Autor Tópico: Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos  (Lida 21597 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline homemcinza

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 912
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #300 Online: 13 de Abril de 2016, 19:24:34 »
Citar

não crer é ser realista,encarar que existe um fim e não se sabe o que acontece depois.

então crê que existe um fim ?

para esta vida neste corpo, obviamente! não creio nisso, é um fato!

Citar
Citar
qual a correlação entre ser positivo e crer em vida pos morte? porque não crer seria pessimismo?
tudo que fazemos agora é movido pela crença de que haverá algo depois

fale por voce... geralmente crentes esperam recompensas no pos mortem. Alias este é um problema em crentes eles acham que o individuo não pode ser bom apenas por sem bom.

Citar
Citar
o sujeito pode muito bem ser positivo na vida e aceitar que não existe vida pos mortem. Ser positivo não necessariamente é crer em algo alem disso tudo aqui

de onde voce tirou essa correlação?[

se não houver um depois o agora se torna irrelevante

só para pessoas que realmente não se importam com seu próximo mas vivem bostejando que amam o próximo: crentes!
para quem realmente se importa com a vida nada é irrelevante.

Citar
Citar

 Não vejo outro motivo senão o motivo crental de achar que todos que estão embusca de coias do alem, deus espiritos ou metafisicos são pessoas do bem, positivas e todas que negam isso seriam pessimistas ou negativas?

melhora isso aí!

não ! fé não implica maior moralidade!

Mas não mesmo!!

Ceticismo é para poucos!

Offline Euler1707

  • Nível 24
  • *
  • Mensagens: 1.012
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #301 Online: 13 de Abril de 2016, 20:09:31 »
a ciência é que determina os limites da existência ?
Não, mas a realidade é quem determina os limites da ciência, e é por isso que coisas que são científicamente absurdas não devem ser levadas a sério. Um bom exemplo disso é a homeopatias.

Offline Spencer

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.409
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #302 Online: 13 de Abril de 2016, 21:57:41 »
 Sua crença é uma necessidade psicológica irracional.

Acho que colocações como essa não merecem resposta.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.112
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #303 Online: 13 de Abril de 2016, 23:08:24 »
Deixem-me dar um pitaco. Por sinal é um aspecto curioso na vida do homem.
O mundo, exceto uma minoria, é triste e cruel para uma massa imensa de criaturas. Todo o tipo de sofrimento e miséria, medos e incertezas, as enfermidades mais assustadoras.
Nem todos, naturalmente, creem numa vida após a morte. 

Mas este contingente de desesperados e sofredores não põe fim à vida, já que podem ficar de um instante para outro livres e se entregarem ao sono eterno. Por quê?
Eu, por volta dos meus 15 anos já havia planejado meu suicídio. A velhice e a doença me causavam horror. Ou seja, antes mesmo de enfrentar os fatos inevitáveis da vida eu já pensava em fugir deles. Então, estes que se encontram nestas tristes condições muito mais razão teriam e no entanto isto não acontece.
Por quê?
Alguém gostaria de tentar uma explicação?

Citar


Em alguns países, as cifras oficiais são falhas porque o suicídio é ilegal ou porque carrega um estigma, como acontece nos países católicos, levando os parentes a mentir sobre as causas da morte.

E muito países em desenvolvimento não têm registros das causas de morte de grandes parcelas de sua população. Assim, embora os países industrializados tenham gradativamente aumentado a precisão de suas estimativas, os números isoladamente traçam um quadro global distorcido.

Para contornar esses problemas, Chris Murray e seus colegas da Universidade Harvard e da OMS utilizaram os padrões de morte de um sistema chinês de coleta de dados, que fornece dados confiáveis para uma amostra representativa da população.
Ao número de suicídios registrados, acrescentaram uma porcentagem das mortes acidentais de causa desconhecida. A porcentagem escolhida foi baseada na proporção de mortes acidentais de causa conhecida que são suicídios.

