Autor Tópico: No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)  (Lida 4393 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.668
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #100 Online: 29 de Junho de 2018, 10:55:51 »
Uma análise realista das opções limpas e baratas atualmente propostas para se gerar energia e alimentos:
https://spectrum.ieee.org/static/special-report-blueprints-for-a-miracle

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.668
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #101 Online: 29 de Junho de 2018, 10:59:29 »
O gasto energético e financeiro para obter hidrogênio a partir da eletrólise de água torna anti econômica tal opção para o uso como combustível em situações comuns.
Sim. Gerar hidrogênio pode até ser fácil e possível, mas a eficiência ainda é baixíssima, ainda mais considerando-se outros custos envolvidos como liquefação e distribuição. Não é algo que dê para fazer no quintal de casa.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.722
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #102 Online: 29 de Junho de 2018, 11:06:20 »
1) A energia elétrica é renovável, dá pra se obter até pedalando (energia cinética). E a energia aplicada pra fazer eletrólise não precisa ser de grande potência (só suficiente pra quebrar os átomos) nem contínua (como uma geladeira precisa, por exemplo), pois após obtido o Hidrogênio e liquefazê-lo (no caso de quererem usar na forma líquida por ter menos risco que o gás) 

2) Hidrogênio é fácil de obter, eletrólise dá pra ser feito em experiência caseira, feiras de ciências, etc. Já a água que custa algo é a potável tratada, usada pra consumo nas casas. Água da chuva, rios, lagos, etc, tendo uma limpeza razoável, claro, tá disponível na natureza de graça.
Seria ótimo se fosse tudo tão fácil.

Não faz sentido pedalar para gerar energia elétrica para gerar hidrogênio para então usar esse hidrogênio para mover um carro.

Se uma pessoa tentasse gerar energia elétrica, suficiente para abastecer um carro elétrico num percurso de cerca de 30 km (ida e volta do trabalho), pedalando (ligando o sistema a um gerador e carregar baterias), aconteceria que:

1) Provavelmente a pessoa iria morrer de estafa, pois a quantidade de energia necessária para mover um automóvel com massa em torno de 1000 Kg a  1300 kg ( a uma vm de cerca de 35 km/h, velocidade média de trânsito numa cidade  de ~1,5 milhão de habitantes), é muito maior do  a quantidade de energia necessária para, por exemplo, locomover uma bicicleta a mesma vm);

2) Mesmo que não morresse de estafa, a pessoa teria que alimentar muito mais do que o normal, e alimentos não são baratinhos;

3) O tempo que a pessoa iria precisar para pedalar e gerar tal energia iria ser alto, de modo que iria diminuir o tempo disponível para trabalher e ganhar dinheiro  (ou a pessoa iria ficar sem dormir quase nada e ficar pedalando quase a noite toda ?).


« Última modificação: 29 de Junho de 2018, 11:11:30 por JJ »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.672
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #103 Online: 29 de Junho de 2018, 11:18:06 »
A resposta está em não pedalar para gerar hidrogênio com eletrólise, mas usar a própria eletricidade gerada pelo movimento do carro, inicialmente movido à gasolina ou álcool; então ele passa a atuar num tanque de água, enquanto gera o hidrogênio, e depois que a gasolina acaba, passa para ele. Então a partir daí é só continuar abastecendo com água, ou com gasolina, que é mais barata se você estiver passando pela Venezuela.

Hehehe.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.668
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #104 Online: 29 de Junho de 2018, 12:31:32 »
A resposta está em não pedalar para gerar hidrogênio com eletrólise, mas usar a própria eletricidade gerada pelo movimento do carro, inicialmente movido à gasolina ou álcool; então ele passa a atuar num tanque de água, enquanto gera o hidrogênio, e depois que a gasolina acaba, passa para ele. Então a partir daí é só continuar abastecendo com água, ou com gasolina, que é mais barata se você estiver passando pela Venezuela.

