Autor Tópico: Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling  (Lida 8908 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.985
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #50 Online: 20 de Outubro de 2016, 21:00:40 »
Diria que o atual sistema de ensino brasileiro não consegue nem sequer doutrinar seus usuários de tão precário, grande parte dos alunos permanecem em estagnação, não compreendem a teoria marxista em si  (buuu neoconservadores buuuu) no máximo não darão bola ("filosofia e sociologia é só matéria entediante e fácil de se tirar um 6 no mínimo"), porém dizer que não há viés ideológico tentando ser transmitido por determinados professores em matérias como filosofia e sociologia soa um tanto quanto inocente, tendo em vista que são matérias que envolvem ideologias, pensamentos e teorias divergentes e professores também são seres humanos que adotam uma ou outra como verdade, mas o "tentar" é diferente de "sucesso".

Já tive professor de Filosofia e nem mesmo ele tentou doutrinar. Só dava aulas chatas de filosofia mesmo. Mas pode ser que isso haja em alguns locais. Só que alguns afirmarem que MEC passa diretriz de doutrinação isso e tal, isso é paranóia. Pode ser que seja atitudes individuais de professores e não da escolas em si.

Mas como o excelente texto em questão diz, se não quer que a mesma massa estagnada população que "elege" funk ostentação e sertanejo universitário como música boa decida (mesmo que indiretamente) o que seu filho vai, onde e como estudar, a unica maneira é acabando com a monopolização estatal da educação.

Não sou fã de funk e sertanejo, mas o que o funk e sertanejo tem haver com isso? Tem gente doutrinado ouvindo rock musica classica, etc.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #51 Online: 20 de Outubro de 2016, 23:01:59 »
Mas como o excelente texto em questão diz, se não quer que a mesma massa estagnada população que "elege" funk ostentação e sertanejo universitário como música boa decida (mesmo que indiretamente) o que seu filho vai, onde e como estudar, a unica maneira é acabando com a monopolização estatal da educação.

Curiosamente, pessoas que têm preferência por estilos musicais mais populares costumam ser as menos propensas a esse tipo de hierarquização estética com pretensões de objetividade.

Na primeira aula de qualquer curso de análise musical se aprende que esse negócio de música boa e música ruim é puro bullshit. O que existe é música que você gosta e música que você não gosta.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #52 Online: 21 de Outubro de 2016, 11:40:57 »
Ou seja, gravar flatulências e editá-las colocando em seqüência (só isso) é algo tão bom, objetivamente falando, quanto Mozart. Música é apenas isso, vibração do ar.



Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #53 Online: 21 de Outubro de 2016, 11:48:23 »
Tecnicamente o primeiro não é música.

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.209
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #54 Online: 21 de Outubro de 2016, 11:54:34 »
Tecnicamente o primeiro não é música.

Fascismo estético. O que é música para você?
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #55 Online: 21 de Outubro de 2016, 11:55:29 »
Preconceito. Não se pode dizer que não seja. Até silêncio pode ser, qualquer seqüência de sons pode ser. Por que não é? Por que não tem partituras? Então música tradicional de outros povos também não seria.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #56 Online: 21 de Outubro de 2016, 12:00:32 »
Não tem ritmo definido e nem uma sequência de sons de frequência regular.


Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #58 Online: 21 de Outubro de 2016, 12:03:00 »
Daqui a pouco o Arcanjo vai defender aquelas gaitas escocesas dizendo que aquilo é música.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #59 Online: 21 de Outubro de 2016, 12:04:08 »
Não tem ritmo definido e nem uma sequência de sons de frequência regular.

Garanto que esta definição foi criada pelos patriarcas brancos e ricos da Europa medieval, na tentativa de subjugar outras culturas consideradas inferiores.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #60 Online: 21 de Outubro de 2016, 12:07:20 »
Não tem ritmo definido e nem uma sequência de sons de frequência regular.

Garanto que esta definição foi criada pelos patriarcas brancos e ricos da Europa medieval, na tentativa de subjugar outras culturas consideradas inferiores.

Uma vez o Hermeto Pascoal disse que o Jô Soares falando, era música. Ele fez um arranjo maior sobre aquilo, mas a parte vocal em si já é música, evidentemente.

Acho que aqui ele não explora a possibilidade do sopro anal, mas fica evidente que ele não pode ser excluída como instrumento musical (rimou! música textual!)


Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #61 Online: 21 de Outubro de 2016, 12:12:34 »
George Brecht até foi suave, pensei que vocês viriam com John Cage.


