Autor Tópico: Guerra - Armas  (Lida 2326 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #50 Online: 12 de Junho de 2018, 08:45:21 »
E muitos novos liberais brazucas ficam tentando vender a ideia de que o Estado não deve interferir na economia, entretanto o país mais rico e poderoso do mundo tem um  Estadão  que  interfere de forma significativa na economia.

Ou seja temos um bom  exemplo de mais uma ideia furada que novos liberais brazucas tentam vender. 





« Última modificação: 12 de Junho de 2018, 08:48:00 por JJ »

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.735
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #51 Online: 12 de Junho de 2018, 16:49:10 »
E muitos novos liberais brazucas ficam tentando vender a ideia de que o Estado não deve interferir na economia, entretanto o país mais rico e poderoso do mundo tem um  Estadão  que  interfere de forma significativa na economia.

Ou seja temos um bom  exemplo de mais uma ideia furada que novos liberais brazucas tentam vender. 







O país mais rico do mundo tem um Estadão, mas não tem o melhor IDH, a melhor educação, a melhor eleição, as melhores políticas econômicas e sociais ou serviços mais baratos e de melhor qualidade. A China também caminha para ser o mais rico e é uma lástima em vários quesitos.

A riqueza absoluta não é um bom indicador de boa saúde econômica do país.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #52 Online: 12 de Junho de 2018, 19:43:24 »

E muitos novos liberais brazucas ficam tentando vender a ideia de que o Estado não deve interferir na economia, entretanto o país mais rico e poderoso do mundo tem um  Estadão  que  interfere de forma significativa na economia.

Ou seja temos um bom  exemplo de mais uma ideia furada que novos liberais brazucas tentam vender. 







O país mais rico do mundo tem um Estadão, mas não tem o melhor IDH, [...]



Maior IDH ?


Noruega      Ranking IDH Global   País   IDH 2014

Muito Alto Desenvolvimento Humano

1   Noruega   0,944


Carga Tributária (% PIB)

Noruega   42,80%


A Noruega  (proporcionalmente)  também tem um Estadão.









Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #53 Online: 12 de Junho de 2018, 19:47:57 »

Mas, o IDH do Estadão EUA está muito próximo  do Estadão  Noruega.


IDH: 0,920 (Pnud 2016) - desenvolvimento humano muito alto.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.509
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #54 Online: 12 de Junho de 2018, 20:13:29 »
Creio que o IDH americano é muito mais heterogêneo, com maior desigualdade, e mais regiões com IDH de terceiro mundo.




Citar




...

South Carolina - .871
43. Lithuania - .869
44. Latvia - .863
45. Croatia - .862
46. Argentina - .860
47. Uruguay - .859
48. Cuba - .855
49. Bahamas - .854
50. Costa Rica - .847
51. Mexico - .842
52. Libya - .840
53. Oman - .839
54. Seychelles - .836
55. Saudi Arabia - .835
56. Bulgaria - .834
57. Trinidad and Tobago - .833
58. Panama - .832
59. Antigua and Barbuda - .830
60. Saint Kitts and Nevis - .830
61. Venezuela - .826
62. Romania - .825
63. Malaysia - .823
64. Montenegro - .822
65. Serbia - .821
66. Saint Lucia - .821
Kentucky - .820
67. Belarus - .817
Tennessee - .816
Oklahoma - .815
Alabama - .809

68. Macedonia - .808
69. Albania - .807
70. Brazil - .807
71. Kazakhstan - .807
72. Ecuador - .807
73. Russia - .806
Arkansas - .803
74. Mauritius - .802
75. Bosnia and Herzegovina - .802
Louisiana - .801
West Virginia - .800
Mississippi - .799

76. Turkey - .798



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.509
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #55 Online: 21 de Agosto de 2018, 03:16:39 »
Citar
<a href="https://www.youtube.com/v/FyUTNRIuAqc" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/FyUTNRIuAqc</a>

