Autor Tópico: Reforma da Previdência  (Lida 8575 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.797
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #250 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 15:38:12 »
A luta de classes não se limita às relações entre capitalista e trabalhador, mas também entre os trabalhadores e os representantes políticos das elites oligárquicas capitalistas. Vez ou outra, governos populares atenuam esse conflito gerando agrados significativos a ambos os lados (diferentemente dos políticos coxinhas), mas não há uma cessão completa da exploração.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #251 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 16:12:18 »
Falando em dividir a sociedade, uma das maiores falacias desse debate é a demonização dos servidores publicos como se se tratasse de uma classe homogenea. Jogar no mesmo balaio Sarney, Gilmar, a juizada toda e o exercito de professores, enfermeiros, e demais funcionarios que passam o diabo para tentar prestar um serviço essencial com um minimo de qualidade é o fim da picada.

Se o foco fosse no topo da piramide essa reforma passaria fácil e teria um impacto fiscal muito maior.

Em vez disso ficamos seguindo a mitologia criada pela midia, pela Fazenda e pelos deformadores de opinião de sempre.

É mesmo?

Então não há nenhum impacto econômico-financeiro na massa salarial de centenas de milhares de funcionários públicos?

E nem dos encargos legais dela decorrentes?

Você está afirmando então que é tudo homogêneo, que não importa de onde se tire, é benéfico ao país?

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.225
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #252 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 16:44:36 »
Falando em dividir a sociedade, uma das maiores falacias desse debate é a demonização dos servidores publicos como se se tratasse de uma classe homogenea. Jogar no mesmo balaio Sarney, Gilmar, a juizada toda e o exercito de professores, enfermeiros, e demais funcionarios que passam o diabo para tentar prestar um serviço essencial com um minimo de qualidade é o fim da picada.

Se o foco fosse no topo da piramide essa reforma passaria fácil e teria um impacto fiscal muito maior.

Em vez disso ficamos seguindo a mitologia criada pela midia, pela Fazenda e pelos deformadores de opinião de sempre.

É mesmo?

Então não há nenhum impacto econômico-financeiro na massa salarial de centenas de milhares de funcionários públicos?

E nem dos encargos legais dela decorrentes?

Você está afirmando então que é tudo homogêneo, que não importa de onde se tire, é benéfico ao país?

É óbvio que não.

Mas estão espalhando uma desinformação proposital, qual seja, a de que basta encerrar as graves distorções salariais e de benesses da parte mais alta do funcionalismo e tudo estará resolvido.

Não estará.

O déficit da previdência continuará a crescer.
Foto USGS

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #253 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 16:54:24 »
"Existe" essa conta? Para mim é novidade, geralmente o que se ouve é que o déficit é mito, a previdência é superavitária, ou que é só cobrar impostos de empresas que faliram.

Como se compara essa "versão" com foco exclusivo nos cargos mais altos às propostas de reforma que tem alguma chance, ainda que mínima, de passar?

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.225
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #254 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 17:35:00 »
"Existe" essa conta?

Não sei.

Tem que procurar alguma fonte que não esteja ligada aos interessados na e contra a reforma.


Para mim é novidade, geralmente o que se ouve é que o déficit é mito,
[...]

http://www.previdencia.gov.br/2017/11/rgps-deficit-da-previdencia-social-chega-r-138-bilhoes-em-outubro/


a previdência é superavitária,

Não é e o déficit só aumentará doravante.


ou que é só cobrar impostos de empresas que faliram.

Esta é mais uma besteira dita por ignorantes, tanto de esquerdistas como de direitistas (nacionalistas).

Um exemplo conspícuo é a VARIG. Sem considerar que foi (mais) um caso de uma péssima recuperação judicial, o fato é que o passivo previdenciário e trabalhista é dezenas ou centenas de vezes maior que o ativo total da empresa. Em outras palavras, nada ou quase nada será conseguido da VARIG. E nesta situação há dezenas de outras empresas.

Mas mesmo que o montante total das dívidas previdenciárias fosse pago (R$ 426 bilhões, segundo esta fonte), seria o suficiente para manter equilibrada a Previdência por apenas três anos, considerando a projeção trienal do déficit acumulado de 2017, até novembro.


Como se compara essa "versão" com foco exclusivo nos cargos mais altos às propostas de reforma que tem alguma chance, ainda que mínima, de passar?

