Autor Tópico: Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo  (Lida 5589 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.169
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #50 Online: 06 de Fevereiro de 2015, 10:21:55 »
E quando o Maduro ferrar de vez com tudo, os chavistas vão falar que se fosse o Chavez isso não estaria acontecendo.
Se a oposição chegar ao poder no meio desta devastação e adotar medidas extremas, vai levar a culpa pelos tempos difíceis e o povo vai ter saudades do Chávez.

Se estivesse vivo, seria reeleito um dia, como aconteceu com Perón na Argentina.

Offline Derfel

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.885
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #51 Online: 06 de Fevereiro de 2015, 17:45:20 »
OU ser uma oposição chavista. Na argentina parece que todos são peronistas, oposição e situação, cada um dizendo que é mais peronista que o outro, ainda que sejam diametralmente opostos.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.583
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #52 Online: 25 de Abril de 2015, 12:45:09 »
A culpa disso é de quem votou no Maduro assim como a culpa pela crise que estamos passando é dos petistas. E todos os outros sofrem.


Isso se descartarmos que não houveram fraudes significativas, nas eleições na Venezuela, que pudessem alterar o resultado das eleições.





Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #53 Online: 25 de Abril de 2015, 19:06:50 »
Sim
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.169
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #54 Online: 29 de Abril de 2015, 09:55:51 »
Citar
Sem comida e sem remédios

Há outro fantasma ameaçando levar ainda mais terror para os venezuelanos: a escassez de dólares no país.

A queda no preço do petróleo, o principal item exportador da Venezuela, reduziu brutalmente a entrada de dólares no país.  E dado que a moeda venezuelana, o bolívar, é inconversível — nenhum estrangeiro está disposto a trocar sua moeda pelo bolívar, pois não há investimentos atrativos na Venezuela —, nenhum empreendedor na Venezuela está tendo acesso a dólares.

A única entidade na Venezuela que ainda tem dólares é o governo, e é ele quem decide qual empresa pode receber dólares para importar bens.  No momento, por causa de sua escassez, a ração de dólares está suspensa.

Consequentemente, a importação de itens básicos está suspensa.

"Há uma forte tempestade se formando devido à falta de dólares.  A situação é desesperadora e pode piorar ainda mais", diz Russ Dallen, chefe do Caracas Capital Markets, um banco de investimento local.  Russ está há vários anos acompanhando de perto a situação da Venezuela.  "Nos próximos dois ou três meses, haverá um grande desabastecimento, muito pior do que estes que estamos vivenciando — não apenas porque os estoques já estão muito baixos, mas também porque a importação de produtos que só serão demandados daqui a 8-12 semanas não está entrando no país."

Segundo reportagem do Latin America Herald Tribune:

"Os estoques, inclusive os das indústrias farmacêutica e alimentícia, estão chegando a níveis críticos", disse Eduardo Garmendia, presidente da Confederação Venezuelana das Indústrias (Conindustria).  "Todo o sistema já está sendo afetado pela dificuldade de se conseguiu matérias-primas, mas tudo é ainda pior no quesito bens essenciais, pois estes estão sofrendo um impacto direto; estamos falando de remédios e comida".

No caso dos alimentos, os estoques das principais indústrias do país irão durar menos de um mês, de acordo com dados publicados pela Câmara Venezuelana da Indústria de Alimentos (Cavidea).

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2081

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.169
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #55 Online: 29 de Abril de 2015, 09:56:21 »
Citar
Aproximadamente 30 anos atrás, do outro lado do Oceano Atlântico, os romenos também tinham o hábito de passar várias horas parados em filas que se formavam perante prateleiras vazias.  A diferença é que, para os romenos, tal situação rotineira já havia deixado de ser uma mera "crise temporária", que é como a atual situação da Venezuela ainda é descrita pelo governo.  Tudo já era tristemente rotineiro.

E, assim como o governo da Venezuela se gaba de sua "boa organização" para controlar as filas dos supermercados e impedir que as pessoas comprem duas vezes na mesma semana, o regime comunista da Romênia, que já estava no poder havia mais de duas décadas, dizia que o racionamento de alimentos era uma medida voltada para promover a saúde e melhorar a qualidade de vida!

Por exemplo, o ditador Nicolau Ceausescu instituiu, em 1982, um "programa de alimentação científico/racional" para o país, no qual quantidades de leite, ovos, carne, peixe etc. eram listadas, ao mesmo tempo, como recomendações de dieta e quotas permitidas para a compra.  À medida que o tempo foi passando, essas rações se tornaram cada vez mais escassas.
http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2081

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.199
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #56 Online: 29 de Abril de 2015, 18:00:38 »
Sem comida, sem remédios e sem energia elétrica.

O imbecil do Maduro mandou prender um cara que tornou público os problemas do sistema energético venezuelano e impôs uma horário de trabalho que vai das 7 até 13:30 nas repartições públicas para economizar energia, o comércio em geral terá regras rígidas de consumo.

http://folhacentrosul.com.br/post-politica/7673/depois-de-racionar-alimentos-maduro-inicia-racionamento-de-energia-eletrica-na-venezuela


Me pergunto quanto ainda falta para coisa estourar por lá em uma guerra civil, apoiada por um racha nas FA.



