Autor Tópico: Governo Bolsonaro  (Lida 88290 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.195
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6750 Online: 12 de Outubro de 2019, 17:10:49 »
Falácia do apelo à emocionalidade piegas vetorial.

Não...


Parece bom assim.

A imagem exibe o contraste entre realidade e devaneio.



Você não percebe que eles estão melhor do que se estivessem desempregados ?  E que por isso eles deveriam estar felizes e agradecidos aos céus e aos seus empregadores ?

Não percebe também que isso é uma prova de que o sistema capitalista é o melhor sistema possível ?  E que jamais será superado ?



E argumentavelmente estão mesmo!

Isso não é no entanto suporte para impostos regressivos, nem outras práticas de fato abusivas.

Offline Muad'Dib

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.738
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6751 Online: 12 de Outubro de 2019, 17:17:25 »
O problema é usar o argumento de que eles estão melhor que desempregados como maneira de bloquear discussões sobre o quão grotesco é a situação destas pessoas no sistema capitalista.

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.195
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6752 Online: 12 de Outubro de 2019, 17:55:24 »
Versus eles estarem melhores no.... sistema....uhm.... sistema mágico?

O problema não é "capitalismo," mas possivelmente falta do mesmo, bem como falta de políticas de bem-estar social, que incluem impostos progressivos.


Offline Muad'Dib

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.738
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6753 Online: 12 de Outubro de 2019, 18:38:10 »
Versus eles estarem melhores no.... sistema....uhm.... sistema mágico?

O problema não é "capitalismo," mas possivelmente falta do mesmo, bem como falta de políticas de bem-estar social, que incluem impostos progressivos.

Eu concordo com você. Mas pelo que se lê por ai, e o CC é um destes lugares, estado de bem estar social não é capitalismo. É comunismo.

Offline Geotecton

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 28.231
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6754 Online: 12 de Outubro de 2019, 19:39:31 »
Estado de bem estar social não tem relação de identidade nem com capitalismo nem com socialismo/comunismo.

Pode ter em qualquer sistema.
Foto USGS

Offline Agnoscetico

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.265
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6755 Online: 12 de Outubro de 2019, 21:22:47 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo, não vai mudar cabeça deles se no terceiro mundo as pessoas não tiverem mesmo nível de vida que classe média americana e européia tem (e olhe que, mesmo assim, tem até norte-americanos e europeus de classe média que são fãs de comunismo).

Cartismo

https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/movimento-cartista.htm

Citar
Juntamente com os trade unios, primeiros sindicatos de trabalhadores, o movimento cartista elaborou , em 1838, a chamada Carta do Povo, que reivindicava, entre outras coisas, o direito do sufrágio universal secreto, que daria liberdade de voto a qualquer pessoa adulta, independente da situação econômica; o direito dos trabalhadores em participar do Parlamento; a limitação dos mandatos políticos e a diminuição da jornada de trabalho. Esse movimento de cunho político foi liderado principalmente por Bronterre O’Brien, que possuiu influência ideológica do socialismo afirmando que toda propriedade era um roubo, pois havia sido construída através da exploração do rico em prejuízo do pobre.

As teorias socialistas e anarquistas influenciaram diretamente os líderes desse movimento contra as contradições do sistema capitalista, principalmente as teses marxistas que propunham a revolução do proletariado para superar o estágio capitalista e passar para uma sociedade comunista onde não haveria uma sociedade economicamente desigual.



Ludismo

https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/ludismo.htm


2) Qualquer cubano? Eu teria que ter acesso a mente de cada um deles. Muitos sentem saudade de Cuba, mesmo que a situação social nos EUA seja melhor, muitos cubanos levam manifestações culturais de Cuba pros EUA porque sentem saudade de lá (não da situação política, mas do ambiente cultural de onde vieram). Há cubanos e cubanos, há cubanos que dizem que [sistema de] saúde de Cuba é uma maravilha (vi isso num vídeo, onde um velho com cara alegre). Pode até achar que ele é um alienado, doido, etc, mas cada pessoa vê o mundo do jeito diferente. Eu por mim não iria pra Cuba, não me atrai nem politico-economicamente nem culturalmente; mas não se pode negar que assim como há cubanos que vão pros EUA por causa da necessidade e dos deslumbramento com cultura norte-americana, outros vão apenas por necessidade, e se Cuba melhorasse tem os que voltariam.

