Autor Tópico: Discussão sobre PEC 241  (Lida 11726 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #75 Online: 17 de Outubro de 2016, 21:18:55 »
Eu uso azul para olavetismo-bolsonarismo.

Já vi azul sendo usado pra o tucanismo-feagacismo-aecismo também.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #76 Online: 17 de Outubro de 2016, 21:26:34 »
Eu uso azul para olavetismo-bolsonarismo.

Já vi azul sendo usado pra o tucanismo-feagacismo-aecismo também.

Ah é verdade. Mas nesses casos estou sendo eu mesmo. Então a cor certa pra isso é o preto.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Agnoscetico

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.413
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #77 Online: 18 de Outubro de 2016, 03:32:16 »
Os países mais ricos do mundo e com os melhores IDH são justamente os países mais economicamente liberais.

Hong Kong - 1º em liberdade econômica; 15º maior IDH do mundo;
Singapura - 2º em liberdade econômica; 9º maior IDH do mundo;
Nova Zelândia - 3º em liberdade econômica; 7º maior IDH do mundo;
Austrália - 4º em liberdade econômica; 2º maior IDH do mundo;
Suiça - 5º em liberdade econômica; 3º maior IDH do mundo;
[..]
Zâmbia - 100º em liberdade econômica; 141º no IDH;
Siri Lanka - 101º em liberdade econômica; 73º no IDH.
Burkina Faso - 102º em liberdade econômica; 181º no IDH.
Gabão - 104º em liberdade econômica; 112º no IDH.
Brasil - 118º em liberdade econômica; 79º no IDH.

Tem paises que adotam sistemas: Liberdade economica + estado de bem-estar social:



Citar
https://pt.wikipedia.org/wiki/Modelo_n%C3%B3rdico

O modelo nórdico (ou capitalismo nórdico[1] ou social-democracia nórdica[2][3]) refere-se aos modelos econômicos e sociais dos países nórdicos (Dinamarca, Islândia, Noruega, Suécia e Finlândia), que envolve a combinação de uma economia de livre mercado com um estado de bem-estar social.[4]

Embora existam diferenças significativas entre os países nórdicos, todos eles compartilham alguns traços comuns: suporte para um estado de bem-estar social universalista (em relação a outros países desenvolvidos ), que é voltado especificamente para melhorar a autonomia individual, promovendo a mobilidade social e assegurando a prestação universal de direitos humanos básicos; e a estabilização da economia.

O modelo nórdico se distingue de outros tipos de estados de bem-estar por sua ênfase na participação da força de trabalho, promovendo igualdade de gênero, igualitarismo social, extensos níveis de benefícios, grande magnitude de redistribuição da riqueza e uso liberal da política fiscal expansionista.[5] A combinação nórdica de uma extensa oferta pública de bem-estar e individualismo tem sido descrita por Lars Tragardh, do Ersta Sköndal University College, como um individualismo estatista.[6]

Às vezes confundido pelos norte-americanos como socialista e simultaneamente criticado pelos escandinavos como excessivamente capitalista, o modelo nórdico poderia ser melhor descrito como uma espécie de meio-termo. Não é nem totalmente capitalista nem totalmente socialista, é a tentativa de fundir os elementos mais desejáveis de ambos em um sistema "híbrido".[7] Em 2013, o The Economist declarou que os países nórdicos "são provavelmente os mais bem governados do mundo".[6] O relatório World Happiness Report 2013 da ONU mostra que as nações mais felizes estão concentradas no Norte da Europa, com a Dinamarca no topo da lista. Os nórdicos possuem a mais alta classificação no PIB real per capita, a maior expectativa de vida saudável, a maior liberdade de fazer escolhas na vida e a maior generosidade.[8]



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.727
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #78 Online: 18 de Outubro de 2016, 10:06:21 »
Temos que estabelecer em algum lugar as cores corretas para paródias de cada ideologia.

Vermelho - comunista
laranja - libertanarco-capitalista
magenta - feminista
verde-lima - hippie pacifista coletivo-comunistóide, e/ou ecologista

Esses são os melhor estabelecidos. Já pensei em vermelho mais escuro para vermelho republicano e azul para azul democrata, mas há alguma ambiguidade com o vermelho comunista e azul-UFKA-Cabeção.

