Autor Tópico: Que Deus abençoe o Ceticismo  (Lida 26095 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.508
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #50 Online: 18 de Junho de 2017, 11:08:03 »
Citar
"Ciências",  no plural, são o coletivo de elementos investigados da Realidade constatados como fatos, em conjunto formando um conteúdo disciplinar, prescindem de métodos, são apreensão da Realidade.

Isso não faz sentido. Coletivo de fatos constatados em conjunto que são apreensões da Realidade?

Claro que sim. Um conjunto de fatos da qual se está a par são "ciências". Biologia, Física, Química, etc..

Por que essa mania de querer reinventar a roda?
Exercícios cognitivos.

Continua sem fazer sentido.
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.508
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #51 Online: 18 de Junho de 2017, 11:17:37 »
Bem, quando eu trouxe o caso da ponte, estava envolvido com a Metafísica de Aristóteles que em dado momento discute o Saber e o Crer, para concluir que em dada circunstância, o saber e o crer se confundem...

Em nenhum momento saber e crer podem ser confundidos entre si. Dado o devido axioma, saber é estar ciente,  um conhecimento obtido da empiria, a posteriori. Já  crer é especular, supor o conhecimento a priori.

Nem sempre é a posteriori. A indução/dedução, uso de modelos e simulações podem dispensar a experiência que muitas vezes é até impossível de ser realizada como no caso dos fatos cosmológicos. Você pode concluir que existe um sistema planetário observando as variações de magnitude de uma estrela não variável e a partir daí estar ciente (saber) inúmeras caracterísiticas do planeta que nem pode ser visto.
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #52 Online: 18 de Junho de 2017, 16:31:30 »
Citar
"Incertezas científicas" são um oximoro.

Seria se a ciência representasse certeza, o que não pode ser pois mata sua refutabilidade.
A ciência de algo representa a certeza de algo, o seu oposto é a não ciência de algo, ou a não certeza. Você está conceituando ciência de modo eufemístico, como uma intenção.

Ciência de algo significa que você percebe algo. Nada tem a ver com certeza. Uma pessoa com visão normal e um míope estão cientes de que tem um animal na frente deles mas só o primeiro tem certeza que o animal é uma onça.
Simples, estar ciente de algo é estar certo daquele algo, então, quanto à questão da miopia, ora, se os dois estão cientes de que que há um animal ali estão  certos de que há um animal ali, já o míope, dizer que ele não está ciente de que  se trata de uma Onça ali é o mesmo que dizer que ele não está certo de que se trata de uma Onça.
« Última modificação: 18 de Junho de 2017, 16:59:37 por Sergiomgbr »

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #53 Online: 18 de Junho de 2017, 16:42:28 »
Citar
"Estar ciente de" é "estar a par de", não há nada de subjetivo nisso ai.

E quem ou o que está "a par de"? No caso da temperatura, é o termômetro ou uma pessoa?

Não faz sentido essa pergunta, quem está ciente ou a par do fato é quem o mensura, quem estabelece o que é medido.


Não. Estar ciente é estar informado sobre algo. O termômetro mensura mas somos nós que transformamos isso em informação para ficarmos cientes da temperatura.
Não, o termômetro não mensura nada ele é só um objeto ou função da  mensuração, uma linguagem. Quem mensura é quem interpreta a mensuração, através da interpretação da mensuração se fica a par do que se mensura. O fato é  obtido do que medido.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #54 Online: 18 de Junho de 2017, 16:44:39 »
Citar
"Ciências",  no plural, são o coletivo de elementos investigados da Realidade constatados como fatos, em conjunto formando um conteúdo disciplinar, prescindem de métodos, são apreensão da Realidade.

Isso não faz sentido. Coletivo de fatos constatados em conjunto que são apreensões da Realidade?

Claro que sim. Um conjunto de fatos da qual se está a par são "ciências". Biologia, Física, Química, etc..

Por que essa mania de querer reinventar a roda?
Exercícios cognitivos.