Hehehe.
O pior é que conheço gente que não veria nenhum problema com sua sugestão.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.672
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #105 Online: 29 de Junho de 2018, 13:28:43 »
Acho que por aqui postaram alguma vez, de outro lugar, citação de algo nessas linhas, mas a sério.

Parece que a cada seis meses surge alguma nova "notícia" de carro movido a água.


Tô com preguiça de buscar os dados e fazer isso agora, mas é fácil refutar essa alegação de 1000 ou 2000 km com 1 litro de água apenas com física e química de ensino médio. É só saber o quanto de energia pode ser obtida pela combustão de 1 litro de gasolina e quantos quilômetros podem ser feitos com isso. Depois saber quanto de hidrogênio e oxigênio pode ser obtido pela eletrólise de 1 litro de água e quanta energia pode ser obtida de novo à partir da combustão e comparar com a gasolina. Um outro ponto é quanta energia é necessária para a eletrólise e por quanto tempo a bateria de um carro pode fornecê-la antes de esgotar. Aliás, podiam colocar esse exercício em um vestibular qualquer ano que vem :P

Eu acho que se você quer realmente testar a capacidade de alguém de usar o que aprendeu na escola (como é a desculpa que dão pro ENEM ser como é), é esse tipo de pergunta que deveriam colocar.

Offline Agnoscetico

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.740
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #106 Online: 29 de Junho de 2018, 23:39:36 »
Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

E sobre eu ter mencionado pedaladas, se ateve só a esse exemplo tão limitado que citei? Tem outras formas que poderiam gerar energia, como engrenagens e roldanas que poderiam aumentar a força mecânica tanto da muscular humana, tração animal, ou outras que não citei aqui.


O gasto energético e financeiro para obter hidrogênio a partir da eletrólise de água torna anti econômica tal opção para o uso como combustível em situações comuns.
Sim. Gerar hidrogênio pode até ser fácil e possível, mas a eficiência ainda é baixíssima, ainda mais considerando-se outros custos envolvidos como liquefação e distribuição. Não é algo que dê para fazer no quintal de casa.



<a href="https://www.youtube.com/v/hoNQTlnncpI" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/hoNQTlnncpI</a>








« Última modificação: 29 de Junho de 2018, 23:48:17 por Agnoscetico »

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #107 Online: 29 de Junho de 2018, 23:47:04 »

Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

Parece que sim!


Offline Agnoscetico

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.740
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #108 Online: 30 de Junho de 2018, 00:18:36 »

Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

Parece que sim!




Será que essa notícia abaiaxo, também é outro fake news ecológico que o E-farsas pode revelar?

<a href="https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko</a>

« Última modificação: 30 de Junho de 2018, 00:22:09 por Agnoscetico »

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.782
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #109 Online: 30 de Junho de 2018, 01:22:19 »

Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

Parece que sim!




Será que essa notícia abaiaxo, também é outro fake news ecológico que o E-farsas pode revelar?

<a href="https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko</a>

Carros movidos à hidrogênio possuem um tanque para o armazenamento do hidrogênio fornecido pelos postos de abastecimento. Eles são abastecidos com hidrogênio, não com água, para ser transformada em hidrogênio, para ser usado como combustível, pelos motivos já explicados. Eles não produzem o próprio combustível.  :ok:
« Última modificação: 30 de Junho de 2018, 01:30:08 por AlienígenA »

Offline Agnoscetico

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.740
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #110 Online: 30 de Junho de 2018, 02:27:38 »

Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

Parece que sim!




Será que essa notícia abaiaxo, também é outro fake news ecológico que o E-farsas pode revelar?

<a href="https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko</a>

Carros movidos à hidrogênio possuem um tanque para o armazenamento do hidrogênio fornecido pelos postos de abastecimento. Eles são abastecidos com hidrogênio, não com água, para ser transformada em hidrogênio, para ser usado como combustível, pelos motivos já explicados. Eles não produzem o próprio combustível.  :ok:

O que impediria que alguém ou algumas pessoas obtivessem hidrogênio de forma mais fácil que obter petróleo, que, aliás, não é renovável?



