Autor Tópico: Como convencer alguém da importância de aprender ciência  (Lida 3787 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Cinzu

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 734
Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Online: 20 de Janeiro de 2016, 14:43:19 »
Recentemente, me deparei com um problema, que imagino que deva atingir a maior parte dos estudantes de humanas.

Jogando conversa fora com um amigo advogado, chegamos ao tema da precariedade do ensino. Como estudante de exatas, citei a dificuldade que muitos acadêmicos enfrentam ao ingressarem em um curso de Engenharia sem possuírem uma base de matemática ou física. Continuando a conversa, ele levantou um ponto que discordo totalmente:

"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Respondi com o argumento de que o conhecimento como um todo é importante. Mesmo para um estudante de humanas, é importante conhecer princípios básicos da física, química, biologia, matemática... Assim como é importante para um estudante de exatas possuir uma base em história, sociologia, filosofia.

Nosso atual ensino de matemática e ciências já é precário. A maioria se forma sem o conhecimento básico necessário. Se diminuirmos ainda mais esse aprendizado, as pessoas se tornariam verdadeiras ignorantes que colocariam o país em xeque. Teorias absurdas oriundas de pessoas idiotas como a da terra plana, seria mais comum. E a quantidade de pessoas negando a evolução ou o aquecimento global? Maior ainda. Estudar ciência e matemática no Ensino Médio não apenas reforça o que aprendemos no fundamental, mas também cria uma nova visão de mundo.

Quando não aprendemos algo, achamos que não precisamos daquilo para viver. Se formos seguir essa lógica, ninguém precisaria estudar. Um pedreiro, por exemplo, não precisa conhecer história, geografia, matemática ou português para exercer sua função. No entanto, ele será um indivíduo na sociedade, que estará convivendo com outras pessoas, e sua má formação pode ser prejudicial, principalmente na hora de escolher um representante político.

No entanto, não consegui ser muito convincente em meu argumento. Expressei o que realmente acho, mas depois que analisei profundamente o que disse, realmente foi um pouco ridículo: Não precisa estudar física/matemática no Ensino Médio para saber que a terra é redonda. O conhecimento básico de ciências do ensino fundamental também é mais que suficiente para entender a teoria da evolução. Quanto ao aquecimento global... Bem, imagino que aqui não falei besteira.

E pensando melhor, não consigo citar exemplos de como estudar as leis de Newton, matrizes, logaritmos, lei de Coulomb, etc. Poderia ser importante para um estudante de humanas, por exemplo. Mas de algum modo, sei que é.

Eu estaria equivocado? Ou apenas não estou sabendo articular meus pensamentos?

Offline SnowRaptor

  • Webmaster
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 17.961
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #1 Online: 20 de Janeiro de 2016, 15:56:25 »
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Aí a gente vê juiz proferindo sentença que não faz sentido físico/químico.
Elton Carvalho

Antes de me apresentar sua teoria científica revolucionária, clique AQUI

“Na fase inicial do processo [...] o cientista trabalha através da
imaginação, assim como o artista. Somente depois, quando testes
críticos e experimentação entram em jogo, é que a ciência diverge da
arte.”

-- François Jacob, 1997

Offline André Luiz

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.631
  • Sexo: Masculino
    • Forum base militar
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #2 Online: 20 de Janeiro de 2016, 16:09:09 »

Tirar isso da grade complicaria ainda mais a coisa

Tem todo este movimento anticiência que vem crescendo.
É cientificismo isso, cientificismo aquilo.

Ainda passaremos por uma nova idade das trevas grega, em que todo o conhecimento foi pro caramba. :(

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #3 Online: 20 de Janeiro de 2016, 16:15:24 »
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Aí a gente vê juiz proferindo sentença que não faz sentido físico/químico.

Igual a história que o Neil Tyson contou quando fez parte de um juri popular. O réu estava sendo acusado de portar "duas mil miligramas" de cocaína. Aí o Neil Tyson perguntou ao juíz ou o restante do juri porque não dizer simplesmente "duas gramas"? E ainda lembrou que isso pesa menos que uma moeda de 1 centavo.

Não lembro se houve alguma consequência disso, mas ele gosta de pegar esses exemplos de desconhecimento da ciência e exatas em geral e falar disso em suas palestras.

