Autor Tópico: Como combater suicidas?  (Lida 3025 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Como combater suicidas?
« Online: 15 de Julho de 2016, 09:56:17 »
Tópico destinado a brilhantes idéias e sugestões sobre como neutralizar ou prevenir ataques feitos por suicidas, nos quais a simples ameaça de morte (o maior dissuasor conhecido) não tem poder.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.243
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #1 Online: 15 de Julho de 2016, 10:05:46 »
Ao meu ver a melhor forma de diminuir a possibilidade de ataques feitos por suicidas é  entendendo as causas  das ações desses atacantes suicidas e agindo rigorosamente sobre elas, mesmo que para isso tenha que deixar de acreditar e seguir  ideias modernas multiculturalistas, e outras ideias semelhantes.  Sem agir sobre as causas a alternativa que sobra seria um  um super governo super vigilante, do tipo super Big Brother, que além de super vigiar, super espionar, teria de ter também centenas de milhares (ou até milhões)  de agentes espalhados 24 h por dia em quase todos os cantos do país (e também lotados em mega orgãos/agências de vigilância/espionagem).


« Última modificação: 15 de Julho de 2016, 10:14:41 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.243
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #2 Online: 15 de Julho de 2016, 10:17:15 »


Tem gente que acha que dar o direito de todo cidadão portar um fuzil seria uma boa medida para prevenir, mas tenho minhas dúvidas sobre tal medida.



Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.452
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #3 Online: 15 de Julho de 2016, 10:40:16 »
Se o maior meio de dissuasão é ineficaz o único modo de evitar que uma pessoa se disponha a praticar tal ato extremo é atacando as condições que a levam a essa condição psicológica.

Na certa o combate ao terrorismo suicida tem que ser feito com medidas estratégicas de curto, médio e, principalmente, longo prazo. Fanatismo religioso é vinculado a ignorância e desesperança.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.230
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #4 Online: 15 de Julho de 2016, 10:45:18 »
E o melhor meio de criar terroristas é jogar bombinhas "inteligentes de precisão cirúrgica" na cabeça daquele povo.

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.452
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #5 Online: 15 de Julho de 2016, 10:47:08 »
Como complemento ao tópico eu acho que seria apropriado que junto com as brilhantes ideias para combater o terrorismo suicida, que se postasse também o que não se deve ser feito.

Eu acho que quanto mais espremido entre a Rússia e ocidente a Síria ficar mais suicidas serão criados.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.230
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #6 Online: 15 de Julho de 2016, 10:47:43 »
Fanatismo religioso é vinculado a ignorância e desesperança.

Por que será que aqui no Brasil não tem nenhum fanático religioso querendo explodir católicos? Será que Deus não garantiu o paraíso pra terrorista tupiniquim?

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.027
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #7 Online: 15 de Julho de 2016, 10:53:06 »
Dentro de um território não em conflito, como os EUA e outros países ocidentais, talvez uma combinação de forte vigilância, prisões, internações, deportações, e colaboração com a comunidade muçulmana (subsídio a suas versões mais moderadas, bem como alternativas de outras religiões menos afetadas, ou mesmo não-religião, pensamento crítico) fosse reduzir bastante o risco de suicidas muçulmanos.

O mesmo não se aplica exatamente da mesma forma aos ataques suicidas sem essa afinidade ideológica (emos/loucos quaisquer, feito Columbine), embora políticas de saúde mental pública devam ajudar (os terroristas muçulmanos não tem geralmente o mesmo tipo de problemas de ordem psiquiátrica e psicológica, o componente ideológico é mais predominante. Contudo talvez haja analogia em ideologias terroristas/jihadis e a "filosofia" emo/dark/gótica/suicida que cultiva depressão).