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.722
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #111 Online: 30 de Junho de 2018, 06:19:19 »
Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?


Usar hidrogênio obtido a partir de água é perfeitamente possível em termos técnicos, só que em termos econômicos não compensa para usos comuns  ( para coisas incomuns como movimentar um foguete aí já compensa, mas é outra questão).


Explicando melhor,  caso você queira  fazer eletrólise na sua casa (para obter o combustível hidrogênio) você precisará gastar energia elétrica  (um bocado, pois a ligação  entre o oxigênio e o hidrogênio é "forte"), se depois você for usar uma máquina de combustão interna para gerar movimento,  que moverá um carro, ou para movimentar um dínamo  e gerar energia elétrica, então o resultado final será que o seu gasto será maior do que se utilizasse outro combustível para movimentar o carro, ou no caso do gerador o seu gasto será maior do que outras formas de obtenção de energia elétrica. 


E sobre eu ter mencionado pedaladas, se ateve só a esse exemplo tão limitado que citei? Tem outras formas que poderiam gerar energia, como engrenagens e roldanas que poderiam aumentar a força mecânica tanto da muscular humana, tração animal, ou outras que não citei aqui.



Engrenagens e roldanas diminuem a força necessária , mas aumentam a distância , para ter um exemplo simples (só que usando a máquina simples: plano inclinado), mas que ilustra muito bem, uma rampa  inclinada diminui muito a força necessária para elevar uma massa em determinada altura do solo, mas aumenta a distância percorrida  (quanto menos vertical for a rampa).

Apenas para lembrar temos que  trabalho = F x D ,   você pode diminuir a força e aumentar o deslocamento, ou aumentar a força e diminuir o deslocamento,  e manter  o resultado.  Não haverá  necessidade de mais energia se o produto (resultado , trabalho) for mantido igual, mas caso queira aumentar o produto você terá que forçosamente acrescentar energia ao sistema.
« Última modificação: 30 de Junho de 2018, 06:24:06 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.722
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #112 Online: 30 de Junho de 2018, 06:29:19 »


Outro exemplo muito comum onde se faz a troca de força por deslocamento é  no sistema de câmbio de bicicletas,  ao se colocar uma marcha que exige menos força  (por exemplo numa subida), será necessário dar mais voltas (mais pedaladas) para manter a mesmo trabalho anterior.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.668
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #113 Online: 30 de Junho de 2018, 12:35:07 »
Não há muita esperança de que carros, aviões e navios elétricos venham a resolver o problema do aquecimento global num futuro próximo.
Citar

    Electric vehicles [p. 46] are the latest darling of the media,
but they run into two fundamental constraints. EVs are meant
to do away with automotive carbon emissions, but they must
get their electricity somehow, and two-thirds of electricity
worldwide still comes from fossil fuels. In 2016, electricity
produced by wind and photovoltaic solar still accounted for
less than 6 percent of world generation, which means that for
a long time to come the average electric vehicle will remain a
largely fossil-fueled machine. And by the end of 2017, world-
wide cumulative EV sales just topped 3 million, which is less
than 0.3 percent of the global stock of passenger cars. Even
if EV sales were to grow at an impressive rate, the technology
will not eliminate automotive internal combustion engines
in the next 25 years. Not even close.

   Battery- or fuel-cell-powered designs for small ferries and
river barges (see “The Struggle to Make Diesel-Guzzling Cargo
Ships Greener” online) offer a transport capability orders of
magnitude below what’s required to propel the container ships
that maritime trade depends on. Compare these little boats
with the behemoths that move containers from the manufac-
turing centers of East Asia to Europe and North America. The
little electric vessels travel tens or hundreds of kilometers and
need the propulsion power of hundreds of kilowatts to a few
megawatts; the container ships travel more than 10,000 kilo-
meters, and their diesel engines crank out 80 megawatts.

