Autor Tópico: Por que a nova extrema-direita cresce?  (Lida 5428 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #75 Online: 11 de Março de 2015, 23:00:37 »
Baratta, gostei de saber que os mortos estão no cemitério  :hihi: Na verdade, a pergunta era para saber de um link onde isso consta.

O caso da austria não foi isolado. O Haider começou direitão, tomou uma isolada e ainda no governo amoleceu o discurso..  e a Austria, não sei se você ja teve oportunidade de ir, continua fantástica e elegeu liberais após isso.

O que quero dizer é.. é claro que a extrema direita.. é claro que existe ELA.. é claro que existe os evangélicos.. e é claro que existe os extremismo muçulmano.

Esse percentual vai variar de acordo com a força da ideologia e do momento em que o país está vivendo. O ponto é que, as instituições da europa geralmente são tão fortes, que aguentaram um Haider no poder, o outro idiota na Belgica que esqueci o nome.. e aguentariam muito mais.. assim como os EUA estão tentando moer suas inconsistências.

Mas não é bola de cristal não. É olhar o passado, entender a força das instituições e o momento que estão passando.

Já na Venezuala, Argentia, (Brasil?), e com certeza na maior parte dos países muçulmanos, não existe esse tecido instituicional e cultural para segurar a barra.

“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #76 Online: 12 de Março de 2015, 00:20:19 »
Eu acho que o crescimento das idéias consideradas tradicionalmente "de direita" se deve a um aumento do nível de educação e informação da população mundial (facilitado pelos moderníssimos meios de comunicação digitais), o que faz as idéias melhores sobrepujarem as piores.

Você vê isso em um fórum de discussão livre: inicialmente há divisão ou predomínio da esquerda, com o tempo os esquerdistas vão reduzindo, porque as posições da direita liberal e centro são mais defensáveis racionalmente.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #77 Online: 12 de Março de 2015, 00:42:52 »
Baratta, gostei de saber que os mortos estão no cemitério  :hihi: Na verdade, a pergunta era para saber de um link onde isso consta.

O caso da austria não foi isolado. O Haider começou direitão, tomou uma isolada e ainda no governo amoleceu o discurso..  e a Austria, não sei se você ja teve oportunidade de ir, continua fantástica e elegeu liberais após isso.

O que quero dizer é.. é claro que a extrema direita.. é claro que existe ELA.. é claro que existe os evangélicos.. e é claro que existe os extremismo muçulmano.

Esse percentual vai variar de acordo com a força da ideologia e do momento em que o país está vivendo. O ponto é que, as instituições da europa geralmente são tão fortes, que aguentaram um Haider no poder, o outro idiota na Belgica que esqueci o nome.. e aguentariam muito mais.. assim como os EUA estão tentando moer suas inconsistências.

Mas não é bola de cristal não. É olhar o passado, entender a força das instituições e o momento que estão passando.

Já na Venezuala, Argentia, (Brasil?), e com certeza na maior parte dos países muçulmanos, não existe esse tecido instituicional e cultural para segurar a barra.



Sem como colar os links agora, mas estão nas páginas da wiki sobre neo nazistas da Suécia e sobre terrorismo na Suécia.

Sim, é isolado, foi apenas na Áustria naquela época, hoje é um fenômeno que toma conta de toda a Europa. Em nenhum momento no passado houve m crescimento tão grande e em tantos países da extrema direita e do neo nazismo quanto agora, exceto no período pre segunda guerra mundial. Não da pra usar o passado como referência.
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #78 Online: 12 de Março de 2015, 00:46:28 »
Eu acho que o crescimento das idéias consideradas tradicionalmente "de direita" se deve a um aumento do nível de educação e informação da população mundial (facilitado pelos moderníssimos meios de comunicação digitais), o que faz as idéias melhores sobrepujarem as piores.

Você vê isso em um fórum de discussão livre: inicialmente há divisão ou predomínio da esquerda, com o tempo os esquerdistas vão reduzindo, porque as posições da direita liberal e centro são mais defensáveis racionalmente.

Existe uma diferença entre idéias de direita e extrema direita. A extrema direita, assim como a extrema esquerda, ou extrema qualquer coisas é sempre associada a falta de educação, com os educados sempre flutuando mais perto do centro, seja para um lado ou para o outro.

E sobre o fórum, acho que a grande maioria aqui ou é de centro esquerda ou liberalista clássico, que não se enquadra em nenhum dos dois lados. Direitistas aqui só sei de você.
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Cientista

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.266
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #79 Online: 12 de Março de 2015, 01:52:46 »
Meu caro, continuo na 'procedura' (vamos fazer mingau de línguas, certo?) de ler só seus posts. Assim, evito desperdício de tempo com baboseiras vazias desconectas não solucionistas de nada. É certeiro!


Posso entender a confusão em denominar esquerda e direita, mas não vejo como tópicos como xenofobia, islamofobia e racismo possam causar confusão, a definição dessas palavras é bem clara e pouco disputada.

As ameaças da extrema direita e do radicalismo islâmico são diferentes. Os radicais islâmicos causam ataques isolados, que ceifam poucas vidas (comparados a sua contrapartida), o outro toma governos e causa guerras, genocídios e destruição em escala bem maior. Basta lembrar o que extremistas de direita fizeram só pode ser comparado com extremistas de esquerda. Hitler e Stalin, Mao e Mussolini, Franco e Fidel. Nenhuma organização terrorista nunca chegou e nem tem a possibilidade de chegar aos pés em número de mortos e poder obtido.

