Autor Tópico: "Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?  (Lida 502 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.158
  • Sexo: Masculino
"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Online: 05 de Agosto de 2016, 23:41:03 »
Acho que já esbarrei mais em se especular vagamente sobre os efeitos de impressão 3d sobre propriedade intelectual, o que particularmente me parece algo pífio, beirando ao irrelevante. Da mesma forma que impressoras de texto não acabaram com os direitos autorais/livros, e nem a internet com texto, ou audiovisual. Só tornaram mais fácil violá-los. Na verdade a origem dos direitos autorais/PI foi justamente desengatado pela evolução de técnicas de reprodução.

O que acho que deve mudar de maneira muito mais dramática é a indústria e manufatura, de praticamente tudo, e outras indústrias/atividades econômicas relacionadas, como transporte, armazenamento, venda. As coisas tenderão a poder ser impressas mais próximos do consumidor final, em quantidade mais próxima da demanda (muito mais comumente por encomenda), e com custos reduzidos por ser um processo aditivo, que não cria tanto desperdício, "rebarbas" dos processos industriais convencionais.

Imagino que os negócios que vendem produtos serão praticamente casas de impressão, que competem por terem hardware e software superiores (produzindo produtos de melhor qualidade), operários melhor qualificados para montagem do que ainda precisar ser montado (e para manutenção das impressoras), matéria prima de melhor qualiade, poderem fornecer melhores garantias, etc (ou, subtração dessas qualidades para preços mais baixos).

E mesmo esse tipo de negócio ainda deve ter uma demanda não tão proporcional à que existe para a indústria, já que uma porção de coisas provavelmente poderá ser satisfeita com impressoras domésticas mesmo, que devem baratear muito. Em vez das pessoas comprarem o novo iphone, imprimem o novo "open-phone", ou mesmo um iphone "pirata" cujo projeto conseguirem encontrar.

A indústria menos afetada mesmo a longo prazo deve ser do extrativismo da matéria prima de todos os materiais usados para impressão. Uns 70-90% das profissões industriais deve ter que deixar de existir e migrar, senão algo totalmente fora da indústria, para algo relacionado a ser algum tipo de técnico de impressão 3d, ou fazendo manutenção ou transporte e instalação de impressoras 3d gigantes, etc.

A impressão que tenho é que esse tipo de automação deve ser um choque tecnológico muito mais imediato do que inteligência artificial e robôs como substitutos a operários tradicionais. Não só para "emprego", mas é algo que acho que deve afetar de forma ainda pouco clara a economia em si, de forma mais generalizada. De certa forma, é quase como o "fim" da indústria, análogo a uma volta a manufaturação como principal forma de produção, embora sem tanta especialização. Tem até um quê de "comunista" na coisa, as pessoas poderão ser mais comumente "donas dos meios de produção", não necessariamente tanto individualmente, mas ao menos em cooperativas. Os novos burgueses talvez sejam os que detém os meios de extração de matéria-prima.

Eu imagino que essas coisas possam ainda suscitar políticas de "protecionismo" neofóbico, ironicamente mais provavelmente vindas daqueles que defendem a socialização dos meios de produção.


Modelos econômicos que se tem hoje permitem especulações mais educadas e menos vagas dos possíveis cenários desse futuro?

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #1 Online: 05 de Agosto de 2016, 23:46:09 »
Esse alvoroço sobre a impressão 3D me parece exagerada. As pessoas acreditam de fato que é possível imprimir eletrônicos e seus processadores de 22nm com a mesma facilidade que se imprime um bonequinho malfeito de plástico.

Ainda precisaremos de equipamentos de ponta para fabricar em lote as peças mais avançadas.

E na verdade, produzir um processador em série usando o processo de litografia nada mais é que uma impressão 3D, mas usando um equipamento e matéria-prima próprias para isso.

Não dá pra imprimir tudo na mesma impressora. Se fosse possível, já estaria sendo feito hoje.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.232
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #2 Online: 05 de Agosto de 2016, 23:57:44 »
Essa tecnologia mais especifica como o Lorentz citou é difícil de fazer com impressoras 3D mesmo. Mas pode ser muito útil para fabricar equipamentos articuláveis como próteses, ou até mesmo peças de montagem dentro de uma linha de produção(como carcaças de eletrônicos, por exemplo).

O que acontece é que há muito sensacionalismo e alarmismo sem fundamento em qualquer notícia que envolva automatização de processos produtivos.
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.158
  • Sexo: Masculino
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #3 Online: 06 de Agosto de 2016, 00:04:55 »
A evolução lógica das impressoras 3d será de usarem cada vez mais diferentes materiais, e com "resolução" cada vez maior.

