Autor Tópico: Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida  (Lida 2135 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Hold the Door

  • Editores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.656
  • Sexo: Masculino
Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Online: 08 de Junho de 2013, 04:54:32 »
Citar
Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida

A maioria dos astrobiólogos acredita que a vida possa existir fora da Terra de alguma forma. Mas uma nova pesquisa mostra que a vida como a conhecemos na Terra, nunca poderia ter surgido se não fosse por um elemento chave trazido ao planeta por meteoritos há bilhões de anos atrás.

Cientistas da Universidade de Washington (UW) e da Universidade do Sul da Flórida (USF) descobriram que, durante as eras Hadeano e Arqueano – as duas primeiras das quatro principais eras da história mais antiga da Terra – o intenso bombardeio por meteoritos forneceu fósforo reativo essencial para criar a primeira vida na Terra.

Quando liberado na água, o fósforo reativo pode ter sido incorporado em moléculas prebióticas, e os pesquisadores documentaram a sua presença em calcário do início do Arqueano, mostrando que ele era abundante há cerca de 3,5 bilhões de anos atrás.

Buick é um co-autor do artigo publicado na semana de 03 de junho na edição online da revista Proceedings of National Academy of Sciences (PNAS). O primeiro autor é Mateus Pasek, um professor assistente de geologia na USF.

Os cientistas concluíram que os meteoritos forneceram fósforo sob a forma de minerais, que não são encontrados atualmente na superfície da Terra, e estes minerais foram corroídos pela água liberando fosfito, uma forma de fósforo observado apenas no início da Terra.

“Fósforo proveniente de meteorito pode ter sido o combustível que forneceu a energia e o próprio conteúdo de fósforo necessário para o início da vida”, disse Pasek. “Se este fósforo meteorítico é adicionado a compostos orgânicos simples, ele pode gerar biomoléculas de fósforo idênticas às observadas na vida de hoje.”

Ele disse que a pesquisa fornece uma resposta plausível por que não vemos novas formas de vida na Terra hoje: As condições sob as quais a vida surgiu há bilhões de anos não estão mais presentes. “A presente pesquisa mostra que este é realmente o caso: química de fósforo na Terra primitiva era substancialmente diferente bilhões de anos atrás do que é hoje”, disse ele.

Os resultados são baseados na análise de amostras provenientes da Austrália, Zimbabue, e dos estados americanos Virginia Ocidental, Wyoming e Flórida. A presença de fosfito foi detectada apenas nas amostras mais antigas, a partir de materiais de superfície e núcleos de perfuração que datam do início do Arqueozóico na Austrália.

Pesquisas anteriores mostraram que as primeiras formas biológicas podem ter evoluído a partir de RNA apenas, antes do surgimento da vida baseada no modelo DNA-RNA-proteína. Mas os cientistas não sabiam como os primeiros proto-organismos baseados em RNA incorporaram fósforo ambiental, que em sua forma atual, o fosfato, é relativamente insolúvel e inerte.

Embora possa haver outras fontes de fosfito, não há outras fontes terrestres que poderiam ter produzido as quantidades necessárias para serem dissolvidas nos oceanos da Terra primitiva que deu origem à vida, concluíram os pesquisadores. O fosfito de meteoritos teria sido suficientemente abundante para dominar a química dos oceanos, com a sua assinatura química depois de ficar preso e preservados em carbonato marinho.

“Esta descoberta abre o caminho para muitos novos experimentos de química prebiótica e pode até mesmo permitir a produção de uma molécula de RNA catalítico replicante em um tubo de ensaio, imitando o que poderia ter acontecido naturalmente durante a origem da vida”, disse o Buick.

Outros co-autores são Jelte Harnmeijer da UW e do Centro de Edimburgo para Inovações do Carbono, na Escócia e Maheen Gull e Zachary Atlas da USF. O trabalho foi financiado por concessões do National Science Foundation, do Instituto Agouron e da NASA.

# # #

Para mais informações, entre em contato com Buick pelo telefone 206-543-1913 ou pelo email buick@ess.washington.edu.