Continua sem fazer sentido.
Relaxa, uma hora ou outra vai passar a fazer. Bom, essa é a minha torcida.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.745
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #55 Online: 18 de Junho de 2017, 16:49:27 »
Citar
"Incertezas científicas" são um oximoro.

Seria se a ciência representasse certeza, o que não pode ser pois mata sua refutabilidade.
A ciência de algo representa a certeza de algo, o seu oposto é a não ciência de algo, ou a não certeza. Você está conceituando ciência de modo eufemístico, como uma intenção.

Ciência de algo significa que você percebe algo. Nada tem a ver com certeza. Uma pessoa com visão normal e um míope estão cientes de que tem um animal na frente deles mas só o primeiro tem certeza que o animal é uma onça.
Simples, estar ciente de algo é estar certo daquele algo.

Apesar de que as pessoas podem apenas crer estarem cientes.

Estar verdadeiramente ciente é algo que requer a oniciência de que qualquer hipótese imaginável que negue aquilo que o indivíduo julga verdadeiro, é falsa.

A ciência subjetiva é limitada a um número ínfimo de observações (sempre subjetivas, dado que indivíduos as fazem), a partir da qual os indivíduos e a sociadade extrapolam verdades maiores.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #56 Online: 18 de Junho de 2017, 17:08:05 »
Citar
"Incertezas científicas" são um oximoro.

Seria se a ciência representasse certeza, o que não pode ser pois mata sua refutabilidade.
A ciência de algo representa a certeza de algo, o seu oposto é a não ciência de algo, ou a não certeza. Você está conceituando ciência de modo eufemístico, como uma intenção.

Ciência de algo significa que você percebe algo. Nada tem a ver com certeza. Uma pessoa com visão normal e um míope estão cientes de que tem um animal na frente deles mas só o primeiro tem certeza que o animal é uma onça.
Simples, estar ciente de algo é estar certo daquele algo.


Estar verdadeiramente ciente é algo que requer a oniciência de que qualquer hipótese imaginável que negue aquilo que o indivíduo julga verdadeiro, é falsa.

Estar verdadeiramente ciente de algo é tão somente estar a par daquele algo.

A ciência subjetiva é limitada a um número ínfimo de observações (sempre subjetivas, dado que indivíduos as fazem), a partir da qual os indivíduos e a sociadade extrapolam verdades maiores.
Não existe isso de ciência subjetiva, por que ciência são fatos. A não ser, claro, que você esteja sob efeito de algum composto estupefaciente.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #57 Online: 18 de Junho de 2017, 17:13:07 »
Bem, quando eu trouxe o caso da ponte, estava envolvido com a Metafísica de Aristóteles que em dado momento discute o Saber e o Crer, para concluir que em dada circunstância, o saber e o crer se confundem...

Em nenhum momento saber e crer podem ser confundidos entre si. Dado o devido axioma, saber é estar ciente,  um conhecimento obtido da empiria, a posteriori. Já  crer é especular, supor o conhecimento a priori.

Nem sempre é a posteriori. A indução/dedução, uso de modelos e simulações podem dispensar a experiência que muitas vezes é até impossível de ser realizada como no caso dos fatos cosmológicos.
Ora, se há um fato, trata-se de empiria.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.745
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #58 Online: 18 de Junho de 2017, 17:25:20 »
Estar verdadeiramente ciente de algo é tão somente estar a par daquele algo.

Que, como disse, é algo que só se pode realmente estar ciente sabendo serem falsas todas as hipóteses que contradigam esse algo aparente. Ou seja, "ciência" nesse uso fundamentalista-literalista, é sinônima de oniciência.


Citar
A ciência subjetiva é limitada a um número ínfimo de observações (sempre subjetivas, dado que indivíduos as fazem), a partir da qual os indivíduos e a sociadade extrapolam verdades maiores.
Não existe isso de ciência subjetiva, por que ciência são fatos. A não ser, claro, que você esteja sob efeito de algum composto estupefaciente.

