Autor Tópico: Deixei de ser marxista.  (Lida 2360 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Daniel_1993

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
  • Sou ex-socialista
Deixei de ser marxista.
« Online: 22 de Agosto de 2017, 21:59:09 »
Vocês nem devem lembrar de mim, mas eu postava aqui e outros sites como um socialista stalinista.

Estive revendo minhas posições através de uma longa reflexão nesses últimos anos e percebi que o marxismo é uma grande bobagem.

É realmente vergonhoso que alguém possa ser ainda um marxista, ainda mais stalinista, estou envergonhado das minhas antigas posições.
“You will never be happy if you continue to search for what happiness consists of. You will never live if you are looking for the meaning of life.”
― Albert Camus

“The way to love anything is to realize that it may be lost.”
― G.K. Chesterton

“The first duty of a man is to think for himself”
― José Martí

Não sou mais um marxista-stalinista: http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30157.0

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.194
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #1 Online: 22 de Agosto de 2017, 22:04:50 »
Vocês nem devem lembrar de mim, mas eu postava aqui e outros sites como um socialista stalinista.

Estive revendo minhas posições através de uma longa reflexão nesses últimos anos e percebi que o marxismo é uma grande bobagem.

É realmente vergonhoso que alguém possa ser ainda um marxista, ainda mais stalinista, estou envergonhado das minhas antigas posições.



E após refletir  quais são os pontos principais  nos quais você percebeu  possíveis erros e/ou contradições ?


 

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #2 Online: 22 de Agosto de 2017, 22:17:50 »
Aquela teoria do Raphael Lima de que as pessoas tendem naturalmente à defesa da liberdade/liberalismo/libertarianismo, se afastando dos extremos (seja de direita ou esquerda) parece ser correta.

Por isso ele incentiva que as pessoas vão ao seu canal do youtube nem que seja para xingar ele. A cada exposição ao conteúdo mais liberal, mais a pessoa vai concordando.

Agora falta se desconverter o Coqueiro Vermelho, ukrainian, Hugo, Juca (esqueci de alguém?).

Do lado direito, acho que o mais extremo é o Feliperj. Porém, ele é no máximo um olavista.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #3 Online: 22 de Agosto de 2017, 22:19:47 »
Vocês nem devem lembrar de mim, mas eu postava aqui e outros sites como um socialista stalinista.

Estive revendo minhas posições através de uma longa reflexão nesses últimos anos e percebi que o marxismo é uma grande bobagem.

É realmente vergonhoso que alguém possa ser ainda um marxista, ainda mais stalinista, estou envergonhado das minhas antigas posições.



E após refletir  quais são os pontos principais  nos quais você percebeu  possíveis erros e/ou contradições ?


 

Seria interessante falar sobre isso mesmo. Que tipo de conteúdo ou pessoa te influenciou mais a mudar de opinião?
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Daniel_1993

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
  • Sou ex-socialista
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #4 Online: 22 de Agosto de 2017, 23:25:21 »
Vocês nem devem lembrar de mim, mas eu postava aqui e outros sites como um socialista stalinista.

Estive revendo minhas posições através de uma longa reflexão nesses últimos anos e percebi que o marxismo é uma grande bobagem.

É realmente vergonhoso que alguém possa ser ainda um marxista, ainda mais stalinista, estou envergonhado das minhas antigas posições.



E após refletir  quais são os pontos principais  nos quais você percebeu  possíveis erros e/ou contradições ?

Bom, eu simplesmente acordei para realidade, deixei de mentir para mim mesmo procurando preencher um vaziou existencial com essa defesa cega e absurda do marxismo, uma ideologia que nunca deu certo em lugar nenhum e nunca irá dar, porque é anti-humano, uma ideologia do ódio e da inveja. Parei de olhar para o mundo pelos primas classistas e coletivistas de Marx, comecei a pensar como um individuo que realmente sou. Ah, pensar como um individuo não quer dizer sou egoísta ou materialista, pois acredito os mais altruístas são os não-marxistas.

