Autor Tópico: Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas  (Lida 3419 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Euler1707

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 699
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #25 Online: 14 de Junho de 2016, 20:36:50 »
[...]
As universidades portuguesas ainda são muito melhores do que as nossas.

No que elas são melhores, caro Euler1707?
Em escrever melhores notas de aula?  :biglol:
A verdade é que esse foi o meu único critério, mas se formos analisar pelo ranking mundial:
http://www.webometrics.info/es/Latin_America_es/Brasil
O Brasil possui 22 universidades entre as 1000 melhores do mundo;
http://www.webometrics.info/es/Europe_es/Portugal
Portugal possui somente 7 universidades entre as melhores do mundo. No quesito qualidade, o Brasil tem mais universidades entre as melhores do mundo, do que Portugal. Vendo que o Brasil possui 1563 universidades (nesse ranking), enquanto que Portugal possui 115, e considerando que esses sejam mais ou menos o número de instituições de ensino superior atuantes nesses países, têm-se que: 1,407% das universidades Brasileiras estão no Ranking das 1000 melhores universidades do Mundo, enquanto que 6,08% das universidades portuguesas então no Ranking das melhores universidades do Mundo.

Skorpios

  • Visitante
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #26 Online: 15 de Junho de 2016, 08:28:21 »
Então porque mandar gente estudar fora se somos tão competentes? Deixa estudarem aqui se somos tão bons. Não precisa gastar o dinheiro do contribuinte. Nem em Portugal.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.786
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #27 Online: 15 de Junho de 2016, 08:47:08 »
Citar
Sem-vergonhice sem fronteiras

Por Mario Sabino

Eu não entendo nada de ciência e tecnologia, mas sei que as universidades, os laboratórios e centros de pesquisa do Brasil estão a anos-luz de distância daqueles dos países avançados.

Eu não entendo nada de ciência e tecnologia, mas sei que são fatores determinantes para o desenvolvimento de uma nação.

Eu não entendo nada de ciência e tecnologia, mas sei que é um inferno encontrar um bom instalador de ar-condicionado por aqui.

Foi com certa curiosidade, portanto, que li a notícia da Folha segundo a qual apenas 3,7% dos participantes do programa federal Ciência Sem Fronteiras foram estudar nas melhores universidades do mundo -- aquelas que realmente fariam diferença para a formação dos beneficiados e, portanto, para o avanço científico e tecnológico nacional. A massacrante maioria aproveitou o intercâmbio com dinheiro público apenas para “ter uma experiência lá fora”. E o “lá fora”, não raro, foi Portugal -- essa ilha de excelência na Europa Ocidental.

É claro que o programa inventado pelo PT era demagógico, um trem da alegria destinado principalmente a uma porção de gente sem requisitos acadêmicos para estudar seriamente no exterior. O meu ponto não é esse. O meu ponto é justamente a quantidade de gente disposta a pegar qualquer trem da alegria no Brasil, desde que pago com dinheiro público, sem a preocupação de dar retorno ao país.

Não há diferença moral entre o estudante que pegou bolsa do governo para fazer curso de nanotecnologia na Universidade de Coimbra e o político que vai ao estrangeiro às nossas expensas, a pretexto de discutir alianças estratégicas, e passa o dia circulando em lojas de grife de Nova York, Londres, Paris ou Roma.

Somos um país de salafrários, essa é a verdade, e os trens da alegria nos espelham, não importa o nome que se dê a eles. A taxa de honestidade brasileira talvez seja mesmo de míseros 3,7%.

Vou ter de continuar procurando um bom instalador de ar-condicionado.
Qual é o problema com as universidade Portuguesas? qual foi o critério usado para classificar a experiência acadêmica daqueles estudantes como proveitosa, ou não?
Eu não sei se o Jornalista tem alguma experiência com as universidades portuguesas, mas se pegasse e fizesse uma comparação entre notas de aulas escritas por algum professor português numa universidade portuguesa para com notas de aula do mesmo assunto, só que feitas por um professor brasileiro numa universidade brasileira, veria-se a enorme diferença. As universidades portuguesas ainda são muito melhores do que as nossas.


