Autor Tópico: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade  (Lida 38005 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #75 Online: 31 de Maio de 2011, 17:50:04 »
Pergunta: digamos que criemos androides com movimentos tão elegantes quanto os humanos ou melhores e com inteligência artificial boa o bastante para eles trabalharem com autonomia. Como vocês acham que seria o impacto desses robôs na economia? Eles substituiriam os humanos em todos os trabalhos braçais? Que mercado absorveria os seres humanos? Os robôs só roubariam os nossos empregos ou eles poderiam ser a nossa salvação para o problema da previdência social? O ludismo ia voltar com força?

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #76 Online: 31 de Maio de 2011, 18:13:06 »
Pergunta: digamos que criemos androides com movimentos tão elegantes quanto os humanos ou melhores e com inteligência artificial boa o bastante para eles trabalharem com autonomia. Como vocês acham que seria o impacto desses robôs na economia? Eles substituiriam os humanos em todos os trabalhos braçais? Que mercado absorveria os seres humanos? Os robôs só roubariam os nossos empregos ou eles poderiam ser a nossa salvação para o problema da previdência social? O ludismo ia voltar com força?

Será uma ótima oportunidade da humanidade se livrar de ter que executar os trabalhos chatos, ou até mesmo todo e qualquer tipo de trabalho. Assim, poderemos utilizar o ócio criativo e nos dedicarmos a atividades que realmente nos interessem, como arte, esporte, ciência etc. Estaremos mais próximo de algo que possamos chamar de "livres", sem a obrigação de horários a cumprir em jornadas de trabalho e a pressão de ter que trabalhar, na maioria da vezes em algo que não se gosta muito, só para ganhar dinheiro.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #77 Online: 31 de Maio de 2011, 18:20:59 »
Pergunta: digamos que criemos androides com movimentos tão elegantes quanto os humanos ou melhores e com inteligência artificial boa o bastante para eles trabalharem com autonomia. Como vocês acham que seria o impacto desses robôs na economia? Eles substituiriam os humanos em todos os trabalhos braçais? Que mercado absorveria os seres humanos? Os robôs só roubariam os nossos empregos ou eles poderiam ser a nossa salvação para o problema da previdência social? O ludismo ia voltar com força?

Será uma ótima oportunidade da humanidade se livrar de ter que executar os trabalhos chatos, ou até mesmo todo e qualquer tipo de trabalho. Assim, poderemos utilizar o ócio criativo e nos dedicarmos a atividades que realmente nos interessem, como arte, esporte, ciência etc. Estaremos mais próximo de algo que possamos chamar de "livres", sem a obrigação de horários a cumprir em jornadas de trabalho e a pressão de ter que trabalhar, na maioria da vezes em algo que não se gosta muito, só para ganhar dinheiro.

Sou um pouco mais cínico quanto a isso: é mais simples usar um robô avançado como um avatar de telepresença. Daí que é possível eliminar o risco
de alguns trabalhos (ex.: mineração) sem eliminar o tédio. Robôs assim seriam úteis também na guerra, vide o que já está acontecendo no Afeganistão,
onde VANTs estão substituindo em parte os aviões tripulados.


EDIT: Não devemos também esquecer da aplicação da Regra 34 da Internet para outras áreas da tecnologia.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #78 Online: 31 de Maio de 2011, 18:31:26 »
Será uma ótima oportunidade da humanidade se livrar de ter que executar os trabalhos chatos, ou até mesmo todo e qualquer tipo de trabalho. Assim, poderemos utilizar o ócio criativo e nos dedicarmos a atividades que realmente nos interessem, como arte, esporte, ciência etc. Estaremos mais próximo de algo que possamos chamar de "livres", sem a obrigação de horários a cumprir em jornadas de trabalho e a pressão de ter que trabalhar, na maioria da vezes em algo que não se gosta muito, só para ganhar dinheiro.

Mas há um limite para artistas, esportistas e cientistas que o mercado pode absorver, né? Estamos falando de arrumar uma nova ocupação para uma parte significativa da sociedade, que hoje executa trabalhos simples e enfadonhos, que poderiam ser assumidos por androides com IA.

