Autor Tópico: Imagens políticas  (Lida 146810 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.979
Re:Imagens políticas
« Resposta #3700 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 21:31:49 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Todo o sistema financeiro é eletrônico em todos os lugares. Até as custódias são eletrônicas. Por que essa birra contra a urninha eletrônica? A segurança é um problema que se resolve, ou devemos nos tornar paranóicos a ponto de supor que o nosso patrimônio também está inseguro devido a um grau de complexidade infinitamente maior do que uma simples urna?

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.209
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Imagens políticas
« Resposta #3701 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 21:35:31 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Todo o sistema financeiro é eletrônico em todos os lugares. Até as custódias são eletrônicas. Por que essa birra contra a urninha eletrônica? A segurança é um problema que se resolve, ou devemos nos tornar paranóicos a ponto de supor que o nosso patrimônio também está inseguro devido a um grau de complexidade infinitamente maior do que uma simples urna?
Quando eu faço um depósito bancário eu recebo um comprovante. :)
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3702 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 21:36:00 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Eu que faço a pergunta: Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado? Você leu o que postei direito?

Onde neguei que Venezuela era exemplo de democracia, desenvolvimento ou algo assim? Critiquei quem disse que pelo fato de Venezuela ser um dos países que adotam voto eletrônico tornar oto eletrônio menos confiável. Lá menos confiável é o regime e sistema político, e a votação fosse manual ou eletrônica vai ser afetada. Achar que simplesmente não ter votação eletrônica logo não terá "ditadura comunista do mal" é muita ingenuidade ou teimosia mesmo! e Cuba foi regime comunista antes do voto eletrônico por que acha que sem impediria de acontecer isso?

Mania essa de alguém tomar partido só porque alguém é contra voto eletrônico e diz que contar PT logo vem uma turma inteira defender o ponto dele.







Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.209
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Imagens políticas
« Resposta #3703 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 21:37:11 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Eu que faço a pergunta: Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado? Você leu o que postei direito?

Onde neguei que Venezuela era exemplo de democracia, desenvolvimento ou algo assim? Critiquei quem disse que pelo fato de Venezuela ser um dos países que adotam voto eletrônico tornar oto eletrônio menos confiável. Lá menos confiável é o regime e sistema político, e a votação fosse manual ou eletrônica vai ser afetada. Achar que simplesmente não ter votação eletrônica logo não terá "ditadura comunista do mal" é muita ingenuidade ou teimosia mesmo! e Cuba foi regime comunista antes do voto eletrônico por que acha que sem impediria de acontecer isso?

Mania essa de alguém tomar partido só porque alguém é contra voto eletrônico e diz que contar PT logo vem uma turma inteira defender o ponto dele.
O Arcanjo argumentou que haveria uma ditadura comunista se as urnas continuarem a serem utilizadas?
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3704 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 21:44:56 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Todo o sistema financeiro é eletrônico em todos os lugares. Até as custódias são eletrônicas. Por que essa birra contra a urninha eletrônica? A segurança é um problema que se resolve, ou devemos nos tornar paranóicos a ponto de supor que o nosso patrimônio também está inseguro devido a um grau de complexidade infinitamente maior do que uma simples urna?
Quando eu faço um depósito bancário eu recebo um comprovante. :)

Mas se tiver comprovante vão reclamar que vão vigiar pra confirmar se votante de voto de cabresto votou como combinado.


Problemas com votação eletrônica só devem ser consideradas se for relacionado a
 vulnerabilidade do sistema e não coisas externa ela como por exemplo: anotar seção onde certa pessoa votou, roubar urnas eletrônicas, etc.


https://pt.wikipedia.org/wiki/Voto_de_cabresto


Voto de Cabresto no passado[editar | editar código-fonte]
A figura do coronel era muito comum durante os anos iniciais da República, principalmente nas regiões do interior do Brasil. O coronel era um grande fazendeiro que utilizava seu poder econômico para garantir a eleição dos candidatos que apoiava. Era usado o voto de cabresto, onde o coronel obrigava e usava até mesmo de violência para que os eleitores de seu "curral eleitoral" votassem nos candidatos apoiados por ele. Como o voto era aberto, os eleitores eram pressionados e fiscalizados por capangas do coronel, para que votassem nos candidatos por ele indicados. O coronel também utilizava outros recursos para conseguir seus objetivos políticos, tais como compra de voto, votos fantasmas, troca de favores, fraudes eleitorais e violência. Na Convenção de 1929, assim o presidente (governador) de Minas Gerais Antonio Carlos se referia ao sistema eleitoral vigente durante a República Velha:

“   "Para mim, insisto em dizê-lo, o ponto vulnerável da nossa organização política reside no sistema de voto, pois notoriamente ele favorece a compressão, a corrupção e a fraude, permitindo que os títulos eleitorais se transformem em títulos negociáveis e que o Governo exerça sobre o ato do voto, praticado sob a odiosa fiscalização e vigilância de seus agentes, a incontrastável influência da ameaça, de represália ou das tentativas de peita ou de suborno" [2]

Voto de Cabresto no presente

No sistema político e eleitoral brasileiro, nos dias atuais, é muito difícil controlar o voto das pessoas. Mas há novos mecanismos de pressão que são usados. Por exemplo, anotar as secções em que os eleitores de uma determinada família ou localidade votam, para depois conferir se a votação do candidato correspondeu ao que se esperava dos eleitores, dando dinheiro, lotes e alimentos (cesta básica), assim que funciona a compra de votos. Embora não seja possível se determinar "quem" votou em "quem" por este método, ele é eficaz entre a população mais pobre como instrumento de pressão psicológica.

Mas há também o uso de poder das milícias, nas comunidades pobres, que obrigam os moradores locais a votar em quem eles querem, ou não permitem o voto em candidatos que a milícia não aceita; se a população não cumpre a milícia pode abusar do poder e causar mortes ou parar de "ajudar" os moradores.



Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3705 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 21:49:41 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Eu que faço a pergunta: Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado? Você leu o que postei direito?

Onde neguei que Venezuela era exemplo de democracia, desenvolvimento ou algo assim? Critiquei quem disse que pelo fato de Venezuela ser um dos países que adotam voto eletrônico tornar oto eletrônio menos confiável. Lá menos confiável é o regime e sistema político, e a votação fosse manual ou eletrônica vai ser afetada. Achar que simplesmente não ter votação eletrônica logo não terá "ditadura comunista do mal" é muita ingenuidade ou teimosia mesmo! e Cuba foi regime comunista antes do voto eletrônico por que acha que sem impediria de acontecer isso?

Mania essa de alguém tomar partido só porque alguém é contra voto eletrônico e diz que contar PT logo vem uma turma inteira defender o ponto dele.
O Arcanjo argumentou que haveria uma ditadura comunista se as urnas continuarem a serem utilizadas?

Se fazendo de desentendido?
Ele citou Venezuela ter votação eletrônica e por ser um país comunista logo associou uma coisa a outra. e a Venezuela adote algo, logo qualquer coisa que ela adote se torna ruim por que lá tem um regime comunista? Ex: Se na Venezuela o governo comunista usar verduras na alimentação escolar logo legumes são ruins?

Se não entendeu não vou explicar pela terceira vez.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.229
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3706 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 22:10:29 »
Vou encurtar a resposta porque já são 22 horas e vou tentar explicar do modo mais simples e direto, então serve a todos:

Meu problema não é com a porra da maldita máquina, tanto faz se vou usar a urna de papel ou a outra, meu problema é com a birra que o bando de filhos das putas que organizam essa merda de eleição tem em dizer que não preciso de um comprovante para certeza que votei em X candidato e meu voto foi registrado para X candidato.

Meu problema é com a insistência dos filhos das putas em dizerem que a urna é  segura e pronto, mesmo sabendo que tem furos para todo lado e que a empresa contratada responde por fraude em outros países, meu problema é saber que a mesma merda de empresa acaba de admitir uma fraude eleitoral na Venezuela, aquele país de merda onde não usariam papel para votar nem mesmo se quisessem porque não tem nem para limpar a bunda quanto mais para escrever.

Podem ter certeza que quando um filho da puta qualquer exige que você aceite apenas sua palavra como verdade absoluta é certo que tem merda no meio disso tudo.

Se vc tem um bando de filhos das putas querendo impedir a todo custo que uma merda de eleição tenha documentos físicos para recontagem é porque querem encobrir uma eleição fraudada.

Não me importo se esse Zé Povinho de merda queira um rato semi analfabeto na presidência pela terceira vez, só que quero ter a certeza que o filho da puta foi eleito de verdade.

Espero ter sido bem claro.

Voltarei amanhã para esclarecer qualquer dúvida.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.979
Re:Imagens políticas
« Resposta #3707 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 22:29:34 »
Vou encurtar a resposta porque já são 22 horas e vou tentar explicar do modo mais simples e direto, então serve a todos:

Meu problema não é com a porra da maldita máquina, tanto faz se vou usar a urna de papel ou a outra, meu problema é com a birra que o bando de filhos das putas que organizam essa merda de eleição tem em dizer que não preciso de um comprovante para certeza que votei em X candidato e meu voto foi registrado para X candidato.

Meu problema é com a insistência dos filhos das putas em dizerem que a urna é  segura e pronto, mesmo sabendo que tem furos para todo lado e que a empresa contratada responde por fraude em outros países, meu problema é saber que a mesma merda de empresa acaba de admitir uma fraude eleitoral na Venezuela, aquele país de merda onde não usariam papel para votar nem mesmo se quisessem porque não tem nem para limpar a bunda quanto mais para escrever.

Podem ter certeza que quando um filho da puta qualquer exige que você aceite apenas sua palavra como verdade absoluta é certo que tem merda no meio disso tudo.

Se vc tem um bando de filhos das putas querendo impedir a todo custo que uma merda de eleição tenha documentos físicos para recontagem é porque querem encobrir uma eleição fraudada.

Não me importo se esse Zé Povinho de merda queira um rato semi analfabeto na presidência pela terceira vez, só que quero ter a certeza que o filho da puta foi eleito de verdade.

Espero ter sido bem claro.

Voltarei amanhã para esclarecer qualquer dúvida.

Mais claro, impossível.  :ok:

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3708 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 22:40:17 »
Mas o bandos de filhas da puta de direita e esquerda reclamam que: Dizem que voto impresso, comprovante, etc, podem ser usados pra voto de cabresto.

Sempre vai ter reclamadores.

_____________

Mais informações sobre votos antes da eletrônica:

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2014-09-21/antes-das-urnas-eletronicas-eleicoes-em-cedula-de-papel-tinham-clima-de-guerra.html

Antes das urnas eletrônicas, eleições em cédula de papel tinham clima de guerra

Apuração, que atualmente leva pouco mais de 10 horas, durava meses e era marcada por pressões e risco de fraude
Receber a cédula eleitoral do próprio candidato, ser coagido por capangas de coronéis e até declarar voto publicamente ao juiz eleitoral. O cenário que hoje parece estarrecedor já foi realidade para os brasileiros, que percorreram um caminho longo e nada confortável nas eleições até os dias atuais. As cédulas de papel, existentes desde a época colonial, seguiram pelo Império e pela República Velha e marcaram pleitos cercados de fraudes. A contagem dos votos, que tinham de ser transportados de diferentes partes do País até o Rio de Janeiro, durava meses.

O primeiro Código Eleitoral brasileiro, de 1932, garantiu os principais avanços ao sistema eleitoral. A partir dele foi garantido o voto secreto, o voto feminino e até o uso de uma “máquina de votar”, que seria tecnologicamente viável apenas 64 anos depois, nas eleições de 1996. O primeiro contato do eleitor com a cédula única de votação, oficialmente impressa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ocorreu em 1955 para eleições de presidente e vice.