Offline TuroKxwx

  • Nível 01
  • *
  • Mensagens: 15
  • Sexo: Masculino
  • Black Metal Ist Krieg
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #62 Online: 21 de Outubro de 2016, 15:24:47 »
Diria que o atual sistema de ensino brasileiro não consegue nem sequer doutrinar seus usuários de tão precário, grande parte dos alunos permanecem em estagnação, não compreendem a teoria marxista em si  (buuu neoconservadores buuuu) no máximo não darão bola ("filosofia e sociologia é só matéria entediante e fácil de se tirar um 6 no mínimo"), porém dizer que não há viés ideológico tentando ser transmitido por determinados professores em matérias como filosofia e sociologia soa um tanto quanto inocente, tendo em vista que são matérias que envolvem ideologias, pensamentos e teorias divergentes e professores também são seres humanos que adotam uma ou outra como verdade, mas o "tentar" é diferente de "sucesso".

Já tive professor de Filosofia e nem mesmo ele tentou doutrinar. Só dava aulas chatas de filosofia mesmo. Mas pode ser que isso haja em alguns locais. Só que alguns afirmarem que MEC passa diretriz de doutrinação isso e tal, isso é paranóia. Pode ser que seja atitudes individuais de professores e não da escolas em si.

Mas como o excelente texto em questão diz, se não quer que a mesma massa estagnada população que "elege" funk ostentação e sertanejo universitário como música boa decida (mesmo que indiretamente) o que seu filho vai, onde e como estudar, a unica maneira é acabando com a monopolização estatal da educação.

Não sou fã de funk e sertanejo, mas o que o funk e sertanejo tem haver com isso? Tem gente doutrinado ouvindo rock musica classica, etc.
Não tem nada a ver.. Foi um exemplo tosco apenas pra ilustrar o fato de que pessoas que você desconhece e que não tem (ou se tiver sorte, tem) gostos, preferências e objetivos diferentes do seu "decidem" direta ou indiretamente quem e o que vai fazer a grade curricular, modelo e instituição de ensino que seu filho estudará. 

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #63 Online: 21 de Outubro de 2016, 15:31:45 »
George Brecht até foi suave, pensei que vocês viriam com John Cage.



Do Mortal Kombat?





Tecnicamente o primeiro não é música.

"Tecnicamente" já impõe autoritariamente que música deva ter "técnica". Técnicas validadas por homens brancos ricos, geralmente.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.428
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #64 Online: 21 de Outubro de 2016, 18:20:24 »
Daqui a pouco o Arcanjo vai defender aquelas gaitas escocesas dizendo que aquilo é música.

Eu gosto mesmo daquele troço, o som contínuo que produz ao fundo...

« Última modificação: 21 de Outubro de 2016, 19:13:07 por Arcanjo Lúcifer »


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.428
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #66 Online: 21 de Outubro de 2016, 19:38:33 »
Não  assim, prefiro esses aqui:

<a href="https://youtube.com/v/6Y5mcLxlSgU" target="_blank" class="new_win">https://youtube.com/v/6Y5mcLxlSgU</a>

Participar de uma apresentação dessas ao vivo é um atestado de competência:

<a href="https://youtube.com/v/2eSL6Nv2ZdQ" target="_blank" class="new_win">https://youtube.com/v/2eSL6Nv2ZdQ</a>

Não é para qualquer um.

<a href="https://youtube.com/v/U89Qtbnk-Q4" target="_blank" class="new_win">https://youtube.com/v/U89Qtbnk-Q4</a>
« Última modificação: 21 de Outubro de 2016, 19:53:12 por Arcanjo Lúcifer »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #67 Online: 21 de Outubro de 2016, 19:59:09 »
:/

Melhor aproveitamento do instrumento:


(Esses são só "slainte" ou talvez "slainte!")

:rock:


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.428
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #68 Online: 21 de Outubro de 2016, 20:02:43 »
Não  mesmo...

Eu vi um programa em que o cara mostrou uma dessas com 200 anos ainda em uso.

Tipo da coisa que passa de pai para filhos e netos.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #69 Online: 22 de Outubro de 2016, 18:11:17 »
George Brecht até foi suave, pensei que vocês viriam com John Cage.



Do Mortal Kombat?

Caramba, buscou longe essa. Nem lembrava mais desse.

Citar
"Tecnicamente" já impõe autoritariamente que música deva ter "técnica". Técnicas validadas por homens brancos ricos, geralmente.

Na verdade eu usei a palavra "tecnicamente" com a intenção de não dogmatizar a definição. Em música, a prática sempre vem antes da formalização.

