Autor Tópico: O Grande Irmão está nascendo?  (Lida 4839 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Vento Sul

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.728
  • Sexo: Masculino
  • Os lábios são as primeiras barreiras
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #50 Online: 15 de Julho de 2013, 01:22:37 »
Hoje, poder maior é a informação, então nada mais óbvio que países com o perfil dos EuA tem todo um aparato para ter nas mãos  para tentar "prever" ou "antecipar" dados de seu interesse, esse espanto por estas "pesquisas" constantes deles em nossas vidas é puro fingimento, que pode ser até estratégico, pois conheço pessoas (amigos de infância, que quando em visita a minha terrinha nos encontramos e tomamos umas e batemos longos papos) que trabalham em contra-espionagem em empresas prestadoras de serviço em vários países, inclusive no próprio EUA... isso não passa de rotina para aqueles que atingem algum significado no meio industrial, financeiro e político. 
- Coisas curiosas fiquei sabendo há muito tempo, (através desses amigos) por exemplo, houve uma época que produtoras musicais tentaram conter o avanço de downloads de músicas via P2P, e lançaram milhões de arquivos falsos, você baixava uma música e o conteúdo não tinha nada haver com aquilo, os programas de P2P se especializaram, e até descobriram quais arquivos eram falsos. Imagina então robôs gerando informações falsas, com palavras, frases suspeitas, etc aos milhares, constantemente, atazanando e poluindo as fontes "pesquisadas".  Pode ter certeza que a nata dos integrantes dos Anounymous não são meros hackers aventureiros, eles de alguma forma estão inseridos (trabalho afim) na rede global da informação. É do mesmo modo ingênuo achar que instrumento de redes sociais, tem aporte milionário, só por colocar comerciais nas suas páginas, o que está a venda, e que dá lucro é o dossiê completo do perfil da massa que consome, vota e tem opinião.
Não saia de casa sem seu guarda-chuva!  :hihi:
.
.
Resumindo: Ou acreditamos em mágica ou não!
 
 
 
 .

Offline Price

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.564
  • Manjo das putarias
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #51 Online: 15 de Julho de 2013, 09:36:20 »
Esses anonimos não têm o que fazer contra o poderio americano. Quem chega mais perto de fazer frente à governos são os grupos hackers financiados pelo governo iraniano ou chinês, seguidos dos brasieiros e turcos que se financiam com crime virtual. Quem realmente manja de informática se mantém longe do governo e longe de grupos de hacktivism.
Se você aceitar algumas colocações minhas...
A única e verdadeira razão de eu fazer este comentário em resposta é deixar absolutamente claro que NÃO ACEITO "colocações" suas nem de quem quer que seja.

Offline Vento Sul

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.728
  • Sexo: Masculino
  • Os lábios são as primeiras barreiras
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #52 Online: 15 de Julho de 2013, 19:00:46 »
Acho que todos tem seu preço!
.
.
Resumindo: Ou acreditamos em mágica ou não!
 
 
 
 .

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #53 Online: 16 de Julho de 2013, 02:27:25 »
Quem não deve, não teme.
"Quem não deve" o que a quem? "Não teme" o que, quem?

Essas frases feitas, como essa e "quando um não quer, dois não brigam, "os incomodados que se mudem (como fosse uma "solução" para algum conflito, desconsiderando-se a imensa e profunda fascinorice da mesma),... não têm sentido, finalidade, nem no mínimo sentido mais objetivo que poderiam ter. Até escravos conformados não estão isentos do que temer.
Post scriptum para errata e reedição complementadora tardio:

Desculpem, quando escrevi foi um tanto apressado e desconcentradamente. A última frase deve ser retificada para: Até escravos conformados não estão isentos *de ter* o que temer. Até nos mais mínimos e recônditos detalhes pessoais, espreitáveis pelos senhores (para, limitadamente, vincular à especificidade da questão aqui), que suas esvaziadas dignidades ainda permitam sustentar, como sentimentos nutridos por outros ou por algo, qualquer coisa que possa vir a conflitar com interesses dos senhores, ainda que nem seja o que procuram ou supõem.