Não posso dizer que sou um capitalista agora, pois não sou liberalista ou libertário, mas entendo que a economia de mercado é o que existe, mesmo em países comunistas (vira uma espécie de estatismo capitalista, burocratas desfrutam do conforto burguês enquanto o povo desfruta de um Gulag ). A ideologia marxista ou virá num "capitalismo selvagem" como existe na China ou termina economia planificada congelada como ocorre na Coreia do Norte( a qual dependente do próprio capitalismo chinês). 

Antes eu era fechado e só lia blogs stalinistas/marxistas, participava de grupos de facebook de extrema-esquerda ( quando digo extrema-esquerda, é extremo mesmo). Comecei a notar nesses grupos algumas incoerências, como um certo anti-semitismo, anti-americanismo, falavam abertamente em marta e esmagar opositores, mas negavam que Stalin, Fidel, Mao eram ditadores( acreditem, tem muitos esquerdistas que acham que esses ditadores eram democratas). Se dizem anti-racistas mas sempre colocavam a culpa nos brancos cristãos, como se as outras raças fosse compostas por divindades. Chamam os conservadores de nazistas enquanto eles pregavam abertamente a destruição de Israel, sendo pior que católicos tradicionistas.  Isso não é mentira minha não, basta frequentar partidos e grupos marxistas que verá comentários desses radicais com muitas curtidas. Tem um stalinista brasileiro famoso na internet que hoje mora lá Russia, defende o nacionalismo russo e a morte de candidatos da oposição como o Bolsonaro, mas fica nervoso quando é comparado com os nazistas.  :?:

Então, simplesmente não consigo achar lógica mais no marxismo e no comunismo. Não tem coerência nenhuma nessa extrema-esquerda. Foi um despertar pessoal.
« Última modificação: 22 de Agosto de 2017, 23:52:32 por Daniel Vermelho »
“You will never be happy if you continue to search for what happiness consists of. You will never live if you are looking for the meaning of life.”
― Albert Camus

“The way to love anything is to realize that it may be lost.”
― G.K. Chesterton

“The first duty of a man is to think for himself”
― José Martí

Não sou mais um marxista-stalinista: http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30157.0

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.083
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #5 Online: 22 de Agosto de 2017, 23:33:06 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline Daniel_1993

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
  • Sou ex-socialista
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #6 Online: 22 de Agosto de 2017, 23:33:47 »
Vocês nem devem lembrar de mim, mas eu postava aqui e outros sites como um socialista stalinista.

Estive revendo minhas posições através de uma longa reflexão nesses últimos anos e percebi que o marxismo é uma grande bobagem.

É realmente vergonhoso que alguém possa ser ainda um marxista, ainda mais stalinista, estou envergonhado das minhas antigas posições.



E após refletir  quais são os pontos principais  nos quais você percebeu  possíveis erros e/ou contradições ?


 

Seria interessante falar sobre isso mesmo. Que tipo de conteúdo ou pessoa te influenciou mais a mudar de opinião?

No meu caso, só mudei quando realmente quis mudar e pensar como um ser humano normal. Pois no caso de marxistas extremistas não importa quando você mostre que estão errados, eles sempre vão achar uma maneira de negar o óbvio, sabe? não depende dos outros e sim deles mesmos, aliás ficam mais fanáticos ainda quando são refutados e confrontados.

Esses stalinistas vivem com teses revisionistas que  traduziam dos russos e jogavam na internet para angariar mais seguidores entre a esquerda. É difícil entender como como pessoas humanas e inteligentes poderiam encontrar algo para admirar no vasto campo escravo produzido por Stalin.
“You will never be happy if you continue to search for what happiness consists of. You will never live if you are looking for the meaning of life.”
― Albert Camus

“The way to love anything is to realize that it may be lost.”
― G.K. Chesterton

“The first duty of a man is to think for himself”
― José Martí

Não sou mais um marxista-stalinista: http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30157.0