Para o historiador Marco Antônio Villa, autor de obras sobre a história política brasileira, a cédula única foi um importante avanço porque o eleitor que até então era livre para votar em qualquer lugar passou a ser obrigado a comparecer à seção eleitoral. A novidade inibiu o uso de títulos falsos, já que o documento passou a contar com a foto do eleitor.

Villa explica como era votar com a cédula única. “Ele marcava um X para escolher um candidato ao Executivo. O desafio maior era preencher os nomes dos candidatos ao Legislativo que não estavam na folha individual”. Por isso, a linha em branco foi motivo de anulação de votos e deu espaço para manifestações e protestos.

Escrutinadores durante contagem de votos nas eleições de 1962, em São Paulo
No ritual de apuração, mesários e escrutinadores contavam os votos e conferiam as informações da cédula com a listagem de eleitores. Ao lado do mapeiro, responsável pela distribuição de informações do número de votos em cada região da cidade ou do Estado, estava o revisor, que conferia se os dados enviados pelos escrutinadores poderiam entrar na contagem e se estavam distribuídos de forma correta. O processo era complexo, exigia tempo e proteção policial. Mais: estava totalmente sujeito de ser influenciado pelo erro humano.

Fiscalização era “guerra”

Além de não coibir fraudes, o período de fiscalização e contagem dos votos era uma guerra, garante o historiador. Ainda com o apoio da Justiça Eleitoral, o processo foi agilizado, mas ainda levava até 10 dias depois do pleito. “Iniciada a apuração, os trabalhos não serão interrompidos aos sábados, domingos e dias feriados, devendo a Junta funcionar das 8 às 18 horas, pelo menos”, diz o primeiro parágrafo do artigo 159 do Código Eleitoral.

“O período de fiscalização era uma guerra, tínhamos briga, urnas violadas ou até queimadas durante o transporte aos locais de contagem, muitas vezes em ginásios de esportes. A apuração exigia um grande espaço”, conta o especialista.

Villa explica que o prazo de apuração causava certa ansiedade entre candidatos, que temiam as chamadas viradas eleitorais. “Muitos políticos achavam que perdiam de lavada no começo da contagem, mas no final perdiam por uma mínima diferença de votos”, conta. Um exemplo claro, para o historiador, foi a disputa pelo governo do Rio Grande do Sul, em 1982, entre os candidatos Pedro Simon (PMDB) e Jair Soares (PDS). O último venceu por uma diferença de 0,6% dos votos. “Há gente que cita falta de fiscalização para explicar o caso.”

A votação eletrônica foi implantada no País gradualmente a partir de 1996, nas capitais e nos municípios com mais de 200 mil eleitores. De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), as apurações ficaram 83% mais rápidas.

Na eleição presidencial de 1998, que elegeu Fernando Henrique Cardoso, a contagem dos votos foi realizada em 64 horas e 34 minutos. Já na eleição da atual presidente Dilma Rousseff, hoje candidata à reeleição, a apuração foi otimizada em 10 horas e 47 minutos.











Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.229
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3709 Online: 01 de Fevereiro de 2018, 23:15:08 »
Citar
Mas o bandos de filhas da puta de direita e esquerda reclamam que: Dizem que voto impresso, comprovante, etc, podem ser usados pra voto de cabresto.

Um motivo a mais para exigir que a urna tenha um voto impresso apenas para recontagem sem que o eleitor tenha contato fisico com a cédula, uma prova física de que os votos computados são os mesmos registrados digitalmente e que eles conferem com o número de eleitores que assinaram presença.

Se até caixa eletrônico dá recibo de transação então por qual motivo os filhos das putas se juntaram para impedir?

Não percebe nada errado nisso?

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.803
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3710 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 07:53:35 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Todo o sistema financeiro é eletrônico em todos os lugares. Até as custódias são eletrônicas. Por que essa birra contra a urninha eletrônica? A segurança é um problema que se resolve, ou devemos nos tornar paranóicos a ponto de supor que o nosso patrimônio também está inseguro devido a um grau de complexidade infinitamente maior do que uma simples urna?



Bem lembrado,  talvez seja o caso de  voltar a fazer registros manuais de todas as operações bancárias.  Registrar tudo em algumas montanhas de livros e cadernos.


 :ok:     ::)

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.803
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3711 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 07:56:56 »
O bom disso é que vamos criar mais empregos na cadeia produtiva de livros e papéis, desde o plantio de árvores (silvicultura)  até as indústrias de papel e de livros. 


 :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok: :ok:


 :hihi:

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3712 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 08:21:53 »
Vou encurtar a resposta porque já são 22 horas e vou tentar explicar do modo mais simples e direto, então serve a todos:

Meu problema não é com a porra da maldita máquina, tanto faz se vou usar a urna de papel ou a outra, meu problema é com a birra que o bando de filhos das putas que organizam essa merda de eleição tem em dizer que não preciso de um comprovante para certeza que votei em X candidato e meu voto foi registrado para X candidato.

Meu problema é com a insistência dos filhos das putas em dizerem que a urna é  segura e pronto, mesmo sabendo que tem furos para todo lado e que a empresa contratada responde por fraude em outros países, meu problema é saber que a mesma merda de empresa acaba de admitir uma fraude eleitoral na Venezuela, aquele país de merda onde não usariam papel para votar nem mesmo se quisessem porque não tem nem para limpar a bunda quanto mais para escrever.

Podem ter certeza que quando um filho da puta qualquer exige que você aceite apenas sua palavra como verdade absoluta é certo que tem merda no meio disso tudo.

Se vc tem um bando de filhos das putas querendo impedir a todo custo que uma merda de eleição tenha documentos físicos para recontagem é porque querem encobrir uma eleição fraudada.