Esta matéria é baseada, em parte, em um artigo de Vickie Chachere da University of South Florida.

http://networkedblogs.com/LYHmJ
Hold the door! Hold the door! Ho the door! Ho d-door! Ho door! Hodoor! Hodor! Hodor! Hodor... Hodor...

Offline Price

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.564
  • Manjo das putarias
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #1 Online: 10 de Junho de 2013, 19:34:43 »
Isto não reforça ainda mais o argumento que a vida só surge de um ajuste fino, com probabilidades mínimas de acontecer?
Se você aceitar algumas colocações minhas...
A única e verdadeira razão de eu fazer este comentário em resposta é deixar absolutamente claro que NÃO ACEITO "colocações" suas nem de quem quer que seja.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.891
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #2 Online: 10 de Junho de 2013, 20:25:12 »
Isso só reforca a "Rare Earth Hypothesis".

Citar
In planetary astronomy and astrobiology, the Rare Earth hypothesis argues that the emergence of complex multicellularlife (metazoa) on Earth required an improbable combination of astrophysical and geological events and circumstances. The term"Rare Earth" comes from Rare Earth: Why Complex Life Is Uncommon in the Universe (2000), a book by Peter Ward, a geologist and paleontologist, and Donald E. Brownlee, an astronomer and astrobiologist. Their book is the source for much of this article. The rare earth hypothesis is the contrary of the principle of mediocrity (also called the Copernican principle), advocated by Carl Sagan and Frank Drake, among others.

The principle of mediocrity concludes that the Earth is a typical rocky planet in a typical planetary system, located in an unexceptional region of acommon barred-spiral galaxy. Hence it is probable that the universe teems with complex life. Ward and Brownleeargue to the contrary: planets, planetary systems, and galactic regions that are as friendly to complex life as are the Earth, the solar system, and our region of the Milky Way are very rare.By concluding that complex life is uncommon, the Rare Earth hypothesis is a possible solution to the Fermi paradox:"If extraterrestrial aliens are common, why aren't they obvious?"
http://www.scribd.com/doc/36001361/Origin-of-Life-wiki
« Última modificação: 10 de Junho de 2013, 20:27:13 por Gigaview »
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline D|V

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 650
  • Sexo: Masculino
  • Livre pensador
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #3 Online: 11 de Junho de 2013, 17:37:06 »
Isto não reforça ainda mais o argumento que a vida só surge de um ajuste fino, com probabilidades mínimas de acontecer?

Eu sempre achei que a probabilidade da existência de vida no nosso Universo fosse a menor possível, mas isso de maneira nenhuma serve como argumento pra existência de alguma entidade inteligente por detrás, afinal, por menor que seja essa probabilidade, o Universo é tão mais infinitamente vasto do que podemos conceber que as chances da existência de pelo menos um planeta com vida no Universo inteiro tende a 100%.

Pelo menos é o meu modo de pensar, e o argumento que eu uso quando citam essa baixa probabilidade.

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.783
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #4 Online: 11 de Junho de 2013, 20:14:00 »
A aparente escassez da vida atesta mais contra do que a favor do argumento da vida como resultado de um ajuste fino para a existência de uma entidade inteligente. Se a vida é tão improvável, conforme o argumento, sua abundância é que seria de fato algo surpreendente.

Offline West

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.888
  • Sexo: Masculino
  • "Como um grão de poeira suspenso num raio de sol"
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #5 Online: 13 de Junho de 2013, 22:16:58 »
Ajuste fino aplicado à vida é ridículo, primeiro porque não se tem nem mesmo um consenso sobre o que seja a vida e também porque não podemos desprezar a possibilidade de outros arranjos que pudéssemos chamar de vida mas que não somos sequer capazes de imaginar por serem totalmente diferentes dos nossos padrões.
« Última modificação: 13 de Junho de 2013, 22:22:49 por West »
"Houve um tempo em que os anjos perambulavam na terra.
Agora não se acham nem no céu."
__________
Provérbio Iídiche.

