Autor Tópico: Os estragos do chavismo na Venezuela  (Lida 41346 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.


Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #851 Online: 09 de Janeiro de 2017, 14:02:52 »
Toda vez que surge um governo popular e genuinamente democrático, o capital internacional mexe seus pauzinhos pra sabotá-lo, causando fome e obrigando o governo popular a quebrar mais ovos do que o inicialmente planejado pra fazer esse omelete, pra no final o omelete não ficar pronto e os burgueses, kulaks, facistas e coxinhas ficarem dizendo que o socialismo nunca vai dar certo.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Skorpios

  • Tesoureiro
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.029
  • Sexo: Masculino
  • Homenagem a mais um amigo morto.
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #852 Online: 09 de Janeiro de 2017, 15:22:44 »
Não haverá golpe. :twisted:

Citar
VENEZUELA - FANB manda duro recado aos Políticos

Ministro da Defesa, General Vladimir PadrinoLópez emite duro comunicado.

 Ministro de la Defensa emite comunicado ante llamado de Diputado Julio Borges a la FANB para el rescate de la Constitución

06 Janero 2017

Caracas, 06 JAN. AVN.- A Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) divulgou na sexta-feira (06JAN2017) um comunicado ratificando ao povo venezuelano seu compromisso irredutível para trabalhar em prol da paz e em defesa da soberania nacional.

Em nota, a FANB reafirma absoluta lealdade ao chefe de Estado, Nicolás Maduro, e fiel compromisso com a Constituição, rechaçando novos chamamentos a um golpe de Estado realizados pela direção da Assembleia Nacional (AN).

Nesta quinta-feira, o deputado Julio Borges- juramentado ilegalmente como o novo presidente da AN, instância que está em desacato por não cumprir sentença do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ)- fez novo chamado à FANB para somar-se aos interesses da oligarquia e não aos do povo venezuelano, e desconhecer o presidente da República, Nicolás Maduro.

Veja a nota na íntegra:

A Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) ratifica ao povo venezuelano a irredutível vocação de servir a seus mais elevados interesses e o inquebrantável compromisso de respeitar e fazer cumprir a Suprema Lei da República, como sempre fizemos, especialmente durante os últimos 27 anos nos quais enfrentou graves atentados tais como, golpes de estado, paralisação petroleira, guarimbas terroristas, criminalidade paramilitar e violência política; todos eventos em que os inimigos da pátria fracassaram estrepitosamente graças ao papel preponderante do governo bolivariano e a instituição castrense para proteger sua paz e estabilidade democrática.

Por isso resulta tristemente contraditório que da Assembleia Nacional seja realizado um chamamento ao resgate da Constituição, sob um enfoque tendencioso e parcial, que pretende gerar incerteza para arrebatar a legitimidade do cidadão Nicolás Maduro Moros como Presidente da República Bolivariana da Venezuela e Comandante em Chefe da FANB. Neste sentido enfatizamos que para os homens e mulheres de uniforme, o Chefe de Estado não é uma parcialidade política, pois a mesma Carta Magna estabelece que exerce a suprema autoridade hierárquica, razão pela qual nossa obediência não representa uma atitude complacente, mas uma obrigação legalmente estabelecida; por isso lhe reiteramos absoluta lealdade e incondicional apoio no esforço que dia a dia realiza para superar as dificuldades que enfrentamos na atualidade.

Também convém ressaltar a sistemática falta de respeito que de forma desafiante vem sendo praticada por um setor da Assembleia Nacional contra autoridades legitimamente constituídas como o Tribunal Supremo de Justiça, ao violentar o consagrado no artigo 335 do texto constitucional que o define como o máximo e último intérprete desta Constituição; pelo qual todas as instâncias do Estado estão obrigadas a seu estrito acatamento. Sendo assim qualquer ato emanado à margem desta norma se considera fora da ordem constitucional, carente de legalidade e inoficioso, que em nada contribui com a harmonia e concórdia necessárias para o progresso e o desenvolvimento do país.

Contamos com uma rica história na defesa da democracia venezuelana, sempre apegados ao ideário do Libertador Simón Bolívar; hoje, a Força Armada Nacional é orgulhosamente Bolivariana, como nunca antes. Somos a coluna vertebral da soberania popular, constituindo-nos no mais zeloso guardião das conquistas sociais e direitos de seus concidadãos, com o qual ganhou admiração. Em consequência, é a mesma FANB e o povo que hoje exigem respeito e rechaçam estes assinalamentos de fátuos argumentos. Chega de chamamentos que pretendem envolver a instituição em situações de caráter faccioso contrárias a sua essência constitucional e profissional!

Duzentos anos depois do nascimento de Ezequiel Zamora, o General do Povo Soberano, o precursor do igualitarismo social e a união cívico – militar, os soldados da pátria, dignos herdeiros de seu legado, ratificamos o ineludível compromisso de defender a todo custo as conquistas da Revolução Bolivariana em benefício de nossa amada nação, para preservá-la para sempre livre, soberana e independente.