Outro exemplo é a nomenclatura para pisos ou andares negativos nos EUA, onde ele lembra que existem números negativos justamente para descrever coisas abaixo de 0. Nos EUA parece que usam uma letra diferente com outra numeração, de uma maneira mais confusa, enquanto no exemplo que ele mostra de um andar "-1", ele indaga onde fica isso, e responde que "é na Alemanha, claro". "Mas seria de algum prédio de pesquisa científica?". Era um simples museu.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline SnowRaptor

  • Webmaster
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 17.961
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #4 Online: 20 de Janeiro de 2016, 16:17:19 »
Igual a história que o Neil Tyson contou quando fez parte de um juri popular. O réu estava sendo acusado de portar "duas mil miligramas" de cocaína. Aí o Neil Tyson perguntou ao juíz ou o restante do juri porque não dizer simplesmente "duas gramas"? E ainda lembrou que isso pesa menos que uma moeda de 1 centavo.

E a falta de aulas de português faz a gente pensar que cocaína é uma gramínea.
Elton Carvalho

Antes de me apresentar sua teoria científica revolucionária, clique AQUI

“Na fase inicial do processo [...] o cientista trabalha através da
imaginação, assim como o artista. Somente depois, quando testes
críticos e experimentação entram em jogo, é que a ciência diverge da
arte.”

-- François Jacob, 1997

Offline Cinzu

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 734
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #5 Online: 20 de Janeiro de 2016, 16:29:52 »
Eu citei o exemplo de um profissional já formado, da área de humanas. Mas este problema vai ainda mais longe.

Já me deparei com acadêmicos de cursos de Engenharia afirmarem que aprender Cálculo diferencial e Integral é perca de tempo, pois hoje em dia os programas computacionais substituem a necessidade de aprender física/matemática. O que mais me espantou é saber que se tratava de cursos concorridos, onde quem proferiu tamanha calamidade precisou possuir conhecimento acima da média para ser aprovado no vestibular.

Isso traz a tona outra questão: O ingresso em universidades estaria levando em consideração o pensamento crítico e percepção dos candidatos ou apenas a quantidade de conteúdo que eles são capazes de decorar?

Offline SnowRaptor

  • Webmaster
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 17.961
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #6 Online: 20 de Janeiro de 2016, 16:33:46 »
Já me deparei com acadêmicos de cursos de Engenharia afirmarem que aprender Cálculo diferencial e Integral é perca de tempo, pois hoje em dia os programas computacionais substituem a necessidade de aprender física/matemática. O que mais me espantou é saber que se tratava de cursos concorridos, onde quem proferiu tamanha calamidade precisou possuir conhecimento acima da média para ser aprovado no vestibular.

E daqui a 20 anos não vai ter mis ninguém que saiba como funcionam esses softwares e nem vai conseguir desenvolvê-los mais.
Elton Carvalho

Antes de me apresentar sua teoria científica revolucionária, clique AQUI

“Na fase inicial do processo [...] o cientista trabalha através da
imaginação, assim como o artista. Somente depois, quando testes
críticos e experimentação entram em jogo, é que a ciência diverge da
arte.”

-- François Jacob, 1997

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #7 Online: 20 de Janeiro de 2016, 16:53:14 »
Citar
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Noto que muitos desses argumentos contra o ensino de Matemática ou Física parecem se basear na premissa de que o estudante (garotos de 14 - 19 anos) já sabem de antemão do que vão precisar ou não no futuro. Já conheci gente que começou faculdade de Computação e mais tarde fez vestibular para Medicina, gente que tentou Letras mas depois decidiu que preferia Direito e até uma aluna que largou Física para se dedicar a um curso de Estilismo e Moda*. O fato é que a maioria dos adolescentes simplesmente não têm condições de avaliar qual conhecimehto será útil para si no futuro. Privá-lo de uma base em Matemática seria tão irresponsável quanto privá-lo de História ou Português. Isso sem entrar na questão da utilidade de se ter um conhecimento geral acerca do funcionamento da natureza.



*Um dos cursos de graduação ofertados por minha universidade.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Brienne of Tarth

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.208
  • Sexo: Feminino
  • Ave, Entropia, morituri te salutant
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #8 Online: 20 de Janeiro de 2016, 17:06:18 »
Exatas são abstratas, demandam uma percepção mais apurada da realidade, não são subjetivas e detém fama de enfadonhas.

Muitas escolas não estão equipadas com laboratórios onde os alunos podem ver a aplicação prática da Química, da Física ou da Biologia, constatando in loco como suas afirmações, tantas vezes testadas, ainda funcionam.

Seria um coupe de grâce na educação brasileira se retirassem mais isso de seus estudantes. :hein:
GNOSE

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.232
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #9 Online: 20 de Janeiro de 2016, 17:13:31 »
Já vi contudo a argumentação de que no Brasil o ensino de diversas coisas é muito fragmentado em um monte de detalhes, enquanto que em países melhores eles valorizam mais a maior concentração no essencial.


Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.209
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #10 Online: 20 de Janeiro de 2016, 17:38:46 »
Citar
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Noto que muitos desses argumentos contra o ensino de Matemática ou Física parecem se basear na premissa de que o estudante (garotos de 14 - 19 anos) já sabem de antemão do que vão precisar ou não no futuro. Já conheci gente que começou faculdade de Computação e mais tarde fez vestibular para Medicina, gente que tentou Letras mas depois decidiu que preferia Direito e até uma aluna que largou Física para se dedicar a um curso de Estilismo e Moda*. O fato é que a maioria dos adolescentes simplesmente não têm condições de avaliar qual conhecimehto será útil para si no futuro. Privá-lo de uma base em Matemática seria tão irresponsável quanto privá-lo de História ou Português. Isso sem entrar na questão da utilidade de se ter um conhecimento geral acerca do funcionamento da natureza.

*Um dos cursos de graduação ofertados por minha universidade.

Aí entramos em outra questão interessante, que seria o conteúdo dessas disciplinas. Eu concordo inteiramente que uma boa base de história, matemática, física, química, etc, é importante, mas o que seria essa "base"?

Da forma de hoje, eu tendo a concordar que muito do conteúdo atual é somente "encheção de linguiça". Por exemplo, eu tive que decorar fórmulas de dilatação dos líquidos nas minha aulas de física no ensino médio, mas nunca nos falaram que as estrelas não eram objetos pequeninos e brilhantes que ficam ao redor da Terra. Parece que existe essa noção de que física é igual a cálculo, e que uma aula apenas com conhecimento básico e teoria não tem vez.

Na minha opinião, aulas teóricas sobre dilatação temporal, sem cálculo nenhum, por exemplo, teriam muito mais valor na formação do conhecimento de uma pessoa do que aprender a calcular a dilatação dos líquidos só pra passar na prova. Mas, não, ao invés disso, eu saí do ensino médio "sabendo" calcular dilatação dos líquidos e achando que teoria da relatividade tinha a ver com o fato de o tempo passar mais rápido quando você está se divertindo, e mais devagar quando você está com as mãos mergulhadas numa panela com óleo fervendo.

Isso para ficar só no exemplo de física. Todas matérias poderiam rever, facilmente, 90% do conteúdo passado atualmente.
« Última modificação: 20 de Janeiro de 2016, 17:40:55 por Gaúcho »
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #11 Online: 20 de Janeiro de 2016, 18:43:14 »
Citar
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Noto que muitos desses argumentos contra o ensino de Matemática ou Física parecem se basear na premissa de que o estudante (garotos de 14 - 19 anos) já sabem de antemão do que vão precisar ou não no futuro. Já conheci gente que começou faculdade de Computação e mais tarde fez vestibular para Medicina, gente que tentou Letras mas depois decidiu que preferia Direito e até uma aluna que largou Física para se dedicar a um curso de Estilismo e Moda*. O fato é que a maioria dos adolescentes simplesmente não têm condições de avaliar qual conhecimehto será útil para si no futuro. Privá-lo de uma base em Matemática seria tão irresponsável quanto privá-lo de História ou Português. Isso sem entrar na questão da utilidade de se ter um conhecimento geral acerca do funcionamento da natureza.

*Um dos cursos de graduação ofertados por minha universidade.

Aí entramos em outra questão interessante, que seria o conteúdo dessas disciplinas. Eu concordo inteiramente que uma boa base de história, matemática, física, química, etc, é importante, mas o que seria essa "base"?

Da forma de hoje, eu tendo a concordar que muito do conteúdo atual é somente "encheção de linguiça". Por exemplo, eu tive que decorar fórmulas de dilatação dos líquidos nas minha aulas de física no ensino médio, mas nunca nos falaram que as estrelas não eram objetos pequeninos e brilhantes que ficam ao redor da Terra. Parece que existe essa noção de que física é igual a cálculo, e que uma aula apenas com conhecimento básico e teoria não tem vez.

Na minha opinião, aulas teóricas sobre dilatação temporal, sem cálculo nenhum, por exemplo, teriam muito mais valor na formação do conhecimento de uma pessoa do que aprender a calcular a dilatação dos líquidos só pra passar na prova. Mas, não, ao invés disso, eu saí do ensino médio "sabendo" calcular dilatação dos líquidos e achando que teoria da relatividade tinha a ver com o fato de o tempo passar mais rápido quando você está se divertindo, e mais devagar quando você está com as mãos mergulhadas numa panela com óleo fervendo.

