Enquete

O Islam representa ou deseja afetar a civilização ocidental?

Não, o Islam é uma religião de paz.
Sim, como todas as religiões.
Nenhuma religião pode representar um risco à civilização
Muito mais que outras religiões. A radicalização de um percentual relevante de muçulmanos espalhados pelo mundo cria literalmente dezenas de milhões de radicais que na melhor das hipóteses, serão apenas massa de manobra
O problema é político não religioso.
Mesmo tendo o apoio dos islâmicos mais abastados, a radicalização é fruto da pobreza e da exploração que os países muçulmanos sofrem há uma centena de anos
Sim. No Islam política e religião se confundem. Tentar separar uma da outra no caso do Islam é apenas diversionismo sem cunho prático.

Autor Tópico: Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado  (Lida 22832 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #75 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 00:02:39 »
Tá, depois eu leio o resto, tô longe da página 149, hoje vou ficar só com a Sharia...valeu...inté... :ok:

:ok: continuamos amanha.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.288
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #76 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 00:18:12 »
Pesquisa esclarecedora, e confirma as nossas percepções dos problemas que o Islamismo vem enfrentando.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #77 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 07:29:26 »
O apoio a versículos ruins já é esperado, pois o fiel teme contradizê-lo. Apoio é uma coisa, praticar  por exemplo a apostasia já é bem diferente. Qual é a estatística de mortes de apóstatas? Ainda quero comparar estatísticas de homicídios pelo menos nas democracias islâmicas e compará-los com o resto do mundo. Só para reforçar estou discutindo homicídios e não terrorismo.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #78 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 07:57:55 »
Seguindo com a leitura do relatório PEW....

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #79 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 08:48:30 »
Tenho um primo que postou no Facebook a mudança da sua fé com uma foto grande e bonita de Jesus. Fazem 5 anos e ninguém demonstrou o mínimo interesse em matá-lo, ninguém está nem aí pra ele. Se estivesse no Afeganistão com uma camisa de Jesus, o Talibã não iria poupá-lo. Agora Talibã é uma coisa, povo afegão, outra.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.309
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #80 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 09:08:53 »
Tenho um primo que postou no Facebook a mudança da sua fé com uma foto grande e bonita de Jesus. Fazem 5 anos e ninguém demonstrou o mínimo interesse em matá-lo, ninguém está nem aí pra ele. Se estivesse no Afeganistão com uma camisa de Jesus, o Talibã não iria poupá-lo. Agora Talibã é uma coisa, povo afegão, outra.

E porque você acha que isto assim ocorreu?
Foto USGS

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #81 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 09:22:59 »
Tenho um primo que postou no Facebook a mudança da sua fé com uma foto grande e bonita de Jesus. Fazem 5 anos e ninguém demonstrou o mínimo interesse em matá-lo, ninguém está nem aí pra ele. Se estivesse no Afeganistão com uma camisa de Jesus, o Talibã não iria poupá-lo. Agora Talibã é uma coisa, povo afegão, outra.

E porque você acha que isto assim ocorreu?

Porque estamos vivendo no Brasil e numa democracia laica de maioria cristã e somos influenciados a ter tolerância você quer dizer?

Ele já foi pro Líbano e ninguém também liga pra isso.

Sim, bem melhor aqui e no Líbano do que ao lado do Talibã, ISIS ou Boko Haram.


Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #82 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 09:50:51 »
De alguma maneira evidências anedóticas são mais importantes que pesquisas face a face com 40.000 pessoas em 38 países
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #83 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 09:54:08 »
De alguma maneira evidências anedóticas são mais importantes que pesquisas face a face com 40.000 pessoas em 38 países

Eu, por exemplo, apóstata que sou e cagão que sou não fico divulgando isso pra não dar sopa pro azar.

Mas ainda quero saber de estatísticas de morte por apostasia.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #84 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 09:59:13 »
Ok estou na rua não consigo agora mais tarde continuo
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #85 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 17:43:06 »
Bom, sobre o apoio ao terrorismo, há mais informações relevantes para esse tema (algumas passei anteriormente como Hudud, outras estão mais a frente no relatório) mas vamos começar.

A minha alegação inicial (e a dos intelectuais citados) é que há um expressivo apoio ao terrorismo ou atos de violência para defender o Islam, que é o que a pesquisa começa a tratar nesta fase.

Harris chegou em um número de 20% de apoio (note que Harris clama que chegou a esse número pela Gallup, preciso ver). Minha alegação era de que não eram a maioria mas de maneira alguma podem ser considerados periferia (fringe) como alguns costumam citar.

Aos fatos.

Note que a questão é direta e brutal, você aceita homens bomba para defender o Islam?, não incorre a subterfúgios para ver se o cara tem um perfil que poderia apoiar nem evitam fazer uma pergunta que levaria a qualquer pessoa razoavelmente sensata se envergonhar; não perguntam algo como "Em caso em que alguém ridicularize Maomé é lícito promover atos coercitivos ainda que violentos"... não, els vão direto ao ponto, sem contexto. 