CHÁVEZ VIVE... A PÁTRIA SEGUE

INDEPENDÊNCIA E PÁTRIA SOCIALISTA... VIVIREMOS E VENCEREMOS!

VLADIMIR PADRINO LÓPEZ

GENERAL EM CHEFE



Texto em Español


La Fuerza Armada Nacional Bolivariana ratifica al pueblo venezolano la irreductible vocación de servir a sus más elevados intereses y el inquebrantable compromiso de respetar y hacer cumplir la Suprema Ley de la República, como siempre lo hemos hecho, especialmente durante los últimos 17 años en los cuales ha enfrentado graves atentados tales como, golpes de estado, paro petrolero, guarimbas terroristas, criminalidad paramilitar y violencia política; eventos todos en que los enemigos de la patria fracasaron estrepitosamente gracias al rol preponderante que jugó el gobierno bolivariano y la institución castrense para salvaguardar su paz y estabilidad democrática.

Por ello resulta tristemente contradictorio, que desde la Asamblea Nacional se efectúe un llamado al rescate de la Constitución, bajo un enfoque sesgado y parcial, que pretende generar incertidumbre para arrebatar la legitimidad del ciudadano Nicolás Maduro Moros como Presidente de la República Bolivariana de Venezuela y Comandante en Jefe de la FANB. En este sentido recalcamos que para los hombres y mujeres de uniforme, el Jefe de Estado no es una parcialidad política, pues la misma Carta Magna precisa que ejerce la suprema autoridad jerárquica, razón por la cual nuestra obediencia no representa una actitud complaciente, sino una obligación legalmente establecida; por eso le reiteramos absoluta lealtad e incondicional apoyo en el esfuerzo que día a día realiza para superar las dificultades que enfrentamos en la actualidad.

También conviene resaltar el sistemático irrespeto que en forma desafiante se viene practicando desde un sector de la Asamblea Nacional  contra autoridades legítimamente constituidas como el Tribunal Supremo de Justicia, al violentar lo consagrado en el artículo 335 del texto constitucional que lo define como el máximo y último intérprete de esta Constitución; por lo que todas las instancias del Estado están obligadas a su estricto acatamiento. Siendo así, cualquier acto emanado al margen de esta norma se considera fuera del hilo constitucional, carente de legalidad e inoficioso, que en nada contribuye a la armonía y concordia necesarias para el progreso y desarrollo del país.

Contamos con una rica historia en la defensa de la democracia venezolana, siempre apegados al ideario del Libertador Simón Bolívar; hoy, la Fuerza Armada Nacional es orgullosamente Bolivariana, como nunca antes. Somos la columna vertebral de la soberanía popular, constituyéndonos en el más celoso guardián de las conquistas sociales y derechos de sus conciudadanos, con lo cual se ha ganado su admiración. En consecuencia, es la misma FANB y el pueblo quienes hoy exigen respeto y rechazan estos señalamientos de fatuos argumentos. ¡Basta de llamados que pretenden involucrar a la institución en situaciones de corte faccioso contrarias a su esencia constitucional y profesional!

A 200 años del natalicio de Ezequiel Zamora, el General del Pueblo Soberano, el precursor del igualitarismo social y la unión cívico – militar, los soldados y soldadas de la patria, dignos herederos de su legado, ratificamos el insoslayable compromiso de defender a toda costa los logros de la Revolución Bolivariana en beneficio de nuestra amada nación, para preservarla por siempre libre, soberana e independiente.

CHÁVEZ VIVE… LA PATRIA SIGUE

¡INDEPENDENCIA Y PATRIA SOCIALISTA… VIVIREMOS Y VENCEREMOS!

 

 VLADIMIR PADRINO LÓPEZ

GENERAL EN
JEFE

Se você agir sempre com dignidade pode não melhorar o mundo, mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos.

Millôr Fernandes

Offline Shadow

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.446
  • "Alguns teóricos dos antigos astronautas...."
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #853 Online: 09 de Janeiro de 2017, 16:00:50 »
Todo tirano da história encontrou quem lhe apoiasse.

Não haverá golpe. :twisted:

Citar
VENEZUELA - FANB manda duro recado aos Políticos

Ministro da Defesa, General Vladimir PadrinoLópez emite duro comunicado.

 Ministro de la Defensa emite comunicado ante llamado de Diputado Julio Borges a la FANB para el rescate de la Constitución

06 Janero 2017

Caracas, 06 JAN. AVN.- A Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) divulgou na sexta-feira (06JAN2017) um comunicado ratificando ao povo venezuelano seu compromisso irredutível para trabalhar em prol da paz e em defesa da soberania nacional.