Não me importo se esse Zé Povinho de merda queira um rato semi analfabeto na presidência pela terceira vez, só que quero ter a certeza que o filho da puta foi eleito de verdade.

Espero ter sido bem claro.

Voltarei amanhã para esclarecer qualquer dúvida.

Mais claro, impossível.  :ok:


Ôôôôôh, mas ficou claríssimo!
 :biglol:




Minha maior crítica às urnas eletrônicas é o fato de ser um sistema que não permite auditoria nem recontagem.
Não deixar fazer auditoria?
Não ser possível recontagem?
Por que será que isso não tem tanta importância assim?
Só pela pressa em se ter logo o resultado?
E por essa pressa a gente fecha os olhos para a validação do que foi feito?

Vamos ver as implicações técnicas, porque as implicações de ceticismo estão sendo ignoradas solenemente por alguns crédulos de carteirinha:

<a href="https://www.youtube.com/v/in6JTwNGZCo" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/in6JTwNGZCo</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/VnH_ElxR6jY" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/VnH_ElxR6jY</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/r3uQW7CDyfo" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/r3uQW7CDyfo</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/OI9dh5DzTuA" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/OI9dh5DzTuA</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/ySnXBRP2JGU" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ySnXBRP2JGU</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/acF3TvyKqYA" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/acF3TvyKqYA</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/pqIm_sIw5FI" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/pqIm_sIw5FI</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/-jC9w9nT8f0" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/-jC9w9nT8f0</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/QTSSWFVNJGQ" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/QTSSWFVNJGQ</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/--1Y-haUTrc" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/--1Y-haUTrc</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/NHh_MZnBfCE" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/NHh_MZnBfCE</a>

<a href="https://www.youtube.com/v/_DQONk4disU" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/_DQONk4disU</a>

Offline Luiz F.

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.734
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3713 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 08:38:16 »
A questão do modelo de votação com sistema misto é bastante simples. Quando o eleitor vai votar, a urna computa os votos digitalmente e gera uma impressão contendo o voto que o eleitor acabou de fazer, para sua própria consulta. O eleitor consciente de que o voto impresso é o mesmo que ele realizou digitalmente coloca então o comprovante impresso em uma urna física.

Na hora da apuração, como os votos digitais facilitam enormemente a contagem, eles são usados para dar o resultado oficial preliminar do pleito, e a contagem das cédulas impressas apenas homologa o resultado algum tempo depois. Absolutamente simples, confiável e transparente para o eleitor e candidatos, permite a recontagem dos votos, o que é um direito razoável de quem assim desejar em um sistema democrático.

A redundância, onde cada voto digital precisa ter a contraparte impressa, aumenta enormemente a segurança do processo como um todo. Se quiser se aumentar ainda mais a segurança, cada urna digital pode ser intrinsecamente ligada a uma urna física de modo que se pode ver urna a urna se os dados conferem, o que possibilitaria a eliminação dos votos de determinada sessão da contagem final em caso de discrepâncias sem comprometer todo o pleito, facilitaria a possível investigação do ocorrido, visto que se reduz o universo de possíveis suspeitos e cúmplices.

Simples e confiável.

"Você realmente não entende algo se não consegue explicá-lo para sua avó."
Albert Einstein

Offline Pedro Reis

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.840
Re:Imagens políticas
« Resposta #3714 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 08:57:36 »
O sistema argentino combina o melhor dos dois processos: o tradicional e o eletrônico.

A urna serve para escolher o candidato, mas ela imprime a cédula que é depositada na urna. O eleitor pode ver se o que está impresso está correto, e então deposita o voto na urna, como antigamente.

Mas esse voto em papel também tem um chip, onde fica registrada a mesma informação que foi impressa. Ou seja, o voto registra por escrito e eletronicamente as escolhas do eleitor. Se o eleitor quiser verificar se o chip foi gravado corretamente basta aproximar o voto da máquina antes de deposita-lo na urna, e a máquina mostra a leitura do chip.

A contagem dos votos é rápida ( mas não tão rápida como no nosso sistema ), porque depois a urna é aberta e cada voto é exibido ao leitor da máquina, que totaliza os votos. Porém os fiscais de partido podem ver se a máquina está computando a mesma informação que está impressa no voto.

Esse voto, que é em papel mas possui um chip, não pode ser trocado porque ele possui um código único e metade do código fica com o mesário. Depois de votar o eleitor entrega para o mesário a cédula impressa e ele verifica pelo código se é a cédula original que ele recebeu. Então a cédula é depositada na urna, como no sistema tradicional.

A máquina argentina não pode ser adulterada previamente porque não é equipada com HD nem nenhum dispositivo de memória secundária. O sistema operacional deve ser carregado quando a máquina é ligada, sendo perdido quando é desligada.

Resumindo: é como o sistema tradicional, mas permite uma contagem mais ágil dos votos.


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.979
Re:Imagens políticas
« Resposta #3715 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 18:11:27 »
Citar
Minha maior crítica às urnas eletrônicas é o fato de ser um sistema que não permite auditoria nem recontagem.
Não deixar fazer auditoria?
Não ser possível recontagem?
Por que será que isso não tem tanta importância assim?
Só pela pressa em se ter logo o resultado?
E por essa pressa a gente fecha os olhos para a validação do que foi feito?

Quando o Steve Jobs lançou o iMac sem leitor de diskette todo mundo também reclamou.  :P


Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.229
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3716 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 18:30:53 »
Pois é,  a Venezuela tb usa.

Todos nós sabemos como são as votações na Venezuela.

Porque se faz de desentendido? Viu na lista vários países desenvolvidos?

Se é pra usar falácia, então vamo lá: Venezuela usa energia elétrica logo energia elétrica é ruim e comunista! ... Ah mas peraí, os EUA potência capitalistas usam energia elétrica também

Manda mais falácia, qualquer um pode fazer esse jogo!
Você é muito inocente, ignorante ou mal intencionado?