Em alguns casos talvez se pudesse usar fontes para paródias, como talvez courier para um liberalismo clássico estagnado que acha que tudo que havia para ser pensado em economia já acabou com David Ricardo. Se fosse comum aquela fonte de "tinta magnética" poderia ser paródia a projeto-venusianistas/peter-josephistas.

Ainda talvez fosse interessante haver caracterizações para conservadorismo, progressivismo, e até mesmo centrismo encima-do-murista-hiper-mesófilo.

Mas, as quatro primeiras já dão conta para a maior parte dos casos. (Ciano/algo próximo ainda legível pode ser corolário de feminismo, MRAzismo)


Só como sugestão, é  bom negritar algumas cores, como a laranja, pois ficam com baixa visibilidade se não forem negritadas.





Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #79 Online: 18 de Outubro de 2016, 10:10:01 »
Temos que estabelecer em algum lugar as cores corretas para paródias de cada ideologia.

Vermelho - comunista
laranja - libertanarco-capitalista
magenta - feminista
verde-lima - hippie pacifista coletivo-comunistóide, e/ou ecologista

Esses são os melhor estabelecidos. Já pensei em vermelho mais escuro para vermelho republicano e azul para azul democrata, mas há alguma ambiguidade com o vermelho comunista e azul-UFKA-Cabeção.

Em alguns casos talvez se pudesse usar fontes para paródias, como talvez courier para um liberalismo clássico estagnado que acha que tudo que havia para ser pensado em economia já acabou com David Ricardo. Se fosse comum aquela fonte de "tinta magnética" poderia ser paródia a projeto-venusianistas/peter-josephistas.

Ainda talvez fosse interessante haver caracterizações para conservadorismo, progressivismo, e até mesmo centrismo encima-do-murista-hiper-mesófilo.

Mas, as quatro primeiras já dão conta para a maior parte dos casos. (Ciano/algo próximo ainda legível pode ser corolário de feminismo, MRAzismo)


Só como sugestão, é  bom negritar algumas cores, como a laranja, pois ficam com baixa visibilidade se não forem negritadas.

Quem disse que anarco-capitalismo é moleza? Quer moleza, adote o socialismo.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.727
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #80 Online: 18 de Outubro de 2016, 10:14:10 »
Os países mais ricos do mundo e com os melhores IDH são justamente os países mais economicamente liberais.

Hong Kong - 1º em liberdade econômica; 15º maior IDH do mundo;
Singapura - 2º em liberdade econômica; 9º maior IDH do mundo;
Nova Zelândia - 3º em liberdade econômica; 7º maior IDH do mundo;
Austrália - 4º em liberdade econômica; 2º maior IDH do mundo;
Suiça - 5º em liberdade econômica; 3º maior IDH do mundo;
[..]
Zâmbia - 100º em liberdade econômica; 141º no IDH;
Siri Lanka - 101º em liberdade econômica; 73º no IDH.
Burkina Faso - 102º em liberdade econômica; 181º no IDH.
Gabão - 104º em liberdade econômica; 112º no IDH.
Brasil - 118º em liberdade econômica; 79º no IDH.

Tem paises que adotam sistemas: Liberdade economica + estado de bem-estar social:


Citar

O modelo nórdico (ou capitalismo nórdico[1] ou social-democracia nórdica[2][3]) refere-se aos modelos econômicos e sociais dos países nórdicos (Dinamarca, Islândia, Noruega, Suécia e Finlândia), que envolve a combinação de uma economia de livre mercado com um estado de bem-estar social.[4]

Embora existam diferenças significativas entre os países nórdicos, todos eles compartilham alguns traços comuns: suporte para um estado de bem-estar social universalista (em relação a outros países desenvolvidos ), que é voltado especificamente para melhorar a autonomia individual, promovendo a mobilidade social e assegurando a prestação universal de direitos humanos básicos; e a estabilização da economia.