A etapa seguinte consistiu em extrapolar, a partir dessas cifras, para o resto da população chinesa. Os resultados finais foram até um terço superiores às cifras originais divulgadas pelas autoridades chinesas. Jenkins, que até dezembro passado foi a principal responsável pelo setor de saúde mental do Departamento de Saúde britânico, se disse ``muito impressionada com a natureza meticulosa do trabalho... Convenceu-me''.

Causas desconhecidas

Quanto às teorias sobre o suicídio, as novas descobertas desafiam décadas de pesquisas. Desde os anos 50, os estudos feitos nos EUA, Reino Unido e outros países europeus concluíram que até 90% das pessoas que se matam sofrem de doenças psicológicas graves, principalmente depressão clínica grave e desordem afetiva bipolar (antigamente conhecida como doença maníaco-depressiva).

No Reino Unido, cerca de uma em cada seis pessoas que apresentam graves doenças mentais acaba se matando. ``O suicídio racional é tão raro que praticamente inexiste'', diz Jenkins. A principal exceção a essa regra amplamente aceita é que o abuso de drogas e as desordens de personalidade também contribuem para os suicídios entre adolescentes e adultos jovens no Ocidente.

É claro que as teorias ocidentais sobre os fatores que provocam o suicídio precisam incluir outros fatores predisponentes além da depressão, mesmo porque os índices de depressão são relativamente semelhantes em todas as partes do mundo, enquanto os índices de suicídio variam muito de um país industrializado a outro.

Além disso, existem evidências de que determinadas transformações sociais são acompanhadas pelo aumento nos índices de suicídio: por exemplo, índices mais altos de desemprego e a crescente fragilidade do casamento e de outros relacionamentos familiares têm coincidido com um aumento nos índices de suicídio nos jovens europeus, nos últimos 20 anos.

Alguns especialistas em suicídio argumentam que a urbanização também é prejudicial à saúde mental. Já em 1897 o sociólogo francês Emile Durkheim argumentou que a probabilidade de as pessoas cometerem suicídio é maior quando vivem em áreas urbanas pouco integradas, onde os indivíduos se sentem ``alienados'' da sociedade.

Pouco a pouco a idéia de que as cidades são antros de alienação, isolamento e, consequentemente, de suicídio foi crescendo entre trabalhadores na saúde e cientistas sociais, baseada em poucos dados.

Suicídios rurais

Na China, porém, os suicídios contrariam todas as regras. Em primeiro lugar, o vínculo entre doenças mentais e suicídio é muito menos evidente na China. Phillips acredita que é bem possível que menos de 50% dos chineses que cometem suicídio sofram de depressão diagnosticável como tal ou de qualquer outra doença mental.

Phillips especula que, na China, as tensões sociais talvez desempenhem um papel muito maior nos suicídios do que no Ocidente. As mulheres jovens representam uma parcela desproporcionalmente grande dos suicidas na China.
Phillips acredita que determinadas pressões sociais que quase não existem na Europa e nos EUA, como a obrigatoriedade de manter casamentos infelizes, de ocultar indiscrições sexuais, de conviver com sogras pouco amistosas ou os problemas de dinheiro -às vezes provocados por dívidas de jogos de azar, um passatempo muito popular na zona rural chinesa- podem se tornar intoleráveis.

Outros especulam que a política chinesa de controle de natalidade, que limita cada casal a ter um filho, e suas ramificações sociais, também possa agravar essas tensões. Mas a ausência de dados não permite que se tirem conclusões.

A infelicidade na família certamente parece pesar muito nos índices de suicídio de Xangai. Das 8.000 pessoas que telefonaram para o Disque-Saúde Mental da cidade num período de dois anos, a maioria queria falar de problemas com seus amantes e parceiros. Entre os não casados que telefonaram para o serviço, metade pediu ajuda para resolver problemas ligados a casos de amor.

Entre os casados, mais da metade disse estar tendo ``brigas conjugais e problemas de família''. Apesar disso, a visão de Phillips não se enquadra inteiramente na de outros especialistas.