Isso para ficar só no exemplo de física. Todas matérias poderiam rever, facilmente, 90% do conteúdo passado atualmente.

Concordo com você (e com a Brienne, acima). O problema não é a existência ou não de Física e Matemática no ensino médio. O problema é a maneira como essas disciplinas são ministradas. Usando seu exemplo: de fato, você pode dar uma boa noção do conceito de dilatação térmica sem usar nenhuma fórmula. Você pode mostrar figuras de trilhos entortados pelo calor, explicar que essa dilatação poderá contribuir para o aumento do nível do mar devido ao aquecimento global e pode também demonstrar como isso aparece de forma microscópica. Decorar fórmulas é uma forma preguiçosa e contraproducente de se ensinar ciências. O ideal seria que as aulas começassem no laboratório e que a descrição matemática só fosse introduzida posteriormente. Isso é algo difícil de implementar nas escolas públicas e que vai contrar os interesses dos donos de escolas privadas - que muitas vezes estão mais interessados em propagandear o número de seus estudantes que entraram em Universidade X ou Y do que em saber se eles realmente aprenderam alguma coisa.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Pedro Reis

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.885
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #12 Online: 20 de Janeiro de 2016, 19:11:14 »
Acredito que o modo mais eficaz seja com a aplicação de castigos corporais.

Se o estudante não estiver prestando atenção a professora senta a régua no lombo dele.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #13 Online: 20 de Janeiro de 2016, 19:42:25 »
Já vi contudo a argumentação de que no Brasil o ensino de diversas coisas é muito fragmentado em um monte de detalhes, enquanto que em países melhores eles valorizam mais a maior concentração no essencial.



Acho que já falamos sobre isso, mas o que me parece é que por aqui o pensamento de como o ensino funciona é muito inocente. Já ouvi coisas do tipo: "Temos que colocar aula de filosofia para que o aluno aprenda a pensar". Será que a única maneira de aprender a pensar é com filosofia? E ainda estudar por 1h/semana uma disciplina de maneira isolada das demais, que no fundo acabará se resumindo a apresentar diversos pensadores e suas contribuições pessoais bem resumidamente vai ajudar?

E para quê os alunos devem aprender a pensar? Pensar sobre o quê? Sobre ética, civismo, moral? O Japão é praticamente um celeiro de engenheiros, onde muito provavelmente não perdem muito tempo com aulas de filosofia no ensino médio e conseguem ser extremamente éticos e civilizados.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.232
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #14 Online: 20 de Janeiro de 2016, 19:52:08 »
Bem, eles devem ter "filosofias" em atividades extra-curriculares, em vez do esquemão de Platão, Aristóteles e os gregos todos.

Nos EUA também tem coisas como "economia doméstica". Acho que já ouvi falar de haver ou se cogitar dever existir aula de "pensamento crítico".

Ah é, teve algo como os republicanos se manifestarem contrários a algo assim.

"We oppose the teaching of Higher Order Thinking Skills (HOTS) (values clarification), critical thinking skills and similar programs that are simply a relabeling of Outcome-Based Education (OBE) (mastery learning) which focus on behavior modification and have the purpose of challenging the student’s fixed beliefs and undermining parental authority."

https://www.washingtonpost.com/blogs/answer-sheet/post/texas-gop-rejects-critical-thinking-skills-really/2012/07/08/gJQAHNpFXW_blog.html

Offline EuSouOqueSou

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.913
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #15 Online: 20 de Janeiro de 2016, 21:07:42 »
Acredito que o modo mais eficaz seja com a aplicação de castigos corporais.

Se o estudante não estiver prestando atenção a professora senta a régua no lombo dele.



Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline EuSouOqueSou

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.913
  • Sexo: Masculino
  • Question not thy god, for thy god doth not respond
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #16 Online: 20 de Janeiro de 2016, 21:19:16 »
Citar
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Noto que muitos desses argumentos contra o ensino de Matemática ou Física parecem se basear na premissa de que o estudante (garotos de 14 - 19 anos) já sabem de antemão do que vão precisar ou não no futuro. Já conheci gente que começou faculdade de Computação e mais tarde fez vestibular para Medicina, gente que tentou Letras mas depois decidiu que preferia Direito e até uma aluna que largou Física para se dedicar a um curso de Estilismo e Moda*. O fato é que a maioria dos adolescentes simplesmente não têm condições de avaliar qual conhecimehto será útil para si no futuro. Privá-lo de uma base em Matemática seria tão irresponsável quanto privá-lo de História ou Português. Isso sem entrar na questão da utilidade de se ter um conhecimento geral acerca do funcionamento da natureza.

