Autor Tópico: Sobre o método Paulo Freire  (Lida 5939 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Sobre o método Paulo Freire
« Online: 24 de Agosto de 2008, 12:58:45 »
Este é o pedido de informacao de um completo ignorante no assunto:

Alguem aqui poderia resumir as propostas básicas do método Paulo Freire e tecer alguns comentários críticos?

Andei olhando na interwebs, mas a maioria dos textos que comentam o método padece de viéses ideológicos, tanto
pela direita como pela esquerda. Um ponto de vista mais neutro seria bem vindo.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Orbe

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.009
  • Sexo: Masculino
  • ???
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #1 Online: 27 de Agosto de 2008, 03:19:04 »
Tirando todo o pedagogês e resumindo o assunto, o método Paulo Freire é mais ou menos isso:

1 - É um método de alfabetização voltado para jovens e adultos. Portanto, trata os sujeitos de acordo e não como se fossem crianças.

2 - No lugar de usar as tradicionais cartilhas com frases do tipo "vovô viu a vulva de vovó" ou "o peixe de xale bebe chá" (!), e que tentam alfabetizar pela "hierarquia" letras > sílabas > palavras > texto, utiliza já de início textos completos. Revistas, jornais, quadrinhos, cartazes...

3 - Textos que tem ligação com os alunos. Se é uma turma de alfabetização formada por trabalhadores da construção civil, por exemplo, serão utilizados textos sobre construção, materiais de construção, segurança no trabalho, dentre outros.

4 - Parte do pressuposto de que os alunos não são páginas em branco. Como são pessoas de 15 a 70 anos (ou mais), já trazem muita experiência e conhecimentos úteis. Eles sabem identificar letras e palavras, sabem lidar com dinheiro e, consequentemente, executar as quatro operações matemáticas básicas. Ainda que eles próprios não tenham consciência disso. Então aproveita-se essa experiência e conhecimento dos alunos nas aulas.

5 - O professor se coloca como um amigo dos alunos. Alguem que tanto tem a ensinar quanto a aprender com eles.



Essa é a parte boa. E em geral ninguem critica isso.



As críticas começam quando Paulo Freire diz que o professor não deve ser neutro, quando praticamente convoca os professores a iniciar uma revolução comunista, quando incentiva os profissionais a doutrinar politicamente os alunos, quando começa a falar dos alunos como coitadinhos, oprimidos, vítimas do sistema (e por isso supostamente precisam da doutrinação esquerdiota)...

Tirando o papo furado marxista, é um ótimo método de alfabetização de adultos.
Se você se importasse não estaria discutindo e sim agindo...

Offline Luiz Souto

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.356
  • Sexo: Masculino
  • Magia é 90% atitude
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #2 Online: 27 de Agosto de 2008, 21:57:15 »
Só sei do método o básico , tipo o que está no item 1 e 3 do post.
Mas como é o método em termos de eficácia para alfabetização? Têm vantagens em comparação aos outros métodos?

E a parte da "doutrinação" não deve muito á época em que foi elaborado? Ou é intrinseca ao método?
Se não queres que riam de teus argumentos , porque usas argumentos risíveis ?

A liberdade só para os que apóiam o governo,só para os membros de um partido (por mais numeroso que este seja) não é liberdade em absoluto.A liberdade é sempre e exclusivamente liberdade para quem pensa de maneira diferente. - Rosa Luxemburgo

Conheça a seção em português do Marxists Internet Archive

Offline Orbe

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.009
  • Sexo: Masculino
  • ???
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #3 Online: 29 de Agosto de 2008, 14:33:16 »
É melhor que usar cartilha, por exemplo. Porque pelo método de Paulo Freire os alunos estabelecem ligação pessoal e até sentimental com o que é aprendido, em vez de apenas memorizar o que cada combinação de letras significa.

Quanto a doutrinação, acho que é intrínseca a tudo que Freire dizia. Não tem um livro dele que seja livre disso. Ele mesmo dizia que o professor não é e não pode ser neutro. Mas é claro que um professor consciente de que escola não é lugar de propaganda política consegue usar o método sem doutrinar os alunos.