E o que não faltam são exemplos de organizações de extrema direita ganhando cada vez mais espaço e poder na Europa. Só procurar por noticias na Grécia, Hungria, Holanda e até na Suécia. Os extremistas de direita ganharam 52 cadeiras no parlamento europeu em 2014 e se espera que sua presença cresça ainda mais nas próximas eleições.

No Brasil, enquanto existe essa briguinha idiota de partidários de centro esquerda, a extrema direita religiosa ganha espaço, os evangélicos ganham cada vez mais cadeiras no congresso e cada vez mais as minorias estão em risco.

Baratta Hitler, Stalin, Mussolini ... já foram há muito tempo. Não vejo como esse tipo de risco possa afetar a europa hoje.

Slobodan Milošević foi a apenas 20 anos e você esta ignorando todas as outras informações e notícias que demonstram o crescimento rápido e constante da extrema direita européia, inclusive com partidos neo nazistas ganhando posições nos governos. Você escolheu seu vilão favorito e resolveu ignorar todos os outros.
Contexto bem particular. Milosevic se ergue ante uma Ioguslávia artifcial esfacelada.
E enquanto eu ouvia a notícia pela primeira vez, o maior problema prático que eu tinha naquele momento era um fio elétrico rompido pela queda de uma árvore. Eu disse: "ah, manda um chute 'nosovo' deles todos e que se danem!" Parece que foi ontem... Devo ser o maior xenófobo ultradireitista nazista stalinista bolchevique FDP diabo...  do mundo...   Será que sou isso tudo?! OH!!!




Xenofobia? Se eu tenho um lar e não aceito que qualquer um o adentre, por quê seria diferente com meu país?
Vamos dar uma ataviada nisso aí! Se fosse só "adentrar", ainda podia restar "relaxar e gozar", mas, frequentemente o suficiente, eles pegam seus familiares e os amarram em árvores porque as exigências deles não são atendidas (vieram de vidas boas demais para passarem privações aqui...). Recebem mais (melhor) tratamento do chefe da casa que o dispensado aos próprios filhos. É, muitos filhos se revoltam com esse tipo de coisa... Dá para entender.






Posso entender a confusão em denominar esquerda e direita, mas não vejo como tópicos como xenofobia, islamofobia e racismo possam causar confusão, a definição dessas palavras é bem clara e pouco disputada.

As ameaças da extrema direita e do radicalismo islâmico são diferentes. Os radicais islâmicos causam ataques isolados, que ceifam poucas vidas (comparados a sua contrapartida), o outro toma governos e causa guerras, genocídios e destruição em escala bem maior. Basta lembrar o que extremistas de direita fizeram só pode ser comparado com extremistas de esquerda. Hitler e Stalin, Mao e Mussolini, Franco e Fidel. Nenhuma organização terrorista nunca chegou e nem tem a possibilidade de chegar aos pés em número de mortos e poder obtido.

E o que não faltam são exemplos de organizações de extrema direita ganhando cada vez mais espaço e poder na Europa. Só procurar por noticias na Grécia, Hungria, Holanda e até na Suécia. Os extremistas de direita ganharam 52 cadeiras no parlamento europeu em 2014 e se espera que sua presença cresça ainda mais nas próximas eleições.

No Brasil, enquanto existe essa briguinha idiota de partidários de centro esquerda, a extrema direita religiosa ganha espaço, os evangélicos ganham cada vez mais cadeiras no congresso e cada vez mais as minorias estão em risco.

Baratta Hitler, Stalin, Mussolini ... já foram há muito tempo. Não vejo como esse tipo de risco possa afetar a europa hoje.

Slobodan Milošević foi a apenas 20 anos e você esta ignorando todas as outras informações e notícias que demonstram o crescimento rápido e constante da extrema direita européia, inclusive com partidos neo nazistas ganhando posições nos governos. Você escolheu seu vilão favorito e resolveu ignorar todos os outros.

Acho que o mais correto é "você inventou uma minoria perseguida e não vê o resto"

20 anos em um contexto de uma nação esfacelada do pós comunismo, não sei como isso sequer é um argumento.

Essa direita xenófoba que você cita, que existe, de Le Pen pai para filha, sempre terá adesão, e não há razão para achar que sairá disso.

E hoje temos um contexto de crise econômica e crescimento da xenofobia e islamofobia. Existem milhares de páginas comentando o aumento de grupos neo nazistas e vitórias políticas da extrema direita. Nas últimas eleições a extrema direita aumentou em quase 1/3 seus assentos no parlamento europeu. Os fatos estão ai, você ignora só pra continuar batendo no seu espantalho, mesmo os dois assuntos  sendo completamente diferentes. Comparar extrema direita com terroristas é como comparar o PSC com o PCC.