Offline Daniel_1993

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
  • Sou ex-socialista
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #7 Online: 22 de Agosto de 2017, 23:44:41 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles. Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.
“You will never be happy if you continue to search for what happiness consists of. You will never live if you are looking for the meaning of life.”
― Albert Camus

“The way to love anything is to realize that it may be lost.”
― G.K. Chesterton

“The first duty of a man is to think for himself”
― José Martí

Não sou mais um marxista-stalinista: http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30157.0

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #8 Online: 23 de Agosto de 2017, 00:42:53 »
Qual é a sua idade Daniel Vermelho?
Foto USGS

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.083
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #9 Online: 23 de Agosto de 2017, 00:47:43 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles.
Nada, aposto que qualquer um que não seja de extrema esquerda seja chamado por eles de neoliberal (inclusive esquerdistas mais moderados ou qualquer um que critique algo que eles falem).

Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.
Pra você ver que a teoria da ferradura não é nenhum exagero.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.
"Como ser um conservador" de Roger Scruton está na sua lista? Se não fica ai uma ótima sugestão (melhor livro sobre conservadorismo que já li).
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.194
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #10 Online: 23 de Agosto de 2017, 08:18:05 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles. Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.


Leia  livros liberais e conservadores e conservadores, mas fique atento para as falsidades que  fundamentam algumas crenças deles (há coisas boas, mas há coisas ridiculamente falsas), e também fique atento aos valores deles pois autores como a Ayn Rand  defendem um extremo  e abjeto  egoísmo, e há autores anarco capitalistas que defendem coisas como escravização por dívida, trabalho infantil (como na revolução industrial no século XIX),  e outras coisas abjetas.   

Há extremistas que parecem ser portadores de sociopatia neste meio libertário e anarco capitalista (da mesma forma que também tem os sociopatas no meio do socialismo real).

Há coisas abjetas no socialismo real, mas há muita coisa extremamente nojenta no libertarismo e anarco capitalismo.  E muita falsidade também.

Tem coisas extremamente ridículas e falsas no libertarismo e anarco capitalismo.  Coisa de anta elevada ao quadrado.

Nesse meio libertário e anarco capitalista tem muita gente que também é cegada pela ideologia, não é só  no lado vermelho que tem os cegos ideológicos.  Tem muitos que não conseguem enxergar realidades básicas e acreditam em coisas realmente estúpidas (e também coisas já mostradas como falsas pela ciência).

Existem também autores não tão extremistas, mas que escrevem falsidades, e mesmo assim tem grupos de tolos  que acham que  os caras escreveram alguma coisa que resista a alguma crítica minimamente bem elaborada. Como exemplo eu dou o tolo Bastiat, o qual não é  considerado sequer  um mal teórico,  ele nem é considerado um teórico no meio acadêmico. E mesmo assim tem grupos de tolos liberais que ficam repetindo as sandices desse Bastiat.  No geral se você ler ou ouvir uma sandice do tio "imposto é roubo" fique atento,  pois é praticamente certo  que você estará diante de um fã desse Bastiat (ou de outro autor da mesma laia).

 
« Última modificação: 23 de Agosto de 2017, 08:47:20 por JJ »

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #11 Online: 23 de Agosto de 2017, 08:39:48 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles. Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.


Leia  livros liberais e conservadores e conservadores, mas fique atento para as falsidades que  fundamentam algumas crenças deles (há coisas boas, mas há coisas ridiculamente falsas), e também fique atento aos valores deles pois autores como a Ayn Rand  defendem um extremo  e abjeto  egoísmo, e há autores anarco capitalistas que defendem coisas como escravização por dívida, trabalho infantil (como na revolução industrial no século XIX),  e outras coisas abjetas.   

Há extremistas que parecem ser portadores de sociopatia neste meio libertário e anarco capitalista (da mesma forma que também tem os sociopatas no meio do socialismo real).

Há coisas abjetas no socialismo real, mas há muita coisa extremamente nojenta no libertarismo e anarco capitalismo.  E muita falsidade também.

Tem coisas extremamente ridículas e falsas no libertarismo e anarco capitalismo.  Coisa de anta elevada ao quadrado.

