Autor Tópico: Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc  (Lida 2982 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.776
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #75 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 15:19:04 »
Citar
Subentendido, não - está explícito. Considerando o significado usual do termo: misticismo: inclinação para acreditar em entes e força sobrenaturais. Crença de que o ser humano pode comunicar-se com divindades e afins ou receber delas sinais ou mensagens. Se não é disso que você está falando, convém você explicar exatamente do que é para evitar confusões.
E o que é "acreditar"? O que é "força sobrenatural"? O que são "divindades e afins"? Você tem uma imagem de tudo isso. Quando atacou o misticismo em si sem em nenhum momento ter me perguntado as definições corretas, estava interagindo o tempo todo com a associação que você mesmo faz dessas coisas e, se tudo isso, na sua mente, só significa essas aberrações caricatas e não mais, então você não faz menos do que o seu dever em refutar tudo isso e se declarar um descrente. A experiência "mística" é a experiência contemplativa, intuitiva e pessoal do sagrado. Enquanto o sagrado, no seu arcabouço mental, estiver arraigado dessas figuras externas e assombrosas, ele estará inacessível a você. Quando não estiver mais, a porta entre você e a contemplatio será uma porta aberta, pela qual passará livremente, e aí você pode ser cristão, budista, ateu, o que for, mas, acima de tudo, alguém que expurgou aquelas figuras assombrosas de si mesmo.

E o que é semântica? Coisa desimportante para o Criso. Cabe aos outros entenderem que por queijo ele, na verdade, queria dizer ônibus! É claro! Aí não é justo. :x As coisas tem um nome por um motivo - permitir a comunicação. Substituamos, portanto, experiência mística por experiência contemplativa, intuitiva e pessoal - até aqui tudo certo, comento depois (*) - mas do sagrado já complica. O termo refere-se a algo que merece veneração ou respeito religioso por estar associado a divindades. O que nos leva de volta ao início: o que você entende por misticismo? Será que você não podia explicar seu intuito em termos, digamos, laicos, de forma que um materialista de pensamento embotado pudesse compreender? Falo sério, pois sempre paira uma dúvida sobre o que você está falando, se está sendo apenas metafórico ou prestando reverências.

(*) A experiência contemplativa, intuitiva e pessoal pode ser tanto uma aliada da razão, quando nutre a criatividade, quanto uma inimiga, quando nutre o misticismo (no sentido literal do termo), isto é, quando você passa a acreditar nas histórias que inventa, criando uma Verdade, ou seja, uma versão própria da realidade e sai por aí pregando como algo Sagrado, Universal, Transcendental.

Com toda a sinceridade, sem a menor intenção de ofender - apenas buscando um esclarecimento, não sei se o seu intuito é despertar os maus ateus, como você os classificou, para o exercício da criatividade (e nesse caso existem diversos caminhos, não é preciso apelar ao misticismo, seja que significado tiver, mesmo que apenas no sentido simbólico, destituído de superstições. Esse para mim é um novo significado de misticismo, mas enfim.) ou se envolve algum nível de crença, de fé, de busca por uma ligação com uma suposta dimensão fora da realidade sensível, transcendental.

No primeiro caso, vou dizer que você provavelmente está fazendo uma ideia errada desses ateus que classifica como maus - eles, provavelmente, só escolheram um caminho contrário ao seu para exercitar a criatividade - e por criatividade me refiro tudo que envolve a capacidade cognitiva, em qualquer campo, da ética às artes. Talvez até uma ideia caricata - saber que o amor ou ódio são consequência de reações químicas no cérebro, não impede ninguém de amar ou odiar e vivenciar em toda sua intensidade as sensações, deixando-as fluir ou dominando-as, mas é uma informação útil para darmos as coisas sua real dimensão, nem sub nem sobrevalorizá-las ou atribuí-las a vontade de deuses e demônios.

No segundo, bom, vai ser difícil chegar a um denominador comum, porque o que para você é fundamental, para os maus ateus é superficial. Eles trocam a Verdade pelo conhecimento, o Sagrado pelo ideal, o Transcendental pelo elementar.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.120
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #76 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 18:54:54 »
Gorducho, ler páginas 282-285
https://f5db1a33c5d48483c689-1033844f9683e62055e615f7d9cc8875.ssl.cf5.rackcdn.com/RC%20History%20and%20Mysteries%20-%20Christian%20Rebisse.pdf

Putz...mais bullshit da AMORC? Esse livro é pura Bad History, conversa fiada onde são feitas citações sem provas. Conversa prá boi dormir...Você acredita mesmo nessa fonte? Se você quer desenvolver um estudo sério, comece com os livros de Mircea Eliade, no caso recomendo inicialmente  "Ferreiros e Alquimistas".

E relação à biografia dos principais alquimistas, recomendo que você leia  alguns capítulos de "Ilusões Populares e a loucura das massas" de Charles Mackay. Trata-se de um livro publicado em 1841 que mostra a picaretagem em torno do assunto. Leitura obrigatória para desenvolver pensamento crítico e não embarcar enganações históricas.

Esses dois livros você acha com facilidade, talvez até em pdf.

Depois de ler o "Babuíno" releia o que está escrito no seu link sobre as relações entre a Teosofia e esse Rosacrucianismo para você ter idéia da vigarice que estava sendo formada.

pg 312
Citar
It was also in 1882 that the Society for Psychical Research coined the word “telepathy.” Helena Blavatsky, as was true of all the great mediums of the era, participated in these experiments during her stays in London.