Assim fica melhor.

Além disso, como, após leitura mais detida vi que há postagens em que posso expor o esclarecimento maior que não está aqui, deixo o mais para elas.


Só que a espionagem, enquanto secreta, não impede as liberdades individuais.
O queeeee???!

Peraí que... tá difícil mas tô tentando...  "enquanto secreta" ou enquanto é secreto que é secreta..., que é secreto que existe? Quem se sente livre sabendo ou mesmo suspeitando (qual seja o pior) que é espionado?

Ou... seria "que espionagem, *só enquanto espionagem*" não suprime liberdades? Uma variação do mesmo chavão "quem não deve, não teme"?

Ou... ...não dá, isso é tão absurdo que não dá para enumerar todas as facetas do mesmo.



essas espionagens que lidam com volume imenso de dados não são individuais. Não somos espionados individualmente até porque seria impossível* mas podemos ser individualmente espionados caso os gatilhos de interesse sejam disparados (perfil, textos que remetem a terrorismo, etc..)
Explícita contradição aqui! O monitoramento dos "gatilhos" (...andou assistindo a Inimigo do Estado ou é muito comum esse papo conspiracionista dos "gatilhos" por aí?) é individual. E você mesmo disse isso! Mas, os "gatilhos" podem incluir textos que remetem ao terrorismo? Tá de brincadeira ou não pensou um pouco antes de escrever isso? Seriam textos como aqueles que só escrevem... quase todo mundo na Terra?! Aí até que você retornaria ao seu conceito, o que (re)tornaria tal tática inútil.

Além do que, os "gatilhos" podem ser muito mais sofisticados que os "por fora" podem saber. Quem vai saber?... Possibilidade tecnológica há.

Também, trata-se de enorme aparato *nas mãos de PESSOAS*, com diversos graus de acesso.


* ter nossas informações analisadas por sistemas não significa que alguém tome ciência disso.
O problema é que ter nossas informações tomadas por alguém não significa que elas foram/tenham que ter sido analisadas por sistemas automáticos. Sistemas como esses, aforas seus suportes físicos, são coisas abstratas. O que há de perigoso é que são humanos (*indivíduos*, aqueles com características humanas de todo tipo) que detêm esse aparato nas mãos, em diversos níveis de acesso de burlabilidade sempre provável. É só pensar no que faz o grupo com acesso a essa máquina virtual estatal brasileira, e mundial mesmo, para a coisa não agradar.

Quem determina quais palavras-chave disparam os "gatilhos"? Qual é a programabilidade desse(s) sistema(s)? Alguém poderia fazer suas busquinhas de interesses pessoais escusos num google espião particularizado improbamente? ...? ...?




Acho que em tempos de Facebook, fóruns e redes sociais, intimidade e privacidade são termos muito, muito flexíveis. Até que ponto é invasão de privacidade uma empresa ver todos os seus posts nos sites onde você concordou com os termos de adesão e utilizar-se destes dados para fazer propaganda direcionada de acordo com seus interesses? Isso é mau uso?

E se eles sabem o que eu penso ou o que pretendo fazer... e daí? A Constituição me garante liberdade de opinião e a lei me garante que não serei punido por mera cogitação de qualquer ato.


Você concordou que o governo de algum país também soubesse de todos os seus dados, incluso os mais sigilosos?

Não é que ele tenha concordado, ele disse que não se importa.
Aaaaaaa siiiiiim, agoora acho que entendi onde está o problema...


...de vocês.

Pensei que fosse bem óbvio que o "quem não deve, não teme" vale (deveria valer) para todos, incluindo quem espiona, o que cria um belo paradoxo daqueles: se eles espionam tão desesperadamente tudo e todos à volta sob pretexto de uma claro temor...  ...significa que eles devem exatamente o que a quem?