Essas abordagens devem se pautar pelo melhor que houver de conhecimento empírico sobre as motivações dos suicidas, e não especulações teóricas psicanaliticóides de pundits:

Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Scott_Atran#Field_research_on_terrorism

[...] The Chronicle of Higher Education accompanied Atran to frontlines in the battle against ISIS in Iraq, where he and his research team were assessing "will to fight" among the combatants: "Atran fleshes out what he calls the 'Devoted Actor Framework' [as opposed to standard 'rational actor' frameworks], which pulls sacred values [which are immune to material trade offs] and identity fusion [complete merging of individual identity with group identity] into a single theory and offers advice for beating ISIS: 'The science suggests that sacred values are best opposed with other sacred values that inspire devotion, or by sundering the fused social networks that embed those values.' Left unspoken: How do you offer an equally inspiring alternative? By what method can those social networks be sundered? Atran doesn’t pretend to know the answer, but he does think that current attempts at so-called "countermessaging" are destined to fail because those messages are 'disembodied from the social networks in which ideas are embedded and given life.' Scholarly squabbles aside, there is near-universal admiration, bordering on awe, for how Atran is able to collect data in the midst of a violent conflict."



Talvez políticas de mídia que ajudem a minimizar o sucesso de criar terror também possam ser pensadas sem que se constitua censura. Um pouco como há recomendação de cuidados com notícias de suicídios não-terroristas, que tendem a catalizar outros suicídios.

https://www.theguardian.com/commentisfree/2009/mar/28/media-reporting-suicide-bad-science








Na certa o combate ao terrorismo suicida tem que ser feito com medidas estratégicas de curto, médio e, principalmente, longo prazo. Fanatismo religioso é vinculado a ignorância e desesperança.

Citar
Steven Pinker summarizes some of Atran's findings thus: "Far from being ignorant, impoverished, nihilistic, or mentally ill, suicide terrorists tend to be educated, middle class, morally engaged, and free of obvious psychopathology. Atran concluded that many of the motives may be found in nepotistic altruism... [Atran shows that] Hamas and other Palestinian terrorist groups [hold] out a carrot rather than a stick to the terrorist's family in the form of generous monthly stipends, lump-sum payments, and massive prestige in the community.... Atran has [also] found that suicide terrorists can be recruited without these direct incentives. Probably the most effective call to martyrdom is the opportunity to join a happy band of brothers. Terrorist cells often begin as gangs of underemployed single young men who come together in cafes, dorms, soccer clubs, barbershops, or Internet chat rooms and suddenly find meaning in their lives by a commitment to the new platoon.... Commitment to the group is intensified by religion, not just the literal promise of paradise but the feeling of spiritual awe that comes from submerging oneself in a crusade, a calling, a vision quest, or a jihad. [Atran writes that religion] may also turn a commitment to a cause into a sacred value - a good that may not be traded off against something else, including life itself. The commitment can be further stoked by the thirst for revenge, which in the case of militant Islamism takes the form of vengeance for the harm and humiliation suffered by any Muslim anywhere on the planet at any time in history, or for symbolic affronts such as the presence of infidel soldiers on sacred Muslim soil."[37]

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #8 Online: 15 de Julho de 2016, 11:25:01 »
Eu começaria dando uma olhada nos países que já combatem eficazmente o terrorismo, ver o que eles fazem.

 Israel é um ótimo exemplo. Vive no meio do 'ninho de cobras' e há muito tempo não se houve falar de ataques suicidas por lá (só de ataques com facas, que têm bem menos potencial letal e não são propriamente 'suicidas').

O que Israel faz na área de prevenção e combate ao terrorismo?

« Última modificação: 15 de Julho de 2016, 11:27:36 por DDV »
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.452
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #9 Online: 15 de Julho de 2016, 11:49:56 »
Eu começaria dando uma olhada nos países que já combatem eficazmente o terrorismo, ver o que eles fazem.

 Israel é um ótimo exemplo. Vive no meio do 'ninho de cobras' e há muito tempo não se houve falar de ataques suicidas por lá (só de ataques com facas, que têm bem menos potencial letal e não são propriamente 'suicidas').

O que Israel faz na área de prevenção e combate ao terrorismo?

Se um muleque atira uma pedra em um tanque, Israel demole a casa da família dele. Se um idiota lança um daqueles foguetes caseiro feitos com extintor de incêndio, Israel retalia com bombas de fósforo branco em meia Gaza. A Cisjordânia é totalmente cortada por estradas exclusivas para uso dos israelenses dos assentamentos, que por sinal não param de crescer.
Não sei se colocaria Israel como exemplo de prevenção ao terrorismo. Na primeira chance que os fanáticos de lá conseguem eles não a desperdiçam. Israel é uma fábrica de extremistas.

