Autor Tópico: A Primeira Falsidade do Criacionismo  (Lida 1837 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline biscoito1r

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.739
  • 笑顔
A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Online: 13 de Fevereiro de 2010, 01:42:09 »
Estou traduzindo o primeiro texto da série "Falsehoods of creationism", já terminei 1/3 do texto e esta cheio de erros, quem for bom de português e estiver afim de ajudar por favor corrija o texto.

Citar

A Primeira Falsidade do Criacionismo

Evolução = Ateismo

A população dos EUA parece bem divida quanto a espécie humana ser biologicamente relacionada a outros animais ou sermos "especialmente criados" como parte de um alvoroço de milagres. Até mesmo nossa coleção de políticos -aparentemente todos eles - estão enrolados nessa controvérsia. Ainda assim é dificil de encontrar ao menos um deles que sabe do que se trata. Por que existe tanta preocupação em tantas escolas do ensino medio e fundamental sobre ensinar a evolução, mesmo havendo um completo consenso entre cientistas por toda a America e o resto do mundo que a evolução é espinha dorsal da biologia moderna, e uma realidade historica demonstrável da mesma forma ?

A grande maioria das pessoas não entendem a ciencia; o que ela é, como funciona, o que são hipóteses e teorias, ou mesmo qual o se propósito por trás. Infelizmente mesmo aqueles no seu corpo docente ou state Board of Education geralmente precisam de uma educação antes que possam ser confiados em governar como ou o que nossas crianças serão ensinadas, e por isso que eu pensei que deveria me manifestar e fazer o que eu puder para ajudar.

Para entender adequadamente a evolução, você não somente tem que entender como ser cientifico, ( o que é o principal para a maioria das pessoas ) mas você também deve saber algo sobre biologia celular, genetica e anatomia, geologia partilarmente paleontologia, assim como sistemas ambientais, tectonicas, quimica atomica, e especialmente taxonomia, na qual a maioria das pessoas não sabem nada de nada. A maioria das pessoas que aceitam a evolução também tendem a saber muito sobre cosmologia, geologia, historia, sociologia, politica, e é claro, religião.

Mas para acreditar em criacionismo, você não tem que saber nada sobre nada, e é melhor que você não saiba! Porque criacionismo depende da ignorancia. Não é pesquisa honesta! É uma fraude, uma armação que explora o povo comum, e apresa em suas crenças e medos mais profundos. Criacionistas apologiastas dependem de dados alterados e autoridades distorcidas, desatualizadas e fora do contexto, e usa definições distorcidas, isso qual usam definições.

Existem dois tipos basicos de criacionistas; os profissionais ou criacionistas politicos; esses são os ativistas que lideram o movimento e que irão mentir deliberadamente e regularmente para promover sua propaganda; o segundo tipo são os seguidores inocentemente-enganados conhecidos geralmente como "ovelhas". Eu conheço vários cristãos intelectuais, mas não posso na verdade fazer com que eles assistam os "tele-evangelistas", porque eles ou já sabem o quanto são falsos, ou não querem saber. Mas isso apenas permite com que uma orla radical afirme apoio de uma massa na qual eles também afirmam representar.  Então não há nada que os possam deter. Criacionistas proficionais estão fazendo dinheiro rapidamente com fraudes de cura pela fé ou fraudando velhinhas com doações de oração, ou vendendo livros e videos de seus circo ala seminário onde eles tem respeido desmerecido como lideres poderosos. Todos eles afirmam sabedoria no qual não podem possuir, e alguns afirmam um grau no qual nunca adquiriram.


"Você é um Cientista, Correto ?"
"Correto; Eu tenho PhD em verdadeologia pela Tech Cristã"

Se não fosse por essa fraude, eles teria que voltar a vender carros usados, remedios maravilhosos, e outros marketing fraudulentos. Eles obviamente nunca mudarão de ideia, não importa o quanto custa a outra pessoa. Então é obviamente a "ovelha" no qual eu estou tentando alcançar com esse discurso - para que não possa mais ser ovelhas, e daí pararão de alimentar esse movimento manipulador. Porque uma coisa é acreditar em algo que pode ser verdade ( como Deus em geral ou o cristianismo em especifico ) apesar de nenhum dos dois poder ser verificado ou testado de maneira objetiva. Mas já é outra coisa querer enganar os outros em acreditar em coisas que são definitivamente falsas- como criacionismo, especialmente quando nós podemos também provar que os que fazem tal coisa sabem que seus argumentos selecionados são falsos, e sabem que estão mentindo para nossas crianças, e que eles esperam continuar sobre pretexto de "educação".