Nesse meio libertário e anarco capitalista tem muita gente que também é cegada pela ideologia, não é só  no lado vermelho que tem os cegos ideológicos.  Tem muitos que não conseguem enxergar realidades básicas e acreditam em coisas realmente estúpidas (e também coisas já mostradas como falsas pela ciência).

Existem também autores não tão extremistas, mas que escrevem falsidades, e mesmo assim tem grupos de tolos  que acham que  os caras escreveram alguma coisa que resista a alguma crítica minimamente bem elaborada. Como exemplo eu dou o tolo Bastiat, o qual não é  considerado sequer  um mal teórico,  ele nem é considerado um teórico. E mesmo assim tem grupos de tolos liberais que ficam repetindo as sandices desse Bastiat.  No geral se você ler ou ouvir uma sandice do tio "imposto é roubo" fique atento,  pois é praticamente certo  que você estará diante de um fã desse Bastiat (ou de outro autor da mesma laia).

 

Não, Daniel Vermelho, não dê bola pro JJ. Ele tem uns devaneios. Aliás, ele tem uma quedinha por Putin.


Mas não deixa de ser engraçado que agora a batalha política seja contra as crias do Olavo. Estes sim, JJ, usam argumentos falaciosos, são extremistas, são totalmente anti-islâmicos, homofóbicos, não respeitam os direitos humanos, e quem não concorda com eles é comunista.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.194
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #12 Online: 23 de Agosto de 2017, 08:42:21 »

Uma outra dica que eu dou é que você procure ler os  autores mais consagrados e  bem considerados no meio acadêmico mainstream das ciências econômicas, e tenha um pé atrás com a tal escola austríaca de economia, a qual é uma escola apenas marginal (só que com muitos fanboys libertários e anarco capitalistas, pois esta escola fala várias coisas que eles querem ouvir).





Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.194
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #13 Online: 23 de Agosto de 2017, 08:44:12 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles. Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.


Leia  livros liberais e conservadores e conservadores, mas fique atento para as falsidades que  fundamentam algumas crenças deles (há coisas boas, mas há coisas ridiculamente falsas), e também fique atento aos valores deles pois autores como a Ayn Rand  defendem um extremo  e abjeto  egoísmo, e há autores anarco capitalistas que defendem coisas como escravização por dívida, trabalho infantil (como na revolução industrial no século XIX),  e outras coisas abjetas.   

Há extremistas que parecem ser portadores de sociopatia neste meio libertário e anarco capitalista (da mesma forma que também tem os sociopatas no meio do socialismo real).

Há coisas abjetas no socialismo real, mas há muita coisa extremamente nojenta no libertarismo e anarco capitalismo.  E muita falsidade também.

Tem coisas extremamente ridículas e falsas no libertarismo e anarco capitalismo.  Coisa de anta elevada ao quadrado.

Nesse meio libertário e anarco capitalista tem muita gente que também é cegada pela ideologia, não é só  no lado vermelho que tem os cegos ideológicos.  Tem muitos que não conseguem enxergar realidades básicas e acreditam em coisas realmente estúpidas (e também coisas já mostradas como falsas pela ciência).

Existem também autores não tão extremistas, mas que escrevem falsidades, e mesmo assim tem grupos de tolos  que acham que  os caras escreveram alguma coisa que resista a alguma crítica minimamente bem elaborada. Como exemplo eu dou o tolo Bastiat, o qual não é  considerado sequer  um mal teórico,  ele nem é considerado um teórico. E mesmo assim tem grupos de tolos liberais que ficam repetindo as sandices desse Bastiat.  No geral se você ler ou ouvir uma sandice do tio "imposto é roubo" fique atento,  pois é praticamente certo  que você estará diante de um fã desse Bastiat (ou de outro autor da mesma laia).

 

Não, Daniel Vermelho, não dê bola pro JJ. Ele tem uns devaneios. Aliás, ele tem uma quedinha por Putin.