EDIT: Não devemos também esquecer da aplicação da Regra 34 da Internet para outras áreas da tecnologia.


Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #79 Online: 31 de Maio de 2011, 18:41:33 »
Pergunta: digamos que criemos androides com movimentos tão elegantes quanto os humanos ou melhores e com inteligência artificial boa o bastante para eles trabalharem com autonomia. Como vocês acham que seria o impacto desses robôs na economia? Eles substituiriam os humanos em todos os trabalhos braçais? Que mercado absorveria os seres humanos? Os robôs só roubariam os nossos empregos ou eles poderiam ser a nossa salvação para o problema da previdência social? O ludismo ia voltar com força?

Será uma ótima oportunidade da humanidade se livrar de ter que executar os trabalhos chatos, ou até mesmo todo e qualquer tipo de trabalho. Assim, poderemos utilizar o ócio criativo e nos dedicarmos a atividades que realmente nos interessem, como arte, esporte, ciência etc. Estaremos mais próximo de algo que possamos chamar de "livres", sem a obrigação de horários a cumprir em jornadas de trabalho e a pressão de ter que trabalhar, na maioria da vezes em algo que não se gosta muito, só para ganhar dinheiro.

Sou um pouco mais cínico quanto a isso: é mais simples usar um robô avançado como um avatar de telepresença. Daí que é possível eliminar o risco
de alguns trabalhos (ex.: mineração) sem eliminar o tédio. Robôs assim seriam úteis também na guerra, vide o que já está acontecendo no Afeganistão,
onde VANTs estão substituindo em parte os aviões tripulados.

Mas a parte boa de robôs autônomos "inteligentes" é poder deixar eles fazerem tudo enquanto agente só faz o que quer. :D


Citar
EDIT: Não devemos também esquecer da aplicação da Regra 34 da Internet para outras áreas da tecnologia.

E que regra seria esta? (Desculpando a ignorancia)

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #80 Online: 31 de Maio de 2011, 18:45:35 »
Será uma ótima oportunidade da humanidade se livrar de ter que executar os trabalhos chatos, ou até mesmo todo e qualquer tipo de trabalho. Assim, poderemos utilizar o ócio criativo e nos dedicarmos a atividades que realmente nos interessem, como arte, esporte, ciência etc. Estaremos mais próximo de algo que possamos chamar de "livres", sem a obrigação de horários a cumprir em jornadas de trabalho e a pressão de ter que trabalhar, na maioria da vezes em algo que não se gosta muito, só para ganhar dinheiro.

Mas há um limite para artistas, esportistas e cientistas que o mercado pode absorver, né? Estamos falando de arrumar uma nova ocupação para uma parte significativa da sociedade, que hoje executa trabalhos simples e enfadonhos, que poderiam ser assumidos por androides com IA.

Mas o detalhe é que poderemos fazer estas coisas (ser artista, ou esportista, ou cientistas, ou ...) sem a necessidade de que exista mercado para isto, pois não fariamos mais por dinheiro mas apenas por diversão e ideologia. Nem todos precisariam ser grandes artistas, nem grandes esportistas, nem grandes cientistas... só se contentariam em fazer o que gostam porque gostam. Além disso, a pessoa poderia se dedicar a outras coisas, além destas três ou simplesmente só se divertir ou não fazer porcaria nenhuma o dia todo :D

Offline SnowRaptor

  • Webmaster
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 17.961
  • Sexo: Masculino
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #81 Online: 31 de Maio de 2011, 18:49:30 »
Citar
EDIT: Não devemos também esquecer da aplicação da Regra 34 da Internet para outras áreas da tecnologia.
E que regra seria esta? (Desculpando a ignorancia)

É sério que vc tem todos esses sonhos molhados com tecnologia e não conhece a regra 34???
Elton Carvalho

Antes de me apresentar sua teoria científica revolucionária, clique AQUI

“Na fase inicial do processo [...] o cientista trabalha através da
imaginação, assim como o artista. Somente depois, quando testes
críticos e experimentação entram em jogo, é que a ciência diverge da
arte.”