Sinceramente não acredito que em média as notas de aula feita por professores portugueses de universidades sejam melhores do que as notas dos professores brasileiros de universidades, eu tenho o costume de baixar  notas de aula e apostilas de professores brasileiros,  e já baixei centenas, e já baixei também muito material de professores de Portugal , e em  média não vi  nenhuma grande coisa melhor.   Tanto dos brasileiros como dos portugueses  tem muita coisa boa.



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.786
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #28 Online: 15 de Junho de 2016, 09:10:04 »


Como a esquerda decide “democraticamente” impedir o direito das minorias: o caso USP


Por Renan Sanches -04/06/2016
 
 

Após grande decepção com minha primeira graduação e uma quantidade enorme de oportunidades profissionais frustradas resolvi, aos 27 anos, voltar a universidade e cursar um novo curso, sem qualquer relação com a minha primeira graduação (Direito). Tendo em vista o curso escolhido (Geofísica) ser restrito a universidades estatais, não tive escolha senão entrar na USP para minha nova empreitada. Não tinha ideia do que me esperava.


A faculdade privada que cursei, a PUC, mesmo com seu histórico de esquerda e sua estética nível FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP), no geral, funcionava bem com raras exceções. O corpo estudantil era bem dividido entre apolíticos, esquerdistas radicais que vivem em Nárnia e conservadores/liberais. Não havia uma tendência nítida para nenhuma direção politica. E a esquerda raramente tentava atrapalhar o funcionamento da faculdade.


Na USP, o inverso impera. É visível a predominância dos grupos de esquerda que fazem DE TUDO para que a faculdade não funcione adequadamente.


Já são TRÊS greves de funcionários apoiadas pelos estudantes desde que entrei na faculdade e as pautas sempre são as mesmas: reajuste do salário dos funcionários, cotas, mais ajuda de custeio da faculdade para os alunos e, eventualmente, alguns delírios esquerdistas (o desse ano é mais verba para a educação, como se houvesse verba para qualquer coisa), mesmo com os empregados da USP recebendo muitas vezes o TRIPLO de salário em comparação com funções análogas na iniciativa privada e, mais importante, com a economia brasileira absolutamente quebrada.


Em nome dessas pautas, que inevitavelmente levam à um maior custo para os pagadores de impostos, os funcionários paralisam serviços essenciais aos alunos (como o restaurante universitário, vulgo “bandeijão”) e bloqueiam a entrada dos portões da universidade, interrompendo a produção cientifica e prejudicando seriamente os alunos.


Mesmo assim, do ponto de vista jurídico, é prevista a possibilidade da greve de funcionários. Muitas vezes a greve é abusiva e transcende a lei, mas a leniência de nosso ordenamento jurídico com a greve dos trabalhadores não é o tópico a ser abordado aqui. O tópico a ser abordado e o que me chocou de fato na USP é um aborto da natureza chamado “greve de estudantes”.



Professor da USP tenta colocar carteiras no seu devido lugar e é impedido e hostilizado pela esquerda


Greve de estudantes é algo que sempre achei que não passava de uma brincadeira. Nunca fez sentido na minha cabeça porque um aluno iria conscientemente deixar de ir à aula como forma de protesto. O único prejudicado com a paralisação de aulas é o aluno em si, é sua formação que corre o risco de ser atrasada, é ele que corre o risco de ter de assistir aulas em meses de férias e é ele que pode ser eventualmente reprovado por faltas em uma matéria com um professor mais antipático à causa.


No entanto, acharia razoável se espontaneamente os alunos que abraçam uma causa deixassem de frequentar as aulas. Mas o problema é mais embaixo. Quando a greve é decidida pela esquerda não importa se há alunos que não concordam com a causa e queiram assistir aulas, TODOS , inexoravelmente, são constrangidos por obstruções físicas, sonoras e atos hostis a deixarem as aulas, incluindo impedir fisicamente os professores de frequentarem o seu principal local de trabalho, a sala de aula.