RAND researchers present an overview of their key findings on hypersonic missiles — a new class of military threat capable of maneuvering and flying faster than 5,000 kilometers per hour. Richard Speier, George Nacouzi, Rich Moore, and 2015–2016 Stanton Nuclear Fellow Carrie Lee describe how speed and maneuverability enable such missiles to penetrate most missile defenses, and further compress the timelines for a response by a nation under attack. This research, sponsored by the Carnegie Corporation of New York for its project Disruptive Technologies and the Future of Deterrence, suggests that there is probably less than a decade available to substantially hinder the potential proliferation of hypersonic missiles and associated technologies.


https://qz.com/1350327/china-tested-a-hypersonic-weapon-the-us-cant-defend-against/


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #56 Online: 26 de Fevereiro de 2019, 10:13:35 »


Após ‘kill ratio’ de 20:1, caças F-35A assumirão papel de liderança no próximo Red Flag


Por Fernando Valduga - 27/01/2019



Uma formação de F-35A Lightning IIs, das 388ª e 419ª Alas de Caça, sobrevoam a Área de Teste e Treinamento de Utah.(Foto: U.S. Air Force / Staff Sgt. Andrew Lee)


Os pilotos e mantenedores da 388ª Ala de Caça (FW), da Base Aérea de Hill, Utah, levaram seus caças furtivos F-35A e uma “maior letalidade” ao assumirem o papel principal no exercício Red Flag 19-1, na Base da Força Aérea de Nellis, Nevada, EUA.


De 26 de janeiro a 15 de fevereiro, aproximadamente 200 aviadores da Base Aérea de Hill, incluindo reservistas da 419ª Ala de Caça, participarão do que é conhecido como o principal exercício de treinamento de combate da Força Aérea dos EUA.



[...]


“Temos um pacote de software atualizado que melhorou nossa fusão de sensores. Temos um envelope de voo expandido com mais manobrabilidade. Temos a capacidade de empregar mais armas, incluindo o canhão de 25 mm”, disse o tenente-coronel Yosef Morris, comandante do 4º Esquadrão de Caça. “Quando juntamos essas coisas com os dois anos, tivemos que melhorar nossas táticas, estamos trazendo um F-35A muito mais letal para este Red Flag e, finalmente, para o campo de batalha.”


[...]



http://www.cavok.com.br/blog/apos-kill-ratio-de-201-cacas-f-35a-assumirao-papel-de-lideranca-no-proximo-red-flag/

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #57 Online: 26 de Fevereiro de 2019, 10:21:08 »
Caça F-35 domina mais uma vez o exercício Red Flag com taxa de kills de 20:1


19 de fevereiro de 2019


O F-35 dominou os primeiros exercícios Red Flag deste ano com uma taxa de kills de 20:1.

O Red Flag 19-1 acaba de chegar ao fim e, com base em relatórios oficiais, mais uma vez o F-35 superou os Aggressors.
Os recentes treinos do Red Flag foram realizados ao longo das últimas três semanas e contou com a participação de uma dúzia de caças F-35A da Força Aérea do 4º Esquadrão de Caça da 388th Fighter Wing, juntamente com muitos outros tipos de aeronaves de combate.


De fato, embora os primeiros relatos sugerissem uma “kill ratio” de 15 para 1, o recente depoimento da Força Aérea pelo tenente-general Jerry D. Harris, vice-comandante do Comando de Combate Aéreo caracterizou a taxa de mortalidade como “20:1” significando que, para um F 35A “perdido” em combate simulado em um ambiente de alta ameaça, a aeronave destruiu 20 aeronaves inimigas simuladas pertencentes à “Força Vermelha”.


Dois anos mais tarde, com a subsequente atualização do software Block 3F disponível, que fornece 100 por cento do software necessário para a capacidade de combate total, os F-35 mais uma vez testaram suas habilidades como parte da “Força Azul” na Força Aérea no primeiro combate aéreo realizado na Base Aérea Nellis: um Red Flag “exponencialmente mais desafiador”, de acordo com os aviadores do 4º Esquadrão de Caça da Asa de Combate da 388ª.