Em nota, a FANB reafirma absoluta lealdade ao chefe de Estado, Nicolás Maduro, e fiel compromisso com a Constituição, rechaçando novos chamamentos a um golpe de Estado realizados pela direção da Assembleia Nacional (AN).

Nesta quinta-feira, o deputado Julio Borges- juramentado ilegalmente como o novo presidente da AN, instância que está em desacato por não cumprir sentença do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ)- fez novo chamado à FANB para somar-se aos interesses da oligarquia e não aos do povo venezuelano, e desconhecer o presidente da República, Nicolás Maduro.

Veja a nota na íntegra:

A Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) ratifica ao povo venezuelano a irredutível vocação de servir a seus mais elevados interesses e o inquebrantável compromisso de respeitar e fazer cumprir a Suprema Lei da República, como sempre fizemos, especialmente durante os últimos 27 anos nos quais enfrentou graves atentados tais como, golpes de estado, paralisação petroleira, guarimbas terroristas, criminalidade paramilitar e violência política; todos eventos em que os inimigos da pátria fracassaram estrepitosamente graças ao papel preponderante do governo bolivariano e a instituição castrense para proteger sua paz e estabilidade democrática.

Por isso resulta tristemente contraditório que da Assembleia Nacional seja realizado um chamamento ao resgate da Constituição, sob um enfoque tendencioso e parcial, que pretende gerar incerteza para arrebatar a legitimidade do cidadão Nicolás Maduro Moros como Presidente da República Bolivariana da Venezuela e Comandante em Chefe da FANB. Neste sentido enfatizamos que para os homens e mulheres de uniforme, o Chefe de Estado não é uma parcialidade política, pois a mesma Carta Magna estabelece que exerce a suprema autoridade hierárquica, razão pela qual nossa obediência não representa uma atitude complacente, mas uma obrigação legalmente estabelecida; por isso lhe reiteramos absoluta lealdade e incondicional apoio no esforço que dia a dia realiza para superar as dificuldades que enfrentamos na atualidade.

Também convém ressaltar a sistemática falta de respeito que de forma desafiante vem sendo praticada por um setor da Assembleia Nacional contra autoridades legitimamente constituídas como o Tribunal Supremo de Justiça, ao violentar o consagrado no artigo 335 do texto constitucional que o define como o máximo e último intérprete desta Constituição; pelo qual todas as instâncias do Estado estão obrigadas a seu estrito acatamento. Sendo assim qualquer ato emanado à margem desta norma se considera fora da ordem constitucional, carente de legalidade e inoficioso, que em nada contribui com a harmonia e concórdia necessárias para o progresso e o desenvolvimento do país.

Contamos com uma rica história na defesa da democracia venezuelana, sempre apegados ao ideário do Libertador Simón Bolívar; hoje, a Força Armada Nacional é orgulhosamente Bolivariana, como nunca antes. Somos a coluna vertebral da soberania popular, constituindo-nos no mais zeloso guardião das conquistas sociais e direitos de seus concidadãos, com o qual ganhou admiração. Em consequência, é a mesma FANB e o povo que hoje exigem respeito e rechaçam estes assinalamentos de fátuos argumentos. Chega de chamamentos que pretendem envolver a instituição em situações de caráter faccioso contrárias a sua essência constitucional e profissional!

Duzentos anos depois do nascimento de Ezequiel Zamora, o General do Povo Soberano, o precursor do igualitarismo social e a união cívico – militar, os soldados da pátria, dignos herdeiros de seu legado, ratificamos o ineludível compromisso de defender a todo custo as conquistas da Revolução Bolivariana em benefício de nossa amada nação, para preservá-la para sempre livre, soberana e independente.

CHÁVEZ VIVE... A PÁTRIA SEGUE

INDEPENDÊNCIA E PÁTRIA SOCIALISTA... VIVIREMOS E VENCEREMOS!

VLADIMIR PADRINO LÓPEZ

GENERAL EM CHEFE



Texto em Español


La Fuerza Armada Nacional Bolivariana ratifica al pueblo venezolano la irreductible vocación de servir a sus más elevados intereses y el inquebrantable compromiso de respetar y hacer cumplir la Suprema Ley de la República, como siempre lo hemos hecho, especialmente durante los últimos 17 años en los cuales ha enfrentado graves atentados tales como, golpes de estado, paro petrolero, guarimbas terroristas, criminalidad paramilitar y violencia política; eventos todos en que los enemigos de la patria fracasaron estrepitosamente gracias al rol preponderante que jugó el gobierno bolivariano y la institución castrense para salvaguardar su paz y estabilidad democrática.

