Autor Tópico: Capacidade olfativa dos dinossauros  (Lida 933 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Unknown

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.330
  • Sexo: Masculino
  • Sem humor para piada ruim, repetida ou previsível
Capacidade olfativa dos dinossauros
« Online: 04 de Dezembro de 2008, 21:06:11 »
Cheiros jurássicos

Agência FAPESP – Embora hoje se conheça razoavelmente como era o estilo de vida dos dinossauros – onde viviam, o que comiam, como se moviam –, pouco se sabe sobre seu olfato. Mas um novo estudo começa a mudar o cenário.

Conduzido por pesquisadores da Universidade de Calgary e do Museu Real Tyrrell, no Canadá, o trabalho enfocou a capacidade olfativa de dinossauros carnívoros e de aves primitivas e foi publicado na revista Proceedings of the Royal Society B.

Segundo o estudo, o melhor olfato pertenceu ao tiranossauro (Tyrannosaurus rex), o que apóia a corrente que afirma ter sido o gigantesco animal um caçador, ao contrário de outros paleontólogos que bancavam a preferência por se alimentar de animais mortos.

Os cientistas avaliaram a importância do olfato entre vários tipos de dinossauros carnívoros, com base em seus bulbos olfativos, a parte do cérebro associada com o olfato. Embora os cérebros dos dinossauros não tenham sido preservados, as impressões deixadas em ossos do crânio ou o espaço interno permitem estimar os tamanhos e formas de diferentes partes do cérebro.

Os pesquisadores usaram tomografia computadorizada para medir os crânios de uma ampla variedade de dinossauros terópodes, como os raptors, e a ave primitiva Archaeopteryx.

“Grandes bulbos olfatórios são encontrados em aves e mamíferos atuais que dependem da capacidade de distinguir cheiro para encontrar carne e também em animais ativos à noite e naqueles que se deslocam por áreas extensas. Embora o T. rex não dispensasse um animal morto se deparasse com um, ele pode ter usado seu olfato aguçado para caçar à noite ou para navegar por grandes territórios em busca de presas”, disse Darla Zelenitsky, da Universidade de Calgary, um dos autores do estudo.

Além de descobrir pistas sobre a biologia e o comportamento de predadores pré-históricos, os pesquisadores também encontraram dados surpreendentes sobre a capacidade olfativa dos ancestrais das aves modernas.

O estudo indicou que o Archaeopteryx, ave que viveu na atual Alemanha há cerca de 150 milhões de anos e conhecida por ter evoluído a partir de pequenos dinossauros carnívoros, tinha um bulbo olfativo com tamanho comparável ao da maioria dos dinossauros terópodes. O olfato aguçado não se manteve nas aves atuais.

“Os resultados indicam que o olfato em aves antigas não era inferior ao dos dinossauros carnívoros. Embora tenha sido apontado anteriormente que o olfato era menos importante do que a visão nos ancestrais das aves atuais, nosso estudo indica o contrário. O Archaeopteryx enxergava bem, mas também tinha uma capacidade olfativa notável.

Proceedings of the Royal Society B: http://publishing.royalsociety.org.

http://www.agencia.fapesp.br/materia/9706/divulgacao-cientifica/cheiros-jurassicos.htm

"That's what you like to do
To treat a man like a pig
And when I'm dead and gone
It's an award I've won"
(Russian Roulette - Accept)

Offline Eremita

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.833
  • Sexo: Masculino
  • Ecce.
Re: Capacidade olfativa dos dinossauros
« Resposta #1 Online: 06 de Dezembro de 2008, 18:11:43 »
Não tem muito a ver, mas também é relativo a fósseis... alguém tem novas sobre terapsidas?

Acho mais interessante de estudar terapsidas que dinossauros...
(Ao menos, eles fazem parte da minha história, e não da da minha comida)
Latebra optima insania est.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!