Autor Tópico: Poliamor  (Lida 3964 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Poliamor
« Online: 03 de Fevereiro de 2010, 12:56:59 »

Citar
Poliamor: conheça esta forma "poligâmica" de amar


Eles permitem-se mais de um relacionamento amoroso simultâneo, não vêem o sexo como a base de uma relação, seguem o impulso natural do ser humano de se relacionar com várias pessoas ao mesmo tempo e não sentem ciúme. Se você acha que esta descrição parece mais um roteiro de comédia romântica se enganou. Trata-se de uma real e diferente maneira de amar chamada de "poliamor", que descreve relações amorosas que recusam a monogamia como princípio ou necessidade.

A advogada Lindsay Sallete Custódio, 27 anos, afirma ser uma poliamorista assumida, já que sempre foi contrária à monagamia. De acordo com ela, uma só pessoa não é capaz de complementar a outra em todos os aspectos e nem pode ser obrigada a carregar esta responsabilidade ao longo da vida.

"Já permiti que um ex-namorado tivesse um relacionamento com outra pessoa. Também não me incomodaria, nem me sentiria culpada, em conhecer outra pessoa, assim como adoraria que aceitassem o fato de eu poder me relacionar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo", conta a advogada. "Sei que a maioria das pessoas não aceita este tipo de comportamento, seja por razões religiosas ou devido à errônea crença de que amor requer exclusividade", acrescenta.

Segundo a psicanalista e sexóloga Regina Navarro Lins, autora do livro A Cama na Varanda, que possui um capítulo dedicado especialmente ao sentimento poliamorista, o amor romântico, calcado na idealização de que uma pessoa pode completar outra e que os dois parceiros vão se transformar numa só pessoa, está saindo de cena e levando com ele a exigência de exclusividade, resultando no chamado poliamor.

Regina explica que os poliamoristas argumentam que não se trata de procurar obsessivamente novas relações pelo fato de ter essa possibilidade sempre em aberto, mas sim de viver naturalmente tendo essa liberdade em mente. "Para eles, o poliamor pressupõe uma total honestidade dentro da relação", conta a psicanalista e sexóloga.

Para o músico Ernesto* (que não quis revelar seu nome verdadeiro), 28 anos, o poliamor é um treinamento para liquidar o ciúme possessivo. "É uma alternativa de relacionamento diante dos padrões que ainda seguimos", declara o músico.

Casado há três anos e três meses, Ernesto* conta que apesar de ter muita simpatia por este tipo de relacionamento e de conversar exaustivamente com a sua mulher sobre o assunto, eles ainda não conseguiram se tornar um casal "poliamorista praticante", embora julguem ter uma liberdade bem maior do que os casais tradicionais.

"A maior vantagem do poliamor é a sinceridade. Ser sincero com você mesmo e com seu parceiro. As pessoas se dividem em dois grupos: as que traem e as que não traem mas sentem vontade. No primeiro caso, você está mentindo para a pessoa com quem deveria ser o mais leal possível. No segundo caso, você está sendo desleal com você mesmo. Se você ama uma pessoa incondicionalmente, quer que ela seja feliz", diz Ernesto*.

O escritor e consultor de Recursos Humanos Igor Rafailov concorda que no casal poliamorista há mais negociação e cumplicidade. "O amor não necessita ser monopolizado na monogamia. No poliamor você tem clareza dos sentimentos, paz de espírito afetivo e está longe da solidão sempre, além de reduzir as frustrações e magoas nas relações", comenta Rafailov.

A escritora Regina Navarro Lins conta que o poliamor existe como movimento organizado nos Estados Unidos há mais de 20 anos. Ela ainda explica que em novembro de 2005 foi realizada a Primeira Conferência Internacional sobre Poliamor em Hamburgo, Alemanha.