"Acerca dos deuses não tenho como saber nem se eles existem nem se eles não
existem, nem qual sua aparência. Muitas coisas impedem meu conhecimento.
Entres elas, o fato de que eles nunca aparecem."
__________
Protágoras.Ensaio sobre os deuses. Séc. V a.C.

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #6 Online: 14 de Junho de 2013, 15:22:47 »
Ajuste fino aplicado à vida é ridículo, primeiro porque não se tem nem mesmo um consenso sobre o que seja a vida
Não se tem nem mesmo um consenso do que seja consciência, não se tem nem mesmo um consenso do que seja moral, não se tem nem mesmo um consenso do que seja espírito, não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia, não se tem nem mesmo um consenso do que seja... enfim, há consenso sobre alguma coisa?


Citar
e também porque não podemos desprezar a possibilidade de outros arranjos que pudéssemos chamar de vida mas que não somos sequer capazes de imaginar por serem totalmente diferentes dos nossos padrões.
Tipo assim uma vida invisível, indetectável, imperceptível, que parece não existir...

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.172
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #7 Online: 14 de Junho de 2013, 16:04:49 »
Ajuste fino aplicado à vida é ridículo, primeiro porque não se tem nem mesmo um consenso sobre o que seja a vida
Não se tem nem mesmo um consenso do que seja consciência, não se tem nem mesmo um consenso do que seja moral, não se tem nem mesmo um consenso do que seja espírito, não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia, não se tem nem mesmo um consenso do que seja... enfim, há consenso sobre alguma coisa?

Há consenso sobre a falta de consenso  :hihi:.
"Deus prefere os ateus"

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.891
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #8 Online: 14 de Junho de 2013, 19:59:34 »
A falta de consenso não torna o ajuste fino menos ridículo.
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Hold the Door

  • Editores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.656
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #9 Online: 15 de Junho de 2013, 12:13:01 »
não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia

Entropia é muito bem definida no campo que lhe é de direito, a física.
Hold the door! Hold the door! Ho the door! Ho d-door! Ho door! Hodoor! Hodor! Hodor! Hodor... Hodor...

Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #10 Online: 15 de Junho de 2013, 21:35:03 »
Tipo assim uma vida invisível, indetectável, imperceptível, que parece não existir...
Só alguém que não sabe como é difícil olhar pra outros planetas fora do nosso sistema planetário pode dizer algo assim. E só alguém que também não sabe o tamanho do universo pode dizer que só existe vida aqui.
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #11 Online: 17 de Junho de 2013, 15:45:04 »
não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia

Entropia é muito bem definida no campo que lhe é de direito, a física.
Mais ou menos. Entropia é uma coisa que sempre cresce e que exemplificamos com alguns experimentos tais como uma chícara de café que esfria sobre a mesa. É uma espécie assim de fenômeno que faz com que as coisas aconteçam em uma direção e não na outra.

Defina melhor que isso se for capaz e não me venha com fórmulas de s = integral de delta Q sobre T

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #12 Online: 17 de Junho de 2013, 15:46:11 »
Tipo assim uma vida invisível, indetectável, imperceptível, que parece não existir...
Só alguém que não sabe como é difícil olhar pra outros planetas fora do nosso sistema planetário pode dizer algo assim. E só alguém que também não sabe o tamanho do universo pode dizer que só existe vida aqui.

Resolva o paradoxo de Fermi ou cale-se para sempre.

Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #13 Online: 20 de Junho de 2013, 21:06:21 »
Resolva o paradoxo de Fermi ou cale-se para sempre.
Não há o que resolver, existe tantos problemas entre duas civilizações se comunicarem:
- distância
- incompatibilidade tecnológica
- Vontade. Por exemplo, a NASA sabe que a lua Europa pode ter vida, mas não foi até lá ainda pois não sabe como acessar essa vida sem contaminar o ambiente da lua. E ela tem tanto medo de contaminar a lua com vida daqui que jogou uma sonda em Júpiter pra destruir e não poluir a lua Europa. E se civilizações superiores não quiserem entrar em contato com os humanos por algum motivo? Ainda somos um tanto primitivos, é só olhar a quantidade de adoradores de Deus (deuses) que existe por aqui. Então...