*Um dos cursos de graduação ofertados por minha universidade.

Aí entramos em outra questão interessante, que seria o conteúdo dessas disciplinas. Eu concordo inteiramente que uma boa base de história, matemática, física, química, etc, é importante, mas o que seria essa "base"?

Da forma de hoje, eu tendo a concordar que muito do conteúdo atual é somente "encheção de linguiça". Por exemplo, eu tive que decorar fórmulas de dilatação dos líquidos nas minha aulas de física no ensino médio, mas nunca nos falaram que as estrelas não eram objetos pequeninos e brilhantes que ficam ao redor da Terra. Parece que existe essa noção de que física é igual a cálculo, e que uma aula apenas com conhecimento básico e teoria não tem vez.

Na minha opinião, aulas teóricas sobre dilatação temporal, sem cálculo nenhum, por exemplo, teriam muito mais valor na formação do conhecimento de uma pessoa do que aprender a calcular a dilatação dos líquidos só pra passar na prova. Mas, não, ao invés disso, eu saí do ensino médio "sabendo" calcular dilatação dos líquidos e achando que teoria da relatividade tinha a ver com o fato de o tempo passar mais rápido quando você está se divertindo, e mais devagar quando você está com as mãos mergulhadas numa panela com óleo fervendo.

Isso para ficar só no exemplo de física. Todas matérias poderiam rever, facilmente, 90% do conteúdo passado atualmente.

Concordo com você (e com a Brienne, acima). O problema não é a existência ou não de Física e Matemática no ensino médio. O problema é a maneira como essas disciplinas são ministradas. Usando seu exemplo: de fato, você pode dar uma boa noção do conceito de dilatação térmica sem usar nenhuma fórmula. Você pode mostrar figuras de trilhos entortados pelo calor, explicar que essa dilatação poderá contribuir para o aumento do nível do mar devido ao aquecimento global e pode também demonstrar como isso aparece de forma microscópica. Decorar fórmulas é uma forma preguiçosa e contraproducente de se ensinar ciências. O ideal seria que as aulas começassem no laboratório e que a descrição matemática só fosse introduzida posteriormente. Isso é algo difícil de implementar nas escolas públicas e que vai contrar os interesses dos donos de escolas privadas - que muitas vezes estão mais interessados em propagandear o número de seus estudantes que entraram em Universidade X ou Y do que em saber se eles realmente aprenderam alguma coisa.

Eu penso numa maneira mais eficiente de ensino. Penso que as turmas deveriam ser divididas por aptidão e rendimento dos alunos. Aqueles que tem aptidão para exatas tem aulas mais aprofundadas nas Exatas. Um exemplo, sistemas de equções lineares. Creio que é importante todo mundo saber o que é e saber resolver um sistema básico de 3 equações e 3 variáveis. Mas tentar fazer um aluno que tem interesse quase zero em Exatas se aprofundar nisso é desperdício de tempo e dinheiro. Sério, pra que um advogado precisa aprender as formas matriciais de sistemas lineares? Pra que ensinar os métodos de Gauss e a Regra de Cramer pra essa gente? O basicao ja basta.

Se a pessoa quiser mudar de área mais tarde, pode aprender isso na faculdade. Eles ensinam tudo de novo nas disciplinas básicas de engenharias. Sério, é desperdício de tempo e dinheiro.
Qualquer sistema de pensamento pode ser racional, pois basta que as suas conclusões não contrariem as suas premissas.

Mas isto não significa que este sistema de pensamento tenha correspondência com a realidade objetiva, sendo este o motivo pelo qual o conhecimento científico ser reconhecido como a única forma do homem estudar, explicar e compreender a Natureza.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.902
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #17 Online: 21 de Janeiro de 2016, 09:44:26 »
Recentemente, me deparei com um problema, que imagino que deva atingir a maior parte dos estudantes de humanas.

Jogando conversa fora com um amigo advogado, chegamos ao tema da precariedade do ensino. Como estudante de exatas, citei a dificuldade que muitos acadêmicos enfrentam ao ingressarem em um curso de Engenharia sem possuírem uma base de matemática ou física. Continuando a conversa, ele levantou um ponto que discordo totalmente:

"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"




Esta afirmação de seu amigo pode ser melhor formulada da seguinte maneira: os conteúdos de física, matemática e química do Ensino Médio não são relevantes para que um advogado seja um profissional que tenha sucesso na advocacia, e tampouco são relevantes para que uma pessoa faça bem o curso de direito.  E esta afirmação pode ser estendida para uma série de outros cursos e continuar verdadeira.



