Enquete

Em quem você votará no 2º Turno das eleições de 2018?

Haddad (PT)
10 (25.6%)
Jair Bolsonaro (PSL)
15 (38.5%)
Branco/Nulo
10 (25.6%)
Não comparecerei
4 (10.3%)

Votos Totais: 39

Autor Tópico: Eleições presidenciais de 2018  (Lida 37756 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.885
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #350 Online: 16 de Abril de 2018, 14:51:32 »
Uai, eu li que ele tentou  convencer Bernadinho e Luciano Huck a se candidatarem pelo partido, mas não teve sucesso, e só por isso se lançou como candidato.

Acho que o Partido Novo se esqueceu de convidar a Ana Paula Henkel do voleibol. Ela atualmente é colunista do Estadão e dá opiniões sobre política compatíveis com as ideias do Novo.
Ela seria um excelente nome, suas ideias batem muito bem com as do partido.

Ela mora nos EUA. Será que iria vir pra cá?

Se ela recusasse, seria só passar para o próximo da lista... Além dos que já citaram, haveria Rachel Sheherazade, Danilo Gentili e Felipe Moura Brasil (esse último teria a desvantagem de que é desconhecido por quem não lê notícia sobre política, mas é o mais influente em política no Twitter).
« Última modificação: 16 de Abril de 2018, 15:03:45 por -Huxley- »

Offline Vithor

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 159
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #351 Online: 16 de Abril de 2018, 16:35:13 »
Uai, eu li que ele tentou  convencer Bernadinho e Luciano Huck a se candidatarem pelo partido, mas não teve sucesso, e só por isso se lançou como candidato.

Acho que o Partido Novo se esqueceu de convidar a Ana Paula Henkel do voleibol. Ela atualmente é colunista do Estadão e dá opiniões sobre política compatíveis com as ideias do Novo.
Ela seria um excelente nome, suas ideias batem muito bem com as do partido.

Ela mora nos EUA. Será que iria vir pra cá?

Se ela recusasse, seria só passar para o próximo da lista... Além dos que já citaram, haveria Rachel Sheherazade, Danilo Gentili e Felipe Moura Brasil (esse último teria a desvantagem de que é desconhecido por quem não lê notícia sobre política, mas é o mais influente em política no Twitter).

Rachel Sheherazade  :nojo:
Ela ganhou pontinhos meus quando equiparou Lula com Bolsonaro
Mas perdeu um monte de pontinhos quando disse que era "Liberal Conservadora"

Liberal Conservador é tipo Barulho silencioso, no make sense

Offline Vithor

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 159
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #352 Online: 16 de Abril de 2018, 16:42:41 »
Votarei no Amoedo, Mas estou cético quanto a ele, duvido que consiga 5% de intenção de voto.


Se no Segundo turno for entre Marina e Bolsonaro, Votarei na Marina

E caso seja Bolsonaro e Alckmin votarei branco, Me recuso a votar em um político que faz manobras para fugir da justiça como Alckmin e também me Recuso a votar em um populista de meia pataca como o Bolsonaro.

Mas Se fosse para fazer um bolão de quem será o presidente, jogaria meu dinheiro no Bolsonaro. Povinho ignorante adora populista.

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2018/04/15/segundo-turno-marina-derrotaria-bolsonaro-aponta-pesquisa-datafolha/

Parece que numa simulação de segundo turno entre Alckmin e Bolsonaro ou Marina e Bolsonaro, o mito perderia em ambas. Interessante que muita gente acha que ele vai vencer por ter mais votos, mas ignoram que tem muita rejeição e isso pesa no segundo turno.
Tomara, mas tenho minhas dúvidas. São tantos que nem dá para crer que existem pessoas normais nesse Brasil, Antes era só na internet, agora tomaram coragem e botam Posters em casa, adesivos em carros, outdoors na entrada da cidade ( Fato que mais me chamou atenção, maioria das cidades da campanha aqui do RS possuem um outdoor dele, e o pior, são os eleitores dele que colocam, ou sejam tiram do bolso próprio para por um Outdoor, e creio que não deve ser pouca coisa não... )

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #353 Online: 16 de Abril de 2018, 17:28:18 »
Uai, eu li que ele tentou  convencer Bernadinho e Luciano Huck a se candidatarem pelo partido, mas não teve sucesso, e só por isso se lançou como candidato.