Segundo Andrew Cheng, psiquiatra da Academica Sinica, em Taipé, Taiwan, que estuda o suicídio na ilha, dizer que os casos de depressão são mais raros na Ásia do que no Ocidente ou que as causas fundamentais de suicídio no Ocidente e no Oriente são diferentes é bobagem. E ele apresenta dados para justificar sua posição.

No início dos anos 90, Cheng estudou o suicídio em três grupos étnicos diferentes -duas populações nativas do Taiwan e os chineses da etnia han- no leste de Taiwan. Pelo menos 97% das pessoas que cometeram suicídio durante o período estudado tinham um histórico de doenças mentais, das quais as mais comuns eram depressão e alcoolismo.

Suas descobertas foram publicadas no ``Archives of General Psychiatry'', em 1995. ``Os antecedentes psiquiátricos do suicídio são os mesmos no Ocidente e no Oriente'', diz ele. Para decidir se ele ou Phillips tem razão, será preciso conseguir estimativas mais exatas sobre a extensão da depressão na China, além dos resultados do estudo de Pequim.

Ocidente e Oriente

Outro ponto de divergência entre Ocidente e Oriente é a escala relativa do suicídio na zona rural. Com índices de suicídios rurais três vezes superiores aos urbanos, pelo menos na China, o idílio rural parece não passar de mito. Em outro estudo baseado em Taiwan, Cheng constatou que as mulheres urbanas têm menos tendência a sofrer de depressão do que as rurais e argumentou que a idéia secular de que as cidades são nocivas à saúde mental é enganosa.

Mas, além das tensões sociais e da vida rural, existem outras explicações possíveis para os padrões de suicídio diferentes na China.

É possível que os altos índices nacionais de suicídio reflitam uma aceitação maior do suicídio na sociedade chinesa. O país tem uma história de suicídios honrados, e, segundo algumas interpretações do confucionismo, uma morte honrada é melhor do que uma vida sem honra. Mesmo assim, o budismo, de modo geral, não tolera o suicídio, e há vertentes do pensamento confuciano que tampouco.

Outra possibilidade é que talvez seja fácil demais cometer suicídio na China. Na zona rural, onde os índices são mais altos, o método mais comum de suicídio é o envenenamento com inseticidas, encontrados facilmente.

No Ocidente, os índices de suicídio caíram cada vez que um método testado e de eficácia comprovada deixou de ser facilmente utilizável -por exemplo, quando o gás obtido do carvão, altamente tóxico, deixou de ser usado na Inglaterra, sendo substituído pelo gás do mar do Norte.
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft060413.htm

Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.112
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #304 Online: 13 de Abril de 2016, 23:23:13 »
Sua crença é uma necessidade psicológica irracional.

Acho que colocações como essa não merecem resposta.

Se fosse racional, você não teria problema algum em dar crédito ao boi-tá-tá pelo fato de dar crédito à existência de espíritos. Para ser no mínimo coerente, há quem diga que o boi-tá-tá é, por assim dizer, uma espécie de espírito ruminante.

Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.996
  • Sexo: Masculino
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #305 Online: 14 de Abril de 2016, 00:26:44 »
Deixem-me dar um pitaco. Por sinal é um aspecto curioso na vida do homem.
O mundo, exceto uma minoria, é triste e cruel para uma massa imensa de criaturas. Todo o tipo de sofrimento e miséria, medos e incertezas, as enfermidades mais assustadoras.
Nem todos, naturalmente, creem numa vida após a morte. 

Mas este contingente de desesperados e sofredores não põe fim à vida, já que podem ficar de um instante para outro livres e se entregarem ao sono eterno. Por quê?
Eu, por volta dos meus 15 anos já havia planejado meu suicídio. A velhice e a doença me causavam horror. Ou seja, antes mesmo de enfrentar os fatos inevitáveis da vida eu já pensava em fugir deles. Então, estes que se encontram nestas tristes condições muito mais razão teriam e no entanto isto não acontece.
Por quê?
Alguém gostaria de tentar uma explicação?

Irônico nessas coisas e levando em consideração suicídio como uma espécie de indicador, as pessoas de países mais "bem de vida" se suicidam mais do que os mais ferrados, e acho que o mesmo ocorre mesmo dentro de uma mesma cultura.