« Última modificação: 13 de Fevereiro de 2010, 02:05:54 por biscoito1r »
Be ashamed to die until you have won some victory for humanity

Offline FxF

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.720
  • Sexo: Masculino
  • Yohohoho!
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #1 Online: 13 de Fevereiro de 2010, 04:52:31 »
Citar
"Você é um Cientista, Correto ?"
"Correto; Eu tenho PhD em verdadeologia pela Tech Cristã"
Essa frase não é do episódio dos Simpsons "The Monkey Suit"?

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.679
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #2 Online: 14 de Fevereiro de 2010, 16:11:43 »
Estou traduzindo o primeiro texto da série "Falsehoods of creationism", já terminei 1/3 do texto e esta cheio de erros, quem for bom de português e estiver afim de ajudar por favor corrija o texto.

Veja o resultado abaixo:

Citar
A Primeira Falsidade do Criacionismo

Evolução = Ateismo

A população dos EUA parece bem dividida quanto à espécie humana ser biologicamente relacionada a outros animais ou sermos "especialmente criados" como parte de um festival de milagres. Até mesmo nossos políticos - aparentemente todos eles - estão envolvidos nessa controvérsia. Ainda assim, é difícil encontrar ao menos um deles que saiba do que se trata. Por que tantas escolas do ensino médio e fundamental fazem tantas restrições ao ensino da evolução, mesmo diante do consenso entre cientistas por toda a América e o resto do mundo de que a evolução é espinha dorsal da biologia moderna, e também uma realidade histórica demonstrável?

A grande maioria das pessoas não entende a ciência; o que ela é, como funciona, o que são hipóteses e teorias, ou mesmo qual o seu propósito. Infelizmente, mesmo aqueles no corpo docente ou Ministério da Educação geralmente precisam aprender mais sobre o assunto antes que se deixe que eles decidam como ou o que ensinar às nossas crianças e por isso eu resolvi me manifestar e fazer o que puder para ajudar.

Para entender adequadamente a evolução, você não somente tem que entender como ser científico (o que é o principal problema para a maioria das pessoas), mas você também deve saber algo sobre biologia celular, genética e anatomia, geologia (particularmente paleontologia), assim como sistemas ambientais, movimentos tectônicos, química atômica, e especialmente taxonomia, sobre a qual a maioria das pessoas não sabe nada de nada. A maioria das pessoas que aceitam a evolução também tende a saber muito sobre cosmologia, geologia, história, sociologia, politica, e é claro, religião.

Mas, para acreditar em criacionismo, você não tem que saber nada sobre nada, e é até melhor que você não saiba! Porque criacionismo depende da ignorância. Não é pesquisa honesta! É uma fraude, uma armação que explora o povo comum, e o aprisiona em suas crenças e medos mais profundos. Criacionistas apologistas dependem de dados alterados, citam frases de pessoas respeitadas, só que deturpadas, desatualizadas e fora do contexto, e usam definições distorcidas, isso quando usam definições.

Existem dois tipos básicos de criacionistas; os profissionais ou criacionistas políticos; esses são os ativistas que lideram o movimento e que irão mentir deliberadamente e regularmente para promover sua propaganda; o segundo tipo são os seguidores inocentemente enganados conhecidos geralmente como "ovelhas". Eu conheço vários intelectuais cristãos, mas não consigo na verdade fazer com que eles assistam aos "tele-evangelistas", porque eles, ou já sabem o quanto são falsos, ou não querem saber. Mas isso apenas permite que uma minoria radical consiga o apoio de uma massa que eles agora também afirmam representar.  Então não há nada que os possa deter. Criacionistas profissionais estão ganhando dinheiro fácil com fraudes de cura pela fé ou induzindo velhinhas a contribuir em troca de orações, ou vendendo livros e vídeos em seus encontros que mais parecem um circo, onde eles são imerecidamente respeitados como lideres poderosos. Todos eles afirmam possuir uma sabedoria que não adquiriram, e alguns afirmam ser graduados em especialidades que nunca cursaram.