-- François Jacob, 1997

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #82 Online: 31 de Maio de 2011, 19:00:23 »
Citar
EDIT: Não devemos também esquecer da aplicação da Regra 34 da Internet para outras áreas da tecnologia.
E que regra seria esta? (Desculpando a ignorancia)

É sério que vc tem todos esses sonhos molhados com tecnologia e não conhece a regra 34???

Cara, num sei da onde você tira essa de "sonho molhado". Segunda vez que escreve isto. Acho que ta me confundindo com algum parente seu. :D Ou sei lá, se você costuma se masturbar com o seu aspirador de pó, isto é algo intimo seu. Não fique achando que todo mundo faz este tipo de coisa também.

E sobre a tal regra 34, eu conheço sim, só escrevi que não conheço por que eu gosto de encher o saco. (Claro que eu não conheço!)
« Última modificação: 31 de Maio de 2011, 19:13:17 por ByteCode »

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #83 Online: 31 de Maio de 2011, 19:16:57 »
Mas o detalhe é que poderemos fazer estas coisas (ser artista, ou esportista, ou cientistas, ou ...) sem a necessidade de que exista mercado para isto, pois não fariamos mais por dinheiro mas apenas por diversão e ideologia. Nem todos precisariam ser grandes artistas, nem grandes esportistas, nem grandes cientistas... só se contentariam em fazer o que gostam porque gostam. Além disso, a pessoa poderia se dedicar a outras coisas, além destas três ou simplesmente só se divertir ou não fazer porcaria nenhuma o dia todo :D

Não faríamos mais por dinheiro? E como você se alimentaria, pagaria aluguel, contas, compraria bugigangas, etc? Como essa economia ia funcionar?

E sobre a tal regra 34, eu conheço sim, só escrevi que não conheço por que eu gosto de encher o saco. (Claro que eu não conheço!)

Como é que você usa a internet se não conhece as regras?


Offline FZapp

  • Administradores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.924
  • Sexo: Masculino
  • El Inodoro Pereyra
    • JVMC
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #84 Online: 31 de Maio de 2011, 22:04:29 »
Pergunta: digamos que criemos androides com movimentos tão elegantes quanto os humanos ou melhores e com inteligência artificial boa o bastante para eles trabalharem com autonomia. Como vocês acham que seria o impacto desses robôs na economia? Eles substituiriam os humanos em todos os trabalhos braçais? Que mercado absorveria os seres humanos? Os robôs só roubariam os nossos empregos ou eles poderiam ser a nossa salvação para o problema da previdência social? O ludismo ia voltar com força?

Será uma ótima oportunidade da humanidade se livrar de ter que executar os trabalhos chatos, ou até mesmo todo e qualquer tipo de trabalho. Assim, poderemos utilizar o ócio criativo e nos dedicarmos a atividades que realmente nos interessem, como arte, esporte, ciência etc. Estaremos mais próximo de algo que possamos chamar de "livres", sem a obrigação de horários a cumprir em jornadas de trabalho e a pressão de ter que trabalhar, na maioria da vezes em algo que não se gosta muito, só para ganhar dinheiro.

Ou nos matar uns aos outros, que é o nosso esporte predileto.

Por que sempre serei tão Philip K Dick e muito menos Huxley ou Clarke para as predições ?

Primeiro : criar inteligencia é mais fácil do que defini-la. Então primeiro deveriamos entender as aplicações econômicas antes de predizer coisas esquisitas que não vão colar.
Segundo: ss aplicações que vejo são sistemas especialistas, como um robô-cirurgião. Isso não quer dizer que não haverá médicos humanos, mas que rapidamente estarão mais longe dos trabalhos 'braçais' como cauterizar ou realizar cortes que (ainda) hoje somente cirurgiões fazem.
Também a resolução de problemas complexos como os da física, microbiologia ou atmosfera hoje são impossíveis sem máquinas, e com sistemas especialistas 'aprendendo' teremos gênios da física assim como predições metereológicas cada vez mais  acertadas e globais.