A maneira pela qual a esquerda decide a extirpação do direito alheio é curiosa. Primeiramente são marcadas assembleias para discussão das pautas. Nessas assembleias, com uma minoria do corpo estudantil (pela razão óbvia de que a maioria não tem tempo disponível fora do escopo do trabalho e/ou acadêmico) o discurso é praticamente unânime. Vozes contrárias são hostilizadas e, como o tempo de comunicação é igual para cada um que pede a fala, é nítido que o discurso predominante acaba sendo o que corrobora a opinião vigente da maioria. Após uma série de discussões é decidida uma paralisação. Nesse dia de paralisação é proibido ter aulas.


Essa proibição é imposta com batuques pelos corredores e constrangimento de alunos e professores. Nesse dia de paralisação é marcada a “assembleia para votação”. Desnecessário dizer que a postura hostil a ideias contrarias se repete nessa assembleia. No final de uma longa discussão é decidido pelos remanescentes, aquelas pessoas corajosas que aguentaram horas de picuinha e não tem absolutamente nada para fazer, o futuro do semestre para todos alunos. No Instituto de Física, onde também tenho aula e, portanto, sou interessado direto, com uma presença inicial da assembleia de 215 alunos, a greve acabou sendo decidida por 72 (setenta e dois) votos a favor e 40 votos contra. Ou seja, 12% de um total de 600 alunos de graduação decidiram que 100% dos alunos não poderão continuar o semestre.


Para interromper as aulas, a esquerda retira um numero considerável de carteiras da sala de aula, as empilha nos acessos aos prédios dos institutos, obstruindo o caminho e eventualmente danificando patrimônio pago pelos pagadores de impostos, e monta guarda para proteger a obstrução e hostilizar aqueles que eventualmente queiram simplesmente ter aulas. Necessário aqui enumerar os absurdos de tal situação:


1- Não há previsão jurídica para tal “greve de estudantes”. Tal ato não é amparado por qualquer documento legal e há nítida tipificação da obstrução por piquetes no artigo 146 do Código Penal (constrangimento ilegal) e destruição de patrimônio publico prevista no artigo 163 do mesmo código (dano qualificado).


2- Esse modelo de “democracia” adotado nas assembleias estudantis tem sérios problemas. O voto secreto surgiu para que ninguém fosse constrangido no ato do voto. Se há constrangimento das opiniões contrárias, é evidente que uma parcela dos alunos fica constrangida de ser contra a greve. O mínimo que podia ser esperado de uma votação com assunto tão sério seria voto secreto em urnas e controle dos votantes. Não há absolutamente controle nenhum dos participantes da assembleia. É impossível saber se os presentes são alunos dos institutos ou interessados diretos, como eu.


3- Não faz sentido votar a anulação de direito básico alheio. Por exemplo, não importa que decidam democraticamente a morte de outro cidadão. Tal ato ainda seria ilegítimo e imoral. Uma maioria não torna ético um ato por meio da democracia. No caso dos estudantes, é nítido que o direito básico é ter aulas. Ainda que uma maioria absoluta decidisse que o instituto não teria aulas, ainda seria ilegítimo e imoral impedir que a minoria exercesse seu direito básico.


4- Não há qualquer eficácia das greves dos alunos para atingir as pautas exigidas.


Em resumo: é curioso com a esquerda se diz a defensora “das minorias”, mas é a primeira a passar por cima dos direitos de uma minoria quando convém à pauta política da esquerda.


http://www.ilisp.org/artigos/como-esquerda-decide-democraticamente-impedir-o-direito-das-minorias-o-caso-usp/


« Última modificação: 15 de Junho de 2016, 09:47:27 por JJ »

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.036
  • Sexo: Masculino
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.106
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #30 Online: 15 de Junho de 2016, 12:58:48 »


"Liberdade" de ser fascista: onde estão aí os negros, homoafetivos, transgêneros, cis ou trans-mulheres feministas, cadeirantes, deficientes, pessoas com síndrome de Down, autistas?


Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.036
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #31 Online: 15 de Junho de 2016, 13:26:01 »


"Liberdade" de ser fascista: onde estão aí os negros, homoafetivos, transgêneros, cis ou trans-mulheres feministas, cadeirantes, deficientes, pessoas com síndrome de Down, autistas?