Mas não sei se nesse tipo de comparação eles conseguem de alguma forma descontar matematicamente algo como "suicidas que morreram de outras causas, associadas à pior qualidade de vida, antes que pudessem ter se matado".

David Lester, professor de psicologia no Richard Schockton College em Nova Jersey, provavelmente pensou mais tempo, com mais profundidade e dos mais diferentes ângulos sobre o suicídio que qualquer outro ser humano. Em mais de 2.500 publicações acadêmicas, ele explorou a relação entre o suicídio e, entre outras coisas, abuso de drogas, depressão, felicidade, tipos de personalidade, doenças mentais, enxaquecas, etc. Ele tem uma teoria do suicídio que poderia ser chamada de "não posso botar a culpa em ninguém". No livro Pense Como Um Freak de Steven Levitt e Stephen Dubner, tem uma citação dele muito interessante sobre esse assunto:

"Quando uma pessoa está infeliz e pode culpar alguém ou alguma coisa - o governo, a economia ou algo mais -, fica mais ou menos imunizada contra o suicídio. É quando a pessoa não tem nenhuma causa externa para culpar pela própria infelicidade que o suicídio se torna mais provável. Tenho usado essa ideia para explicar por que as taxas de suicídio entre os afro-americanos são mais baixas, por que os cegos que recuperam a visão muitas vezes se tornam suicidas e porque as taxas de suicídio de adolescentes com frequência aumentam à medida que sua qualidade de vida melhoram."







Sua crença é uma necessidade psicológica irracional.

Acho que colocações como essa não merecem resposta.

Se fosse racional, você não teria problema algum em dar crédito ao boi-tá-tá pelo fato de dar crédito à existência de espíritos. Para ser no mínimo coerente, há quem diga que o boi-tá-tá é, por assim dizer, uma espécie de espírito ruminante.


"Irracional" não deve ser bem o termo mesmo. Até por ser algo exaustivamente racionalizado.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mecanismo_de_defesa#Racionalização

Offline Spencer

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.409
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #306 Online: 14 de Abril de 2016, 00:40:45 »
Vocês usam o vocábulo, racional, como se tudo o que se faz, pensa ou fala obedecesse a critérios claros e bem definidos da racionalidade. Isto está longe de ser verdade.
A Razão decorre de uma série de valores absolutamente relativos.
A razão, entre outras definições menos palatáveis, é resultado das experiências pessoais, das opiniões próprias  - as quais também sofrem a influência de outrem -  da ação inteligente, ou seja, aquela que empreendemos dentro da faixa evolutiva em que o conhecimento adquirido nos permite operar, e assim por diante.
Isto quer dizer que os indivíduos não nivelam seus atos, crenças, ideais ou objetivos, com base em uma razão indefectível, a qual serviria de crivo para o comportamento humano.
Diante destes componentes tão relativos depreende-se que cada indivíduo desenvolve um quantum de racionalidade que lhe está ao alcance.
Dentro deste mar de relatividade surge a crença que também tem suas fundamentações racionais. Subjetivas? Não importa pois a subjetividade também estará submetida a critérios pessoais e discutíveis.

Doravante, quando disserem que algo está fora da razão reflitam: qual razão, a minha?

Para aqueles que não conseguiram entender o exposto acima não adianta dizer:
"falou abobrinhas e não disse nada." Isto é peculiar aos microcéfalos.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #307 Online: 14 de Abril de 2016, 10:34:50 »
Spencer

Simples, porque você criou um quadro que suporta circularmente seu raciocínio, sem questionar os pressupostos por trás dele. Não é um segredo que o mundo que vivemos não é o Melhor dos Mundos Possíveis (MMP), mas a negação da hipótese do MMP não implica na aceitação de seu extremo oposto, o Pior dos Mundos Possíveis (PMP). Há uma série de estados possíveis entre o MMP e o PMP.