« Última modificação: 21 de Janeiro de 2016, 10:02:34 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.902
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #18 Online: 21 de Janeiro de 2016, 09:56:14 »
Citar
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"

Noto que muitos desses argumentos contra o ensino de Matemática ou Física parecem se basear na premissa de que o estudante (garotos de 14 - 19 anos) já sabem de antemão do que vão precisar ou não no futuro. Já conheci gente que começou faculdade de Computação e mais tarde fez vestibular para Medicina, gente que tentou Letras mas depois decidiu que preferia Direito e até uma aluna que largou Física para se dedicar a um curso de Estilismo e Moda*. O fato é que a maioria dos adolescentes simplesmente não têm condições de avaliar qual conhecimehto será útil para si no futuro. Privá-lo de uma base em Matemática seria tão irresponsável quanto privá-lo de História ou Português. Isso sem entrar na questão da utilidade de se ter um conhecimento geral acerca do funcionamento da natureza.


*Um dos cursos de graduação ofertados por minha universidade.


Tal argumento de que se deve OBRIGAR  pessoas a aprenderem os atuais conteúdos de física, matemática e química do Ensino Médio porque eles não sabem qual profissão irão seguir tem pelo menos uma grave falha, aponto:

1) Este argumento contém implícita a afirmação de que é indispensável que se tenha uma parte inicial (e/ou simplificada)  do conteúdo  de um curso qualquer que porventura uma pessoa venha a fazer posteriormente ao Ensino Médio, para que uma pessoa possa escolher  fazer esse curso, isto é facilmente falsificado com um exemplo de um curso considerado dos mais importantes, que é o curso de direito.  Não existe no ensino médio  uma parte  do conteúdo simplificado de matérias de direito, como é o caso da matemática da física e da química em relação aos cursos superiores de exatas. Entretanto não faltam pessoas que queiram fazer o curso de direito.

Portanto é falsa a afirmação implicíta de que é necessário que se tenha uma parte do conteúdo do programa de um curso superior para que um aluno possa escolher aquele curso superior (e/ou cursá-lo bem).

Pessoas escolhem um curso superior por motivos variados e não apenas porque viram uma parte simplificada dos conteúdos dos programas desse curso.







« Última modificação: 21 de Janeiro de 2016, 10:16:35 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.902
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #19 Online: 21 de Janeiro de 2016, 10:13:28 »
E respondendo a pergunta do tópico:

Como convencer alguém da importância de aprender ciência ?

Primeiramente é bom esclarecer que uma pessoa pode dar alguma importância para aprender ciência só que de forma livre, e não de forma impositiva/obrigatória como atualmente ocorre no Ensino Médio.  Então uma possibilidade  interessante seria oferecer estas disciplinas de forma opcional.

E segundo, é bom lembrar que a importância de algo para alguém está relacionada a necessidade real e/ou desejo da pessoa de ter esse algo. Quanto maior a necessidade real, maior a importância.  E também podemos dizer que a importância está relacionada ao atendimento de desejos.  Quanto maior o desejo uma pessoa tiver por algo, maior será a importância disto para a pessoa.



« Última modificação: 21 de Janeiro de 2016, 10:17:08 por JJ »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.232
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #20 Online: 21 de Janeiro de 2016, 11:41:46 »
Para muitas pessoas, a ignorância pode ser mais importante do que a ciência, pois permite crer em algo que reconforta.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.224
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #21 Online: 21 de Janeiro de 2016, 11:53:04 »
Recentemente, me deparei com um problema, que imagino que deva atingir a maior parte dos estudantes de humanas.

Jogando conversa fora com um amigo advogado, chegamos ao tema da precariedade do ensino. Como estudante de exatas, citei a dificuldade que muitos acadêmicos enfrentam ao ingressarem em um curso de Engenharia sem possuírem uma base de matemática ou física. Continuando a conversa, ele levantou um ponto que discordo totalmente:

"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"
Esta afirmação de seu amigo pode ser melhor formulada da seguinte maneira: os conteúdos de física, matemática e química do Ensino Médio não são relevantes para que um advogado seja um profissional que tenha sucesso na advocacia, e tampouco são relevantes para que uma pessoa faça bem o curso de direito.  E esta afirmação pode ser estendida para uma série de outros cursos e continuar verdadeira.