Acho que o Partido Novo se esqueceu de convidar a Ana Paula Henkel do voleibol. Ela atualmente é colunista do Estadão e dá opiniões sobre política compatíveis com as ideias do Novo.
Ela seria um excelente nome, suas ideias batem muito bem com as do partido.

Ela mora nos EUA. Será que iria vir pra cá?

Se ela recusasse, seria só passar para o próximo da lista... Além dos que já citaram, haveria Rachel Sheherazade, Danilo Gentili e Felipe Moura Brasil (esse último teria a desvantagem de que é desconhecido por quem não lê notícia sobre política, mas é o mais influente em política no Twitter).

Eu não acho que a Rachel Sheherazade tenha o perfil para o Novo.

Dentre todos os que eu li e ouvi se manifestando como sendo deste partido, nenhum demonstrou ser liberal econômico e conservador nos costumes. Eram (pareciam ser) liberais em ambos.

Já a senhorita em tela é conservadora 'até a medula'.
Foto USGS

Offline Vithor

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 159
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #354 Online: 16 de Abril de 2018, 17:38:55 »
Uai, eu li que ele tentou  convencer Bernadinho e Luciano Huck a se candidatarem pelo partido, mas não teve sucesso, e só por isso se lançou como candidato.

Acho que o Partido Novo se esqueceu de convidar a Ana Paula Henkel do voleibol. Ela atualmente é colunista do Estadão e dá opiniões sobre política compatíveis com as ideias do Novo.
Ela seria um excelente nome, suas ideias batem muito bem com as do partido.

Ela mora nos EUA. Será que iria vir pra cá?

Se ela recusasse, seria só passar para o próximo da lista... Além dos que já citaram, haveria Rachel Sheherazade, Danilo Gentili e Felipe Moura Brasil (esse último teria a desvantagem de que é desconhecido por quem não lê notícia sobre política, mas é o mais influente em política no Twitter).

Eu não acho que a Rachel Sheherazade tenha o perfil para o Novo.

Dentre todos os que eu li e ouvi se manifestando como sendo deste partido, nenhum demonstrou ser liberal econômico e conservador nos costumes. Eram (pareciam ser) liberais em ambos.

Já a senhorita em tela é conservadora 'até a medula'.

Se for ver isso, nem a Ana Paula Henkel , pois ela se considera uma conservadora moderada...

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #355 Online: 16 de Abril de 2018, 19:42:37 »
Uai, eu li que ele tentou  convencer Bernadinho e Luciano Huck a se candidatarem pelo partido, mas não teve sucesso, e só por isso se lançou como candidato.
Acho que o Partido Novo se esqueceu de convidar a Ana Paula Henkel do voleibol. Ela atualmente é colunista do Estadão e dá opiniões sobre política compatíveis com as ideias do Novo.
Ela seria um excelente nome, suas ideias batem muito bem com as do partido.
Ela mora nos EUA. Será que iria vir pra cá?
Se ela recusasse, seria só passar para o próximo da lista... Além dos que já citaram, haveria Rachel Sheherazade, Danilo Gentili e Felipe Moura Brasil (esse último teria a desvantagem de que é desconhecido por quem não lê notícia sobre política, mas é o mais influente em política no Twitter).
Eu não acho que a Rachel Sheherazade tenha o perfil para o Novo.

Dentre todos os que eu li e ouvi se manifestando como sendo deste partido, nenhum demonstrou ser liberal econômico e conservador nos costumes. Eram (pareciam ser) liberais em ambos.

Já a senhorita em tela é conservadora 'até a medula'.
Se for ver isso, nem a Ana Paula Henkel , pois ela se considera uma conservadora moderada...

Eis a resposta...
Foto USGS

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.083
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #356 Online: 16 de Abril de 2018, 20:22:09 »
O próprio Amoêdo é conservador (pelo menos no discurso) em relação as questões civis (legalização do aborto, das drogas e etc.). Nem sei se é uma estratégia política ou se ele realmente é contra alguma mudança nas leis que tratam destes assuntos.
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.885
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #357 Online: 16 de Abril de 2018, 21:35:40 »
Pois é, Skeptikós, o que Sheherazade, Gentili, Moura Brasil, Henkel, etc. tem de tão radicalmente diferente do Amoêdo em pautas de liberdades civis? Se for esperar um Milton Friedman em cada possível cargo, vão acabar idealizando utopicamente demais o perfil do candidato.
« Última modificação: 16 de Abril de 2018, 21:40:36 por -Huxley- »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.167
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #358 Online: 17 de Abril de 2018, 08:33:59 »
O próprio Amoêdo é conservador (pelo menos no discurso) em relação as questões civis (legalização do aborto, das drogas e etc.). Nem sei se é uma estratégia política ou se ele realmente é contra alguma mudança nas leis que tratam destes assuntos.