O problema é para quem está nos cursos de pedagogia. Só se fala em Paulo Freire. Não vi nenhum curso ainda que apresente uma opinião divergente para os universitários avaliarem. No meu curso Paulo Freire era "santo". Discordar de qualquer aspecto das idéias dele era pedir para ser massacrado pela multidão de pedagogas feias e mal amadas. :biglol:
Se você se importasse não estaria discutindo e sim agindo...

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #4 Online: 29 de Agosto de 2008, 15:01:17 »
Valeu pela informaçao, Orbe. O método parece ser interessante, embora pela sua descriçao ele até pareça meio óbvio
(tenho certeza que no contexto da época em que foi proposto ele estava longe de ser óbvio). Vou pesquisar mais.

Só discordo do último ponto, o 5. Nao acho que o professor deva ser "amigo" dos alunos. Penso que deve existir um certo
grau de distanciamento. Um distanciamento deliberado. O professor (na minha opiniao) deve tentar estabelecer uma
relaçao amigável com os alunos, saber ouvi-los, ser compreensivo, respeitoso e educado. Mas isso nao é o mesmo que ser "amigo".
Afinal de contas, o professor vai avaliar o conhecimento dos alunos e isso é algo que deve obedecer a critérios exclusivamente
profissionais.

Sobre os alunos serem "oprimidos pelo sistema". Já tive muitos alunos pobres e aprendi a vê-los nao tanto como "excluídos", mas
mais precisamente como "ignorados". Isto é, eles pertencem a um segmento cujo desaparecimento nao faria muita falta aa sociedade
(notem a diferença entre descriçao e prescriçao). Eles sofrem nao porque a sociedade tente impedi-los de prosperar,
mas porque já começam a "corrida" com uma enorme desvantagem. Tratá-los como vítimas, penso eu, tende a levar a acomodaçao.
Acho bem mais eficiente estimular sua auto-estima ("Puxa, você deve ser um cara muito determinado, para ter chegado até aqui!
Assim você vai longe." )


EDIT: Fui um pouco exagerado no "nao faria nenhuma falta". Isso é verdade no caso dos miseráveis, mas nao dos simplesmente
muito pobres. Lembrando: descriçao nao é o mesmo que prescriçao.
« Última modificação: 29 de Agosto de 2008, 15:04:04 por Dr. Manhattan »
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.862
  • Sexo: Masculino
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #5 Online: 29 de Agosto de 2008, 15:13:36 »
Nunca li Paulo Freire. Apenas aforismos, comentários, estudos... Das duas vezes que passei por uma faculdade de educação saí antes de pegar didática, sociologia da educação ou qualquer disciplina em que Freire fosse estudado. Mas tenho uma postura de criança em frente a um belo prato de jiló frito (já estou com 29 e ainda não sei: jiló é gostoso?  :lol: )

A maior propaganda que tenho recebido contra Freire são os seus fãs: dos trocentos professores que tive e que vociferavam Freire! Freire! Freire! com um livro velho na mão, trocentos menos uma não serviam nem minimamente para serem professores.

Simplesmente os mais incapazes, os menos didáticos, os menos conhecedores das matérias que eram pagos para lecionar (e, portanto, para saber muito bem) eram todos paulo-freireanos de crachá preso no peito. É a galera do "trabalhinho pra passar de ano"... do "eles não podem ser sobrecarregados de informação, a gente tem que acompanhar o ritmo deles"... do "vamos esperar o pessoal voltar do lanchinho pra começarmos a aula".

Já os meus professores críticos em relação ao método são quase que invariavelmente os de que mais tenho saudades: eram os que esperavam mais de mim e que mais me davam meios de corresponder às suas (e minhas) expectativas. Os que tinham aulas que duravam exatamente o tempo marcado, sem descanso e sem pausa para beber água... os que dominavam perfeitamente o conteúdo no qual eram diplomados e que tinham bons conhecimentos de conteúdos relacionados e até não relacionados à disciplina; os sempre atualizados... A única excessão foi uma professora chamada Ângela Renata, que era freireana mas era muito boa professora (pessoa nem tanto, mas não era paga para ser boa pessoa).