Interessante é observar que se está havendo um incremento de um segmento de uma sociedade como a europeia como um todo, sociedade essa apontada como paradigma de tudo que há de positivo no mundo, suplantando qualitativamente em sofisticação qualquer outro grupo humano no planeta, inclusive os EUA, gente considerada culta, tolerante e progressista pendendo para um clamor por valores que aqui se sugerem ser (ultra?)direitistas, é possível que esteja ocorrendo um fenômeno de implosão de qualquer coisa insustentável na agenda de engenharias sociais delirantes dos globalistóides de plantão.
Pensei que ias dizer que "se os caras são os tais, devemos segui-los no que for",  mas...   não, vais mais, bem mais fundo que isso. Desculpe pela má avaliação açodada de momento... É preciso saber quando "união faz a força" ou a fraqueza. A Europa está senescente, deve ser... Essa baboseira de revistinhas de adoslescentinhas fêmeas e efeminados, a expressão "maturidade", sempre esquecem que, após ela, vem o apodrecimento. Mas não desconsidero tua quase (hahahahah) acusável de conspiracionista suspeita. É só que prefiro ficar com a (hipótese; não com ela para mim!!!  hahahahaha) espontaneidade da estupidez endêmica humana. Quando vejo a Itália ser criticada por não salvar os invasores que se encaminhavam para invadir seu território! ou por adotar medidas mínimas de prevenção ao menos biológica!, entendo que algo de diabolicamente errado está havendo. Não importa realmente o que, só que...   ninguém tem solução para o que está havendo; a solução é o que está havendo.






O partido democrata sueco tem pouco mais de 14% dos assentos.

http://en.wikipedia.org/wiki/Sweden_Democrats

E não não neo-nazistas.

Você tem razão, eu pensei em escrever  que é o terceiro maior partido da Suécia.

Veja no seu link que a popularidade desse país só cresce, de 5% em 2010 pra 13% em 2014.

E sim, é um partido neo nazista, leia a página que você mesmo postou, a parte sobre as ideologias do partido, ele é considerado xenofóbico, racista e populista de extrema direita. Um... que outro partido tinha essas características na Alemanha?

Obviamente caricaturizando, mas, aqui no BR o PT é xenofóbico contra estadosunidenses e vangloria a identidade latino-americana, racista em relação aos brancos loiros (que não eles mesmos, tal como Hitler fazia com seus semelhantes) e super populista, taí mais um partido neo nazista então.

E de certa forma também não toma todos os bens.

Dude, o PT tem em seu programa a proibição de entrada, expulsão ou tratamento legal diferente para americanos brancos e loiros e seus descendentes? Você seriamente quer comparar o PT com partidos nazistas?

Eu sei que eles são um lixo, mas vamos com calma. :lol:
Na Rússia começou assim... Na Alemanha começou assim...
E com muito, o fundamental, do mesmo discurso! Mas... peraí...  isso aí é aquela falácia da rampinha besuntadinha...  Hahahahahahahah Ninguém usa só na hora da conveniência! Ninguém pode se precaver de claras tendências porque claras tendências não são efetivações das tendências, isso é pobre e suja indução. O que são tendências?! Oras...

A única antifalácia hmmmmmm... "legitimamente" a ainda restar listável é a seguinte: "listar falácias é a maior delas todas". Mesmo assim, deve ser tratada como instrução secreta para agentes especiais: deve ser lida e seu suporte destruído imediatamente após -- reconsultar esse tipo de coisa é coisa de crentes.  hahahahahahahaha...





O partido democrata sueco tem pouco mais de 14% dos assentos.

http://en.wikipedia.org/wiki/Sweden_Democrats

E não não neo-nazistas.

Você tem razão, eu pensei em escrever  que é o terceiro maior partido da Suécia.

Veja no seu link que a popularidade desse país só cresce, de 5% em 2010 pra 13% em 2014.

E sim, é um partido neo nazista, leia a página que você mesmo postou, a parte sobre as ideologias do partido, ele é considerado xenofóbico, racista e populista de extrema direita. Um... que outro partido tinha essas características na Alemanha?

Obviamente caricaturizando, mas, aqui no BR o PT é xenofóbico contra estadosunidenses e vangloria a identidade latino-americana, racista em relação aos brancos loiros (que não eles mesmos, tal como Hitler fazia com seus semelhantes) e super populista, taí mais um partido neo nazista então.

E de certa forma também não toma todos os bens.

Dude, o PT tem em seu programa a proibição de entrada, expulsão ou tratamento legal diferente para americanos brancos e loiros e seus descendentes? Você seriamente quer comparar o PT com partidos nazistas?

Eu sei que eles são um lixo, mas vamos com calma. :lol:
Na Rússia começou assim... Na Alemanha começou assim...

 :lol:

Exemplo clássico do feitiço contra o feiticeiro.
Como diz o Cientista, "eu si divirtu".
E não é para si divirtir?! Coisa séria é uma coisa, piada é outra, oras!  hahahahahahahahaha...





E suas afirmações não fazem sentido, o PT não é xenofóbico com americanos, ele não gosta dos governos dos EUA, eles não são racistas com brancos de olhos azuiis, são contra "azelite", são coisas completamente diferentes. Te aconselho a olhar a definição de xenofobia e racismo, porque o seu uso das palavras esta completamente errado.

Ô meu caro, eu comecei a sentença com "Obviamente caricaturizando".

Mas se a gente passa do partido, pros militantes, tal como com os assassinos suecos, dá pra fazer esse paralelo só com amostragem do dia a dia. De novo caricaturizando, pq eu levo esse tipo de debate na honestidade e cresço com ele.