"Você é um Cientista, Correto ?"
"Correto; Eu tenho PhD em verdadeologia pela Tech Cristã"

Se não fosse por essa fraude, eles teriam que voltar a vender carros usados, remédios milagrosos ou esquemas de pirâmide. Eles obviamente nunca mudarão de ideia, não importa o quanto a gente se esforce. Então são obviamente as "ovelhas" que eu estou tentando alcançar com esse discurso - para que não sejam mais ovelhas, e parem de alimentar esse movimento manipulador. Porque uma coisa é acreditar em algo que pode ser verdade (como Deus em geral ou o cristianismo em particular), apesar de nenhum dos dois poder ser verificado ou testado de maneira objetiva. Mas já é outra coisa querer enganar os outros, levando-os a acreditar em coisas que são definitivamente falsas - como criacionismo, especialmente quando nós podemos também provar que os que fazem tal coisa sabem que seus argumentos selecionados são falsos, e sabem que estão mentindo para nossas crianças, e que eles esperam continuar mentindo a pretexto de "educá-las".

Criacionistas conseguem apoio por meio de contactos pessoais, preconceitos e propaganda paranóica, e usam como argumento de "venda" frases de impacto simplistas que atraem aqueles que não querem pensar muito ou que têm medo de questionar suas próprias crenças. O pior de tudo é que eles realmente proíbem o pensamento crítico e defendem o anti-intelectualismo, e se baseiam em uma dúzia de mentiras básicas. A principal delas é que aceitar a evolução é o mesmo que rejeitar a Deus e às religiões.

Por décadas, os defensores do criacionismo se esforçaram em difundir a ilusão de que não é possível aceitar a evolução e ainda acreditar em Deus. Eles sabem que é mentira, mas, ainda assim, querem que você acredite em que evolucionismo é ateísmo, e que, ou temos evolução sem Deus ou Deus criando sem evolução. Esta foi sua doutrina básica desde os primeiros tempos do criacionismo. Acontece que a discussão nunca foi sobre se algum deus existe ou não. A maioria das pessoas acredita em que há um deus e que ele controla todos os acontecimentos de nossas vidas, por mais aleatórios que pareçam. Isto também se aplica às pessoas que aceitam a evolução. A maioria delas acredita em Deus e acham que Deus controla a evolução e que a evolução, assim como o resto dos fenômenos naturais, é parte do projeto divino.

Das centenas de denominações cristãs diferentes e - com frequência violentamente - conflitantes, a maior delas por boa margem é o catolicismo, seguido dos ortodoxos. Ambas declararam apoiar a evolução e questionaram o criacionismo. O papa Bento 16 recentemente descreveu a evolução como "uma realidade enriquecedora" e descreveu os argumentos criacionistas em contrário como "absurdos". Os 2 papas antes dele aconselharam os cristãos em todo mundo a considerar a evolução como "mais do que uma hipótese" e a não recear que isto seja uma ameaça à sua fé em Cristo.

Os pioneiros da ciência evolucionária eram todos, inicialmente, cristãos (inclusive Darwin) e muitos dos principais proponentes do evolucionismo moderno ainda são cristãos hoje. Por exemplo, o Dr. Ken Miller, microbiologista (que testemunhou contra o Design Inteligente no julgamento de Kitzmiller x Dover) - é um católico. Outro destacado proponente da evolução, Dr. Robert T. Bakker (quem tem PhDs de Harvard e Yale), é não apenas um dos principais e mais respeitados paleontologistas da atualidade, mas também é um pastor pentecostal, embora ele interprete o Gênesis diferente dos literalistas. Em seu livro "Ossos, Bíblias e Criação", ele diz que tratar a Bíblia como se fosse um livro histórico é degradar seu significado. Um dos mais antigos geneticistas, Theodosius Dobzhansky, era um cristão ortodoxo que várias vezes afirmou acreditar em que a vida foi criada por Deus, mas que a biologia só faz sentido à luz da evolução. Todos estes homens concordam com a ideia de que mesmo que haja realmente um deus, e que mesmo que esse deus seja o deus cristão, e que mesmo que esse deus tenha criado o universo com tudo o que há nele - e eles acreditam nisto - a evolução ainda seria verdadeira em sua maior parte, no mínimo, e o criacionismo ainda seria totalmente errado.