De modo que os aforismos que lí somados à observação e análise do modo de agir dos fãs e dos críticos do velho pedagogo me dão a imagem de que Freire é o rei do menor esforço intelectual, da educação a moda vamo s'embora, do deixa rolar pra ver como é que fica.

Mas eu posso estar redondamente enganado.
« Última modificação: 29 de Agosto de 2008, 15:26:10 por Donatello van Dijck »

Offline JUS EST ARS

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.128
  • Sexo: Masculino
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #6 Online: 29 de Agosto de 2008, 15:22:15 »


Citação de: Dr. Manhattan
Só discordo do último ponto, o 5. Nao acho que o professor deva ser "amigo" dos alunos. Penso que deve existir um certo
grau de distanciamento. Um distanciamento deliberado. O professor (na minha opiniao) deve tentar estabelecer uma
relaçao amigável com os alunos, saber ouvi-los, ser compreensivo, respeitoso e educado. Mas isso nao é o mesmo que ser "amigo".

Pessoalmente sou da opinião que quanto mais próximo do aluno você fica, melhor, desde que você seja o líder e saiba impor a ordem quando necessário.

Essa aproximação estimula as perguntas e interação, torna a aula mais agradável. Crio regras de ordem simples, que quando desacatadas são cumpridas à risca. É punir um seriamente que o recado fica dado.


Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #7 Online: 29 de Agosto de 2008, 16:15:19 »


Citação de: Dr. Manhattan
Só discordo do último ponto, o 5. Nao acho que o professor deva ser "amigo" dos alunos. Penso que deve existir um certo
grau de distanciamento. Um distanciamento deliberado. O professor (na minha opiniao) deve tentar estabelecer uma
relaçao amigável com os alunos, saber ouvi-los, ser compreensivo, respeitoso e educado. Mas isso nao é o mesmo que ser "amigo".

Pessoalmente sou da opinião que quanto mais próximo do aluno você fica, melhor, desde que você seja o líder e saiba impor a ordem quando necessário.

Essa aproximação estimula as perguntas e interação, torna a aula mais agradável. Crio regras de ordem simples, que quando desacatadas são cumpridas à risca. É punir um seriamente que o recado fica dado.



Concordo 100%. O professor tem que assumir um papel mais próximo ao de "pai" que ao de "amigo".
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline JUS EST ARS

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.128
  • Sexo: Masculino
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #8 Online: 29 de Agosto de 2008, 16:18:35 »


Isso.


Offline Hold the Door

  • Editores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.656
  • Sexo: Masculino
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #9 Online: 29 de Agosto de 2008, 17:57:33 »
Só sei do método o básico , tipo o que está no item 1 e 3 do post.
Mas como é o método em termos de eficácia para alfabetização? Têm vantagens em comparação aos outros métodos?
Pelo pouco que sei, sim é bastante eficiente, a alfabetização se dá em questão de semanas, principalmente por focar temas de interesse ou necessidade do aluno, o que por si só já aumenta a eficiência.

E a parte da "doutrinação" não deve muito á época em que foi elaborado? Ou é intrinseca ao método?
Provavelmente se deve à época, acho que dá para usar o mesmo método sem cair em doutrinamento político.

jiló é gostoso?
Sim, muito. Pelo menos para mim. O resto da humanidade detesta...
Hold the door! Hold the door! Ho the door! Ho d-door! Ho door! Hodoor! Hodor! Hodor! Hodor... Hodor...

Offline Luiz Souto

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.356
  • Sexo: Masculino
  • Magia é 90% atitude
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #10 Online: 29 de Agosto de 2008, 18:08:00 »
jiló é gostoso?
Sim, muito. Pelo menos para mim. O resto da humanidade detesta...

Também  gosto , especialmente esopadinho com carne.
Só detesto quiabo  :nojo:
Se não queres que riam de teus argumentos , porque usas argumentos risíveis ?