É o indivíduo que estaria ciente, ou crê estar ciente, logo, é sempre subjetivo. "Subjetivo" se refere ao estado cognitivo de indivíduos. Só o indivíduo poderia teoricamente estar ciente (ou, menos controversamente, crer estar), não existe ciência "fora" do indivíduo (desconsiderando hipóteses de deuses e outros entes onipresentes e coisas desse tipo).

Negar a subjetividade da ciência é como negar a subjetividade da dor, ou da fome.

Fatos estão para ciência assim como um soco está para dor. Não são a mesma coisa.

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #59 Online: 18 de Junho de 2017, 17:45:10 »
Estar verdadeiramente ciente de algo é tão somente estar a par daquele algo.

Que, como disse, é algo que só se pode realmente estar ciente sabendo serem falsas todas as hipóteses que contradigam esse algo aparente. Ou seja, "ciência" nesse uso fundamentalista-literalista, é sinônima de oniciência.
Ora, "estar ciente" é exatamente saber serem falsas todas e qualquer hipóteses que desmintam o fato! Estar ciente de que o ursinho de pelúcia está dormindo é isso mesmo de excluir a hipótese de ele estar semi acordado, ou só cochilando, ou sob hipnose sonítica. A "onisciência" é relativa ao fato, nesse caso.

Citar
A ciência subjetiva é limitada a um número ínfimo de observações (sempre subjetivas, dado que indivíduos as fazem), a partir da qual os indivíduos e a sociadade extrapolam verdades maiores.
Não existe isso de ciência subjetiva, por que ciência são fatos. A não ser, claro, que você esteja sob efeito de algum composto estupefaciente.
não existe ciência "fora" do indivíduo

 
O estar ciente ou não é relativo ao indivíduo, quanto ao fatos ou a apreensão da Realidade, ela é externa ao ser, existe por si mesma. O estar ciente é objetividade, o supor estar ciente, subjetividade.


Negar a subjetividade da ciência é como negar a subjetividade da dor, ou da fome.

Não há subjetividades na Ciência. Ciência é eliminação da subjetividade, por definição.

Negar a subjetividade da ciência é como negar a subjetividade da dor, ou da fome.

Não há essa relação. A subjetividade no fenômeno é só o fenômeno que não é mensurado.
« Última modificação: 18 de Junho de 2017, 18:04:12 por Sergiomgbr »

Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.916
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #60 Online: 18 de Junho de 2017, 17:51:41 »


Tudo é crença. A ciência, a religião...

A diferença é que a ciência é crença justificada e a religião é crença não justificada... fé.

Ciência não é crença, ciência é fato. E como não existe fato justificado, só o fato, não existe isso de ciência como crença justificada. Não há algo como uma crença num fato justificado, só o fato, e ele se justifica por si mesmo.

Alguém já disse neste tópico que fato pode ser hoje e amanhã este fato dará vez a outro.

Se um fato se justifica por si você retira o sujeito que admitiu o fato.

A ciência está em uma encruzilhada. O paradigma dominantes está em crise.

Avança muito nos meios acadêmicos o paradigma emergente.

"Todo o conhecimento científico-natural é científico-social"
 
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Offline Hugo

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.916
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #61 Online: 18 de Junho de 2017, 17:55:21 »

Negar a subjetividade da ciência é como negar a subjetividade da dor, ou da fome.

Fatos estão para ciência assim como um soco está para dor. Não são a mesma coisa.

O positivismo lógico buscou fazer ciência fora de toda a subjetividade... fracassou, embora a ciência tenha caminhado bastante.

Não há verdade absoluta, fato absoluto, ciência absoluta.

Como disse antes,o novo paradigma científico se volta para a subjetividade e o senso comum.
« Última modificação: 18 de Junho de 2017, 17:57:38 por Hugo »
"O medo de coisas invisíveis é a semente natural daquilo que todo mundo, em seu íntimo, chama de religião". (Thomas Hobbes, Leviatã)

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.218
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #62 Online: 18 de Junho de 2017, 18:11:59 »


Tudo é crença. A ciência, a religião...

