Autor Tópico: Para qual país você imigraria?  (Lida 4080 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Stentor

  • Nível 07
  • *
  • Mensagens: 75
  • Легко́ сказа́ть
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #75 Online: 17 de Janeiro de 2014, 11:15:40 »
É verdade. Não precisa de um mês mesmo não. Basta umas semaninhas e algumas frases trocadas ou uma vista rápida de como as coisas funcionam lá fora. E nem precisa ser em país de organização Top. Pode ir a alguns países que não são exatamente muito desenvolvidos, no mesmo patamar per capita do Brasil, porém mais organizados, que a diferença gritante já fica bem clara já no aeroporto, quando você pisar aqui de volta.


Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.075
  • Sexo: Masculino
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #76 Online: 17 de Janeiro de 2014, 12:06:04 »
O aeroporto já é uma boa pista... e nem estou falando de beleza ou tamanho, mas de organização, informações em placas, limpeza. Além de você não ser obrigado a pagar o valor de um carro novo em uma coxinha  :hihi:.
"Deus prefere os ateus"

Offline Stentor

  • Nível 07
  • *
  • Mensagens: 75
  • Легко́ сказа́ть
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #77 Online: 17 de Janeiro de 2014, 12:21:32 »
O aeroporto já é uma boa pista... e nem estou falando de beleza ou tamanho, mas de organização, informações em placas, limpeza. Além de você não ser obrigado a pagar o valor de um carro novo em uma coxinha  :hihi:.

Exato. Dá pra sacar no ato até a mania burocrática ou falta dela e o costume de eficiência, através de coisas muito simples realmente.

E ainda tem gente que quando ouve isso aqui no paisinho, se ofende. Acham que é pedantismo.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #78 Online: 17 de Janeiro de 2014, 12:22:23 »
É verdade. Não precisa de um mês mesmo não. Basta umas semaninhas e algumas frases trocadas ou uma vista rápida de como as coisas funcionam lá fora. E nem precisa ser em país de organização Top. Pode ir a alguns países que não são exatamente muito desenvolvidos, no mesmo patamar per capita do Brasil, porém mais organizados, que a diferença gritante já fica bem clara já no aeroporto, quando você pisar aqui de volta.



O que percebi, tanto no meu caso como no de outras pessoas que moraram no exterior é que existem três fases distintas: no início (um mês ou dois) há um certo deslumbramento com a organização e as facilidades do outro país. Nesse período o indivíduo fica com um certo desgosto, quase um nojo, do Brasil. Depois de mais algum tempo, começa-se a ver que o outro país não é perfeito e a sentir uma certa saudade de certos aspectos da cultura brasileira. Pode haver nesse momento uma certa idealização do Brasil. Na terceira fase, depois de um longo tempo no exterior e de várias visitas ao Brasil, passa-se a ter uma visão mais realista dos dois países. Claro que isso varia de pessoa para pessoa.

Acho que no final das contas. o que fica mais evidente depois de um certo tempo é que o Brasil está mudando, e muito rápido. Isso é algo que só se percebe realmente depois de um certo tempo fora.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Stentor

  • Nível 07
  • *
  • Mensagens: 75
  • Легко́ сказа́ть
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #79 Online: 17 de Janeiro de 2014, 12:31:35 »
É verdade. Não precisa de um mês mesmo não. Basta umas semaninhas e algumas frases trocadas ou uma vista rápida de como as coisas funcionam lá fora. E nem precisa ser em país de organização Top. Pode ir a alguns países que não são exatamente muito desenvolvidos, no mesmo patamar per capita do Brasil, porém mais organizados, que a diferença gritante já fica bem clara já no aeroporto, quando você pisar aqui de volta.



O que percebi, tanto no meu caso como no de outras pessoas que moraram no exterior é que existem três fases distintas: no início (um mês ou dois) há um certo deslumbramento com a organização e as facilidades do outro país. Nesse período o indivíduo fica com um certo desgosto, quase um nojo, do Brasil. Depois de mais algum tempo, começa-se a ver que o outro país não é perfeito e a sentir uma certa saudade de certos aspectos da cultura brasileira. Pode haver nesse momento uma certa idealização do Brasil. Na terceira fase, depois de um longo tempo no exterior e de várias visitas ao Brasil, passa-se a ter uma visão mais realista dos dois países. Claro que isso varia de pessoa para pessoa.

Acho que no final das contas. o que fica mais evidente depois de um certo tempo é que o Brasil está mudando, e muito rápido. Isso é algo que só se percebe realmente depois de um certo tempo fora.