De todos os países cristão desenvolvidos, só os Estados Unidos têm um número significante de criacionistas e, mesmo lá, eles são minoria! Todos os outros países de maioria cristã tendem a ver o criacionismo como um movimento de uma minoria radical (se não insana) que é basicamente um fenômeno americano, que não é levado a sério em nenhum outro lugar. Pesquisa após pesquisa continua a mostrar que, em todo o mundo, a maioria dos evolucionistas é cristão e que a maioria dos cristãos é evolucionista. Portanto, evolução não é sinônimo de ateísmo e criacionismo não é sinônimo de cristianismo.
A maioria dos criacionistas sequer é cristã! Há milhões de criacionistas islamitas e hindus a mais que os cristãos.

Independente de que religião eles professam, o criacionismo pode ser definido, de forma coletiva, como a parte dos religiosos que rejeita a ciência, não apenas suas conclusões, mas também seus métodos, e eu falo de todos eles, do uniformitarianismo e naturalismo metodológico ao processo de submeter as hipóteses à análise pelos colegas cientistas, além de se exigir que qualquer afirmação positiva seja baseada em evidências testáveis. Estas pessoas, pelo contrário, confiam cegamente na validade de suas fábulas prediletas. Em todos os casos, o criacionismo é uma crença supersticiosa, obstinada e dogmática que afirma que os membros de grupos taxonomicamente semelhantes não evoluíram naturalmente, mas foram criados magicamente, ou seja, que plantas e animais surgiram repentinamente do nada, completamente formados, no seu estado atual, sem parentesco com nenhuma outra espécie - apesar de todas as evidências em contrário.

Os criacionistas podem se basear nas religiões abrâmicas ocidentais (os mitos judaicos, cristãos e islâmicos), que contêm versões conflitantes das mesmas lendas. Os criacionistas também podem pertencer a uma das muitas religiões orientais, cujos mitos da criação são bem mais antigos, completamente diferentes, e dedicados a outros deuses e panteões. Entretanto, em cada caso, o alegado "criador" é sobrenatural, significando que ele não é parte da realidade que percebemos. Portanto, ele não é detectável por nenhum meio testável e sua existência tem que ser aceita por razões emocionais subjetivas ou como resultado de doutrinação cultural, em lugar de ser uma conclusão lógica ou se basear em evidências mensuráveis. Em outras palavras, não há como dizer se ele realmente existe. Pior de tudo, não há como distinguir entre os deuses e fantasmas de alguém dos seres imaginários inventados por povos primitivos. Isto não significa que deuses não existam, mas significa que a ciência não tem nada a dizer sobre eles. Mesmo que deuses existam, eles continuam a parecer inexistentes - e, aparentemente, querem continuar assim - já que todos os livros sagrados exigem que sejam aceitos apenas pela fé. Já que não há nada que alguém possa fazer para verificar e determinar a verdade sobre os deuses, então a ciência não tem como comentar sobre eles. A ciência só pode investigar coisas com base em evidências demonstráveis que possam ser testadas ou medidas.
 
Do ponto de vista dos criacionistas, o método ou mecanismo de criação usado por esses seres místicos não é mais que um feitiço no qual estátuas de barro recebem vida por meio de um encanto. Ou é um feitiço em que toda a complexidade das plantas e animais de hoje surge de repente quando palavras mágicas são pronunciadas. É isso aí, palavras mágicas que fazem com que animais adultos, completamente desenvolvidos, surjam do nada. Puf! Ou que um deus simplesmente deseje que eles existam e eles aparecem. Tão simples! Mágica pura, por definição. Lembre-se disto na próxima vez em que você ouvir alguma coisa dita por um "cientista" da criação.

Portanto, para os que acreditam em Deus, a questão na verdade é como Deus criou o universo: se foi através de um processo complicado e gradual ou se ele simplesmente piscou, fez gestos mágicos e disse "abracadabra".
« Última modificação: 16 de Fevereiro de 2010, 11:33:46 por Fernando Silva »

Offline biscoito1r

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.739
  • 笑顔
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #3 Online: 14 de Fevereiro de 2010, 18:34:05 »
texto original:

Citar

The 1st Falsehood of creationism:
“evolution = atheism”
[/color][/i]

The U.S. population seems pretty evenly divided over whether the human species is biologically related to other animals or whether we were “specially-created” as part of a flurry of miracles.  Even our collective politicians -seemingly all of them- are wrapped up in this controversy.  Yet its hard to find even one of them who knows what its about.  Why is it that there is such concern in so many grade schools (K thru 12) about teaching evolution, yet there is still a complete consensus among scientists all over America and the rest of the world -that evolution is the backbone of modern biology, and a demonstrable reality historically as well?

