Autor Tópico: Por que a nova extrema-direita cresce?  (Lida 4759 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.015
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #100 Online: 28 de Outubro de 2018, 14:39:47 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.
Não existe direita, objetivamente. Se não, vejamos, o que você chama de "Direita"? 

Imagine que num hipotético país, uma totalidade de pessoas, a sociedade, leva sua vidinha ali, sem mais por quê. De repente um deles começa a opinar sobre algo que consiste em mudar algum aspecto da vida daquela sociedade de uma forma muito incidente, e ao expor e propor sua opinião ao demais, divide aquela sociedade entre pessoas que concordam com a mudança proposta, e pessoas que discordam da mudança, preferindo continuar como estão.

Ora, aquelas pessoas que se opõem à mudança, são as consideradas à "direita", a continuidade, enquanto as pessoas que querem uma mudança são a esquerda. Repare que a direita só é uma recusa à mudanças, ela não existe por si. Não existia uma direita antes, na totalidade das pessoas. Já a "esquerda" é objetivamente um desmembramento do todo. Concordas?

Offline Fenrir

  • Nível 29
  • *
  • Mensagens: 1.569
  • Sexo: Masculino
  • Cave Canem
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #101 Online: 28 de Outubro de 2018, 15:07:24 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.
Não existe direita, objetivamente. Se não, vejamos, o que você chama de "Direita"? 

Imagine que num hipotético país, uma totalidade de pessoas, a sociedade, leva sua vidinha ali, sem mais por quê. De repente um deles começa a opinar sobre algo que consiste em mudar algum aspecto da vida daquela sociedade de uma forma muito incidente, e ao expor e propor sua opinião ao demais, divide aquela sociedade entre pessoas que concordam com a mudança proposta, e pessoas que discordam da mudança, preferindo continuar como estão.

Ora, aquelas pessoas que se opõem à mudança, são as consideradas à "direita", a continuidade, enquanto as pessoas que querem uma mudança são a esquerda. Repare que a direita só é uma recusa à mudanças, ela não existe por si. Não existia uma direita antes, na totalidade das pessoas. Já a "esquerda" é objetivamente um desmembramento do todo. Concordas?

É necessário categorizar, rotular e criar conceitos. Caso contrário fica difícil o discurso.
Nas linhas do seu exemplo: rotulou-se de "direita" uma atitude contrária a mudanças e "esquerda" uma atitude favorável.
Se estas atitudes existem, porque não há objetividade se aludimos a elas pelos rótulos que foram dados as mesmas?

Ou a não ser que um lado tenha em mente um conceito de "direita" e o outro tenha outro conceito pro mesmo rótulo...
Aí seria como confundir maças com laranjas e assim é impossível chegar a qualquer consenso
« Última modificação: 28 de Outubro de 2018, 15:13:33 por Fenrir »
"Heaven and Earth are not benevolent; They treat the myriad of creatures as straw dogs"
― Laozi

"No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
― David Hume

“Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
― Mark Twain

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.015
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #102 Online: 28 de Outubro de 2018, 16:54:04 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.
Não existe direita, objetivamente. Se não, vejamos, o que você chama de "Direita"? 

Imagine que num hipotético país, uma totalidade de pessoas, a sociedade, leva sua vidinha ali, sem mais por quê. De repente um deles começa a opinar sobre algo que consiste em mudar algum aspecto da vida daquela sociedade de uma forma muito incidente, e ao expor e propor sua opinião ao demais, divide aquela sociedade entre pessoas que concordam com a mudança proposta, e pessoas que discordam da mudança, preferindo continuar como estão.

Ora, aquelas pessoas que se opõem à mudança, são as consideradas à "direita", a continuidade, enquanto as pessoas que querem uma mudança são a esquerda. Repare que a direita só é uma recusa à mudanças, ela não existe por si. Não existia uma direita antes, na totalidade das pessoas. Já a "esquerda" é objetivamente um desmembramento do todo. Concordas?

É necessário categorizar, rotular e criar conceitos. Caso contrário fica difícil o discurso.
Nas linhas do seu exemplo: rotulou-se de "direita" uma atitude contrária a mudanças e "esquerda" uma atitude favorável.
Se estas atitudes existem, porque não há objetividade se aludimos a elas pelos rótulos que foram dados as mesmas?

Ou a não ser que um lado tenha em mente um conceito de "direita" e o outro tenha outro conceito pro mesmo rótulo...
Aí seria como confundir maças com laranjas e assim é impossível chegar a qualquer consenso
Bom, a ideia foi demonstrar que não existe um perfil direitista objetivamente, é só um eufemismo que se usa quando se  considera uma esquerda. Também vale dizer que "ultra direita" ainda é mais antinatural, já que não há quem seja "ainda mais" contra mudanças. 