Mas é impossível não haver vida além da nossa no Universo. Existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na terra.
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #14 Online: 21 de Junho de 2013, 11:49:24 »
Resolva o paradoxo de Fermi ou cale-se para sempre.
Não há o que resolver, existe tantos problemas entre duas civilizações se comunicarem:
- distância
- incompatibilidade tecnológica
- Vontade. Por exemplo, a NASA sabe que a lua Europa pode ter vida, mas não foi até lá ainda pois não sabe como acessar essa vida sem contaminar o ambiente da lua. E ela tem tanto medo de contaminar a lua com vida daqui que jogou uma sonda em Júpiter pra destruir e não poluir a lua Europa. E se civilizações superiores não quiserem entrar em contato com os humanos por algum motivo? Ainda somos um tanto primitivos, é só olhar a quantidade de adoradores de Deus (deuses) que existe por aqui. Então...

Mas é impossível não haver vida além da nossa no Universo. Existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na terra.
Impossível não é. Pode ser quase impossível.

Offline Fabi

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.801
  • Sexo: Feminino
  • que foi?
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #15 Online: 21 de Junho de 2013, 21:37:55 »
Até acharem vida na lua Europa... ou em outro sistema planetário, agora com quase mil planetas confirmados é só analisar os dados e esperar que apareça um que tenha vida.
Difficulter reciduntur vitia quae nobiscum creverunt.

“Deus me dê a serenidadecapacidade para aceitar as coisas que não posso mudar, a coragem para mudar o que posso, e a sabedoria para saber a diferença” (Desconhecido)

Offline caerus

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 392
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #16 Online: 22 de Junho de 2013, 11:47:47 »
não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia

Entropia é muito bem definida no campo que lhe é de direito, a física.
Mais ou menos. Entropia é uma coisa que sempre cresce e que exemplificamos com alguns experimentos tais como uma chícara de café que esfria sobre a mesa. É uma espécie assim de fenômeno que faz com que as coisas aconteçam em uma direção e não na outra.

Defina melhor que isso se for capaz e não me venha com fórmulas de s = integral de delta Q sobre T

A entropia é uma grandeza que mede o número de possibilidades de distribuição de energia de um dado sistema, ou seja, o número de microestados acessíveis às suas partículas.

Offline caerus

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 392
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #17 Online: 22 de Junho de 2013, 11:52:48 »
Resolva o paradoxo de Fermi ou cale-se para sempre.
Não há o que resolver, existe tantos problemas entre duas civilizações se comunicarem:
- distância
- incompatibilidade tecnológica
- Vontade. Por exemplo, a NASA sabe que a lua Europa pode ter vida, mas não foi até lá ainda pois não sabe como acessar essa vida sem contaminar o ambiente da lua. E ela tem tanto medo de contaminar a lua com vida daqui que jogou uma sonda em Júpiter pra destruir e não poluir a lua Europa. E se civilizações superiores não quiserem entrar em contato com os humanos por algum motivo? Ainda somos um tanto primitivos, é só olhar a quantidade de adoradores de Deus (deuses) que existe por aqui. Então...

Mas é impossível não haver vida além da nossa no Universo. Existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na terra.

Você só não está levando em conta que civilizações alienígenas podem ser milhões ou bilhões de anos mais avançadas que os humanos, o que ( em minha humilde opinião) tornaria nossos problemas atuais absolutamente ridículos.

Offline Hold the Door

  • Editores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.656
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #18 Online: 22 de Junho de 2013, 16:42:31 »
não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia

Entropia é muito bem definida no campo que lhe é de direito, a física.
Mais ou menos.

Não, não é mais ou menos. É muito bem definida mesmo.