Aproximadamente 1/4 (25%!) apoiam homens bomba e 3/4 não apoiam, incluindo-se todos os clusters.

No cluster moderado o apoio é mais baixo mas não tão baixo como eu pensava. Varia de algo relevante como Malasia (18%),  turquia (15%), Indonésia (7%), até percentuais berando ao erro amostral como Russia (4%), Albania (6%) e Azerbajão, o menos violento com 1%.

No cluster da sharia, a coisa é mais alta. O campeão compreensivelmente é a palestina onde o suporte a homens bomba é 40%, Afeganistão 39%, Egito (29%),Bangladesh 26%, Jordania e Tunisia (˜15%) e a surpresa é o Iraque, com apenas 7%.

Resumidamente, mesmo sendo uma pergunta brutal (deveríamos esperar um maior índice se a pergunta fosse indireta) mesmo se, contrariamente ao esperado, abaixássemos 10 pontos percentuais (não 10%, estou reduzindo 40% o positivo) ainda assim teríamos aproximadamente 250M pessoas que apoiam explicitamente homens bomba. Que poderiam ir até 400M com os dados da Pew.


Notem um ponto. Para quem questiona a pew, o texto foca nos 3/4 que não apoiam.

Resumindo, minhas alegações estão em consonância com os estudiosos que citei e com o que era o esperado para uma região que enfrenta os problemas que o mundo islâmico enfrenta.

Como disse há muito tempo. Não são todos, de maneira alguma são uma periferia, os assassinos não são maioria mas encontra no radicalismo farto solo para se propagar, como de fato estão se propagando.

Vou colocar mais informações sobre apoio ao terrorismo mais tarde.
« Última modificação: 25 de Fevereiro de 2015, 21:21:45 por Bahadur »
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #86 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 17:54:27 »
O campeão compreensivelmente é a palestina onde o suporte a homens bomba é 40%,

Por que compreensivelmente?

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #87 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 18:03:06 »
e a surpresa é o Iraque, com apenas 7%.

Você não imagina por que o apoio a homens bomba por lá é relativamente baixo?

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #88 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 18:12:30 »

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #89 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 20:46:35 »




Comente, Bahadur, por favor.


Isso mostra que existe radicalismo na religião cristã também, como esperado, mas como já comentei, as condições para o radicalismo florecer nesses países não são tão favoráveis como nos países muçulmanos. Já comentei isso Pasteur.

Boa parte dos países cristãos passaram por reformas que separam a religião do estado.. se você ver a pesquisa que mostrei, os clusters radicais islâmicos citam as leis islâmicas em sua constituição com amplo apoio da população.

Então, são duas situações distintas.

Mas meu ponto está provado.


# quanto a divergência de dados, provavelmente é uma questão metodológica. Não sei se essa agência fez 40K entrevista em ˜40 países.

Analise a metodologia. Pegue os dados, ponto a ponto. Não dá para saber que filtros fizeram, qual escopo entrevistaram.

Lembre, ficar repetindo resumo de pesquisa é non sense.
« Última modificação: 25 de Fevereiro de 2015, 20:50:39 por Bahadur »
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #90 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 20:47:24 »
O campeão compreensivelmente é a palestina onde o suporte a homens bomba é 40%,

Por que compreensivelmente?

Por causa do problema com Israel, o suporte aumenta acima da média. Os outros países ficam em torno da média.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #91 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 21:36:14 »
Como já provado, a sociedade muçulmana é extremamente conservadora e moralista
Citar
Even though many Muslims enjoy Western pop culture, a clear majority of Muslims in most countries surveyed think that Western entertainment harms morality in their country. And it is not only Muslims who personally dislike Western music, movies and television who feel this way. In four of the six regions, medians of at least half of those who say they enjoy this type of entertainment also say Western cultural imports undermine morality: sub-Saharan Africa (65%), South Asia (59%), Southeast Asia (51%) and the Middle East-North Africa region (51%).

Mesmo os que gostam da cultura ocidental dizem que ela afeta negativamente a moralidade de seu país.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #92 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 21:57:16 »




Comente, Bahadur, por favor.


Isso mostra que existe radicalismo na religião cristã também, como esperado, mas como já comentei, as condições para o radicalismo florecer nesses países não são tão favoráveis como nos países muçulmanos. Já comentei isso Pasteur.

Boa parte dos países cristãos passaram por reformas que separam a religião do estado.. se você ver a pesquisa que mostrei, os clusters radicais islâmicos citam as leis islâmicas em sua constituição com amplo apoio da população.

Então, são duas situações distintas.

Mas meu ponto está provado.


# quanto a divergência de dados, provavelmente é uma questão metodológica. Não sei se essa agência fez 40K entrevista em ˜40 países.