A diferença é que a ciência é crença justificada e a religião é crença não justificada... fé.

Ciência não é crença, ciência é fato. E como não existe fato justificado, só o fato, não existe isso de ciência como crença justificada. Não há algo como uma crença num fato justificado, só o fato, e ele se justifica por si mesmo.

Alguém já disse neste tópico que fato pode ser hoje e amanhã este fato dará vez a outro.
Não, fato é empiria. Não se dá uma empiria no lugar da outra, só se a aumenta.

Se um fato se justifica por si você retira o sujeito que admitiu o fato.

Não vejo conexão causal.


A ciência está em uma encruzilhada.
Não há isso de os fatos estarem em uma encruzilhada, logo, também não isso de haver uma "Ciência em uma encruzilhada".

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 35.745
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #63 Online: 18 de Junho de 2017, 18:24:37 »
Estar verdadeiramente ciente de algo é tão somente estar a par daquele algo.

Que, como disse, é algo que só se pode realmente estar ciente sabendo serem falsas todas as hipóteses que contradigam esse algo aparente. Ou seja, "ciência" nesse uso fundamentalista-literalista, é sinônima de oniciência.
Ora, "estar ciente" é exatamente saber serem falsas todas e qualquer hipóteses que desmintam o fato! Estar ciente de que o ursinho de pelúcia está dormindo é isso mesmo de excluir a hipótese de ele estar semi acordado, ou só cochilando, ou sob hipnose sonítica. A "onisciência" é relativa ao fato, nesse caso.

Essa relativização é arbitrariamente delimitada de acordo com conveniência prática, de acordo com o que aparenta ser a realidade apreensível, que pode ir além disso. Se começa por assumir que o ursinho de pelúcia realmente existe, e que pode dormir.
 


Citar
Citar
A ciência subjetiva é limitada a um número ínfimo de observações (sempre subjetivas, dado que indivíduos as fazem), a partir da qual os indivíduos e a sociadade extrapolam verdades maiores.
Não existe isso de ciência subjetiva, por que ciência são fatos. A não ser, claro, que você esteja sob efeito de algum composto estupefaciente.
não existe ciência "fora" do indivíduo

 
O estar ciente ou não é relativo ao indivíduo, quanto ao fatos ou a apreensão da Realidade, ela é externa ao ser, existe por si mesma. O estar ciente é objetividade, o supor estar ciente, subjetividade.

É sim. São indivíduos/sujeitos que julgam estar cientes. O "universo" sem indivíduos/sujeitos, com seus aparatos cognitivos, não está "ciente" de nada (ao menos de uma perspectiva naturalista, ou não-panteísta/similar).

Que a realidade da qual estão cientes pode ser externa a eles não muda isso.

Citar
sub·jec·ti·vo
adjectivo
1. Relativo ao sujeito ou nele existente.

Sem sujeitos, sem sujeitos para estarem cientes da realidade.


Citar
Negar a subjetividade da ciência é como negar a subjetividade da dor, ou da fome.

Não há subjetividades na Ciência. Ciência é eliminação da subjetividade, por definição.

Negar a subjetividade da ciência é como negar a subjetividade da dor, ou da fome.

Não há essa relação. A subjetividade no fenômeno é só o fenômeno que não é mensurado.


Não. Engraçado que você esteja ao mesmo tempo se prendendo a um sentido tão literal da palavra enquanto desconta esse outro aspecto, também gramatical/sintático/literal (e até mais correto ou fundamental).

Alguém "estar ciente de" implica um sujeito, que está ciente, logo é subjetivo, por definição.

"Fulano está ciente da existência de pernilongos" não é "sinônimo" de "existem pernilongos", mas é a descrição de um outro estado, uma outra situação, existe um sujeito/indivíduo, Fulano; e ele, em sua cabeça -- então subjetivamente -- considera existirem pernilongos, objetivamente.