CORREÇÃO: Eu disse fim do século 19, mas já no início havia insatisfações com exploração do trabalho em fábricas inglesas.



Offline Agnoscetico

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.265
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6756 Online: 12 de Outubro de 2019, 21:48:54 »
Precisamos fazer alguma coisa acerca de crianças usadas pelo tráfico também. Isso também é exploração do trabalho infantil.

Quem falou que não era? Eu é que não.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6757 Online: 12 de Outubro de 2019, 22:12:06 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo,



A URSS não faliu, o problema  primordial foi político, não foi econômico. A URSS chegou a ter 50% do PIB americano.   Economicamente (e cientificamente e tecnologicamente) a URSS teve muito mais sucesso do que o Brasil nas décadas de 50/60/70/80.

E mesmo após a desorganização que a imbecil Glasnost causou na URSS, que por consequência atingiu a Rússia na década de 90, e somada a onda imbecil de neoliberalismo (privatizações) na década de 90 que veio para se somar a desordem política causada pela Glasnost na Rússia, ainda assim a Rússia conseguiu sair da crise da década de 90, e tanto o PIB PPC quanto a renda per capita são melhores na Rússia do que no Brasil com quase 30 anos de neoliberalismo/financeirismo neoliberal. E cientificamente/tecnologicamente e militarmente a Rússia é muito melhor do que a porcaria neoliberal Brasil.

E não adianta uns neoliberaizinhos dizerem que o Brasil não é neoliberal de verdade, pois quem comanda essa porcaria há 30 anos (ou mais) é neoliberal capitalismo financeiro.  Quem dá as cartas nessa porcaria financeirizada neoliberal são os barões do capital financeiro. 
« Última modificação: 12 de Outubro de 2019, 22:30:28 por JJ »

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.248
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6758 Online: 13 de Outubro de 2019, 08:09:16 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo,



A URSS não faliu, o problema  primordial foi político, não foi econômico. A URSS chegou a ter 50% do PIB americano.   Economicamente (e cientificamente e tecnologicamente) a URSS teve muito mais sucesso do que o Brasil nas décadas de 50/60/70/80.

E mesmo após a desorganização que a imbecil Glasnost causou na URSS, que por consequência atingiu a Rússia na década de 90, e somada a onda imbecil de neoliberalismo (privatizações) na década de 90 que veio para se somar a desordem política causada pela Glasnost na Rússia, ainda assim a Rússia conseguiu sair da crise da década de 90, e tanto o PIB PPC quanto a renda per capita são melhores na Rússia do que no Brasil com quase 30 anos de neoliberalismo/financeirismo neoliberal. E cientificamente/tecnologicamente e militarmente a Rússia é muito melhor do que a porcaria neoliberal Brasil.

E não adianta uns neoliberaizinhos dizerem que o Brasil não é neoliberal de verdade, pois quem comanda essa porcaria há 30 anos (ou mais) é neoliberal capitalismo financeiro.  Quem dá as cartas nessa porcaria financeirizada neoliberal são os barões do capital financeiro. 


Mais um bait, mas ainda assim é bom informar que...

Um só gráfico do economista acadêmico Angus Maddison já refuta bastante o argumento de que a União Soviética foi um país que se desenvolveu bastante depois da Revolução Russa:



Não se vê tendência persistente do PIB per capita soviético estreitando a lacuna existente entre ele e o PIB per capita dos países desenvolvidos capitalistas. Pelo contrário. A evolução relativa observada é inexistente ou desfavorável, principalmente depois de 1960.