No Brasil, admitir publicamente que é liberal em questões como liberalização do comércio de drogas (de outras drogas além da que já é liberada) e coisas do tipo casamento homosexual,  é  uma boa forma para fracassar na eleição para algum  cargo  majoritário.


 



« Última modificação: 17 de Abril de 2018, 09:02:52 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 12.167
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #359 Online: 17 de Abril de 2018, 08:38:54 »


Conheça a trajetória da pré-candidata a presidente do Brasil nas eleições de 2018.



A ex-senadora Marina Silva é a pré-candidata à presidência da República pelo partido Rede Sustentabilidade. Quem formará a chapa a seu lado e também as coligações do partido para as eleições 2018 serão confirmadas na convenção partidária eleitoral, prevista para o mês de agosto.

Esta é a 3ª vez que Marina disputa o cargo de presidente. A candidata não teve dificuldades para confirmar sua preferência no partido, sendo que seu nome foi aprovado nas 23 convenções estaduais da Rede.

A candidata fundou seu posicionamento político a partir da luta pela preservação do meio ambiente e o uso sustentável dos recursos naturais. Suas iniciativas lhe renderam prêmios internacionais. Mesmo assim, ela tem um longo caminho pela frente entre os demais candidatos à presidência 2018 .

Um dos maiores desafios de Marina será a campanha em si, uma vez que a Rede terá apenas 12 segundos de aparição no horário eleitoral gratuito. Isso porque trata-se de um partido novo que não elegeu deputados em 2014 - critério usado na repartição do fundo partidário. Daí a importância das alianças partidárias para a ex-senadora.

História de vida

Infância difícil moldou quem é Marina Silva hoje

De família pobre, Maria Osmarina Marina Silva de Lima nasceu em 08 de fevereiro de 1958, em uma casa sobre palafitas localizada em Seringal Bagaço, no Acre. Seus pais, Pedro Augusto e Maria Augusta da Silva, eram seringueiros e tiveram 11 filhos, dos quais oito sobreviveram.

Aos 16 anos, Marina contraiu hepatite, doença que voltaria a acometê-la por mais duas vezes. Ela também contraiu malária por cinco vezes e outra vez foi diagnosticada com leishmaniose. Os tratamentos para estas doenças causaram impactos negativos em sua saúde anos depois.

Ainda jovem, mudou-se para a capital do estado, Rio Branco, onde foi alfabetizada pelo Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral). Pouco depois, obteve seu primeiro emprego como empregada doméstica.

Foi aspirante à freira em um convento da capital acreana e participou das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Após se deparar com um cartaz afixado na igreja que frequentava, decidiu fazer um curso de liderança sindical rural. Nesse curso, ela teve oportunidade de conhecer o líder seringueiro Chico Mendes.

Em 1981, ingressou no curso de História na Universidade Federal do Acre. No ambiente acadêmico, entrou em contato com os ideais marxistas e aproximou-se do Partido Revolucionário Comunista (PRC), à época abrigado dentro do Partido dos Trabalhadores (PT).

Além da licenciatura em História, Marina é pós-graduada em Teoria Psicanalítica pela Universidade de Brasília (UnB) e em Psicopedagogia pela Universidade Católica de Brasília.

Casou-se pela primeira vez em 1980, com Raimundo Souza, com quem teve dois filhos: Shalon e Danilo. Um ano após se divorciar, em 1986, casou-se novamente, desta vez com Fábio Vaz, na época técnico agrícola que assessorava seringueiros. Seu casamento permanece até os dias atuais e dele vieram as filhas mais novas: Moara e Mayara.

Vida Política
Presidência já foi objetivo da candidata Marina Silva outras vezes

Sua vida política começou ao lado de Chico Mendes, na luta pela preservação do meio ambiente e dos que habitavam os seringais. Em meados da década de 1980, participou da fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Acre e, filiada ao PT, concorreu pela primeira vez a um cargo público em 1986 como deputada federal, mas não alcançou a vitória.