O modelo nórdico se distingue de outros tipos de estados de bem-estar por sua ênfase na participação da força de trabalho, promovendo igualdade de gênero, igualitarismo social, extensos níveis de benefícios, grande magnitude de redistribuição da riqueza e uso liberal da política fiscal expansionista.[5] A combinação nórdica de uma extensa oferta pública de bem-estar e individualismo tem sido descrita por Lars Tragardh, do Ersta Sköndal University College, como um individualismo estatista.[6]

Às vezes confundido pelos norte-americanos como socialista e simultaneamente criticado pelos escandinavos como excessivamente capitalista, o modelo nórdico poderia ser melhor descrito como uma espécie de meio-termo. Não é nem totalmente capitalista nem totalmente socialista, é a tentativa de fundir os elementos mais desejáveis de ambos em um sistema "híbrido".[7] Em 2013, o The Economist declarou que os países nórdicos "são provavelmente os mais bem governados do mundo".[6] O relatório World Happiness Report 2013 da ONU mostra que as nações mais felizes estão concentradas no Norte da Europa, com a Dinamarca no topo da lista. Os nórdicos possuem a mais alta classificação no PIB real per capita, a maior expectativa de vida saudável, a maior liberdade de fazer escolhas na vida e a maior generosidade.




Mas é interessante lembrar que existem  alguns problemas que são apontados por críticos. Alguns destes problemas que me lembro que são apontados:

_Grandes passivos  (trabalhistas e/ou previdenciários);

_Complacência com imigrantes que trazem ideologias autoritárias, e complacência com crimes graves .



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.734
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #81 Online: 18 de Outubro de 2016, 13:23:42 »
Temos que estabelecer em algum lugar as cores corretas para paródias de cada ideologia.

Vermelho - comunista
laranja - libertanarco-capitalista
magenta - feminista
verde-lima - hippie pacifista coletivo-comunistóide, e/ou ecologista

Esses são os melhor estabelecidos. Já pensei em vermelho mais escuro para vermelho republicano e azul para azul democrata, mas há alguma ambiguidade com o vermelho comunista e azul-UFKA-Cabeção.

Em alguns casos talvez se pudesse usar fontes para paródias, como talvez courier para um liberalismo clássico estagnado que acha que tudo que havia para ser pensado em economia já acabou com David Ricardo. Se fosse comum aquela fonte de "tinta magnética" poderia ser paródia a projeto-venusianistas/peter-josephistas.

Ainda talvez fosse interessante haver caracterizações para conservadorismo, progressivismo, e até mesmo centrismo encima-do-murista-hiper-mesófilo.

Mas, as quatro primeiras já dão conta para a maior parte dos casos. (Ciano/algo próximo ainda legível pode ser corolário de feminismo, MRAzismo)


Só como sugestão, é  bom negritar algumas cores, como a laranja, pois ficam com baixa visibilidade se não forem negritadas.

Quem disse que anarco-capitalismo é moleza? Quer moleza, adote o socialismo.

"Moleza" que só se daria através da imposição de padrões por burocratas, coibindo assim não só a liberdade de expressão, como o empreendedorismo da iniciativa privada, em desenvolver userstyles e userscripts ou mesmo eventuais temas e plugins adicionais ao fórum que melhorassem a visibilidade numa gama mais abrangente de cenários. Não só isso, mas minando mesmo o esforço individual na pessoa simplesmente selecionar o texto que tenha dificuldade de ler e assim torná-lo automaticamente mais legível. Se isso não é a burocracia promovendo a acomodação, eu não sei mais o que poderia ser.









Os países mais ricos do mundo e com os melhores IDH são justamente os países mais economicamente liberais.

Hong Kong - 1º em liberdade econômica; 15º maior IDH do mundo;
Singapura - 2º em liberdade econômica; 9º maior IDH do mundo;
Nova Zelândia - 3º em liberdade econômica; 7º maior IDH do mundo;
Austrália - 4º em liberdade econômica; 2º maior IDH do mundo;
Suiça - 5º em liberdade econômica; 3º maior IDH do mundo;
[..]
Zâmbia - 100º em liberdade econômica; 141º no IDH;
Siri Lanka - 101º em liberdade econômica; 73º no IDH.
Burkina Faso - 102º em liberdade econômica; 181º no IDH.
Gabão - 104º em liberdade econômica; 112º no IDH.
Brasil - 118º em liberdade econômica; 79º no IDH.

Por que foram pulados os IDHs na ordem do ranking de IDH? :hein:





É incorreto tentar vender o "modelo escandinavo" e aproximações como "socialismo"/"quanto mais burocracia melhor", mas também é varrê-los para debaixo do tapete.

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.232
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #82 Online: 18 de Outubro de 2016, 13:40:01 »
Querer vender o Modelo Nórdico como Socialismo é desonestidade ou pura ignorância mesmo. Se for pelos argumentos de quem defende isso usa, podemos falar que o modelo Liberal alemão também é socialista, pois apresentam muitas semelhanças.