Segundo Regina, um dos principais motivos para que o poliamor ganhe cada vez mais adeptos é porque um amor baseado na amizade e no companheirismo está surgindo, além de que a cada dia há menos idealização do outro e você pode se relacionar com a pessoa do jeito que ela é. "Sem a idéia de encontrar alguém que te complete, abre-se um espaço para outros tipos de relacionamento, com a possibilidade de se amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo", enfatiza Regina.
http://mulher.terra.com.br/interna/0,,OI1916843-EI4788,00.html
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #1 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 12:59:09 »
Citar
Se você se interessou por essa nova forma de relacionamento, confira algumas "regras" que devem ser consideradas na relação poliamorista:

Não existe idealização do parceiro
Uma pessoa poliamorista não aceita a idéia de que o parceiro possa completá-la de todas as maneiras e nem mesmo que os dois vão se transformar numa só pessoa. Por isso não exige exclusividade nas relações

O poliamor pressupõe honestidade
Os poliamoristas argumentam que não se trata de procurar obsessivamente novas relações pelo fato de ter essa possibilidade sempre em aberto, mas sim de viver naturalmente tendo essa liberdade em mente. Para eles, o poliamor pressupõe uma total honestidade dentro da relação. Não se trata de enganar nem magoar ninguém. Tem como princípio que todas as pessoas envolvidas estão a par da situação e se sentem confortáveis com ela.

O poliamor vai além da relação sexual
A idéia principal do poliamor é admitir uma variedade de sentimentos que se desenvolvem em relação a várias pessoas, e que vão além da mera relação sexual. Para os poliamoristas o sexo é visto apenas como complemento secundário e o relacionamento amoroso como o fator primordial para que a pessoa se sinta muito mais feliz e completa.

Poliamor é diferente de poligamia
Poligamia é o casamento de uma pessoa com várias outras simultaneamente. Poliamor é você amar e ser amado por mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

O poliamor requer controle do ciúme
Para os poliamoristas, o amor não precisa ser monopolizado na monogamia. É um exercício diário para aprender a lidar com o ciúmes e saber dividir o relacionamento com várias pessoas ao mesmo tempo.

No poliamor não existe o conceito de traição
Traição, na opinião dos praticantes do poliamor, é sinônimo de posse, e amor verdadeiro não requer possessividade e sim liberdade. O fato do parceiro vir a se sentir atraído ou até mesmo amar outra pessoa não significa que esteja deixando de amar seu primeiro companheiro e sim que encontrou em outra pessoa outra característica que lhe agrada e que o complementa

Vantagens do poliamor, segundo os poliamoristas
Redução de estresse (já que não é preciso mentir para ter o outro em sua vida). Pode-se fazer economia doméstica, já que a relação pode envolver mais de duas pessoas. Maior satisfação sexual, aprendizado de tolerância, clareza dos sentimentos, paz de espírito afetivo e educação conjunta de filhos.

Desvantagens do poliamor, segundo os poliamoristas
A casa fica maior, é necessário ter habilidade de negociação, aprender a lidar com o repúdio e incredulidade social, nem sempre é fácil liquidar o ciúme e o sentimento de posse.

http://mulher.terra.com.br/interna/0,,OI1918157-EI1377,00.html
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Andre

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.072
  • Sexo: Masculino
    • Aletéia
Re: Poliamor
« Resposta #2 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:01:21 »
Se não me engano, o uiliníli já fez um tópico sobre o assunto algum tempo atrás.

Eu gosto da ideia, mas não consigo arrumar nem uma, imagina mais que uma. :P
Se Jesus era judeu, então por que ele tinha um nome porto-riquenho?

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #3 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:05:52 »
Me recordo que ele estava com idéias liberais mas acredito que no sentido de relacionamento aberto, da outra pessoa poder se relacionar sexualmente com outras pessoas. O poliamor é amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

Eu participo de comunidades virtuais de poliamor e a maioiria não vivência na prática, apenas se simpatiza com a idéia.

