Autor Tópico: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia  (Lida 4005 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #25 Online: 20 de Junho de 2011, 02:37:55 »
Tem até um tópico antigo sobre isto: A teoria da falseabilidade popperiana é falseável?

Porém vejo um forte empirismo na falseabilidade, que foi a observação da importância e relevância da teoria de Albert Einstein na ciência atual.

« Última modificação: 20 de Junho de 2011, 02:45:20 por Adriano »
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline rizk

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 186
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #26 Online: 20 de Junho de 2011, 09:21:37 »
Sou um amante da filosofia e principalmente da filosofia analítica, com suas memoráveis contribuições a filosofia da linguagem e filosofia matemática, que demonstram a limitação destas e, em grande parte, a discussão teórica nos Estados Unidos, ilustrando essa busca incansável pela exatidão do conhecimento.

Talvez a diferença seja que eu não menospreze a filosofia continental, pelo contrário, a admiro muito também. A minha postagem foi para demonstrar que esse grande embate, entre analíticos e continentais, também ocorria fortemente dentro da própria filosofia analítica entre os autores citados, como entre Popper e Wittgenstein e entre Nozick e Rawls.
E eu digo mais. Quem "tem preconceito" com "filosofia continental" é porque não CONSEGUE ENTENDER. Mal aê.

Tudo bem que eu passo dias na mesma página, mas pelo menos eu tou tentando.

Falando em pedir recomendações... alguém me ajuda com o Slavoj Zizek? Eu tenho um VIBE que esse cara diz alguma coisa que me interessa, mas não consigo entender picas do que ele fala nas entrevistas (ele tem uns tiques nervosos que me desconcentram). As férias estão chegando...

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.211
  • Sexo: Masculino
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #27 Online: 20 de Junho de 2011, 09:55:52 »
[...]
Falando em pedir recomendações... alguém me ajuda com o Slavoj Zizek? Eu tenho um VIBE que esse cara diz alguma coisa que me interessa, mas não consigo entender picas do que ele fala nas entrevistas (ele tem uns tiques nervosos que me desconcentram). As férias estão chegando...

O Luiz Souto postou, há pouco tempo, um vídeo com uma entrevista dele.
Foto USGS

Offline Wesley Felipe

  • Nível 01
  • *
  • Mensagens: 10
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #28 Online: 20 de Junho de 2011, 11:09:20 »
[...]
Falando em pedir recomendações... alguém me ajuda com o Slavoj Zizek? Eu tenho um VIBE que esse cara diz alguma coisa que me interessa, mas não consigo entender picas do que ele fala nas entrevistas (ele tem uns tiques nervosos que me desconcentram). As férias estão chegando...

O Luiz Souto postou, há pouco tempo, um vídeo com uma entrevista dele.

Tem esse documentário dele no youtube.

feature=related


Offline Wesley Felipe

  • Nível 01
  • *
  • Mensagens: 10
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #29 Online: 20 de Junho de 2011, 11:19:14 »
Citar
[...]

E eu digo mais. Quem "tem preconceito" com "filosofia continental" é porque não CONSEGUE ENTENDER. Mal aê.

Tudo bem que eu passo dias na mesma página, mas pelo menos eu tou tentando.

Pois é, eu tive um professor que a 20 anos estudava 7 páginas da Crítica da Razão Pura, de Kant.... insistia, garimpava o texto, fazia de tudo...pensei comigo "que desperdicio de tempo, energia, inteligência e dinheiro"
Mas penso... será que nunca passou pela cabeça que certas coisas são dificeis de entender, não pq são complicadas, mas simplesmente pq não fazem mesmo nenhum sentido.
Além disso então, eu pergutaria se faz sentido ficar financiando pesquisas em filosofia sobre temas cuja relevância é nula?
Qual é a relevancia de se financiar, por exemplo, uma pesquisa de mestrado ou doutorado sobre "o cogito em Descartes"?

Pode ser preconceito meu contra esse tipo de filosofia falida que só existe para satisfazer curiosidade de pesquisador, mas cuja relevância é nula.
« Última modificação: 26 de Novembro de 2011, 09:33:06 por Geotecton »

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #30 Online: 20 de Junho de 2011, 11:46:47 »
Citar
[...]

E eu digo mais. Quem "tem preconceito" com "filosofia continental" é porque não CONSEGUE ENTENDER. Mal aê.

Tudo bem que eu passo dias na mesma página, mas pelo menos eu tou tentando.


Pois é, eu tive um professor que a 20 anos estudava 7 páginas da Crítica da Razão Pura, de Kant.... insistia, garimpava o texto, fazia de tudo...pensei comigo "que desperdicio de tempo, energia, inteligência e dinheiro"
Mas penso... será que nunca passou pela cabeça que certas coisas são dificeis de entender, não pq são complicadas, mas simplesmente pq não fazem mesmo nenhum sentido.
Além disso então, eu pergutaria se faz sentido ficar financiando pesquisas em filosofia sobre temas cuja relevância é nula?
Qual é a relevancia de se financiar, por exemplo, uma pesquisa de mestrado ou doutorado sobre "o cogito em Descartes"?