Se a gente for considerar coisas além do PIB, a coisa piora. A União Soviética, no período, passou por genocídio, gulags, violações gravíssimas dos direitos humanos. Ademais, em grande parte por falta de concorrência de mercado, os bens produzidos na União Soviética, fora do âmbito militar-espacial, eram de qualidade inferior, então mesmo um montante de produção custando relativamente muito, pode-se inferir que ele valia relativamente pouco. Lembre da estatística que já pus aqui da ineficiência da Rússia soviética mencionada pelo escritor Dmitri Orlov. Enquanto nos Estados Unidos queimam-se 12 calorias para cada caloria nutritiva transportada, na Rússia soviética, a proporção era de uma para uma.

E o neoliberalismo do Brasil dos últimos 30 anos tem sido proteção tarifária muito acima da média do mundo desenvolvido, redução do superávit primário ou aumento do déficit primário do setor público, política dos campeões nacionais do BNDES, manutenção quase total da estatização da Petrobrás e do setor de água/saneamento,  metade do crédito concentrada nos bancos públicos, etc. Claro, e privatizações lideradas pelo Estado e captura regulatória de cartéis de capitalismo de Estado, como na Rússia pós-URSS. Veja o que aconteceu nos países da Europa Oriental e da América Latina que escaparam bastante dessa armadilha (Estônia e Chile, por exemplo). Eles evoluíram bem mais do que o Brasil e a Rússia pós-URSS nos últimos trinta anos.

JJ quer nos convencer que o socialismo soviético não foi causa do fracasso de nada. O contraste entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental no período da Guerra Fria foi o quê mesmo? O milagre econômico da Alemanha Oriental pós-queda do Muro de Berlim foi o quê mesmo?
« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 08:53:06 por -Huxley- »

Offline Gorducho

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.872
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6759 Online: 13 de Outubro de 2019, 09:49:00 »
Bien sûr :ok: não vale fazer comparação CCCP/60s x Rússia czarista.
Tem que comparar c/Westeuropa '17s '60s

CCCP não tive oportunidade de ir, + DDR 2ᵃ½ 80s era como pegar máquina-do-tempo instantânea. E essa é a prova + eloquente, pois que comparação entre poucos km — e não centenas @E como poderia ser alegado ::)
Citar
(Estônia e Chile, por exemplo). Eles evoluíram bem mais do que o Brasil e a Rússia pós-URSS nos últimos trinta anos.
Não arrisco opinar acerca de Estónia ou Federação Russa... + Chile (vs cá, claro) :ok: :ok: :ok:
« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 10:25:25 por Gorducho »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6760 Online: 13 de Outubro de 2019, 20:03:35 »
Os propagandistas do site  Mi co ses  podem falar a mentira que for, mas eu prefiro quem fala a verdade. Aqui tem um artigo que expõe a mentira dos neoliberalóides sobre a URSS:


O mito do fracasso econômico da URSS



No Brasil, a primeira contribuição para compreender a derrocada soviética é URSS, ascensão e queda: a economia política das relações da União Soviética com o mundo capitalista, livro publicado por Luís Fernandes em 1991. O autor se apoia na tese de mestrado que defendeu em 1989, à qual, como esclarece em artigo posterior, consagrou quase uma década de estudos e pesquisas (Fernandes, 1992, p.74). O período coberto pela pesquisa se estende até as reformas de Gorbachev; no tempo transcorrido entre a defesa da tese e a preparação do livro, precipitou-
-se o desmanche do socialismo, mas os efeitos perversos da contrarrevolução capitalista ainda não tinham se consumado inteiramente. Os subsídios analíticos que o livro oferece são úteis na medida em que expõem a situação em que o remédio venenoso da perestroika foi aplicado, mas faltava-lhe recuo histórico para
reconstituir o processo concreto que conduziu ao grande desastre.