Mas daí a pensar em 'super-humanos', há algo que me incomoda: não são humanos, nunca serão, por mais que tentemos fazê-los 'à nossa imagem e semelhança'. Podem ter super-estruturas, mas a estrutura bípeda-mamífera é única tanto na sua perfeição como nos seus defeitos, para que imitá-la ? E as coisas complicam quando não estamos falando em dois braços ou uma coluna, e sim em ética, comunidade, ou coisas idiotas como religião. E o ser humano, beleive me, não está preparado para isso, vamos estragar as coisas, he.
--
Si hemos de salvar o no,
de esto naides nos responde;
derecho ande el sol se esconde
tierra adentro hay que tirar;
algun día hemos de llegar...
despues sabremos a dónde.

"Why do you necessarily have to be wrong just because a few million people think you are?" Frank Zappa

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #85 Online: 07 de Junho de 2011, 14:37:46 »
Mas o detalhe é que poderemos fazer estas coisas (ser artista, ou esportista, ou cientistas, ou ...) sem a necessidade de que exista mercado para isto, pois não fariamos mais por dinheiro mas apenas por diversão e ideologia. Nem todos precisariam ser grandes artistas, nem grandes esportistas, nem grandes cientistas... só se contentariam em fazer o que gostam porque gostam. Além disso, a pessoa poderia se dedicar a outras coisas, além destas três ou simplesmente só se divertir ou não fazer porcaria nenhuma o dia todo :D

Não faríamos mais por dinheiro? E como você se alimentaria, pagaria aluguel, contas, compraria bugigangas, etc? Como essa economia ia funcionar?

Economia Baseada em Recursos. Se for do seu interesse, pesquise sobre "Projeto Vênus".

Citar
E sobre a tal regra 34, eu conheço sim, só escrevi que não conheço por que eu gosto de encher o saco. (Claro que eu não conheço!)
Como é que você usa a internet se não conhece as regras?



Tantas são as coisas utilizadas neste mundo sem se saber as regras :D

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #86 Online: 07 de Junho de 2011, 14:50:32 »
...daí a pensar em 'super-humanos', há algo que me incomoda: não são humanos, nunca serão, por mais que tentemos fazê-los 'à nossa imagem e semelhança'. Podem ter super-estruturas, mas a estrutura bípeda-mamífera é única tanto na sua perfeição como nos seus defeitos, para que imitá-la ? E as coisas complicam quando não estamos falando em dois braços ou uma coluna, e sim em ética, comunidade, ou coisas idiotas como religião. E o ser humano, beleive me, não está preparado para isso, vamos estragar as coisas, he.

Concordo com você, em certo ponto do caminho deixaríamos de sermos seres humanos. Ao meu ver, seriamos uma nova espécie, uma evolução do homo sapiens sapiens. A natureza as vezes dá saltos evolutivos, que biólogos chamam de Equilíbrio Pontuado. Nós mesmos, seres humanos, acredito eu, somos produtos de um destes saltos evolutivos da natureza. E, agora, somos a ferramenta utilizada pela natureza para proporcionar um outro salto evolutivo, sem precedentes na história da vida na Terra.

Trudeau

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #87 Online: 07 de Junho de 2011, 19:34:35 »
Gostaria de apresentar a todos um escritor de ficção cientifica, Herbert S Watson, meu amigo e autor de várias "short stories" muito interessantes.
A estória que eu achei mais apropriada para este tópico lida com a imortalidade que poderá vir com a Singularidade Tecnológica:

http://greatben.com/watson/safe_heaven.pdf

Curtam a estorinha. É bem interessante e tem um final muito bom.
Ele não é nenhum Asimov mas sabe escrever.
Vale a pena debater a idéia que ele apresenta. Está bem dentro do tema do tópico.
Assim que alguem tiver lido eu coloco minhas idéias sobre esta proposição.
Não quero que ninguem se fruste por saber da idéia antes de ler ...