O objetivo deles não é a pacificação. O objetivo deles é a eliminação de qualquer possibilidade de implementação de um processo de paz viável. E olha só, eles já conseguiram. Não há mais possibilidade de acordo de paz por lá.

Não há solução fácil para o terrorismo. Bibi Netahniahu e Avigdor Liebermann não são a resposta, eles são parte do problema. Bombardear uma população só satisfaz a nossa necessidade emocional de vingança e a ampliação do sentimento "nós X eles" que existe em ambos os lados.

Edit: O ataque com facas não deixa de ser um ataque suicida. É meio previsível o que ocorre com o atacante na imensa maioria dos casos.

E ainda, como um modo de balancear a discussão, podemos analisar o caso do Irã e sua bomba nuclear. Uns anos atrás era um fato certo que o lugar deveria ser varrido com bombas. Israel fez (e ainda insiste em tentar) o que pôde para que isso ocorresse. O Obama lutou contra a correnteza e implementou o acordo de paz. Deu no que deu.

Seria melhor se tivéssemos arrasado com o país? Será que uma abordagem como essa pode ser adaptada para lidar com fanáticos?

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #10 Online: 15 de Julho de 2016, 11:57:25 »
Eu começaria dando uma olhada nos países que já combatem eficazmente o terrorismo, ver o que eles fazem.

 Israel é um ótimo exemplo. Vive no meio do 'ninho de cobras' e há muito tempo não se houve falar de ataques suicidas por lá (só de ataques com facas, que têm bem menos potencial letal e não são propriamente 'suicidas').

O que Israel faz na área de prevenção e combate ao terrorismo?

Se um muleque atira uma pedra em um tanque, Israel demole a casa da família dele. Se um idiota lança um daqueles foguetes caseiro feitos com extintor de incêndio, Israel retalia com bombas de fósforo branco em meia Gaza. A Cisjordânia é totalmente cortada por estradas exclusivas para uso dos israelenses dos assentamentos, que por sinal não param de crescer.
Não sei se colocaria Israel como exemplo de prevenção ao terrorismo. Na primeira chance que os fanáticos de lá conseguem eles não a desperdiçam. Israel é uma fábrica de extremistas.

O objetivo deles não é a pacificação. O objetivo deles é a eliminação de qualquer possibilidade de implementação de um processo de paz viável. E olha só, eles já conseguiram. Não há mais possibilidade de acordo de paz por lá.

Não há solução fácil para o terrorismo. Bibi Netahniahu e Avigdor Liebermann não são a resposta, eles são parte do problema. Bombardear uma população só satisfaz a nossa necessidade emocional de vingança e a ampliação do sentimento "nós X eles" que existe em ambos os lados.

Israel tem a peculiaridade de disputar território com palestinos, então a 'pacificação' não ocorre devido a isso. Mas em países que não disputam territórios com muçulmanos, políticas semelhantes não poderiam reduzir os ataques sem maiores efeitos colaterais?
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.027
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #11 Online: 15 de Julho de 2016, 13:05:05 »
Eu começaria dando uma olhada nos países que já combatem eficazmente o terrorismo, ver o que eles fazem.

 Israel é um ótimo exemplo. Vive no meio do 'ninho de cobras' e há muito tempo não se houve falar de ataques suicidas por lá (só de ataques com facas, que têm bem menos potencial letal e não são propriamente 'suicidas').

O que Israel faz na área de prevenção e combate ao terrorismo?



Tem um site, não lembro o nome ou URL, que fica atualizando "ao vivo" ataques terroristas em Israel. Me parece que a situação é um pouco pior do que a que você descreve. Eles dizem que a mídia negligencia muito a esses ataques*, especialmente se são só bombas que não deixam mortos.

De qualquer forma:

https://en.wikipedia.org/wiki/Category:Counter-terrorism_in_Israel



* não desse site, mas:

Citar
http://www.jns.org/latest-articles/2016/3/2/israel-vs-the-foreign-media-when-the-headlines-make-their-own-headlines-1

[...] While the Israeli-Palestinian conflict is no stranger to making headlines, a brewing spat between the Israeli government and foreign media means that the headlines themselves—and the journalists behind them—become the story.

A CBS News headline from last month, “3 Palestinians killed as daily violence grinds on,” failed to identify those Palestinians as terrorists engaging in an attack and neglected to mention the attack’s Israeli victim, policewoman Hadar Cohen.