Estão todos fazendo baderna em Humanas
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Euler1707

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 699
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #32 Online: 15 de Junho de 2016, 13:44:16 »
Então porque mandar gente estudar fora se somos tão competentes? Deixa estudarem aqui se somos tão bons. Não precisa gastar o dinheiro do contribuinte. Nem em Portugal.
(???)
O jornalista falou que as universidades portuguesas não tem boa qualidade em relação às brasileiras, e eu mostrei que não é bem assim, e só. Não há escrito nada além disso.

Offline Euler1707

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 699
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #33 Online: 15 de Junho de 2016, 13:54:06 »
Sinceramente não acredito que em média as notas de aula feita por professores portugueses de universidades sejam melhores do que as notas dos professores brasileiros de universidades, eu tenho o costume de baixar  notas de aula e apostilas de professores brasileiros,  e já baixei centenas, e já baixei também muito material de professores de Portugal , e em  média não vi  nenhuma grande coisa melhor.   Tanto dos brasileiros como dos portugueses  tem muita coisa boa.
A amostragem que eu tenho pra afirmar isso que eu disse, são das notas de aula de matemática, mas isso realmente não quer dizer nada. Os portuguese, diferentemente das notas de aula de matemática escrita por professores brasileiros, eles escrevem suas notas de aula de forma bastante clara e direta, e não seca e dislexa.
« Última modificação: 15 de Junho de 2016, 17:21:21 por Euler1707 »

Offline Gauss

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.133
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
“A matemática é a rainha das ciências.”
Carl Friedrich Gauss.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.036
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #35 Online: 15 de Junho de 2016, 15:11:20 »
Está na hora dessa maioria silenciosa se organizar melhor e impor sua vontade, como fio feito na UnB:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/%E2%80%9Calianca-pela-liberdade%E2%80%9D-toma-posse-no-dce-da-unb-e-a-primeira-chapa-nao-esquerdista-a-vencer-a-eleicao-na-historia-da-universidade-ate-eu-fui-citado/

Eles ainda estão no poder?

Não sei. A ideia é mostrar que é possível a maioria silenciosa se unir e vencer os vermelhinhos.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gabarito

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.477
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #36 Online: 19 de Junho de 2016, 12:48:15 »
Mais um ataque de matilha:

Citar
A coragem de uma jovem contra psicopatas da extrema-esquerda na UnB
Por lucianohenrique on 19 de junho de 2016   • ( 6 )



A extrema-esquerda bolivariana, que infesta as universidades federais, não é diferente do nazismo. A única diferença é que hoje há um ambiente menos propício para o estabelecimento de campos de concentração. Mas pela via do fascismo eles sempre encontram outros meios de oprimir pessoas em situação de vulnerabilidade.

Este vídeo, trazendo um ocorrido na UnB – uma instituição que está se tornando cada vez mais inimiga da civilização, em razão de permitir e endossar a prática do fascismo pela extrema-esquerda – expõe uma situação crítica. Uma jovem de direita tentava falar em um evento e foi coagida de modo perverso por uma multidão de psicopatas.

A direção da UnB é conivente com esse tipo de barbárie, uma vez que não demonstrou intenção de expulsar nenhum dos que a agrediram verbalmente. E lembre-se: a UnB é bancada com dinheiro dos pagadores de impostos. Usar nosso dinheiro para financiar violência é algo que deveria ser discutido mais seriamente.

O mais bizarro é que enquanto a extrema-esquerda, em ritmo de matilha, aplicou o mais extremo fascismo contra uma jovem indefesa (e brava), eles a chamaram de “fascista”. É como se o Maníaco do Parque chamasse suas vítimas estupradas e mortas de “assassinas em série”.

Veja o vídeo, da página Direita Liberal:

<a href="https://www.youtube.com/v/lycvcEqGjZ4" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/lycvcEqGjZ4</a>

Devemos atentar para o que esses monstros podem tentar fazer contra ela. Não há limites para o horror praticado pela extrema-esquerda. É possível que tentem destruir a vida dessa garota. Que o nome dela seja conhecido, em caso de tentarem alguma barbárie contra ela.