De acordo com os aviadores da 388th FW, durante a primeira semana do Red Flag 19-1, os pilotos do F-35 voaram em uma força maior de Blue Air em uma missão contra-aérea. Mais de 60 aeronaves agressoras estavam voando contra elas, cegando muitas das aeronaves de quarta geração com capacidades de ataque eletrônico “robustas”.



https://www.aereo.jor.br/2019/02/19/caca-f-35-domina-mais-uma-vez-o-exercicio-red-flag-com-taxa-de-kills-de-201/



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #58 Online: 26 de Fevereiro de 2019, 10:33:57 »


Fim da linha para o Su-57?


Por Giordani - 14/07/2018



Foi noticiado na mídia internacional que a Rússia teria cancelado a produção em massa do seu caça furtivo de quinta geração Su-57.


Segundo o Business Insider, a Rússia teria admitido a derrota de seu jato ante o F-35 ao cancelar a produção em massa do Su-57. Já para o jornal The Diplomat, a produção em massa do Su-57 não é necessária agora, conforme disse o vice-ministro da Defesa da Rússia. O fato é que há tempos a mídia indiana vem dizendo que o Su-57, com base nos militares daquele país, não é um caça furtivo de 5ª geração. A decisão da Rússia pode acabar corroborando com tal afirmação.




Caça Su-57 durante show aéreo no MAKS, próximo a Moscou. (Foto: Marina Lystseva)


A Rússia anunciou no início deste mês que o Su-57, sua proposta de entrada no mundo dos caças furtivos de quinta geração, não entraria mais em produção em massa. “O avião provou ser muito bom, inclusive na Síria, onde confirmou seu desempenho e capacidade de combate“, disse o vice-ministro da Defesa russo, Yuri Borisov, na TV russa no dia 2 de julho.


Mas, apesar do elogio ao avião e de afirmações duvidosas sobre suas habilidades, Borisov disse, segundo o The Diplomat, que “a produção em série do Su-57 não faz sentido neste estágio e só ocorrerá quando os caças de combate de quarta geração mais antigos da Força Aérea Russa ficarem atrás de seus equivalentes ocidentais“.


Justin Bronk, um especialista em aviação de combate do Royal United Services Institute, disse que os comentários de Borisov “poderiam ser caridosamente descritos como uma razão excessivamente otimista para a interrupção da produção“.


Basicamente, Borisov disse que “o avião é muito melhor do que tudo que a Rússia não precisa construir” – uma alegação que Bronk acha improvável.
Em vez disso, a Rússia manterá o que é bom, com aeronaves de quarta geração em serviço atualizadas, em vez do Su-57, que foi originalmente concebido para substituir os caças mais antigos.


O Su-57, um avião projetado com uma variedade inovadora de radares para ser o assassino dos jatos furtivos F-35 e F-22 dos EUA, viu um breve período de combate na Síria, mas a implantação durou apenas alguns dias e não aconteceu nada de excepcional.


Acredita-se que o voo, além de fins puramente publicitário, testou mesmo a capacidade de translado do avião.


O custo unitário de um Su-57 é estimado em cerca de US$ 40-45 milhões (2,5 vezes menos do que o F-35). Em junho, o ministério da Defesa da Rússia concedeu à SC Sukhoi Company um contrato inicial para o fornecimento do primeiro lote de 12 aeronaves.


O Su-57 é um multirole, assento único, bimotor de superioridade aérea desenvolvido sob o programa de caça de quinta geração PAK-FA. O Su-57, que fez seu voo inaugural em 2010, foi originalmente projetado para substituir a envelhecida frota de caças MiG-29 e Su-27 da Força Aérea Russa nas décadas de 2020 e 2030. Ao que parece, o cronograma não será mais mantido.


Para diversos analistas militares, a verdadeira razão pela qual a aeronave não vai entrar em produção em massa no curto prazo são as várias dificuldades técnicas que ainda precisam ser superadas. Por exemplo, a indústria de aviação militar russa ainda luta para desenvolver o motor de próxima geração da aeronave. O novo motor, chamado de Saturno izdeliye 30 (supostamente com aumento de empuxo, eficiência de combustível e equipado com empuxo vetorado 3D) não deverá estar pronto para produção em série antes de 2020


[...]