CBS changed the headline—first to “Israeli police kill 3 alleged Palestinian attackers,” and then again to “Palestinians kill Israeli officer, wound another before being killed”—after receiving multiple complaints from Israel’s Government Press Office (GPO) as well as media watchdog groups like the Committee for Accuracy in Middle East Reporting in America (CAMERA) and HonestReporting. [...]

Offline Johnny Cash

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.934
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #12 Online: 15 de Julho de 2016, 13:24:11 »
Quais são as métricas de contra-terrorismo efetivo?

São uma espécie de quantificação de tentativas terroristas anuladas? Prisão de gente com "comportamento suspeito"? Quantidade de AK-47s apreendidas vs. estimativa de existência de AK-47s escondidas no território? Percentual de coletes-bomba sabotados que falham no momento de tentativa de acionamento?

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.204
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #13 Online: 15 de Julho de 2016, 13:58:49 »
Qualquer que seja a tática, o importante é não ser a atual:


"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.230
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #14 Online: 15 de Julho de 2016, 15:29:57 »
Qualquer que seja a tática, o importante é não ser a atual:




Exatamente!

Ao invés de quebrar a cara do EI, ficam nessa!

Skorpios

  • Visitante
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #15 Online: 15 de Julho de 2016, 15:37:27 »
Não é combater, mas não estar no local do ataque suicida, salva vidas. ::)

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.027
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #16 Online: 20 de Julho de 2016, 15:49:27 »
Citar
http://www.bbc.com/news/world-europe-36827245

[...] The challenge in trying to wean troubled youths off radicalism, Mr Bekri adds, is that it confers "religious virginity" on young offenders. They are easily convinced that they are doing God's work when they steal from infidels.
This redemption is all the more tempting when it provides an aura girls find attractive, Mr Bekri says. "You become Prince Charming."
While radicalisation often feeds on male dreams of military glory, for girls it typically involves fantasies of romance and humanitarian work.
Imene Ouissi, a 22-year-old student from an estate in Vallauris, recalls that two years ago a young man from eastern France approached her on Facebook.
Noting disapprovingly that she was not wearing a veil, he proposed to set her on the path of virtue by marrying her and taking her to Syria, where she would do good works.
Her life was not here among miscreants but in the land of the faithful, he insisted. She must do everything to get to the hereafter.
"Finding true love and is a feminine yearning," Ms Ouissi says. "Those youths have found ways to draw them into their circles through marriage. If I had been weak and had not been trying to understand true religion, I might have fallen for it."
Social networks and new media make people more receptive to the jihadist message, but actual recruitment still mostly thrives on old-fashioned personal contacts.

[....]

It would be wrong to conclude that alienated youths from immigrant suburbs are the only people at risk of radicalisation.
"There is no typical profile," says Ms Erbibou. "They come from all backgrounds."
The mother of a middle-class girl living in an upmarket part of Nice described how her daughter - "Carole"- suddenly changed at the age of 13.
"She was a quiet, dutiful girl and an excellent pupil until she started mixing with troubled children from her school."
Carole told her parents they would go to hell if they ate pork. To press her point, she showed them propaganda videos depicting how paradise and hell look like.
"It was like having your child taken away and brainwashed," the mother says. "It sent shivers down our spines. We never thought this would happen to us."
With the help of psychologists from Entr'Autres, Carole, now 16, pulled back from the brink of radicalisation. She has now embraced the tolerant, mainstream version of Islam.
But her mother says her daughter is not completely out of danger: "We are taking nothing for granted. We are vigilant."
The Nice area programme - combining action on the social, psychological, religious and security aspects of the problem - has attracted attention elsewhere in France, and beyond.
But its efficacy is difficult to assess. We will never know about attacks it may have prevented over the years.
And this long-term effort may be powerless against the sort of "rapid radicalisation" Lahouaiej-Bouhlel is said to have gone through.
Kamel, a youth worker in the area, believes that there are bound to be more such acts by freelance attackers. But he is even more worried about the repercussions of this and any subsequent attacks.
"In terms of pure statistics, he says, perpetrators represent a tiny fraction of the local Muslim Arab population," Kamel says. "But many Westerners will see their attacks as a huge setback for the possibility of harmony between Muslims and non-Muslims."