Como o perigo pode vir de toda e qualquer parte, e já que "quem não deve, não teme", espionemo-nos todos mutuamente e cooperadamente bem às abertas e encerremos com essa coisa ridícula da 'secreticidade' (sigilosidade) necessária pretextuosa. Eu também vou querer espreitar e bisbilhotar o Obama! E todos os outros desse mundo! E ele não deverá se importar com isso! "Quem deve", muito mais que provavelmente irá se recusar e quererá manter secretas suas investigações. Quem não deve, não teme!





essas espionagens que lidam com volume imenso de dados não são individuais. Não somos espionados individualmente até porque seria impossível* mas podemos ser individualmente espionados caso os gatilhos de interesse sejam disparados (perfil, textos que remetem a terrorismo, etc..)

* ter nossas informações analisadas por sistemas não significa que alguém tome ciência disso.

Não só. Entre alguém saber utilizar-se disto contra você tem alguma distância. Em alguns momentos históricos isto foi perigoso, hoje... Duvido.
HEEEEin?!

Offline Price

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.564
  • Manjo das putarias
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #54 Online: 16 de Julho de 2013, 09:16:17 »
Só que a espionagem, enquanto secreta, não impede as liberdades individuais.
O queeeee???!

Peraí que... tá difícil mas tô tentando...  "enquanto secreta" ou enquanto é secreto que é secreta..., que é secreto que existe? Quem se sente livre sabendo ou mesmo suspeitando (qual seja o pior) que é espionado?

Ou... seria "que espionagem, *só enquanto espionagem*" não suprime liberdades? Uma variação do mesmo chavão "quem não deve, não teme"?

Ou... ...não dá, isso é tão absurdo que não dá para enumerar todas as facetas do mesmo.

Um individíduo que não sabe que é espionado não teme pela sua integridade nem modifica suas rotinas ou hábitos. Espionagem naturalmente não afeta liberdades individuais.
Se você aceitar algumas colocações minhas...
A única e verdadeira razão de eu fazer este comentário em resposta é deixar absolutamente claro que NÃO ACEITO "colocações" suas nem de quem quer que seja.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #55 Online: 16 de Julho de 2013, 13:17:29 »
O que mais me impressiona nessa história, e que remete ao Huxley, é a aparente pequena repercussão do escândalo real entre os próprios americanos. Parece até que eles engoliram realmente aquele papo furado de que era "para sua própria proteção". Eles parecem perfeitamente felizes escutando Kanye, Bieber e Gaga, vendo seus blockbursters no cinema e postando seus jantares no instagram, dando carta branca para seu governo fazer o que bem entende.
Num país onde derrubaram as torres gêmeas isso não surpreende. Principalmente depois que falaram que
a CIA e FBI estavam no rastro dos terroristas mas que estavam presos em burocracia...

Eles devem preferir que a CIA, NSA, FBI e façam algo contra terroristas do que ter privacidade, principalmente depois de um evento que marcou tanto a vida dos americanos, que foi o 11/09 (as pessoas subestimam o quanto esse fato marcou a vida dos norte americanos).

Entendo. O problema é que "con los terroristas" na verdade é um espantalho (dos que assustam, não no sentido da falácia): o tipo de atentado cometido em 11/09/2001 se tornou impraticável quase instantaneamente: só funcionou porque as autoridades pensaram tratar-se de sequestros de avião à moda antiga, com negociações e demandas. Foi um grande golpe da Al Qaeda, mas que dificilmente se repetiria mesmo se não tivessem sido tomadas medidas tão abrangentes de combate ao terrorismo. A probabilidade de se morrer em um atentado continua ínfima - e já era assim antes. No final das contas, fica a impressão de que Bin Laden venceu: os terroristas odeiam a democracia e os ideais de liberdade que norteavam a cultura americana*. Esses estão sendo destruídos lentamente e, o que é pior, pouca gente parece estar lamentando.