Restante no link:


http://www.cavok.com.br/blog/fim-da-linha-para-o-su-57/comment-page-2/


« Última modificação: 26 de Fevereiro de 2019, 10:44:37 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #59 Online: 12 de Março de 2019, 09:19:15 »



Barrett M82


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa

O M107.

Um militar norte americano com seu fuzil M82A1.


Barrett M82 é um fuzil de precisão que dispara um projétil de grosso calibre (.50 BMG, com 12,7 mm de diâmetro). Foi desenvolvido a pedido do Exército Norte-Americano, que desejava um fuzil preciso e com alto poder de destruição, para cumprir o papel de arma anti-material (ou seja, projetada não só para deter combatentes humanos, mas também para causar danos materiais, sejam em construções, veículos leves,carros de combate, veículos blindados, eventualmente aeronaves etc.) considerada uma das armas de fogo mais destruidoras da atualidade. É capaz de disparar efetivamente a 1.8Km do alvo (sendo o maximo 6.812,3 M.)[1]


https://pt.wikipedia.org/wiki/Barrett_M82

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #60 Online: 12 de Março de 2019, 09:22:33 »
22 de Novembro, 2012 - 08:52 ( Brasília )
Armas

SNIPER - Novo Recorde de Distância 2.815m


Novo Recorde de Distância para Tiro de Sniper no Afeganistão: 2.815m

Sniper australiano em operação no Afeganistão.

 

Alexandre Beraldi


Uma equipe de snipers das forças especiais australianas utilizou dois fuzis Barret modelo M82 A1 em calibre 12,7x99mm OTAN (.50 BMG) para abater um comandante Taleban à distância de 2,815 metros, estabelecendo um novo recorde mundial.


O feito ocorreu na província de Helmand onde a equipe de snipers do 2º Regimento de Comandos (2nd Commando Regiment) operava. Durante as operações a equipe observou o deslocamento do que parecia uma fração de guerrilheiros Talebans através de suas lunetas de espotagem.


Após a confirmação de que tais alvos eram de fato inimigos e do recebimento de autorização para o engajamento, a equipe procurou identificar o alvo de maior valor no grupo, rapidamente individualizando aquele que seria o comandante da fração.


Ao preparar o disparo e confirmar por meio de todos os instrumentos disponíveis que o alvo se encontrava à distância de 2.815 m, optaram por efetuar o disparo simultâneo de dois fuzis Barret .50 para aumentar as chances de acerto.


Ambos os snipers acionaram os gatilhos de seus fuzis Barret M82 A1 simultaneamente, lançando os dois projéteis de 47 gramas num vôo que durou seis segundos até que um deles atingiu o alvo, neutralizando-o imediatamente.


Como foi utilizada a técnica do disparo simultâneo, não foi possível determinar qual dos snipers atingiu o alvo, sendo apenas certo que um novo recorde de acerto a longa distância foi estabelecido: pouco menos de 3 quilômetros. A esta distância os demais guerrilheiros Talebans não foram capazes nem mesmo de ouvir o disparo.


O recorde anterior pertencia ao sniper inglês Craig Harrison, que utilizando seu fuzil L115 A3 (Accuracy International AWM) no calibre .338 Lapua Magnum (8,6x70mm), foi capaz de abater a guarnição de uma metralhadora de emprego geral PKM, composta por dois guerrilheiros Taleban,  a 2.475 metros de distância. O novo recorde, 340 metros maior, permanece anônimo.



http://www.defesanet.com.br/armas/noticia/8716/SNIPER---Novo-Recorde-de-Distancia--2-815m/


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #61 Online: 12 de Março de 2019, 09:33:31 »

Batalhão “Tonelero” realiza primeiro disparo com o Fuzil de Precisão Antimaterial PGM HECATE II

Luiz Padilha por LUIZ PADILHA   02/09/2014 - 10:30  em Naval   3



Fuzil antimaterial PGM HECATE II


No dia 22 de agosto, foi realizado pelo Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais (BtlOpEspFuzNav), Batalhão “Tonelero”, o primeiro disparo para regulagem do Fuzil antimaterial PGM HECATE II, fuzil de alta potência, calibre 12.7 x 99 mm (.50), fabricado pela empresa francesa PGM Précision, recém adquirido pelo Corpo de Fuzileiros Navais.