Rhyan

  • Visitante
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #58 Online: 04 de Maio de 2015, 20:32:03 »
Agora vai!!!


Citar
MADURO PROMETE PLANO PARA NACIONALIZAR A DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS NA VENEZUELA
Para combater o racionamento e as filas diárias que tomam conta dos supermercados, a Venezuela agora pretende nacionalizar a distribuição de alimentos no país.


por Spotniks 4 de maio de 2015

Num discurso inflamado na Praça O’Leary, no centro de Caracas, nas comemorações do primeiro de maio, Nicolás Maduro, o presidente socialista da Venezuela, prometeu promulgar leis para nacionalizar a distribuição de alimentos no país. Maduro anunciou o projeto em “uma série de medidas para vencer a guerra econômica no caminho do socialismo”, que inclui um aumento de 30% do salário mínimo do país - tática usada nos últimos anos para combater a inflação galopante e que vem resultando em ainda mais inflação – além da instalação de Consejos Populares de Abastecimiento y Producción.

Citando seus novos poderes de tomada de decretos recentemente concedidos pela Assembleia Nacional, Maduro disse que iria proceder tal medida “nos próximos dias e semanas”. O presidente bolivariano também observou que o sistema visa combater os “bachaqueros” que compram bens para revender a “preços elevados”.

Nunca é demais lembrar que o governo já controla, de acordo com estimativas, mais de 50% da distribuição de alimentos através de diferentes programas. A forte presença estatal no setor – como aconteceu nos mais diversos regimes socialistas ao longo do século vinte – vem rendendo racionamento de produtos básicos de alimentação e higiene, além de filas acachapantes em supermercados, que já podem ser vistas até do espaço pelo Google Maps.

[clique na fonte para ver]

Nos últimos dias, fortes rumores de que o governo nacionalizaria a Polar, uma das principais distribuidoras de alimentos da Venezuela, vem tomando conta do noticiário do país.  Como relata um jornalista:

Citar
“A meta é o controle total da distribuição dos produtos da Polar através da intervenção dos seus centros de distribuição e, em seguida, ser capaz de canalizar grandes redirecionamentos para onde o governo decidir e, assim, alcançar um mega ‘efeito vitrine’ que diminua a fila nos supermercados.”

Há algumas semanas, Maduro disse que tinha de “radicalizar a revolução”, observando que estava cansado de tantas reuniões com empresários, a julgar que em sua opinião não poderia “acreditar na burguesia”. Vale lembrar que desde 2013 está em vigor na Venezuela a “Lei do Preço Justo”, que pretende equilibrar o custo de cada produto e o ganho dos empresários através “de preços justos”, além de teoricamente combater a “guerra econômica” que, segundo Maduro, vem sendo travada pela direita no país para atrapalhar seu governo. Na época, Maduro disse que com a norma o governo teria “mais uma ferramenta para combater a especulação”. Mas, aparentemente a medida não funcionou, visto que a ideia de nacionalizar a distribuição de alimentos é justificada quase dois anos depois pelo mesmo motivo.



A crise de racionamento que vem afetando drasticamente a economia do país nos últimos anos também toma conta do setor elétrico. Como forma de reduzir a demanda de energia, o governo anunciou nos últimos dias uma diminuição para menos de seis horas por dia de trabalho no setor público (que agora acontecerá das 7h30 às 13h). O Ministro da Eletricidade afirma que, como parte das medidas de prevenção também haverá um maior controle do uso de aparelhos de ar condicionado, elevadores e outros equipamentos elétricos no setor. Da mesma forma, as autoridades estão iniciando inspeções em shopping centers, hotéis e lojas para garantir a conformidade com a legislação que exige reduzir em 10% o consumo de eletricidade e incentivar o uso de sistemas de auto-geração de energia elétrica no horário de pico.

A economia venezuelana caminha em passos largos rumo à desintegração.

Fonte: http://spotniks.com/maduro-promete-plano-para-nacionalizar-a-distribuicao-de-alimentos-na-venezuela/

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.898
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #59 Online: 04 de Maio de 2015, 21:18:54 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.
Foto USGS

Offline Johnny Cash

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.934
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #60 Online: 04 de Maio de 2015, 22:59:55 »
É inacreditável, quando parece estar clara a razão da merda, a coisa se move mais ainda no sentido dela. Ainda tem gente que ache que as mazelas que estão rolando por lá sejam culpa de "agentes sabotadores externos" que estão de olho no petróleo?

Quais são os pontos positivos nessa história venezuelana? O que o povo está ganhando com isso tudo?

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #61 Online: 04 de Maio de 2015, 23:11:51 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.

Um taxista hoje me contou que na época de Allende se deu o mesmo que está passando na VE. Tinham racionamento de pão, quem tinha duas casas perdeu para basicamente quem primeiro pegasse.. e deu no que deu.