*No sentido de serem algo que os americanos almejavam, não que necessariamente já tivessem.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #56 Online: 16 de Julho de 2013, 17:43:44 »
essas espionagens que lidam com volume imenso de dados não são individuais. Não somos espionados individualmente até porque seria impossível* mas podemos ser individualmente espionados caso os gatilhos de interesse sejam disparados (perfil, textos que remetem a terrorismo, etc..)
Explícita contradição aqui! O monitoramento dos "gatilhos" (...andou assistindo a Inimigo do Estado ou é muito comum esse papo conspiracionista dos "gatilhos" por aí?) é individual. E você mesmo disse isso! Mas, os "gatilhos" podem incluir textos que remetem ao terrorismo? Tá de brincadeira ou não pensou um pouco antes de escrever isso? Seriam textos como aqueles que só escrevem... quase todo mundo na Terra?! Aí até que você retornaria ao seu conceito, o que (re)tornaria tal tática inútil.

Além do que, os "gatilhos" podem ser muito mais sofisticados que os "por fora" podem saber. Quem vai saber?... Possibilidade tecnológica há.

Também, trata-se de enorme aparato *nas mãos de PESSOAS*, com diversos graus de acesso.

Talvez não tenha me explicado ou achado que era evidente. Gatilhos (Trigger) é um termo técnico em computação, é função computacional, associada a um evento, que é disparada quando uma expressão lógica booleana é verdadeira. Então se você está sendo monitorado computacionalmente isso não quer dizer que alguém tenha ciência do que você está dizendo, a não ser que a condição seja verdadeira e esse gatilho seja disparado e te torne um alvo de uma investigação. Resumindo, você ainda não perdeu sua privacidade enquanto não se tornou alvo.

Essa expressão lógica pode ter sido disparada, por exemplo, quando uma inserção de um post de facebook (evento) possui palavras como bombas, vingança, etc.. de um usuário de nacionalidade (X,Y,Z) em um determinado contexto feito através de NLP (natural language processing). Se a condição "true", então eles colocam você em uma fila para análise mais profunda. No momento que isso acontece,  você irá perder sua privacidade.

Claro que para isso ser verdade a premissa é que não há perda de privacidade se o monitoramento é apenas eletrônico sem que um ser humano tenha tomado ciência do seu caso específico nem ações adicionais tenham sido tomadas.

Sobre as buscas fora das condições de trigger, sim, é possível. É o que chamamos de buscas ad hoc e a condição necessária para isso é o acesso a todas as informações que serão processadas em uma base de dados, o que é completamente distinto do caso do trigger, que é restrito a um evento específico.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Südenbauer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.297
  • Sexo: Masculino
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #57 Online: 17 de Julho de 2013, 03:03:26 »
Acho que em tempos de Facebook, fóruns e redes sociais, intimidade e privacidade são termos muito, muito flexíveis. Até que ponto é invasão de privacidade uma empresa ver todos os seus posts nos sites onde você concordou com os termos de adesão e utilizar-se destes dados para fazer propaganda direcionada de acordo com seus interesses? Isso é mau uso?

E se eles sabem o que eu penso ou o que pretendo fazer... e daí? A Constituição me garante liberdade de opinião e a lei me garante que não serei punido por mera cogitação de qualquer ato.
<a href="http://www.youtube.com/v/eUqQGDImxWI" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/eUqQGDImxWI</a>

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #58 Online: 17 de Julho de 2013, 03:28:30 »
Só que a espionagem, enquanto secreta, não impede as liberdades individuais.
O queeeee???!

Peraí que... tá difícil mas tô tentando...  "enquanto secreta" ou enquanto é secreto que é secreta..., que é secreto que existe? Quem se sente livre sabendo ou mesmo suspeitando (qual seja o pior) que é espionado?

Ou... seria "que espionagem, *só enquanto espionagem*" não suprime liberdades? Uma variação do mesmo chavão "quem não deve, não teme"?