Por ello resulta tristemente contradictorio, que desde la Asamblea Nacional se efectúe un llamado al rescate de la Constitución, bajo un enfoque sesgado y parcial, que pretende generar incertidumbre para arrebatar la legitimidad del ciudadano Nicolás Maduro Moros como Presidente de la República Bolivariana de Venezuela y Comandante en Jefe de la FANB. En este sentido recalcamos que para los hombres y mujeres de uniforme, el Jefe de Estado no es una parcialidad política, pues la misma Carta Magna precisa que ejerce la suprema autoridad jerárquica, razón por la cual nuestra obediencia no representa una actitud complaciente, sino una obligación legalmente establecida; por eso le reiteramos absoluta lealtad e incondicional apoyo en el esfuerzo que día a día realiza para superar las dificultades que enfrentamos en la actualidad.

También conviene resaltar el sistemático irrespeto que en forma desafiante se viene practicando desde un sector de la Asamblea Nacional  contra autoridades legítimamente constituidas como el Tribunal Supremo de Justicia, al violentar lo consagrado en el artículo 335 del texto constitucional que lo define como el máximo y último intérprete de esta Constitución; por lo que todas las instancias del Estado están obligadas a su estricto acatamiento. Siendo así, cualquier acto emanado al margen de esta norma se considera fuera del hilo constitucional, carente de legalidad e inoficioso, que en nada contribuye a la armonía y concordia necesarias para el progreso y desarrollo del país.

Contamos con una rica historia en la defensa de la democracia venezolana, siempre apegados al ideario del Libertador Simón Bolívar; hoy, la Fuerza Armada Nacional es orgullosamente Bolivariana, como nunca antes. Somos la columna vertebral de la soberanía popular, constituyéndonos en el más celoso guardián de las conquistas sociales y derechos de sus conciudadanos, con lo cual se ha ganado su admiración. En consecuencia, es la misma FANB y el pueblo quienes hoy exigen respeto y rechazan estos señalamientos de fatuos argumentos. ¡Basta de llamados que pretenden involucrar a la institución en situaciones de corte faccioso contrarias a su esencia constitucional y profesional!

A 200 años del natalicio de Ezequiel Zamora, el General del Pueblo Soberano, el precursor del igualitarismo social y la unión cívico – militar, los soldados y soldadas de la patria, dignos herederos de su legado, ratificamos el insoslayable compromiso de defender a toda costa los logros de la Revolución Bolivariana en beneficio de nuestra amada nación, para preservarla por siempre libre, soberana e independiente.

CHÁVEZ VIVE… LA PATRIA SIGUE

¡INDEPENDENCIA Y PATRIA SOCIALISTA… VIVIREMOS Y VENCEREMOS!

 

 VLADIMIR PADRINO LÓPEZ

GENERAL EN
JEFE

"Who knows what evil lurks in the hearts of men? The Shadow knows..."

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.633
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #854 Online: 09 de Janeiro de 2017, 16:09:11 »
Citar
[...]
CHÁVEZ VIVE… LA PATRIA SIGUE

¡INDEPENDENCIA Y PATRIA SOCIALISTA… VIVIREMOS Y VENCEREMOS!

 

 VLADIMIR PADRINO LÓPEZ

GENERAL EN
JEFE


É apenas mais um safado e mau-caráter 'bolivariano', do tipo 'milico'.

"General en Jefe" de p...a nenhuma!!!
Foto USGS

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.775
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #855 Online: 09 de Janeiro de 2017, 22:13:32 »
Toda vez que surge um governo popular e genuinamente democrático, o capital internacional mexe seus pauzinhos pra sabotá-lo, causando fome e obrigando o governo popular a quebrar mais ovos do que o inicialmente planejado pra fazer esse omelete, pra no final o omelete não ficar pronto e os burgueses, kulaks, facistas e coxinhas ficarem dizendo que o socialismo nunca vai dar certo.

O engraçado é que fazem isso só com os socialismos latino-americanos e africanos atualmente, mas deixam o socialsmo nórdico em paz. Por que será? Fica até "parecendo" que o capital internacional teria alguma coisa contra a prosperidade das pessoas de cor, enquanto não se opõem à soberiana dos povos arianos nórdicos em sua escolha político-econômica.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #856 Online: 09 de Janeiro de 2017, 22:18:47 »
Toda vez que surge um governo popular e genuinamente democrático, o capital internacional mexe seus pauzinhos pra sabotá-lo, causando fome e obrigando o governo popular a quebrar mais ovos do que o inicialmente planejado pra fazer esse omelete, pra no final o omelete não ficar pronto e os burgueses, kulaks, facistas e coxinhas ficarem dizendo que o socialismo nunca vai dar certo.

O engraçado é que fazem isso só com o socialismo latino-americano atualmente, mas deixam o socialsmo nórdico em paz. Por que será?