Citar
Essa galera de esquerda é assim: fazem discurso pedindo debate e os outros aplaudem e comemoram. Aí quando alguém vai lá pra falar o contrário do que eles querem ouvir, vaiam, fazem barulho e não querem dar espaço de fala, mesmo depois de citar-nos nominalmente.

Aos poucos, a esquerda vai mostrando a sua verdadeira face, vai exibindo as suas garras, sempre se disseram abertos à pluralidade de opiniões, mas isso só fica na teoria mesmo, sempre que algo contrário aparece, eles tentam sufocar. Às vezes conseguem, mas nós, do Distrito Liberal, não deixaremos que isso aconteça mais. Chamar de "fascista" quem discorda de você é um golpe baixíssimo e frequente da esquerda, mas a cada dia eles mostram que são os verdadeiros fascistas.

Tomem cuidado, caros esquerdistas. Liberdade de expressão não é somente para aqueles que concordam com você, e no dia que seu discurso for contrário ao que sua ideologia prega hoje, seremos os únicos ao lado de vocês para defender que vocês tenham voz.

Assista também no youtube:

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.106
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #37 Online: 19 de Junho de 2016, 12:58:19 »
Eu vejo essas coisas e fico imaginando que, para qualquer um que queira ir para uma faculdade para estudar hoje em dia, parece perda de tempo. Ao menos no Brasil.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.036
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #38 Online: 19 de Junho de 2016, 14:38:54 »
Esse pessoal se forma, não consegue emprego em nenhum lugar que não seja numa universidade pública, e o ciclo se repete.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.106
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #39 Online: 19 de Junho de 2016, 16:14:15 »
Esse "ciclo" deve acabar sendo limitado, já que parece que em algum tempo não tem mais nada a ser "ensinado", então deve minguar cada vez mais a busca pelas disciplinas mais afetadas.

Até porque a posição hierárquica de "professor" nada mais é do que um resquício dessa forma retrógrada e ditatorial de pensar, onde há toda uma elite superior aos demais, meros recipientes de "informação" (supostos "saberes" que os tornam úteis ao sistema capitalista, bem como conformismo e submissão a esse sistema).

Está mais do que na hora de se questionar as faculdades como linhas de produção de peças para fábricas capitalistas, de as enxergarmos como espaços para diálogos na sociedade, diálogos -- ou triálogos, poliálogos -- onde se rejeita a essa hierarquia onde apenas um é o "professor", o "mestre", e o outro um ignorante que deve apenas ficar calado e ouvir.

Mesmo das pessoas ainda adeptas à ideologia capitalista, é recorrente se ouvir dizer que o professor também aprende dando aula; então, portanto, TODOS são igualmente professores. E assim sendo, TODOS deveriam receber o salário de professor ao participar das discussões nas faculdades. Caso contrário o que se tem é apenas uma situação de exploração dos professores rotulados como reles "alunos", privilegiando apenas a uma seleta elite formada nos moldes tradicionalistas da indústria "intelectual" capitalista. 

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.036
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #40 Online: 19 de Junho de 2016, 17:06:50 »
E assim sendo, TODOS deveriam receber o salário de professor ao participar das discussões nas faculdades.

Sou totalmente favorável. Todos recebem o salário do professor, dividido pela quantidade de alunos. Mas para captar dinheiro, uma pequena contribuição na forma de mensalidade precisa ser realizada. Aí o governo deixa de dar dinheiro e fecha a universidade, joga uma lona por cima, permitindo aos alunos/professores cobrarem ingressos dos visitantes.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.786
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #41 Online: 19 de Junho de 2016, 18:35:00 »


Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:




Offline Euler1707

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 699
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #42 Online: 19 de Junho de 2016, 19:01:36 »


Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:
Não gostei do teu cometário. Apaga, senão eu faço um textão no facebook te chamando de bobo e chato, e...bobo.
.
.
.
Agora é sério, apaga se não eu vou chorar :'(

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 26.070
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #43 Online: 19 de Junho de 2016, 19:09:40 »
Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:

Vitimismo?

Faz algum tempo que você não visita uma universidade, especialmente no setor de humanas, não é mesmo?
Foto USGS

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.786
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #44 Online: 19 de Junho de 2016, 19:35:38 »
Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:

Vitimismo?