Ou... ...não dá, isso é tão absurdo que não dá para enumerar todas as facetas do mesmo.

Um individíduo que não sabe que é espionado não teme pela sua integridade nem modifica suas rotinas ou hábitos. Espionagem naturalmente não afeta liberdades individuais.
Não abordou o que eu disse. Não respondeu nada do que perguntei. Repetiu-se, nada mais.

Um indivíduo espionado pode ter suas rotinas e hábitos conduzidos sem nem mesmo ter ciência disso, sofrendo de uma ulterior ilusão de livre arbítrio, sendo que esta, criminalmente imputável a alguém.

Espionagem em e a (e só em e a)  princípio não afeta liberdades individuais tanto quanto um deus não afeta a regularidade do universo. Não se é livre quando se está à mercê de deliberações privilegiadas alheias. Sensação de liberdade não é liberdade assim como sensação de segurança não é segurança.

Se insistir em inventar mais fugas, acredite no que quiser.

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #59 Online: 17 de Julho de 2013, 03:33:00 »
essas espionagens que lidam com volume imenso de dados não são individuais. Não somos espionados individualmente até porque seria impossível* mas podemos ser individualmente espionados caso os gatilhos de interesse sejam disparados (perfil, textos que remetem a terrorismo, etc..)
Explícita contradição aqui! O monitoramento dos "gatilhos" (...andou assistindo a Inimigo do Estado ou é muito comum esse papo conspiracionista dos "gatilhos" por aí?) é individual. E você mesmo disse isso! Mas, os "gatilhos" podem incluir textos que remetem ao terrorismo? Tá de brincadeira ou não pensou um pouco antes de escrever isso? Seriam textos como aqueles que só escrevem... quase todo mundo na Terra?! Aí até que você retornaria ao seu conceito, o que (re)tornaria tal tática inútil.

Além do que, os "gatilhos" podem ser muito mais sofisticados que os "por fora" podem saber. Quem vai saber?... Possibilidade tecnológica há.

Também, trata-se de enorme aparato *nas mãos de PESSOAS*, com diversos graus de acesso.

Talvez não tenha me explicado ou achado que era evidente. Gatilhos (Trigger) é um termo técnico em computação, é função computacional, associada a um evento, que é disparada quando uma expressão lógica booleana é verdadeira. Então se você está sendo monitorado computacionalmente isso não quer dizer que alguém tenha ciência do que você está dizendo, a não ser que a condição seja verdadeira e esse gatilho seja disparado e te torne um alvo de uma investigação. Resumindo, você ainda não perdeu sua privacidade enquanto não se tornou alvo.

Essa expressão lógica pode ter sido disparada, por exemplo, quando uma inserção de um post de facebook (evento) possui palavras como bombas, vingança, etc.. de um usuário de nacionalidade (X,Y,Z) em um determinado contexto feito através de NLP (natural language processing). Se a condição "true", então eles colocam você em uma fila para análise mais profunda. No momento que isso acontece,  você irá perder sua privacidade.

Claro que para isso ser verdade a premissa é que não há perda de privacidade se o monitoramento é apenas eletrônico sem que um ser humano tenha tomado ciência do seu caso específico nem ações adicionais tenham sido tomadas.

Sobre as buscas fora das condições de trigger, sim, é possível. É o que chamamos de buscas ad hoc e a condição necessária para isso é o acesso a todas as informações que serão processadas em uma base de dados, o que é completamente distinto do caso do trigger, que é restrito a um evento específico.
Hãn!

Cara, a essa altura, já tô no limite para isso; nem rir eu vou. Você acredita mesmo que esse jargonesinho visivelmente improficiente tem chance de ter efeito comigo? Poramordequalquerdeus, garoto. Tente melhor, vai.

Offline Price

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.564
  • Manjo das putarias
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #60 Online: 17 de Julho de 2013, 09:21:16 »
Só que a espionagem, enquanto secreta, não impede as liberdades individuais.
O queeeee???!

