Autor Tópico: Ponto de ruptura  (Lida 6758 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.115
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Ponto de ruptura
« Resposta #100 Online: 03 de Fevereiro de 2019, 20:38:58 »
uma criança não crê exatamente em Papai Noel
:no: Eu acreditava PIAMENTE no PN. Arrumavam a árvore numa sala e saíamos todos pra outro ponto ou pra fora da casa...
Eu até tinha um certo medo; então após umas (say) 2h iam ver e "constatavam" que ele tinha passado e deixado os presentes junto à árvore (que ficava em cima duma imensa mesa-de-jantar).
Eu e outros infantes acreditávamos GENUINAMENTE — quiçá fossemos duma era anterior à sua :?: mas era assim que éramos.
Sim, é tão insofismavelmente óbvio, uma ideia abstrata consubstanciada por um fato.

Citar
Com Deus é diferente, quando alguém  é apresentado a ideia de um Deus, é a pessoa que acredita nesse Deus por ela mesma
:no: Exatamente a mesma coisa, excetuando que, claro, não se tem como verificar empiricamente que essa divindade NÃO existe, ao contrário do PN. Mas a CRENÇA per se tem as mesmas características.
Eis a grande questão. Não tem como verificar empiricamente, logo, a única coisa que há ai é sua crença.

Citar
e nada no mundo vai ser evidência suficiente para ela dissuadir-se de si mesma. Resumindo, em Deus se crê ou não se crê, sem meio termo e sem ponto de ruptura com aquilo.
Eu me criei em ambiente espírita e acreditava PIAMENTE na existência da divindade abraâmica e no mito do "JC".   
Quanto ao "ponto de ruptura" acho que depende de cada um. Comigo de fato não aconteceu O ponto. Mamãe se afastou do espiritismo por várias razões, e eu passei a me preocupar com as ocupações típicas da adolescência, inclusive o preparo pro vestibular.
A escola fluiu normalmente, mas depois arrumar estágio, emprego, a vida prática...
Em casa religião passou a ser não-tema: templos só nos casamentos; missas 7°/30° dia; batismos; almoços ou jantas (em geral excelentes por sinal...) beneficentes...
Com a INTERNET passou-se a ter acesso à informação então se tornou claro que os alegados fenômenos verificáveis que fundamentariam as crenças espíritas não existem — que são só crenças análogas às das demais religiões...
E assim quando me dei por conta, as crenças simplesmente tinham desaparecido.
Nenhum fenômeno no mundo pode fundamentar uma crença para alguém que não crê, e nem todo esclarecimento do mundo faz o oposto.
« Última modificação: 03 de Fevereiro de 2019, 20:43:40 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.392
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Ponto de ruptura
« Resposta #101 Online: 04 de Fevereiro de 2019, 14:07:54 »
É como diz Jamie Madroxx, ex X-Men: " o inferno deve ser assim, ninguém conhece suas referências..."  :biglol:

Para as crianças que cresceram demais, uma lembrança: a excelente e premiada história de um gibi do Cebolinha (que eu devo ter lido aos 12 anos), sinopse abaixo:

"As Emoções Bárbaras.

Inesquecível histórica de conteúdo filosófico, em que uma entidade cósmica muito avançada em relação à humanidade pede aos seus pares a oportunidade de conviver com os homens, para poder reviver as emoções que há muitos séculos, em sua evolução, já deixara para trás."

http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/cebolinha-n-121/ceb0031/17155


« Última modificação: 04 de Fevereiro de 2019, 14:20:29 por Brienne of Tarth »
GNOSE

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.289
Re:Ponto de ruptura
« Resposta #102 Online: 05 de Fevereiro de 2019, 08:06:16 »
É como diz Jamie Madroxx, ex X-Men: " o inferno deve ser assim, ninguém conhece suas referências..."  :biglol:

Para as crianças que cresceram demais, uma lembrança: a excelente e premiada história de um gibi do Cebolinha (que eu devo ter lido aos 12 anos), sinopse abaixo:

"As Emoções Bárbaras.

Inesquecível histórica de conteúdo filosófico, em que uma entidade cósmica muito avançada em relação à humanidade pede aos seus pares a oportunidade de conviver com os homens, para poder reviver as emoções que há muitos séculos, em sua evolução, já deixara para trás."

http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/cebolinha-n-121/ceb0031/17155
De certa forma relacionado ao conto "Eyes do more than see", de Isaac Asimov:

Citar
In the very distant future — about a trillion years in the future — humans have long since abandoned physical form. They exist as energy entities spanning space.

Two of these entities, known only as Ames and Brock, tire of artistic competitions using manipulations of energy. They discuss a new project in which they attempt to manipulate physical matter, and Ames creates a sculpture of a human head. Brock, who was once a woman, is painfully reminded of her physical past and that she once knew love. She adds tears to the head and then flees. Ames remembers that he had once been a man, and the force of his vortex splits the head as he turns in search of Brock.
https://en.wikipedia.org/wiki/Eyes_Do_More_Than_See

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.392
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Ponto de ruptura
« Resposta #103 Online: 05 de Fevereiro de 2019, 12:50:00 »
Talvez o Maurício tenha copiado a ideia...afinal, "nada se perde e nada se cria"... :)
GNOSE

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!