Novamente, o PT é contra o governo americano, não contra o povo americano.

E o governo americano é formado por portugueses? Por italianos? Yemenitas???  Ora, ora, ora, ainda se fosse um governo ditatorial... Mas o fato é que o "discurso"de algumas esquerdas contra o governo americano é apenas retórica pseudorevolucionária, eles querem é desacreditar o american way of life, simplesmente o povo americano mesmo.
O povo americano é majoritariamente um bando de comunistas oprimidos! Tadinhos... A comunalha do PT deve ter planos delirosos até de salvá-lo todo! Essa técnica é fantástica! É só "separar" a imbecilidade do imbecil, a viadagem do viado, o crime do criminoso..., que a gente separa a culpa do culpado e a ofensa do ofendido! ("não, não é você que tô ofendendo, não...  é só aquilo que você é...")   Gosto que me enrosco de ver esses recursos!

Como o Cientista diz...
« Última modificação: 12 de Março de 2015, 02:08:15 por Cientista »

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #80 Online: 12 de Março de 2015, 10:02:36 »
Eu acho que o crescimento das idéias consideradas tradicionalmente "de direita" se deve a um aumento do nível de educação e informação da população mundial (facilitado pelos moderníssimos meios de comunicação digitais), o que faz as idéias melhores sobrepujarem as piores.

Você vê isso em um fórum de discussão livre: inicialmente há divisão ou predomínio da esquerda, com o tempo os esquerdistas vão reduzindo, porque as posições da direita liberal e centro são mais defensáveis racionalmente.

Existe uma diferença entre idéias de direita e extrema direita. A extrema direita, assim como a extrema esquerda, ou extrema qualquer coisas é sempre associada a falta de educação, com os educados sempre flutuando mais perto do centro, seja para um lado ou para o outro.

E sobre o fórum, acho que a grande maioria aqui ou é de centro esquerda ou liberalista clássico, que não se enquadra em nenhum dos dois lados. Direitistas aqui só sei de você.

Eu me considero de centro (liberal é o melhor termo). Às vezes pareço direitista devido ao meu anti-esquerdismo, pelo desprezo crescente que sinto pela esquerda, por diversos motivos.

Uma dúvida me veio agora: entre 2 pessoas, uma defendendo a democracia direta, querendo mais poder nas mãos do povo (como eu) e uma que abomina a idéia porque tem medo do povo (como você): quem é o direitista e quem é o esquerdista aí?   :)

Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #81 Online: 12 de Março de 2015, 11:14:08 »
Eu acho que o crescimento das idéias consideradas tradicionalmente "de direita" se deve a um aumento do nível de educação e informação da população mundial (facilitado pelos moderníssimos meios de comunicação digitais), o que faz as idéias melhores sobrepujarem as piores.

Você vê isso em um fórum de discussão livre: inicialmente há divisão ou predomínio da esquerda, com o tempo os esquerdistas vão reduzindo, porque as posições da direita liberal e centro são mais defensáveis racionalmente.

Existe uma diferença entre idéias de direita e extrema direita. A extrema direita, assim como a extrema esquerda, ou extrema qualquer coisas é sempre associada a falta de educação, com os educados sempre flutuando mais perto do centro, seja para um lado ou para o outro.

E sobre o fórum, acho que a grande maioria aqui ou é de centro esquerda ou liberalista clássico, que não se enquadra em nenhum dos dois lados. Direitistas aqui só sei de você.

Eu me considero de centro (liberal é o melhor termo). Às vezes pareço direitista devido ao meu anti-esquerdismo, pelo desprezo crescente que sinto pela esquerda, por diversos motivos.

Uma dúvida me veio agora: entre 2 pessoas, uma defendendo a democracia direta, querendo mais poder nas mãos do povo (como eu) e uma que abomina a idéia porque tem medo do povo (como você): quem é o direitista e quem é o esquerdista aí?   :)



Você parece de direita pelo conservadorismo e não por anti esquerdismo. O Madiba é anti esquerdista e ainda sim é de centro esquerda. Você parece eleitor do Bolsonaro.
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #82 Online: 12 de Março de 2015, 11:47:41 »
Eu acho que o crescimento das idéias consideradas tradicionalmente "de direita" se deve a um aumento do nível de educação e informação da população mundial (facilitado pelos moderníssimos meios de comunicação digitais), o que faz as idéias melhores sobrepujarem as piores.

Você vê isso em um fórum de discussão livre: inicialmente há divisão ou predomínio da esquerda, com o tempo os esquerdistas vão reduzindo, porque as posições da direita liberal e centro são mais defensáveis racionalmente.

Existe uma diferença entre idéias de direita e extrema direita. A extrema direita, assim como a extrema esquerda, ou extrema qualquer coisas é sempre associada a falta de educação, com os educados sempre flutuando mais perto do centro, seja para um lado ou para o outro.

E sobre o fórum, acho que a grande maioria aqui ou é de centro esquerda ou liberalista clássico, que não se enquadra em nenhum dos dois lados. Direitistas aqui só sei de você.

Eu me considero de centro (liberal é o melhor termo). Às vezes pareço direitista devido ao meu anti-esquerdismo, pelo desprezo crescente que sinto pela esquerda, por diversos motivos.