Peraí que... tá difícil mas tô tentando...  "enquanto secreta" ou enquanto é secreto que é secreta..., que é secreto que existe? Quem se sente livre sabendo ou mesmo suspeitando (qual seja o pior) que é espionado?

Ou... seria "que espionagem, *só enquanto espionagem*" não suprime liberdades? Uma variação do mesmo chavão "quem não deve, não teme"?

Ou... ...não dá, isso é tão absurdo que não dá para enumerar todas as facetas do mesmo.

Um individíduo que não sabe que é espionado não teme pela sua integridade nem modifica suas rotinas ou hábitos. Espionagem naturalmente não afeta liberdades individuais.
Não abordou o que eu disse. Não respondeu nada do que perguntei. Repetiu-se, nada mais.

Um indivíduo espionado pode ter suas rotinas e hábitos conduzidos sem nem mesmo ter ciência disso, sofrendo de uma ulterior ilusão de livre arbítrio, sendo que esta, criminalmente imputável a alguém.

Espionagem em e a (e só em e a)  princípio não afeta liberdades individuais tanto quanto um deus não afeta a regularidade do universo. Não se é livre quando se está à mercê de deliberações privilegiadas alheias. Sensação de liberdade não é liberdade assim como sensação de segurança não é segurança.

Se insistir em inventar mais fugas, acredite no que quiser.

Repeti porque embora tenha deixado claro que me referia à um caso onde o indivíduo não saberia da espionagem você está atacando um argumento que eu não empreguei: "Quem se sente livre sabendo ou mesmo suspeitando (qual seja o pior) que é espionado? - Cientista"

Espionagem é observação, para que a espionagem seja fato é necessário que não haja interferência na vida do observado, que ele mantenha a sua rotina, pois o objetivo da espionagem é conhecer o que o investigado faz na normalidade, não o que ele faz enquanto suspeito de algo.
Se a observação é passiva não há interferência na liberdade do indivíduo e se a ação de investigação incluir a interação ou manipulação dos atos do investigado não é a espionagem que atentará contra a liberdade, mas sim a própria interação.

Seria interessante se você demonstrasse como a observação pode afetar na liberdade de uma pessoa. Acho que não fará, mas, se for, faça em poucas linhas e sem o seu lero lero frequente.
Se você aceitar algumas colocações minhas...
A única e verdadeira razão de eu fazer este comentário em resposta é deixar absolutamente claro que NÃO ACEITO "colocações" suas nem de quem quer que seja.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #61 Online: 17 de Julho de 2013, 13:24:44 »
esqueci que devo apenas ignorar o cientista
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.910
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #62 Online: 17 de Julho de 2013, 13:35:40 »
esqueci que devo apenas ignorar o cientista

Bem feito.  ;P Mas gostei da explicação sobre o sistema   :)

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.278
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #63 Online: 17 de Julho de 2013, 14:03:50 »
essas espionagens que lidam com volume imenso de dados não são individuais. Não somos espionados individualmente até porque seria impossível* mas podemos ser individualmente espionados caso os gatilhos de interesse sejam disparados (perfil, textos que remetem a terrorismo, etc..)
Explícita contradição aqui! O monitoramento dos "gatilhos" (...andou assistindo a Inimigo do Estado ou é muito comum esse papo conspiracionista dos "gatilhos" por aí?) é individual. E você mesmo disse isso! Mas, os "gatilhos" podem incluir textos que remetem ao terrorismo? Tá de brincadeira ou não pensou um pouco antes de escrever isso? Seriam textos como aqueles que só escrevem... quase todo mundo na Terra?! Aí até que você retornaria ao seu conceito, o que (re)tornaria tal tática inútil.

Além do que, os "gatilhos" podem ser muito mais sofisticados que os "por fora" podem saber. Quem vai saber?... Possibilidade tecnológica há.