Não sei.

Eu duvido que qualquer tipo de reforma, que implique na redução dos proventos do funcionalismo mais abastado e poderoso, seja aprovada.
Foto USGS

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #255 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 17:43:08 »
Não pretendi "defender" as coisas listadas, apenas as listei por que me parecem bobagem tremendamente maior e mais óbvia do que a noção de uma reforma alternativa, que cortasse fundo nas gorduras das oligarquias. Seria até bastante animador ver isso sendo defendido em vez dessas outras coisas, mesmo que fosse ainda insuficiente e improvável de ser implementado. Poderia ser defendido como de ponto partida para cortes subseqüentes, até se chegar ao patamar necessário.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.225
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #256 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 17:49:57 »
Não pretendi "defender" as coisas listadas, apenas as listei por que me parecem bobagem tremendamente maior e mais óbvia do que a noção de uma reforma alternativa, que cortasse fundo nas gorduras das oligarquias. Seria até bastante animador ver isso sendo defendido em vez dessas outras coisas, mesmo que fosse ainda insuficiente e improvável de ser implementado. Poderia ser defendido como de ponto partida para cortes subseqüentes, até se chegar ao patamar necessário.

No meu entender, Buck, o principal problema está na parte destacada em negrito. Para isto acontecer de maneira rápida, teria que ser ou por meio de um regime totalitário ou por um líder político muito popular e poderoso, que impusesse a sua vontade ao Congresso, ignorando o Judiciário, o Legislativo e, é claro, os militares.

Qual é a chance percentual disto ocorrer? Zero!
Foto USGS

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #257 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 17:51:36 »
Sim, concordo, mas seria interessante como conscientização, como por isso em discussão na sociedade, e aumentar a pressão política, em vez de se ficar nessas de "culpa não é dos aposentados", "a previdência é superavitária".

Talvez desse para conseguir forçar algo mais drástico via referendo, sendo muito otimista.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.225
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #258 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 18:13:53 »
Sim, concordo, mas seria interessante como conscientização, como por isso em discussão na sociedade, e aumentar a pressão política, em vez de se ficar nessas de "culpa não é dos aposentados", "a previdência é superavitária".

Talvez desse para conseguir forçar algo mais drástico via referendo, sendo muito otimista.

Enquanto a nossa previdência for do tipo 'solidária', não consigo enxergar uma solução, especialmente considerando o perfil da maioria das pessoas que conheço.

Para sintetizar: Ao longo de nossa história previdenciária, a imensa maioria das pessoas consumiu muito mais do que contribuiu, ou seja, a provisão matemática de cada uma foi largamente ultrapassada pela soma dos pagamentos para a previdência.

E nem entrei no mérito de uma situação que, para mim, é mais do que abjeta, se compulsória for: a previdência é paga, na maior parte, pelos empregadores.
Foto USGS

Offline Horacio

  • Nível 03
  • *
  • Mensagens: 33
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #259 Online: 09 de Fevereiro de 2018, 20:26:48 »
Relembrando que beneficios previdenciarios gastos com quem os utiliza plenamente em consumo voltam para o orçamento sob a forma de arrecadação. Essa é uma discussão economica, não pode ser tratada com conceitos contabeis, que são estaticos e não capturam o efeito no tempo dos desembolsos estatais.

Ciro Gomes, apesar de todos seus defeitos, tem uma perspectiva bem mais lucida da questão:


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.910
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #260 Online: 30 de Março de 2018, 10:45:14 »
Relembrando que beneficios previdenciarios gastos com quem os utiliza plenamente em consumo voltam para o orçamento sob a forma de arrecadação. Essa é uma discussão economica, não pode ser tratada com conceitos contabeis, que são estaticos e não capturam o efeito no tempo dos desembolsos estatais.

Ciro Gomes, apesar de todos seus defeitos, tem uma perspectiva bem mais lucida da questão:



O Ciro Gomes é um espertalhão que está jogando iscas para capturar  ex eleitores do Lula/PT, os quais estão decepcionados, em graus variáveis com o Lula/PT,  mas que ainda são seduzidos pelos discursos  estatistas  de esquerda.