Edit.:
E infelizmente, penso que o uiliníli deixou de postar, pelo menos naquele momento, por se sentir desrespeitado por alguns foristas ao expor essas opiniões nada conservadoras. Basta ver suas ultimas mensagens e é fácil constatar.

Um dos principais problemas para os poliamoristas é o preconceito e por isto existem as comunidades virtuais e até mesmo os encontros, semelhante ao ceticismo e ateísmo, já que é mais fácil conversar com quem compartilha as mesmas vontades.
« Última modificação: 03 de Fevereiro de 2010, 13:32:25 por Adriano »
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: Poliamor
« Resposta #4 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:10:57 »
Não tenho nada contra a teoria, nem contra quem é. Mas não acho que eu funcionaria num relacionamento poliamoroso. Quero uma exclusividade da outra pessoa, e estou perfeitamente disposto a oferecer exclusividade tambem.

Digo, não uma exclusividade mental, que pensamentos vem, de certa forma, sem controle consciente. Mas sim da forma que a pessoa age sobre esses pensamentos.

Outro ponto é que o texto soa um pouco preconceituoso, no que deixa implícito que relacionamentos monogâmicos são necessariamente desonestos.
"The patient refused an autopsy."

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #5 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:18:48 »
Não tenho nada contra a teoria, nem contra quem é. Mas não acho que eu funcionaria num relacionamento poliamoroso. Quero uma exclusividade da outra pessoa, e estou perfeitamente disposto a oferecer exclusividade tambem.

Digo, não uma exclusividade mental, que pensamentos vem, de certa forma, sem controle consciente. Mas sim da forma que a pessoa age sobre esses pensamentos.
A maioria das pessoas é exclusivista e monogâmica, porém nem todas são e penso que estas tem o direito de poderem se relacionar na maneira que querem. O poliamor não é uma proposta de substituição e sim uma alternativa a mais para quem tem esse perfil.

Citar
Outro ponto é que o texto soa um pouco preconceituoso, no que deixa implícito que relacionamentos monogâmicos são necessariamente desonestos.
Talves pelo controle dos pensamentos de atração por outras pessoas e que são a base da insegurança nos relacionamentos. Eu pessoalmente acho também que o ideal de exclusividade monogâmico é um mito e não se sustenta lógicamente, não como regra geral.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: Poliamor
« Resposta #6 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:33:10 »
Não tenho nada contra a teoria, nem contra quem é. Mas não acho que eu funcionaria num relacionamento poliamoroso. Quero uma exclusividade da outra pessoa, e estou perfeitamente disposto a oferecer exclusividade tambem.

Digo, não uma exclusividade mental, que pensamentos vem, de certa forma, sem controle consciente. Mas sim da forma que a pessoa age sobre esses pensamentos.
A maioria das pessoas é exclusivista e monogâmica, porém nem todas são e penso que estas tem o direito de poderem se relacionar na maneira que querem. O poliamor não é uma proposta de substituição e sim uma alternativa a mais para quem tem esse perfil.
Sem duvida alguma. Basicamente o que disse foi: "Pra mim não rola, mas pra quem rola, bom pra eles."

Citar
Citar
Outro ponto é que o texto soa um pouco preconceituoso, no que deixa implícito que relacionamentos monogâmicos são necessariamente desonestos.
Talves pelo controle dos pensamentos de atração por outras pessoas e que são a base da insegurança nos relacionamentos. Eu pessoalmente acho também que o ideal de exclusividade monogâmico é um mito e não se sustenta lógicamente, não como regra geral.
O que estou dizendo que assumir que por que para você, um relacionamento monogâmico não se sustentaria com honestidade, não quer dizer que é o mesmo para os outros. Não estou dizendo que não achar outros sexy/gostosos/etc., mas sim que não iriam agir (como em abrir um relacionamento) sobre essa opinião. Isso não quer dizer que não possam ser honestos e admitir que achou o fulaninho/a sexy.
"The patient refused an autopsy."