Também, trata-se de enorme aparato *nas mãos de PESSOAS*, com diversos graus de acesso.

Talvez não tenha me explicado ou achado que era evidente. Gatilhos (Trigger) é um termo técnico em computação, é função computacional, associada a um evento, que é disparada quando uma expressão lógica booleana é verdadeira. Então se você está sendo monitorado computacionalmente isso não quer dizer que alguém tenha ciência do que você está dizendo, a não ser que a condição seja verdadeira e esse gatilho seja disparado e te torne um alvo de uma investigação. Resumindo, você ainda não perdeu sua privacidade enquanto não se tornou alvo.

Essa expressão lógica pode ter sido disparada, por exemplo, quando uma inserção de um post de facebook (evento) possui palavras como bombas, vingança, etc.. de um usuário de nacionalidade (X,Y,Z) em um determinado contexto feito através de NLP (natural language processing). Se a condição "true", então eles colocam você em uma fila para análise mais profunda. No momento que isso acontece,  você irá perder sua privacidade.

Claro que para isso ser verdade a premissa é que não há perda de privacidade se o monitoramento é apenas eletrônico sem que um ser humano tenha tomado ciência do seu caso específico nem ações adicionais tenham sido tomadas.

Sobre as buscas fora das condições de trigger, sim, é possível. É o que chamamos de buscas ad hoc e a condição necessária para isso é o acesso a todas as informações que serão processadas em uma base de dados, o que é completamente distinto do caso do trigger, que é restrito a um evento específico.
Hãn!

Cara, a essa altura, já tô no limite para isso; nem rir eu vou. Você acredita mesmo que esse jargonesinho visivelmente improficiente tem chance de ter efeito comigo? Poramordequalquerdeus, garoto. Tente melhor, vai.

Postei aqui por que eu quis.
Muuuito booom! É desse tipo de resposta que eu gosto!


Imagens mostram morte de jovem após discussão com policial
O que que isso tem de relação com *este* tópico? Era para ter ido para aquele tópico coringa e foi postado aqui por engano?

Se o policial estivesse desarmado não teria havido uma morte.

Só um espancamento... e talvez morte.

Qualquer um que tivesse uma arma naquele momento, no calor da briga, ia atirar nos idiotas, qualquer um que não tivesse ia fugir ou procurar alguma proteção. Não me parece que o cara corresse risco de vida ali.

Nunca parece...

Nem pra sim, nem pra não.

Entre ser espancado e estar armado, eu prefiro estar armado.
Resposta substancialmente diferente do que declarava lá atrás. Tá aprendendo, tá melhorando.

Muito bom!

Cartão amarelo por conduta desrespeitosa.

Mais um e será banimento definitivo.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Diegojaf

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 24.204
  • Sexo: Masculino
  • Bu...
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #64 Online: 17 de Julho de 2013, 16:11:28 »
Acho que em tempos de Facebook, fóruns e redes sociais, intimidade e privacidade são termos muito, muito flexíveis. Até que ponto é invasão de privacidade uma empresa ver todos os seus posts nos sites onde você concordou com os termos de adesão e utilizar-se destes dados para fazer propaganda direcionada de acordo com seus interesses? Isso é mau uso?

E se eles sabem o que eu penso ou o que pretendo fazer... e daí? A Constituição me garante liberdade de opinião e a lei me garante que não serei punido por mera cogitação de qualquer ato.
<a href="http://www.youtube.com/v/eUqQGDImxWI" target="_blank" class="new_win">http://www.youtube.com/v/eUqQGDImxWI</a>

Bem por aí...
"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto." - Rui Barbosa

http://umzumbipordia.blogspot.com - Porque a natureza te odeia e a epidemia zumbi é só a cereja no topo do delicioso sundae de horror que é a vida.