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.910
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #261 Online: 30 de Março de 2018, 11:03:44 »
Acessei agora a matéria completa. É pior do que eu imaginava. Veja a manchete:

Brasil gasta demais com funcionários públicos
Um levantamento inédito sobre o tamanho do funcionalismo revela por que o Estado brasileiro funciona mal. Só cargos de confiança, há 600 mil.

Isso em letras garrafais, complementadas com a imagem uma pata monstruosa pronta para esmagar o leitor.

Conclusão obvia a que o leitor é induzido: As causa principal do mau funcionamento do Estado é o tamanho e o custo do funcionalismo publico. Mais generalizador e superficial impossivel. Oligarquias? Isso é de comer?


Pode não ser a causa principal,  mas  com certeza não é algo irrelevante.  A média salarial no Brasil é pouco mais de 2 mil reais por mês,  qual o sentido  de haver  categorias de funcionários públicos que ganham mais de 20.000 reais por mês, que são pagos pela maioria que ganha dez vezes menos (sem falar numa parcela, que apesar de menor, tem salários que ultrapassam 30.000 por mês e chega até a receber mais de 100.000 por mês)  ?

Isto é a tal da justiça social pregada pela esquerda ?


 :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?: :?:


« Última modificação: 30 de Março de 2018, 11:06:54 por JJ »

Offline Euler1707

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 923
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #262 Online: 30 de Março de 2018, 12:42:28 »
Relembrando que beneficios previdenciarios gastos com quem os utiliza plenamente em consumo voltam para o orçamento sob a forma de arrecadação. Essa é uma discussão economica, não pode ser tratada com conceitos contabeis, que são estaticos e não capturam o efeito no tempo dos desembolsos estatais.
Não, não voltam integralmente. O que "volta" à união é a parcela desse consumo que é tributada pelo estado, que, embora alta, está longe de sanar o problema fiscal das contas do governo, uma vez que os recursos da previdência não têm origem nesses tributos sobre o consumo, e mesmo se tivessem, não poderiam resolver o problema de fluxo de caixa que caracteriza o problema da previdência. 

Ademais, o seu raciocínio possui mais um problema :Em média, quanto maior a renda de uma família, substancialmente menor será o consumo em relação à renda (pg 87), assim, por exemplo, em 2008-2009, famílias em que os provedores são funcionários públicos de médio escalão aposentados, com renda entre 3500 à 6000 reais cada, que põe essa família numa faixa de renda entre 7000 à 12000 reais, tendem a gastar, em média, 5626 reais em consumo; desses 5626 reais, retornaria ao estado por volta 3500 reais em impostos sobre o consumo. Não preciso dizer o quão injusto é a taxação sobre o consumo sobre o resto da população, em maioria mais pobre, para pagar essa possível diferença de 3500 à 8500 reais entre a renda dessa família e o quanto ela retorna ao estado em impostos sobre o produto. Esse exemplo serve muito bem para exemplificar como o estado brasileiro e o funcionalismo são os grandes responsáveis por nossa desigualdade social.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #263 Online: 05 de Setembro de 2018, 11:42:21 »
E adicionalmente aquilo em que o estado não tem custos adicionais em decorrência das pessoas não terem como se sustentar.



<a href="https://www.youtube.com/v/mPKmuo4YN_M" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/mPKmuo4YN_M</a>

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #264 Online: 07 de Novembro de 2018, 13:57:59 »
<a href="https://www.youtube.com/v/8AiybHfCu4Y" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/8AiybHfCu4Y</a>


Citar
https://veja.abril.com.br/economia/os-vaivens-de-bolsonaro-sobre-a-reforma-da-previdencia/

...

Contradizendo seu guru econômico e futuro superministro, Paulo Guedes, Bolsonaro já afirmou que não está plenamente convencido de que o modelo de capitalização é o ideal. O certo, em sua visão, seria fixar uma idade mínima – mesmo que algumas categorias ganhem privilégios. Por exemplo, policiais civis e militares teriam uma idade menor do que a de um trabalhador da iniciativa privada ou do que a de um servidor público.

Essa é a proposta de Michel Temer acrescida de alguns remendos. Porém, é sabido que o texto que tramita na Câmara não será suficiente para estancar o rombo que já supera 157 bilhões de reais neste ano.

...