Faz algum tempo que você não visita uma universidade, especialmente no setor de humanas, não é mesmo?


Meu post foi irônico.   :P


Mas falando sério, eu não acho correto essas táticas.  Entretanto tem muitos direitas por aí  que também gostam de usar tais táticas, não é uma exclusividade  de grupos de esquerda.



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.786
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #45 Online: 19 de Junho de 2016, 19:40:14 »


Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:
Não gostei do teu cometário. Apaga, senão eu faço um textão no facebook te chamando de bobo e chato, e...bobo.
.
.
.
Agora é sério, apaga se não eu vou chorar :'(



Não posso, isto é uma questão de justiça social,  a  direita já oprimiu muito os da esquerda,  :'(  , agora é a vez da esquerda oprimir.  :twisted:




Offline Euler1707

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 699
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #46 Online: 19 de Junho de 2016, 19:51:48 »


Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:
Não gostei do teu cometário. Apaga, senão eu faço um textão no facebook te chamando de bobo e chato, e...bobo.
.
.
.
Agora é sério, apaga se não eu vou chorar :'(



Não posso, isto é uma questão de justiça social,  a  direita já oprimiu muito os da esquerda,  :'(  , agora é a vez da esquerda oprimir.  :twisted:
:'(
xiuf
como você dorme -xiuf- sabendo que fez outro -xiuf- ser humano -xiuf- chorar?

  :chorao: :chorao: :chorao:

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.786
  • Sexo: Masculino
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #47 Online: 19 de Junho de 2016, 20:12:24 »

Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:
Não gostei do teu cometário. Apaga, senão eu faço um textão no facebook te chamando de bobo e chato, e...bobo.
.
.
.
Agora é sério, apaga se não eu vou chorar :'(

Não posso, isto é uma questão de justiça social,  a  direita já oprimiu muito os da esquerda,  :'(  , agora é a vez da esquerda oprimir.  :twisted:
:'(
xiuf
como você dorme -xiuf- sabendo que fez outro -xiuf- ser humano -xiuf- chorar?

  :chorao: :chorao: :chorao:



Enquanto uns choram, outros riem. É a vida. E o mundo dá voltas.  Antes a esquerda chorava, agora é a vez dela rir.  8-)  8-)


 :hihi: :hihi:



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 34.106
  • Sexo: Masculino
  • ...
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #48 Online: 19 de Junho de 2016, 20:17:01 »
Mas eles não riem. Continuam berrando, esperneando, e se descabelando histericamente.

Offline Euler1707

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 699
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Domínio das Esquerdas nas Universidades Públicas
« Resposta #49 Online: 19 de Junho de 2016, 20:49:58 »

Uai sô, agora a direita tá fazendo discurso de vítima.  :D

Oh, quanto vitimismo.  :biglol:
Não gostei do teu cometário. Apaga, senão eu faço um textão no facebook te chamando de bobo e chato, e...bobo.
.
.
.
Agora é sério, apaga se não eu vou chorar :'(

Não posso, isto é uma questão de justiça social,  a  direita já oprimiu muito os da esquerda,  :'(  , agora é a vez da esquerda oprimir.  :twisted:
:'(
xiuf
como você dorme -xiuf- sabendo que fez outro -xiuf- ser humano -xiuf- chorar?

  :chorao: :chorao: :chorao:



Enquanto uns choram, outros riem. É a vida. E o mundo dá voltas.  Antes a esquerda chorava, agora é a vez dela rir.  8-)  8-)


 :hihi: :hihi:
E assim caminha a humanidade...
É notável como todos os movimentos sociais (sem exceção, independentemente do espectro político), quando massificados, acabam por se tornar fascistas, no sentido simbólico da palavra. Eu acho que isso acontece porque as pautas sociais desses movimentos deixam de ser relevantes, e o movimento em si se torna um fim: o famoso tudo pelo coletivo. Não é de se estranhar que tais movimentos sociais procurem se associar, se apropriar do estado, sendo esse o rumo natural dos movimentos fascistas.
« Última modificação: 19 de Junho de 2016, 20:53:44 por Euler1707 »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!