E o motivo de pessoas não se matarem é porque em geral, não há motivos para isso. Pessoas são resilientes, sabem lidar com seus problemas e geralmente cresceram de modo a desenvolver uma certa tolerância senão aceitação estoica a eles. Existem redes de suporte interpessoais que tornam tais problemas como algo comunal e não necessariamente individual. Existe o sempre-presente viés otimista que impele a maioria das pessoas (em geral, não depressivos) a reduzir o impacto psicológico e pessoal de problemas presentes e vindouros. Suicidas são um grupo minoritário e que tipicamente a não se reproduzem (embora proporcionalmente, suicídio é mais comum em homens de meia-idade e velhos, mas esses grupos sempre foram historicamente minoritários comparados a jovens e crianças).

se o  fim do sofrimento   é inevitável então por que ficar adiando?

Qual é o sentido em querer continuar vivendo ?
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #308 Online: 14 de Abril de 2016, 11:09:05 »


Se você está tentando demonstrar que isso é prova da existência de Deus ou da fé mesmo dos céticos, eu devolvo a seguinte pergunta:

Se no céu ou pós-vida viveríamos num paraíso eternamente, por que os crentes não se suicidam?

simples: " todo mundo deseja ir para o céu, mas morrer ninguém quer"
instinto de sobrevivência , medo do desconhecido, intuição moral
Esperança que a vida continuará.


Citar
O fato desta vida ser a única faz com que os céticos tentem tirar o máximo delas, talvez por isso não se matam.
ha...ha.....ha...ha....ha..ha....tentam economizar vidas que afirmam que irão perde-la, ateismo sem sentido de fato é ilógico!
se o fim é inevitável , que te importa os meios para alcança-lo ?
não importa direção nem o sentido se o final será o mesmo
perdidos dentro de um labirinto onde a unica saída é a fatal inexistência, ainda se iludem escolhendo o melhor caminho?
será que estão tentando enxergar uma luz no final do túnel ?


existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #309 Online: 14 de Abril de 2016, 11:21:32 »

Instinto de sobrevivência. A vida não surgiu da facilidade, não é natural ter abundância nem felicidade. Pra nenhum tipo de vida. Se hoje vivemos numa sociedade melhor que antes é devido ao nosso esforço, ao uso da nossa razão. Você quer do Universo uma razão pra insignificância cósmica da vida, essa coisa tão frágil e sem sentido. Sua crença é uma necessidade psicológica irracional. Você precisa acreditar, se apega a qualquer coisa pra isso.
se como cético afirma que a vida não faz sentido, querer continuar vivendo faz menos sentido ainda , então a questão do Spencer é pertinente.
por que querer continuar vivendo sem nenhum sentido ?
Esta sua crença  tambem  é irracional ?

Não existe crenças irracionais e sim crenças mais ou menos racional e crer que a sua racionalidade esta acima das outras é uma boa evidencia disto .
« Última modificação: 14 de Abril de 2016, 12:39:33 por Criaturo »
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #310 Online: 14 de Abril de 2016, 11:53:10 »
ha...ha.....ha...ha....ha..ha....tentam economizar vidas que afirmam que irão perde-la, ateismo sem sentido de fato é ilógico!
se o fim é inevitável , que te importa os meios para alcança-lo ?
não importa direção nem o sentido se o final será o mesmo
perdidos dentro de um labirinto onde a unica saída é a fatal inexistência, ainda se iludem escolhendo o melhor caminho?
será que estão tentando enxergar uma luz no final do túnel ?

Porque o importante é a jornada.  :wink:

E a vida não acaba quando a gente morre. A gente deixa um legado, a cultura, que é a base de nossa civilização.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #311 Online: 14 de Abril de 2016, 13:02:32 »
ha...ha.....ha...ha....ha..ha....tentam economizar vidas que afirmam que irão perde-la, ateismo sem sentido de fato é ilógico!
se o fim é inevitável , que te importa os meios para alcança-lo ?
não importa direção nem o sentido se o final será o mesmo
perdidos dentro de um labirinto onde a unica saída é a fatal inexistência, ainda se iludem escolhendo o melhor caminho?
será que estão tentando enxergar uma luz no final do túnel ?