Tá mudando rápido, mas acho que essa mudança é a sofisticação inevitável da vida moderna que chega de qualquer jeito sempre e pra todo mundo. Mas não tenho certeza se sofisticar maus hábitos, aqui no Brasil ou em qualquer outro lugar, os torna necessariamente bons hábitos. Vemos milhões de coisas mudarem no que se tem ou que se pode ter por aqui... mas no comportamento, sei lá, ou é tudo a mesma coisa ou é tão devagar que dá desgosto acreditar que vale a pena esperar.

Offline Cumpadi

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.243
  • Sexo: Masculino
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #80 Online: 17 de Janeiro de 2014, 12:43:35 »
Tive uma experiência um pouco diferente então. Eu tinha altas expectativas da Austrália, mas quando cheguei aqui quebrei a cara com os preços de tudo com o que me deparava, uma refeição em um restaurante, o preço do táxi. O chinês de uma loja de computadores que falou "You wasting my time", quando perguntei se ele tinha um determinado modelo de notebook. A limonada que na verdade era uma sprite. Queria beber na balada, mas cada shot de vodka era 10 dólares. Também não tinha isso de passe que dure 2 horas como no canada, uma passagem de ônibus era o olho da cara e só servia uma vês para o ônibus, nada de usar de novo no metrô. Tudo custava no mínimo o dobro do Brasil, pensei que a bolsa do CNPQ ia ir embora em um segundo.

Depois de um tempo aprendi melhor as coisas, e me adaptei bem melhor, aí sim pude aproveitar o que esse país tem a oferecer. Tudo ficou melhor e continua melhorando a cada dia que passa. Se eu for comparar detalhe por detalhe, é claro que reconheço que o Brasil tem várias coisas boas comparativamente, mas no que realmente importa, prefiro aqui ( maior liberdade no geral, principalmente para importar bens, economia melhor, mais diversificada, maior variedade de pessoas fora aquele velho futebol/novela).
« Última modificação: 17 de Janeiro de 2014, 12:46:59 por parcus »
http://tomwoods.com . Venezuela, pode ir que estamos logo atrás.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #81 Online: 17 de Janeiro de 2014, 13:46:29 »
Na minha visão, se uma pessoa já passou mais de 1 mês em qualquer país de 1º mundo com IDH alto, é normal essa pessoa ver o Brasil ainda pior do que via anteriormente.

Depois que fiquei um tempo no exterior, eu entendi que o Brasil não pode nem ser considerado um país. Sério. Perto de qualquer nação desenvolvida, isso aqui é simplesmente uma grande bosta.
complexo de viralata!! burgues que não reconhece os avanços que nosso líder promoveu neste país! /petezada
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #82 Online: 17 de Janeiro de 2014, 13:53:40 »
É verdade. Não precisa de um mês mesmo não. Basta umas semaninhas e algumas frases trocadas ou uma vista rápida de como as coisas funcionam lá fora. E nem precisa ser em país de organização Top. Pode ir a alguns países que não são exatamente muito desenvolvidos, no mesmo patamar per capita do Brasil, porém mais organizados, que a diferença gritante já fica bem clara já no aeroporto, quando você pisar aqui de volta.



O que percebi, tanto no meu caso como no de outras pessoas que moraram no exterior é que existem três fases distintas: no início (um mês ou dois) há um certo deslumbramento com a organização e as facilidades do outro país. Nesse período o indivíduo fica com um certo desgosto, quase um nojo, do Brasil. Depois de mais algum tempo, começa-se a ver que o outro país não é perfeito e a sentir uma certa saudade de certos aspectos da cultura brasileira. Pode haver nesse momento uma certa idealização do Brasil. Na terceira fase, depois de um longo tempo no exterior e de várias visitas ao Brasil, passa-se a ter uma visão mais realista dos dois países. Claro que isso varia de pessoa para pessoa.

Acho que no final das contas. o que fica mais evidente depois de um certo tempo é que o Brasil está mudando, e muito rápido. Isso é algo que só se percebe realmente depois de um certo tempo fora.
dos que conheço que foram ao mundo civilizado e voltaram devido a saudades, 90% disse que fez merda e já quer voltar à civilização. Não vejo essas fases...  o que fica é cada vez mais irritante a comparação. até um debate político na TV de um país civilizado faz você ter mais nojo dos políticos daqui, inclusive com dúvidas não só sobre sua moral, mas sua capacidade intelectual também. Brasil é uma bosta essa é minha visão, não saio por falta de condições e oportunidades, além de fazer parte do pequeno grupo considerado como favorecido, o que ameniza um pouco a estadia.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Laura

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 958
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #83 Online: 17 de Janeiro de 2014, 16:30:55 »
Na minha visão, se uma pessoa já passou mais de 1 mês em qualquer país de 1º mundo com IDH alto, é normal essa pessoa ver o Brasil ainda pior do que via anteriormente.