Offline Vento Sul

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.728
  • Sexo: Masculino
  • Os lábios são as primeiras barreiras
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #65 Online: 17 de Julho de 2013, 18:35:45 »
É do mesmo modo ingênuo achar que instrumento de redes sociais, tem aporte milionário, só por colocar comerciais nas suas páginas, o que está a venda, e que dá lucro é o dossiê completo do perfil da massa que consome, vota e tem opinião.
Não saia de casa sem seu guarda-chuva!  :hihi:
É o que eu tinha dito...
.
.
Resumindo: Ou acreditamos em mágica ou não!
 
 
 
 .

Skorpios

  • Visitante
Re:O Grande Irmão está nascendo?
« Resposta #66 Online: 23 de Setembro de 2013, 08:05:18 »
De novo, matamos a cobra e mostramos o pau... |(

Citar
Governo põe estagiária em reunião de espionagem

Apesar de prometer forte ação sobre tema, Brasil vira espectador em encontro da ONU


vinheta-clipping-forte1Apesar de ter anunciado uma forte ação internacional contra a espionagem dos EUA, o governo brasileiro enviou para a reunião da cúpula de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) que discutiria justamente esse tema ontem, em Genebra, uma diplomata de baixo escalão que acabou substituída, durante o dia, por uma estagiária.

O Brasil chegou a patrocinar a convocação do encontro, ao lado de Alemanha e países escandinavos. Mas nas duas horas de reunião a delegação brasileira não pediu a palavra uma só vez e a estagiária se limitou a tomar nota do que dizia cada um dos participantes. Enquanto isso, a embaixadora do Brasil na ONU, Maria Nazareth Farani Azevedo, promovia um almoço para sua despedida do cargo.

A presidente Dilma Rousseff promete usar seu discurso na Assembleia-Geral da ONU na semana que vem para levantar o assunto. Ontem, porém, ONGs e diplomatas de vários países se surpreenderam diante do silêncio do governo do Brasil.

Na reunião, diplomatas discutiram o caso brasileiro, em que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) é suspeita de monitorar e-mails da própria presidente, além de dados sigilosos da Petrobrás. O encontro contou com a alta comissária Navi Pillay e o relator da ONU para Liberdade de Expressão, Frank La Rue. Na plenária lotada, embaixadores de diversos países, inclusive dos EUA e do Reino Unido.

Ficou acertado que a ONU deverá convocar ainda neste ano uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos para debater de novo o tema. A meta é que uma resolução seja apresentada para esclarecer qual a posição do direito internacional em relação à espionagem.

Navi Pillay deixou claro que governos precisam agir para proteger a privacidade e as atuais leis não estão garantindo essa proteção. “A tecnologia permitiu níveis sem precedentes de interferência no direito à privacidade.” Sua principal preocupação é com a arbitrariedade na busca por informações de cidadãos. Ela ainda se disse “preocupada” com o fato de que argumentos de segurança nacional possam justificar “abusos”.

La Rue propôs que a ONU crie um relator que ficará responsável por redigir princípios que deveriam ser seguidos por países, na forma de um tratado internacional. “A regra é simples: toda a lei (de espionagem) que existe no mundo offline deve ser válida para o mundo online. Se para abrir uma carta no correio alguém precisa de uma ordem judicial, isso também deve ocorrer na internet”, disse.

O relator da ONU para Liberdade de Expressão admitiu que governos precisam se ocupar de assuntos de segurança nacional. “Mas o que estamos falando aqui é de um sistema de monitoramento que coloca em risco o próprio sistema democrático. A falta de privacidade limita a liberdade de expressão.”

Mais de dez países tomaram a palavra para expor suas posições, desde Equador a Paquistão, Suíça a Montenegro.

Entidades. No encontro, 250 entidades da sociedade civil, várias delas brasileiras, apresentaram 13 princípios que governos deveriam seguir no que se refere à espionagem e ao controle da web. O documento pede que governos sejam transparentes sobre o uso de monitoramento da web, ajam dentro da lei, respeitem direitos individuais e atuem com proporcionalidade.

FONTE: Estadão

Fonte

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!