No nórdico eles agem sub repticiamente impedindo a implantação de um governo e uma economia verdadeiramente populares, deixando a burguesia em paz e no bem bom enquanto extrai a mais-valia dos trabalhadores, que por terem um padrão de vida bom (às custas da fome e miséria na África), aceitam a manutenção dos meios de produção nas mãos da classe dominante.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 33.775
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #857 Online: 10 de Janeiro de 2017, 01:48:04 »
Os nórdicos ao menos evidenciam a mentira do socialismo como "distribuição igual da miséria"; mostram que não há o que temer de um estado empregador com mais de um terço da população como servidores, e que não há antagonismo entre uma economia de mercado moderada e um estado ativo, que não deixa a economia descontrolada, para causar o caos e injustiça.

Mas realmente não se pode negligenciar esse aspecto, da riqueza deles, mesmo no socialismo, estar se dando às custas da pobreza em outros lugares (e mesmo lá, já que não há perfeita igualdade, apesar do elevado IDH). Por isso é necessária a contínua luta pela expansão do socialismo ao redor do mundo. MORTE AO CAPITAL!!!!!!111☭☭☭☭☭☭☭☭☭

Offline Skorpios

  • Tesoureiro
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.029
  • Sexo: Masculino
  • Homenagem a mais um amigo morto.
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #858 Online: 12 de Janeiro de 2017, 08:38:23 »
Se você agir sempre com dignidade pode não melhorar o mundo, mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos.

Millôr Fernandes

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.931
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #859 Online: 12 de Janeiro de 2017, 08:51:09 »
Não dá para postar a matéria.

Mesmo com crise econômica,Maduro reforça arsenal militar

Deve estar agradando os militares pra continuarem sendo amiguinhos.

Offline Shadow

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.446
  • "Alguns teóricos dos antigos astronautas...."
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #860 Online: 12 de Janeiro de 2017, 09:07:18 »
Não dá para postar a matéria.

Mesmo com crise econômica,Maduro reforça arsenal militar

Deve estar agradando os militares pra continuarem sendo amiguinhos.

As compras militares da Venezuela sempre foram meio "fumaça", mais propaganda que aquisições efetivas. Basta ver os F-16 e os Flankers. Parece uma grande coisa, a aquisição de bons vetores, mas a Venezuela não possui capacidade de alerta antecipado. Se considerarmos que na guerra moderna "emitiu, morreu", os vetores venezuelanos têm que voar com pouca consciência situacional.

Em outra situação, compraram 5.000 fuzis Dragunov, snipers. Para quê? O sistema de mira do Dragunov é bem complexo, tipo dos antigos carros de combate soviéticos, e exige muito treinamento. Pouco provável que as "forças bolivarianas" treinassem tal número de atiradores. O mais provável é que tenham sido destinados a milícias.

Um dos navios venezuelanos, uma corvetinha, o Warao, está abandonado no Brasil já há anos, e os caras já desistiram dele, não tem grana para os reparos, depois de um acidente em fortaleza.

Ou seja, os militares venezuelanos, mais cúmplices que qualquer outra coisa, perderam a chance de um real reequipamento. São só lacaios.
"Who knows what evil lurks in the hearts of men? The Shadow knows..."


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.161
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #862 Online: 12 de Janeiro de 2017, 18:56:26 »
Talvez seja uma forma de desviar dinheiro.

O cara manda e desmanda tão descaradamente que nem  precisaria todo o trabalho só para desviar dinheiro.

Pessoalmente acho que o próximo passo dele é  arrumar briga com algum vizinho mais fraco para desviar o foco da crise, existe uma área em disputa na fronteira.

Offline Skorpios

  • Tesoureiro
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.029
  • Sexo: Masculino
  • Homenagem a mais um amigo morto.
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #863 Online: 16 de Janeiro de 2017, 07:51:47 »
Tremam, americanos... :hehe:

Citar
Venezuela reúne quase 600 mil em exercício cívico-militar

Presidente Nicolás Maduro lidera pessoalmente manobras visando armar resistência contra suposto complô dos EUA para derrubar seu governo. "Estabilidade da Venezuela é estabilidade de toda a América do Sul", diz.

O governo da Venezuela realizou neste sábado (14/01) um exercício cívico-militar envolvendo 76 mil militares e 500 mil civis, com o fim de mostrar que o povo e a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) podem defender o país no caso de invasão por uma "potência imperialista".

Desde o início da semana vinham sendo realizados treinamentos, e o Exercício de Defesa Integral Anti-Imperialista Zamora 200 culminou com o acionamento de todos os setores militares e, pela parte civil, conselhos comunais e coletivos organizados chavistas.

Ele foi supervisionado pessoalmente pelo presidente Nicolás Maduro a partir do estado central de Miranda. As manobras em terra, mar e ar incluíram defesa urbana e proteção das refinarias de petróleo costeiras.

"No interesse do Hemisfério Sul"

A meta do exercício de defesa seria resistir ao que o governo socialista define como um complô arquitetado pelos Estados Unidos para derrubá-lo. A televisão estatal mostrou imagens de soldados camuflados como arbustos gritando "Pátria socialista!", enquanto seus comandantes portavam equipamento de fabricação russa.