Most people really don’t understand science; what it is, how it works, what hypotheses and theories are, or even the purpose behind it.  Sadly even those on your school faculty or state Board of Education often need an education themselves before they can be trusted to govern how or what our kids will be taught, and that’s why I thought I should speak up and do what I can to help.

To adequately understand evolution, you not only have to understand how to be scientific, (which is the real trick for most people) but you also have to know something about cellular biology, genetics, and anatomy, geology, particularly paleontology, as well as environmental systems, tectonics, atomic chemistry, and especially taxonomy, which most people don’t know squat about at all.  Most people who accept evolution also tend to know a whole lot about cosmology, geography, history, sociology, politics, and of course, religion.

But to believe in creationism, you don’t have to know anything about anything, and its better if you don’t!  Because creationism relies on ignorance.  It is not honest research!  It is a scam, a con job exploiting the common folk, and preying on their deepest beliefs and fears.  Creationist apologetics depends on misrepresented data and misquoted authorities, out-of-date and out-of-context, and uses distorted definitions if it uses definitions at all.

There are basically two types of creationists; the professional or political creationists; these are the activists who lead the movement and who will regularly deliberately lie to promote their propaganda; and the second type which are the innocently-deceived followers commonly known as “sheep”.  I know lots of intellectual Christians, but I can’t get any of them to actually watch the tele-evangelists, because they either already know how phony they are, or they don’t want to find out.  But that only allows a radical fringe to claim support from they masses they now also claim to represent.  So there’s nothing to stop them.  Professional creationists are making money hand over fist with faith-healing scams or bilking little old ladies out of prayer donations, or selling books and videos at their circus-like seminars where they have undeserved respect as powerful leaders.  All of them feign knowledge they can’t really possess, and some of them claim degrees they’ve never actually earned.

"You are a scientist, correct?"
"That's right; I have a PhD in truthology from Christian Tech."
[/i]

Were it not for this con, they’d have to go back to selling used cars, wonder drugs, and multi-level marketing schemes.  They will never change their minds no matter what it costs anyone else.  So it is obviously the “sheep” whom I’m attempting to reach with this speech –so that they might not be sheep anymore, and will stop feeding fuel into that manipulative movement.  Because its one thing to believe in something that might be true (like God in general or Christianity specifically) even though neither can be substantiated or tested in any objective way.  But it is a whole other matter to willfully deceive others into believing things which are definitely not true -like creationism, especially when we can also prove that those doing this know their assorted arguments are bogus, and know they’re lying to our children, and that they hope to continue doing so under the guise of “education”.

Creationism extorts support through peer-pressure, prejudice, and paranoid propaganda, and sells itself with short, simplistic slogans which appeal to those who don’t want to think too much, or are afraid to question their own beliefs.  Worst of all, it actually forbids critical inquiry, and promotes anti-intellectualism, and it is based on at least a dozen foundational falsehoods.  First and foremost among them is the idea that accepting evolution requires the rejection of theism, if not all other religious or spiritual beliefs as well.

For decades those behind the creationism movement have tried very hard to portray the illusion that one cannot accept evolution and still believe in God.   They know better, but they still want you to believe that evolution is atheist, and that it is either evolution without God, or God creating without evolution.  That’s been their central claim since the creationism movement began.  But this supposed controversy never was about whether or not there is a god. Most people believe there is a god, and they believe he is in control of all the seemingly-random events of our lives. This is true of most of the people who accept evolution also. Most of them believe in God as well, and they believe that God is in control of evolution; that evolution, like every other system in nature, is part of God’s design.

Of the couple hundred different, and often violently-conflicting denominations of Christianity, the largest of them by far is Catholicism followed by Orthodoxy.  Both of these have stated support of evolution and denounced creationism.  Pope Benedict recently described evolution as an “enriching reality” and described creationist contests against it as “absurd”.  Both of the popes before him advised Christians ‘round the world to consider evolution to be “more than an hypothesis” and not to fear acceptance of that as being any challenge to their faith in Christ.