Pode ser preconceito meu contra esse tipo de filosofia falida que só existe para satisfazer curiosidade de pesquisador, mas cuja relevância é nula.


Kant é filósofo racionalista (analítico) e muito bom. Porém era um péssimo escritor.
« Última modificação: 26 de Novembro de 2011, 09:33:52 por Geotecton »
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline rizk

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 186
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #31 Online: 20 de Junho de 2011, 21:30:43 »
Citar
[...]

E eu digo mais. Quem "tem preconceito" com "filosofia continental" é porque não CONSEGUE ENTENDER. Mal aê.

Tudo bem que eu passo dias na mesma página, mas pelo menos eu tou tentando.


Pois é, eu tive um professor que a 20 anos estudava 7 páginas da Crítica da Razão Pura, de Kant.... insistia, garimpava o texto, fazia de tudo...pensei comigo "que desperdicio de tempo, energia, inteligência e dinheiro"
Mas penso... será que nunca passou pela cabeça que certas coisas são dificeis de entender, não pq são complicadas, mas simplesmente pq não fazem mesmo nenhum sentido.
Além disso então, eu pergutaria se faz sentido ficar financiando pesquisas em filosofia sobre temas cuja relevância é nula?
Qual é a relevancia de se financiar, por exemplo, uma pesquisa de mestrado ou doutorado sobre "o cogito em Descartes"?

Pode ser preconceito meu contra esse tipo de filosofia falida que só existe para satisfazer curiosidade de pesquisador, mas cuja relevância é nula.
Um:
Eu não entendo nada do cogito em Descartes, mas uma coisa eu sei: relevância pra humanidade não é necessariamente medida em compensação financeira.
Se a gente fosse medir relevância da pesquisa pelo investimento feito pelas empresas e agências de fomento, as pesquisas feitas no Brasil seriam todas irrelevantes.

Dois:
Relevância também é diferente de tecnologia. O fato de uma pesquisa não ter aplicação prática aqui-e-agora não tira dela a relevância.
Eu infelizmente sou uma alminha materialista que curto aplicação prática. O meu autor-capeta é, vocês sabem, o Max Weber. Todas férias eu tento ler alguma coisa o Economia e Sociedade, toda vez eu falho, mas sei que tem gente que conseguiu, sei que essas pessoas conseguem ter uma compreensão do mundo contemporâneo da qual eu tenho um ligeiro VIBE, e sinto que se tivesse gente suficiente com domínio desse instrumental, uma tecnologia para colocar o mundo nos trilhos seria possível.
Às vezes, bobeando, eu assisti muito "pink e cérebro" na infância, mas enfim.


--------

Gente, eu quero um TEXTO tipo "Slavoj Zizek for dummies". Tentei ler uns textos dele e me perdi em meio às referências à psicanálise. E, como eu disse, eu não consigo acompanhar as entrevistas dele. Ele tem tique nervoso, eu tenho tique nervoso, eu assisto e o negócio desencadeia e aí é um deus nos acuda.
« Última modificação: 26 de Novembro de 2011, 09:34:54 por Geotecton »

Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.916
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #32 Online: 20 de Junho de 2011, 21:35:06 »
Pois é meu caro. Esse é um problema no campo da filosofia e em outros também. O pré-conceito é um conceito de algo sem conhecê-lo.
É preciso comer uma maçã inteira para saber que ela estava podre? A maior parte do contato que tive com filosofia foi com a que vocês chamam de "continental". O pedaço dela que eu provei foi horroroso. Da analítica, provei pouco, mas facilmente encontro "filosofações inúteis": "Existem críticas contundentes quanto a esse aspecto. Essas remanescem no bojo da própria Filosofia que Popper propõe. E por quê? Ao afirmar que toda e qualquer teoria deve ser falseável, isso se aplica à própria teoria da falseabilidade popperiana. " Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Popper

Enfim, pré-conceito é sim, mas é um pré-conceito "útil" para as pessoas.

Qual o conceito de utilidade para voce? O que seria útil?

Citar
Citar
Meu caro, essa inutilidade que voce afirma é a base de todo o nosso conhecimento (todas as ciências) e todo nosso estilo de vida (aí já fui muito abstrato, mas...).

Desprezar algo que está enraizado na nossa história, cultura, arte, ciência, etc, não vai mudar muita coisa, apenas se cai no ato de ver sem perceber.
Filosofia não é a base de "todo o nosso conhecimento", nosso conhecimento advem da realidade. Ficar brincando brincando com palavras não leva à nada. Esses "problemas" fundamentais que a filosofia estuda são facilmente dispensados olhando para a realidade.

Interessante meu caro é que a filosofia ainda não chegou a um consenso sobre o que é REALIDADE.

Acho que estou diante de uma pessoa que olha um quadro de Picasso e diz: pra que serve esse troço.? Que utilidade tem isso?

