Autor Tópico: Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio  (Lida 30415 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Cinzu

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.241
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #375 Online: 07 de Maio de 2019, 17:58:06 »
Um estudo detalhado sobre como a força da gravidade varia em torno de Carajás, a principal província mineral do Brasil, no Pará, indica que a área com potencial para exploração de cobre é bem maior do que se imagina.

A constatação foi feita por uma equipe da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que investigou a estrutura geológica da região em mais detalhe, mesclando dados da América do Sul colhidos por satélite a outros obtidos em sobrevoos de pequenas aeronaves.

http://revistapesquisa.fapesp.br/2019/04/15/cobre-ao-norte-de-carajas/

Um claro exemplo de balbúrdia na universidade.
"Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar"

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #376 Online: 07 de Maio de 2019, 18:15:18 »
Mais um argumento a favor das exatas.
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Cinzu

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.241
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #377 Online: 07 de Maio de 2019, 19:35:21 »
Cientistas brasileiros criam tecnologia inédita para conforto térmico e são premiados nos EUA

"Autossustentável e com nova tecnologia de conforto térmico, projeto de escola de Piraquara se pagaria em seis anos. Equipe da UFPR ficou em 2º lugar na categoria de escolas do prêmio norte-americano Solar Decathlon"

https://www.gazetadopovo.com.br/haus/inovacao/projeto-ufpr-escola-com-tecnologia-inedita-em-piraquara-finalista-em-premio-nos-eua/
"Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar"

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.406
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #378 Online: 14 de Maio de 2019, 05:05:24 »
https://aeromagazine.uol.com.br/artigo/snoopy-e-encontrado-na-orbita-da-lua_4294.html

Encontraram o módulo lunar da Apolo 10 ainda em órbita na Lua, ele não chegou a pousar e foi abandonado em órbita mas continua nela até hoje.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.027
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #379 Online: 14 de Maio de 2019, 11:22:55 »
Sem novidade.

https://heavens-above.com/SatInfo.aspx?satid=3949&

O problema é que "não" acham os ETs e suas bases na face oculta da Lua.
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.406
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #380 Online: 14 de Maio de 2019, 11:52:45 »
Bom, tem a turma que diz se tratar de uma farsa mas a coisa está em órbita.

Imagino o que dirão agora para moldar a historia conforme a teoria.

"Colocaram em órbita depois só para parecer verdade".


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.406
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #382 Online: 14 de Maio de 2019, 21:01:39 »
Não sei se existe a tal Lua Plana mas tem aquela de ser uma espaconave alienigena tal qual a Estrela da Morte.

http://ufosonline.blogspot.com/2018/01/revelado-lua-uma-gigantesca-nave.htm

Sério,  melhor não tentar ler o que está no link.

Offline Cinzu

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.241
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #383 Online: 27 de Maio de 2019, 08:01:49 »
Citar
Epidemia de ignorância: movimento contra vacinas gera preocupação mundial

Estaria o direito individual acima do coletivo?", pergunta Massimiliano Fedriga, político que virou chacota global. A internação dele em março, por cinco dias, para tratar uma catapora, foi notícia no mundo todo.

Governador de Fruili-Venezia Giulia, uma das regiões do norte da Itália, e membro da Liga, partido da extrema direita e hoje a maior força política do país, Fedriga é um dos expoentes do movimento que prega a liberdade da vacinação. Ele, contudo, acabou indo parar no hospital vítima da doença cuja melhor maneira de prevenção é exatamente a vacina.

“O mais espantoso, e que não saiu em nenhum jornal, é que recebi durante o período em que fiquei no hospital várias mensagens desejando a minha morte”, conta. “Minha questão é a liberdade de escolha — a vacina não pode ser imposta.”

Filiado a um partido acostumado a inflamar o debate em temas como a defesa da família tradicional e das políticas contra a imigração, o político de 38 anos, o mais jovem governador da Itália, disse ter se espantado com o ambiente “tóxico e extremista” sobre a questão, agora classificada por ele — já recuperado e de volta às funções políticas — como uma “guerra típica das torcidas organizadas”. Ele reclama ter sido vítima do que é o principal motor contra as vacinas: a desinformação.