Entropia é uma coisa que sempre cresce e que exemplificamos com alguns experimentos tais como uma chícara de café que esfria sobre a mesa. É uma espécie assim de fenômeno que faz com que as coisas aconteçam em uma direção e não na outra.

Defina melhor que isso se for capaz e não me venha com fórmulas de s = integral de delta Q sobre T

Isso que você deu não é uma definição de entropia. É no máximo uma exemplicação para leigos sobre entropia. Então quando você pede que eu defina melhor que isso se for capaz, você na verdade está pedindo que eu explique melhor do que isso em termos leigos se for capaz, o que não tem nada a ver com definir tecnicamente entropia.

O fato da entropia não ser um conceito fácil de explicar - e de se fazer entender - para leigos, não altera o fato de que ela é sim um conceito muito bem definido dentro da física, tanto termodinamicamente quanto estatisticamente.
Hold the door! Hold the door! Ho the door! Ho d-door! Ho door! Hodoor! Hodor! Hodor! Hodor... Hodor...

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #19 Online: 22 de Junho de 2013, 17:26:11 »
Isto não reforça ainda mais o argumento que a vida só surge de um ajuste fino, com probabilidades mínimas de acontecer?
Embora já tenham desabado a tentar responder...   ...sei lá o que, não vejo que pergunta seria essa. Poderia esquadrinhar de onde tirou isso?





Resolva o paradoxo de Fermi ou cale-se para sempre.
Não há o que resolver, existe tantos problemas entre duas civilizações se comunicarem:
- distância
- incompatibilidade tecnológica
- Vontade. Por exemplo, a NASA sabe que a lua Europa pode ter vida, mas não foi até lá ainda pois não sabe como acessar essa vida sem contaminar o ambiente da lua. E ela tem tanto medo de contaminar a lua com vida daqui que jogou uma sonda em Júpiter pra destruir e não poluir a lua Europa. E se civilizações superiores não quiserem entrar em contato com os humanos por algum motivo? Ainda somos um tanto primitivos, é só olhar a quantidade de adoradores de Deus (deuses) que existe por aqui. Então...

Mas é impossível não haver vida além da nossa no Universo. Existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na terra.
Impossível não é. Pode ser quase impossível.
Você poderia, talvez, provar esse seu ponto se pudesse evidenciar que o universo é QUASE infinito e não EFETIVAMENTE infinito. Como não pode, sim, é IMPOSSÍVEL não haver vida fora dos limites arbitrariamente terrestrizados. Atente para o detalhe do final do que acabo de dizer pois trata-se de um crucial, que o forista Lucks resistiu à desonestidade reconhecer.

O paradoxo de Fermi é uma daquelas coisas que existem só para provar que ninguém é perfeito. Eu perdoo o Fermi por essa besteira. É uma arrogância desmedida usar o tempo de vida humana para estabelecer esse tipo de coisa. Tanto faria, considerando a quantidade de computadores que temos na Terra, hoje, a já começarem a se tornar sério problema ambiental (e vai uma dose de reaproveitamento nessa esteira também... travestida de cuidados) se um helênico perguntasse "onde estão os computadores, então?"

Essa sua questão sobre entropia nem mesmo é questão. De fato, um corpo que esfria não é exemplo de entropia, pois o foco está na irreversibilidade espontânea do processo e isso não fica demonstrado; trata-se de conclusão indutiva. Você pode até pegar um diagrama termodinâmico e encontrar transformações com entropia constante ou decrescente, mas... Entropia é um dos mais profundos e complexos conceitos sobre a natureza, visto que pode-se arbitrarizar uma ilusória entropia local que antagoniza com a universal, essa da qual você fala, que serviria como uma espécie de grandeza-piloto do mesmo, pela qual se poderia aferir, por exemplo, a idade do universo, medido o seu valor universal absoluto. Entropia surge na técnica e se estende em ciência, e é nessa extensão que está seu (seu, famado) aparente problema. Não é fácil, não. Mas você está profundamente equivocado.