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #7 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:44:25 »
Citar
Citar
Outro ponto é que o texto soa um pouco preconceituoso, no que deixa implícito que relacionamentos monogâmicos são necessariamente desonestos.
Talves pelo controle dos pensamentos de atração por outras pessoas e que são a base da insegurança nos relacionamentos. Eu pessoalmente acho também que o ideal de exclusividade monogâmico é um mito e não se sustenta lógicamente, não como regra geral.
O que estou dizendo que assumir que por que para você, um relacionamento monogâmico não se sustentaria com honestidade, não quer dizer que é o mesmo para os outros. Não estou dizendo que não achar outros sexy/gostosos/etc., mas sim que não iriam agir (como em abrir um relacionamento) sobre essa opinião. Isso não quer dizer que não possam ser honestos e admitir que achou o fulaninho/a sexy.
E que parte do texto te passou essa impressão? A monogamia honesta é muito admirada por todos e embala muitos romances no cinema e na cultura em geral. Mas ainda ocorrem muitas traições, e é um fato que pesa muito na sociedade e que nos faz questionar se todos realmente vivêm a monogamia por princípios ou por não conhecerem outras alternativas e nem ter espaço para isso.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: Poliamor
« Resposta #8 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:48:10 »
Citar
Citar
Outro ponto é que o texto soa um pouco preconceituoso, no que deixa implícito que relacionamentos monogâmicos são necessariamente desonestos.
Talves pelo controle dos pensamentos de atração por outras pessoas e que são a base da insegurança nos relacionamentos. Eu pessoalmente acho também que o ideal de exclusividade monogâmico é um mito e não se sustenta lógicamente, não como regra geral.
O que estou dizendo que assumir que por que para você, um relacionamento monogâmico não se sustentaria com honestidade, não quer dizer que é o mesmo para os outros. Não estou dizendo que não achar outros sexy/gostosos/etc., mas sim que não iriam agir (como em abrir um relacionamento) sobre essa opinião. Isso não quer dizer que não possam ser honestos e admitir que achou o fulaninho/a sexy.
E que parte do texto te passou essa impressão? A monogamia honesta é muito admirada por todos e embala muitos romances no cinema e na cultura em geral. Mas ainda ocorrem muitas traições, e é um fato que pesa muito na sociedade e que nos faz questionar se todos realmente vivêm a monogamia por princípios ou por não conhecerem outras alternativas e nem ter espaço para isso.
Sim, não estou falando que todos são perfeitos. Mas a impressão que o texto de forma geral me passou é que ele assume que as monogamias não podem ser honestas por sua própria natureza, somente o poliamor seria honesto. Ele pode não ter tido essa intenção, mas foi essa a impressão que fiquei do texto.
"The patient refused an autopsy."

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #9 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 13:59:16 »
Entendi e vi o trecho que passa bem essa impressão:

Citar
A maior vantagem do poliamor é a sinceridade. Ser sincero com você mesmo e com seu parceiro. As pessoas se dividem em dois grupos: as que traem e as que não traem mas sentem vontade. No primeiro caso, você está mentindo para a pessoa com quem deveria ser o mais leal possível. No segundo caso, você está sendo desleal com você mesmo. Se você ama uma pessoa incondicionalmente, quer que ela seja feliz

Realmente diz que quem não é poliamorista não está sendo sincero, um grande erro.



E aproveitando, um vídeo de uma família poliamorista:

<a href="http://www.youtube.com/watch/v/VEaKU--BvVo" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/watch/v/VEaKU--BvVo</a>
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Pandora

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 320
  • Sexo: Feminino
  • Não são pedras, são aerolitos!!!
Re: Poliamor
« Resposta #10 Online: 03 de Fevereiro de 2010, 23:01:19 »
Gosto da idéia!!! E já dei um passo em direção ao poliamor: nunca achei que uma outra pessoa pudesse me completar, sempre achei isso absurdo!  :P
Relacionamento aberto eu já tive, mas eu não amava a pessoa... e sinceramente, não sei mesmo se amaria mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Mas tenho vontade de tentar, sempre quis namorar um menino e uma menina ao mesmo tempo... só não tive a oportunidade!