A resistência à vacinação foi listada pela Organização Mundial da Saúde como uma das dez maiores ameaças à saúde global neste 2019. Segundo números preliminares do órgão, os surtos de sarampo, doença altamente contagiosa, aumentaram 300% no mundo nos primeiros três meses deste ano em comparação ao mesmo período de 2018. O crescimento foi maior na África (700%) e na Europa (300%).

Relatório do Unicef, órgão da ONU para a infância, cravou que 98% dos países reportaram aumento nos casos de sarampo, doença que ressurgiu em locais que até pouco tempo atrás estavam perto de erradicá-la. Os três piores do ranking (que compara 2017 com 2018), respectivamente, foram Ucrânia, Filipinas e Brasil. A organização alertou: “A verdadeira infecção é a desinformação”.

Como acontece com os terraplanistas, os descrentes do aquecimento global e os que acreditam que o nazismo era de esquerda, o principal canal difusor das (des)informações é a internet, especialmente redes sociais como o Facebook. Pressionada, a plataforma criada por Mark Zuckerberg desativou recentemente anúncios com conteúdos contra a imunização nos Estados Unidos, onde estima-se que esse tipo de publicidade atingia quase 1 milhão de pessoas.

Na Europa, o aumento dos casos de sarampo — o maior índice em 20 anos — foi relacionado à expansão da agenda populista de direita e anti-establishment, que tem a causa como bandeira política. O cerne da crítica é a imposição das vacinas, método que alguns políticos chamam de stalinista.

Mas, como em todo movimento, nele há subdivisões e divergências: uns pregam a liberdade vacinal e outros rejeitam todo e qualquer tipo de vacina. E não é uma pauta somente da direita populista em ascensão. Há entre os adeptos muitos naturalistas que sempre votaram na esquerda e que veem com desconfiança o sistema de vacinação “massificado”, como dizem. Eles também replicam falsificações sobre uma suposta conspiração global entre governos e a indústria farmacêutica.

Dos 83 mil casos de sarampo na Europa em 2018, 53 mil foram registrados na Ucrânia, mas os índices foram alarmantes também em países como Sérvia e Grécia. O número de descrentes aumentou ainda na França e Alemanha. Diante desse cenário, o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) tem dispensado tempo e recursos para enfrentar a “hesitação vacinal”. O órgão lembra que a vacina é o principal meio de prevenção primária de doenças e uma das medidas de saúde pública com melhor relação custo-eficácia. A imunização ainda é a melhor defesa contra doenças contagiosas graves que podem ser fatais.

Fonte:https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2019/04/epidemia-de-ignorancia-movimento-contra-vacinas-gera-preocupacao-mundial.html

Por que pautas anticientíficas promovidas por políticas públicas geralmente são advindas de políticos de direita? Movimentos antivacinas, negação a mudanças climáticas, e aqui no Brasil tivemos até o caso da fosfoetalonamina - "pílula do câncer" - que foi legalizada pelo Bolsonaro, aliás, um dos pouquíssimos projetos em que conseguiu aprovar na câmara.
"Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar"

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.810
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #384 Online: 09 de Junho de 2019, 16:55:03 »
Lá de onde eu venho isso aí em cima não é considerado "supimpa."

Por que pautas anticientíficas promovidas por políticas públicas geralmente são advindas de políticos de direita? Movimentos antivacinas, negação a mudanças climáticas, e aqui no Brasil tivemos até o caso da fosfoetalonamina - "pílula do câncer" - que foi legalizada pelo Bolsonaro, aliás, um dos pouquíssimos projetos em que conseguiu aprovar na câmara.

Desconfio que tenha como "motor principal" a utilidade comercial/lobbyística/astroturfer de alguns negacionismos úteis a algumas indústrias, mas acabe em algum grau se alastrando e encontrando sobreposição com negacionismos/"ceticismos" mais aleatórios, de pessoas que já tenham essa propensão geral. Isso e conservadorismo e sua união natural com fundamentalismo religioso, que também cultivará uma tendência a negacionismo científico seletivo.

Acho que é principalmente "sorte" que a "ideologia esquerdista geral" acaba tendo menor objeção a certas verdades científicas. Em boa parte do tempo poderá ser um "dogmatismo" que apenas calha de estar do lado certo. Se amanhã o Greenpeace publicar uma doideira de que em dez anos os níveis do mar cobrirão a todas cidades do mundo feito o filme "water world", vai ter muita gente acreditando e criticando como neoliberais financiados pelo petróleo os climatologistas sérios que questionarem isso, mesmo os principais nomes na "defesa" do aquecimento global. Não a maioria, a maioria talvez aceite prontamente uma refutação partindo do mainstream científico, mas uma parte deve ainda ver isso como complô capitalista.