   Battery-powered jetliners [p. 42] fall into the same cate-
gory: The big plane makers have futuristic programs, but
hybrid-electric designs cannot quickly replace conven-
tional propulsion, and even if they did, they wouldn’t save
vast amounts of carbon emissions. If you compare a small,
battery-powered trainer with a Boeing 787 and multiply capac-
ity (2 versus 335 people), speed (200 vs. 900 kilometers per
hour) and endurance (3 vs. 17 hours), you’ll see that you need
batteries capable of storing three orders of magnitude more
energy for their weight to allow for all-electric intercontinen-
tal flight. Since 1950, the energy density of our best batteries
has improved by less than one order of magnitude.
Revista IEEE Spectrum - junho 2018
 https://spectrum.ieee.org/numbersdontlie0618

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.672
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #114 Online: 30 de Junho de 2018, 17:10:11 »
Citar
https://www.sciencedaily.com/releases/2014/05/140503184918.htm

Synthesized 'solar' jet fuel: Renewable kerosene from sunlight, water and carbon dioxide
Date: May 3, 2014
Source: ETH Zürich

Summary:
With the first ever production of synthesized "solar" jet fuel, the EU-funded SOLAR-JET project has successfully demonstrated the entire production chain for renewable kerosene obtained directly from sunlight, water and carbon dioxide, therein potentially revolutionizing the future of aviation. This process has also the potential to produce any other type of fuel for transport applications, such as diesel, gasoline or pure hydrogen in a more sustainable way.

[....]

https://phys.org/news/2017-11-technique-solar-thermal-energy-h2o.html

Por usar CO2, talvez tenha potencial de ter algum nível de emissão "negativa"/neutra na medida que substituísse querosene ou outros potenciais combustíveis de origem fóssil.

Mas não sei como ficam as coisas com toda a logística necessária, fornecer o CO2 para começar, bem como a comparação de outras formas de produzir um combustível com a mesma energia, ou converter a mesma energia solar de outra forma.

Pelo tamanho das coisas, me parece algo ainda bastante precário em eficiência...

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.668
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #115 Online: 01 de Julho de 2018, 07:04:14 »
Citar
https://www.sciencedaily.com/releases/2014/05/140503184918.htm

Synthesized 'solar' jet fuel: Renewable kerosene from sunlight, water and carbon dioxide
Date: May 3, 2014
Source: ETH Zürich

Summary:
With the first ever production of synthesized "solar" jet fuel, the EU-funded SOLAR-JET project has successfully demonstrated the entire production chain for renewable kerosene obtained directly from sunlight, water and carbon dioxide, therein potentially revolutionizing the future of aviation. This process has also the potential to produce any other type of fuel for transport applications, such as diesel, gasoline or pure hydrogen in a more sustainable way.

[....]

https://phys.org/news/2017-11-technique-solar-thermal-energy-h2o.html

Por usar CO2, talvez tenha potencial de ter algum nível de emissão "negativa"/neutra na medida que substituísse querosene ou outros potenciais combustíveis de origem fóssil.

Mas não sei como ficam as coisas com toda a logística necessária, fornecer o CO2 para começar, bem como a comparação de outras formas de produzir um combustível com a mesma energia, ou converter a mesma energia solar de outra forma.

Pelo tamanho das coisas, me parece algo ainda bastante precário em eficiência...
Justamente. O problema de todas essas soluções milagrosas ainda é a eficiência. Gasta-se muita energia e produz-se um monte de CO2 para gerar um pouco de energia e sequestrar um tiquinho de CO2.

Offline Entropia

  • Nível 17
  • *
  • Mensagens: 479
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #116 Online: 01 de Julho de 2018, 10:55:57 »
Por usar CO2, talvez tenha potencial de ter algum nível de emissão "negativa"/neutra na medida que substituísse querosene ou outros potenciais combustíveis de origem fóssil.