Resolva o paradoxo de Fermi ou cale-se para sempre.
Não há o que resolver, existe tantos problemas entre duas civilizações se comunicarem:
- distância
- incompatibilidade tecnológica
- Vontade. Por exemplo, a NASA sabe que a lua Europa pode ter vida, mas não foi até lá ainda pois não sabe como acessar essa vida sem contaminar o ambiente da lua. E ela tem tanto medo de contaminar a lua com vida daqui que jogou uma sonda em Júpiter pra destruir e não poluir a lua Europa. E se civilizações superiores não quiserem entrar em contato com os humanos por algum motivo? Ainda somos um tanto primitivos, é só olhar a quantidade de adoradores de Deus (deuses) que existe por aqui. Então...

Mas é impossível não haver vida além da nossa no Universo. Existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na terra.

Você só não está levando em conta que civilizações alienígenas podem ser milhões ou bilhões de anos mais avançadas que os humanos, o que ( em minha humilde opinião) tornaria nossos problemas atuais absolutamente ridículos.
Ela está levando em conta exatamente o que faz científico sentido ser considerado. Essa hipótese de avanço infinito (que diferença do infinito teria qualquer capacidade resolutiva de qualquer medição a medir isso de "bilhões de vezes mais..."? -- só pode ser filosofizado, portanto, nenhuma ciência pode haver aí) é uma fantasia filosofesca deliresca e nada além.

Em minha observação (expurgo opiniões de mim tanto quanto minha capacidade permite), vejo máquinas fantásticas desde os primórdios da vida. A tecnologia humana se compara como um refugo do processo. Depois de bilhões de anos de vida evoluindo na Terra, não vejo porque esperar mais que uma convergência tecnólogica para essa tecnologia biológica. Por outro lado, esperar uma transgressão das leis da física é simplesmente religioso.

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #20 Online: 22 de Junho de 2013, 18:41:51 »
...
Essa sua questão sobre entropia nem mesmo é questão. De fato, um corpo que esfria não é exemplo de entropia, pois o foco está na irreversibilidade espontânea do processo e isso não fica demonstrado; trata-se de conclusão indutiva. Você pode até pegar um diagrama termodinâmico e encontrar transformações com entropia constante ou decrescente, mas... Entropia é um dos mais profundos e complexos conceitos sobre a natureza, visto que pode-se arbitrarizar uma ilusória entropia local que antagoniza com a universal, essa da qual você fala, que serviria como uma espécie de grandeza-piloto do mesmo, pela qual se poderia aferir, por exemplo, a idade do universo, medido o seu valor universal absoluto. Entropia surge na técnica e se estende em ciência, e é nessa extensão que está seu (seu, famado) aparente problema. Não é fácil, não. Mas você está profundamente equivocado.

Meu dileto  amigo, eu faço muita força para entender seus textos. Vc escreve apenas para quem tem profundo conhecimento das coisas que vc domina.
Vamos lá. Sem duvida que tenho problemas com a ciência. Meu conhecimento científico é pequeno. Eu até tenho um humilde doutorado, mas não milito na ciência. Tirei o doutorado porque era uma oportunidade que apareceu pra ganhar um título e um cascalho a mais. Sou engenheiro e trabalho nisso. Especificamente, na execução dos projetos. Na área naval. Sou até relativamente bem sucedido. Mas isso não importa.
Quando o nobre colega  afirma que eu estou profundamente equivocado, vc está falando do que? De minha definição de entropia através do exemplo da xícara que se esfria? Mas a xícara sobre a mesa não esfria porque a entropia aumenta? Isso não está certo? Se não, esclarece melhor em uma linguagem simples.

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #21 Online: 22 de Junho de 2013, 18:50:16 »
não se tem nem mesmo um consenso do que seja entropia

Entropia é muito bem definida no campo que lhe é de direito, a física.
Mais ou menos.

Não, não é mais ou menos. É muito bem definida mesmo.