O mais grave no lado mais esquerdista deve ser oposição à energia nuclear, mas não se limita a isso. Também serão mais radicalmente contra agroindústria, agrotóxicos (que não inofensivos mas também não inerentemente um "envenenamento" da população), alimentos geneticamente modificados, defenderão homeopatia cubana, e talvez outros tratamentos de saúde alternativos/pseudocientíficos como quando vindo de povos indígenas ou algo assim. Maconha também pode ser vista como quase que um maná dos deuses.

Talvez em ambos os lados também opere uma "epistemologia" que é basicamente a assunção de que se o outro lado diz que está certo, deve estar errado/o extremo oposto deve ser verdade.







Citar
How one utility powers its entire plant from wastewater

<a href="https://www.youtube.com/v/hbA0LEUSboA" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/hbA0LEUSboA</a>

Between flushing the toilet, bathing, and washing dishes, the average person in the United States generates almost 100 gallons of wastewater each day. But one utility in the suburbs of Chicago is using the waste it extracts from that sewage to generate the energy that powers its entire plant. NewsHour Weekend's Christopher Booker reports.


Offline Adler

  • Nível 08
  • *
  • Mensagens: 85
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #385 Online: 13 de Junho de 2019, 15:02:23 »
Interessante;

Citar
A impressionante cabeça de lobo gigante de 30 mil anos encontrada com cérebro e presas intactos



 Como um mensageiro da Era do Gelo, a cabeça de um lobo gigante encontrada na Sibéria tem sido estudada por cientistas da Rússia, Suécia e Japão como testemunho precioso do Pleistoceno.

Ela tem tem mais de 30 mil anos de idade, inclui presas e até mesmo um cérebro incrivelmente preservados. Trata-se da primeira cabeça intacta de um lobo adulto da Era do Gelo. Outro atributo importante é seu comprimento, de 40 cm - muito maior que a de um lobo atual, que mede entre 23 e 28 cm.

Os cientistas esperam que os restos ajudem a decifrar o que aconteceu com esse grande predador que vivia na Europa e na Ásia e com outras espécies, como o mamute-lanoso.

A cabeça foi apresentada ao público em uma exposição no Museu Nacional de Ciência e Inovação, em Tóquio.
Como foi a cabeça encontrada?

À medida que partes do permafrost (como é chamado a grande faixa de solo congelado de rocha e terra)da Sibéria derretem devido às mudanças climáticas, mais e mais vestígios extraordinários do passado estão sendo descobertos.

Uma das descobertas mais conhecidas é a de Yuka, um mamute-lanoso bebê perfeitamente preservado encontrado em 2011, e que viveu há 28 mil anos na região de Yakutia.

A cabeça do lobo foi encontrada no ano passado na mesma região, no rio Tirekhtyakh, por caçadores locais de presas de mamute.



Depois que a China proibiu o comércio de estatuetas e outros produtos de marfim feitos com presas de elefantes, os caçadores de presas no permafrost siberiano viram a oportunidade de um negócio lucrativo.

Foi assim que encontraram a cabeça do lobo - entregue por eles a Albert Protopopov, chefe do departamento de estudos sobre mamutes da Academia de Ciências de Yakutia.
Como a idade dos restos mortais foi determinada?

Protopopov não sabia a idade da cabeça, e contatou especialistas na Suécia.

David Stanton, pesquisador em paleogenética evolutiva do Museu de História Natural da Ciência na Suécia, foi um dos cientistas que ajudou a definir a idade.

"Fizemos datação por radiocarbono de um pedaço de tecido com uma empresa norte-americana chamada Beta Analytic", explicou Stanton à BBC News Mundo.

"A idade que determinamos foi entre 32.560 anos e 31.480 anos (com precisão de 95%). Outra equipe independente chegou ao valor de 32.705 a 31.690 anos, então podemos dizer com confiança que o espécime tem 32.000 anos, com uma margem de erro não superior a 500 anos ".

DNA
Protopopov também colaborou com a escola de medicina da Universidade de Jikei, em Tóquio, onde uma tomografia computadorizada da cabeça foi realizada para revelar os detalhes dos tecidos.