Sem indivíduos/sujeitos, não há ninguém para ter ciência de qualquer coisa; haveria só os fatos, mas ninguém para ser ciente deles.



Se diz que "a ciência" (ou Ciência, com inicial maiúscula), como empreendimento social (e não meramente o estado subjetivo de estar ciente), "elimina a subjetividade" na medida em que a avaliação subjetiva e cuidadosa de uma questão, por um número maior de sujeitos, pode servir como um processo de eliminação de impressões equivocadas, por comparação e revisão.

Offline Gorducho

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.210
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #64 Online: 18 de Junho de 2017, 21:33:32 »
Não, fato é empiria. Não se dá uma empiria no lugar da outra, só se a aumenta.
Por fatos.
Que se via as estrelas paradas ou pouco semoventes (claro, desconsiderados os movimentos anuais - desnecessário hegelianamente ficar pondo todas ressalvas...) era fato.
Depois chegaram à conclusão que existe um movimento generalizado de afastamento das galáxias consideradas a um nível macro. Outro fato.
2 fatos que aumentaram a empiria - inclusive explicando-se depois a aparente fixidez pelas enormes distâncias impensáveis aos antigos.
Funciona como na contabilidade: não existe borrachinha. Não se apagam fatos como não se apagam lançamentos.
Claro, se pode alegar que o fato são os resultados dos experimentos e não o afastamento generalizado das galáxias.
Sim, é isso ao se esmiuçar a questão.
Por isso que em Ciência em geral cabem modelizações alternativas pra mesmos fatos (e.g. as variáveis ocultas na QM, &c.).
« Última modificação: 18 de Junho de 2017, 21:44:26 por Gorducho »

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.508
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #65 Online: 18 de Junho de 2017, 22:21:28 »
Citar
"Ciências",  no plural, são o coletivo de elementos investigados da Realidade constatados como fatos, em conjunto formando um conteúdo disciplinar, prescindem de métodos, são apreensão da Realidade.

Isso não faz sentido. Coletivo de fatos constatados em conjunto que são apreensões da Realidade?

Claro que sim. Um conjunto de fatos da qual se está a par são "ciências". Biologia, Física, Química, etc..

Por que essa mania de querer reinventar a roda?
Exercícios cognitivos.

Continua sem fazer sentido.
Relaxa, uma hora ou outra vai passar a fazer. Bom, essa é a minha torcida.

 :no:  Sem comentários.
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.508
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #66 Online: 18 de Junho de 2017, 22:29:24 »
Citação de: Sergiomgbr
Ora, "estar ciente" é exatamente saber serem falsas todas e qualquer hipóteses que desmintam o fato!

Isso é onisciência.
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.508
  • "Minha espada não tem partidos."
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #67 Online: 18 de Junho de 2017, 22:41:19 »
O Sergiomgbr está criando o seu próprio dicionário filosófico onde o significado dos verbetes são definidos para que ele valide o seu próprio raciocínio e consequentemente esteja sempre correto e torcendo para que, com tempo, os outros entendam seus pontos de vista. Sem uma base comum de significado essa discussão fica improdutiva e não vai chegar a lugar algum.
"Quem for brasileiro, siga-me."


Offline Spencer

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.409
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #68 Online: 19 de Junho de 2017, 07:22:05 »
O que é a Biologia? É a ciência que estuda a vida e os organismos vivos, sua estrutura, crescimento, etc.

O que é Química? É a ciência que estuda a composição, estrutura, propriedades da matéria, as mudanças sofridas por ela durante as reações, etc.

O que é a Física? É a ciência que estuda a natureza e seus fenômenos nos aspectos mais gerais. Analisa suas relações e propriedades, além de descrever e explicar a maior parte de suas consequências, etc.

Finalmente, o que é a Ciência?

1. conhecimento atento e aprofundado de algo.

2. corpo de conhecimentos sistematizados adquiridos via observação, identificação, pesquisa e explicação de determinadas categorias de fenômenos e fatos, e formulados metódica e racionalmente.