Existem elementos de caráter mais universal, embora haja outros mais relacionados à cultura. O ritmo, por exemplo, que é a estrutura dos sons no decorrer do tempo, é universal ou bem próximo disso. Já entre fenômenos mais relacionados à cultura, um exemplo interessante é o fenômeno da consonância, que define quais intervalos de uma harmonia passam a sensação de tensão ou de relaxamento. Na Idade Média, os intervalos considerados consonantes eram muito mais restritos que hoje. Havia até o trítono (intervalo de três tons) fá-si que foi estritamente proibido durante séculos porque, para os ouvidos da época, era um som tão irritante que recebeu a alcunha de "diabolus in musica". Já hoje em dia vários intervalos são aceitos como consonantes.

É por isso que eu sou contrário ao homeschooling (frase apenas para fingir que meu post não foi inteiro off-topic).

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.221
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #70 Online: 23 de Outubro de 2016, 09:02:29 »
Para PGR, 'escola sem partido' é inconstitucional e subestima alunos


GABRIEL MASCARENHAS
DE BRASÍLIA

20/10/2016  20h11


Em parecer enviado ao STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quarta (19), a PGR (Procuradoria-Geral da República) criticou duramente a tentativa de implantação da chamada "escola sem partido", que, segundo seus idealizadores, tem por objetivo impedir professores de influenciarem alunos política e religiosamente.


De acordo com a PGR, a iniciativa é inconstitucional e subestima a capacidade de discernimento dos estudantes em sala de aula.


"Há equívocos conceituais graves, como o de considerar que o alunado seria composto de indivíduos prontos a absorver de forma total, passiva e acrítica quaisquer concepções ideológicas, religiosas, éticas[...]. Despreza a capacidade reflexiva dos alunos, como se eles fossem apenas sujeitos passivos do processo de aprendizagem, e a interação de pais e responsáveis, como se não influenciassem a formação de consciência dos estudantes", sustenta a PGR.


A manifestação assinada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi protocolada a uma ação movida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação contra a Assembléia Legislativa de Alagoas.


O deputados estaduais alagoanos aprovaram uma lei que proíbe o professor de colégios públicos e particulares de praticar "doutrinação política e ideológica, bem como quaisquer outras condutas por parte do corpo docente ou da administração escolar que imponham ou induzam aos alunos opiniões político-partidárias, religiosa ou filosófica".


Para Janot, no entanto, a proposta do Legislativo local é vaga, afeta a liberdade de expressão do educar e compromete o processo de ensino.


"A Constituição estabelece diversas liberdades que fazem parte do conteúdo do direito à educação: aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber. Essas liberdades de aprendizado, ensino e pesquisa formam o núcleo essencial do direito à educação. Sem liberdade de ensinar e de aprender não há o próprio direito à educação", argumenta.


A peça afirma que possíveis excessos de professores não justificam a medida. O PGR diz que já há instituições e normas voltadas à fiscalização e eventual punição de docentes. Acrescenta que não cabe à escola reproduzir as convicções dos pais dos alunos.


"Não se ignora que professores[...] estão sujeitos a praticar erros e abusos na profissão. Mas a veiculação de ideias contrárias à convicção de alunos, pais e responsáveis não gera[...] consequência indesejável[...]. Entre a vedação apriorística de conteúdos e a liberdade de ensino, esta é preferível", sustenta o PGR.


Além das críticas ao mérito da proposta, o parecer afirma que a Assembleia estadual não tem competência para legislar sobre o assunto, de responsabilidade exclusiva da União, de acordo com Janot.


"Veiculação de princípios que regem as atividades de ensino é, em essência, tema que demanda tratamento uniforme no território nacional, porquanto traduz interesse geral. Dessa forma, incumbe à União definir normas sobre a matéria[...]. Não caberia ao Legislativo de Alagoas inovar no ordenamento jurídico e prever princípios gerais para a educação, mormente quando distintos daqueles da lei nacional", diz.


O projeto de lei em questão é de autoria do deputado Ricardo Nezinho (PMDB). O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), vetou a proposta aprovada pelo Legislativo, mas a Assembléia derrubou o veto.


Na Câmara dos Deputados, em pelo menos nove Assembleias e 17 Câmaras municipais tramitam projetos que visam proibir a "doutrinação ideológica" em temas políticos, religiosos e sexuais em salas de aula.



CONCEITO


Além dos mesmos objetivos, os textos da maioria dos projetos normalmente assinados por políticos de alas conservadoras e têm uma origem comum: o anteprojeto criado pela organização "Escola sem Partido", formada por "estudantes e pais preocupados" com a "contaminação político-ideológica das escolas".


A entidade defende que a educação moral, sexual e política é de competência da família. E argumenta que o professor não é um educador, devendo se limitar a repassar os conteúdos das disciplinas de forma isenta.


Fundador da organização, o advogado Miguel Nagib diz que anteprojeto defende uma abordagem equilibrada das diferentes correntes políticas e sociais: "Seria impossível ensinar história sem falar de política. O que defendemos é que ele não esconda nenhum ponto de vista".