Uma dúvida me veio agora: entre 2 pessoas, uma defendendo a democracia direta, querendo mais poder nas mãos do povo (como eu) e uma que abomina a idéia porque tem medo do povo (como você): quem é o direitista e quem é o esquerdista aí?   :)



Você parece de direita pelo conservadorismo e não por anti esquerdismo. O Madiba é anti esquerdista e ainda sim é de centro esquerda. Você parece eleitor do Bolsonaro.

Ok. Cite aí as bandeiras conservadoras que você acha que eu defendo.



Conservador me passa aquela idéia de tiozão querendo regular a vida e os assuntos privados alheios. Isso vai frontalmente contra tudo o que defendo, que é a liberdade individual plena.

Se em algum momento eu entro em colisão com bandeiras defendidas por alguns "progressistas", é por entender que as medidas defendidas por eles violam os direitos individuais de terceiros. Para dar exemplos:

- O aborto a troco de nada viola o direito do nascituro e abre um precedente ético terrível em relação ao valor da vida humana.

 - Muitas políticas "gayzistas" pretendem conceder privilégios legais a um grupo em detrimento dos demais, tornando-os "intocáveis" na prática, o que é inadmissível.

 - A discussão sobre drogas é complexa, mas seus possíveis danos a terceiros é inegável, embora cada caso seja um caso. Não concordo com o oba-oba sobre as drogas.


 Resumindo, sou contra a violação ou sacrifício de direitos individuais para beneficiar um grupo, seja minoria ou não. Sou contra  políticas de 'engenharia social', principalmente se partirem de uma minoria no poder sem o respaldo da população.


Essas coisas me tornam um conservador, um tiozão carola que quer regular o comportamento, a vida privada e a moral alheia? Longe disso!

Não sei de onde você tirou essas idéias, mas seu histórico de espantalhos, analogias falsas e estapafúrdias nas discussões talvez explique isso.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #83 Online: 12 de Março de 2015, 11:53:03 »
A propósito, ser chamado de conservador (no mau sentido) por alguém que quer regular até as cantadas dos outros é muito risível.   :histeria:
« Última modificação: 12 de Março de 2015, 11:55:36 por DDV »
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.392
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #84 Online: 12 de Março de 2015, 12:00:09 »
Eu acho que o crescimento das idéias consideradas tradicionalmente "de direita" se deve a um aumento do nível de educação e informação da população mundial (facilitado pelos moderníssimos meios de comunicação digitais), o que faz as idéias melhores sobrepujarem as piores.

Você vê isso em um fórum de discussão livre: inicialmente há divisão ou predomínio da esquerda, com o tempo os esquerdistas vão reduzindo, porque as posições da direita liberal e centro são mais defensáveis racionalmente.

Existe uma diferença entre idéias de direita e extrema direita. A extrema direita, assim como a extrema esquerda, ou extrema qualquer coisas é sempre associada a falta de educação, com os educados sempre flutuando mais perto do centro, seja para um lado ou para o outro.

E sobre o fórum, acho que a grande maioria aqui ou é de centro esquerda ou liberalista clássico, que não se enquadra em nenhum dos dois lados. Direitistas aqui só sei de você.

Eu me considero de centro (liberal é o melhor termo). Às vezes pareço direitista devido ao meu anti-esquerdismo, pelo desprezo crescente que sinto pela esquerda, por diversos motivos.

Uma dúvida me veio agora: entre 2 pessoas, uma defendendo a democracia direta, querendo mais poder nas mãos do povo (como eu) e uma que abomina a idéia porque tem medo do povo (como você): quem é o direitista e quem é o esquerdista aí?   :)



Você parece de direita pelo conservadorismo e não por anti esquerdismo. O Madiba é anti esquerdista e ainda sim é de centro esquerda. Você parece eleitor do Bolsonaro.

Ok. Cite aí as bandeiras conservadoras que você acha que eu defendo.



Conservador me passa aquela idéia de tiozão querendo regular a vida e os assuntos privados alheios. Isso vai frontalmente contra tudo o que defendo, que é a liberdade individual plena.

Se em algum momento eu entro em colisão com bandeiras defendidas por alguns "progressistas", é por entender que as medidas defendidas por eles violam os direitos individuais de terceiros. Para dar exemplos:

- O aborto a troco de nada viola o direito do nascituro e abre um precedente ético terrível em relação ao valor da vida humana.

 - Muitas políticas "gayzistas" pretendem conceder privilégios legais a um grupo em detrimento dos demais, tornando-os "intocáveis" na prática, o que é inadmissível.

 - A discussão sobre drogas é complexa, mas seus possíveis danos a terceiros é inegável, embora cada caso seja um caso. Não concordo com o oba-oba sobre as drogas.


 Resumindo, sou contra a violação ou sacrifício de direitos individuais para beneficiar um grupo, seja minoria ou não. Sou contra  políticas de 'engenharia social', principalmente se partirem de uma minoria no poder sem o respaldo da população.


Essas coisas me tornam um conservador, um tiozão carola que quer regular o comportamento, a vida privada e a moral alheia? Longe disso!

Não sei de onde você tirou essas idéias, mas seu histórico de espantalhos, analogias falsas e estapafúrdias nas discussões talvez explique isso.

Poucas vezes vi alguém inverter completamente os valores das idéias aqui, dar um 360 completo. Parabéns.