Depois que fiquei um tempo no exterior, eu entendi que o Brasil não pode nem ser considerado um país. Sério. Perto de qualquer nação desenvolvida, isso aqui é simplesmente uma grande bosta.

Normal, morei algum tempo em países com IDH alto e na volta, especialmente na primeira vez, o sentimento é de desgosto mesmo, nada mais normal. Mas o tempo e a distância também nos fazem perceber e valorizar coisas absurdamente banais que passam a nos fazer falta, quando não estamos no Brasil. As críticas a que referi não são propriamente ao desenvolvimento (ou melhor, a falta dele), aos governos (do PT ou não, pois embora não tenha simpatia pelo partido, reconheço que já era uma bosta muito antes), a educação ou saúde pública… tudo isso é extremamente justificado e legítimo, mas também é como chutar cachorro morto.

----------

Vou tentar ilustrar ao que me refiro quando falo da Bolha; eu e minha irmã, que mora há muitos anos na Suécia, estávamos andando na Vila Madalena (SP) e um casal, aparentemente pobre, próximo a uma parada de ônibus faz menção de nos abordar. Ela rapidamente se agarra a prórpia bolsa e se gruda no muro, com expressão de pavor. Eles pedem informações sobre o ônibus. Quase morri de vergonha do casal (que claramente percebeu a reação dela). Mais tarde, no Ibirapuera ela não queria tirar fotografias, pois achava que a câmera poderia ser roubada a qualquer momento, porque nessa terra selvagem só tem bandidos. E por aí vai... :umm: 


Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #85 Online: 17 de Janeiro de 2014, 18:54:07 »
pensei a mesma coisa.  por coincidência já recebi suecos em casa (família de minha esposa) e ninguém teve esse tipo de reação. Mas se você está ligado na onda de violência atual, o que suecos provavelmente não estão, você está mais propenso a essa reação.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.743
  • Sexo: Masculino
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #86 Online: 17 de Janeiro de 2014, 19:03:47 »
Pensei numa analogia meio nerd. Tem bastante tempo que uso linux. Agora quando vou mexer com windows raras vezes, fico totalmente paranóico com vírus, trojans, malwares, scammers, hackers, crackers, slackers, cyberpunks, gripe aviária, ebola, etc.

Offline Laura

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 958
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #87 Online: 17 de Janeiro de 2014, 19:18:08 »
Parece mais condicionamento de quem morou muito por aqui, não onde essas coisas que ela teme não acontecem.

Não, os suecos que conheço não são nenhum pouco assim, pelo contrário, chegam a ser despreocupados até demais. É um condicionamento típico de quem morou muitos anos aqui e depois morou muitos anos lá. E que atualmente quase só mantém contato com o Brasil através de noticiários. Se não a conhecesse, a julgar pelo comportamento, diria que acompanha a realidade brasileira através do programa do Datena.

Pensei numa analogia meio nerd. Tem bastante tempo que uso linux. Agora quando vou mexer com windows raras vezes, fico totalmente paranóico com vírus, trojans, malwares, scammers, hackers, crackers, slackers, cyberpunks, gripe aviária, ebola, etc.

 :biglol:

Exato, mas isso só acontece porque alguma vez você já usou windows, certo?

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.743
  • Sexo: Masculino
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #88 Online: 17 de Janeiro de 2014, 19:22:33 »
Sim, era esse meu ponto.

Mas de qualquer forma ainda faz sentido supor que possa ser uma tendência daqueles que viveram aqui.

Offline _tiago

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.343
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #89 Online: 18 de Janeiro de 2014, 04:47:20 »
Pensei numa analogia meio nerd. Tem bastante tempo que uso linux. Agora quando vou mexer com windows raras vezes, fico totalmente paranóico com vírus, trojans, malwares, scammers, hackers, crackers, slackers, cyberpunks, gripe aviária, ebola, etc.
Ubuntu?