A Venezuela é acusada por praticamente toda a comunidade internacional de fraudar eleições. A empresa que presta serviços nas urnas venezuelanas é a mesma que presta no Brasil. Vários países não adotaram o sistema eletrônico devido à insegurança desse sistema, e a Smartamtic é acusada de várias outras coisas em vários países.
http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40807344

Todo o sistema financeiro é eletrônico em todos os lugares. Até as custódias são eletrônicas. Por que essa birra contra a urninha eletrônica? A segurança é um problema que se resolve, ou devemos nos tornar paranóicos a ponto de supor que o nosso patrimônio também está inseguro devido a um grau de complexidade infinitamente maior do que uma simples urna?



Bem lembrado,  talvez seja o caso de  voltar a fazer registros manuais de todas as operações bancárias.  Registrar tudo em algumas montanhas de livros e cadernos.


 :ok:     ::)

O que posso dizer a respeito do seu comentário é que mesmo no tempo dos registros bancários feitos em montanhas de livros e papéis vc tinha recibos de cada depósitos e pagamentos.

Ou vc depositava seu dinheiro no banco e depois só tinha a palavra do bancário sobre a quantia que guardava?

Vc jogava na loteria na época do cartão perfurado manualmente? Vc tinha um recibo de aposta.

Comprava uma rifa na escola? Vc tinha seu recibo.

Certo?


Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.595
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3717 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 18:35:14 »
Citar
Minha maior crítica às urnas eletrônicas é o fato de ser um sistema que não permite auditoria nem recontagem.
Não deixar fazer auditoria?
Não ser possível recontagem?
Por que será que isso não tem tanta importância assim?
Só pela pressa em se ter logo o resultado?
E por essa pressa a gente fecha os olhos para a validação do que foi feito?

Quando o Steve Jobs lançou o iMac sem leitor de diskette todo mundo também reclamou.  :P

Pois é, que maluquice foi aquela?
Mas ele conseguiu se superar quando veio com o mouse de um botão só.  :?

Esse é o risco de ser inovador demais. Passa da conta e anda pra trás.

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3718 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 19:18:45 »
Citar
Mas o bandos de filhas da puta de direita e esquerda reclamam que: Dizem que voto impresso, comprovante, etc, podem ser usados pra voto de cabresto.

Um motivo a mais para exigir que a urna tenha um voto impresso apenas para recontagem sem que o eleitor tenha contato fisico com a cédula, uma prova física de que os votos computados são os mesmos registrados digitalmente e que eles conferem com o número de eleitores que assinaram presença.

Se até caixa eletrônico dá recibo de transação então por qual motivo os filhos das putas se juntaram para impedir?

Não percebe nada errado nisso?

Isso já tá sendo feito, já é alguma coisa:

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/02/23/voto-impresso-comeca-a-valer-em-2018-mas-ja-e-alvo-de-criticas

A impressão do voto será obrigatória a partir das eleições gerais de 2018. Na escolha de presidente, governadores, senadores e deputados, a votação continuará a ser eletrônica, mas um boletim será impresso e arquivado em uma urna física lacrada. Apesar das críticas e da posição contrária do governo, essa medida para permitir a comprovação do voto foi aprovada duas vezes pelo Congresso — na minirreforma política e na derrubada do veto da presidente Dilma Rousseff.

Ao chegar da Câmara dos Deputados ao Senado, em julho, o PLC 75/2015 — que deu origem à Lei 13.165/2015 — já previa a obrigatoriedade de impressão do voto. Entretanto, a Comissão da Reforma Política atendeu uma recomendação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acabando com a exigência. Os técnicos do TSE argumentaram que imprimir votos é muito caro.

Quando a proposta chegou ao Plenário do Senado, em setembro, um grupo de senadores, capitaneado por Aécio Neves (PSDB-MG), propôs a retomada da impressão do voto. Aécio argumentou que o processo de votação não deveria ser concluído até que o eleitor pudesse checar se o registro impresso é igual ao mostrado na urna eletrônica. O veto foi derrubado em novembro do ano passado.

A votação continuará a ser eletrônica, mas será impresso um boletim, para conferência do voto. Registrada a escolha na urna eletrônica, uma impressora ao lado mostra o nome e o número do candidato votado. Esse boletim poderá ser verificado pelo votante e o processo só será finalizado quando o eleitor confirmar a correspondência entre o voto eletrônico e o registro impresso. Caso os dados não batam, o mesário deverá ser avisado.

O eleitor não levará o comprovante do voto para casa, nem terá acesso ao papel impresso. O registro impresso será depositado em local previamente lacrado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, para garantir o total sigilo do voto.

Em caso de suspeita de fraude, a Justiça Eleitoral poderá auditar votos, comparando o que foi registrado na urna eletrônica e o que foi depositado na urna física.

— Você vai lá, vota em deputado estadual [por exemplo], digita o número, aperta, aí imprime e aparece aquele voto. Daí você confere se está ok, você confirma de novo. Aí é que vai contar o voto —explica Romero Jucá (PMDB-RR), relator da minirreforma eleitoral no Senado.

A adoção desse modelo deve representar impacto financeiro de R$ 1,8 bilhão, segundo estimativa do TSE. Haverá aquisição de equipamentos de impressão e despesas de custeio das eleições, além de possíveis problemas apontados pela Justiça Eleitoral — como falhas, fraudes e atraso na apuração.

Dificuldades
O TSE já avisou que pode pedir ao Congresso que reveja a decisão sobre o voto impresso caso ocorram as mesmas dificuldades registradas em 2002. Naquele ano, uma lei federal determinou a impressão dos votos de todas as seções eleitorais de Sergipe, do Distrito Federal e de 73 municípios espalhados por todas as unidades da Federação.