Dois anos depois, conseguiu ser eleita vereadora de Rio Branco. Em 1990, alcançou uma vaga na Assembleia Legislativa do estado do Acre e, em 1994, candidatou-se ao Senado. Reelegeu-se em 2002, com votação quase três vezes maior que a anterior.

Em 2003, assumiu o Ministério do Meio Ambiente no governo de Luiz Inácio Lula da Silva . Em sua gestão, conseguiu diminuir o desmatamento na Amazônia em 60% entre 2004 e 2007, segundo a Sophie Foundation, que a premiou por seus esforços em defesa da floresta.

Em 2007, Marina recebeu o prêmio “Champions of the Earth”, da Organização das Nações Unidas (ONU), por sua luta pela conservação da Amazônia. No mesmo ano, o jornal britânico The Guardian apontou a senadora como uma das “50 pessoas que podem ajudar a salvar o planeta”.

Permaneceu no ministério até maio de 2008 e se desligou da função devido a atritos com ministérios ligados às áreas de infraestrutura e desenvolvimento. Em 2009, Marina saiu do PT alegando falta de sustentação política para seus projetos e filiou-se ao Partido Verde (PV) no mesmo ano.

Em 2010, foi candidata à presidência da República pelo PV, chegando ao terceiro lugar com mais de 19 milhões de votos. Deixou o PV em 2011, com a intenção de criar um novo partido.

Nas eleições de 2014, Marina concorreu inicialmente como vice da chapa de Eduardo Campos, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), e depois assumiu a candidatura após a morte do candidato num acidente aéreo, em agosto daquele ano.

Eduardo Campos tinha boa margem de intenção de votos e Marina herdou essa vantagem. No entanto, não soube aproveitá-la, dando posicionamentos contraditórios durante a campanha em 2014. Com isso, ficou em terceiro lugar e, no segundo turno, apoiou Aécio Neves (PSDB).

Partido
Atritos internos podem atrapalhar a Rede Sustentabilidade
marina-silva-rede-sustentabilidade

Em novembro de 2011, a ex-ministra criou o Movimento por uma Nova Política e, em 2013, ocorreu a fundação oficial do Rede Sustentabilidade, durante o Encontro Nacional da Rede Pró Partido, realizado em Brasília.

O novo partido tentou obter o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2013, mas o pedido foi negado por falta de apoio mínimo necessário naquela ocasião. O objetivo era lançar Marina candidata à presidência já pela legenda em 2014, mas não foi possível e Marina saiu como vice de Eduardo Campos (PSB).

Em 2013, a Rede contava com assinaturas de 441 mil eleitores validadas pelos cartórios eleitorais, mas a lei exigia 492 mil. Em maio de 2015, Marina Silva apresentou outras 56,1 mil assinaturas e em 22 de setembro de 2015, a Rede Sustentabilidade obteve o seu registro definitivo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A denominação Rede foi escolhida por meio de sugestões realizadas em fóruns da internet e indica que o partido pretende funcionar como uma rede que dialoga com diferentes setores da sociedade.

Em seu estatuto, o Rede Sustentabilidade, se coloca como uma associação de cidadãos e cidadãs dispostos a contribuir voluntariamente e de forma colaborativa para:

Superar o monopólio partidário da representação política institucional.
Intensificar e melhorar a qualidade da democracia no Brasil.
Atuar politicamente para prover todos os meios necessários à efetiva participação dos brasileiros e brasileiras nos processos decisórios que levem ao desenvolvimento justo e sustentável da nação.
O Programa Partidário segue uma série de valores e princípios, entre eles:

Pluralidade política.

Dignidade da pessoa humana.

Justiça social.

Defesa dos direitos das minorias.

Respeito à natureza e à vida em todas as suas formas de manifestação.

Promoção e defesa do meio ambiente.

Respeito às convicções religiosas e à liberdade para professá-las.

Transparência, eficiência e eficácia na gestão pública.

Respeito às diversidades, à coisa pública e ao bem comum.


Na plataforma de ações políticas, entre inúmeras bandeiras, o partido defende a reforma do sistema político sem a exigência de filiação partidária, renovação de lideranças políticas com limitação a uma reeleição de mandatos parlamentares, e ampliação dos processos de participação da sociedade nas decisões do governo.