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.507
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #91 Online: 18 de Janeiro de 2014, 18:51:02 »
Citar
The Lewis Model Explains Every Culture In The World









A world traveler who speaks ten languages, British linguist Richard Lewis decided he was qualified to plot the world's cultures on a chart.

He did so while acknowledging the dangers of stereotypes.

"Determining national characteristics is treading a minefield of inaccurate assessment and surprising exception," Lewis wrote. "There is, however, such a thing as a national norm."

Many people think he nailed it, as his book "When Cultures Collide," now in its third edition, has sold more than one million copies since it was first published in 1996 and was called "an authoritative roadmap to navigating the world's economy," by the Wall Street Journal.

Lewis plots countries in relation to three categories:

Linear-actives — those who plan, schedule, organize, pursue action chains, do one thing at a time. Germans and Swiss are in this group.

Multi-actives — those lively, loquacious peoples who do many things at once, planning their priorities not according to a time schedule, but according to the relative thrill or importance that each appointment brings with it. Italians, Latin Americans and Arabs are members of this group.

Reactives — those cultures that prioritize courtesy and respect, listening quietly and calmly to their interlocutors and reacting carefully to the other side's proposals. Chinese, Japanese and Finns are in this group.

He says that this categorization of national norms does not change significantly over time:

The behavior of people of different cultures is not something willy-nilly. There exist clear trends, sequences and traditions. Reactions of Americans, Europeans, and Asians alike can be forecasted, usually justified and in the majority of cases managed. Even in countries where political and economic change is currently rapid or sweeping (Russia, China, Hungary, Poland, Korea, Malaysia, etc.) deeply rooted attitudes and beliefs will resist a sudden transformation of values when pressured by reformists, governments or multinational conglomerates.

The point of all of this analysis is to understand how to interact with people from different cultures, a subject in which Richard Lewis Communications provides coaching and consultation.

"By focusing on the cultural roots of national behavior, both in society and business, we can foresee and calculate with a surprising degree of accuracy how others will react to our plans for them, and we can make certain assumptions as to how they will approach us," Lewis writes.

Read more: http://www.businessinsider.com/the-lewis-model-2013-9#ixzz2qmkWKxoK
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline _tiago

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.343
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #92 Online: 18 de Janeiro de 2014, 20:01:52 »
Interessante os padrões de comportamento estabelecidos por ele. Não entendi uma coisa: ele elaborou essa classificação baseando-se só em "experiência de vida"?


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.507
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #94 Online: 18 de Janeiro de 2014, 20:31:10 »
Interessante os padrões de comportamento estabelecidos por ele. Não entendi uma coisa: ele elaborou essa classificação baseando-se só em "experiência de vida"?

Não, é parte de um amplo estudo.
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Derfel

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.879
  • Sexo: Masculino
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #95 Online: 18 de Janeiro de 2014, 21:08:59 »
Por que Chile e Brasil estão em um lado e o restante da América Latina de outro, se parecem estar no mesmo nìvel? Por qje a distinção entre Argentina, México e Chile do restante da América Espanhola? Só por curiosidade.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.507
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #96 Online: 18 de Janeiro de 2014, 21:57:59 »
Por que Chile e Brasil estão em um lado e o restante da América Latina de outro, se parecem estar no mesmo nìvel? Por qje a distinção entre Argentina, México e Chile do restante da América Espanhola? Só por curiosidade.

Extraído do livro citado:

Citar
Figure 3.1 gives a suggested ranking on the linear/multi-active scale, showing some rather surprising regional variations. German and other European influ- ences in Chile have caused Chileans to be less multi-active than, for instance, Brazilians or Argentineans. The differences in behavior between northern and southern Italians are well documented. Australians, with a large number of Southern European immigrants, are becoming less linear-active and more extro- verted than most northern peoples.

fig 3.1

1. Germans,Swiss
2. Americans(WASPs)*
3. Scandinavians,Austrians
4. British,Canadians,NewZealanders
5. Australians,SouthAfricans
6. Japanese
7. Dutch,Belgians
8. Americansubcultures(e.g.,Jewish,Italian,Polish) 9. French,Belgians(Walloons)
10. Czechs,Slovenians,Croats,Hungarians 11. NorthernItalians(Milan,Turin,Genoa) 12. Chileans
13. Russians,otherSlavs
14. Portuguese
15. Polynesians
16. Spanish,SouthernItalians,Mediterraneanpeoples 17. Indians,Pakistanis,etc.
18. LatinAmericans,Arabs,Africans
*White Anglo-Saxon Protestants
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Fenrir

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.450
  • Sexo: Masculino
  • Cave Canem
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #97 Online: 24 de Março de 2018, 16:43:48 »
De acordo com a cientista social Regina Cazé, todo brasileiro gosta de carnaval, futebol e pagode... Não gosto de nenhum dos três! Além disso me indigna o pouco caso da população com a educação e o egoísmo generalizado e "justificado" pela lei de Gerson!