Não, Daniel Vermelho, não dê bola pro Lorentz.  Para você ter uma ideia, ele tem uma quedinha pelo  Bolsonaro.    :biglol:



« Última modificação: 23 de Agosto de 2017, 08:50:00 por JJ »

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #14 Online: 23 de Agosto de 2017, 09:24:20 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles. Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.


Leia  livros liberais e conservadores e conservadores, mas fique atento para as falsidades que  fundamentam algumas crenças deles (há coisas boas, mas há coisas ridiculamente falsas), e também fique atento aos valores deles pois autores como a Ayn Rand  defendem um extremo  e abjeto  egoísmo, e há autores anarco capitalistas que defendem coisas como escravização por dívida, trabalho infantil (como na revolução industrial no século XIX),  e outras coisas abjetas.   

Há extremistas que parecem ser portadores de sociopatia neste meio libertário e anarco capitalista (da mesma forma que também tem os sociopatas no meio do socialismo real).

Há coisas abjetas no socialismo real, mas há muita coisa extremamente nojenta no libertarismo e anarco capitalismo.  E muita falsidade também.

Tem coisas extremamente ridículas e falsas no libertarismo e anarco capitalismo.  Coisa de anta elevada ao quadrado.

Nesse meio libertário e anarco capitalista tem muita gente que também é cegada pela ideologia, não é só  no lado vermelho que tem os cegos ideológicos.  Tem muitos que não conseguem enxergar realidades básicas e acreditam em coisas realmente estúpidas (e também coisas já mostradas como falsas pela ciência).

Existem também autores não tão extremistas, mas que escrevem falsidades, e mesmo assim tem grupos de tolos  que acham que  os caras escreveram alguma coisa que resista a alguma crítica minimamente bem elaborada. Como exemplo eu dou o tolo Bastiat, o qual não é  considerado sequer  um mal teórico,  ele nem é considerado um teórico. E mesmo assim tem grupos de tolos liberais que ficam repetindo as sandices desse Bastiat.  No geral se você ler ou ouvir uma sandice do tio "imposto é roubo" fique atento,  pois é praticamente certo  que você estará diante de um fã desse Bastiat (ou de outro autor da mesma laia).

 

Não, Daniel Vermelho, não dê bola pro JJ. Ele tem uns devaneios. Aliás, ele tem uma quedinha por Putin.




Não, Daniel Vermelho, não dê bola pro Lorentz.  Para você ter uma ideia, ele tem uma quedinha pelo  Bolsonaro.    :biglol:





Cara, não paro de descer o cacete nele. Já o Putin não vejo uma linha de crítica da sua parte. Até o Kim jong-un você defende agora.

Seje menas.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.083
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #15 Online: 23 de Agosto de 2017, 09:38:40 »
Seje menas? Você está cometendo apropriação cultural de uma expressão dos justiceiros sociais, seje menas você!
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline Pagão

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.690
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #16 Online: 23 de Agosto de 2017, 09:42:28 »
Vocês nem devem lembrar de mim, mas eu postava aqui e outros sites como um socialista stalinista.

Estive revendo minhas posições através de uma longa reflexão nesses últimos anos e percebi que o marxismo é uma grande bobagem.

É realmente vergonhoso que alguém possa ser ainda um marxista, ainda mais stalinista, estou envergonhado das minhas antigas posições.

Lembro-me perfeitamente... A dúvida entrou na sua mente e trouxe a liberdade...
Nenhuma argumentação racional exerce efeitos racionais sobre um indivíduo que não deseje adotar uma atitude racional. - K.Popper

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.194
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #17 Online: 23 de Agosto de 2017, 09:44:47 »
Cara, não paro de descer o cacete nele. Já o Putin não vejo uma linha de crítica da sua parte. Até o Kim jong-un você defende agora.

Seje menas.


Você está confundindo análise das ações de desenvolvimento de capacidade de defesa do Kim jong-un com apologia do Kim jong-un. 

O Kim jong-um é um ditador, mas as ações que ele tem feito no sentido de desenvolver capacidade de defesa,  são bastante racionais.