Apesar de ter sido fundado de forma coletiva, começaram a surgir atritos dentro do partido. Cerca de 3 anos após sua fundação, alguns integrantes resolveram deixar a Rede insatisfeitos com o rumo que a legenda tomou, especialmente devido ao posicionamento em relação a assuntos importantes, como o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

No total, foram 7 dissidentes, entre eles o antropólogo Luiz Eduardo Soares, um dos fundadores do partido junto com Marina. Em carta enviada à direção da Rede, o grupo deixou claro que as principais decisões do partido têm sido tomadas única e exclusivamente por Marina Silva.

Segundo o documento, “o fato de a Rede ser politicamente dependente de Marina Silva se constituiu em um fenômeno que, ao invés de ter se tornado menor ao longo do processo de construção partidária, se acentuou ao longo do tempo. Na verdade, as decisões estratégicas que foram conformando o perfil da Rede partiram todas de Marina e apenas dela, desde a decisão de entrar no PSB até a decisão favorável ao impeachment de Dilma”.

Outro fator abordado pelo grupo na carta é a falta de definição política do partido desde sua fundação. “Alcançada a legalização do partido, foi precisamente essa característica que permitiu que muitos oportunistas e políticos de direita identificassem na Rede um espaço fértil para seus projetos particulares. O que ocorreu em todo o País, então, foi um mergulho da Rede em direção ao passado e às tradições políticas que pretendíamos superar”, revela outro trecho.

Ainda em tom de desabafo, o grupo lamenta a falta de posicionamento da legenda, “a Rede não se posicionou sobre qualquer das grandes questões nacionais – sequer foi capaz de formular uma crítica fundamentada ao governo Temer. Quando esboçou alguma posição, ou proclamou platitudes ou decepcionou, afastando-se dos compromissos assumidos em sua fundação”.

Polêmicas
Propostas de Marina Silva ainda esbarram em sua religião
Uma das principais polêmicas que envolve Marina Silva é sua opinião pessoal sobre temas de grande comoção popular, como casamento gay, aborto, pesquisas com células-tronco e transgênicos. Ela também já defendeu a inclusão do criacionismo, ao lado do evolucionismo, na grade curricular das escolas públicas.

Seu posicionamento conservador em relação a assuntos relevantes causaram controvérsia nas eleições de 2010, quando Marina foi candidata pelo PV, e também em 2014, quando concorreu pelo PSB. A pressão feita por parlamentares que compõem a chamada bancada evangélica, como Marcos Feliciano e Silas Malafaia, fez com que ela se afastasse ainda mais da causa LGBT.

Em 2014, inclusive, ela havia angariado o apoio do ator hollywoodiano, Mark Ruffalo. No entanto, logo após gravar um vídeo em favor da candidata, o ator mudou de ideia. Segundo nota publicada por Ruffalo na internet, ele não poderia apoiar uma candidata que “tem uma aproximação difícil com temas como o casamento gay.”

Mesmo se posicionando a favor dos direitos da união civil de bens entre homossexuais e afirmar que essa posição não deve ser considerada como discriminação, a pré-candidata é considerada conservadora demais por muitos, o que pode levar outros candidatos a usar todo esse conservadorismo contra ela nas eleições de 2018.

 

Outro assunto que pode ser causar problemas para a pré-candidata em sua campanha este ano é uma denúncia feita pelo ex-presidente e sócio da OAS, Léo Pinheiro, durante uma delação premiada na Operação Lava Jato. Segundo o delator, foi feito um repasse de valores, na forma de caixa dois, para a campanha de Marina Silva à presidência da República em 2010.

Pinheiro afirma que o valor foi solicitado por Guilherme Leal, sócio da Natura e então candidato a vice-presidente na chapa de Marina, e Alfredo Sirkis, um dos coordenadores da campanha na época. Tanto Marina, quanto Leal e Sirkis negam o repasse.

Segundo Sirkis, OAS realmente doou R$ 400 mil para o PV do Rio de Janeiro, mas o valor foi devidamente registrado na Justiça Eleitoral.

Perspectiva
Agora concorrendo à presidência da República pelo partido que fundou, Marina Silva não se encontra afundada em escândalos e delações em comparação com alguns outros pré-candidatos.

Sua tarefa nas eleições 2018 será mostrar que está apta a comandar o País, sem deixar suas convicções religiosas guiarem suas decisões políticas, e que saúde não será um problema.