Salientando que o presidente dos EUA, Barack Obama, "com seu Prêmio Nobel da Paz", "levou a guerra a todos os cantos do mundo", Maduro afirmou que "a estabilidade da Venezuela é a estabilidade da América do Sul e do Caribe". Portanto, seria "de interesse comum" de todo o Hemisfério Sul defender a união do país, assim como sua estabilidade política, social, econômica e militar.

O comandante-geral da Guarda Nacional Bolivariana, Antonio Benavides, disse que o país está fazendo "história" ao realizar essa atividade para unir o povo e os militares, pela primeira vez. Segundo o ministro do Poder Popular, Aristóbulo Istúriz, o ato envia uma "mensagem direta ao imperialismo, à oligarquia internacional e à direita fascista": "É a reafirmação do compromisso anti-imperialista, do compromisso de defesa da pátria."

Casa Branca prorroga sanções

Na sexta-feira, os EUA estenderam a ordem executiva declarando "emergência nacional" na Venezuela, expedida em março de 2015. Ela foi seguida por sanções contra sete altos funcionários que haviam mandado prender manifestantes anti-Maduro durante uma onda de protestos que resultou em mais de 40 mortes.

Segundo a Casa Branca, a medida foi prorrogada devido à ausência de qualquer avanço na situação dos direitos humanos na Venezuela, incluindo a coerção da liberdade de imprensa e detenções arbitrárias. Além disso, a corrupção estaria se agravando.

Na semana anterior, três ativistas da oposição foram presos, e Henrique Capriles, candidato presidencial em duas eleições, está sendo investigado, podendo ser banido de todo cargo público. Nos últimos meses, oposicionistas tentaram depor Maduro, mas seus esforços por um pleito presidencial antecipado foram barrados.

A ministra venezuelana do Exterior, Delcy Rodriguez, classificou a ordem executiva americana como uma confirmação do legado de "ódio" de Obama contra o país, constituindo "grave violação do direito internacional".
Se você agir sempre com dignidade pode não melhorar o mundo, mas uma coisa é certa: haverá na Terra um canalha a menos.

Millôr Fernandes

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.931
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #864 Online: 16 de Janeiro de 2017, 08:03:41 »
Faz tempo que perdeu o senso do ridículo, mas sempre choca. Como é possível?

Offline Shadow

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.446
  • "Alguns teóricos dos antigos astronautas...."
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #865 Online: 16 de Janeiro de 2017, 08:11:01 »
Tremam, americanos... :hehe:

Citar
Venezuela reúne quase 600 mil em exercício cívico-militar

Presidente Nicolás Maduro lidera pessoalmente manobras visando armar resistência contra suposto complô dos EUA para derrubar seu governo. "Estabilidade da Venezuela é estabilidade de toda a América do Sul", diz.

O governo da Venezuela realizou neste sábado (14/01) um exercício cívico-militar envolvendo 76 mil militares e 500 mil civis, com o fim de mostrar que o povo e a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) podem defender o país no caso de invasão por uma "potência imperialista".

Desde o início da semana vinham sendo realizados treinamentos, e o Exercício de Defesa Integral Anti-Imperialista Zamora 200 culminou com o acionamento de todos os setores militares e, pela parte civil, conselhos comunais e coletivos organizados chavistas.

Ele foi supervisionado pessoalmente pelo presidente Nicolás Maduro a partir do estado central de Miranda. As manobras em terra, mar e ar incluíram defesa urbana e proteção das refinarias de petróleo costeiras.

"No interesse do Hemisfério Sul"

A meta do exercício de defesa seria resistir ao que o governo socialista define como um complô arquitetado pelos Estados Unidos para derrubá-lo. A televisão estatal mostrou imagens de soldados camuflados como arbustos gritando "Pátria socialista!", enquanto seus comandantes portavam equipamento de fabricação russa.

Salientando que o presidente dos EUA, Barack Obama, "com seu Prêmio Nobel da Paz", "levou a guerra a todos os cantos do mundo", Maduro afirmou que "a estabilidade da Venezuela é a estabilidade da América do Sul e do Caribe". Portanto, seria "de interesse comum" de todo o Hemisfério Sul defender a união do país, assim como sua estabilidade política, social, econômica e militar.

O comandante-geral da Guarda Nacional Bolivariana, Antonio Benavides, disse que o país está fazendo "história" ao realizar essa atividade para unir o povo e os militares, pela primeira vez. Segundo o ministro do Poder Popular, Aristóbulo Istúriz, o ato envia uma "mensagem direta ao imperialismo, à oligarquia internacional e à direita fascista": "É a reafirmação do compromisso anti-imperialista, do compromisso de defesa da pátria."

Casa Branca prorroga sanções

Na sexta-feira, os EUA estenderam a ordem executiva declarando "emergência nacional" na Venezuela, expedida em março de 2015. Ela foi seguida por sanções contra sete altos funcionários que haviam mandado prender manifestantes anti-Maduro durante uma onda de protestos que resultou em mais de 40 mortes.