Porque o importante é a jornada.  :wink:
uma jornada sem nenhum sentido ?

Citar
E a vida não acaba quando a gente morre. A gente deixa um legado, a cultura, que é a base de nossa civilização.
tipo "um pé la outro aqui ?
ha...ha..ha.ha.ha.ha...não me venha com churumelas ou prêmios de consolação,  a questão se ha ou não um sentido para vida , no seu caso o sentido seria ter suas ações perpetuadas ?
isto é que eu chamo de continuar tendo fé até depois de morto!  :histeria:
quem é que te garante que depois de morto continuará existindo vida para outros?
Infelizmente caso sua fé esteja correta, agora este é o sentido que ainda te move, mas deixará de existir junto com a sua crença.  :'( :adeus:
Bonito isso, muito bonito! pena que depois de morto para voce isto não fará mais nenhum sentido



existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #312 Online: 14 de Abril de 2016, 13:34:24 »


tudo que fazemos agora é movido pela crença de que haverá algo depois
fale por voce... geralmente crentes esperam recompensas no pos mortem. Alias este é um problema em crentes eles acham que o individuo não pode ser bom apenas por sem bom.
entenda recompensas como  lei da evolução racional
bondade é uma grande ilusão , só existe interesse no ser, se não não seriamos  :hihi:
Todo esforço para darmos o próximo passo é baseado na fé
A fé é o que nos move


se não houver um depois o agora se torna irrelevante
Citar
só para pessoas que realmente não se importam com seu próximo mas vivem bostejando que amam o próximo: crentes!
para quem realmente se importa com a vida nada é irrelevante.
que se importa com a vida não afirma que nela não ha nenhum sentido
E achar se bom é mais uma ilusão de quem não consegue perceber interesses

Citar
Não vejo outro motivo senão o motivo crental de achar que todos que estão embusca de coias do alem, deus espiritos ou metafisicos são pessoas do bem, positivas e todas que negam isso seriam pessimistas ou negativas?
crentes possuem esperança na vida, céticos na morte
e o único bem que todos procuram  é o bem próprio


existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #313 Online: 14 de Abril de 2016, 13:45:27 »
a ciência é que determina os limites da existência ?
Não, mas a realidade é quem determina os limites da ciência, e é por isso que coisas que são científicamente absurdas não devem ser levadas a sério. Um bom exemplo disso é a homeopatias.

o problema é que voce não pode sentir o mesmo que eu sinto logo não podemos compartilhar da mesma realidade,. isto faz da ciência algo relativo a consciência do ser.
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline El Elyon

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 689
  • Sexo: Masculino
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #314 Online: 14 de Abril de 2016, 14:04:29 »
Citar
se o  fim do sofrimento   é inevitável então por que ficar adiando?

Qual é o sentido em querer continuar vivendo ?

Agora vemos o viés negativístico em ação, sempre abusado quando monoteístas éticos precisam lidar com outras perspectivas de vida. Reexamine essa questão utilizando pressupostos diferentes sobre sofrimento, satisfação, propósito (telos) e morte e terá sua resposta. Recomendo que comece com um trecho do Novo Testamento, Mateus 7:3-5.  :)
"As long as the Colossus stands, Rome will stand, when the Colossus falls, Rome will also fall, when Rome falls, so falls the world."

São Beda.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #315 Online: 15 de Abril de 2016, 14:36:31 »
estou argumentando lógica e não religião.
segundo céticos a unica perspectiva  de vida é a breve inexistência, se é inevitável então  faz menos  sentido ficar adiando o ultimo suspiro!
e nisto onde esta a hipocrisia ou contradição ?
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline El Elyon

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 689
  • Sexo: Masculino
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #316 Online: 16 de Abril de 2016, 01:36:30 »
Citar
estou argumentando lógica e não religião.

Exatamente por isso eu pedi que reexaminasse seus pressupostos quanto ao tópico. Por isso citei Mateus 7, especialmente o trecho: "Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu?" :)

Citar
segundo céticos a unica perspectiva  de vida é a breve inexistência, se é inevitável então  faz menos  sentido ficar adiando o ultimo suspiro!