Cerca de 7 milhões de eleitores votaram em urnas com impressora. Longas filas, falha nas impressoras e substituição de um grande número de urnas foram alguns dos problemas enfrentados. O tempo de votação chegou a dobrar, segundo o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino.

— O eleitor, no momento que vai votar, tem que verificar se o voto que ele registrou na urna, que apareceu na tela, é o mesmo que está sendo impresso. E isso causou atraso, lentidão, filas nas sessões eleitorais. Demora para auditar. O processo não é mais eletrônico, também precisa ser verificado manualmente, onde se tem que manipular os votos impressos para fazer a conferência. Ou seja, o fechamento da votação depende da velocidade do método de manipulação dos papéis — disse.

Janino também ressalta que a Justiça Eleitoral sempre evidenciou seu compromisso da preservação dos dois pilares do processo eleitoral: a segurança e a transparência do processo.

Inovação não tem consenso entre os senadores
O TSE orientou a presidente Dilma Rousseff a vetar a obrigação do voto impresso nas eleições. O principal argumento do governo foi o custo para a implementação do sistema. A exposição de motivos, no entanto, não convenceu os parlamentares.

No dia 18 de novembro, o Congresso derrubou o veto da presidente: 368 deputados e 56 senadores votaram pela retomada do voto impresso.

A adoção do voto impresso em todas as sessões eleitorais é considerada um retrocesso pelo primeiro-vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC).

— Há quase uma unanimidade na Justiça Eleitoral de que cerca de 20% das urnas poderão ter problema durante o processo de votação. Então, a eleição voltaria a ser uma coisa problemática — afirmou.

Os argumentos a favor do voto impresso são de que ele permite auditar o resultado das eleições. Ronaldo Caiado (DEM-GO) destacou que, se houver suspeita de fraude, existe a possibilidade de refazer a contagem dos votos.

— Se você não tem o voto impresso, que garantia terá de que esse resultado possa ser auditado e conferido? Nenhuma. Se não tem como conferir, não tem como confiar.

Aécio Neves ressaltou que a impressão do voto conta com o apoio da maioria dos eleitores e facilita o esclarecimento de alguma dúvida.

— Essa proposta, na realidade, mantém o processo como ele é. Mas permite que, na eventualidade de um magistrado avaliar quaisquer denúncias em relação a um município, a um estado ou a um conjunto de urnas, haja possibilidade a posteriori de alguma conferência, seja por amostragem, seja em determinada urna — disse.

Segurança
Já Donizeti Nogueira (PT-TO) considera a impressão um gasto desnecessário. Ele ressaltou a segurança da votação eletrônica, onde não há qualquer conexão com a internet ou outro meio de transmissão de dados. Isso, na opinião dele, impossibilitaria a invasão da urna por hackers.

— A urna que não tem ligação com nada. É uma peça única e exclusiva ali, na sala, não está interligada com nenhuma rede de comunicação. Eu não vejo necessidade de impressão do voto. Temos um sistema e maneiras para fiscalizar a operação da urna eletrônica com segurança, não precisamos de mais esse dispositivo que vai onerar o país e, provavelmente, fazer com que a votação demore mais — criticou.

João Capiberibe (PSB-AP) votou a favor do voto impresso e rebateu o argumento de que ele vai custar muito caro.

— O Brasil não é mais pobre que a Venezuela, que a Argentina, que a Bolívia. E lá eles têm o voto impresso.

Para Ana Amélia (PP-RS), a impressão do voto na urna eletrônica é um direito do eleitor em relação à democracia.

— E também em relação à segurança de que o nome do candidato que foi digitado deva ser acompanhado também da impressão do voto — afirmou.

TSE já tem rotina contra fraude, mas está aberto a melhorias
Para explicar a segurança do atual modelo de votação eletrônica, o TSE informa que utiliza em todos os estados, desde 2006, uma rotina conhecida como votação paralela. Depois que as urnas são instaladas nos locais de votação, na véspera do pleito, o juiz eleitoral faz um sorteio de algumas delas. As urnas escolhidas — depois de conferidas pelos funcionários da Justiça Eleitoral e pelos presidentes das seções — são retiradas desses locais e levadas para tribunais regionais eleitorais (TREs). Nas salas dos TREs são instaladas câmeras que filmam toda a votação.

— Todos os votos são feitos de forma explícita, ostensiva, gravada e registrada. No final desse evento, verifica-se se aquilo que entrou correspondeu àquilo que saiu. Inclusive existe uma empresa auditando — explicou Giuseppe Janino.

O secretário do TSE diz que a votação eletrônica deu segurança, transparência e muita agilidade ao processo de totalização dos votos e divulgação dos resultados. Em poucas horas o país fica sabendo quem são os candidatos eleitos.

No entanto, para o ministro do TSE Henrique Neves, essa agilidade não é a preocupação primordial do tribunal.

— A missão da Justiça Eleitoral não é dar o resultado em 20 ou 30 minutos. Isso é uma comodidade que se tem no processo. A missão é a segurança e a integridade do voto e da apuração. Se vier rápido, melhor. Nunca entramos em disputa com as emissoras de televisão em dar o resultado antes da boca de urna. Então, se demorar uma hora, um dia ou dois, o importante não é o tempo, e sim a integridade.

Neves disse também que o TSE não é contra nenhuma medida capaz de aperfeiçoar o sistema de votação no Brasil e reiterou que a principal missão do órgão é assegurar a legalidade e a legitimidade do processo eleitoral.

— O tribunal não é o dono nem o senhor da razão. É um órgão criado para evitar fraudes eleitorais, para conduzir o processo eleitoral. Estamos completamente abertos para receber os representantes dos partidos políticos, do Congresso Nacional, da academia e de quem desejar apresentar alguma solução que possa contribuir para o processo eleitoral. Seja de quem for a sugestão, vamos examinar. A posição do TSE é de colaborar e aperfeiçoar o nosso sistema eleitoral.