Mas claro, não dá para negar as influências.
« Última modificação: 18 de Outubro de 2016, 13:42:34 por Gauss »
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #83 Online: 18 de Outubro de 2016, 14:15:05 »
Também é errado enxergar rankings de liberdade econômica como rankings dos países que têm os "menores Estados" ou os "Estados menos influentes". Está mais próximo a algo que poderia ser chamado de "Estados mais eficientes", ou seja, os que gerem melhor os recursos, independentemente do "tamanho". O índice da Heritage Foundation, por exemplo, pontua a facilidade de abrir empresas, liberdade para investir, ausência de barreiras tributárias no comércio, ausência de corrupção, garantia ao direito de propriedade, entre outros. O único critério que se relaciona diretamente, de forma conceitual e inerente ao "tamanho" do Estado é o gasto governamental em relação ao PIB, mas é apenas um dos muitos critérios, cuja pontuação acaba se diluindo.

Um ranking de medida do "tamanho do Estado" ou do "nível de minarquismo" teria que medir, por exemplo, a quantidade de ministérios e secretarias de Estado, o número de funcionários públicos per capita, o impacto de empresas estatais sobre o PIB, a natureza pública ou privada do sistema de saúde e das instituições de ensino etc. Se houvesse um ranking assim, certamente países como Canadá, Suécia e Noruega não figurariam nas primeiras colocações, mesmo sendo economicamente livres.
« Última modificação: 18 de Outubro de 2016, 14:18:49 por Lakatos »

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.232
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #84 Online: 18 de Outubro de 2016, 14:57:09 »
É impossível existir uma Minarquia sem um estado eficiente.

Cingapura é o que podemos chamar de estado mínimo, ou o mais próximo disso. No campo econômico somente, vale ressaltar.
http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2059
« Última modificação: 18 de Outubro de 2016, 15:03:32 por Gauss »
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.


Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.232
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #86 Online: 18 de Outubro de 2016, 15:18:11 »
Agora coloca o gráfico de quantos saíram da fome nos últimos 13 anos. Tudo isso é justificável.
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #87 Online: 18 de Outubro de 2016, 15:50:18 »






govt size as % of GDP

Ilustra muito bem o que eu estava dizendo. Países com setor público mais reduzido não coincidem necessariamente com os de maior liberdade econômica.


Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.288
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #89 Online: 18 de Outubro de 2016, 16:04:42 »
Temos que estabelecer em algum lugar as cores corretas para paródias de cada ideologia.

Vermelho - comunista
laranja - libertanarco-capitalista
magenta - feminista
verde-lima - hippie pacifista coletivo-comunistóide, e/ou ecologista

Esses são os melhor estabelecidos. Já pensei em vermelho mais escuro para vermelho republicano e azul para azul democrata, mas há alguma ambiguidade com o vermelho comunista e azul-UFKA-Cabeção.

Em alguns casos talvez se pudesse usar fontes para paródias, como talvez courier para um liberalismo clássico estagnado que acha que tudo que havia para ser pensado em economia já acabou com David Ricardo. Se fosse comum aquela fonte de "tinta magnética" poderia ser paródia a projeto-venusianistas/peter-josephistas.

Ainda talvez fosse interessante haver caracterizações para conservadorismo, progressivismo, e até mesmo centrismo encima-do-murista-hiper-mesófilo.

Mas, as quatro primeiras já dão conta para a maior parte dos casos. (Ciano/algo próximo ainda legível pode ser corolário de feminismo, MRAzismo)


Só como sugestão, é  bom negritar algumas cores, como a laranja, pois ficam com baixa visibilidade se não forem negritadas.

Quem disse que anarco-capitalismo é moleza? Quer moleza, adote o socialismo.

"Moleza" que só se daria através da imposição de padrões por burocratas, coibindo assim não só a liberdade de expressão, como o empreendedorismo da iniciativa privada, em desenvolver userstyles e userscripts ou mesmo eventuais temas e plugins adicionais ao fórum que melhorassem a visibilidade numa gama mais abrangente de cenários. Não só isso, mas minando mesmo o esforço individual na pessoa simplesmente selecionar o texto que tenha dificuldade de ler e assim torná-lo automaticamente mais legível. Se isso não é a burocracia promovendo a acomodação, eu não sei mais o que poderia ser.