Viés negativístico, majoritariamente.

Você está assumindo que há algo particularmente sombrio, desagradável, problemático ou desprovido de sentido existencial na perspectiva dessa vida ser a única - o que é uma consequência do seu pressuposto das múltiplas existências e/ou eternidade. Ou seja, como recomendei antes "tire primeiro a viga do seu olho" antes de emitir o seu julgamento. Não é a sua lógica que é falha, e sim seus pressupostos que conduzem a uma conclusão questionável.

Citar
e nisto onde esta a hipocrisia ou contradição ?

Eu não acusei você de hipocrisia ou contradição, embora faça aqui uma mea culpa porque o trecho bíblico que citei pode ser interpretado assim. Peço desculpas se foi o caso. :)
"As long as the Colossus stands, Rome will stand, when the Colossus falls, Rome will also fall, when Rome falls, so falls the world."

São Beda.

Offline Spencer

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.409
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #317 Online: 16 de Abril de 2016, 08:29:37 »
Por qual outra razão alguém que reconhecidamente está em grave erro teria o direito de apontar erro menor em seu semelhante? - trecho evang. citado -

possibilidades
  • apostar na ingenuidade de seus pares, dissimulando sua condição
     
    2. disfunção mental
     
     

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #318 Online: 16 de Abril de 2016, 09:11:22 »
Citar
estou argumentando lógica e não religião.

Exatamente por isso eu pedi que reexaminasse seus pressupostos quanto ao tópico. Por isso citei Mateus 7, especialmente o trecho: "Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu?" :)

Citar
segundo céticos a unica perspectiva  de vida é a breve inexistência, se é inevitável então  faz menos  sentido ficar adiando o ultimo suspiro!

Viés negativístico, majoritariamente.

Você está assumindo que há algo particularmente sombrio, desagradável, problemático ou desprovido de sentido existencial na perspectiva dessa vida ser a única - o que é uma consequência do seu pressuposto das múltiplas existências e/ou eternidade. Ou seja, como recomendei antes "tire primeiro a viga do seu olho" antes de emitir o seu julgamento. Não é a sua lógica que é falha, e sim seus pressupostos que conduzem a uma conclusão questionável.

sugere que céticos são mais racionais por aceitarem o inevitável, vêem uma unica e breve vida como um casual premio de consolação, que procuram agarrar-se com unhas e dentes? Esse é o sentido que te move ao encontro da falta de razão?
Céticos são racionais humildes conformados com  a pouca vida que o acaso lhes proporciona, crentes são seres ambiciosos que sonham com a impossível eterna  existência ?
Dentro dessas crenças que são os otimistas e quem são os pessimistas ?

uma coisa é inegável, seres menos racionais são mais otimistas e felizes, a ignorancia é um benção!

Citar
Eu não acusei você de hipocrisia ou contradição, embora faça aqui uma mea culpa porque o trecho bíblico que citei pode ser interpretado assim. Peço desculpas se foi o caso. :)
considerando como verdade que céticos ja estejam "conformados" com uma unica e breve existência, isto faz dos crentes seres tolos e iludidos por um falso otimismo.
então não tenho porque desculpa-lo por ser  mais racional! :chorando:
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

Offline El Elyon

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 689
  • Sexo: Masculino
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #319 Online: 16 de Abril de 2016, 15:57:33 »
Citação de: Criaturo
sugere que céticos são mais racionais por aceitarem o inevitável, vêem uma unica e breve vida como um casual premio de consolação, que procuram agarrar-se com unhas e dentes?

Não.

Citação de: Criaturo
Esse é o sentido que te move ao encontro da falta de razão?

Também não.

Citação de: Criaturo
Céticos são racionais humildes conformados com  a pouca vida que o acaso lhes proporciona, crentes são seres ambiciosos que sonham com a impossível eterna  existência ?

É uma das interpretações possíveis. Ao menos fez algum esforço para compreender outra perspectiva fora dos pressupostos que toma como verdadeiro.  :)

Citação de: Criaturo
Dentro dessas crenças que são os otimistas e quem são os pessimistas ?