O site da entidade traz uma lista de aspectos que alunos devem ficar atentos para "flagrar" o doutrinador. Um deles diz que "você pode estar sendo vítima de doutrinação ideológica quando o professor se desvia frequentemente da matéria [...] para assuntos relacionados ao noticiário político ou internacional".



http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2016/10/1824785-para-pgr-escola-sem-partido-e-inconstitucional-e-subestima-alunos.shtml



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.221
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #71 Online: 23 de Outubro de 2016, 09:03:06 »

Parece que este "projetin" vai levar bomba.



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.221
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #72 Online: 23 de Outubro de 2016, 09:23:01 »

O que exatamente caracteriza essa doutrinação no sentido pejorativo, distinguindo do ensino correto? Como isso seria fiscalizado e punido?



Como seria fiscalizado ?

De forma semelhante a que se fiscaliza o trabalho e as relações trabalhistas, nós poderíamos também fiscalizar a educação e as relações educacionais. Existem fiscais do trabalho ? Sim.  Então poderíamos ter também fiscais da educação. 

Como seria punido ?

Primeiramente teríamos que ter instâncias para julgar adequadamente, não poderíamos punir sem o devido processo legal. Para isso poderiam ser criados  os Tribunais Federais da Educação, teríamos então em cada estado da federação um TRE (Tribunal Regional da Educação).* 

Além de termos um orgão oficial para julgar (e assim aplicar as punições cabíveis de forma legal e democrática), nós estaríamos criando mais empregos na área pública, e assim contribuindo para diminuir os atuais índices de desemprego  (olha aí mais uma vantagem).


* Em tempo,  para não confundir com os atuais Tribunais Regionais Eleitorais a sigla poderia ser TRED.


« Última modificação: 23 de Outubro de 2016, 09:42:45 por JJ »

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.985
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #73 Online: 05 de Novembro de 2018, 12:18:39 »


<a href="https://www.youtube.com/v/kTiXTuKaeNE" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/kTiXTuKaeNE</a>



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Escola Sem Partido, Estado e Homeschooling
« Resposta #74 Online: 05 de Novembro de 2018, 17:37:41 »

O que exatamente caracteriza essa doutrinação no sentido pejorativo, distinguindo do ensino correto? Como isso seria fiscalizado e punido?



Como seria fiscalizado ?

De forma semelhante a que se fiscaliza o trabalho e as relações trabalhistas, nós poderíamos também fiscalizar a educação e as relações educacionais. Existem fiscais do trabalho ? Sim.  Então poderíamos ter também fiscais da educação. 

Poderia descrever melhor a analogia? Desconheço pormenores dessas práticas.

Uma grande diferença é que o objeto das infrações deve ser bem mais objetivo.


Citar
Como seria punido ?

Primeiramente teríamos que ter instâncias para julgar adequadamente, não poderíamos punir sem o devido processo legal. Para isso poderiam ser criados  os Tribunais Federais da Educação, teríamos então em cada estado da federação um TRE (Tribunal Regional da Educação).* 

Além de termos um orgão oficial para julgar (e assim aplicar as punições cabíveis de forma legal e democrática), nós estaríamos criando mais empregos na área pública, e assim contribuindo para diminuir os atuais índices de desemprego  (olha aí mais uma vantagem).


* Em tempo,  para não confundir com os atuais Tribunais Regionais Eleitorais a sigla poderia ser TRED.

Eu acho temeroso o governo/políticos se meterem em educação, em vez de apenas o estado financiar.

Acredito que profissionais de diversos campos possam ter suas licenças cassadas, e isso já ocorra com dispositivos legais existentes, sob critérios da comunidade profissional na maior parte do tempo, e não da classe política (e de sua clientela eleitoral). Não existiria já algo assim para a licenciatura?



Você não respondeu quanto ao que definiria a doutrinação, que deve ser o problema principal.



Até onde posso perceber, o projeto me parece apenas o uso de pânico moral conservador para tentar inserir doutrinação conservadora contra gays e minorias, além de possivelmente fundamentalismo cristão e negacionismo histórico (como da ditadura) ou perspectivas similares.


O vídeo do Pirula ainda toca no ponto de não haver qualquer estudo científico dando o tamanho do suposto problema de doutrinação indevida (até por esta ser precariamente definida, consistindo em sua motivação original de pânico moral conservador, apenas), a fim de que se possa ao menos ter algo para começar a tentar fazer uma avaliação sobre se os custos compensam os benefícios que se esperariam decorrer do policiamento extra, seja lá quais forem seus métodos.

Versus investir mais em educação, contratar mais professores, em vez de aumentar ainda mais o déficit.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!