The early pioneers of evolutionary science were all initially Christian, (including Darwin) and many leading proponents of modern evolutionary science are still Christian today. For example, microbiologist Dr. Ken Miller, (who testified against intelligent design creationism in Kitzmiller v. Dover) -is a Catholic. Another outspoken proponent of evolution, Dr. Robert T. Bakker, (who has PhDs from both Harvard and Yale) is not only one of the leading, and most recognizable paleontologists in the world today, but he also happens to be a Bible-believing Pentecostal preacher; though he interprets Genesis differently than literalists would.  In his book, Bones, Bibles and Creation, he says that to treat the Bible as though it were common history is to degrade its eternal meaning. One of the earliest geneticists, Theodosius Dobzhansky was an Orthodox Christian who many times professed his belief that life was created by God, but that nothing in biology made sense except in light of evolution.  All these men agree that even if there really is a god, and even if that god is the Christian god, and even if that god created the universe and everything in it, =which they all believe- evolution would still be at least mostly true, and creationism would still be completely wrong.

Of all the developed nations throughout Christendom, only the United States has a significant number of creationists, and they’re the minority even here!  Every other predominantly-Christian country tends to regard creationism as an incredulous, (if not insane) radical fringe movement which is an almost exclusively American phenomenon, and not taken seriously anywhere else.  Poll after poll continues to reveal that, around the world, most “evolutionists” are Christian, and most Christians are evolutionists.  So evolution is not synonymous with atheism, and creationism isn’t synonymous with Christianity either.  Most creationists aren’t even Christians!  There are millions more Muslim and Hindu creationists than Christian ones.

Regardless which religion they claim, creationism can be collectively defined as the fraction of religious believers who reject science, not just the conclusions of science, but its methods as well, and I mean all of them, from uniformitarianism and methodological naturalism to the peer review process and requirement that all positive claims be based on testable evidence.  These people rely instead on blind faith in the assumed authority of their favored fables. In all cases, creationism is an obstinate and dogmatic superstitious belief which holds that members of most seemingly-related taxonomic groups did not evolve naturally, but were created magically, -that plants and animals were literally poofed out of nothing fully-formed, in their current state, unrelated to anything else –despite all indications to the contrary.

Creationists may side with western Abrahamic religions, (being the Judeo-Christian/Islamic mythos) in which there are conflicting versions of the same tales. Or creationists may belong to one of many eastern religions where the sacred stories of creation are much older, completely different, and dedicated to other gods and pantheons. But in every case, the proposed "creator" is supernatural, meaning that it is not a part of perceptible reality. Therefore it is undetectable by any testable means, and can only be assumed to exist for subjective emotional reasons, or as a result of cultural indoctrination, rather than because of any measurable evidence or logical rationale. In other words, there’s no way to say if its really there.  Worst of all, there’s also no way to distinguish anyone’s gods or ghosts from the imaginary beings some primitive folks just made up either. This doesn’t mean no god exists.  But it does mean that science can’t say anything about them.  Because even if gods are real, they still don't appear to be, and apparently don't want to –since all the holy books demand they be believed on faith alone. As there is nothing anyone can verify and thus actually know to be correct about gods, then science is unable to make any comment about them at all. Because science can only ever investigate things with demonstrable evidence can be tested or measured.   

From the creationist’s perspective, the method or mechanism of creation which these mystical beings use is nothing more than a golem spell where clay statues are animated with an enchantment.  Or its an incantation in which complex modern plants and animals are "spoken" into being. That’s right, magic words which cause fully-developed adult animals to be conjured out of thin air. Or a god simply wishes them to exist; so they do. That’s it! There really is nothing more to it than that; pure freakin’ magic –by definition.  Remember that the next time you hear anything from a creation “scientist”.

So for those who believe in God, the question really is how God created, and whether it was by one of many inextricably integrated natural systems he seemingly designed, or whether he simply blinked, wiggled his nose, wished upon a star and said "abra-cadabera".
Be ashamed to die until you have won some victory for humanity

Offline biscoito1r

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.739
  • 笑顔
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #4 Online: 15 de Fevereiro de 2010, 02:39:05 »
Mais dois parágrafos, vou dormir  :lazy:

Citar
Criacionsitas extorquem apoio atraves de pressão de pares, preconceito, e propaganda paranoica, e se vende atraves de pequenos slogans que agradam a aqueles que não pensam muito, ou tem medo de questionar seus proprias crenças. Pior de tudo, toda as questões investigativas são proibidas, e o anti-intelectualismo é promovido, e baseado em pelo menos uma dúzia de fundamentos falsos. Em primeiro lugar entre eles é a ideia de que aceitar a evolução requere a rejeição do teísmo, ou até mesmo de todas as crenças religiosas e espirituais.