Na ocasião, a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) apresentava novos produtos desenvolvidos por aquela indústria, entre eles a munição especial .50 a ser utilizada pelos atiradores de precisão. Com essa capacitação, elevamos as possibilidades na atividade de CAÇADOR do BtlOpEspFuzNav, em função do alcance útil de 1800 metros e do poder de parada e perfuração do calibre .50, capaz de penetrar uma chapa de aço temperado com espessura de 22 mm posicionada a 500 metros da posição da arma. Assim, ampliamos a capacidade dos Comandos Anfíbios de cumprir missões de destruição e de neutralização (antimaterial) de alvos relevantes como viaturas blindadas, aeronaves e instalações de interesse.


Estavam presentes ao evento o Vice-Almirante Alipio Jorge Rodrigues da Silva, Diretor de Sistemas de Armas da Marinha; o Contra-Almirante (FN) Gilmar Francisco Ferraço, Comandante do Material de Fuzileiros Navais; além de autoridades e representantes do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira.


https://www.defesaaereanaval.com.br/naval/batalhao-tonelero-realiza-primeiro-disparo-com-o-fuzil-de-precisao-antimaterial-pgm-hecate-ii


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #62 Online: 12 de Março de 2019, 09:41:49 »

RPG (arma)


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Um soldado afegão disparando um RPG-7, 2013

Um RPG-7.


Um soldado iraquiano com seu RPG.

Um soldado alemão com sua Panzerfaust.


Rocket-propelled grenade, ou RPG (em português: granada lançada por foguete), é uma arma de apoio de fogo da infantaria destinada ao lançamento de granadas especiais com a capacidade de auto-propulsão. Os RPGs têm origem nas armas semelhantes (bazookas norte-americanas e Panzerfaust alemãs) utilizadas na Segunda Guerra Mundial para destruição de carros de combate e infantaria.[1]


Índice
1Histórico
2Modelos
3Referências
4Ver também
Histórico


Após a Segunda Guerra Mundial, o desenvolvimento deste tipo de sistemas lançadores de granadas via combustível propelente, sofreu grandes avanços, tendo o seu apogeu no sistema de origem Soviética/Russa, o conhecido RPG-7, que conjuga as melhores características do Panzerfaust e da bazooka.

No mundo contemporâneo, é muito utilizado por grupos de resistência do Iraque, da Palestina (Hamas), do Líbano (pelo grupo xiita Hezbollah), ainda sendo utilizado por exércitos regulares.

Modelos

O modelo RPG-7V pode levar uma mira telescópica e miras de infravermelhos ou visores noturnos passivos. Todos os modelos de RPG-7 possuem miras ópticas que poderão ser adaptadas para visão noturna.

Dentro da gama de granadas disponíveis atualmente estão as PG-7, PG-7M, PG-7N. A PG-7V tem uma capacidade de penetração de 330mm em blindagem de aço. A versão PG-7VL consegue penetrar até 600mm em blindagens de aço. A PG-7VR é uma granada com ogivas em tandem (uma à frente da outra).

Este desenho foi escolhido para penetrar as mais modernas blindagens reativas e a blindagem por detrás dessa, com que os tanques e blindados modernos podem estar equipados.

As granadas OG-7 e OG-7M possuem ogivas explosivas anti-pessoa. A versão OG-7V é uma granada de 2Kg, com 40mm de diâmetro. Possui uma ogiva de fragmentação efetiva a um alcance máximo de 350m, com um raio de ação 150m.

O Exército Brasileiro emprega atualmente o Lança Rojão AT-4.


https://pt.wikipedia.org/wiki/RPG_(arma)


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #63 Online: 16 de Abril de 2019, 13:18:44 »
B53


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Teste nuclear com a B46 alterada(renomeada depois de TX-53).