Já que em outras eleições que disputou sua aparente fragilidade e conservadorismo foram usados muitas vezes por oponentes para desacreditar sua capacidade de ser presidente do Brasil.


http://investimentosenoticias.com.br/eleicoes/marina-silva-candidata-a-presidencia-em-2018


« Última modificação: 17 de Abril de 2018, 09:06:23 por JJ »

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #360 Online: 17 de Abril de 2018, 10:25:43 »
Acho justo mostrar essa notícia positiva do Álvaro Dias.

"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.210
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #361 Online: 17 de Abril de 2018, 10:32:35 »
O próprio Amoêdo é conservador (pelo menos no discurso) em relação as questões civis (legalização do aborto, das drogas e etc.). Nem sei se é uma estratégia política ou se ele realmente é contra alguma mudança nas leis que tratam destes assuntos.

Ele é conservador nessas questões, mas já frisou que não imporia a opinião pessoal dele às pessoas e que cada um deve ser livre para decidir sobre as mesmas.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #362 Online: 17 de Abril de 2018, 11:00:42 »
O próprio Amoêdo é conservador (pelo menos no discurso) em relação as questões civis (legalização do aborto, das drogas e etc.). Nem sei se é uma estratégia política ou se ele realmente é contra alguma mudança nas leis que tratam destes assuntos.

Ele é conservador nessas questões, mas já frisou que não imporia a opinião pessoal dele às pessoas e que cada um deve ser livre para decidir sobre as mesmas.

Muita gente não se limita a querer votar num conservador, mas deseja que este candidato force seu conservadorismo na sociedade. E o nome disso é ditadura.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Skeptikós

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 4.083
  • Sexo: Masculino
  • Séxtos Empeirikós
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #363 Online: 17 de Abril de 2018, 11:38:37 »
O próprio Amoêdo é conservador (pelo menos no discurso) em relação as questões civis (legalização do aborto, das drogas e etc.). Nem sei se é uma estratégia política ou se ele realmente é contra alguma mudança nas leis que tratam destes assuntos.

Ele é conservador nessas questões, mas já frisou que não imporia a opinião pessoal dele às pessoas e que cada um deve ser livre para decidir sobre as mesmas.

Muita gente não se limita a querer votar num conservador, mas deseja que este candidato force seu conservadorismo na sociedade. E o nome disso é ditadura.
Será que ele é mesmo conservador nestas questões ou apenas considera os fatores econômicos prioridade, e por medo de suas opiniões a respeito de questões civis prejudicarem seus esforços no campo econômico prefere não manifesta-las?
"Che non men che saper dubbiar m'aggrada."
"E, não menos que saber, duvidar me agrada."

Dante, Inferno, XI, 93; cit. p/ Montaigne, Os ensaios, Uma seleção, I, XXV, p. 93; org. de M. A. Screech, trad. de Rosa Freire D'aguiar

Offline Gaúcho

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.210
  • Sexo: Masculino
  • República Rio-Grandense
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #364 Online: 17 de Abril de 2018, 12:03:09 »
Pode ser, mas daí teríamos que não acreditar no que ele diz a respeito disso, e escolher acreditar no que diz respeito ao resto. Eu prefiro crer que ele está sendo sincero em tudo que diz.

De qualquer forma, eu, pessoalmente, acho essas questões completamente secundárias. O que eu quero agora, e o que o país precisa, é um liberal na economia. Deixo essas coisas de costumes para um outro momento, de preferência quando não estivermos na merda.
"— A democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando estes buscam agir protegidos pelas sombras." Sérgio Moro

Offline Vithor

  • Nível 11
  • *
  • Mensagens: 159
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #365 Online: 17 de Abril de 2018, 12:43:06 »
https://www.facebook.com/VerdadeSemManipulacao/videos/898048646986616/

Não sei se já viram essa, Bolsonaro chamando Lula de companheiro, e indicando Deputado do PC do B para Ministro da Defesa
 :hihi:

Não vou nem comentar, o vídeo já fala por si só

Offline Lorentz

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #366 Online: 17 de Abril de 2018, 12:48:32 »
https://www.facebook.com/VerdadeSemManipulacao/videos/898048646986616/

Não sei se já viram essa, Bolsonaro chamando Lula de companheiro, e indicando Deputado do PC do B para Ministro da Defesa
 :hihi:

Não vou nem comentar, o vídeo já fala por si só

E quem vota nele fanaticamente são todos contra o "esquerdista" Amoedo ou o "comunista" Alckmin. Defendem que Bolsonaro é "direita de verdade", que é outsider. Mas tem um passado que vai contra tudo isso.
"Amy, technology isn't intrinsically good or bad. It's all in how you use it, like the death ray." - Professor Hubert J. Farnsworth

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.402
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #367 Online: 17 de Abril de 2018, 16:39:03 »
Narizinho, Lixoberg e outros visitando o Pingão na cadeia.