Também se pode  dizer que objetivamente, não existe "centro",  Já que não há uma terceira hipótese além de um sim(a favor da mudança), e um não(contra uma mudança). Sim é sim e não é não, não há uma opção que signifique um  "as vezes"  perfazendo uma ideia redundante até,  de centro moderado.

O que sugere que quem usa o termo "ultra direita", ou que se diz de "centro" ou "centro isto" ou "centro aquilo", é só um esquerdista enrustido querendo se dizer de uma direita "menos direita".
« Última modificação: 28 de Outubro de 2018, 17:25:44 por Sergiomgbr »

Offline Cinzu

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 734
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #103 Online: 28 de Outubro de 2018, 16:58:02 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.
Não existe direita, objetivamente. Se não, vejamos, o que você chama de "Direita"? 

Imagine que num hipotético país, uma totalidade de pessoas, a sociedade, leva sua vidinha ali, sem mais por quê. De repente um deles começa a opinar sobre algo que consiste em mudar algum aspecto da vida daquela sociedade de uma forma muito incidente, e ao expor e propor sua opinião ao demais, divide aquela sociedade entre pessoas que concordam com a mudança proposta, e pessoas que discordam da mudança, preferindo continuar como estão.

Ora, aquelas pessoas que se opõem à mudança, são as consideradas à "direita", a continuidade, enquanto as pessoas que querem uma mudança são a esquerda. Repare que a direita só é uma recusa à mudanças, ela não existe por si. Não existia uma direita antes, na totalidade das pessoas. Já a "esquerda" é objetivamente um desmembramento do todo. Concordas?

É necessário categorizar, rotular e criar conceitos. Caso contrário fica difícil o discurso.
Nas linhas do seu exemplo: rotulou-se de "direita" uma atitude contrária a mudanças e "esquerda" uma atitude favorável.
Se estas atitudes existem, porque não há objetividade se aludimos a elas pelos rótulos que foram dados as mesmas?

Ou a não ser que um lado tenha em mente um conceito de "direita" e o outro tenha outro conceito pro mesmo rótulo...
Aí seria como confundir maças com laranjas e assim é impossível chegar a qualquer consenso
Bom, a ideia foi demonstrar que não existe um perfil direitista objetivamente, é só um eufemismo que se usa para se for considerada uma esquerda. Também vale dizer que ultra direita ainda é menos natural, já que não há quem seja !"ainda mais" contra mudanças.  Também é preciso dizer que não existe "centro"Sim é sim e não é não, não há um as vezes se fazendo de centro moderado, o que sugere que quem usa o termo "ultra direita" é só um esquerdista enrustido querendo se dizer de uma direita "menos direita" ou de centro, centro isto ou centro aquilo.

Não existe apenas sim e não. Pode existe não sei em alguns casos, e até nenhum dos dois, em outros. De qualquer forma, mesmo que existisse apenas "sim e não" para toda e qualquer resposta, não faz sentido fazer uma analogia disso com "esquerda e direita".

Offline Cinzu

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 734
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #104 Online: 28 de Outubro de 2018, 17:00:25 »
Quando nos referimos à direita no espectro político-social contemporâneo, estamos falando de conservadorismo. E a ultra direita ou extrema-direita, eu diria que refere-se aos reacionários.


Você pode é claro limitar a discussão nas terminologias e fugir do assunto principal do tópico, estimulando um ad infinitum.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.232
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #105 Online: 28 de Outubro de 2018, 17:03:12 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Infelizmente a vitória de Bolulolsonaro pode até ser condutiva a um agravamento do esquerdismo mais imbecil.

Já vi em comentários de um canal esquerdista mais ou menos razoável do YT, algo como "nos futuros livros de história, essa nova fase fascista será demarcada pela eleição, ou pelo golpe"?

É bem o tipo de coisa que eu escreveria como paródia em linhas vermelhas mesmo. Só ajudam a desacreditar a si próprios.

Offline Fenrir

  • Nível 29
  • *
  • Mensagens: 1.569
  • Sexo: Masculino
  • Cave Canem
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #106 Online: 28 de Outubro de 2018, 17:15:11 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.
Não existe direita, objetivamente. Se não, vejamos, o que você chama de "Direita"? 

Imagine que num hipotético país, uma totalidade de pessoas, a sociedade, leva sua vidinha ali, sem mais por quê. De repente um deles começa a opinar sobre algo que consiste em mudar algum aspecto da vida daquela sociedade de uma forma muito incidente, e ao expor e propor sua opinião ao demais, divide aquela sociedade entre pessoas que concordam com a mudança proposta, e pessoas que discordam da mudança, preferindo continuar como estão.