Sério???  :histeria:
« Última modificação: 27 de Fevereiro de 2018, 19:15:06 por Gigaview »
Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #77 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 22:32:14 »
O Babuíno merece um tópico próprio. Blavatsky ainda permanece em minhas impressões como uma figura muito misteriosa, não consigo desprezar todo o seu legado. Anseio muito algum dia conceber um veredito definitivo sobre a Teosofia, se é tudo bullshit, se é tudo alegórico-filosófico ou se houve realmente um contato direto com mistérios tibetanos e algo com o qual não estejamos acostumados. Que seja "armação", como "pilantragem" mesmo (o que você parece sugerir) tenho certa relutância em imaginar. Uma "pilantragem" levar consigo algumas mentes brilhantes da humanidade? Fernando Pessoa? Alexander Scriabin? DT Suzuki? Krishnamurti? Gandhi? Mărgărita Miller-Verghy? Vydūnas? Roberto Assagioli? Besant? Bucura Dumbravă? Eliza Orzeszkowa? Todo mundo otário? Todo mundo idiota?
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #78 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 22:54:28 »
E o que é semântica? Coisa desimportante para o Criso. Cabe aos outros entenderem que por queijo ele, na verdade, queria dizer ônibus! É claro! Aí não é justo. :x
É de propósito que eu faço isso, para que a vagueza de definição obrigue a fala dos ateus-materialistas a evidenciar as associações intrínsecas que carregam consigo com relação à experiência mística e a ideia de sacralidade.
As coisas tem um nome por um motivo - permitir a comunicação
Mas mesmo quando os conceitos são definidos, ainda assim, cada um, quando escuta, e quando diz, se refere a toda uma subjetividade e bagagem psicológica própria. Por isso, prefiro deixar abstrato, para traçar os condicionamentos do interlocutor.
Substituamos, portanto, experiência mística por experiência contemplativa, intuitiva e pessoal - até aqui tudo certo
Na verdade, até séculos atrás o nome utilizado para o que chamamos hoje de "experiência mística" era contemplatio, já distinguindo da forma exterior e vulgar da religiosidade de massa de imagens e práticas externas. Leia as minhas últimas respostas anteriores ao Fred, onde expliquei a diferença entre misticismo e religiosidade vulgar (eXoterismo). De preferência, leia até todas as respostas que dei a todos aqui no tópico, porque vai te poupar de perguntas que ia acabar fazendo e fazer entender minhas intenções.
mas do sagrado já complica. O termo refere-se a algo que merece veneração ou respeito religioso por estar associado a divindades
Assim é para você - é isso o que tenho repetido desde o início. Se a definição de "experiência mística" é a de uma "experiência pessoal e intransferível", logo não há um "mapa do misticismo" ou de qualquer "realidade comum objetiva espiritual" mas, pelo contrário, a experiência mística é o próprio autoconhecimento por excelência, é o indivíduo e sua própria relação com o que ele toma como sagrado.
Com toda a sinceridade, sem a menor intenção de ofender - apenas buscando um esclarecimento, não sei se o seu intuito é despertar os maus ateus
Na verdade, é mais sacudir, até porque poderia ser até presunçoso da minha parte achar que posso "despertar" alguém. Acontece que vejo neste fórum um grande potencial - respeito, argumentos, debates alto nível... entretanto, pairam sobre ele as mesmas imagens caricatas de sempre de deuses abraâmicos e comunicações espiritistas (não à toa, já que é o que permeia o imaginário religioso de nossa sociedade). Entretanto, essa é a própria barreira que impede este fórum de dar um passo além na elaboração de conceitos mais nobres e elevados da filosofia e do misticismo, como, para citar alguns, a Anima Mundi, o Logos, a Contemplatio, o Maya, entre outros. Esse tipo de conversa mais elaborada é impossível, porque a imagem de "sagrado" e "místico" no arcabouço mental da maioria daqui não vai além daquelas visões toscas e completamente estereotipadas de espiritismo, judaico-cristianismo, new age, pseudociência, etc. Há um preconceito generalizado, e as pessoas acham que isso é inerentemente antagônico à postura cética, quando não é, aquelas visões caricatas é que são, e entendo o preconceito arraigado dos usuários daqui, posto que vivem em uma sociedade ignorante e supersticiosa, cercado de certos modelos recorrentes de crendice e pseudociência. É impossível falar verdadeiramente de Misticismo, Schopenhauer, Spinoza, Hesse, Sidarta, Gnose, Bhagavad Gita, entre outros, com pessoas que não conseguem se desvencilhar dessas cenas recorrentes das manifestações vulgares que já marcaram e cristalizaram negativamente sua concepção de transcendência.
Talvez até uma ideia caricata - saber que o amor ou ódio são consequência de reações químicas no cérebro, não impede ninguém de amar ou odiar e vivenciar em toda sua intensidade as sensações, deixando-as fluir ou dominando-as, mas é uma informação útil para darmos as coisas sua real dimensão
Aparentemente, muitos daqui, mesmo sabendo que a experiência mística acontece dentro da mente, não são exatamente pessoas que optam por não te-la ou ignorá-la (como os bons ateus), mas condicionados incapazes de obter ou às vezes até conceber isso.
No segundo, bom, vai ser difícil chegar a um denominador comum, porque o que para você é fundamental, para os maus ateus é superficial. Eles trocam a Verdade pelo conhecimento, o Sagrado pelo ideal, o Transcendental pelo elementar
A superficialidade, na verdade, se encontra dentro deles, pela maneira como concebem religiosidade, sacralidade e misticismo.