Mas não sei como ficam as coisas com toda a logística necessária, fornecer o CO2 para começar, bem como a comparação de outras formas de produzir um combustível com a mesma energia, ou converter a mesma energia solar de outra forma.

Pelo tamanho das coisas, me parece algo ainda bastante precário em eficiência...

5.25% de eficiência energética apenas nesse processo. Se considerar o refino para fazer querosene... Reatores de 300°C para o processo de Fischer- Tropsch(energia usada) cerca de 50% de eficiência do processo(energia perdida) e ainda a formacao de diversos outros tipos de Hidrocarbonetos que nao sao querosene. Acho que dá pra falar com certo grau de certeza que a eficiência global que vai estar contida no querosene produzido é menos de 1%... Isso desconsiderando toda a logística do processo.

Pelo cenário que eu vejo, o mais promissor, embora ainda bem limitado em relacao ao convencional, sao processos desenvolvidos com base em matrizes microbiológicas. A grande vantagem delas é o custo de materia prima e as condicoes de producao sao bem mais brandas do que os reatores pesados de mais de 1000°C de temperatura.

Offline pehojof

  • Nível 18
  • *
  • Mensagens: 547
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #117 Online: 01 de Julho de 2018, 13:09:59 »

Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

Parece que sim!




Será que essa notícia abaiaxo, também é outro fake news ecológico que o E-farsas pode revelar?

<a href="https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ed-F-uDi_ko</a>

Carros movidos à hidrogênio possuem um tanque para o armazenamento do hidrogênio fornecido pelos postos de abastecimento. Eles são abastecidos com hidrogênio, não com água, para ser transformada em hidrogênio, para ser usado como combustível, pelos motivos já explicados. Eles não produzem o próprio combustível.  :ok:

O que impediria que alguém ou algumas pessoas obtivessem hidrogênio de forma mais fácil que obter petróleo, que, aliás, não é renovável?

Depende da quantidade.
"Et quæ tanta fuit Romam tibi causa videndi?"
"Libertas, quæ sera tamen, respexit inertem,"

Offline pehojof

  • Nível 18
  • *
  • Mensagens: 547
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #118 Online: 01 de Julho de 2018, 13:12:44 »
Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?


Usar hidrogênio obtido a partir de água é perfeitamente possível em termos técnicos, só que em termos econômicos não compensa para usos comuns  ( para coisas incomuns como movimentar um foguete aí já compensa, mas é outra questão).


Explicando melhor,  caso você queira  fazer eletrólise na sua casa (para obter o combustível hidrogênio) você precisará gastar energia elétrica  (um bocado, pois a ligação  entre o oxigênio e o hidrogênio é "forte"), se depois você for usar uma máquina de combustão interna para gerar movimento,  que moverá um carro, ou para movimentar um dínamo  e gerar energia elétrica, então o resultado final será que o seu gasto será maior do que se utilizasse outro combustível para movimentar o carro, ou no caso do gerador o seu gasto será maior do que outras formas de obtenção de energia elétrica. 


E sobre eu ter mencionado pedaladas, se ateve só a esse exemplo tão limitado que citei? Tem outras formas que poderiam gerar energia, como engrenagens e roldanas que poderiam aumentar a força mecânica tanto da muscular humana, tração animal, ou outras que não citei aqui.



Engrenagens e roldanas diminuem a força necessária , mas aumentam a distância , para ter um exemplo simples (só que usando a máquina simples: plano inclinado), mas que ilustra muito bem, uma rampa  inclinada diminui muito a força necessária para elevar uma massa em determinada altura do solo, mas aumenta a distância percorrida  (quanto menos vertical for a rampa).

Apenas para lembrar temos que  trabalho = F x D ,   você pode diminuir a força e aumentar o deslocamento, ou aumentar a força e diminuir o deslocamento,  e manter  o resultado.  Não haverá  necessidade de mais energia se o produto (resultado , trabalho) for mantido igual, mas caso queira aumentar o produto você terá que forçosamente acrescentar energia ao sistema.