A liberdade só para os que apóiam o governo,só para os membros de um partido (por mais numeroso que este seja) não é liberdade em absoluto.A liberdade é sempre e exclusivamente liberdade para quem pensa de maneira diferente. - Rosa Luxemburgo

Conheça a seção em português do Marxists Internet Archive

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.862
  • Sexo: Masculino
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #11 Online: 29 de Agosto de 2008, 18:15:15 »
jiló é gostoso?
Sim, muito. Pelo menos para mim. O resto da humanidade detesta...

Também  gosto , especialmente esopadinho com carne.
Só detesto quiabo  :nojo:
Quiabo eu já provei e é uma bosta  :enjoo: Agora, depois de vossas idosas opiniões, me bateu uma vontade de experimentar o tal jiló que mamãe tanto gostava. Acho que também estou ficando velho... :D

Offline Orbe

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.009
  • Sexo: Masculino
  • ???
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #12 Online: 30 de Agosto de 2008, 14:47:09 »
De modo que os aforismos que lí somados à observação e análise do modo de agir dos fãs e dos críticos do velho pedagogo me dão a imagem de que Freire é o rei do menor esforço intelectual, da educação a moda vamo s'embora, do deixa rolar pra ver como é que fica.

Mas eu posso estar redondamente enganado.


Então estamos os dois enganados, porque penso da mesma maneira.

O método dele é bom, mas é só isso. Todo o resto só serve como desculpa para preguiça e incapacidade dos profissionais.
Se você se importasse não estaria discutindo e sim agindo...

Offline Eleitor de Mário Oliveira

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.502
  • Sexo: Masculino
    • Lattes
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #13 Online: 30 de Agosto de 2008, 14:59:01 »
jiló é gostoso?
Sim, muito. Pelo menos para mim. O resto da humanidade detesta...

Também  gosto , especialmente esopadinho com carne.
Só detesto quiabo  :nojo:
Quiabo eu já provei e é uma bosta  :enjoo: Agora, depois de vossas idosas opiniões, me bateu uma vontade de experimentar o tal jiló que mamãe tanto gostava. Acho que também estou ficando velho... :D


Pô! Frango com quiabo e uma delícia! É só por um limãozinho para ele não ficar babento.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #14 Online: 30 de Agosto de 2008, 22:13:53 »
Só acrescento algo ao Jiló do Donatello, mas com a sensação de ter experimentado algo bem próximo ao Jiló e ter achado uma merda.

Algo com um viés doutrinário tão forte dificilmente é eficiente, podemos ter a exceção em PF. Gostei 1000x mais do Kumon que estáva sendo discutido no outro tópico. Não sei se o proposto pelo PF tem o mesmo escopo que o proposto pelo Kumon.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Eleitor de Mário Oliveira

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.502
  • Sexo: Masculino
    • Lattes
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #15 Online: 01 de Setembro de 2008, 23:31:15 »
Voltando ao tema do tópico, como muitos aqui eu nunca tive contato direto com a obra do Paulo Freire, portanto meu juízo é sobre as impressões que eu tive em vista das aulas de licenciatura com as pedagogas.

E a impressão que eu tenho é que o método do P.F. toma o universo do aluno como um fim, quando deveria ser apenas o meio. O fim deveria ser justamente a expansão do universo do aluno.

Por exemplo, na primeira aula de Cálculo para matemáticos, o professor demonstra a irracionabilidade da raiz de 2. Apesar de não tem muito a ver com cálculo, isto serve para dar o recado: "Aqui não é mais apenas aplicar fórmulas e algoritmos. Agora vocês vão aprender a fazer matemática".

Eu, como estudante de filosofia, considero mais interessantes os autores que levantam problemas que eu nunca havia pensado antes.

Offline Eleitor de Mário Oliveira

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.502
  • Sexo: Masculino
    • Lattes
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #16 Online: 01 de Setembro de 2008, 23:39:14 »
Quanto a doutrinação, acho que é intrínseca a tudo que Freire dizia. Não tem um livro dele que seja livre disso. Ele mesmo dizia que o professor não é e não pode ser neutro. Mas é claro que um professor consciente de que escola não é lugar de propaganda política consegue usar o método sem doutrinar os alunos.