Os cientistas agora estudarão o DNA do animal, para compará-lo com o dos atuais lobos.

O lobo encontrado na Sibéria tinha presas mais poderosas do que as espécies modernas e acredita-se que ele podia caçar animais grandes, como bisões e cavalos.

"O próximo passo é tentar extrair o DNA dos restos mortais do lobo. A dificuldade é que o DNA em tais espécimes antigos está frequentemente danificado", explica Stanton.

"Tentamos extrair DNA sem muito sucesso da pele, então agora vamos tentar extraí-lo dos dentes. Se conseguirmos DNA de boa qualidade, tentaremos sequenciar o genoma do lobo, e isso nos permitirá procurar responder a diferentes perguntas".

"Por exemplo, qual é a relação entre esses lobos extintos e os atuais? Eles têm genes em comum? Podemos encontrar no genoma as razões por que eles foram extintos?"

Stanton destaca que uma possibilidade é que os lobos tenham se extinguido por razões meteorológicas.

"Se for este o caso, uma melhor compreensão dessas extinções pode nos ajudar a prever e prevenir futuras extinções devido às mudanças climáticas."

Os pesquisadores esperam que os restos também ofereçam pistas sobre a fauna do Pleistoceno.

A cabeça também poderia ajudar a entender o passado evolutivo de espécies como os cães e os lobos atuais - acredita-se que estes tenham se separado a partir de um ancestral comum há pelo menos 27 mil anos.

"É muito raro encontrar espécimes com este nível de preservação, então esta cabeça é muito valiosa. Acreditamos que é um espécime de um 'lobo das estepes do Pleistoceno', uma linhagem de lobos que se tornou extinta provavelmente entre 20.000 e 30.000 anos."

"Espécimes extraordinários como este podem nos dar informações sobre por que essa linhagem foi extinta quando os lobos modernos sobreviveram."


https://www.bbc.com/portuguese/geral-48618500
Não devemos resisitir às tentações: elas podem não voltar.
Millor Fernades


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.406
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #387 Online: 13 de Junho de 2019, 17:54:21 »
Imagine só o furor que seria um humano dessa época, com esse grau de preservação. Ainda mais um neandertal ou algo próximo.

Acho que é bem possível que apareça algum.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.810
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #388 Online: 25 de Junho de 2019, 08:02:07 »
É um tipo meio exótico de sadismo desejar que um neandertal tenha morrido congelado. Não deve ser impossível, mas ao mesmo tempo muito improvável, já que imagino as populações, sempre pequenas, devem ter sempre retraído para os climas menos frios, em vez de terem ficado permanentemente onde também há frio permanente, onde ainda haja gelo tão antigo. Aquela múmia congelada (Otzi) já era um humano moderno, sapiens mesmo, de só uns 5-6 mil anos atrás, incomparavelmente mais avançados tecnologicamente.










<a href="https://www.youtube.com/v/XHX9pmQ6m_s" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/XHX9pmQ6m_s</a>

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #389 Online: 25 de Junho de 2019, 08:46:19 »
Um neandethal con seu cérebro maior do que o sapiens é terreno fértil para varias conjecturas sobre a natureza de sua cognição. A compreensão da natureza neanderthal poderia esclarecer bastante sobre questões como inteligência e  consciência humana.


A definição de humanidade, que é um conceito unicamente humano já que nenhuma outra espécie é considerada humana ainda que várias delas cada vez mais expressem comportamentos muito incisivamente humanos também seria um paradigma fantástico quebrado, com um compartilhamento da ideia de humanidade desde uma humanidade de um ser com um cérebro maior, o neanderthal. Ou então seriam os humanos a perceberem-se no equívoco de se crerem como tais uma vez convivendo com os neanderthais, talvez.
« Última modificação: 25 de Junho de 2019, 09:36:32 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.810
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #390 Online: 25 de Junho de 2019, 09:11:14 »
Os sapiens mais antigos também tinham cérebros maiores que sapiens posteriores/atuais, então neandertais em si são até "desnecessários" para qualquer conjectura sobre implicações de cérebros maiores em humanos mais primitivos. Só acresce a complexidade de também terem um padrão de desenvolvimento/crescimento num ritmo diferente do nosso.