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.243
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #17 Online: 20 de Julho de 2016, 16:20:07 »


No caso específico de ataque com caminhões ( e carros)  é possível  usar uma medida preventiva que seriam barreiras de concreto  em  locais  de eventos, e até mesmo em avenidas mais movimentadas poderíamos ter  muretas separando as calçadas das pistas da via.


Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 36.027
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #18 Online: 20 de Julho de 2016, 16:52:22 »
Esse tema faz a gente pensar em algumas perguntas mas ao mesmo tempo ficar reticente em colocar por talvez estar criando uma nova idéia de tática terrorista e publicando por aí. :/

Offline Sdelareza

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 347
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #19 Online: 20 de Julho de 2016, 21:29:31 »
No caso de homens-bomba, podemos detectá-los por vestirem roupas mais pesadas que normalmente seriam usadas.
(Usam jaquetas grossas quando o clima é quente).

Alguém sugeriu que para identificar um terrorista potencial na multidão (nesse caso, um terrorista musulmano), uma ideia seria mandar ao seu encontro uma mulher atraente para lhe apertar a mão. Se esse se recusar a apertar a  mão ou a tocar na mulher, seria um indício que se trata de um fundamentalista religioso.

Offline Pasteur

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.230
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #20 Online: 20 de Julho de 2016, 23:06:22 »
No caso de homens-bomba, podemos detectá-los por vestirem roupas mais pesadas que normalmente seriam usadas.
(Usam jaquetas grossas quando o clima é quente).

Alguém sugeriu que para identificar um terrorista potencial na multidão (nesse caso, um terrorista musulmano), uma ideia seria mandar ao seu encontro uma mulher atraente para lhe apertar a mão. Se esse se recusar a apertar a  mão ou a tocar na mulher, seria um indício que se trata de um fundamentalista religioso.

Não, não se mistura religioso conservador (aquele que se recusa a apertar a mão da mulher com um potencial terrorista).

O da boate gay era gay e do caminhão não era religioso, mas sim mulherengo e saia para dançar.


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.243
  • Sexo: Masculino
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #22 Online: 22 de Julho de 2016, 08:50:14 »



Encharcados de Petróleo



Os encharcados de petróleo são os grandes financiadores  da propagação em larga escala de certas doutrinas e mensagens de ódio, e dos grupos e pessoas que gostam e compram essas mensagens, e que espalham essas mensagens de ódio.  É justamente essa propagação em larga escala  que  causa o surgimento de muitos suicidas cheios de ódio para dar.


E os encharcados de petróleo tem um amigão que faz grandes negócios com eles,  é uma mistura de petróleo  com grana $$$$$$$$$$$$$$$$$$$.   

São grandes negócios, são grandes reciclagens.

No final das contas há uma hipocrisia gigantesca por trás  dessa questão.

Os grandes Barões e Senhores do mundo  normalmente não são atingidos pelos  mensageiros do ódio. Isso não é algo realmente importante para eles.  Pessoas comuns morrendo ?  E daí ?  Pessoas comuns morrem aos montes constantemente.

Só os ingênuos acreditam que a morte de alguns franceses comuns  toca o coração desses grandes Barões e Senhores do mundo.

Só os ingênuos acreditam que algo sério será feito para atuar, de forma realmente eficaz, nas causas mais básicas que originaram e dão sustentação para essas ações de ódio.





« Última modificação: 22 de Julho de 2016, 09:39:54 por JJ »

Offline Sdelareza

  • Nível 14
  • *
  • Mensagens: 347
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #23 Online: 22 de Julho de 2016, 21:14:17 »
Será que podemos detectar um suicida potencial pelo seu comportamento?

Antes do episódio da boate em Orlando, teve nos Estados Unidos um caso
de um casal muçulmano que matou várias pessoas a tiro antes de serem abatidos pela polícia.

De acordo com um testemunho, o homem do casal teria dias antes se envolvido numa discussão na qual
afirmava de uma maneira muito agressiva que o Islã é uma religião pacífica.

Offline Gauss

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.097
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Como combater suicidas?
« Resposta #24 Online: 02 de Agosto de 2016, 13:30:58 »
Vídeo muito bom, que fala sobre o tema:

<a href="https://www.youtube.com/v/MhZnLKhsH4w" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/MhZnLKhsH4w</a>
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!