Citar
"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"
Noto que muitos desses argumentos contra o ensino de Matemática ou Física parecem se basear na premissa de que o estudante (garotos de 14 - 19 anos) já sabem de antemão do que vão precisar ou não no futuro. Já conheci gente que começou faculdade de Computação e mais tarde fez vestibular para Medicina, gente que tentou Letras mas depois decidiu que preferia Direito e até uma aluna que largou Física para se dedicar a um curso de Estilismo e Moda*. O fato é que a maioria dos adolescentes simplesmente não têm condições de avaliar qual conhecimehto será útil para si no futuro. Privá-lo de uma base em Matemática seria tão irresponsável quanto privá-lo de História ou Português. Isso sem entrar na questão da utilidade de se ter um conhecimento geral acerca do funcionamento da natureza.

*Um dos cursos de graduação ofertados por minha universidade.
Tal argumento de que se deve OBRIGAR  pessoas a aprenderem os atuais conteúdos de física, matemática e química do Ensino Médio porque eles não sabem qual profissão irão seguir tem pelo menos uma grave falha, aponto:

1) Este argumento contém implícita a afirmação de que é indispensável que se tenha uma parte inicial (e/ou simplificada)  do conteúdo  de um curso qualquer que porventura uma pessoa venha a fazer posteriormente ao Ensino Médio, para que uma pessoa possa escolher  fazer esse curso, isto é facilmente falsificado com um exemplo de um curso considerado dos mais importantes, que é o curso de direito.  Não existe no ensino médio  uma parte  do conteúdo simplificado de matérias de direito, como é o caso da matemática da física e da química em relação aos cursos superiores de exatas. Entretanto não faltam pessoas que queiram fazer o curso de direito.

Portanto é falsa a afirmação implicíta de que é necessário que se tenha uma parte do conteúdo do programa de um curso superior para que um aluno possa escolher aquele curso superior (e/ou cursá-lo bem).

Pessoas escolhem um curso superior por motivos variados e não apenas porque viram uma parte simplificada dos conteúdos dos programas desse curso.

E respondendo a pergunta do tópico:

Como convencer alguém da importância de aprender ciência ?

Primeiramente é bom esclarecer que uma pessoa pode dar alguma importância para aprender ciência só que de forma livre, e não de forma impositiva/obrigatória como atualmente ocorre no Ensino Médio.  Então uma possibilidade  interessante seria oferecer estas disciplinas de forma opcional.

E segundo, é bom lembrar que a importância de algo para alguém está relacionada a necessidade real e/ou desejo da pessoa de ter esse algo. Quanto maior a necessidade real, maior a importância.  E também podemos dizer que a importância está relacionada ao atendimento de desejos.  Quanto maior o desejo uma pessoa tiver por algo, maior será a importância disto para a pessoa.

Ao que parece a grande preocupação do JJ é quanto à utilidade de alguns conhecimentos para algumas carreiras/profissões que não dependem deles. Ou seja, estamos diante de um pragmático utilitarista.

Mas no meu entender a questão é mais ampla porque ultrapassa a fronteira do conhecimento utilitário/profissional e chega ao campo da cultura geral. Uma formação científica sólida, ainda que básica, traz benefícios para as pessoas porque auxiliam-nas a compreender o mundo em que vivem, especialmente o natural.

Com isto, certos erros estúpidos seriam evitados por pessoas que, por determinação legal, podem influir em outras pessoas. Um caso conspícuo ocorreu na Itália, a poucos anos, em que após um terremoto que trouxe prejuízos materiais e causou algumas fatalidades, um grupo de procuradores abriu uma ação contra geólogos, acusando-os de negligência por "não terem avisado a população" (sic).
« Última modificação: 21 de Janeiro de 2016, 21:05:27 por Geotecton »
Foto USGS

Offline Pedro Reis

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.885
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #22 Online: 21 de Janeiro de 2016, 21:01:44 »
Falando sério, existe uma enorme crise pedagógica e não de agora. O problema surge com a revolução industrial. A escola adotou o modelo da fábrica: informações ( não o conhecimento ) vomitado em série, uniformizado, repetido, impessoalmente.

Toca a sirene da escola-fábrica todos os dias no mesmo horário, os alunos, todos de uniforme, entram na linha de montagem da sala de aula, abrem todos o mesmo livro e copiam algo que o professor escreve no quadro. E ele escreve e diz sempre as mesmas coisas, todos os anos em todas as salas de aula. Não percebendo que são pessoas diferentes, porque ele só interage com os alunos mediado por regras que uniformizam estas diferenças, como o sistema de avaliação por notas.

No final do expediente mais uma vez toca a sirene da escola-fábrica e os alunos irão para casa. Sempre no mesmo horário.