Isso não deverá partir apenas da demanda de usuários finais, mas é, inicialmente, o modo ideal de produção de protótipos.

Citar
http://www.eetimes.com/document.asp?doc_id=1322091

IBM's 3D Printer to Revolutionize Chip Prototyping
Translates brightness to force at third of cost
R. Colin Johnson
4/25/2014 09:30 AM EDT

PORTLAND, Ore. — IBM Research in Zurich today unveiled a microscopic 3D printer capable of writing nanometer resolution patterns into a soft polymer, which can subsequently be transferred to silicon, III-V (gallium arsenide -- GaAs), or graphene substrates. Unlike electron-beam (e-beam) lithography, the patterns can be both written and read for verification in real-time while the engineer watches under a microscope.

[..]

Citar
http://singularityhub.com/2015/01/15/3d-printed-electronic-devices-are-coming/

[...]

Voxel8’s new 3D printer, which can print functioning electronic devices all in one piece, heralds just such a radical possibility. It should be noted that Voxel8’s printer can’t print every component yet. But that doesn’t lessen its significance.
[...]


Eventualmente também de qualquer forma se torna algo "no mercado". Não necessariamente diretamente o "doméstico", mas deve haver uma tendência a esses processos substituírem processos industriais mais caros e menos versáteis.

Isso vai resultar em concorrência por avanços na impressão 3d e isso vai gradualmente "transbordar" para tecnologia mais low-end, também.

Provavelmente nunca será o caso de qualquer um poder fazer qualquer coisa em casa, mas não me parece exagero supor que dentro de uns 50 anos poderão ter muitos eletro-eletrônicos feitos em casa, o limite deverá ser mais o tamanho e resolução, mas ainda deve ser bom o bastante para utensílios de verdade em vez de só brinquedinhos ou projetos de hobby.

Nesse ponto, os processos industriais já devem ser radicalmente diferentes, após esforços concentrados por anos e anos em tentar levar ao máximo a flexibilidade de impressões 3d.

Offline André Luiz

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.652
  • Sexo: Masculino
    • Forum base militar
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #4 Online: 06 de Agosto de 2016, 00:16:37 »
O comércio estruturado em torno da impressão 3d parece o sonho molhado dos profissionais de logística, estoques mínimos, lead time reduzido, pedido perfeito...

Ou seria o fim da logística? Já que centros de distribuição e transporte não seriam mais necessários

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.158
  • Sexo: Masculino
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #5 Online: 06 de Agosto de 2016, 00:31:29 »
Ainda haveria impressoras especializadas, transporte, e transporte de materiais, bem como, "inicialmente", distribuição de componentes quaisquer que fossem ainda mais eficientemente produzidos por processos industriais mais especializados.

Não diferente de coisas como hoje, você compra chips "virgens" e coloca lá seu programa. Então esse chip em vez de ser encaixado num processo de manufaturação, vai num compartimento duma "impressora". Que talvez já faça a gravação mesmo.

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #6 Online: 06 de Agosto de 2016, 12:51:54 »
O comércio estruturado em torno da impressão 3d parece o sonho molhado dos profissionais de logística, estoques mínimos, lead time reduzido, pedido perfeito...

Ou seria o fim da logística? Já que centros de distribuição e transporte não seriam mais necessários

O transporte não é tão caro assim.

Eu ouvi num podcast esses dias que nos EUA há pessoas incentivando a compra de alimentos produzidos localmente para evitar o transporte e com isso reduzir a emissão de dióxido de carbono. O problema é que ao calcular a eficiência de plantar certos alimentos em certos Estados e comparar com o transporte, a eficiência acaba por vencer o transporte na redução energia.

Ou seja, é mais vantajoso plantar batatas num Estado distante e transportar até outro Estado quando naquele Estado o solo permite plantar 50% mais, por exemplo.

Com produção de bens, talvez fabricar na China e trazer pra cá seja mais barato que produzir aqui, comparando os custos e matéria prima.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 37.158
  • Sexo: Masculino
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #7 Online: 06 de Agosto de 2016, 14:38:38 »
Acho que ouvi um podcast do freakonomics ou algo assim sobre isso.

Se você inclui tarifas, a coisa pode chegar ao ponto de ser o dobro do preço "comprar local" a coisa que é em outro continente (como carros produzidos no Brasil e vendidos no México -- sem contar que talvez também haja maior qualidade nos exportados).