Ambos podem ser interpretados como otimistas e pessimistas, já que essas características provavelmente independem de cosmovisão.

Citação de: Criaturo
uma coisa é inegável, seres menos racionais são mais otimistas e felizes, a ignorancia é um benção!

Que evidências possui para suportar tais afirmativas? E especialmente, porque deseja tanto racionalizar sua crença quando admite de antemão que isso o tornaria menos otimista e feliz?  :)

Citação de: Criaturo
considerando como verdade que céticos ja estejam "conformados" com uma unica e breve existência, isto faz dos crentes seres tolos e iludidos por um falso otimismo.

Não necessariamente - podem haver outros benefícios ou malefícios da adoção de crenças post-mortem que independem da veracidade dessa crença.

Citação de: Criaturo
então não tenho porque desculpa-lo por ser  mais racional! :chorando:

Racionalidade/Lógica é uma mera questão de formalidade, de saber regras para certas formas de argumentos e como montá-los. Nada além disso.
"As long as the Colossus stands, Rome will stand, when the Colossus falls, Rome will also fall, when Rome falls, so falls the world."

São Beda.

Offline Criaturo

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.292
  • Sexo: Masculino
  • "sinto logo existo"
Re:Uma Investigação de Médiuns que Alegam Receber Informações Sobre Mortos
« Resposta #320 Online: 18 de Abril de 2016, 13:48:41 »


Citação de: Criaturo
Céticos são racionais humildes conformados com  a pouca vida que o acaso lhes proporciona, crentes são seres ambiciosos que sonham com a impossível eterna  existência ?

É uma das interpretações possíveis. Ao menos fez algum esforço para compreender outra perspectiva fora dos pressupostos que toma como verdadeiro.  :)

procuro sempre ver a razão por sentidos contrários mesmo quando contrariam minha vontade.
respeitando a máxima: "aceita que dói menos!"  :hihi:


Criaturo: uma coisa é inegável, seres menos racionais são mais otimistas e felizes, a ignorancia é um benção!

Citar
Que evidências possui para suportar tais afirmativas? E especialmente, porque deseja tanto racionalizar sua crença quando admite de antemão que isso o tornaria menos otimista e feliz?  :)

formigas não choram nem ficam deprimidas ao verem um tamanduá devorando sua família inteira, ja animais mais racionais como elefantes e cachorros, sim!
mas o mais racional se preocupa com a morte como se fosse a coisa mais importante da vida, sempre correndo contra o inevitável tempo .

respondendo sua questão, porque Adão tambem desejou abrir mão do paraíso em troca do conhecimento ? R: preferiu ser um livre sofredor do que um  escravo feliz....ha....ha...ha..ha..ha..ha
Talvez eu ja tenha sido uma formiga que desejou ser homem.

Criaturo:considerando como verdade que céticos ja estejam "conformados" com uma unica e breve existência, isto faz dos crentes seres tolos e iludidos por um falso otimismo.

Citar
Não necessariamente - podem haver outros benefícios ou malefícios da adoção de crenças post-mortem que independem da veracidade dessa crença.
sim a ignorância em certos casos como no da morte é uma benção destinada aos seres mais irracionais, ao passo que a maior racionalidade humana neste caso pode ser um tormento aos crentes ao ponto de criarem a ilusão da vida eterna e a conformidade do céticos se verdadeira.
talvez a crença tenha como beneficio a boa ação pela coação  de sofrer no inferno,mas o que se esperar de pessoas que desdenham das leis dos homens e de Deus? sabendo que a vida lhes sera curta que a morte sera breve para todos, que lhes importam o caminho a seguir , quando só ha um buraco escuro a cair ? por se sacrificar percorrendo os caminhos mais penosos? Qual seria o sentido disso, ja que só ha uma unica direção apontando para  The End



« Última modificação: 18 de Abril de 2016, 13:59:12 por Criaturo »
existência é igual a  ciência, sem nenhuma ciência sem existência.

Amo sofia mas, ela parece fugir de mim, de tão longe faz o meu amor platônico.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!