Ora, aquelas pessoas que se opõem à mudança, são as consideradas à "direita", a continuidade, enquanto as pessoas que querem uma mudança são a esquerda. Repare que a direita só é uma recusa à mudanças, ela não existe por si. Não existia uma direita antes, na totalidade das pessoas. Já a "esquerda" é objetivamente um desmembramento do todo. Concordas?

É necessário categorizar, rotular e criar conceitos. Caso contrário fica difícil o discurso.
Nas linhas do seu exemplo: rotulou-se de "direita" uma atitude contrária a mudanças e "esquerda" uma atitude favorável.
Se estas atitudes existem, porque não há objetividade se aludimos a elas pelos rótulos que foram dados as mesmas?

Ou a não ser que um lado tenha em mente um conceito de "direita" e o outro tenha outro conceito pro mesmo rótulo...
Aí seria como confundir maças com laranjas e assim é impossível chegar a qualquer consenso
Bom, a ideia foi demonstrar que não existe um perfil direitista objetivamente, é só um eufemismo que se usa para se for considerada uma esquerda. Também vale dizer que ultra direita ainda é menos natural, já que não há quem seja !"ainda mais" contra mudanças.  Também é preciso dizer que não existe "centro"Sim é sim e não é não, não há um as vezes se fazendo de centro moderado, o que sugere que quem usa o termo "ultra direita" é só um esquerdista enrustido querendo se dizer de uma direita "menos direita" ou de centro, centro isto ou centro aquilo.

ué, mas nesse exercício, não poderiamos considerar como direita os que são contra algumas mudanças, mas não todas
e ultra-direita aqueles que são contra toda e qualquer mudança e de forma análoga pros de esquerda e ultra-esquerda?
Alem disso, não vejo os ultras de esquerda como pessoas a favor de qualquer mudança, o que seria o caso se estivessem
no lado oposto de um espectro que foi construido com base na aceitação ou não de mudanças
Os ultras de ambos os lados são bem mais semelhantes do que querem nos fazer crer
« Última modificação: 28 de Outubro de 2018, 17:21:47 por Fenrir »
"Heaven and Earth are not benevolent; They treat the myriad of creatures as straw dogs"
― Laozi

"No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
― David Hume

“Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
― Mark Twain

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.015
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #107 Online: 28 de Outubro de 2018, 17:29:12 »
Ja devem ter falado disso, mas...
Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.
Não existe direita, objetivamente. Se não, vejamos, o que você chama de "Direita"? 

Imagine que num hipotético país, uma totalidade de pessoas, a sociedade, leva sua vidinha ali, sem mais por quê. De repente um deles começa a opinar sobre algo que consiste em mudar algum aspecto da vida daquela sociedade de uma forma muito incidente, e ao expor e propor sua opinião ao demais, divide aquela sociedade entre pessoas que concordam com a mudança proposta, e pessoas que discordam da mudança, preferindo continuar como estão.

Ora, aquelas pessoas que se opõem à mudança, são as consideradas à "direita", a continuidade, enquanto as pessoas que querem uma mudança são a esquerda. Repare que a direita só é uma recusa à mudanças, ela não existe por si. Não existia uma direita antes, na totalidade das pessoas. Já a "esquerda" é objetivamente um desmembramento do todo. Concordas?

É necessário categorizar, rotular e criar conceitos. Caso contrário fica difícil o discurso.
Nas linhas do seu exemplo: rotulou-se de "direita" uma atitude contrária a mudanças e "esquerda" uma atitude favorável.
Se estas atitudes existem, porque não há objetividade se aludimos a elas pelos rótulos que foram dados as mesmas?

Ou a não ser que um lado tenha em mente um conceito de "direita" e o outro tenha outro conceito pro mesmo rótulo...
Aí seria como confundir maças com laranjas e assim é impossível chegar a qualquer consenso
Bom, a ideia foi demonstrar que não existe um perfil direitista objetivamente, é só um eufemismo que se usa para se for considerada uma esquerda. Também vale dizer que ultra direita ainda é menos natural, já que não há quem seja !"ainda mais" contra mudanças.  Também é preciso dizer que não existe "centro"Sim é sim e não é não, não há um as vezes se fazendo de centro moderado, o que sugere que quem usa o termo "ultra direita" é só um esquerdista enrustido querendo se dizer de uma direita "menos direita" ou de centro, centro isto ou centro aquilo.

ué, mas nesse exercício, não poderiamos considerar como direita os que são contra algumas mudanças, mas não todas
e ultra-direita aqueles que são contra toda e qualquer mudança e de forma análoga pros de esquerda e ultra-esquerda?
Alem disso, não vejo os ultras de esquerda como pessoas a favor de qualquer mudança, o que seria o caso se estivessem
no lado oposto de um espectro que foi construido com base na aceitação ou não de mudanças
Os ultras de ambos os lados são bem mais semelhantes do que querem nos fazer crer
Pode usar os termos que quiser, mas obedecida a premissa, só existem os contra mudar alguma coisa e os à favor de mudar alguma coisa.


Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.015
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #109 Online: 28 de Outubro de 2018, 23:35:33 »
Restabelecer a ordem não é querer mudar coisas.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.232
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #110 Online: 29 de Outubro de 2018, 14:25:12 »
Necessariamente é. Não se pode ordenar a desordem e dizer não ter havido mudança alguma. Se não houve, continua a desordem.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.015
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #111 Online: 29 de Outubro de 2018, 14:43:09 »
É preciso determinar o caráter da ideia. O uso da palavra ai foi só para estabelecer um entendimento nos conceitos abordados.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.232
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #112 Online: 05 de Novembro de 2018, 12:46:02 »
<a href="https://www.youtube.com/v/69obN625Fjs" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/69obN625Fjs</a>

"Three arrows" comenta sobre como o tema "anti-SJW" acaba servindo como uma "porta de entrada" para ideologia de extrema-direita, o que é de certa forma evidenciado pelos algoritmos do youtube (menciona ter certa vez deixado o youtube em modo "autoplay" em algum desses vídeos que despertou sua curiosidade, enquanto fazia outra coisa, e eventualmente estar passando uma compilação de manifestantes de esquerda sendo atropelados), sem que no entanto todas as pessoas com esse foco sejam ou venham a aderir a todo um conjunto ideológico constituinte de "extrema direita".

Menciona pontos curiosos como a fixação em alguns casos de histeria esquerdista/SJW sem demais repercussões, e como isso gera uma enorme reação dos anti-SJWs, que parecem ver nisso uma enorme ameaça para a sociedade, enquanto que legislação real, com efeitos negativos muito mais objetivos do que histeria de alguns ativistas, é completamente negligenciada.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.015
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #113 Online: 05 de Novembro de 2018, 13:34:40 »
Por que a nova extrema-direita cresce?

Era uma vez um planeta chamado Buckaroonia. Esse planeta era todo oceânico e nele só havia duas ilhas. Numa dessas ilhas chamada Direitolandia seus habitantes viviam felizes as suas vidinhas, tinham estabelecida uma ordem vigente na medida do possível.

Tinham suas tradições, suas preferências, suas opiniões diversas sobre várias questões, mas de um modo geral , viviam em comunhão de valores que resultava em uma ordem vigente. Da outra ilha não tinham muita informação, chamavam-na Esquerdolândia, e nutriam muita curiosidade sobre ela. Havia até especulações e uma mitologia sobre ela, de que lá talvez existissem riquezas fabulosas, outros achavam que podia morar lá uma sociedade de magos bruxas, duendes, fadas... que poderia ser paradísíaca, que teria uma fonte da juventude, enfim havia muita especulação, mas muito poucos fatos.

Certo dia alguns moradores da Direitolândia decidiram fazer uma expedição para a Esquerdolândia, então fizeram várias canoas para irem remando até lá.

Assim foi feito. E lá se foi uma parte do povo para a Esquerdolândia.

 Homens e mulheres ao mar, seguiam sua jornada, cada vez mais ansiosos aumentando as suas expectativas porém, não demorou muito para começarem a aparecer vazamentos no fundo das canoas. O rebuliço foi grande, e não menor o desespero, afinal,  estavam muito avançados já em sua jornada, mas agora,a  cada remada mais para perto da Esquerdolândia, mais e mais furos iam aparecendo...

Aquilo parecia bruxaria, uns diziam(lembraram das especulações que tinham sobre haverem bruxas), inexplicável,  afinal eram canoas muito bem construídas que nunca na milenar história de suas existências tiveram problemas de vazamentos. Mas inexoravelmente, à medida que avançavam e se aproximavam da Esquerdolândia, ai ai!.

Os buracos na canoa se multiplicavam, então até mesmo os mais valentes convictos ficaram assustados. Passaram a ficar saudosos de sua Pátria querida, a Direitolândia.

Muitas canoas afundaram, outras, com o sacrifício e abnegação e esforço de seus tripulantes, a muito custo conseguiram retornar à Direitolândia.

Muito se falou do episódio e desde então os que outrora se lançaram naquela aventura de ir para a Esquerdolândia, se lembrando dos buracos por precaução, acharam que deveriam morar bem na parte mais à direita da Direitolândia já que a Esquerdolândia ficava à esquerda da Direitolândia.


« Última modificação: 05 de Novembro de 2018, 13:51:35 por Sergiomgbr »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!