Bolsonaro já desautorizou mais de uma vez seus assessores econômicos. O último a tomar um pito público foi Marcos Cintra, ex-deputado e reconhecido especialista em contas públicas. A rusga não tem relação direta com a Previdência, mas indireta. Cintra sugeriu, publicamente, recriar uma forma de tributação malvista pela classe política. Chamado de CPMF, o imposto foi sepultado em 2007, mas poderia ganhar uma nova roupagem.

O imposto, incidente sobre toda e qualquer transação financeira, já havia sido aventado por Guedes para ajudar a financiar a Previdência durante o período de transição até que a capitalização comandasse todo o sistema. Em setembro, quando Guedes proferiu a famigerada sigla, também foi desautorizado.




Citar
https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,bolsonaro-diz-ver-com-desconfianca-proposta-de-previdencia-de-paulo-guedes,70002587797

"Não está batido o martelo, tenho desconfiança. Sou obrigado a desconfiar para buscar uma maneira de apresentar o projeto. Tenho responsabilidade no tocante a isso aí. Não briguei para chegar (na Presidência) e agora mudar tudo. Quem vai garantir que essa nova Previdência dará certo? Quem vai pagar? Hoje em dia, mal ou bem, tem o Tesouro, que tem responsabilidade. Você fazendo acertos de forma gradual, atinge o mesmo objetivo sem levar pânico à sociedade", declarou, em entrevista à Band.

"Nós temos um contrato com o aposentado, você vai mudar uma regra no meio do caminho. Não pode mudar sem levar em conta que tem um ser humano que vai ter a vida que será modificada. Às vezes um colega pensa apenas em número. Não existe recriação da CPMF. Não queremos salvar o Estado quebrando o cidadão brasileiro", afirmou.

...



Será que Paulo Guedes fará parte do governo?

Offline Cinzu

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 734
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #265 Online: 07 de Novembro de 2018, 14:13:22 »
<a href="https://www.youtube.com/v/8AiybHfCu4Y" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/8AiybHfCu4Y</a>

Por que diabos esse vídeo não teve nem 50k de visualizações? É o vídeo mais didático e simples explicando um dos principais problemas do país.



Será que Paulo Guedes fará parte do governo?

Acho que quanto a isso não há dúvidas. A grande questão é: quanto tempo vai durar esse casamento?
« Última modificação: 07 de Novembro de 2018, 14:22:08 por Cinzu »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.910
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #266 Online: 07 de Novembro de 2018, 14:45:57 »
Será que Paulo Guedes fará parte do governo?

Acho que quanto a isso não há dúvidas. A grande questão é: quanto tempo vai durar esse casamento?


Sugiro que se mantenha  cético  e duvide  dessas  supostas divergências  entre   o futuros ministros e o chefe, pois  ele e a turma estão adotando táticas de comunicação que visam semear  confusão  na mídia tradicional, de modo que as pessoas não saibam para onde serão realmente  levadas.



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.238
  • Sexo: Masculino
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #267 Online: 07 de Novembro de 2018, 15:25:48 »
Citar
https://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/o-que-os-presidenciaveis-planejam-para-o-inss-bolsonaro-vai-de-hipercapitalismo-
...

Em entrevista à “Folha de S.Paulo”, Guedes defende que os recolhimentos previdenciários não sejam reunidos em um único bolo, mas que cada contribuinte tenha sua própria capitalização. “Não é gestão pública, o governo garante o resultado, mas terceiriza a gestão, numa nova indústria. É capitalismo na veia. Em vez de o recurso ser dissipado, é acumulado”, defendeu.

Essa proposta “hipercapitalista” e liberal também propõe opção aos futuros trabalhadores: escolher se querem recolher seus impostos e se enquadrar na Previdência atual, ou se preferem não recolher impostos e cuidar por conta própria de sua aposentadoria. “Se você quer a carteira verde-amarela, você aumenta a sua empregabilidade, porque você está recusando a Justiça Trabalhista. Tem outro problema, o sistema mistura assistência com Previdência. Às vezes o cara não contribuiu, precisa de uma renda mínima, não é Previdência”, afirmou ele ao jornal.

A proposta do economista de Bolsonaro merece cautela. Zylberstajn diz que é importante manter o pilar de gestão pública da Previdência. Follador relembra que a proposta de Guedes é uma cópia do modelo chileno, “que conduziu os aposentados à miséria”, na visão do especialista. Procurada para se posicionar formalmente, a assessoria do pré-candidato não respondeu ao pedido da reportagem.
...