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #11 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 00:22:21 »
A idéia de uma pessoa completando a outra foi uma avanço no sentido de que historicamente as pessoas não tinham nem liberdade de escolha quanto a isso. Hoje que já temos mais liberdade podemos vivenciar outras possibilidades. Eu vivenciei recentemente uma relação poliamorosa da maneira que você Pandora citou. Foi uma delícia! Mas ainda tenho medo de falar de minha vida pessoal dessa maneira numa comunidade que não é poliamorosa assim como também temo falar do meu ateísmo em ambientes não propícios e assim evito.

Mas assim como tive uma boa aceitação de um superior no trabalho que é da igreja universal e aceitou bem o meu ateísmo mesmo que não conversando diretamente sobre o assunto. Assim espero que não tenha aqui nenhum desrespeito quanto a isso pelo ambiente cético ser algo mais maduro.  :)
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.552
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re: Poliamor
« Resposta #12 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 09:15:51 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
« Última modificação: 04 de Fevereiro de 2010, 11:22:51 por 1985 »
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline Bulldog

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 618
  • Sexo: Masculino
  • "Interessante..." Thanos ao ser morto por Drax...
Re: Poliamor
« Resposta #13 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 11:09:51 »

Realmente diz que quem não é poliamorista não está sendo sincero, um grande erro.


A idéia de uma pessoa completando a outra foi uma avanço no sentido de que historicamente as pessoas não tinham nem liberdade de escolha quanto a isso. Hoje que já temos mais liberdade podemos vivenciar outras possibilidades. Eu vivenciei recentemente uma relação poliamorosa da maneira que você Pandora citou. Foi uma delícia! Mas ainda tenho medo de falar de minha vida pessoal dessa maneira numa comunidade que não é poliamorosa assim como também temo falar do meu ateísmo em ambientes não propícios e assim evito.

Mas assim como tive uma boa aceitação de um superior no trabalho que é da igreja universal e aceitou bem o meu ateísmo mesmo que não conversando diretamente sobre o assunto. Assim espero que não tenha aqui nenhum desrespeito quanto a isso pelo ambiente cético ser algo mais maduro.  :)

Note sua contradição, você se antecipa em se defender quanto a possíveis críticas ou desrespeito ao seu pensamento, sentimentos  e comportamento, mas é desrespeitoso quanto ao pensamento, sentimento e comportamento dos outros.

Como pode afirmar que quem não partilha de sua opinião ou sua forma de sentir e viver as relações e afetos esta sendo mentiroso ou hipócrita ( pois se não estão sendo sinceros...) e cometendo um erro?

As pessoas são diferentes, vivem e sentem de formas diferentes. Se para você o poliamorismo atende melhor suas necessidades afetivas, isso não siginifica que é assim para todos.
"Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada."
No Caminho com Maiakovski

Offline Zeichner

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 2.063
  • Sexo: Masculino
  • Somos feitos da mesma substância dos sonhos. - Wi
Re: Poliamor
« Resposta #14 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 12:29:15 »
É a institucionalização do fenômeno da cornitude adquirida e assumida?

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #15 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 13:31:24 »

Realmente diz que quem não é poliamorista não está sendo sincero, um grande erro.


A idéia de uma pessoa completando a outra foi uma avanço no sentido de que historicamente as pessoas não tinham nem liberdade de escolha quanto a isso. Hoje que já temos mais liberdade podemos vivenciar outras possibilidades. Eu vivenciei recentemente uma relação poliamorosa da maneira que você Pandora citou. Foi uma delícia! Mas ainda tenho medo de falar de minha vida pessoal dessa maneira numa comunidade que não é poliamorosa assim como também temo falar do meu ateísmo em ambientes não propícios e assim evito.