O primeiro conceito de Ciência é bem genérico e pode se aplicar a uma infinidade de objetivos... até mesmo subjetivos. E isto fica claro no primeiro conceito.

Mas o segundo conceito explicita métodos, processos e objetivos aplicáveis a determinada categoria de fenômenos e fatos...

Outra vez, embora estreitando a conceituação, permanece certa subjetividade pois há que se considerar determinadas categorias...  então, julgamento humano, critérios pessoais, neste caso.

Pode-se fazer ciência com uma gama inumerável de possibilidades e acontecimentos, desde que se prenda a métodos e regras específicas.

Mas, os esclarecidos foristas que discutem certos aspectos e ângulos da ciência, estão na verdade praticando a mais cristalina expressão da Filosofia.

As palavras passam a adquirir significado e qualidade sob ótica pessoal, mas obedecendo a uma semântica que se amplia sob cada argumento.

Talvez pudéssemos concluir que, a ciência, o saber, o crer, têm em comum a importância que a percepção e a inteligência lhes confere; nada absoluto ou definitivo, dependendo de contextualização.







Offline Gorducho

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.210
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #69 Online: 19 de Junho de 2017, 09:10:15 »
determinada categoria de fenômenos e fatos...
Aí cabe uma discussão epistemológica interessante: o que seria um "fato" :?:
Certamente que não pode ser algo somente presenciável por determinado grupo seleto e fechado - como o caso dos "fenomenos" do espiritismo e os religiosos em geral (indivíduos caminhando sobre água ou mantendo comércio com seres ultramundanos não notados por qualquer outra pessoa).
Mas precisar isso formalmente é difícil.
Citar
pode-se fazer ciência com uma gama inumerável de possibilidades e acontecimentos, desde que se prenda a métodos e regras específicas.
Mas aí vem o essencial pra algo ser Ciência: dadas as dificuldades que mencionei acima, tem que haver possibilidade de falsificação; ou de verificabilidades - claro, com todas polemicas que isso gera; obtemperos ao popperianismo &c...
Se não não é Ciência. É algo como, say: "examen raisonné".
E quanto à questão de "crença", por isso mesmo gosto de imaginar Ciência como modelos. Não se "crê" em modelos: se os experimenta contra resultados externos ao cientista.
Claro, o experimento geralmente é desenhado de forma a produzir resultados obtíveis pelo modelo. Mas os resultados não podem ser afetáveis por "Crença".

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.763
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #70 Online: 19 de Junho de 2017, 11:46:02 »
determinada categoria de fenômenos e fatos...
Aí cabe uma discussão epistemológica interessante: o que seria um "fato" :?:
Certamente que não pode ser algo somente presenciável por determinado grupo seleto e fechado - como o caso dos "fenomenos" do espiritismo e os religiosos em geral (indivíduos caminhando sobre água ou mantendo comércio com seres ultramundanos não notados por qualquer outra pessoa).
Mas precisar isso formalmente é difícil.
Citar
pode-se fazer ciência com uma gama inumerável de possibilidades e acontecimentos, desde que se prenda a métodos e regras específicas.
Mas aí vem o essencial pra algo ser Ciência: dadas as dificuldades que mencionei acima, tem que haver possibilidade de falsificação; ou de verificabilidades - claro, com todas polemicas que isso gera; obtemperos ao popperianismo &c...
Se não não é Ciência. É algo como, say: "examen raisonné".
E quanto à questão de "crença", por isso mesmo gosto de imaginar Ciência como modelos. Não se "crê" em modelos: se os experimenta contra resultados externos ao cientista.
Claro, o experimento geralmente é desenhado de forma a produzir resultados obtíveis pelo modelo. Mas os resultados não podem ser afetáveis por "Crença".