Em seu primeiro número (1994), Crítica Marxista montou o dossiê “O marxismo e a desagregação da União Soviética”. A iniciativa correspondia ao mesmo


https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/comentario2016_08_03_15_11_14.pdf






Mas, pode continuar repetindo o besteirol neoliberal. Mesmo com o gué gué caminhando para o fracasso, mesmo com fracos resultados que  o neoliberburrismo está tendo, ainda assim um "neoliberal escocês de verdade" sempre poderá vir para salvar os  gué gués  neoliberlóides" , eles sempre poderão dizer  que não foram suficientemente neoliberlóides, sempre poderão dizer que faltou alguma dose de neoliberlóidismo.


 8-)


 

« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 20:08:25 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6761 Online: 13 de Outubro de 2019, 20:09:58 »
Falta de confiança, investimento baixo, indústria fraca e comércio de lado atravancam economia brasileira

PIB cresceu 0,4% no segundo trimestre, e afasta temores de recessão técnica.

Por Luísa Melo, G1

29/08/2019 09h11  Atualizado há um mês


https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/08/29/falta-de-confianca-investimento-baixo-industria-fraca-e-comercio-de-lado-atravancam-economia-brasileira.ghtml





Números do terceiro trimestre indicam que marasmo da economia deve prosseguir

Indicadores antecedentes mostram que marasmo econômico deve prosseguir neste trimestre. Se esse cenário se confirmar, projeções para o PIB deste ano e de 2020 podem sofrer novas rodadas de revisões.

Por Luiz Guilherme Gerbelli, G1


29/08/2019 09h17  Atualizado há um mês


https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/08/29/numeros-do-terceiro-trimestre-indicam-que-marasmo-da-economia-deve-prosseguir.ghtml



---------------------------------


Fracassos e mais fracassos é a única coisa que essa  estúpida e ultrapassada doutrina neo liberlóide irá produzir. Somada com as loucuras do seguidores do vô do alho, o quixotesco  combatente dos Moinhos de Vento comunistas.


« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 20:16:15 por JJ »

Offline Gorducho

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.872
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6762 Online: 13 de Outubro de 2019, 20:18:48 »
O mito do fracasso econômico da URSS
Se desintegrou por que então a CCCP :?:
A diferença (escalofriante) DDR x BD :?:
Obs: explique o Sr. suscintamente. Não espera que a gente vá ficar lendo teses inteiras e vendo vídeos, não é :?:

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.248
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6763 Online: 13 de Outubro de 2019, 20:27:57 »
Os propagandistas do site  Mi co ses  podem falar a mentira que for, mas eu prefiro quem fala a verdade. Aqui tem um artigo que expõe a mentira dos neoliberalóides sobre a URSS:


O mito do fracasso econômico da URSS



No Brasil, a primeira contribuição para compreender a derrocada soviética é URSS, ascensão e queda: a economia política das relações da União Soviética com o mundo capitalista, livro publicado por Luís Fernandes em 1991. O autor se apoia na tese de mestrado que defendeu em 1989, à qual, como esclarece em artigo posterior, consagrou quase uma década de estudos e pesquisas (Fernandes, 1992, p.74). O período coberto pela pesquisa se estende até as reformas de Gorbachev; no tempo transcorrido entre a defesa da tese e a preparação do livro, precipitou-
-se o desmanche do socialismo, mas os efeitos perversos da contrarrevolução capitalista ainda não tinham se consumado inteiramente. Os subsídios analíticos que o livro oferece são úteis na medida em que expõem a situação em que o remédio venenoso da perestroika foi aplicado, mas faltava-lhe recuo histórico para
reconstituir o processo concreto que conduziu ao grande desastre.

Em seu primeiro número (1994), Crítica Marxista montou o dossiê “O marxismo e a desagregação da União Soviética”. A iniciativa correspondia ao mesmo


https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/comentario2016_08_03_15_11_14.pdf






Mas, pode continuar repetindo o besteirol neoliberal. Mesmo com o gué gué caminhando para o fracasso, mesmo com fracos resultados que  o neoliberburrismo está tendo, ainda assim um "neoliberal escocês de verdade" sempre poderá vir para salvar os  gué gués  neoliberlóides" , eles sempre poderão dizer  que não foram suficientemente neoliberlóides, sempre poderão dizer que faltou alguma dose de neoliberlóidismo.