Defender a proibição do aborto, ser contra a igualdade para homossexuais e a proibição das drogas te faz uma pessoa que quer se meter na vida e na moral alheia, exatamente isso.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #85 Online: 12 de Março de 2015, 12:08:19 »
O Barata diz abominar a idéia de democracia direta por ter medo do povo, quer regular até as cantadas alheias e ainda vem me chamar de conservador eleitor do Bolsonaro?!!

 :histeria: :histeria: :histeria:
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #86 Online: 12 de Março de 2015, 12:11:23 »
(...) te faz uma pessoa que quer se meter na vida e na moral alheia,(...)

Você deve está me confundindo com algum ídolo seu (Fidel, Maduro, Allende, Stalin, etc). Acho que postou por engano. 
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.392
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #87 Online: 12 de Março de 2015, 12:12:09 »
(...) te faz uma pessoa que quer se meter na vida e na moral alheia,(...)

Você deve está me confundindo com algum ídolo seu (Fidel, Maduro, Allende, Stalin, etc). Acho que postou por engano. 

Você já foi melhor que isso.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #88 Online: 12 de Março de 2015, 12:13:29 »
(...) te faz uma pessoa que quer se meter na vida e na moral alheia,(...)

Você deve está me confundindo com algum ídolo seu (Fidel, Maduro, Allende, Stalin, etc). Acho que postou por engano. 

Você já foi melhor que isso.

Com você eu não preciso gastar o meu melhor.

Com todo respeito.  :ok:
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #89 Online: 12 de Março de 2015, 12:13:41 »
Q.E.D.
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #91 Online: 12 de Março de 2015, 12:26:49 »
Juca você quer o banimento de armas, defende a invasão de terras privadas por bandidos marxistas, a favor do controle da imprensa, defende ditadores, isso faz você o que?
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #92 Online: 12 de Março de 2015, 12:35:44 »
Cara, você mesmo respondeu a sua pergunta, você se encaixa perfeitamente como eleitor do Bolsonaro. Não tem nada que precise ser comentado ou adicionado. Sobre mim, eu prefiro o sorteio a democracia direta, isso não me torna anti democrático e muito menos de direita. E eu nunca quis regulamentar cantada, só disse, e repito, que é coisa de idiota e falta de educação.
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline _Juca_

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.392
  • Sexo: Masculino
  • Quem vê cara, não vê coração, fígado, estômago...
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #93 Online: 12 de Março de 2015, 13:25:33 »
Juca você quer o banimento de armas, defende a invasão de terras privadas por bandidos marxistas, a favor do controle da imprensa, defende ditadores, isso faz você o que?

Aff...

Offline Pagão

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.690
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #94 Online: 12 de Março de 2015, 16:05:44 »
...eu prefiro o sorteio a democracia direta, isso não me torna anti democrático...

È a defesa extrema da igualdade e não tanto da democracia... parece-me... O povo não escolhe... a escolha é dos deuses... ou das leis da natureza...
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.242
  • Sexo: Masculino
Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
« Resposta #95 Online: 27 de Agosto de 2018, 01:04:00 »
Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Robert_Paxton

[...]

Fascism

Paxton has focused his work on exploring models and definition of fascism.

In his 1998 paper "The Five Stages of Fascism," he suggests that fascism cannot be defined solely by its ideology, since fascism is a complex political phenomenon rather than a relatively coherent body of doctrine like communism or socialism. Instead, he focuses on fascism's political context and functional development. The article identifies five paradigmatic stages of a fascist movement, although he notes that only Nazi Germany and Fascist Italy progressed through all five:

  • Intellectual exploration, where disillusionment with popular democracy manifests itself in discussions of lost national vigor
  • Rooting, where a fascist movement, aided by political deadlock and polarization, becomes a player on the national stage
  • Arrival to power, where conservatives seeking to control rising leftist opposition invite the movement to share power
  • Exercise of power, where the movement and its charismatic leader control the state in balance with state institutions such as the police and traditional elites such as the clergy and business magnates.
  • Radicalization or entropy, where the state either becomes increasingly radical, as did Nazi Germany, or slips into traditional authoritarian rule, as did Fascist Italy.[12]

    In his 2004 book The Anatomy of Fascism, Paxton refines his five-stage model and puts forward the following definition for fascism:

    Citar
    Fascism may be defined as a form of political behavior marked by obsessive preoccupation with community decline, humiliation, or victim-hood and by compensatory cults of unity, energy, and purity, in which a mass-based party of committed nationalist militants, working in uneasy but effective collaboration with traditional elites, abandons democratic liberties and pursues with redemptive violence and without ethical or legal restraints goals of internal cleansing and external expansion.

    [...]


    Citação de: Robert Paxton

    [...]

    "Giving up free institutions," especially the freedoms of unpopular groups, is recurrently attractive to citizens of Western democracies, including some Americans. We know from tracing its path that fascism does not require a spectacular "march" on some capital to take root; seemingly anodyne decisions to tolerate lawless treatment of national "enemies" is enough.


    [...]

    ... novelist Thomas Mann noted in his diary on March 27, 1933, two months after Hitler had become German chancellor, that he witnessed a revolution of a kind never seen before, "without underlying ideas, against ideas, against everything nobler, better, decent, against freedom, truth and justice." The "common scum" had taken power, "accompanied by vast rejoicing on the part of the masses."