Por decadas aqueles por tras do movimento criacionista tem tentado muito caracterizar a ilusão de que não se pode aceitar a evolução e mesmo assim acreditar em Deus. Eles sabem que se pode, mas eles ainda quere que você acredite que evolução é ateismo, e que é evolução sem Deus, ou Deus criando sem evolução. Isso tem sido a afirmação deles desde o começo do movimento criacionista. Mas essa suposta controvérsia nunca foi se Deus existe ou não. A maioria das pessoas acredita que há um deus, e acreditam que ele esta sobre controle do eventos aparentemente aleatórios de nossas vidas. Isso é verdade para a maioria das pessoas que também aceitam a evolução. A maioria deles tmbém acreditam em Deus, e eles acreditam que Deus esta em controle da evolução; que evolução, como qualquer outro sistema na natureza, é parte do projeto de Deus.

Mais dois parágrafos, faltam mais 3, não tinha percebido que vc tinha traduzido mais. Seria bom se desse pra eu modificar o meu primeiro post.

Citar
De todas as nações desenvolvidas do mundo cristão, apenas os Estados Unidos têm um numero significante de criacionistas, e mesmo assim ainda são uma minoria ali ! Qualquer outra nação predominantemente cristã tente a considerar criacionismo como um duvidoso ( se não insano ) movimento radical que é um fenomeno quase que exclusivamente americano, e não é levado a sério em qualquer outro lugar. Enquete após enquete continua a revelar que , ao redor do mundo, a maioria dos "evolucionistas" são cristãos, e a maioria dos cristãos são evolucionistas. Então a evolução não é sinonimo de ateismo, e criacionismo não é sinonimo de cristianismo. A maioria dos criacionistas nem são cristãos! Existem milhões de criacionistas mulçumanos e hindus a mais que cristãos.

Independentemente da religião que alegam, criacionismo pode ser coletivamente definido como uma fração de crentes religiosos que rejeitam a ciencia, não apenas as conclusões da ciencia, mas também os seus metodos, por completo, do uniformitarianismo e naturalismo metodológico ao processo de revisão por pares e requerimentos de que todas as afirmações positivas devem ser baseadas em evidencias testáveis. No lugar disso essas pessoas se apoiam em fé cega em uma assumida autoridade vinda de suas fábulas favoritas. Em todos os casos, criacionismo é uma crença supersticiosa determinada e dogmática que mantém que membros dos grupos taxonomicos mais aparentemente relacionados não evoluiram naturalmente, mas foram criados por mágica - que plantas e animais surgiram literalmente de um "PUF" do nada, completamente formados, em seu estado atual, desrelacionados com qualquer outra coisa - apesar de todas as indicações do contrario.

« Última modificação: 16 de Fevereiro de 2010, 02:09:55 por biscoito1r »
Be ashamed to die until you have won some victory for humanity

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.679
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #5 Online: 16 de Fevereiro de 2010, 11:34:27 »
Zé fini.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #6 Online: 16 de Fevereiro de 2010, 13:27:01 »
Eu tenho contato com criacionistas, já que minha irmã é. No fim do mês passado eu fui visita-la na faculdade adventista e conheci o museu deles sobre a igreja adventista no Brasil. Pelo que sei são o maior núcleo criacionista no país.

E família é assim e em outra oportunidade minha irmã foi comigo na exposição do Darwin e apesar de achar tudo uma grande besteira achou interessante conhecer.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline biscoito1r

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.739
  • 笑顔
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #7 Online: 16 de Fevereiro de 2010, 17:21:12 »
Ok, agora nós precisamos de um voluntário que tenha a voz parecida com a do AronRa para narrar o texto.
Be ashamed to die until you have won some victory for humanity

Offline biscoito1r

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.739
  • 笑顔
Re: A Primeira Falsidade do Criacionismo
« Resposta #8 Online: 19 de Agosto de 2010, 23:21:56 »
Tomei vergonha e legendei o vídeo.
<a href="http://www.youtube.com/v/-RCbwHnCzVg?fs" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/-RCbwHnCzVg?fs</a>
Be ashamed to die until you have won some victory for humanity

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!