Analise a metodologia. Pegue os dados, ponto a ponto. Não dá para saber que filtros fizeram, qual escopo entrevistaram.

Lembre, ficar repetindo resumo de pesquisa é non sense.

Existe radicalismo na cristã também? E o resto? Judeus, Mormons, Não Religião/Ateus? Acho que é daquela pesquisa que eu mencionei que durou 6 anos, 35 nações e 50000 entrevistas.

Mas aceito, vamos deixá-la pra depois quando lermos todo o estudo.

Não tem nada provado, calma.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #93 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:01:30 »
O campeão compreensivelmente é a palestina onde o suporte a homens bomba é 40%,

Por que compreensivelmente?

Por causa do problema com Israel, o suporte aumenta acima da média. Os outros países ficam em torno da média.

Então há muito de motivação política. E o Iraque?

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #94 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:04:15 »
Achou alguma estatística de morte por apostasia?

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #95 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:05:34 »
O campeão compreensivelmente é a palestina onde o suporte a homens bomba é 40%,

Por que compreensivelmente?

Por causa do problema com Israel, o suporte aumenta acima da média. Os outros países ficam em torno da média.

Então há muito de motivação política. E o Iraque?

Claro que há. Não neguei. Você que negou o aspecto religioso não eu o político. Mais influência ou menos, de acordo com o país.

Os motivos que levaram o islam ter essa explosão de ódio em boa parte da população são muitos. Não estou discutindo. Estou discutindo a existência do fenômeno.
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.488
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #96 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:06:29 »
Mesmo os que gostam da cultura ocidental dizem que ela afeta negativamente a moralidade de seu país.

O Reza caiu por vários motivos, e esse foi um deles, mas não se está impondo uma ocidentalização ao Oriente, está? Japonesas que frisam e pintam de louro seus cabelos e adolescentes islâmicas que não se opõe ao uso do xador deveriam ter esse direito independente de como uns e outros julgam o mundo.
GNOSE

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #97 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:12:18 »
Achou alguma estatística de morte por apostasia?

Citar
Taking the life of those who abandon Islam is most widely supported in Egypt (86%) and Jordan (82%). Roughly two-thirds who want sharia to be the law of the land also back this penalty in the Palestinian territories (66%). In the other countries surveyed in the Middle East-North Africa region, fewer than half take this view.
In the South Asian countries of Afghanistan and Pakistan, strong majorities of those who favor making Islamic law the official law of the land also approve of executing apostates (79% and 76%, respectively). However, in Bangladesh far fewer (44%) share this view.

A majority of Malaysian Muslims (62%) who want to see sharia as their country’s official law also support taking the lives of those who convert to other faiths. But fewer take this position in neighboring Thailand (27%) and Indonesia (18%).
In Central Asia as well as Southern and Eastern Europe, only in Tajikistan (22%) do more than a fifth of Muslims who want sharia as the official law of the land also condone the execution of  apostates. Support for killing converts to other faiths falls below one-in-ten in Albania (8%) and Kazakhstan (4%).
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #98 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:13:24 »
O campeão compreensivelmente é a palestina onde o suporte a homens bomba é 40%,

Por que compreensivelmente?

Por causa do problema com Israel, o suporte aumenta acima da média. Os outros países ficam em torno da média.

Então há muito de motivação política. E o Iraque?

Claro que há. Não neguei. Você que negou o aspecto religioso não eu o político. Mais influência ou menos, de acordo com o país.

Os motivos que levaram o islam ter essa explosão de ódio em boa parte da população são muitos. Não estou discutindo. Estou discutindo a existência do fenômeno.

Nesse caso não foi o Islã que teve explosão de ódio e sim os palestinos.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.302
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra cultural: O Islam como um instrumento contra o mundo civilizado
« Resposta #99 Online: 25 de Fevereiro de 2015, 22:16:06 »
Achou alguma estatística de morte por apostasia?

Citar
Taking the life of those who abandon Islam is most widely supported in Egypt (86%) and Jordan (82%). Roughly two-thirds who want sharia to be the law of the land also back this penalty in the Palestinian territories (66%). In the other countries surveyed in the Middle East-North Africa region, fewer than half take this view.
In the South Asian countries of Afghanistan and Pakistan, strong majorities of those who favor making Islamic law the official law of the land also approve of executing apostates (79% and 76%, respectively). However, in Bangladesh far fewer (44%) share this view.

A majority of Malaysian Muslims (62%) who want to see sharia as their country’s official law also support taking the lives of those who convert to other faiths. But fewer take this position in neighboring Thailand (27%) and Indonesia (18%).
In Central Asia as well as Southern and Eastern Europe, only in Tajikistan (22%) do more than a fifth of Muslims who want sharia as the official law of the land also condone the execution of  apostates. Support for killing converts to other faiths falls below one-in-ten in Albania (8%) and Kazakhstan (4%).

Não disse apoiar a morte por apostasia e sim estatísticas de mortes por apostasia.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!