Mas assim como tive uma boa aceitação de um superior no trabalho que é da igreja universal e aceitou bem o meu ateísmo mesmo que não conversando diretamente sobre o assunto. Assim espero que não tenha aqui nenhum desrespeito quanto a isso pelo ambiente cético ser algo mais maduro.  :)

Note sua contradição, você se antecipa em se defender quanto a possíveis críticas ou desrespeito ao seu pensamento, sentimentos  e comportamento, mas é desrespeitoso quanto ao pensamento, sentimento e comportamento dos outros.

Como pode afirmar que quem não partilha de sua opinião ou sua forma de sentir e viver as relações e afetos esta sendo mentiroso ou hipócrita ( pois se não estão sendo sinceros...) e cometendo um erro?
O que eu disse foi o contrário, é erro de comunicação que está acontecendo. Foi ploblema da minha escrita. O que quiz dizer com o trecho é o aquela parte do texto estava distriminando os demais por isso. O meu entendimento é exatamente o seu, me desculpe pela escrita confusa.

O que eu quiz dizer foi isso:
Citar
Realmente o texto diz que quem não é poliamorista não está sendo sincero, um grande erro por parte do entrevistado.
E por isso o texto na sequência.

As pessoas são diferentes, vivem e sentem de formas diferentes. Se para você o poliamorismo atende melhor suas necessidades afetivas, isso não siginifica que é assim para todos.
Exatamente e o mesmo para a monogamia. Essa é a minha posição, espaço para ambos, os indivíduos escolhem como se relacionarem melhor.  :)
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #16 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 13:32:55 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
Total preconceito.  :no:
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #17 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 13:34:21 »
É a institucionalização do fenômeno da cornitude adquirida e assumida?
Você está vendo o lado pior. É a formalização do garanhão e do pegador assumido e que não fica com uma mulher só.  :biglol:
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.552
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re: Poliamor
« Resposta #18 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 13:36:30 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
Total preconceito.  :no:

Claro que não. Não estou dizendo que as pessoas não podem agir assim. Se quiserem elas podem, este ainda é um país livre e não há nenhuma norma proibindo isso, nem poderia.
Só acho que a sociedade deve rejeitar esse tipo de comportamento. Na minha opinião uma sociedade baseada em sua maioria no núcleo familiar tradicional é melhor e mais saudável.
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Poliamor
« Resposta #19 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 13:43:21 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
Total preconceito.  :no:

Claro que não. Não estou dizendo que as pessoas não podem agir assim. Se quiserem elas podem, este ainda é um país livre e não há nenhuma norma proibindo isso, nem poderia.
Só acho que a sociedade deve rejeitar esse tipo de comportamento. Na minha opinião uma sociedade baseada em sua maioria no núcleo familiar tradicional é melhor e mais saudável.
A sociedade em sua maioria pensa assim e também rejeita o poliamor. Mas o movimento vem crescendo e mostrando muitos mitos em relação a família e amor que existem. Famílias poliamoristas saudáveis dão exemplos disso. É que nem ser ateu, tem que sempre por um adjetivo qualificando éticamente para mostrar que o que estamos acostumados não é uma verdade absoluta simplesmente por tradição.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: Poliamor
« Resposta #20 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 13:47:13 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
Total preconceito.  :no:

Claro que não. Não estou dizendo que as pessoas não podem agir assim. Se quiserem elas podem, este ainda é um país livre e não há nenhuma norma proibindo isso, nem poderia.
Só acho que a sociedade deve rejeitar esse tipo de comportamento. Na minha opinião uma sociedade baseada em sua maioria no núcleo familiar tradicional é melhor e mais saudável.

Por esse ponto, posso assumir que você discorda de familias homossexuais, especialmente o direito das mesmas terem filhos, adotados ou não, pais e mães solteiros/as, etc?
"The patient refused an autopsy."