A B53 é uma bomba termonuclear construída pelos Estados Unidos.[1] A bomba tem um poder de destruição equivalente a 9 Megatons.


Foto da B53. Veja como é feita para penetrar na terra.


Índice
1   História
2   Nova estratégia
3   Efeito
4   W53
5   Ver também
6   Referências
7   Ligações externas


História

O desenvolvimento da arma começou em 1955 no laboratório de Los Alamos, em 1958 foi emitido um pedido necessitando um nova bomba de classe C(uma bomba com menos de cinco toneladas com o rendimento de megatons). Uma bomba atualizada da B46(considerada uma B53 experimental) foi testada em junho de 1958 durante a Operação Hardtack I com a alcunha de Oak(carvalho) e um rendimento real de 8,9Mt. Entrou em produção em junho de 1962 ate 1965. Até 1965 haviam sido construídos 340 artefatos, estes artefatos foram usados em serviço pelos aviões B-47 Stratojet, B-58 Hustler e pelo lendário B-52 Stratofortress. Elas começaram a ser desmanteladas a partir de 1967, restando apenas 50 bombas de gravidade e 50 ogivas W53(ver abaixo), depois que uma versao da B53 em forma de ogiva quase detonou em um míssil titan quando este explodiu, todas as ogivas foram aposentadas em 1997, em 2010 as 50 bombas restantes começaram a serem desmanteladas.


Nova estratégia

A B53 foi feita com a esperança de que ao cair penetrasse no solo, já que os soviéticos estavam fazendo túneis bem profundos para resistirem às bombas termonucleares. Se as bombas penetrassem no solo, ao explodir destruiriam o abrigo e certamente matariam quem estivesse lá, não deixando sobreviventes. Esse tipo de bomba passou a ser chamada de arma nuclear anti-bunker (bunker: abrigo subterrâneo).



Efeito

Uma bomba de 9 Mt gera uma bola de fogo de 4–5 km de diâmetro. O calor irradiado é capaz de causar queimaduras fatais a qualquer pessoa que estiver desprotegida a 28 km de distância, e causaria o colapso de todas as estruturas residenciais e industriais dentro de 14.6 quilômetros de distância. Dentro de um raio de 100 km, a maioria das pessoas morreriam por conta de destroços e por conta da radiação.

W53

Pacote físico da W53


Uma ogiva foi feita a partir da B53, esta ogiva foi denominada W53, ela tinha o mesmo pacote físico(o invólucro e os núcleos primários e secundários) e portanto o mesmo projeto da B53 mas ao invés desta a W53 recebeu uma fuselagem para que resistisse a reentrada, foi operada em mísseis Titan. Foi a ogiva com o maior rendimento dos EUA, com um rendimento total de 9 Mt. Em 19 de setembro de 1980, um foguete Titan teve vazamento de combustível e explodiu no silo, a explosão lançou a ogiva que nao detonou e nem houve vazamento de material radioativo. Elas foram aposentadas junto com os Titans em 1988 mas so foram desmanteladas em 1997.


https://pt.wikipedia.org/wiki/B53




« Última modificação: 16 de Abril de 2019, 13:27:41 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #64 Online: 16 de Abril de 2019, 13:20:10 »
A B53 foi a bomba mais poderosa do arsenal nuclear americano, uma bomba  de 9 megatons.  Na sua versão para míssil ela era acondicionada no topo de um míssil Titan II  e recebia a denominação W 53 ( W-53 para LGM-25C Titan II ).


https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_armas_nucleares
« Última modificação: 16 de Abril de 2019, 13:27:00 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #65 Online: 22 de Abril de 2019, 10:05:14 »

Poderosa e rara pistola russa é vista pela 1ª vez no Iêmen

(FOTO) © Foto: Vitaly V. Kuzmin

DEFESA

09:23 22.04.2019(atualizado 09:32 22.04.2019)

Como informa o portal Russkoe Oruzhie, a pistola russa semiautomática SR-1 Gyurza é considerada no Iêmen um modelo de arma ligeira exclusiva e muito poderosa.

