. A diferença que eu estava falando, é que por exemplo o Buda não diz apenas, isso é assim, aquilo é assado, etc etc. O que ele fala é para observarmos as coisas com atenção e sem apego, para descobrirmos por nós mesmos, é isso que no meu ponto de vista difere de um estudo cientifico, esse sim tenta provar ou mostrar para terceiros, algo que é o próprio individuo que tem que perceber.

Agora o ruim de nós ficarmos nomenado as coisas, é que eu tenho algumas idéias sobre as palavras e você tem outras, então fica realmente dificil a comunicação. Mas pelo que eu expus no tópico dá pra entender +ou- uma linha de raciocinio, o Eu é algo como a essência da Realidade, que fica mascarada e nós não percebemos, mas que está sempre presente. Só que também não adianta muito nós ficarmos expondo as idéias, porque não vamos chegar a lugar nenhum, só experimentando diretamente para ver o que realmente é isso.

Abraços.
"Para quem a agitação não existe,
e para quem ser/existir e não ser/existir
    estão superados,
ele é alguém – que está além do medo,
        feliz,
       sem angústia,
a quem os devas não podem ver"

Buda Sakyamuni

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: O que é o Eu?
« Resposta #123 Online: 09 de Abril de 2008, 07:17:41 »
Não, não é necessário o uso de alucinógenos, alucinógenos são prejudiciais, porém existem drogas alucinógenas como o LSD por exemplo, e plantas enteógenas como a Ayahuasca ( Santo Daime ). Que são BEM diferentes.

Em que?
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: O que é o Eu?
« Resposta #124 Online: 09 de Abril de 2008, 07:23:43 »
Luis, depois que vc colocou alguns pontos nesse tópico, eu dei uma pesquisada no conceito de anatman, e pelo que eu li, o budismo diz que não existe o eu ou alma individual, mas que existe uma natureza búdica, ou um estado, ou coisa que está presente em todos os seres, ou em todas as coisas, pude entender que talvez isso seja o estado absoluto da realidade.

A idéia de que um ser humano possa entender o estado absoluto da realidade sempre me pareceu engraçada, crenças à parte.  Quem é esse tal absoluto para sentir tanta obrigação para conosco? :)

Citar
Porém o atman não é exatamente isso também? Pelo que eu entendo, o atman não é algo individual, diz-se que o atman é brahman, o atman é o absoluto, então qual é a grande diferença entre o atman e o anatman?

O Atman, etmologicamente pelo menos, é exatamente o que Anatta / Anatman NÃO é.

A grande diferença entre Atman e Anatman é que um nega a essência pessoal e outro a afirma :) - o que, como qualquer outro dualismo filosófico, é completamente artificial. 

Pode-se construir uma doutrina válida a partir de Atman, e é o que muito do Hinduísmo faz, assim como se pode perder o rumo a partir do ensinamento de Anatman.  Essa é uma das diferenças entre ciência e religião: mitologia urbana à parte, a ciência lida com fatos e verdades confiáveis porque questionados, enquanto que a religião muitas vezes falha em se questionar e não raro se perde em dogmatismos que só a desmerecem.

O que separa uma crença válida de outra inválida não são os conceitos básicos tanto quanto a forma como eles são desenvolvidos, com qual maturidade, lucidez e sabedoria.  Por isso que os literalistas e fundamentalistas são tão nocivos em qualquer religião; eles preservam exatamente o que não faz falta...
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!