Os países mais ricos do mundo e com os melhores IDH são justamente os países mais economicamente liberais.

Hong Kong - 1º em liberdade econômica; 15º maior IDH do mundo;
Singapura - 2º em liberdade econômica; 9º maior IDH do mundo;
Nova Zelândia - 3º em liberdade econômica; 7º maior IDH do mundo;
Austrália - 4º em liberdade econômica; 2º maior IDH do mundo;
Suiça - 5º em liberdade econômica; 3º maior IDH do mundo;
[..]
Zâmbia - 100º em liberdade econômica; 141º no IDH;
Siri Lanka - 101º em liberdade econômica; 73º no IDH.
Burkina Faso - 102º em liberdade econômica; 181º no IDH.
Gabão - 104º em liberdade econômica; 112º no IDH.
Brasil - 118º em liberdade econômica; 79º no IDH.

Por que foram pulados os IDHs na ordem do ranking de IDH? :hein:

Não é que foram "pulados". Eu apenas coloquei as cinco economias mais liberais do mundo para mostrar que seus IDH's estão entre os mais altos do mundo. Se você continuar minha lista, vai ver que a relação continua: quanto mais livre economicamente, melhor o IDH em comparação com os menos livres.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.734
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #90 Online: 18 de Outubro de 2016, 19:53:48 »
Sim, acho que é a correlação mais forte nesse assunto todo, mas liberdade econômica não é sinônimo de estado mínimo/proto-anarquia.










O eixo horizontal parece ser "gastos públicos totais/PIB (%)", segundo o PDF citado como fonte do gráfico:

http://www.ecb.europa.eu/pub/pdf/scpwps/ecbwp242.pdf





É interessante notar como países vizinhos em alguns rankings (ou até fisicamente, Austrália e NZ) estão consideravelmente distantes em outros que se imaginaria relacionados.






http://www.nature.com/articles/srep01612

Não sabia que a "nature" publicava coisas de economia. :hein:

Offline TuroKxwx

  • Nível 01
  • *
  • Mensagens: 15
  • Sexo: Masculino
  • Black Metal Ist Krieg
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #91 Online: 19 de Outubro de 2016, 09:08:27 »
Proposta fraca e realizada em "apuros", era isso ou isso. Mas não to entendendo toda a revolta da "companheirada " e demais socialistas em relação aos "cortes de verba para a saúde e educação".
Citar
Alexandre Schwartsman, na Folha, se queixou do debate em torno da a PEC do Teto.

Vejam, por favor, o exemplo que ele traz:

"Vejam, por exemplo, a pérola de Vladimir Safatle, aqui na Folha: 'o Brasil gasta US$ 3.000 por aluno do ensino básico, enquanto os outros países da OCDE (...) gastam, em média, US$ 8.200', concluindo que a situação piorará nos próximos 20 anos, por conta e obra da PEC 241.

À parte comparar o Brasil (renda per capita ao redor de US$ 15 mil) com países bem mais ricos (renda per capita média na casa de US$ 37 mil), Safatle se "esquece" de mencionar que: (1) o gasto com educação básica (três quartos da despesa pública com educação em geral) é de responsabilidade de Estados e municípios, que não estão sujeitos ao teto (assim como o Fundeb); (2) esse gasto representa 18% da despesa pública total, o que colocaria o Brasil em terceiro lugar entre países da OCDE, bem acima da média; (3) o gasto total com educação no Brasil é de 5,6% do PIB, pouco superior à média da OCDE (5,2% do PIB); (4) apesar disso, os resultados do país são lamentáveis (58º entre 65 países no exame Pisa); e, finalmente, (5) a PEC não limita o gasto com educação, que pode subir mais do que a inflação, desde que outras despesas cresçam menos.

Alguns desses pontos requerem 15 minutos de pesquisa; outros seriam esclarecidos com a mera leitura da PEC 241, que anuncia sua aplicação apenas para o governo federal no artigo 101, enquanto o artigo 104 deixa claro haver piso (mas não teto) de gasto em saúde e educação. Isto dito, para que se dar ao trabalho de ler a proposta e pesquisar se a conclusão está tomada a priori?"