Muito dificilmente/essencialmente nunca teremos uma "compreensão da natureza neandertal" significativamente elevada para dar qualquer esclarecimento sobre os humanos ainda vivos. Estes são amostra muito mais acessível e relevante/direta de onde tirar algo esclarecedor.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #391 Online: 25 de Junho de 2019, 09:49:05 »
Mas a questão é o que implicaria de uma natureza neanderthal com obviamente o plus de um cérebro maior. O fato de terem existido humanos sapiens com cérebro maior não diz nada a respeito da natureza humana mais do que já está dito, ou melhor, talvez diga que sapiens com cérebro maior podem ter ficado no meio do caminho por questoes adaptativas que não exatamente correspondem ao mesmo mecanismo que extinguiu os neander, só aumenta a complexidade da questão.

Se os humanos que tem alguns genes neander, uma miserinha de diversidade diga-se de passagem já expressam diferenças en algum grau dos humanos genéricos, imagina toda uma  expressão neanderthal completa. 

« Última modificação: 25 de Junho de 2019, 09:57:17 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.810
  • Sexo: Masculino
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #392 Online: 25 de Junho de 2019, 10:20:23 »
Simplesmente não se sabe se era um "plus." Tem que ser "plus" com relação a algo, ao mesmo tempo em que não era tão diferente do volume dos sapiens da época (comparação mais significativa ou mesmo "palpável"/"trabalhável," por desenvolvimento tecnológico também mais similar), e até inferior a sapiens mais tardios, embora ainda superior aos atuais. Era também "plus" com relação aos ancestrais comuns de sapiens e neandertais, mas novamente fica mais ou menos na mesma situação com o "plus" sapiens, então ainda não vejo como extrair qualquer coisa muito significativa disso.

Os cientistas especulam baseados nas diferentes áreas do cérebro afetadas, que neandertais tivessem "priorizado" processamento visual e motor, e ficado para trás em pensamento mais avançado e social. Não sei o quanto disso conseguiriam "reproduzir" vendo análogos em primatas vivos, como bonobos e chimpanzés, ou mesmo algo mais distante.

As diferenças "totais" entre sapiens e neandertais devem ser algo menores do que aquelas entre bonobos e chimpanzés, que têm um parentesco um pouco mais distante entre si, e também têm alguma variação proveniente de herança ancestral de "chimpanzés neandertais" e hibridações ancestrais.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #393 Online: 25 de Junho de 2019, 10:36:07 »
As diferenças quantitativas de modo algum podem ser relacionadas a diferenças qualitativas proporcionalmente, isso seria uma associação pueril.

Quanto à questão da tecnologia, trata-se de outra assunção espúria relacionar expressão de tecnologia à capacidades cognitivas. Tecnologias tem mais a haver com necessidades adaptativas do que com intelecto, por exemplo, tanto que índios não contactados tem alegadamente o mesmo aparato cognitivo de indivíduos das mais avancadas sociedades tecnológicas.
« Última modificação: 25 de Junho de 2019, 12:38:51 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Pedro Reis

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.685
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #394 Online: 25 de Junho de 2019, 12:16:19 »
As diferenças quantitativas de modo algum podem ser relacionadas a diferenças qualitativas proporcionalmente isso seria uma associação pueril.

Quanto à questão da tecnologia, trata-se de outra assunção espúria relacionar expressão de tecnologia à capacidades cognitivas. Tecnologias tem mais a haver com necessidades adaptativas do que com intelecto, por exemplo, tanto que índios não contactados tem alegadamente o mesmo aparato cognitivo de indivíduos das mais avancadas sociedades tecnológicas.

Ainda tem mais a ver com intelecto que com necessidade adaptativa.

Qual necessidade adaptativa responsável pela tecnologia do videocassete?

O que se pode dizer com certeza é que tecnologias complexas só podem ser criadas por cérebros complexos. Mas não há certeza que um cérebro complexo irá criar uma tecnologia complexa.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #395 Online: 25 de Junho de 2019, 12:34:15 »


Qual necessidade adaptativa responsável pela tecnologia do videocassete?
O desenrolar intrínseco de processo anterior de adaptabilidade(uma necessidade peremptória de circo). O efeito de um estímulo de um efeito de um estimulo de um  efeito de um estímulo, etc. E assim sucessivamente.
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #396 Online: 25 de Junho de 2019, 12:37:41 »


O que se pode dizer com certeza é que tecnologias complexas só podem ser criadas por cérebros complexos.
Sim, por isso uma abelhinha faz uma colmeia e uma aranha faz teias incríveis...
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Pedro Reis

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.685
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #397 Online: 25 de Junho de 2019, 13:27:20 »
É que esse desenrolar não é intrínseco. É mais complicado, na verdade, do que apenas necessidade de se adaptar ao ambiente. Assim funciona a adaptação por seleção natural, que é um processo cego. Mas a dinâmica de transformação do meio, e até da sua própria espécie, do ser humano é diferente e provavelmente qualquer outra espécie inteligente apresentaria um padrão semelhante.