    [...]

    ... fascism is more plausibly linked to a set of "mobilizing passions" that shape fascist action than to a consistent and fully articulated philosophy. At bottom is a passionate nationalism. Allied to it is a conspiratorial and Manichean view of history as a battle between the good and evil camps, between the pure and the corrupt, in which one's own community or nation has been the victim. In this Darwinian narrative, the chosen people have been weakened by political parties, social classes, inassimilable minorities, spoiled rentiers, and rationalist thinkers who lack the necessary sense of community. These "mobilizing passions," mostly taken for granted and not always overtly argued as intellectual propositions, form the emotional lava that set fascism's foundations:
    • a sense of overwhelming crisis beyond the reach of any traditional solutions;
    • the primacy of the group, toward which one has duties superior to every right, whether individual or universal, and the subordination of the individual to it;
    • the belief that one's group is a victim, a sentiment that justifies any action, without legal or moral limits, against its enemies, both internal and external; 60
    • dread of the group's decline under the corrosive effects of individualistic liberalism, class conflict, and alien influences;
    • the need for closer integration of a purer community, by consent if possible, or by exclusionary violence if necessary;
    • the need for authority by natural leaders (always male), culminating in a national chief who alone is capable of incarnating the group's destiny;
    • the superiority of the leader's instincts over abstract and universal reason;
    • the beauty of violence and the efficacy of will, when they are devoted to the group's success;
    • the right of the chosen people to dominate others without restraint from any kind of human or divine law, right being decided by the sole criterion of the group's prowess within a Darwinian struggle.
    [...]


    Another seductive fascist offer was a way to overcome the climate of disorder that the fascists themselves had helped cause. Having unleashed their militants in order to make democracy unworkable and discredit the constitutional state, the Nazi and Fascist leaders then posed as the only nonsocialist force that could restore order. It was not the last time that the leaders capitalized on that ambiguity: "Being in the center of the movement," Hannah Arendt wrote in one of her penetrating observations, "the leader can act as though he were above it." Fascist terms for a deal were not insuperably high. Some German conservatives were uneasy about the ant' capitalist rhetoric still flaunted by some Nazi intellectuals, as were Italian conservatives by Fascist labor activists like Edmondo Rossoni. But Mussolini had long come around to "productivism" and admiration for the industrial hero, while Hitler made it clear in his famous speech to the Düsseldorf Industrialists' Club on January 26, 1932, as well as in private conversations, that he was a social Darwinist in the economic sphere, too.


    [....]


    Did a majority of the population support fascist regimes consensually, even with enthusiasm, or were they bent to submission by force and terror? The terror model has prevailed, partly because it serves as an alibi for the peoples concerned. But recent scholarship has tended to show that terror was selective and that consensus was high in both Nazi Germany and Fascist Italy.
    Neither regime was conceivable without terror. Nazi violence was omnipresent and highly visible after 1933. The concentration camps were not hidden, and executions of dissidents were meant to be known. The publicity of Nazi violence does not mean that support for the regime was coerced, however. Since the violence was directed at Jews, Marxists, and "asocial" outsiders (homosexuals, Gypsies, pacifists, the congenitally insane or crippled, and habitual criminals-groups that many Germans were often happy to see the last of), Germans often felt more gratified than threatened by it. The rest soon learned to keep silent. Only at the end, as the Allies and the Russians closed in, when the authorities attacked anyone accused of giving in, did the Nazi regime turn its violence upon ordinary Germans.

    [...]

    The Nazi regime, too, aroused considerable popular enthusiasm within Germany by the mid-1930s. Full employment plus a long string of bloodless foreign policy victories raised approval far above the Nazis' initial 44 percent in the March 1933 elections. Although Germans grumbled a lot about restrictions and shortages, and although the outbreak of war in September 1939 was received glumly, the Hitler cult was exempt from the criticism reserved for party officials and bureaucrats.


    [...]


    Even if public enthusiasm was never as total as fascists promised their conservative allies, most citizens of fascist regimes accepted things as they were. The most interesting cases are people who never joined the party, and who even objected to certain aspects of the regime, but who accommodated because its accomplishments overlapped with some of the things they wanted, while the alternatives all seemed worse.


    [...]


    Fascism was not the first choice of most businessmen, but most of them preferred it to the alternatives that seemed likely in the special conditions of 1922 and 1933-socialism or a dysfunctional market system. So they mostly acquiesced in the formation of a fascist regime and accommodated to its requirements of removing Jews from management and accepting onerous economic controls. In time, most German and Italian businessmen adapted well to working with fascist regimes, at least those gratified by the fruits of rearmament and labor discipline and the considerable role given to them in economic management. Mussolini's famous corporatist economic organization, in particular, was run in practice by leading businessmen.
    Peter Hayes puts it succinctly: the Nazi regime and business had "converging but not identical interests." Areas of agreement included disciplining workers, lucrative armaments contracts, and job-creation stimuli.

    [...]

    Much more dangerous are movements that employ authentically American themes in ways that resemble fascism functionally. [...] Today a "politics of resentment" rooted in authentic American piety and nativism sometimes leads to violence against some of the very same "internal enemies" once targeted by the Nazis, such as homosexuals and defenders of abortion rights.

    [...]