O problema é para quem está nos cursos de pedagogia. Só se fala em Paulo Freire. Não vi nenhum curso ainda que apresente uma opinião divergente para os universitários avaliarem. No meu curso Paulo Freire era "santo". Discordar de qualquer aspecto das idéias dele era pedir para ser massacrado pela multidão de pedagogas feias e mal amadas. :biglol:

Eu me lembro de uma vez que assisti um seminário de um professor de filosofia da PUC, em um dado momento ele contou a experiência dele quando estudante. Ele havia feito um trabalho no qual comparava Paulo Freire com outro teórico da educação, apontando semelhanças e diferenças. Seu professor havia criticado o trabalho, alegando que não havia semelhança alguma.
"Mas professor, veja bem, neste trexo o Paulo Freire fala isto, isso e aquilo; enquanto o outro autor, neste trexo aqui, fala exatamente a mesma coisa".
"Mas você não está interpretando corretamente o que P.F. está falando. Pois isto o que ele fala está escrito com o sangue do proletariado".

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #17 Online: 02 de Setembro de 2008, 20:03:53 »
Cáspita Dante... E você não vomitou?
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Eleitor de Mário Oliveira

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.502
  • Sexo: Masculino
    • Lattes
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #18 Online: 02 de Setembro de 2008, 20:55:35 »
Cáspita Dante... E você não vomitou?

Todo mundo riu bastante na hora.

Offline Dora

  • Nível 00
  • *
  • Mensagens: 6
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #19 Online: 09 de Setembro de 2008, 15:38:46 »
Creio que para sabermos sobre um autor, seu pensamento, temos que ler suas obras, ir diretamente à fonte. Sugiro que leia o obra "Educação como prática de mudança". Antes mesmo de falarmos sobre o método é importante que saibamos qual o conceito de educação em Paulo Freire, penso ser este o fundamento para compreensão do método. Neste sentido, a idéia básica de Freire seria a educação como fundamento para uma leitura da vida, do meio em que vive, de sua sociedade.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #20 Online: 09 de Setembro de 2008, 15:43:38 »
E quanto à questão do viés doutrinário apontado nos posts anteriores?
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Dora

  • Nível 00
  • *
  • Mensagens: 6
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #21 Online: 09 de Setembro de 2008, 16:18:40 »
Neste sentido, as questões levantadas por Freire são ainda pertinentes. Evidentemente, Freire é fruto de seu tempo, foi preso, exilado. Eram anos duros. Mas seu reconhecimento internacional como educador e sua prática pedagógica na África são importantes como referenciais de sua competência e coerência com o que propunha. Em relação aos exemplos de professores aqui citados lembramos que o fato de exaltar a figura de Paulo Freire não significa que adotem sua prática. Neste sentido, Freire mostra que o educador do diálogo não pode ser so um especialista jogando conceitos, é mais do que isso.

Offline Dora

  • Nível 00
  • *
  • Mensagens: 6
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #22 Online: 09 de Setembro de 2008, 16:38:14 »
O "viés doutrinário" é inerente a todo processo educativo. Freire aponta sempre este caminho. Um professor não é o especialista. É uma pessoa no mundo, em relação com outras pessoas, com sua visão determinada por uma série de variáveis.Freire claramente colocava sua posição perante seu público.

Offline Eleitor de Mário Oliveira

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.502
  • Sexo: Masculino
    • Lattes
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #23 Online: 09 de Setembro de 2008, 17:30:35 »
O "viés doutrinário" é inerente a todo processo educativo. Freire aponta sempre este caminho.

Parei de ler aqui.

Offline Dora

  • Nível 00
  • *
  • Mensagens: 6
Re: Sobre o método Paulo Freire
« Resposta #24 Online: 09 de Setembro de 2008, 17:40:02 »
Quando falei que o viés doutrinário é inerente a todo processo educativo quiz dizer que não há uma educação neutra. Muitas vezes a doutrinação se faz de forma não verbal. Mas, creio que talvez falarmos em doutrinação seja um termo incorreto porque doutrinação significa pensarmos em pessoas que podem ser manipuladas, uma postura de dominação. E a negação desta postura foi o grande eixo do pensamento de Freire. Pessoas que são capazes de ler o mundo não são manipuláveis.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!