Tanto não é intrínseco que em ambientes semelhantes, ou até no mesmo ambiente, nós encontramos povos em diferentes estágios de desenvolvimento. Na África subsaariana havia desde povos vivendo ainda no período neolítico até civilizações com tecnologia agrícola, escrita, que construíam cidades e  monumentos, forjavam metais.

Esse processo de desenvolvimento tecnológico é bastante complexo, atrelado a tantos fatores que contribuem dentro de um padrão caótico, que não pode ser previsível. A civilização chinesa, por exemplo, já esteve muitos séculos adiante de qualquer outra mas não passou pelo estágio do Mercantilismo que levou ao moderno capitalismo, sendo que este, por sua vez, se constituiu por natureza em  uma força propulsora de inventividade. Historicamente, se você analisar direitinho, vai constatar que estas discrepâncias ocorrem também devido a causas fortuitas. Muito mais que por necessidades adaptativas diretas.

Basicamente você está insistindo em uma teoria antiga, já desacreditada, de que, por exemplo,
culturas em lugares frios vão se desenvolver mais do que culturas de povos tropicais. Justamente
porque em ambientes frios as necessidades adaptativas requereriam soluções mais complexas. Bom, isso não se verifica na realidade: durante a maior parte da existência do Homo Sapiens os povos da Europa não foram os mais avançados tecnologicamente. Onde surgiu a agricultura, as primeiras cidades, a escrita, para ficar em alguns exemplos? Já existiam na África muito antes de serem conhecidas dos europeus. Note-se ainda que os esquimós viviam com mais simplicidade até que os índios que você usa como exemplo.

Basicamente porque a inventividade de uma mente com poderosas capacidades cognitivas não é determinada, predominantemente, por simples necessidade adaptativa. Isso tem mais a ver com adaptações evolutivas como as que produzem colmeias ou teias de aranha. Porque a "mente" da abelha é tão responsável pela invenção de uma colmeia quanto é pela invenção do ferrão. Não tem nada a ver com o cérebro da abelha, que ela nem possui.

O que eu disse é que para que CÉREBROS desenvolvam tecnologias complexas, precisam também ser complexos. Nem  daqui a 300 milhões de anos o cérebro de um chimpanzé vai inventar um arco e flecha, embora, no ambiente dele, esta pudesse ser uma ferramenta tão útil como foi para nossos antepassados humanos vivendo naquele mesmo ambiente.
« Última modificação: 25 de Junho de 2019, 13:32:56 por Pedro Reis »

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #398 Online: 25 de Junho de 2019, 13:52:00 »
Tudo é um questão de processos que ocorrem dentro de uma  demanda adaptativa.  Demandas adaptativas geram processos internos, intrínsecos a essas demandas adaptatvas. A invenção da roda, por exemplo, gera uma demanda adaptativa na qual há um processo de aperfeicoamento dela própria e de seus usos, e o mesmo acontece com outras descobertas, como as que levaram ao video cassete.

São as escolhas que são feitas em nome das soluções adaptativas as responsáveis por novas e ulteriores demandas e processos internos referentes a essas demandas.
« Última modificação: 26 de Junho de 2019, 19:30:14 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.086
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Notícias científicas supimpas que não merecem um tópico próprio
« Resposta #399 Online: 25 de Junho de 2019, 13:58:44 »
E, bem, quanto a bichos se tornando criaturas tecnológicas, há trezentos talvez menos(bem menos até) milhoes de anos terá surgido qualquer coisa parecida con um Chimpanjosé ou   Chimpanzé que se tornou o homem humano. Sem falar que há vários bichos que aprendem a fazer uso de ferramentas, desde maniferos ate aves e outros animais marinhos. Enfim, francamente complexidade é juízo de valor.
« Última modificação: 25 de Junho de 2019, 20:11:29 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!