Segundo a Casa Branca, a medida foi prorrogada devido à ausência de qualquer avanço na situação dos direitos humanos na Venezuela, incluindo a coerção da liberdade de imprensa e detenções arbitrárias. Além disso, a corrupção estaria se agravando.

Na semana anterior, três ativistas da oposição foram presos, e Henrique Capriles, candidato presidencial em duas eleições, está sendo investigado, podendo ser banido de todo cargo público. Nos últimos meses, oposicionistas tentaram depor Maduro, mas seus esforços por um pleito presidencial antecipado foram barrados.

A ministra venezuelana do Exterior, Delcy Rodriguez, classificou a ordem executiva americana como uma confirmação do legado de "ódio" de Obama contra o país, constituindo "grave violação do direito internacional".

Chega a ser divertido. De verdade. Fica ainda mais claro para mim que a culpa de tudo é do próprio povo venezuelano, que tolera essas bobagens.
"Who knows what evil lurks in the hearts of men? The Shadow knows..."

Offline Johnny Cash

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.891
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #866 Online: 16 de Janeiro de 2017, 08:19:27 »
Tremam, americanos... :hehe:

Citar
Venezuela reúne quase 600 mil em exercício cívico-militar

Presidente Nicolás Maduro lidera pessoalmente manobras visando armar resistência contra suposto complô dos EUA para derrubar seu governo. "Estabilidade da Venezuela é estabilidade de toda a América do Sul", diz.

O governo da Venezuela realizou neste sábado (14/01) um exercício cívico-militar envolvendo 76 mil militares e 500 mil civis, com o fim de mostrar que o povo e a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) podem defender o país no caso de invasão por uma "potência imperialista".

Desde o início da semana vinham sendo realizados treinamentos, e o Exercício de Defesa Integral Anti-Imperialista Zamora 200 culminou com o acionamento de todos os setores militares e, pela parte civil, conselhos comunais e coletivos organizados chavistas.

Ele foi supervisionado pessoalmente pelo presidente Nicolás Maduro a partir do estado central de Miranda. As manobras em terra, mar e ar incluíram defesa urbana e proteção das refinarias de petróleo costeiras.

"No interesse do Hemisfério Sul"

A meta do exercício de defesa seria resistir ao que o governo socialista define como um complô arquitetado pelos Estados Unidos para derrubá-lo. A televisão estatal mostrou imagens de soldados camuflados como arbustos gritando "Pátria socialista!", enquanto seus comandantes portavam equipamento de fabricação russa.

Salientando que o presidente dos EUA, Barack Obama, "com seu Prêmio Nobel da Paz", "levou a guerra a todos os cantos do mundo", Maduro afirmou que "a estabilidade da Venezuela é a estabilidade da América do Sul e do Caribe". Portanto, seria "de interesse comum" de todo o Hemisfério Sul defender a união do país, assim como sua estabilidade política, social, econômica e militar.

O comandante-geral da Guarda Nacional Bolivariana, Antonio Benavides, disse que o país está fazendo "história" ao realizar essa atividade para unir o povo e os militares, pela primeira vez. Segundo o ministro do Poder Popular, Aristóbulo Istúriz, o ato envia uma "mensagem direta ao imperialismo, à oligarquia internacional e à direita fascista": "É a reafirmação do compromisso anti-imperialista, do compromisso de defesa da pátria."

[...]


De que forma se da a participação desses 500 mil civis nesses exercícios?

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 25.633
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #867 Online: 16 de Janeiro de 2017, 08:34:46 »
Faz tempo que perdeu o senso do ridículo, mas sempre choca. Como é possível?

O que choca mais é ver a população se comportando como 'gado'.

Assim como os petistas neste país.
Foto USGS

Offline Shadow

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.446
  • "Alguns teóricos dos antigos astronautas...."
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #868 Online: 16 de Janeiro de 2017, 08:37:05 »
Você pode ver a massiva participação popular nessa foto claramente não editada:


Note-se que participam segundo o conceito soviético de "expulsar os alemães de Stalingrado" no empurrão.


Aqui, os briosos guerreiros, armados com cabos de vassouras. Note que o segundo bizonho da foto não sabe que "dedão faz parte da mão". Ia pagar canguru até morrer se fosse no EB.




Aqui, mais da briosa massa salvadora de nuestra america latrina:


Note também o valente motorista de ônibus presidente venezuelano mostrando que entende tudo da arte da guerra, encostando o zóião na mira e prestes a ganhar o olho roxo, a "marca do idiota".


Estamos salvos dos malditos ianques!



https://gz.diarioliberdade.org/artigos-em-destaque/item/121204-400-mil-representantes-de-movimentos-sociais-participam-de-exercicio-civico-militar-na-venezuela.html
« Última modificação: 16 de Janeiro de 2017, 13:08:58 por Shadow »
"Who knows what evil lurks in the hearts of men? The Shadow knows..."