Você está confundindo julgamento moral com análise de racionalidade. Tais coisas são bem distintas.



« Última modificação: 23 de Agosto de 2017, 09:49:39 por JJ »

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #18 Online: 23 de Agosto de 2017, 09:48:58 »
Cara, não paro de descer o cacete nele. Já o Putin não vejo uma linha de crítica da sua parte. Até o Kim jong-un você defende agora.

Seje menas.


Você está confundindo análise das ações de desenvolvimento de capacidade de defesa do Kim jong-un com apologia do Kim jong-un. 

O Kim jong-um é um ditador, mas as ações que ele tem feito no sentido de desenvolver capacidade de defesa,  são bastante racionais.

Você está confundindo julgamento moral com análise de racionalidade. Tais coisas são bem distintas.

Se ele continuar no atual ritmo, será um 'racional' pulverizado.
Foto USGS

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #19 Online: 23 de Agosto de 2017, 09:49:52 »
Seje menas? Você está cometendo apropriação cultural de uma expressão dos justiceiros sociais, seje menas você!

Seje menas nóis!
Foto USGS

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.888
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #20 Online: 23 de Agosto de 2017, 10:23:36 »
Daniel Vermelho,

Livrar-se de um ou mais pilares teóricos marxistas refutados pela evidência é um avanço, mas não é suficiente. Também não é para discordar de algo que Marx disse só porque veio de Marx. Dentro desse contexto, a melhor arma contra o obscurantismo da filosofia política é o ceticismo empírico. Filosofia política é um campo cheio de manés dos mais variados espectros políticos que não reconhecem o valor de uma sociedade governada tendo por base a consciência da ignorância. Muitas vezes, nós não sabemos como fazer. E pior, muitas vezes, nós não sabemos sequer que temos um problema, além de não sabermos como resolvê-lo.

Offline Daniel_1993

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
  • Sou ex-socialista
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #21 Online: 23 de Agosto de 2017, 10:51:38 »
Nada, aposto que qualquer um que não seja de extrema esquerda seja chamado por eles de neoliberal (inclusive esquerdistas mais moderados ou qualquer um que critique algo que eles falem).

O problema que não é só a extrema-esquerda, mas a esquerda padrão rotula de neoliberal(coxinha) ou fascista sem motivos. Como, por exemplo, os petistas que não pertencem exatamente a extrema-esquerda, mas ainda sim são fanáticos seguidores do partido. Banalizaram esses rótulos, invertendo o significado dessas palavras.


"Como ser um conservador" de Roger Scruton está na sua lista? Se não fica ai uma ótima sugestão (melhor livro sobre conservadorismo que já li).

Sim, esse é o principal autor na minha lista de conservadores anglo-saxões, junto com Edmundo Burke e Russell Kirk. Mas tenho pesquisado por obras de conservadores ibéricos.
« Última modificação: 23 de Agosto de 2017, 11:42:18 por Daniel Vermelho »
“You will never be happy if you continue to search for what happiness consists of. You will never live if you are looking for the meaning of life.”
― Albert Camus

“The way to love anything is to realize that it may be lost.”
― G.K. Chesterton

“The first duty of a man is to think for himself”
― José Martí

Não sou mais um marxista-stalinista: http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30157.0

Offline Fabrício

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.122
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #22 Online: 23 de Agosto de 2017, 10:51:49 »
Daniel ex-vermelho  :hihi:, me lembro bem dos seus posts. É difícil abandonar uma ideologia quando ela se torna praticamente uma religião, nem todo mundo consegue, parabéns pelo bom senso.
"Deus prefere os ateus"

Offline Daniel_1993

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 247
  • Sexo: Masculino
  • Sou ex-socialista
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #23 Online: 23 de Agosto de 2017, 11:04:56 »
E agora você se considera um keynesiano, um social-democrata, algo mais ameno mas ainda a esquerda do espectro político ou chegou até mesmo a cair para o centro ou para direita do espectro?