Se voce for assim... desisto.
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #33 Online: 20 de Junho de 2011, 22:26:27 »
Eu concordo com o parcus no que se refere à filosofia "continental".

É por isso que as únicas áreas da filosofia que eu me interesso são aquelas ligadas à atividade científica (lógica e epistemologia).

Me interesso também por "filosofia" política.

Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline TMAG

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 646
  • Sexo: Masculino
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #34 Online: 22 de Junho de 2011, 20:29:31 »
Sou um amante da filosofia e principalmente da filosofia analítica, com suas memoráveis contribuições a filosofia da linguagem e filosofia matemática, que demonstram a limitação destas e, em grande parte, a discussão teórica nos Estados Unidos, ilustrando essa busca incansável pela exatidão do conhecimento.

Talvez a diferença seja que eu não menospreze a filosofia continental, pelo contrário, a admiro muito também. A minha postagem foi para demonstrar que esse grande embate, entre analíticos e continentais, também ocorria fortemente dentro da própria filosofia analítica entre os autores citados, como entre Popper e Wittgenstein e entre Nozick e Rawls.
E eu digo mais. Quem "tem preconceito" com "filosofia continental" é porque não CONSEGUE ENTENDER. Mal aê.


Concordo, até porque em muitos dos casos na filosofia continental NÃO HÁ O QUE ENTENDER. O filósofo Michel Foucault quando se referia ao pensamento de Derrida e outros pós-modernistas os classificou como ''terrorismo obscurantista''. O curioso é que o termo cunhado por Foucault facilmente se aplica a ele mesmo e outros filósofos continentais. O ''obscurantista'' no termo é em alusão a linguagem críptica e oracular que esses filósofos costumam utilizar, já o terrorismo se refere a postura adotada por eles em discussões, quando alguém critica alguma de suas teses eles logo partem para o ataque com algo como, ''voce não entendeu o que eu quis dizer''(o que é óbvio, pois os textos deles provavelmente não são feitos para serem entendidos).

Deixo aqui dois ótimos e esclarecedores textos sobre a filosofia analítica:

http://criticanarede.com/filos_pelafil.html

http://www1.ci.uc.pt/pessoal/jalesribeiro/livro_para_compreender.htm
''O objetivo dos Governos é sempre o mesmo: limitar o indivíduo, domesticá-lo, subordiná-lo, subjugá-lo.'' - Max Stirner

Offline Cumpadi

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.243
  • Sexo: Masculino
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #35 Online: 23 de Junho de 2011, 12:31:45 »
Qual o conceito de utilidade para voce? O que seria útil?

Interessante meu caro é que a filosofia ainda não chegou a um consenso sobre o que é REALIDADE.

Acho que estou diante de uma pessoa que olha um quadro de Picasso e diz: pra que serve esse troço.? Que utilidade tem isso?

Se voce for assim... desisto.
Útil é qualquer coisa que possua uma aplicabilidade no mundo real que uma pessoa possa querer usar.

Realidade é o que é representado pelos nossos sentidos quando não estamos sob influência de drogas ou alguma condição debilitante.
« Última modificação: 23 de Junho de 2011, 12:36:45 por parcus »
http://tomwoods.com . Venezuela, pode ir que estamos logo atrás.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #36 Online: 26 de Novembro de 2011, 02:20:47 »
como por exemplo uma ideologia
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline LaraAS

  • Contas Excluídas
  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.386
  • Sexo: Feminino
Re:Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #37 Online: 26 de Novembro de 2011, 09:38:49 »

         Na verdade ,essas histórias de pós-modernismo ,pós-estruturalismo ,o pensamento de Marcuse ,de Adorno ,o dos Derridas e Lacans da vida ,o pensamento de Nietzsche ,me parece tudo a novilíngua  do "1984" ,tudo justificativas para o totalitarismo , tudo pensamento estilo o O´Brein do "1984" e também uma grande saudade elitista ,da época do dominio dos nobres e dos cléricos ,querendo ser os cléricos dominantes pedantes dos dias de hoje ,superiores ao "vulgo".
         Não é a toa ,que a Europa foi a parte do mundo ocidental ,onde houve os piores totalitarismos ocidentais do século XX.
         

Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.916
Re:Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #38 Online: 26 de Novembro de 2011, 10:00:25 »

Desisto...
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Online Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.013
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re: Filosofia Analítica ou um modo honesto de se fazer Filosofia
« Resposta #39 Online: 02 de Novembro de 2018, 15:07:39 »
[...]
bem diferente do que estamos acostumados no Brasil, onde predomina o estudo de pensadores confusos e obscuros representantes da chamada filosofia continental (franco-gêrmanica) como Heidegger, Hegel, Derrida, Nietzsche e Cia Ltda.
[...]

Eu hesitaria, para dizer o mínimo, chamar Heidegger de "confuso e obscuro" e também de emparelhá-lo com Derrida.

Hahahaha Isso daria um neologismo geofilosófico daora, A Derrida Continental!

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!