As possíveis interpretações dos resultados obtidos, o próprio significado dos resultados obtidos,  podem sim serem afetadas por crenças anteriores (qual a teoria boa e verdadeira ?).  É importante notar  que a maioria dos fenômenos que são objeto de experiências e/ou observações chamadas de científicas, não são simples como o fenômeno queda livre.  Muito pelo contrário, muitas vezes são tão complexas que elas nada significam sem que haja uma complexa teoria anterior  (já entendida e já aceita como sendo a melhor) que possa dar ordem ao aparente caos observado.



« Última modificação: 19 de Junho de 2017, 11:53:52 por JJ »

Offline Rafael_SG

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 230
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #71 Online: 19 de Junho de 2017, 11:54:24 »

 
Oi Spencer.
Desculpe discordar da sua opinião.

Crenças não exigem provas. As provas são meios de afirmar à nos mesmo que não estamos sendo idiotas em crer em algo que pode não existir. É so isso.

Tem gente que não suporta se sentir "ridiculo" e se incomoda muito com a falta de provas. Escolhe um caminho mais firme, baseado em provas fisicas. E isso esta correto, afinal cada um tem que procurar aquilo que faz bem para ele mesmo, que vai dar fundamento à sua existência.

Vi uns comentarios ultimamente de pessoas falando que morrer e acabar seria tudo de bom, porque viver outra vida seria um saco. Então essa pessoa (pessoa no modo geral da palavra hein pessoal ! ) vai olhar as coisas de outro jeito, entender a vida sob um outro prisma.

Eu me sinto "ridiculo" cotidianamente, quando me questiono sobre tudo que escuto, leio e creio.  Quando posto num forum palavras que demonstram que creio em algo "que nao existe" so porque sinto que existe. Mas pra mim, isso é o que me faz ter otimismo frente à existência. Tem coisa que não engulo em relação à espiritualidade, tem coisa que me serve e assim a vida segue.

O legal de ter a cabeça aberta é escutar sobre tudo que existe, filtrar (cada um segundo seu filtro... assunto bem subjetivo) e transformar em crença, fundada em fato, experiencias ou apenas em algo subjetivo.

Definitivamente não sou cético, mas pra mim é muito importante ouvi-los, pois isso apresenta o contrapeso do que sou. Se eu me isolar dos céticos, posso gerar um forte desequilibrio em minhas ideias.

 :histeria:



Rafael, provas podem ser concludentes para uns e não para outros; explico:

Alguém precisa atravessar uma ponte e acredita que seja segura e quando dela se aproxima vê que ela se rompeu. Agora sabe que a ponte não era segura.

Noutra circunstância recebe informação confiável de que a ponte é bastante segura e se alguém lhe perguntar sobre esta ponte dirá que é segura.
Se esta pessoa confiar em você acreditará (crença) que é segura, do contrário, não acreditará (dúvida) e não se arriscará.

A fé é mais ou menos como aquela ponte.
Você poderá considerá-la segura se puder cotejar informações que lhe esclareçam sobre seu estado (observação pessoal) ou se a informação que dela obtiver for digna de sua confiança.

Por outro lado, se não tiver qualquer informação ou a fonte não for confiável não se arriscará em tal ponte, quer dizer, se não puder fazer observações nem confiar nas fontes o Ceticismo é a via de segurança.

Oi Spencer.
Sim, sua explicação faz sentido.
Realmente caminhar pela via da certeza soh pode acontecer quando a gente caminha sobre o caminho do "ja conhecido e descoberto".
Nesse aspecto, sim, o céticismo é a unica via segura.