É ou não um gentleman?
http://www.oantagonista.com/posts/schwartsman-e-um-gentleman


Offline TuroKxwx

  • Nível 01
  • *
  • Mensagens: 15
  • Sexo: Masculino
  • Black Metal Ist Krieg
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #92 Online: 19 de Outubro de 2016, 09:11:37 »

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.288
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #93 Online: 19 de Outubro de 2016, 11:20:01 »
Sim, acho que é a correlação mais forte nesse assunto todo, mas liberdade econômica não é sinônimo de estado mínimo/proto-anarquia.

Verdade. Até se for verificar, boa parte dos países mais economicamente livres são welfare states, e é impossível dissociar isto de um governo grande.

Particularmente, eu acho que a parte mais importante de toda a questão do liberalismo é a economia. O objetivo principal deveria ser sempre atingir uma economia o mais livre possível. Em um segundo momento poderia se discutir o tamanho do estado e todas as outras questões que venham com isso, apesar de eu não ser contra um welfare state. Uma carga tributária de 45% com serviços públicos noruegueses não me incomodaria.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.734
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #94 Online: 19 de Outubro de 2016, 11:38:51 »
Tem muita "área cinzenta" nesses temas que fazem perigosas as generalizações.

Eu acho que o tamanho desses estados escandinavos não deve ser visto como "meta" ou significar que não tenha risco algum, mas ser mais como, "veja só, essa família tem três tigres adestrados andando soltos em casa, como animais de estimação". É possível fazer isso, é possível que nunca aconteça nada trágico (ao contrário do que poderia sugerir a intuição "tigres = máquinas de matar"), mas não significa de maneira alguma que seja o desejável. Os EUA e outros estados menores, colocados como "mais eficientes", também são "welfare states". (E a Dinamarca tem programada uma redução considerável do setor público.)

Ao mesmo tempo, a "liberdade econômica" também é algo que, em si, não distingue "facilidade em abrir uma empresa", "simplicidade da legislação tributária", de coisas que são longe de ideais, como liberdade de níveis de chumbo hoje rejeitados em coisas como gasolina e tintas, mesmo tintas e materiais usados em brinquedos.

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.232
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #95 Online: 19 de Outubro de 2016, 11:52:08 »
Mas o Brasil também é um Welfare State.
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.


Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.318
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #97 Online: 19 de Outubro de 2016, 12:33:44 »
Unfair State
"Deus prefere os ateus"

Offline Gauss

  • Nível 40
  • *
  • Mensagens: 4.232
  • Sexo: Masculino
  • A Lua cheia não levanta-se a Noroeste
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #98 Online: 19 de Outubro de 2016, 12:41:26 »
Gastos em benefícios sociais em relação ao PIB(verdadeiros Welfare States):


Viu só, quem disse que o socialismo não dá certo? Só vejo lugares onde o Socialismo deu certo na imagem. #PSOL50

Falando sério agora, temos três exemplos de sistemas diferentes de Estado de Bem-Estar:

Citar
Based on the decommodification index, Esping-Andersen divided 18 OECD countries into the following groups:

Social Democratic: Denmark, Finland, Netherlands, Norway and Sweden
Christian Democratic: Austria, Belgium, France, Germany, Italy and Spain
Liberal: Australia, Canada, Japan, New Zealand, Switzerland and US
Not clearly classified: Ireland and United Kingdom

https://en.wikipedia.org/wiki/Welfare_state
« Última modificação: 19 de Outubro de 2016, 12:43:53 por Gauss »
Citação de: Gauss
Bolsonaro é um falastrão conservador e ignorante. Atualmente teria 8% das intenções de votos, ou seja, é o Enéas 2.0. As possibilidades desse ser chegar a presidência são baixíssimas, ele só faz muito barulho mesmo, nada mais que isso. Não tem nenhum apoio popular forte, somente de adolescentes desinformados e velhos com memória curta que acham que a ditadura foi boa só porque "tinha menos crime". Teria que acontecer uma merda muito grande para ele chegar lá.

Offline Lakatos

  • Nível 35
  • *
  • Mensagens: 3.071
  • Sexo: Masculino
Re:Discussão sobre PEC 241
« Resposta #99 Online: 19 de Outubro de 2016, 13:07:34 »
Social Democratic: Denmark, Finland, Netherlands, Norway and Sweden

Pra vocês verem como o fascismo se espalhou pela Europa.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!