Offline Gauss

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.566
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #869 Online: 16 de Janeiro de 2017, 13:01:31 »
São 'civis' membros de 'movimentos sociais'.  Já viram tudo, né?
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.778
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #870 Online: 16 de Janeiro de 2017, 13:12:13 »
"O pior pesadelo de um socialista é viver em um país socialista que não é governado por seus amigos."
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.577
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #871 Online: 16 de Janeiro de 2017, 13:42:26 »
Tremam, americanos... :hehe:
Na semana anterior, três ativistas da oposição foram presos, e Henrique Capriles, candidato presidencial em duas eleições, está sendo investigado, podendo ser banido de todo cargo público. Nos últimos meses, oposicionistas tentaram depor Maduro, mas seus esforços por um pleito presidencial antecipado foram barrados.

A ministra venezuelana do Exterior, Delcy Rodriguez, classificou a ordem executiva americana como uma confirmação do legado de "ódio" de Obama contra o país, constituindo "grave violação do direito internacional".


Chega a ser divertido. De verdade. Fica ainda mais claro para mim que a culpa de tudo é do próprio povo venezuelano, que tolera essas bobagens.


Aí eu discordo bastante,  pois a grande maioria do povo está sendo vítima desse governo desastrado.  Inclusive várias pessoas já foram mortas ou presas por motivos políticos. 

O que você faria se estivesse lá ?

Você iria lutar contra as milícias, o exército e a polícia bolivarianas ?


« Última modificação: 16 de Janeiro de 2017, 13:47:14 por JJ »

Offline Shadow

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.446
  • "Alguns teóricos dos antigos astronautas...."
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #872 Online: 16 de Janeiro de 2017, 13:49:56 »

Na semana anterior, três ativistas da oposição foram presos, e Henrique Capriles, candidato presidencial em duas eleições, está sendo investigado, podendo ser banido de todo cargo público. Nos últimos meses, oposicionistas tentaram depor Maduro, mas seus esforços por um pleito presidencial antecipado foram barrados.

A ministra venezuelana do Exterior, Delcy Rodriguez, classificou a ordem executiva americana como uma confirmação do legado de "ódio" de Obama contra o país, constituindo "grave violação do direito internacional".

Chega a ser divertido. De verdade. Fica ainda mais claro para mim que a culpa de tudo é do próprio povo venezuelano, que tolera essas bobagens.
[/quote]



Aí eu discordo bastante,  pois a grande maioria do povo está sendo vítima dese governo desastrado.  Inclusive várias pessoas já foram mortas ou presas por motivos políticos. 

O que você faria se estivesse lá ?

Você iria lutar contra as milícias, o exército e a polícia bolivarianas ?
[/quote]

Mas como não é? Esses caras não caíram de paraquedas? A sociedade venezuelana permitiu até que mudassem o nome do país! Se eu estivesse lá? Lutaria dentro de minhas habilidades pelas vias constitucionais até onde possível. Como a constituição venezuelana já foi para a cova, provavelmente já estaria em um próximo passo, que seria eliminar a cúpula bolivariana, não sem antes sublevar as massas. Não há outra saída além disso.
"Who knows what evil lurks in the hearts of men? The Shadow knows..."

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.577
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #873 Online: 16 de Janeiro de 2017, 13:50:35 »
Faz tempo que perdeu o senso do ridículo, mas sempre choca. Como é possível?

O que choca mais é ver a população se comportando como 'gado'.

Assim como os petistas neste país.


Mas há pessoas contrárias ao governo do Maduro,  só que lutar contra o governo e as milícias é uma coisa perigosa.  Pessoas foram presas e até mortas.

Se você fosse um venezuelano, e estivesse lá, o que você faria ?   :?:



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.577
  • Sexo: Masculino
Re:Os estragos do chavismo na Venezuela
« Resposta #874 Online: 16 de Janeiro de 2017, 13:53:08 »

Mas como não é? Esses caras não caíram de paraquedas? A sociedade venezuelana permitiu até que mudassem o nome do país! Se eu estivesse lá? Lutaria dentro de minhas habilidades pelas vias constitucionais até onde possível. Como a constituição venezuelana já foi para a cova, provavelmente já estaria em um próximo passo, que seria eliminar a cúpula bolivariana, não sem antes sublevar as massas. Não há outra saída além disso.


Um civil resistir a um governo ?  Sem a ajuda de um exército treinado ?   Sem  fazer parte de um grupo  de bom tamanho, que tenha  pelo menos a ajuda de um Estado estrangeiro para dar o suporte necessário (em armas, treinamento e suprimentos) ?


 :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?:


« Última modificação: 16 de Janeiro de 2017, 13:55:42 por JJ »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!