Offline Gorducho

  • Nível 26
  • *
  • Mensagens: 1.210
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #72 Online: 19 de Junho de 2017, 11:59:24 »
As possíveis interpretações dos resultados obtidos podem sim serem afetadas por crenças anteriores (qual a teoria boa e verdadeira ?).
Por isso mesmo que me acostumei a pensar Ciência como modelos.
Não me agradam "ontologizações" ("espaço-tempo" "é" isso ou aquei'outro: espaço-tempo "é" só uma multiplicidade matemática pra mim...).
Quando o Einstein e o Schrödinger (entre outros, claro) tentaram ontologizar a Ψ - sempre lembrando que o Schrödinger achava que poderia se livrar do i...- se deram mal. Eu incorporei esse fracasso na minha mente sobre como se deve pensar Ciência.
Citar
É importante notar  que a maioria dos fenômenos que são objeto de experiências e/ou observações chamadas de científicas, não são simples como o fenômeno queda livre.  Muito pelo contrário, muitas vezes são tão complexas que elas nada significam sem que haja uma complexa teoria anterior  (já aceita) que possa dar ordem ao aparente caos observado.
Sim, testa-se o modelo incorporando os modelos da estatística pra filtrar o que é resultado do que é "ruído" &c.
O ponto é que Ciência tem que ser testável ou falsificável se se queira.
Estou ciente de todos infinitos bate-bocas epistemológicos correspondentes. Mas o ponto é que tem que ter coisas testáveis e/ou (que sejam) falsificáveis.
Às vezes alegam alguns que não se pode replicar um tsunami. Em tese pode sim seja em escala (usando a análise dimensional); seja via simulação digital.
 
« Última modificação: 19 de Junho de 2017, 12:09:06 por Gorducho »

Offline Rafael_SG

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 230
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #73 Online: 19 de Junho de 2017, 12:04:45 »
Sempre tenho tentado, com argumentação inspirada, demonstrar aos céticos que lhes falta algo quando exigem provas irrefutáveis da existência de Deus, ou espíritos, etc

Querendo ou não fica a impressão de que os crentes têm mais janela que os demais, ou que os céticos teriam que aguardar sua vez.

Terrível engano. Eu estava completamente errado.

É constrangedor quando se reconhece que nossas certezas, tão absolutas, que nos dão tanta segurança, nos tornam ingênuos ou ridículos aos olhos dos outros, e duas coisas sempre me aterraram e contra as quais constantemente procurei ser mais forte: o comportamento hipócrita e o ridículo.

Pois, coisa incrível: foi exatamente através de um sonho que pude enxergar o quanto se está certo quando se exige provas que suportem a crença.
Por mais que sua fé se apoie em observações e conceitos lógicos, sempre chegará aquele momento em que perceberá que é somente fé.

Não que a tenha perdido, mas certamente alcancei a compreensão de que em dado momento de nossa vida, sem provas consistentes o ceticismo é a única via lógica; é ferramenta de sobrevivência.
Que Deus abençoe o Ceticismo


Tudo é crença. A ciência, a religião...

A diferença é que a ciência é crença justificada e a religião é crença não justificada... fé.

A crença modifica nossa percepção do mundo e é isso que os céticos destacam.

Um livro muito bom (ótimo) sobre a percepção do mundo é o de Schopenhauer "O mundo como vontade e percepção".

Para ele, e eu acredito nisso, o mundo é nosso percepção. Como percebo o mundo?

Aí as crenças são fatais.

Perfeito. Isso mesmo.
Por isso acho que cada individuo se encaixa numa crença, a qual o faz suportar melhor a existência.

Offline Rafael_SG

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 230
  • Sexo: Masculino
Re:Que Deus abençoe o Ceticismo
« Resposta #74 Online: 19 de Junho de 2017, 12:08:05 »
Se "ciência é fato", então a realidade, o universo, é meio como o "what the bleep do we know"; a "mente" a altera, ou produz, mas em vez de ser um processo autárquico em nível individual, é oligárquico, os cientistas é que definem.

Assim, antes da teoria do Big Bang ser verificada, o "fato" era o estado estacionário do universo.

Mas através do pensamento positivo de alguns cientistas, eles transformaram essa realidade, o universo em si... e agora toda a eternidade antes de 5 bilhões de anos atrás foi apagada da existência, e o big-bang foi escrito através dessa telecinésia inconsciente geradora da "realidade".

Exatamente, a ciência é uma foto do que foi descoberto até o momento. Por isso, ela não é verdade absoluta sobre aquilo que ela desconhece.

=)

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!