Talvez já fugindo algo do tema "importação"/"exportação", mas nem tanto, no correio tem assimetrias bizarras, como custar umas quatro vezes mais para enviar algo a um país do que receber do mesmo país.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 14.576
  • Sexo: Masculino
Re:"Impressão" 3D - alvorecer da última revolução industrial?
« Resposta #8 Online: 04 de Junho de 2019, 10:22:38 »
Um tipo de aparelho interessante para se ter juntamente com uma impressora 3d  é um scanner 3d, pois este pode ser usado para gerar arquivos digitais a partir de modelos físicos 3d, e estes arquivos digitais posteriormente podem ser utilizados para impressão em 3d de cópias  (ou podem ser usados posteriormente num computador acoplado a algum tipo de CNC), tem desde modelos sofisticados e caros  da Creaform  (para quem tiver US$ 20.000 (preço do aparelho) + US$ 12.000 (60% de impostos ? )  sobrando "de bobeira"   :hihi: )  até modelos mais simples que são bem mais acessíveis para operadores domésticos:



Scanners 3D: conheça alguns modelos

Você está aqui:

InícioTecnologiaScanners 3D: conheça alguns modelos

Scanner 3D MakerBot Digitizer


Veja alguns dos modelos de scanners 3D que estão no mercado e o que eles são capazes!

Scanners 3D para a indústria:

Vamos começar nossa lista com uma linha peso-pesado! A Creaform é uma empresa especializada em sistemas de medição portáteis e possui uma linha de scanners 3D de mão que é simplesmente incrível.

Seus scanners, baseados em tecnologia laser, possuem uma resolução de até 0.04 mm, a 30 cm de distância. Com eles é possível criar um modelo 3D de um objeto com uma margem de erro menor que metade da espessura de uma folha de papel comum! Esta precisão, é claro, não vem barata. Os modelos mais simples custam a partir de $19.990.

Custando o preço de um bom carro novo, é improvável que você possa ter um desses em casa. Ainda assim, para a indústria e centros de pesquisa, não é um preço tão absurdo. Estas máquinas são indicadas para fazer estudos de engenharia reversa, confecção de moldes para fabricação, além de checagem de qualidade e tolerância em peças.



Nos modelos mais sofisticados, a máquina capta também as informações de cor e textura do objeto. Assim, é possível fazer modelos virtuais de maquetes e peças de museu, por exemplo, para estudos e mesmo para o uso em videogames e efeitos especiais. Quer um desses? Você vai precisar de $28.900, além dos impostos e do frete, é claro.

Scanners 3D para escanear e imprimir em casa:
O mundo das indústrias de alta tecnologia é fascinante. Mas como fica quem quer um scanner 3D para usar em casa e escanear suas próprias criações?

Uma boa opção é o recém lançado MakerBot Digitizer. Custando pouco mais de mil dólares, este modelo foi pensado para o uso doméstico. Ele tem boa resolução e se comunica perfeitamente com as impressoras 3D da Makerbot. Assim, é possível digitalizar um objeto, editá-lo no computador, fazendo os ajustes que sua imaginação mandar e imprimir uma nova cópia!


Scanner 3D MakerBot Digitizer

Outro modelo muito legal é o Matterform 3D Scanner. Ele foi bancado pela plataforma de crowdfunding [LINK PARA O ARTIGO SOBRE CROWDFUNDING] IndieGogo, batendo a meta de $81.000 com mais de 470 mil dólares em contribuições.

Tanto interesse não vêm a toa. O modelo final, já disponível na loja da Matterform custa apenas 579 dólares e é super eficiente. Além disto, é fácil de usar. Basta apertar um botão e assistir enquanto o objeto escaneado roda na bandeja e aparece magicamente na tela do computador. A precisão de detalhes é de 0.25 milímetros. A diferença para os 0.04 dos scanners industriais é enorme, mas ainda que não sirva para fazer análises de laboratório, é o suficiente para conseguir reproduções legais de algum penduricalho ou projeto que você esteja trabalhando para imprimir em sua impressora 3D.



A imaginação é o limite

De posse de um aparelho que é capaz de transformar objetos em modelos digitais – o scanner 3D –  e de outro que faz o contrário, transformando arquivos de computador em objetos físicos – a impressora 3D – o que você faria?

Esta é a pergunta que não sai da cabeça de muitos fazedores o tempo todo. A tecnologia começa a abrir um incrível mundo novo de possibilidades para o que gostam de colocar a mão na massa e fazer coisas.

Conte para a gente, nos comentários, que tipo de projeto incrível você faria com estes recursos em mãos! Até a próxima!

 



Autor: Manoel Lemos

http://blog.fazedores.com/colaborador/manoel-lemos/


https://blog.fazedores.com/scanners-3d-conheca-alguns-modelos/



 
« Última modificação: 04 de Junho de 2019, 10:29:21 por JJ »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!