"ah, mas as pessoas religiosas são crédulas, ignorantes, supersticiosas, e acreditam em alucinações e fábulas!!"

- Problema delas. Você não precisa ter o mesmo conceito de sagrado que elas. Ao ter, o único que sai prejudicado disso é você.

ironia:
"As pessoas leem Crepúsculo, logo, Literatura é um bullshit não-confiável"
"As pessoas escutam Latino, logo, Música é péssimo para sua percepção do mundo"
« Última modificação: 27 de Fevereiro de 2018, 23:19:54 por criso »
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #79 Online: 27 de Fevereiro de 2018, 23:28:02 »
"Não gosto de Lula nem de Bolsonaro, logo, Política é um saco que não me acrescenta nada."

Todos os maus ateus são pessoas que nunca conceberam/entenderam/praticaram nada elevado em matéria de misticismo e espiritualidade.

Os que concebem e entendem, mas optam ou não por se envolver, são bons ateus ou bons místicos e, quanto a suas conclusões pessoais ou ateísmo em si, não tenho a nada a dizer, pois que é apenas com esse bom esclarecimento em si que me importo, de alguém que não tem um preconceito emburrado e avalia cada coisa isoladamente, sem condicionamentos.
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.120
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #80 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 00:03:29 »
O Babuíno merece um tópico próprio. Blavatsky ainda permanece em minhas impressões como uma figura muito misteriosa, não consigo desprezar todo o seu legado. Anseio muito algum dia conceber um veredito definitivo sobre a Teosofia, se é tudo bullshit, se é tudo alegórico-filosófico ou se houve realmente um contato direto com mistérios tibetanos e algo com o qual não estejamos acostumados. Que seja "armação", como "pilantragem" mesmo (o que você parece sugerir) tenho certa relutância em imaginar. Uma "pilantragem" levar consigo algumas mentes brilhantes da humanidade? Fernando Pessoa? Alexander Scriabin? DT Suzuki? Krishnamurti? Gandhi? Mărgărita Miller-Verghy? Vydūnas? Roberto Assagioli? Besant? Bucura Dumbravă? Eliza Orzeszkowa? Todo mundo otário? Todo mundo idiota?

"Otários" é forte demais, prefiro "iludidos" e também não concordo que todos da lista sejam de fato "mentes brilhantes da humanidade", talvez um ou outro na sua área de atuação. Portanto, jamais embarcaria nesse tipo de referência para validar aquilo que estavam seguindo como caminho a ser seguido. Devemos considerar também que as seitas/cultos/etc que tiveram origem nessa época (sec 19-20) se "inspiraram" em aspectos reais da cultura oriental que era deturpada segundo as conveniências das intenções de seus líderes. Isso de certa forma explica porque, apesar de todo charlatanismo evidente, muitas pessoas se sentiram atraídas por essas seitas/cultos/etc. Era uma oportunidade para aprender sem necessariamente ter que concordar com tudo.
Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #81 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 01:28:05 »
Em vários tópicos antigos você deixa passar algumas pistas de que esteve pessoalmente envolvido com ambientes de esoterismo e mesmerismo.

Basta uma breve stalkeada para encontrar um monte de
"um amigo rosacruz disse que..."
"um amigo espírita diz que..."
"tenho um amigo médium que..."
"quando eu hipnotizava os outros por diversão..." etc.

Que círculos sociais são esses?

Quando você criou o tópico sobre a AMORC se fez deliberadamente de desentendido, mas em outros momentos isolados no CC demonstrou conhecimentos de Taoísmo, Tantrismo, Hermetismo bem como Hipnose, PNL e algumas outras coisas. Em algumas discussões, chegou a dizer que "Lévi desceu da instante" enquanto estávamos discutindo algumas coisas. A questão é - como ele foi parar lá? Não adianta tentar negar, algum envolvimento passado com ocultismo você teve. Por que não compartilha sua experiência ou os caminhos que seu raciocínio percorreu fuçando todas essas coisas? Não acredito que alguém pára para ler o Babuíno à toa. Você foi rosacruz ou ocultista? Ou, até mesmo, ainda é?
« Última modificação: 28 de Fevereiro de 2018, 01:47:27 por criso »
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.120
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #82 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 02:52:26 »
Em vários tópicos antigos você deixa passar algumas pistas de que esteve pessoalmente envolvido com ambientes de esoterismo e mesmerismo.

Basta uma breve stalkeada para encontrar um monte de
"um amigo rosacruz disse que..."
"um amigo espírita diz que..."
"tenho um amigo médium que..."
"quando eu hipnotizava os outros por diversão..." etc.

Que círculos sociais são esses?

Quando você criou o tópico sobre a AMORC se fez deliberadamente de desentendido, mas em outros momentos isolados no CC demonstrou conhecimentos de Taoísmo, Tantrismo, Hermetismo bem como Hipnose, PNL e algumas outras coisas. Em algumas discussões, chegou a dizer que "Lévi desceu da instante" enquanto estávamos discutindo algumas coisas. A questão é - como ele foi parar lá? Não adianta tentar negar, algum envolvimento passado com ocultismo você teve. Por que não compartilha sua experiência ou os caminhos que seu raciocínio percorreu fuçando todas essas coisas? Não acredito que alguém pára para ler o Babuíno à toa. Você foi rosacruz ou ocultista? Ou, até mesmo, ainda é?