    Of course the United States would have to suffer catastrophic setbacks and polarization for these fringe groups to find powerful allies and enter the mainstream. I half expected to see emerge after 1968 a movement of national reunification, regeneration, and purification directed against hirsute antiwar protesters, black radicals, and "degenerate" artists. I thought that some of the Vietnam veterans might form analogs to the Freikorps of 1919 Germany or the Italian Arditi, and attack the youths whose demonstrations on the steps of the Pentagon had "stabbed them in the back." Fortunately I was wrong (so far). Since September ii, 2001, however, civil liberties have been curtailed to popular acclaim in a patriotic war upon terrorists.

    The language and symbols of an authentic American fascism would, of course, have little to do with the original European models. They would have to be as familiar and reassuring to loyal Americans as the language and symbols of the original fascisms were familiar and reassuring to many Italians and Germans, as Orwell suggested. Hitler and Mussolini, after all, had not tried to seem exotic to their fellow citizens. No swastikas in an American fascism, but Stars and Stripes (or Stars and Bars) and Christian crosses. No fascist salute, but mass recitations of the pledge of allegiance. These symbols contain no whiff of fascism in themselves, of course, but an American fascism would transform them into obligatory litmus tests for detecting the internal enemy.

    Around such reassuring language and symbols and in the event of some redoubtable setback to national prestige, Americans might support an enterprise of forcible national regeneration, unification, and purification. Its targets would be the First Amendment, separation of Church and State (creches on the lawns, prayers in schools), efforts to place controls on gun ownership, desecrations of the flag, unassimilated minorities, artistic license, dissident and unusual behavior of all sorts that could be labeled antinational or decadent.

    [...]

    http://www.thirdworldtraveler.com/Fascism/Anatomy_Of_Fascism.html


    Offline Fenrir

    • Nível 30
    • *
    • Mensagens: 1.643
    • Sexo: Masculino
    • Cave Canem
    Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
    « Resposta #96 Online: 28 de Outubro de 2018, 13:24:27 »
    Ja devem ter falado disso, mas...
    Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é
    Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?

    Ah sim, tem as teorias da conspiração
    Não tem absolutamente nada de errado conosco, o foda é que as forças do mal estão sempre conspirando para desviar
    as ovelhinhas de nós, portanto mais do que nunca afirmamos que as ovelhinhas não conseguem pensar por si próprias
    e precisam que as orientemos
    . Se bem me lembro, li alguma coisa que o Lula disse nesse sentido

    São dois pontos bem característicos de religião:

    1 Somos infalíveis e não há como estarmos errados, portanto qualquer coisa dita contra nós é calunia e intriga da oposição
    Esse ponto é crucial - é impossível que estejamos errados. Mesmo na situação hipotética, extrema e altamente improvavel
    que nossos ícones venham a publico confessar suas faltas, diremos que enlouqueceram, passaram pro outro lado se tornando
    apóstatas, ou talvez que o fazem por coação, ameaça ou para evitar algum mal maior.
    Não há, absolutamente a menor possibilidade do que dizem ser verdade, pois nossa infalibilidade é sempre assumida a priori.
    E faremos o que fazemos desde o início e até o fim dos tempos: negar sempre

    2 Os fiéis são uma massa que não pode ficar entregue aos seus próprios pensamentos (pois poderiam se dispersar - o horror! o horror!)
    e que portanto precisa ser manobrada por nós. O ideal seria que nunca pensassem e fossem sempre conduzidos por nós como um
    pastor faz com as ovelhas. Conformar-se com esta mentalidade de rebanho é coisa que me dá náuseas
    "Heaven and Earth are not benevolent; They treat the myriad of creatures as straw dogs"
    ― Laozi

    "No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
    ― David Hume

    “Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
    ― Mark Twain

    Offline Sergiomgbr

    • Nível Máximo
    • *
    • Mensagens: 9.273
    • Sexo: Masculino
    • uê?!
    Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
    « Resposta #97 Online: 28 de Outubro de 2018, 14:08:07 »
    Ja devem ter falado disso, mas...
    Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

    Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

    Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
    Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

    Offline Cinzu

    • Nível 21
    • *
    • Mensagens: 737
    Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
    « Resposta #98 Online: 28 de Outubro de 2018, 14:16:21 »
    Ja devem ter falado disso, mas...
    Se este crescimento da direita não for suficiente para a esquerda fazer um auto-exame bem sério, então nada mais é

    Não há crescimento de direita algum, o que você está vendo é só pessoas que não embarcam mais em canoa furada.

    Não percebem que se estivesse tudo 100% com eles, porque raios, tantos se voltariam pro outro lado?
    Se estivesse tudo bem com a "canoa"?

    Dizer que não houve crescimento da direita nos últimos anos é tão ridículo quanto dizer que nunca houve esquerda no Brasil.

    Offline Cinzu

    • Nível 21
    • *
    • Mensagens: 737
    Re:Por que a nova extrema-direita cresce?
    « Resposta #99 Online: 28 de Outubro de 2018, 14:18:46 »
    Embora eu reconheça que os termos esquerda e direita foram deturpados e já não são mais usados em sua terminologia de antes. Porém, como a língua e definições estão sempre em transformação, acho justo considerarmos as expressões atualmente utilizadas.

     

    Do NOT follow this link or you will be banned from the site!