Outro exemplo muito comum onde se faz a troca de força por deslocamento é  no sistema de câmbio de bicicletas,  ao se colocar uma marcha que exige menos força  (por exemplo numa subida), será necessário dar mais voltas (mais pedaladas) para manter a mesmo trabalho anterior.

Foi a maneira mais longa de dizer "Princípio da Conservação da Energia" que eu já vi. :)
"Et quæ tanta fuit Romam tibi causa videndi?"
"Libertas, quæ sera tamen, respexit inertem,"

Offline pehojof

  • Nível 18
  • *
  • Mensagens: 547
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #119 Online: 01 de Julho de 2018, 13:14:58 »
Eu ouvi sobre usar hidrogênio obtido de água de professor de Química faz quase 20 anos. Será que esse professor de Química tão mal informado assim?

Eu tive um professor que não sabia nem falar corretamente, mas era do nível iletrado mesmo! Me pergunto até hoje se era mesmo professor... :|
"Et quæ tanta fuit Romam tibi causa videndi?"
"Libertas, quæ sera tamen, respexit inertem,"

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.704
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #120 Online: 15 de Julho de 2018, 15:39:24 »
Acho que por aqui postaram alguma vez, de outro lugar, citação de algo nessas linhas, mas a sério.

Parece que a cada seis meses surge alguma nova "notícia" de carro movido a água.


Tô com preguiça de buscar os dados e fazer isso agora, mas é fácil refutar essa alegação de 1000 ou 2000 km com 1 litro de água apenas com física e química de ensino médio. É só saber o quanto de energia pode ser obtida pela combustão de 1 litro de gasolina e quantos quilômetros podem ser feitos com isso. Depois saber quanto de hidrogênio e oxigênio pode ser obtido pela eletrólise de 1 litro de água e quanta energia pode ser obtida de novo à partir da combustão e comparar com a gasolina. Um outro ponto é quanta energia é necessária para a eletrólise e por quanto tempo a bateria de um carro pode fornecê-la antes de esgotar. Aliás, podiam colocar esse exercício em um vestibular qualquer ano que vem :P

Eu acho que se você quer realmente testar a capacidade de alguém de usar o que aprendeu na escola (como é a desculpa que dão pro ENEM ser como é), é esse tipo de pergunta que deveriam colocar.

Acho que está falando de mim:

http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=26272.msg919802#msg919802

Pessoal, vou ressuscitar esse tópico porque hoje aconteceu algo interessante no meu trabalho.

Um grupo de colegas estava discutindo sobre carros e um deles estava pesquisando sobre um aparato que injetava hidrogênio na mistura do motor e o carro ganhava com isso mais potência com a explosão aumentada, aprimorada pelo hidrogênio.

Esse hidrogênio é retirado diretamente de um tanque de água através de eletrólise, cuja energia vem da própria bateria.

Eu fiquei muito curioso e comecei a conversar com eles.

Logo essa conversa meio que descambou para a tal da energia grátis, moto-perpétuo, conspirações da indústria do petróleo e tal.

Como eu era o único cético, não tinha como argumentar contra todos eles, mas expliquei que não é possível gerar mais energia do que a utilizada no processo.

Estou pesquisando mais à respeito do hidrogênio mas enquanto estou fazendo isso, achei interessante comentar com vocês para obter mais informações.

A minha primeira dúvida é como o hidrogênio pode ser inflamável. Até onde eu sei ele não é, e com isso não poderia melhorar o desempenho do motor.

A outra questão é como é possível melhorar a ponto de economizar combustível, e meu palpite é que a energia utilizada para a eletrólise seria desperdiçada pelo alternador de qualquer forma.

Não sei exatamente como o alternador funciona, se no caso da bateria já estar carregada e o carro não precisar em mais energia, ele fica gerando energia à toa ou ele utiliza menos torque do motor para poupar combustível.