No início da adolescência fiquei fascinado pelo realismo fantástico de Louis Pauwels e Jacques Bergier que escreveram "O Despertar dos Mágicos" e "O Homem Eterno" que eram lidos e relidos e pontos de partida para aprofundamentos. Eles detalham o papel dos alquimistas, dos rosacruzes, comentam o "Colégio Invisível" e tecem teorias mirabolantes.  Tive atração pelo Zen e lia T.D. Suzuki, Allan Watts e Thomas Merton com regularidade. Então ainda pré-adolescente, comecei a me interessar pela paranormalidade e estudei hipnose e aceitei o convite para participar de um grupo de estudos em parapsicologia que abandonei pelo exagerado viés espírita. Fui aluno do Pe. Quevedo num curso de parapsicologia. Antes de entrar para a universidade participei de um grupo de estudos de filosofia e de religiões comparadas que se reunia aos sábados onde tive contato com um pouco de tudo incluindo rosacrucianismo, kabala, teosofia, budismo, taoísmo, tantrismo e sufismo. Ao longo desses anos fui praticante de yoga, zazen, aikidô, tai chi chuan e chi kung. Tive contato e convivi com todo tipo de maluco que você pode imaginar: médiuns, abduzidos por UFOs, mestres iniciados, Harry Potters, pessoas envolvidas em projetos secretos com alienígenas, etc.
Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #83 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 03:15:47 »
No início da adolescência fiquei fascinado pelo realismo fantástico de Louis Pauwels e Jacques Bergier que escreveram "O Despertar dos Mágicos" e "O Homem Eterno" que eram lidos e relidos e pontos de partida para aprofundamentos. Eles detalham o papel dos alquimistas, dos rosacruzes, comentam o "Colégio Invisível" e tecem teorias mirabolantes.  Tive atração pelo Zen e lia T.D. Suzuki, Allan Watts e Thomas Merton com regularidade. Então ainda pré-adolescente, comecei a me interessar pela paranormalidade e estudei hipnose e aceitei o convite para participar de um grupo de estudos em parapsicologia que abandonei pelo exagerado viés espírita. Fui aluno do Pe. Quevedo num curso de parapsicologia. Antes de entrar para a universidade participei de um grupo de estudos de filosofia e de religiões comparadas que se reunia aos sábados onde tive contato com um pouco de tudo incluindo rosacrucianismo, kabala, teosofia, budismo, taoísmo, tantrismo e sufismo. Ao longo desses anos fui praticante de yoga, zazen, aikidô, tai chi chuan e chi kung. Tive contato e convivi com todo tipo de maluco que você pode imaginar: médiuns, abduzidos por UFOs, mestres iniciados, Harry Potters, pessoas envolvidas em projetos secretos com alienígenas, etc.
Huehue, agora sim!

No meu caso eu já estava desde os últimos anos ainda fascinado com o realismo fantástico do despertar dos mágicos, e fui parar nas obras O Aleph de Jorge Luis Borges, Pêndulo de Foucault de Umberto Eco, bem como Hermann Hesse e Pessoa. Li Watts, Suzuki e Merton também. Atualmente estou mais interessado em Schopenhauer, devido à sua influência direta dos Upanishads, de Gautama e de Jakob Böhme. Agora, o que mais me deixou espantado foi que eu participo de um grupo de estudo de filosofia e religiões comparadas que se reúne aos sábados. PQP. Eu conheço todos os maiores malucos da Região dos Lagos aqui do RJ, a qual eu e meus amigos carinhosamente apelidamos de Região dos Magos. No início, as iniciações, os graus, as ordens e os mistérios eram fontes de muita especulação, fascinação e obscurantismo. Aos poucos, fomos colecionando tantas histórias, iniciações e episódios que os mesmos temas, antes mistérios em um pedestal, foram aos poucos se tornando alvo de chacota, principalmente quando caiu a ficha de que os soberanos mestres do grau 33 eram apenas uns tiozões do churrasco que ficam falando mal do Lula e coisas assim. Entretanto, engana-se profundamente quem julgar de cara que todo o estudo e experiências não valeram a pena. Muito pelo contrário. É como diz o final do filme Holy Mountain de Jodorowsky (que você talvez gostaria muito, por sinal) - "Vocês saíram em busca da Montanha Sagrada, e o que obtiveram foi a Realidade". Mesmo hoje já sendo bem mais cético que há uns anos atrás, e desacreditando em muita coisa, mesmo assim não trocaria por nada cada mistério desvelado, cada iniciação onde eu e meus amigos mantínhamos aquela esperançazinha, lá no fundo, de que os mistérios pitagóricos e superiores incógnitos saltariam em nossa frente a qualquer momento. De forma alguma trocaria isso por ter passado a adolescência como um cético chato dizendo que era perda de tempo. Entretanto, conforme a adultidão se aproxima, pressinto a brisa da chegada desses tempos pragmáticos e chatos aos quais muitos aqui se acostumaram, e afasto energeticamente esse comodismo morto e frio, porque sei de todo o crescimento e experiência que tudo isso me proporcionou e de todos os ensinamentos de Sidarta e de outros, e que seria um verdadeiro sacrilégio enfiar tudo isso em um pacote de "superstição e misticismo" e jogar no lixo e, por isso, conservo tudo o que foi válido e verdadeiro.
« Última modificação: 28 de Fevereiro de 2018, 03:18:18 por criso »
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.570
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #84 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 08:35:14 »
Que seja "armação", como "pilantragem" mesmo (o que você parece sugerir) tenho certa relutância em imaginar. Uma "pilantragem" levar consigo algumas mentes brilhantes da humanidade? Fernando Pessoa? Alexander Scriabin? DT Suzuki? Krishnamurti? Gandhi? Mărgărita Miller-Verghy? Vydūnas? Roberto Assagioli? Besant? Bucura Dumbravă? Eliza Orzeszkowa? Todo mundo otário? Todo mundo idiota?
Krishnamurti era um menino pobre na Índia que foi praticamente 'comprado' dos pais por um dos líderes da Teosofia. O cara era gay e gostou do garoto porque era bonito. Foi criado para ser um profeta ou novo Jesus, mas acabou se rebelando. Apesar de aceitar o papel de "iluminado", sua filosofia é bem prática e racional.