De acordo com o portal, a arma foi elaborada no Instituto Central de Investigação de Engenharia, que faz parte da corporação estatal Rostec.

Exclusive: Here's something you've never seen before in #Yemen: An extremely rare Russian SR-1 Gyurza 9x21 pistol.

The SR-1, resembling an upscaled Makarov, fires a somewhat unique cartridge & in this case we can see some 7N29 Armour Piercing rounds, designed to defeat kevlar. pic.twitter.com/ctrvI00GYM

— Cᴀʟɪʙʀᴇ Oʙsᴄᴜʀᴀ (@CalibreObscura) 21 de abril de 2019

​Exclusivo: Aqui está algo que você nunca viu antes no Iêmen: a rara pistola russa SR-1 Gyurza. A SR-1, semelhante a uma pistola Makarov, dispara um cartucho de 9x21 mm e, neste caso, podemos ver a munição perfurante 7N29, projetada para perfurar coletes de kevlar


O potente cartucho de 9x21 mm desta pistola pode penetrar facilmente vários tipos de coletes à prova de balas. A SR-1 Gyurza foi fornecida ao Iémen ainda antes do início da guerra civil, em 2014, quando as Forças Armadas do Iêmen compraram um lote de armas ligeiras à Rússia.


https://br.sputniknews.com/defesa/2019042213733579-poderosa-rara-pistola-russa-vista-primeira-vez-iemen-foto/


Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #66 Online: 02 de Maio de 2019, 10:15:22 »
Davy Crockett (nuclear device)


From Wikipedia, the free encyclopedia


Davy Crockett was a recoilless gun on a tripod for firing the M-388 atomic round


The M-28 or M-29 Davy Crockett Weapon System was the tactical nuclear recoilless gun (smoothbore) for firing the M-388 nuclear projectile that was deployed by the United States during the Cold War. It was one of the smallest nuclear weapon systems ever built, with a yield between 10 and 20 tons TNT equivalent (40–80 gigajoules). It is named after American folk hero, soldier, and congressman Davy Crockett.


[...]

Versions of the W54 warhead were also used in the Special Atomic Demolition Munition project and the AIM-26A Falcon.

Mk-54 (Davy Crockett): 10 or 20 ton yield, Davy Crockett Gun warhead

Mk-54 (SADM): variable yield 10 ton to 1 kiloton, Special Atomic Demolition Munition device

W-54: 250 ton yield, warhead for AIM-26 Falcon air-to-air missile


[...]


https://en.wikipedia.org/wiki/Davy_Crockett_(nuclear_device)


---------------


A Davy Crockett  é uma arma nuclear tática bem pequena com rendimento de apenas 10 a 20 toneladas de TNT. 



Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #67 Online: 24 de Maio de 2019, 14:19:43 »





F-35: DETONANDO MITOS DO CAÇA/1ª PARTE-VÍDEO 614



ARTE DA GUERRA


Publicado em 24 de mai de 2019

Ricardo Nunes, articulista de Defesa e Tecnologia Militar , delineia o projeto e apresenta suas inovações.



--------------------




Vídeo  apresentando informações  sobre o F-35.  De forma resumida podemos dizer que o F-35 é efetivamente um avião avançado e que superou  até mesmo o F-22 em alguns pontos.
Não foi a toa que foi escolhido pela IAF, a qual  tem larga experiência em efetivas operações de guerra no conflituoso ambiente do Oriente Médio.