Quantas vezes a ELA fará merda por aqui? E por quanto tempo terá pessoas que aprovarão isso?
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.583
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #62 Online: 05 de Maio de 2015, 06:01:33 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.



A oposição lá certamente foi leniente ou não teve poder suficiente, para evitar este governo burro.

E aqui no Brasil nós estamos assistindo uma oposição fraca e leniente, que não reage a altura necessária para retirar o atual governo corrupto e burro. Sem esquecer do partidão e do Poderoso Chefão que ainda não foi suficientemente desmascarado.


 :no:

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #63 Online: 05 de Maio de 2015, 08:18:30 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.
A oposição lá certamente foi leniente ou não teve poder suficiente, para evitar este governo burro.

Tem vários lenientes na cadeia lá. Talvez agora juntos na cadeia poderiam se unir.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.583
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #64 Online: 05 de Maio de 2015, 08:51:47 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.
A oposição lá certamente foi leniente ou não teve poder suficiente, para evitar este governo burro.

Tem vários lenientes na cadeia lá. Talvez agora juntos na cadeia poderiam se unir.


Imagino que eles sejam mantidos isolados,  portanto deve ser insignificante a chance de que possam se unir e fazer alguma coisa a partir do cárcere. O que sobra então é a possibilidade da oposição, que ainda está livre, conseguir reunir PODER suficiente para ir contra o PODER do governo socialista Maduro.








Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.756
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #65 Online: 05 de Maio de 2015, 09:00:45 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.



A oposição lá certamente foi leniente ou não teve poder suficiente, para evitar este governo burro.

E aqui no Brasil nós estamos assistindo uma oposição fraca e leniente, que não reage a altura necessária para retirar o atual governo corrupto e burro. Sem esquecer do partidão e do Poderoso Chefão que ainda não foi suficientemente desmascarado.


 :no:


A oposição de lá consegue ser pior que o governo, eles deram todos os motivos que o Hugo Chavez queria para transformar a Venezuela no seu grande e imenso curral eleitoral.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #66 Online: 05 de Maio de 2015, 09:16:53 »
A culpa de lá também é do "FHC" de lá...
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.756
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #67 Online: 05 de Maio de 2015, 09:25:12 »
A culpa de lá também é do "FHC" de lá...

Sim, um dos maiores culpados. Lembrando que o FHC daqui foi um grande amigo do coronel, talvez até melhor que o Lula.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #68 Online: 05 de Maio de 2015, 10:25:34 »
Juca e Derfel, por que vocês apoiavam o regime chavista há anos atrás e agora deixaram de apoiá-lo só porque começou a ficar feio na foto?
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.756
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #69 Online: 05 de Maio de 2015, 10:36:21 »
Juca e Derfel, por que vocês apoiavam o regime chavista há anos atrás e agora deixaram de apoiá-lo só porque começou a ficar feio na foto?

 :hein:

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.199
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #70 Online: 05 de Maio de 2015, 18:45:50 »
Coitada da Venezuela.

Indo cada vez mais rápido para uma dissolução econômica e insolvência financeira.

Acho que a próxima crise mundial começará com uma quebradeira geral dessas republiquetas da América Latrina, Brasil tb, não estamos muito longe disso.

Efeito dominó.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 22.199
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #71 Online: 05 de Maio de 2015, 18:56:53 »
http://www.folhapolitica.org/2015/03/discurso-de-chefe-do-mst-na-venezuela.html

O vídeo no link mostra o Stédile na Venezuela, em um supermercado, tentando desmentir que lá não há comida.

As filas que vemos, as notícias de racionamento de água, luz e comida são falsas, é claro, tudo coisa da mídia e da direita golpista que insiste em mostrar a realidade.

Os dois minutos do vídeo mostra claramente o modo de pensar desses vermes.




Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #72 Online: 05 de Maio de 2015, 19:13:09 »
Juca e Derfel, por que vocês apoiavam o regime chavista há anos atrás e agora deixaram de apoiá-lo só porque começou a ficar feio na foto?
Sendo que já previamos o caos total muito antes dele acontecer.  Da mesma maneira que era óbvio que a Petrobras e o Brasil e a Eletribras iriam à merda apesar do negacionismo infinito do petismo
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Rhyan

  • Visitante
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #73 Online: 06 de Maio de 2015, 11:28:47 »
Alguém já leu o livro Intervencionismo de Mises?

Resumindo: Intervenções estatais causam desequilíbrios econômicos, ao invés de corrigir essas intervenções, o estado tende a intervir mais. Por isso Mises disse: "O intervencionismo tende ao socialismo".

Ex.: o Governo imprime dinheiro, gera inflação, depois faz controle de preços, depois nacionaliza setores, e por aí vai.

Offline Derfel

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.885
  • Sexo: Masculino
Re:Venezuela, Rússia e os efeitos da queda do preço do petróleo
« Resposta #74 Online: 06 de Maio de 2015, 12:16:14 »
Juca e Derfel, por que vocês apoiavam o regime chavista há anos atrás e agora deixaram de apoiá-lo só porque começou a ficar feio na foto?
Quando foi mesmo que apoiei?

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!