Eu nem preocupo mais com esses rótulos. Não busco mais respostas em ideologias ou correntes econômicas, penso que as sociedades são complexas demais para serem resumidas em respostas de apenas um único grupo filosófico. 

Mas de esquerda  certamente não sou, já que sempre sou chamado de neoliberal ou até de fascistas por eles. Já a galera mais de direita me chama de "insentão" por não me definir nessa dicotomia falha ou levantar uma bandeira política.

Claro que sou jovem ainda, aprendendo a cada dia. Tenho uma lista de livros liberais e conservadores que pretendo ler esse ano ainda.


Leia  livros liberais e conservadores e conservadores, mas fique atento para as falsidades que  fundamentam algumas crenças deles (há coisas boas, mas há coisas ridiculamente falsas), e também fique atento aos valores deles pois autores como a Ayn Rand  defendem um extremo  e abjeto  egoísmo, e há autores anarco capitalistas que defendem coisas como escravização por dívida, trabalho infantil (como na revolução industrial no século XIX),  e outras coisas abjetas.   

Há extremistas que parecem ser portadores de sociopatia neste meio libertário e anarco capitalista (da mesma forma que também tem os sociopatas no meio do socialismo real).

Há coisas abjetas no socialismo real, mas há muita coisa extremamente nojenta no libertarismo e anarco capitalismo.  E muita falsidade também.

Tem coisas extremamente ridículas e falsas no libertarismo e anarco capitalismo.  Coisa de anta elevada ao quadrado.

Nesse meio libertário e anarco capitalista tem muita gente que também é cegada pela ideologia, não é só  no lado vermelho que tem os cegos ideológicos.  Tem muitos que não conseguem enxergar realidades básicas e acreditam em coisas realmente estúpidas (e também coisas já mostradas como falsas pela ciência).

Existem também autores não tão extremistas, mas que escrevem falsidades, e mesmo assim tem grupos de tolos  que acham que  os caras escreveram alguma coisa que resista a alguma crítica minimamente bem elaborada. Como exemplo eu dou o tolo Bastiat, o qual não é  considerado sequer  um mal teórico,  ele nem é considerado um teórico no meio acadêmico. E mesmo assim tem grupos de tolos liberais que ficam repetindo as sandices desse Bastiat.  No geral se você ler ou ouvir uma sandice do tio "imposto é roubo" fique atento,  pois é praticamente certo  que você estará diante de um fã desse Bastiat (ou de outro autor da mesma laia).

Como disse não pretendo sair de uma corrente de fanáticos para entrar em outro grupo de fanáticos, o libertarianismo não me atrai, considero utópico. Já que não existe país que não possua um certo intervencionismo na economia ou no social. Conheço um blog de esquerda que sempre está rebatendo esses libertários com bons argumentos, um exemplo: https://voyager1.net/economia/10-fatos-sobre-singapura-que-invalidam-os-indices-de-liberdade-economica/

Agora Baptist é um tolo? no meio academico entre os economistas ele sempre é citado. Por causa da Lei de Say e estudos de utilidade marginal, mesmo que seja estudo para história econômica.

« Última modificação: 23 de Agosto de 2017, 19:53:34 por Daniel Vermelho »
“You will never be happy if you continue to search for what happiness consists of. You will never live if you are looking for the meaning of life.”
― Albert Camus

“The way to love anything is to realize that it may be lost.”
― G.K. Chesterton

“The first duty of a man is to think for himself”
― José Martí

Não sou mais um marxista-stalinista: http://clubecetico.org/forum/index.php?topic=30157.0

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Deixei de ser marxista.
« Resposta #24 Online: 23 de Agosto de 2017, 11:05:27 »
Daniel ex-vermelho  :hihi:, me lembro bem dos seus posts. É difícil abandonar uma ideologia quando ela se torna praticamente uma religião, nem todo mundo consegue, parabéns pelo bom senso.

Quero aproveitar para confessar que Bolsonaro não me empolga mais. Nem o PSDB. Estou me desintoxicando.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!