« Última modificação: 24 de Maio de 2019, 14:55:46 por JJ »

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.509
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #68 Online: 24 de Maio de 2019, 14:41:11 »
Quanto custou seu desenvolvimento, comparado a alternativas próximas? Em quanto tempo se estima se recuperar o investimento?


https://www.vox.com/2015/3/24/8279745/space-budget-nasa





https://www.graphicnews.com/en/pages/34939/AVIATION-F-35-stealth-fighter-costs


https://www.pogo.org/investigation/2018/08/f-35-program-cutting-corners-to-complete-development/



https://www.forbes.com/sites/niallmccarthy/2018/09/14/the-evolution-of-the-f-35s-unit-cost-infographic/



Me pergunto se com IA e etc não é algo que já nasce meio obsoleto.

https://nationalinterest.org/blog/buzz/no-f-22-or-f-35-dogfights-how-ai-could-kill-all-our-top-gun-fantasies-57972

<a href="https://www.youtube.com/v/ndFKUKHfuM0" target="_blank" class="new_win">https://www.youtube.com/v/ndFKUKHfuM0</a>

The Pentagon's Autonomous Swarming Drones Are the Most Unsettling Thing You'll See Today
Ejected from a fighter, the tiny drones collaborate to accomplish their mission—with not a single human involved
http://www.popularmechanics.com/military/aviation/a24675/pentagon-autonomous-swarming-drones/

Citar
The system goes online August 4th, 1997.
Human decisions are removed from strategic defense.
Skynet begins to learn at a geometric rate.
It becomes self-aware at 2:14 a.m. Eastern time, August 29th.
In a panic, they try to pull the plug.
Skynet fights back.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #69 Online: 24 de Maio de 2019, 14:52:02 »
Analisando a assinatura radar (RCS) do caça F-35

Publicado em 03/11/2017 por tecnomilitar

A capacidade de sobrevivência de uma aeronave pode ser considerada tão importante quanto a letalidade. Uma aeronave que retorna de uma missão irá atacar novamente. Um dos ativos mais importante na garantia da sobrevivência de uma aeronave é sua assinatura radar, quanto maior sua assinatura mais distante pode ser detectada e engajada por um oponente. O Lockheed Martin F-35 “Lightning II” como uma aeronave da Geração 5 possui em sua pequena assinatura radar um dos seus principais atributos. Não é o objetivo desta análise apresentar as técnicas utilizadas para diminuir a assinatura radar da aeronave, mas tão somente a ordem de grandeza da mesma.

[...]




https://tecnomilitar.wordpress.com/2017/11/03/assinatura-radar-rcs-do-f-35/


« Última modificação: 24 de Maio de 2019, 14:54:55 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #70 Online: 24 de Maio de 2019, 14:53:15 »
Quanto custou seu desenvolvimento, comparado a alternativas próximas? Em quanto tempo se estima se recuperar o investimento?



Dizem que custou 1,5 trilhão de dólares o programa como um todo. Seja como for, é uma aeronave que parece só não superar o F-22  (de forma geral, pois em alguns aspectos ele superou).



Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.509
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #71 Online: 24 de Maio de 2019, 18:07:56 »
Eu me pergunto se esse tipo de programa não deve servir como um superfaturamento de fachada para desenvolvimento de coisas mais secretas.

Nada super-hiper-high-tech com tecnologia dos extraterrestres e poderes mágicos dos antigos egípcios, só coisas que pelo interesse da nação deve se manter mais ocultas. Como talvez um sistema de defesa contra mísseis mais eficaz que o oficialmente divulgado.

Online Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.530
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:Guerra - Armas
« Resposta #72 Online: 24 de Maio de 2019, 18:22:07 »
Eu investiria em neurofísica. Criaria um sistema para raquear o cérebro de todo mundo e controlaria a humanidade toda. Faria todo mundo superar e dispensar religiões e ninguém mais procriaria. O mundo todo passaria a viver idilicamente dançando uma grande ciranda pelo menos uma vez por dia, e todos os esforcos se voltariam a sanar todas as mazelas do mundo é a pesquisas para conseguir vida eterna via renovação celular e cybersuportes de vida.
Até onde eu sei eu não sei.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.552
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra - Armas
« Resposta #73 Online: 25 de Maio de 2019, 13:37:29 »
Eu investiria em neurofísica. Criaria um sistema para raquear o cérebro de todo mundo e controlaria a humanidade toda.


Sonhos de um   pseudo  neo  liberal  proto ditador  numa noite de outono.


 :biglol:
« Última modificação: 25 de Maio de 2019, 13:54:00 por JJ »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!