Zylberstajn é um dos formuladores da proposta de reforma previdenciaria do FIPE (apoiada pelo MBL)

Citar
http://www.fiesp.com.br/noticias/fipe-apresenta-na-fiesp-proposta-de-nova-previdencia-para-novos-trabalhadores/

...

a proposta da Nova Previdência estaria alicerçada em quatro pilares:

1 – Renda Básica do Idoso (RBI) – seria incondicional para quem alcançasse a idade necessária, 65/67 anos, e seria pago um mínimo de R$ 500, por exemplo, mesmo para o caso dos não contributivos, caso dos trabalhadores rurais, que têm regime especial, mas impera a informalidade. Neste caso, também se inclui a assistência aos mais desprotegidos, como o Loas – Benefício de Prestação Continuada.

2 – Benefício Contributivo por Repartição (BCR) – como o INSS atual, estendido a todos os trabalhadores, inclusive militares e funcionários públicos, universal, mas comprimido com benefício em torno de R$ 1.500, que se somaria à renda básica.

Para o especialista, estes dois pilares abrigariam até 95% da população, e assim o INSS atenderia à base da pirâmide. Nessa sistemática, a alíquota giraria em torno de 12%, e a contraparte seria de 6% para empregados e 6% para empregadores.

3 – Benefício Contributivo por Capitalização (BCC) – seria uma composição do FGTS mais o seguro desemprego, a fim de aproveitar o que já existe de encargo sobre a folha de pagamento, mas com o propósito de dar eficiência a esses recursos. A contribuição seria capitalizada e vinculada ao CPF e não mais ao emprego, como é vinculado hoje, e atrelada a uma conta de aposentadoria. No sistema proposto, a multa do FGTS seria mantida, mas socializada e capitalizada a fim de render juros, em contraponto à remuneração atual do fundo, que às vezes fica abaixo da inflação.

“O FGTS é salário do trabalhador e hoje se usa para financiamento de políticas públicas (habitação e infraestrutura, especialmente), o que é uma insensatez”, criticou Zylberstajn.

4 – Benefício Contributivo Voluntário por Capitalização (BCVC) – trata-se de aposentadoria complementar, e as empresas o teriam como ferramenta a fim de reforçar o pilar 3.

Para Zylberstajn, o desafio é a transição e seria preciso criar um fundo para este propósito, uma tarifa equalizadora a fim de suportar a migração entre os sistemas até que a reforma completa se dê em duas ou três décadas. O Brasil gasta atualmente 13% do PIB com a aposentadoria, segundo informou, e muito com o funcionalismo público.

...









Como ficariam as aposentadorias dos atuais inativos, os servidores públicos inativos etc, que têm alto impacto no gasto da previdência?

Não. Não dá pra baixar pra R$ 2k, porque eles tem direito adquirido.

A resposta está na própria pergunta.

Estes "direitos adquiridos" (na realidade o melhor é dizer "espoliação do setor privado por uma casta de vagabundos") tem que ser cortados.

Imediatamente.


Citação de: Presidente Eleito Capitão Jair Mito Messias Bolsonaro
Não podemos penalizar quem já tem direitos adquiridos. O servidor público já sofreu duas reformas.

https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/politica-economia/223635-bank-of-america-mede-o-entusiasmo-de-investidores-com-a-vitoria-de-bolsonaro-na-folha.html

Offline Euler1707

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 923
  • Sexo: Masculino
  • não há texto pessoal
Re:Reforma da Previdência
« Resposta #268 Online: 07 de Novembro de 2018, 20:08:47 »
Será que Paulo Guedes fará parte do governo?

Acho que quanto a isso não há dúvidas. A grande questão é: quanto tempo vai durar esse casamento?


Sugiro que se mantenha  cético  e duvide  dessas  supostas divergências  entre   o futuros ministros e o chefe, pois  ele e a turma estão adotando táticas de comunicação que visam semear  confusão  na mídia tradicional, de modo que as pessoas não saibam para onde serão realmente  levadas.

Você viu isso lendo um artigo de uma "especialista" em uma revista ultrapartidária (em favor do partido que perdeu a eleição)?

Você percebe que qualquer possível ato ou ação do governo Bolsonaro, incluindo as politicamente burras, podem ser explicadas por essa teoria, mesmo não havendo mesmo uma explicação possível, senão burrice?

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!