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.552
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re: Poliamor
« Resposta #21 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 14:46:16 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
Total preconceito.  :no:

Claro que não. Não estou dizendo que as pessoas não podem agir assim. Se quiserem elas podem, este ainda é um país livre e não há nenhuma norma proibindo isso, nem poderia.
Só acho que a sociedade deve rejeitar esse tipo de comportamento. Na minha opinião uma sociedade baseada em sua maioria no núcleo familiar tradicional é melhor e mais saudável.

Por esse ponto, posso assumir que você discorda de familias homossexuais, especialmente o direito das mesmas terem filhos, adotados ou não, pais e mães solteiros/as, etc?

Não. Estou convicto que elas tem esse direito. O que eu não concordo é pessoalmente, de acordo com valores culturais e pessoais meus. Seria totalmente arbitrário tolher o direito dessas pessoas viverem como elas querem e adotarem crianças.

É o mesmo que penso dessas relações abertas que o Adriano fala. É evidente que elas tem direito de agir assim. É indiscutível isso. Agora gostar disso é outros quinhentos. Não acho correto taxarem a gente preconceituoso por não gostar destas idéias.
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline FxF

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.720
  • Sexo: Masculino
  • Yohohoho!
Re: Poliamor
« Resposta #22 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 15:15:52 »
Na minha opinião uma sociedade baseada em sua maioria no núcleo familiar tradicional é melhor e mais saudável.
Porque? Você acha que filhos de casais poligâmicos são infelizes?

Offline Pandora

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 320
  • Sexo: Feminino
  • Não são pedras, são aerolitos!!!
Re: Poliamor
« Resposta #23 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 16:43:05 »
Isso é um retorno ao barbarismo grego antigo, isso sim...
Total preconceito.  :no:

Claro que não. Não estou dizendo que as pessoas não podem agir assim. Se quiserem elas podem, este ainda é um país livre e não há nenhuma norma proibindo isso, nem poderia.
Só acho que a sociedade deve rejeitar esse tipo de comportamento. Na minha opinião uma sociedade baseada em sua maioria no núcleo familiar tradicional é melhor e mais saudável.

Por esse ponto, posso assumir que você discorda de familias homossexuais, especialmente o direito das mesmas terem filhos, adotados ou não, pais e mães solteiros/as, etc?

Não. Estou convicto que elas tem esse direito. O que eu não concordo é pessoalmente, de acordo com valores culturais e pessoais meus. Seria totalmente arbitrário tolher o direito dessas pessoas viverem como elas querem e adotarem crianças.

É o mesmo que penso dessas relações abertas que o Adriano fala. É evidente que elas tem direito de agir assim. É indiscutível isso. Agora gostar disso é outros quinhentos. Não acho correto taxarem a gente preconceituoso por não gostar destas idéias.

1985 tem todo o direito de não gostar da idéia quanto eu de gostar. O que não pode acontecer, como ele diz, é limitar o direito de escolha das outras pessoas, afinal estamos numa sociedade democrática. Não é porque uma pessoa não gosta de determinada idéia que ela vai, necessariamente, discriminar.

Offline Bulldog

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 618
  • Sexo: Masculino
  • "Interessante..." Thanos ao ser morto por Drax...
Re: Poliamor
« Resposta #24 Online: 04 de Fevereiro de 2010, 17:26:29 »
Quanto a essa liberdade de pensar e a aceitação das diferenças, não parece ser esse o pensamento do texto, dos adeptos ou do Adriano.
Em seus posts, parece para mim, que ele afirma ser o poliamor "A" forma sincera e saudável de construir relações afetivas, estando  a mongamia indelevelmente marcada pela hipocrisia e pela mentira, tanto para sai quanto para o outro.
Embora tenha tentado desfazer esse ato falho em uma resposta anterior, relendo seus outros posts, essa impressão não se desfez.
« Última modificação: 04 de Fevereiro de 2010, 17:33:30 por Bulldog »
"Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada."
No Caminho com Maiakovski

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!