 8-)

Como já demonstrado no meu post anterior, o fracasso socioeconômico da União Soviética causou a Perestroika e não o contrário. A União Soviética não foi sucesso porcaria alguma, o desempenho soviético no crescimento do PIB per capita durante a pré-Perestroika foi pífio e o fracasso econômico transcendeu os resultados do PIB. Genocídios, gulags, terror censurista, desabastecimentos de bens básicos, compartilhamento em massa de moradias (forçado) para maquiar o número de moradores de rua, colapso no sistema de transporte de comida, fome coletiva em massa, indústria de bens de consumo populares com tecnologia do Fred Flinstone (Ladas e outras porcarias). Tudo isso faz parte da história da União Soviética.
« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 20:35:13 por -Huxley- »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6764 Online: 13 de Outubro de 2019, 20:30:52 »
O mito do fracasso econômico da URSS
Se desintegrou por que então a CCCP :?:


Eu já expliquei de forma sucinta: a dissolução da URSS  foi causada primordialmente pela  aplicação da Glasnost, mas a isto soma a informação do artigo que mostrei, no qual também mostra que a própria Perestroika trouxe desorganização para a economia. Seja como for, basta ver que hoje no Brasil neoliberal comemora-se 0,4 % de crescimento do PIB  ( Economia brasileira cresce 0,4% no segundo trimestre, anuncia IBGE
Publicado em 29/08/2019), enquanto na  "crise" da URSS na década de 80 este crescimento foi de 3,5%  (1981-1985), veja na tabela 2 página 3  (Tabela 2: Crescimento do volume anual da produção em cada plano quinquenal  https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/comentario2016_08_03_15_11_14.pdf ) , sem falar em bem grandes taxas de crescimento que teve em décadas anteriores).

Offline Agnoscetico

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.265
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6765 Online: 13 de Outubro de 2019, 21:06:48 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo,



A URSS não faliu, o problema  primordial foi político, não foi econômico. A URSS chegou a ter 50% do PIB americano.   Economicamente (e cientificamente e tecnologicamente) a URSS teve muito mais sucesso do que o Brasil nas décadas de 50/60/70/80.

E mesmo após a desorganização que a imbecil Glasnost causou na URSS, que por consequência atingiu a Rússia na década de 90, e somada a onda imbecil de neoliberalismo (privatizações) na década de 90 que veio para se somar a desordem política causada pela Glasnost na Rússia, ainda assim a Rússia conseguiu sair da crise da década de 90, e tanto o PIB PPC quanto a renda per capita são melhores na Rússia do que no Brasil com quase 30 anos de neoliberalismo/financeirismo neoliberal. E cientificamente/tecnologicamente e militarmente a Rússia é muito melhor do que a porcaria neoliberal Brasil.

E não adianta uns neoliberaizinhos dizerem que o Brasil não é neoliberal de verdade, pois quem comanda essa porcaria há 30 anos (ou mais) é neoliberal capitalismo financeiro.  Quem dá as cartas nessa porcaria financeirizada neoliberal são os barões do capital financeiro. 


Mais um bait, mas ainda assim é bom informar que...

Um só gráfico do economista acadêmico Angus Maddison já refuta bastante o argumento de que a União Soviética foi um país que se desenvolveu bastante depois da Revolução Russa:



Não se vê tendência persistente do PIB per capita soviético estreitando a lacuna existente entre ele e o PIB per capita dos países desenvolvidos capitalistas. Pelo contrário. A evolução relativa observada é inexistente ou desfavorável, principalmente depois de 1960.