Me sinto um estrangeiro em meu próprio país, mudaria sem dor no coração para um lugar em que o doutorado de minha esposa fosse motivo de orgulho e não sinônimo de "arrogância" de acordo com o populacho!

2
Não gosto de nada disso
Acho futebol um tédio. Nunca me animou.
Carnaval tinha algum interesse quando era jovem, mas só por causa da mulherada. Agora mais velho, casado e com filhos o interesse se foi.
Pagode, sem comentários.

E ser antisocial em um país onde todo mundo parece ter obrigação de sorrir, ser simpático, sociável, amigo de todo mundo, etc é um pé-no-saco
Inclusive se você fica bem distante da norma neste quesito chegam a achar que você é algum psicopata ou no mínimo alguem potencialmente perigoso
Já tiveram a pachorra de falar isto comigo (e de um de meus filhos, que é tão fechado quanto eu)
mais ou menos assim: o fenrir é o tipo de cara que, como uma arma na mão, sairia matando outras pessoas a esmo, como vira e meche alguns otários fazem nos EUA
Acho que teria sido melhor nascer em algum país escandinavo, onde ninguem estranha se você é carrancudo, fala pouco e fica na sua
Dizem isto dos Finlandeses. Deveria me mudar para lá
« Última modificação: 24 de Março de 2018, 16:59:19 por Fenrir »
"Heaven and Earth are not benevolent;
They treat the myriad of creatures as straw dogs"
― Laozi

"No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
― David Hume

“Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
― Mark Twain

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.731
  • Sexo: Masculino
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #98 Online: 24 de Março de 2018, 17:13:29 »
Citar
Não gosto de nada disso
Acho futebol um tédio. Nunca me animou.
Carnaval tinha algum interesse quando era jovem, mas só por causa da mulherada. Agora mais velho, casado e com filhos o interesse se foi.
Pagode, sem comentários.

E ser antisocial em um país onde todo mundo parece ter obrigação de sorrir, ser simpático, sociável, amigo de todo mundo, etc é um pé-no-saco
Inclusive se você fica bem distante da norma neste quesito chegam a achar que você é algum psicopata ou no mínimo alguem potencialmente perigoso
Já tiveram a pachorra de falar isto comigo (e de um de meus filhos, que é tão fechado quanto eu)
mais ou menos assim: o fenrir é o tipo de cara que, como uma arma na mão, sairia matando outras pessoas a esmo, como vira e meche alguns otários fazem nos EUA
Acho que teria sido melhor nascer em algum país escandinavo, onde ninguem estranha se você é carrancudo, fala pouco e fica na sua
Dizem isto dos Finlandeses. Deveria me mudar para lá

Por isso digo que nasci no país errado.

Não assisti nem a abertura ou encerramento da Copa do Mundo no Brasil, não gosto de Carnaval, nem feijoada, poucos amigos, carrancudo, mal humorado, falo pouco ou quase nada com vizinhos, fico na minha.

No trabalho me relaciono bem com o pessoal, mas fica na relação profissional sem essa de ir para boteco junto, sem essa de frequentar casa de ninguém.

Uma das coisas que odeio no brasileiro é a falta de educação nos lugares públicos com idiota desconhecido falando alto dentro de elevador e te obrigando a ouvir a conversa alheia.

A falta de respeito pelo espaço dos outros, pela privacidade dos outros.

Infelizmente não tenho como sair dessa merda ou teria feito há muito tempo.


Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.424
Re:Para qual país você imigraria?
« Resposta #99 Online: 24 de Março de 2018, 17:25:10 »
São três então.

O que me incomoda no brasileiro é a Lei de Gerson. Parece que todo mundo é, em maior ou menor escala, assim.

Eu iria, fácil, para qualquer país da Europa ocidental e o Canada também. Mas não pensem que o povo lá tem características menos sociais que o brasileiro. Um antissocial aqui seria antissocial lá. Eu conheci a Suíça, não vi um povo frio como seria de imaginar, vi um povo mais civilizado e, por incrível que pareça muitíssimo menos conservador que o brasileiro.



 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!