Quanto aos outros, mentes brilhantes também fazem merda. Ninguém é brilhante em tudo.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.570
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #85 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 08:43:55 »
Não acredito que alguém pára para ler o Babuíno à toa. Você foi rosacruz ou ocultista? Ou, até mesmo, ainda é?
Eu li o "Babuíno" para aprender mais sobre este universo paralelo das origens da Nova Era e seus derivados.
Muito esclarecedor.
Interessante o trecho sobre como Annie Besant e suas alegres companheiras se divertiam criando "Ordens disso" ou "Círculos daquilo" para então bolarem trajes e rituais para cada um.

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.570
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #86 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 09:14:13 »
Blavatsky foi muito ridicularizada na época da publicação de seus livros e seus "fenômenos" denunciados como fraude, mas, como sempre acontece com religiões, esses "pequenos detalhes" foram esquecidos e o tempo a tornou respeitada entre um povo que nunca se preocupou em pesquisar os fatos.
Memória seletiva ...

Na ciência, charlatães são denunciados e vão para o lixo da História. Na religião, fraudes viram "milagres" e enrolação vira "sabedoria dos antigos".

Offline Gorducho

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.120
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #87 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 09:33:52 »
Quanto aos outros, mentes brilhantes também fazem merda. Ninguém é brilhante em tudo.
E todos nós carregamos esse patrimônio genético.
Isso independe da atividade formal do indivíduo dentro da sociedade real (mundo externo à mente pessoal).

Offline Gorducho

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.120
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #88 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 09:51:44 »
"Vocês saíram em busca da Montanha Sagrada, e o que obtiveram foi a Realidade". Mesmo hoje já sendo bem mais cético que há uns anos atrás, e desacreditando em muita coisa, mesmo assim não trocaria por nada cada mistério desvelado, cada iniciação onde eu e meus amigos mantínhamos aquela esperançazinha, lá no fundo, de que os mistérios pitagóricos e superiores incógnitos saltariam em nossa frente a qualquer momento. De forma alguma trocaria isso por ter passado a adolescência como um cético chato dizendo que era perda de tempo.
Então veja que não está a debater com leigos...
Eu me CRIEI até ~15 no espiritismo, e acreditava PIAMENTE naquilo tudo.
Depois caiu a ficha de mamãe — que era Evangelizadora portadora de 2 diplomas dentro do "oficialismo" febeano — e eu passei a me preocupar com as preocupações da adolescência convencional + pré-vestibular >
escola >
arrumar emprego >
trabalho...
E quando me dei por conta já ficara ateu.
Mamãe não: ela seguiu acreditando em Jesus "Cristo" e na religiosidade cristã básica. Só percebeu que o espiritismo era fantasia.
Então, pode-se dizer até que "infelizmente", pra alguns (aparentemente nós cá incluindo S/Pessoa) acaba caindo a ficha que não tem nada detrás do véu.
Pelo menos não DESSE véu.
Qq. coisa que exista além do que vemos, sobre tal nada sabemos. Não avançamos 1 ι (como dizia o Kardec...) siquer com essas especulações fantásticas desde que o mundo é mundo...
SE algo "além" existir, provavelmente será como na QM cuja NINGUÉM imaginou. Ela se impôs CONTRA a "razão".
O real se impõe e de formas sempre completamente inesperada pra "lógica" nossa.
Veja-se a física aristotélica, que era mui "lógica", "racional"...
De certa forma pode-se dizer que eu pessoalmente lido com essa "decepção" estudando o espiritismo agora que depois de velho e com + liberdade no uso do tempo me dedico a ESTUDAR de fato o tema. A realidade por detrás das "Doutrinas" e dos "experimentos científicos", &c.
Citar
Entretanto, conforme a adultidão se aproxima, pressinto a brisa da chegada desses tempos pragmáticos e chatos aos quais muitos aqui se acostumaram
:ok:
Só não corra o risco de dar uma de avestruz por não querer encarar a realidade...
Sim, é chato mas é assim que o mundo é.
Era um dos defeitos do Kardec: querer ditar como o mundo DEVERIA SER :!:
« Última modificação: 28 de Fevereiro de 2018, 10:28:41 por Gorducho »

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.120
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #89 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 10:24:45 »
O engraçado é que me tornei ateu através do zen e de certa forma acho que todo ateu é zen sem saber que é. Os agnósticos são todos taoístas filosóficos.

Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #90 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 10:37:23 »
Gorducho, comigo foi o contrário - eu parti do ateísmo e agnosticismo para estes estudos. Sobre isso que você falou, penso que o mau ateu, assim como o crente, sejam avestruzes. No tópico "Espiritismo e Política" o Pedro Reis disse muito bem que, quando alguém compra um "pacote ideológico", como o de "conservador" e "esquerdista", o indivíduo para de analisar cada proposição isoladamente a partir de uma razão neutra e passa, ao invés disso, a comprar um pacote que faz com que, se antes se serviria da razão como forma de chegar em conclusões, agora ele se serve da razão apenas para justificar todas as conclusões prontas que tomou para si junto com o seu rótulo. É mais ou menos por aí que enxergo, de um lado, os crentes e, de outro, os maus ateus. Não são pessoas que partem do zero, construindo seu conhecimento, mas, pelo contrário, partem de uma posição com a qual já assumiram o compromisso de defender incondicionalmente, e a razão serve como um meio parcial e arbitrário para se autoafirmarem e ignorarem os argumentos e conhecimentos das outras visões de mundo.

O mau ateu, por exemplo, não consegue avaliar isoladamente ensinamentos e práticas das diversas tradições e religiões, porque ele enfiou tudo isso no pacote de "lixo supersticioso". O condicionamento dele o impede tanto de conceber quanto de até mesmo tomar para si estas coisas. Afinal, se o compromisso for com a verdade, e houver um ou outro aspecto verdadeiro, valioso e prático em ensinamentos e experiências místicas, por que ele haveria de recusar e odiar? O que acontece é que a mente dele é condicionada, o mau ateu desenvolve um preconceito intrínseco com estas coisas. É alguém embotado, emburrado e limitado.

O engraçado é que me tornei ateu através do zen e de certa forma acho que todo ateu é zen sem saber que é. Os agnósticos são todos taoístas filosóficos.
De forma nenhuma. Muito pelo contrário, até porque o ZEN busca descondicionar a mente de todo preconceito. O mau ateu conserva toda a estrutura mental do crente, só tira Deus da equação.
« Última modificação: 28 de Fevereiro de 2018, 10:44:35 por criso »
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.120
  • QI (Quociente de Inteligência) = 98
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #91 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 10:44:28 »
Citar
Citar
O engraçado é que me tornei ateu através do zen e de certa forma acho que todo ateu é zen sem saber que é. Os agnósticos são todos taoístas filosóficos.
De forma nenhuma. Muito pelo contrário, até porque o ZEN busca descondicionar a mente de todo preconceito. O mau ateu conserva toda a estrutura mental do crente, só tira Deus da equação.

Estava me referindo aos ateus escoceses.
Não passei no teste da MENSA mas completei o 2o. Grau.

Offline Mancha Negra

  • Nível 16
  • *
  • Mensagens: 409
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #92 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 11:04:23 »
Caro forista Mancha Negra.

Se você não quiser participar do tópico, é um direito seu.

Mas a partir do momento que você se envolve em uma discussão é de bom alvitre responder de maneira adequada as questões levantadas e evitar 'ironias e piadinhas evasivas' como esta:

[...]
Tá bom... O Senhor "venceu"! Parabéns!  :clapping:
O senhor é a sapiência da inteligência! Pode pegar o seu prêmio de cético do ano!  :idea:

Perdão.
Eu não resisti.  :hihi:
Sou muito radical com pessoas que não conseguem interpretar um texto de forma decente.
Porque passei anos estudando a nossa língua pátria para alguém usar de forma arbitrária para distorcer uma interpretação de texto para usar uma falácia.  :)
Agora se alguém resolver usar este tipo de "recurso" novamente, eu irei ainda mais cruel.
De certo o senhor irá me expulsar. (Afinal, já vi observações similares contra outros foristas e não vi nenhuma repreenda. Por que será?  :)
"Quod tibi non vis, alteri ne facias."
Deísmo - Razão & Filosofia.

Offline Gorducho

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.120
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #93 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 11:17:43 »
penso que o mau ateu, assim como o crente, sejam avestruzes.
Bom, certamente que não é meu caso.
Se me derem uma razão mínima siquer pra supor que exista a divindade abraâmica ou outra qualquer, eu deixo de ser ateu sem problemas.
O que eu procuro usar mesmo é a navalha do Guilherme.
Se quiser me rotular de "agnóstico" tudo bem. Não tenho mui clara qual seria a diferenciação (  :?: )
Assim como lá no OP e mesmo cá nossa bancada propõe experimentos corretos confiáveis. Se nesses "médiuns" tivessem sucesso, eu não teria PROBLEMA NENHUM em aceitar o real.
Sou bem pragmático e a-ideológico...
Citar
O mau ateu, por exemplo, não consegue avaliar isoladamente ensinamentos e práticas das diversas tradições e religiões, porque ele enfiou tudo isso no pacote de "lixo supersticioso". O condicionamento dele o impede tanto de conceber quanto de até mesmo tomar para si estas coisas.
De fato a mim me parece difícil imaginar algo útil egresso de qualquer tradição religiosa.
Se for e.g. ser tolerante, leal e solidário pra com seus semelhantes (e mesmo pra com "animais");
evitar guerras;
ser honesto...
não vejo necessidade de religião por detrás disso.
Me de um exemplo onde religião seja útil — pra mentes com capacidade de discernirem, de se auto-determinarem sem terem necessidade de assim agirem porque achem que tem que ser "porque papai-do-céu disse"; tá olhando lá-de-cima e enxerga tudo; então vou me ferrar se não fizer assim... claro :!:
Numa boa: como já lhe disse en privé sítios como este servem pra se debater. Ao contrário das "redes sociais" onde a afiliação por afinidade abafa o contraditório.
Exponha então um exemplo prático onde religiões tenham alguma utilidade.
« Última modificação: 28 de Fevereiro de 2018, 11:33:45 por Gorducho »