Para especialistas, mudança pode garantir mais transparência
O voto impresso também é defendido pelo consultor legislativo do Senado Arlindo Fernandes e pelo professor de Ciência da Computação da Universidade de Brasília (UnB) Pedro Rezende. Para eles, a medida pode garantir mais transparência nas eleições.

Segundo Arlindo, imprimir o voto é uma maneira de checar a funcionalidade da urna eletrônica e é “da maior importância para o regime democrático”.

Para o consultor, “uma das principais características de uma democracia sólida é a possibilidade de fiscalizar os procedimentos adotados para determinar como se vota e como se apura o voto”.

— O Brasil usa a urna eletrônica de primeira geração, que é a mais simples e a menos segura. Em outros países já estão usando segunda e terceira geração de urnas eletrônicas, que são modelos muito mais avançados e seguros — observou.

Pedro Rezende acrescenta que a urna eletrônica é um computador “que executa rigorosamente aquilo para que foi programado”.

— Se é programado para fazer eleição limpa, ele faz a eleição limpa. Se for programado para fazer eleição manipulada, faz eleição manipulada. O voto que foi mostrado para candidato “A” pode ser somado para candidato ”B” e ninguém tem como ver isso, porque isso está acontecendo dentro dos circuitos eletrônicos — adverte.

Projeto de Bauer estabelece sorteio de urnas para conferência
Mudanças no voto impresso estão previstas em um projeto em análise no Senado. Paulo Bauer (PSDB-SC) apresentou proposta para que todas as urnas tenham um mecanismo que possibilite a impressão. No entanto, nem todos os votos precisariam ser impressos.

Segundo o PLS 392/2014, que se encontra na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), apenas 3% das urnas de cada zona, sorteadas pelo juiz eleitoral na manhã do  dia da eleição, mas antes da votação, teriam os votos impressos conferidos com o boletim de urna. Ninguém saberia de antemão quais máquinas teriam a obrigatoriedade do voto impresso.

De acordo com Bauer, essa amostragem permitiria um processo eleitoral protegido contra a pirataria e contra a invasão no sistema de software. O senador defende o aperfeiçoamento do sistema eletrônico de votação, mas sem retrocessos.

— Nossa sugestão, com certeza, é um aperfeiçoamento que não vai aumentar custos, não vai gerar problemas. Vai apenas assegurar que nós tenhamos um sistema ainda mais confiável — considera.



Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.207
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3719 Online: 02 de Fevereiro de 2018, 22:41:30 »
Repararam que, no texto supra, os únicos que se opuseram ao processo de impressão dos votos eram petistas?
Foto USGS

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.229
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3720 Online: 03 de Fevereiro de 2018, 01:48:38 »
Repararam que, no texto supra, os únicos que se opuseram ao processo de impressão dos votos eram petistas?

Interessante é que a desculpa é o preço das urnas, a possível demora ou a possibilidade de problemas na impressora.

Os vagabundos nunca se preocuparam com gastos ou de onde o dinheiro viria,  pouco se importam se vc tem que pegar três horas de fila em uma repartição pública para ser atendido.

Impressora com problemas e demora na impressão?  Impressora de caixa eletrônico trabalha o tempo todo e raramente quebra.

Por isso o velho Lúcifer disse que basta vc pegar os nomes dos que são contra para ver que tem algo errado nisso tudo.


Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3721 Online: 03 de Fevereiro de 2018, 01:51:54 »
Repararam que, no texto supra, os únicos que se opuseram ao processo de impressão dos votos eram petistas?

Reparou que isso aí é uma insinuação de generalização baseada em duas pessoas como se elas representassem todos de um grupo?



Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.229
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3722 Online: 03 de Fevereiro de 2018, 02:13:59 »
Repararam que, no texto supra, os únicos que se opuseram ao processo de impressão dos votos eram petistas?

Reparou que isso aí é uma insinuação de generalização baseada em duas pessoas como se elas representassem todos de um grupo?




Faça um levantamento dos nomes e partidos que foram contra.

O PT e PSOL em peso votaram contra a impressão.

Offline Pedro Reis

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.840
Re:Imagens políticas
« Resposta #3723 Online: 03 de Fevereiro de 2018, 10:13:18 »
Citar
A impressão do voto será obrigatória a partir das eleições gerais de 2018. Na escolha de presidente, governadores, senadores e deputados, a votação continuará a ser eletrônica, mas um boletim será impresso e arquivado em uma urna física lacrada. Apesar das críticas e da posição contrária do governo, essa medida para permitir a comprovação do voto foi aprovada duas vezes pelo Congresso — na minirreforma política e na derrubada do veto da presidente Dilma Rousseff.

Ao chegar da Câmara dos Deputados ao Senado, em julho, o PLC 75/2015 — que deu origem à Lei 13.165/2015 — já previa a obrigatoriedade de impressão do voto. Entretanto, a Comissão da Reforma Política atendeu uma recomendação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acabando com a exigência. Os técnicos do TSE argumentaram que imprimir votos é muito caro.

Quando a proposta chegou ao Plenário do Senado, em setembro, um grupo de senadores, capitaneado por Aécio Neves (PSDB-MG), propôs a retomada da impressão do voto. Aécio argumentou que o processo de votação não deveria ser concluído até que o eleitor pudesse checar se o registro impresso é igual ao mostrado na urna eletrônica. O veto foi derrubado em novembro do ano passado.

A votação continuará a ser eletrônica, mas será impresso um boletim, para conferência do voto. Registrada a escolha na urna eletrônica, uma impressora ao lado mostra o nome e o número do candidato votado. Esse boletim poderá ser verificado pelo votante e o processo só será finalizado quando o eleitor confirmar a correspondência entre o voto eletrônico e o registro impresso. Caso os dados não batam, o mesário deverá ser avisado.