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #88 Online: 09 de Junho de 2011, 10:19:27 »

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #89 Online: 09 de Junho de 2011, 12:14:03 »
Citar
Human Experience Archive Virtual Environment
Network, 'HEAVEN' for short.

 :lol: Adoro backronyms

Muito original o conto e bastante divertido. Realmente tem tudo a ver com o tópico.

Meu inglês é fraco. Rola uma versão em português? :D

Intradutível, sinto muito.

Trudeau

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #90 Online: 09 de Junho de 2011, 14:14:18 »
Meu inglês é fraco. Rola uma versão em português? :D
Sorry! Como o uilinili já comentou o texto tem vários "acronyms" em inglês que o torna intraduzivel:

HEAVEN: Human Experience Archive Virtual Environment Network
HELL: Holding Environment of Limited Liberty
GOD: Global Organizer Dispatcher
SATAN: Systemic Analyzer Tester And Neutralizer program

Apesar da similaridade com o mundo "espiritual" posso lhes assegurar que o escritor é um cético!
Ele escreveu essa estória em 2001, muitos anos antes das idéias de Singularidade Tecnológica se tornarem populares.
Foi um exercicio de "futurologia tecnológica".
Mas para isso serve a ficção cientifica: para imaginar o que poderia ser o futuro.
Às vezes eles acertam!

Trudeau

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #91 Online: 09 de Junho de 2011, 14:27:36 »
Pra quem gostou do primeiro conto aqui vai um outro tambem relacionado com o tema, embora um pouco diferente:

http://greatben.com/watson/the_pain.pdf

Tentem descobrir quem é HECTOR antes do final.

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #92 Online: 09 de Junho de 2011, 14:34:17 »
Vou ler o segundo mais tarde. Só comentar que o conto também tem a temática bem parecida com o ótimo "The Last Answer" de Isaac Asimov.

Skorpios

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #93 Online: 09 de Junho de 2011, 14:46:27 »
Vou ler o segundo mais tarde. Só comentar que o conto também tem a temática bem parecida com o ótimo "The Last Answer" de Isaac Asimov.

Tem em portugues aqui.

http://forum.jogos.uol.com.br/A-ultima-resposta---Isaac-Asimov_t_512933

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #94 Online: 09 de Junho de 2011, 16:12:27 »
Apesar da similaridade com o mundo "espiritual" posso lhes assegurar que o escritor é um cético!
Ele escreveu essa estória em 2001, muitos anos antes das idéias de Singularidade Tecnológica se tornarem populares.

 :hein: Eu já lia sobre a Singularidade em 1999. O artigo do Vernor Vinge propondo isso é de 93.

De qualquer forma, parece interessante. Estranho: não me lembro de ter ouvido falar desse autor.
Sugiro também os textos do Greg Egan e do Charles Stross:

http://gregegan.customer.netspace.net.au/DIASPORA/DIASPORA.html
(aviso: esse livro pode causar fortes dores de cabeça no leitor, por vezes acompanhadas de aumento de QI ou, em alguns casos, episódios psicóticos.
O link tem apenas uns trechos, junto com detalhamento da matemática e física discutas no livro.)

http://www.antipope.org/charlie/blog-static/fiction/accelerando/accelerando-intro.html
(esse livro poderia ter sido escrito por A. C. Clarke sob o efeito de anfetaminas).
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Trudeau

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #95 Online: 09 de Junho de 2011, 19:44:55 »
Apesar da similaridade com o mundo "espiritual" posso lhes assegurar que o escritor é um cético!
Ele escreveu essa estória em 2001, muitos anos antes das idéias de Singularidade Tecnológica se tornarem populares.

 :hein: Eu já lia sobre a Singularidade em 1999. O artigo do Vernor Vinge propondo isso é de 93.

Só para esclarecer.
O que eu disse foi: "antes das idéias de Singularidade Tecnológica se tornarem populares".
Concordo que pode ser que ele já tivesse conhecimento do assunto naquela época.
Talvez até a estória tenha surgido após esse conhecimento.
Vou contacta-lo para tirar essa duvida.