Offline criso

  • Nível 15
  • *
  • Mensagens: 360
  • Sexo: Masculino
  • γνῶθι σεαυτόν
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #94 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 11:36:26 »
Pelos exemplos que você deu, se refere claramente às manifestações vulgares e exteriores, isto é, à religião eXotérica. Quanto a estas, não tenho nada a defender ou justificar, posto que, como já disse antes, vejo o crente como em uma situação pior até que a do mau ateu. Por isso disse que, se for para ser essa a concepção de sagrado e de experiência mística, o melhor mesmo é recusar, refutar e rejeitar tudo isso.
Visita
Interiora
Terrae
Rectificandoque
Invenies
Occultum
Lapidem

e que as rosas floresçam em vossa cruz!

Offline Gorducho

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.120
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #95 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 11:51:53 »
 :ok:
Mas então dê um exemplo de utilidade de qq. tradição religiosa esotericamente falando...
Se não exemplificar fica difícil a gente analisar o que se passa dentro do seu pensamento não externalizado, certo :?:

Offline Fernando Silva

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.570
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #96 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 13:39:51 »
Se me derem uma razão mínima siquer pra supor que exista a divindade abraâmica ou outra qualquer, eu deixo de ser ateu sem problemas.
Acho que eu teria menos problemas em aceitar a existência de um deus diante de evidências objetivas do que um crente, já que este teria, antes de mais nada, que renegar o seu precioso deus para poder aceitar o novo.

Offline Gorducho

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.120
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #97 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 16:12:10 »
Bem dito  :ok:
Pra nós o(a) 1°(ª) que nos dê provas de ser uma divindade nós aceitamos, porque não temos comprometimentos prévios com entidades rivais :!:
« Última modificação: 28 de Fevereiro de 2018, 16:14:45 por Gorducho »

Offline lonewolf

  • Nível 00
  • *
  • Mensagens: 4
  • Sexo: Masculino
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #98 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 20:07:29 »

O mau ateu, por exemplo, não consegue avaliar isoladamente ensinamentos e práticas das diversas tradições e religiões, porque ele enfiou tudo isso no pacote de "lixo supersticioso". O condicionamento dele o impede tanto de conceber quanto de até mesmo tomar para si estas coisas. Afinal, se o compromisso for com a verdade, e houver um ou outro aspecto verdadeiro, valioso e prático em ensinamentos e experiências místicas, por que ele haveria de recusar e odiar? O que acontece é que a mente dele é condicionada, o mau ateu desenvolve um preconceito intrínseco com estas coisas. É alguém embotado, emburrado e limitado.



Sou novo no forum, e peguei a discussão no meio, portanto se entendi algo errado já me desculpo por antecipação. Me interessou este conceito que você empregou de mau ateu e bom ateu.


Na parte em negrito, não há realmente nenhum motivo para odiar ou mesmo amar algo que não se provou ser verdadeiro. Portanto mesmo que a pratica de rituais tenha algum resultado benéfico pessoal não verificável para muitas pessoas, isso não constituiria argumento para que a alegação deva ser aceita como evidência ou ponderação de maior probabilidade de ser real.

Usando religiões extintas por exemplo, que hoje temos como mitologia, todas suas práticas e rituais que possivelmente traziam para os adeptos algum benefício, são totalmente ignoradas e esquecidas, e não cogitamos desenterrar tais experiências para avaliar cada uma quanto a seus benefícios.

Assim fica evidente que devemos ponderar sobre as alegações e manter aquelas que tenham outros indícios que não sejam unicamente experiências pessoais.