Entropia é uma coisa que sempre cresce e que exemplificamos com alguns experimentos tais como uma chícara de café que esfria sobre a mesa. É uma espécie assim de fenômeno que faz com que as coisas aconteçam em uma direção e não na outra.

Defina melhor que isso se for capaz e não me venha com fórmulas de s = integral de delta Q sobre T

Isso que você deu não é uma definição de entropia. É no máximo uma exemplicação para leigos sobre entropia. Então quando você pede que eu defina melhor que isso se for capaz, você na verdade está pedindo que eu explique melhor do que isso em termos leigos se for capaz, o que não tem nada a ver com definir tecnicamente entropia.

O fato da entropia não ser um conceito fácil de explicar - e de se fazer entender - para leigos, não altera o fato de que ela é sim um conceito muito bem definido dentro da física, tanto termodinamicamente quanto estatisticamente.
Como de fato. É um conceito muito bem definido. Só não é fácil de entender. Presumo que o exemplo que dei dê alguma idéia do que é. Aliás, é perdoável não saber definir bem entropia. O que é não perdoável é escrever xícara errado. Maldito português.

 

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #22 Online: 30 de Junho de 2013, 23:48:02 »
Houston...  !

Famado, por certo tens muita, muita dificuldade em ciência. Para afirmar que não há uma definição muito acima até do consensual para entropia, sendo que afirmas ter formação em engenharia e doutorado na área. Considerando, ademais, que exige a dispensa da expressão matemática, que nada mais é que uma das muitas formas de representar o que, inexoravelmente, de qualquer outra possível expressibilidade com correspondência real oferecerá a mesma representação. Por fim, vendo que insiste nisso... tem mesmo.

Não sei, realmente, porque veio com "that's my badge". Talvez para impressionar, o que, comigo, nenhuma chance de emplacar tem. Talvez para oferecer um background a um meu possível plano de ensino para você (nenhum efeito, de qualquer forma; nem faria diferença se você trabalha em estruturas ou com máquinas, diante de sua posição quanto ao tema). Talvez outra razão qualquer.

"Palavras simples"? O que seria isso? Algo como, por exemplo, sim? Não? Sim, você está errado. Não, você não está certo. Acha que é simples te mostrar como/porque? ...Vamos tentar o seguinte:

Fundamentos fundamentais. Conhece aquela situação dos filosofadores compulsivos irremediáveis de identificar toda atividade cerebral mais que vegetativa como filosofia? Para esses pensadores, tudo é filosofia. Então, criam subcategorizações filosóficas; uma delas, dizem que é ciência. Você parece estar atuando dessa forma sem perceber que, pela sua própria definição DE *exemplaridade*, TUDO é exemplo de entropia. A xícara/café que esfria, o sistema trocador que recebe o calor tranferido eventualmente esquentando, um sistema em equilíbrio térmico até! O que não seria um exemplo de "entropia em ação"? Sim, "entropia em ação", segundo você, sua "conceituação", porque essa "*sua*" "entropia" lembra muito aqueles conceitos etéreos de calórico, flogisto, vis viva, humores e... o diacho. Ou, lembra algo consciente decisório a determinar a direção (sentido) de processos físicos.

Isso é muito difícil para você? Capta alguma coisa aqui? Vejamos se você percebe o resto por si mesmo e me ajuda a te ajudar.


Editado para incluir ponto de interrogação que faltou em "O que não seria um exemplo de "entropia em ação"?" mais outros detalhes.
« Última modificação: 02 de Julho de 2013, 02:07:47 por Cientista »

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.891
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #23 Online: 01 de Julho de 2013, 20:18:10 »
Citar
Eu perdoo o Fermi por essa besteira.

Eu quem?

Merecia outro cartão amarelo por trolismo.
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Bolsonaro neles

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.618
  • Sexo: Masculino
Re:Cientistas resolvem um mistério de 3,5 bilhões de anos de vida
« Resposta #24 Online: 02 de Julho de 2013, 13:41:26 »
É de lascar. KKKKKKKKKK.

Esse rapaz é de que país hein?

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!