Trudeau

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #96 Online: 10 de Junho de 2011, 00:31:14 »
Vou ler o segundo mais tarde. Só comentar que o conto também tem a temática bem parecida com o ótimo "The Last Answer" de Isaac Asimov.
Parecida sim mas a temática é bem diferente.
Watson é ainda um escritor amador nada comparável a Asimov.
A idéia exposta em Safe Heaven é bem interessante.
Se for possivel no futuro um armazenamento da consciencia na memória de um computador então teriamos vida eterna (isso se não apagarem a memória!!!).
Nesse caso seria possivel a existencia de Paraiso e Inferno onde seriam colocadas as consciencias boas e as ruims?
E quem administraria  isso: Deus e o Diabo digitais?
E como seria definido bons e ruins?
Perceberam a sutileza da estória?

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #97 Online: 10 de Junho de 2011, 09:57:31 »
Pelo que você escreveu, me parece bem interessante a estória.

(Um dia ainda faço um curso de inglês decente e saio do meu inglês básico!  |()

Offline ByteCode

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.369
  • Conta removida por solicitação do usuário
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #98 Online: 10 de Junho de 2011, 09:58:17 »
Vou ler o segundo mais tarde. Só comentar que o conto também tem a temática bem parecida com o ótimo "The Last Answer" de Isaac Asimov.

Tem em portugues aqui.

http://forum.jogos.uol.com.br/A-ultima-resposta---Isaac-Asimov_t_512933

 :ok:

Trudeau

  • Visitante
Re: Singularidade Tecnológica: inteligência super-humana e imortalidade
« Resposta #99 Online: 10 de Junho de 2011, 10:53:31 »
Sobre Safe Heaven:
Contactei o autor e fiz a pergunta: de onde veio a inspiração para Safe Heaven?
Recebi a resposta de Herbert Watson, traduzida abaixo por mim:
Citar
"Safe Heaven" foi inspirado e impulsionado pela morte de meu pai em 1998. Eu não havia sido exposto ao trabalho seminal de  Ray Kurzweil sobre a singularidade nesse ponto, mas o conceito em si não era estranho para mim. Asimov tinha escrito um conto chamado "A Questão Final " em 1959, que li em  meados de 1970. No final da história, Multivac é descrito como sendo a soma total de todas as experiências humanas  e  tenta responder à pergunta final que tinha sido formulada eras atrás nos últimos momentos antes da última estrela se apagar e o universo morrer.  Finalmente, ele descobre, dizendo (em tudo o que era significativo para uma máquina que residia em várias dimensões extra hiperespaço) "Haja luz".
 
No  romance '2010: Odisseia Dois ', de 1982 de Arthur Clarke,  a  mente do então super-humano Dave Bowman é mesclada com a de HAL 9000 (o qual é destruído junto com o navio Discovery) e permitiu a existência de um monólito (basicamente uma espécie de reverso do conceito de "matriz" da singularidade ...). Então, novamente, nada de novo, a partir de um ponto de vista conceitual.
 
Em seguida, houve a fusão do Colossus (guardião dos mísseis nucleares dos EUA) e Guardian (o seu homólogo russo) no "Colosso, o projeto Forbin" do filme (baseado em um romance que nunca li), que vi pela primeira vez por volta de 1972. Adicione a algumas outras histórias aqui e ali, onde o "espírito" de um ser humano habita um robô, ou quando um humano é transformado em um cyborg, e você tem praticamente todas as várias partes anos  antes de Vinge escrever sobre eles e cunhar o termo singularidade tecnológica.
 
Eu não reinventei  a roda, todas as peças já existiam. Criei apenas uma maneira diferente de colocar o quebra-cabeça, para obter novas imagens.
 
Mas as histórias que eu li nunca apresentaram o ponto de vista "o que está nele para  nós  humanos", da perspectiva humana, e é isso que eu tanto precisava dizer. Isso é um aspecto importante:  ninguém deve ser deixado para trás e esquecido!

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!