Offline AlienígenA

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.776
Re:Existe ex-ateu de fato? Augusto Cury, Nando Moura, Conde Loppeux, etc
« Resposta #99 Online: 28 de Fevereiro de 2018, 20:12:05 »
E o que é semântica? Coisa desimportante para o Criso. Cabe aos outros entenderem que por queijo ele, na verdade, queria dizer ônibus! É claro! Aí não é justo. :x
É de propósito que eu faço isso, para que a vagueza de definição obrigue a fala dos ateus-materialistas a evidenciar as associações intrínsecas que carregam consigo com relação à experiência mística e a ideia de sacralidade.
Teria sido mais simples e mais eficaz perguntar direta, honesta e objetivamente a opinião dos colegas, seus posicionamentos, em vez de ficar jogando iscas.
Citar
As coisas tem um nome por um motivo - permitir a comunicação
Mas mesmo quando os conceitos são definidos, ainda assim, cada um, quando escuta, e quando diz, se refere a toda uma subjetividade e bagagem psicológica própria. Por isso, prefiro deixar abstrato, para traçar os condicionamentos do interlocutor.
Sendo assim, você me permite medi-lo  com a mesma régua que usa para medir os outros. Não se traça condicionamentos a partir de meia dúzia de respostas a um discurso dúbio, com o propósito de confundir, isso serve apenas para reforçar um viés já previamente adotado.  O materialista ou mau ateu, como preferir, e o crente vulgar, cumprem apenas a função que você delegou a eles – promover seu conforto intelectual. Tudo o que você vai conseguir com isso é reforçar os estereótipos que trás na bagagem, projetando nos outros sua própria imagem para condenar o que não encontra reflexo.
Citar
Substituamos, portanto, experiência mística por experiência contemplativa, intuitiva e pessoal - até aqui tudo certo
Na verdade, até séculos atrás o nome utilizado para o que chamamos hoje de "experiência mística" era contemplatio, já distinguindo da forma exterior e vulgar da religiosidade de massa de imagens e práticas externas. Leia as minhas últimas respostas anteriores ao Fred, onde expliquei a diferença entre misticismo e religiosidade vulgar (eXoterismo). De preferência, leia até todas as respostas que dei a todos aqui no tópico, porque vai te poupar de perguntas que ia acabar fazendo e fazer entender minhas intenções.
Eu retomo a leitura dos tópicos de onde parei normalmente. Se reformulo perguntas já feitas é porque as respostas não me foram suficiente esclarecedoras.
O esoterismo é o primo rico do exoterismo, mais esnobe, mas com o mesmo DNA. Faz apenas tentar disfarçar sua origem com uma camada de maquiagem, dando um toque de requinte ao que é vulgar, quando a realidade nos diz, sempre ela, essa terrível estraga-prazeres, que o último grau da sofisticação, ao contrário disso, é a simplicidade. Nasceu, historicamente, como um movimento de reação ao materialismo  – da necessidade de buscar um lugar especial para ocupar em um universo mecânico, indiferente às nossas necessidades – tão e somente distanciando-se da imagem da religiosidade vulgar  – o primo pobre. Tudo é vaidade! Quem nunca?
Citar
mas do sagrado já complica. O termo refere-se a algo que merece veneração ou respeito religioso por estar associado a divindades
Assim é para você - é isso o que tenho repetido desde o início. Se a definição de "experiência mística" é a de uma "experiência pessoal e intransferível", logo não há um "mapa do misticismo" ou de qualquer "realidade comum objetiva espiritual" mas, pelo contrário, a experiência mística é o próprio autoconhecimento por excelência, é o indivíduo e sua própria relação com o que ele toma como sagrado.
Tomar como sagrado traduz bem o real significado de misticismo – quer dizer pegar para si o que é alheio. Isso com frequência serve mais como um empecilho para o autoconhecimento do que o contrário. Só quando desmistificamos o próprio conceito em si é que nos permitimos realmente refletir sobre valores, esmiúça-los para descobrir por nossa própria conta e risco o que os motivam e, em consequência, o que os tornam mais ou menos elevados. Já não havendo o que tomar, sagrado torna-se um conceito vazio. 
Citar
Com toda a sinceridade, sem a menor intenção de ofender - apenas buscando um esclarecimento, não sei se o seu intuito é despertar os maus ateus
Na verdade, é mais sacudir, até porque poderia ser até presunçoso da minha parte achar que posso "despertar" alguém. Acontece que vejo neste fórum um grande potencial - respeito, argumentos, debates alto nível... entretanto, pairam sobre ele as mesmas imagens caricatas de sempre de deuses abraâmicos e comunicações espiritistas (não à toa, já que é o que permeia o imaginário religioso de nossa sociedade). Entretanto, essa é a própria barreira que impede este fórum de dar um passo além na elaboração de conceitos mais nobres e elevados da filosofia e do misticismo, como, para citar alguns, a Anima Mundi, o Logos, a Contemplatio, o Maya, entre outros. Esse tipo de conversa mais elaborada é impossível, porque a imagem de "sagrado" e "místico" no arcabouço mental da maioria daqui não vai além daquelas visões toscas e completamente estereotipadas de espiritismo, judaico-cristianismo, new age, pseudociência, etc. Há um preconceito generalizado, e as pessoas acham que isso é inerentemente antagônico à postura cética, quando não é, aquelas visões caricatas é que são, e entendo o preconceito arraigado dos usuários daqui, posto que vivem em uma sociedade ignorante e supersticiosa, cercado de certos modelos recorrentes de crendice e pseudociência. É impossível falar verdadeiramente de Misticismo, Schopenhauer, Spinoza, Hesse, Sidarta, Gnose, Bhagavad Gita, entre outros, com pessoas que não conseguem se desvencilhar dessas cenas recorrentes das manifestações vulgares que já marcaram e cristalizaram negativamente sua concepção de transcendência.
Tudo isso é apenas requinte. Serve apenas para poluir a razão. A sofisticação do raciocínio dispensa rebuscamentos.


Citar
Talvez até uma ideia caricata - saber que o amor ou ódio são consequência de reações químicas no cérebro, não impede ninguém de amar ou odiar e vivenciar em toda sua intensidade as sensações, deixando-as fluir ou dominando-as, mas é uma informação útil para darmos as coisas sua real dimensão
Aparentemente, muitos daqui, mesmo sabendo que a experiência mística acontece dentro da mente, não são exatamente pessoas que optam por não te-la ou ignorá-la (como os bons ateus), mas condicionados incapazes de obter ou às vezes até conceber isso.
Talvez apenas não tenham necessidade dessa pompa.
Citar
No segundo, bom, vai ser difícil chegar a um denominador comum, porque o que para você é fundamental, para os maus ateus é superficial. Eles trocam a Verdade pelo conhecimento, o Sagrado pelo ideal, o Transcendental pelo elementar
A superficialidade, na verdade, se encontra dentro deles, pela maneira como concebem religiosidade, sacralidade e misticismo.
Cumprindo assim o papel delegado.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!