A única vantagem desse modelo é que assim como a produção em série tornou acessível bens de consumo para uma grande parte da população, a educação também se tornou muito mais acessível. Mas pagando um preço em qualidade.

Antes educação era para poucos e quase sempre os ricos. Mas não havia provas, currículo, livros texto, o estudante não tinha que passar de ano. Era uma relação entre aluno e professor, entre mestre e discípulo.

Mas agora a escola se tornou uma coisa surreal. Parafraseando o grande filósofo Vampeta: " Eles fingem que ensinam e os alunos fingem que aprendem." É a coisa mais anacronicamente ineficiente nesse nosso mundo de super-eficiência, onde se busca cada vez mais a qualidade total nos processos.

Se alguém chega na universidade sem repetir de ano isso significa que essa pessoa esteve nos últimos 10 ou 11 anos da sua vida de 6 a 7 horas por dia em uma sala de aula. E ainda há os cursos extra-curriculares além do tempo gasto estudando em casa, fazendo trabalhos individuais ou em grupo.

Em termos de conhecimento real adquirido o resultado de todo esse investimento de tempo e dinheiro é praticamente nenhum. E me refiro a escolas particulares, não escolas públicas onde o resultado é nenhum mesmo.

Qualquer que seja a sua atividade, se o seu rendimento for 10 vezes maior que a produtividade de um estudante típico ainda assim é insuficiente, em um mês você tá na rua.

Um jovem típico de 17,18 anos, não sabe quase nada de História, quase nada de Geografia, praticamente nada de Biologia, não entende bulhufas de Química, de Física, é comum não entenderem realmente nem o que é uma fração.

O sistema é moldado de tal forma que o estudante está preocupado demais em conseguir a média necessária para ter interesse em aprender. Esse é o grande problema da escola:
ela não consegue despertar o interesse dos jovens em aprender. O que está sendo ensinando, a grade curricular, não faz diferença, porque ninguém está aprendendo nada mesmo.

Primeiro é preciso encontrar uma maneira de fazer o cara aprender, para depois se discutir o que ele deve aprender.

Offline Pedro Reis

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 2.885
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #23 Online: 21 de Janeiro de 2016, 21:14:49 »

"Se tirassem física, matemática e química do Ensino Médio, não faria diferença nenhuma para quem pretende cursar direito, por exemplo"



Eu vou dizer uma coisa: nós raramente sentimos necessidade daquilo que não sabemos.

Porque se você não sabe você não usa. Se você não usa não lhe está sendo útil.

Se você nunca aprendeu a usar o pacote Office, então você jamais vai sentir falta de um editor de texto e de uma planilha. Mas se você souber usar vai encontrar muitas maneiras úteis de usar o Word e o Excell.

E isso nos remete novamente à surrealidade da escola, desse sistema de "ensino". Esse advogado não sente falta de nada disso porque ele realmente nunca aprendeu. Assim como para quase todos os alunos a escola foi apenas um enorme desperdício de tempo na vida.

Ah, mas ele se tornou um advogado graças a ter estudado. Sim, mas provavelmente o que ele precisou saber realmente para ingressar em um curso de Direito ele poderia ter aprendido em 6 meses, se tanto.

E mesmo assim, a maioria disso ele já esqueceu.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.902
  • Sexo: Masculino
Re:Como convencer alguém da importância de aprender ciência
« Resposta #24 Online: 22 de Janeiro de 2016, 09:55:05 »

Ao que parece a grande preocupação do JJ é quanto à utilidade de alguns conhecimentos para algumas carreiras/profissões que não dependem deles. Ou seja, estamos diante de um pragmático utilitarista.



A grande maioria dos estudantes  que prestam vestibulares concorridos, que não são da área de exatas, esforçam  para aprender  os tópicos  de matemática, e física   com o objetivo primordial  final  de  pontuarem bem na concorrida prova do vestibular.

Isto certamente é algo extremamente pragmático e utilitarista, percebe então que a minha suposta visão pragmática e utilitarista  já ocorre  na prática estudantil normal ?

E já que o pragmatismo e utilitarismo já está  presente  nas ações das pessoas,  porque não buscar  uma maior eficência no ensino  procurando eliminar  a necessidade artificial*  de alguns conteúdos ?


*Artificial, pois como já afirmado a necessidade é criada pelas comissões  elaboradoras de provas (de vestibulares concorridos), não é uma necessidade real das práticas profissionais futuras das pessoas do exemplo citado. 


« Última modificação: 22 de Janeiro de 2016, 10:24:12 por JJ »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!