O eleitor não levará o comprovante do voto para casa, nem terá acesso ao papel impresso. O registro impresso será depositado em local previamente lacrado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, para garantir o total sigilo do voto.

Não deu para saber como serão os detalhes deste processo, mas tô imaginando que um registro impresso do voto será gerado por uma impressora conectada à urna eletrônica, e depois da verificação feita pelo eleitor, algum tipo de mecanismo irá armazenar este registro em uma urna, de forma automática.

Pois está dito que: "O registro impresso será depositado em local previamente lacrado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, para garantir o total sigilo do voto."

Se for mais ou menos assim eu vejo muitos problemas neste sistema. Primeiramente o alto custo e as quebras relatadas devem estar relacionadas com este mecanismo para armazenar o registro, que obviamente foi desenvolvido especificamente para isso.

Isso também implicaria em uma conferência manual dos votos impressos constantes na urna física, que seria tão trabalhosa quanto o sistema anterior ao advento da urna eletrônica. Ou não será feito, ou será feito apenas em auditorias nos casos de suspeita de fraude.

Esse mecanismo ainda deve ter uma complicação adicional de projeto porque a lei eleitoral proíbe que o registro dos votos indique a sequência real em que os votos foram realizados, e se a lei for cumprida significa que o mecanismo deve armazenar estes boletins de modo que fiquem "embaralhados" na urna.

E apesar de todo o trabalho extra, alto custo e complicação, essa determinação não vai corrigir todos os problemas do nosso sistema de votação. Porque uma falha de projeto fundamental neste sistema ( e que não existe nos de última geração ) é um dispositivo computacional eletrônico ( no caso, a urna eletrônica ) armazenar toda a informação sobre a votação, processar estes dados e a confiabilidade do processo residir unicamente na informação eletronicamente processada por este dispositivo.

Essa medida visa apenas a propiciar redundância dos dados processados, para fins de verificação da correção do resultado apresentado. Mas até isso, como essa verificação terá que ser inteiramente manual, exatamente como era antes, provavelmente não será realizada na maioria das seções eleitorais.

Em nenhum sistema moderno a urna armazena QUALQUER informação sobre a votação e vou dizer por quê: se a urna for "atacada" com sucesso, então todo o resultado está comprometido. Pois todos os dados são provenientes APENAS da urna eletrônica. No caso dessa alteração haverá uma redundância com dados impressos, mas a verificação, se houver, será feita por amostragem.

Não pesquisei detalhes sobre o sistema, mas a urna tem um S.O. ( Linux ), tem um programa que é carregado por este S.O. e este programa se encarrega de carregar os dados referentes a uma sessão de votação específica, como listas de candidatos e partidos, e talvez layouts e outras especificidades. O programa registra e contabiliza os votos, e estes dados no final são transferidos para um pen drive do TSE, cujo conteúdo é transmitido por uma rede privada para a totalização.

Tanto o programa como o S.O. são públicos, porque os partidos têm acesso. Imagino que os partidos recebam cópias deste programa para que seus técnicos possam examina-lo. A garantia de que o programa ou componentes do S.O. não foram alterados em nenhuma urna é quase impossível dado o número de pessoas que trabalham ao longo de muitos anos no sistema, e, se a integridade do software for quebrada, ou mesmo da mídia com os dados da votação, então com muita dificuldade vai se encontrar um registro rastreável dessa fraude. Estes programas deveriam pelo menos ser distribuídos para as zonas eleitorais em mídias de apenas leitura, mas nem isso: são gravados em cartões flash de memória.

Algumas pessoas fizeram uma comparação com a segurança da automação em serviços bancários, mas não procede. Bom, todos nós sabemos que essa automação propiciou um milhão de possibilidades de golpes e fraudes que ocorrem diariamente, porém a verificação da integridade de cada operação fica a cargo de cada correntista, que é uma espécie de fiscal da sua própria conta
e recebe do sistema os comprovantes necessários para pleitear o ressarcimento de qualquer dano. E quando não há comprovação de operação indevida, geralmente a instituição bancária aceita a palavra do cliente como prova. Porque para eles não é interessante que os clientes percam a confiança no sistema. A diferença básica para o nosso sistema eleitoral é que os milhões
de eleitores não são fiscais nem do próprio voto, e muito menos da integridade da votação como um todo.

A solução é simples mas tem um custo: a parte digital do processo simplifica a votação e agiliza a contagem dos votos, mas não é responsável pelo registro dos votos. Nesse caso nenhum "ataque" a máquina produz efeito, porque no final a urna é aberta e a máquina agiliza e dá confiabilidade a contagem dos votos, mas o processo é transparente, se a máquina "errar" ao computar uma cédula isso é facilmente percebido.

Não gosto de falar bem de argentino (hehehe!) mas procurem saber como é o sistema vot.ar. O sistema deles deveria servir de modelo para o nosso, mas claro, trocar de sistema teria um custo. Pra 2018 não dá.

Offline Agnoscetico

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.937
  • Sexo: Masculino
Re:Imagens políticas
« Resposta #3724 Online: 03 de Fevereiro de 2018, 14:08:09 »
Repararam que, no texto supra, os únicos que se opuseram ao processo de impressão dos votos eram petistas?

Reparou que isso aí é uma insinuação de generalização baseada em duas pessoas como se elas representassem todos de um grupo?




Faça um levantamento dos nomes e partidos que foram contra.

O PT e PSOL em peso votaram contra a impressão.

Ainda assim é generalização. E como dizer que todos negros são favor da cota racial porque a maioria seria.

Lembrando que urna eletrônica foi implantada na era FHC, que aliás ganhou do Lula por esse sistema de votação. Então essa implicância contra PT nada mais que ódio e viés político não por questões técnicas "apenas".
« Última modificação: 03 de Fevereiro de 2018, 14:11:21 por Agnoscetico »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!