Um colega chegou a afirmar que um parente dele consegue fazer o carro funcionar apenas com o hidrogênio puro, o que me deixou ainda mais intrigado, pois carros movidos a hidrogênio são na verdade elétricos, movidos com célula que converte a molécula de H2 em corrente.

Chegaram a citar vídeos no youtube dizendo que tem um carro feito por estudantes que anda mais de 100 quilômetros por litro de combustível, que a indústria do petróleo ou mesmo o país não deixa esses projetos serem comercializados e tal. Eles não desconfiam que se trata de simples fraude, de papo-furado.

É engraçado que eu citei que existem centenas de países, e que muitos desafiam a ONU e potências, e mesmo nestes não há esse tipo de projeto.

Enfim, pretendo ter algum material concreto para apresentar na semana que vem para os que ainda estão interessados lá no trabalho.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.691
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #121 Online: 15 de Julho de 2018, 15:57:47 »
Citar
A minha primeira dúvida é como o hidrogênio pode ser inflamável. Até onde eu sei ele não é, e com isso não poderia melhorar o desempenho do motor.

Hidrogênio é inflamável, lembro de uma aulinha de química na escola em que um volume do tamanho de uma azeitona quase explodiu um  vidro grosso.

Foi um estouro ferrado, parecido com uma bomba de festa junina.

O problema das engenhocas mostradas na internet? O cara do "carro movido a hidrogênio " produziu um volume de gás tão pequeno que para encher um pneu de bicicleta vai levar dias quanto mais para produzir o suficiente para alimentar um motor de combustão.

É só calcular o volume, se um carro mil cilindradas usa 2500 rpm por minuto imagine o volume de ar que consome por hora.

Mil centímetros cúbicos multiplicado por 2500, multiplicado por 60 minutos.

E o cara diz que faz o motor funcionar com umas bolhas de gás inflamável.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.691
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #122 Online: 15 de Julho de 2018, 16:02:12 »
Meu carro era movido a gás natural com um tanque de quinze metros cúbicos,  o volume gerava 3000 libras de pressão e eu só rodava 250 km.

Imagine o volume de hidrogênio que a engenhoca do cara precisaria produzir se realmente funcionasse.

E a partir de apenas um litro de água?
« Última modificação: 15 de Julho de 2018, 16:07:12 por Arcanjo Lúcifer »

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.668
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #123 Online: 15 de Julho de 2018, 16:31:41 »
Citar
A minha primeira dúvida é como o hidrogênio pode ser inflamável. Até onde eu sei ele não é, e com isso não poderia melhorar o desempenho do motor.
Hidrogênio é inflamável, lembro de uma aulinha de química na escola em que um volume do tamanho de uma azeitona quase explodiu um  vidro grosso.
Mais explosivo que o hidrogênio, só o acetileno.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.691
  • Sexo: Masculino
Re:No Capitalismo Nem Tudo São Flores: A Obsolescência Programada (Planejada)
« Resposta #124 Online: 15 de Julho de 2018, 16:57:01 »
Citar
A minha primeira dúvida é como o hidrogênio pode ser inflamável. Até onde eu sei ele não é, e com isso não poderia melhorar o desempenho do motor.
Hidrogênio é inflamável, lembro de uma aulinha de química na escola em que um volume do tamanho de uma azeitona quase explodiu um  vidro grosso.
Mais explosivo que o hidrogênio, só o acetileno.

Sim, extremamente explosivo.

Mas veja o exemplo que citei acima sobre o gás natural do meu carro.

Imagine socar um certo volume de gás em um recipiente até atingir 3000 libras de pressão, então aparece sujeito na internet dizendo que faz carro andar com um recipiente plástico com água e umas bolhas de hidrogênio geradas pelo próprio veículo.

Para acreditar nisso só se não tiver qualquer noção básica de mecânica.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!