Imagino o circo que pretendem armar hoje mesmo.

Offline Fenrir

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.638
  • Sexo: Masculino
  • Cave Canem
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #368 Online: 17 de Abril de 2018, 16:59:58 »
Me liberaram mais cedo hoje do serviço
Vai ter manifestação pro-Lula na marginal. O transito em SP em horario de rush vai ficar pior do que já é
O estranho é que procurei e não encontrei nada nos principais veículos de notícias
"Heaven and Earth are not benevolent; They treat the myriad of creatures as straw dogs"
― Laozi

"No testimony is sufficient to establish a miracle, unless the testimony be of such a kind, that its falsehood would be more miraculous, than the fact, which it endeavors to establish"
― David Hume

“Never argue with an idiot. They will drag you down to their level and beat you with experience.”
― Mark Twain

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.402
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #369 Online: 17 de Abril de 2018, 17:28:48 »
Me liberaram mais cedo hoje do serviço
Vai ter manifestação pro-Lula na marginal. O transito em SP em horario de rush vai ficar pior do que já é
O estranho é que procurei e não encontrei nada nos principais veículos de notícias

Merda de país em que vagabundo condenado quer mandar mais que o judiciário.

Os caras estão provocando, provocando...

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.402
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #370 Online: 17 de Abril de 2018, 17:35:09 »
Os vagabundos do Boulos invadiram o triplex do Pingão que está em leilão,  agora invadiram a Fazenda do Maroni que se manifestou publicamente pela prisão e já escuto boatos de que querem invadir o STJ.

Não duvido que tentem no país onde o amigo do Pingão invadiu e depredou o Congresso.
« Última modificação: 17 de Abril de 2018, 17:37:54 por Arcanjo Lúcifer »

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.402
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #371 Online: 17 de Abril de 2018, 18:08:55 »
Pronto, para quem dizia que a Lava Jato era só contra o Pingão.

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/04/17/politica/1523979654_947488.html

Aécio é réu por 5x0 no STF.


Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 27.269
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #372 Online: 17 de Abril de 2018, 18:12:10 »
Os vagabundos do Boulos invadiram o triplex do Pingão que está em leilão,  agora invadiram a Fazenda do Maroni que se manifestou publicamente pela prisão e já escuto boatos de que querem invadir o STJ.

Não duvido que tentem no país onde o amigo do Pingão invadiu e depredou o Congresso.

Se fosse um país sério, estes indvíduos já estariam presos.
Foto USGS

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.402
  • Sexo: Masculino
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #373 Online: 17 de Abril de 2018, 18:22:14 »
Não falariam nem metade do que já arrotaram contra o Moro sem responder na justiça.

Só por falar como falam já teriam problemas sérios.

Offline Muad'Dib

  • Nível 33
  • *
  • Mensagens: 2.526
Re:Eleições presidenciais de 2018
« Resposta #374 Online: 17 de Abril de 2018, 19:25:40 »
https://www.facebook.com/VerdadeSemManipulacao/videos/898048646986616/

Não sei se já viram essa, Bolsonaro chamando Lula de companheiro, e indicando Deputado do PC do B para Ministro da Defesa
 :hihi:

Não vou nem comentar, o vídeo já fala por si só

E quem vota nele fanaticamente são todos contra o "esquerdista" Amoedo ou o "comunista" Alckmin. Defendem que Bolsonaro é "direita de verdade", que é outsider. Mas tem um passado que vai contra tudo isso.

Porque esse povo encara política como se fosse futebol. Não há idealismo, não há vontade de um país melhor, não há indignação contra corrupção... É somente defesa do time que torcem.

A diferença entre torcedor de futebol e torcedor político é que o torcedor político tem a falsa impressão de sofisticação intelectual defendendo cegamente seu "time".

Bolsonaro vive com o Alexandre Frota do lado, falou inclusive em torná-lo ministro. Alexandre Frota que. com certeza será eleito pelo sábio povo de São Paulo.   Alexandre frota, o ator pornõ gay ultraconservador; Alexandre Frota o ultrapatriota que não consegue escrever uma frase simples no seu idioma na merda do twitter dele.

Brasil não tem muito futuro.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!