Se a gente for considerar coisas além do PIB, a coisa piora. A União Soviética, no período, passou por genocídio, gulags, violações gravíssimas dos direitos humanos. Ademais, em grande parte por falta de concorrência de mercado, os bens produzidos na União Soviética, fora do âmbito militar-espacial, eram de qualidade inferior, então mesmo um montante de produção custando relativamente muito, pode-se inferir que ele valia relativamente pouco. Lembre da estatística que já pus aqui da ineficiência da Rússia soviética mencionada pelo escritor Dmitri Orlov. Enquanto nos Estados Unidos queimam-se 12 calorias para cada caloria nutritiva transportada, na Rússia soviética, a proporção era de uma para uma.

E o neoliberalismo do Brasil dos últimos 30 anos tem sido proteção tarifária muito acima da média do mundo desenvolvido, redução do superávit primário ou aumento do déficit primário do setor público, política dos campeões nacionais do BNDES, manutenção quase total da estatização da Petrobrás e do setor de água/saneamento,  metade do crédito concentrada nos bancos públicos, etc. Claro, e privatizações lideradas pelo Estado e captura regulatória de cartéis de capitalismo de Estado, como na Rússia pós-URSS. Veja o que aconteceu nos países da Europa Oriental e da América Latina que escaparam bastante dessa armadilha (Estônia e Chile, por exemplo). Eles evoluíram bem mais do que o Brasil e a Rússia pós-URSS nos últimos trinta anos.

JJ quer nos convencer que o socialismo soviético não foi causa do fracasso de nada. O contraste entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental no período da Guerra Fria foi o quê mesmo? O milagre econômico da Alemanha Oriental pós-queda do Muro de Berlim foi o quê mesmo?

Mas que áreas de desenvolvimento ta falando? Técnico-científico? Econômico? Social?
A URSS mesmo não sendo considerada, segundo opinião de anti-comunistas, desenvolvida na área social econômica, fez realizações científicas como envio do homem ao espaço, etc, antes dos EUA, e o Brasil que sempre foi sub-capitalismo do terceiro-mundo não chegou perto disso.
A China semi-comunista ou semi-seja-lá-o-que-for já fez experimentos com envio de astronautas ao espaço e o Brasil ainda não. Nem Cuba, nem Venezuela também.
A América Latina teve colonização de exploração, a Rússia e países eslavos tiveram histórias diferentes. Há desigualdade tanto nos países mais a direita quanto o mais a esquerda da América Latina. Então, essa análise de países sem ver vários aspectos científicos, sociais, econômicos, culturais, etc, e não apenas um só desses, não ajuda muito a entender problema por completo. 





Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.248
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6766 Online: 13 de Outubro de 2019, 21:18:01 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo,



A URSS não faliu, o problema  primordial foi político, não foi econômico. A URSS chegou a ter 50% do PIB americano.   Economicamente (e cientificamente e tecnologicamente) a URSS teve muito mais sucesso do que o Brasil nas décadas de 50/60/70/80.

E mesmo após a desorganização que a imbecil Glasnost causou na URSS, que por consequência atingiu a Rússia na década de 90, e somada a onda imbecil de neoliberalismo (privatizações) na década de 90 que veio para se somar a desordem política causada pela Glasnost na Rússia, ainda assim a Rússia conseguiu sair da crise da década de 90, e tanto o PIB PPC quanto a renda per capita são melhores na Rússia do que no Brasil com quase 30 anos de neoliberalismo/financeirismo neoliberal. E cientificamente/tecnologicamente e militarmente a Rússia é muito melhor do que a porcaria neoliberal Brasil.

E não adianta uns neoliberaizinhos dizerem que o Brasil não é neoliberal de verdade, pois quem comanda essa porcaria há 30 anos (ou mais) é neoliberal capitalismo financeiro.  Quem dá as cartas nessa porcaria financeirizada neoliberal são os barões do capital financeiro. 


Mais um bait, mas ainda assim é bom informar que...

Um só gráfico do economista acadêmico Angus Maddison já refuta bastante o argumento de que a União Soviética foi um país que se desenvolveu bastante depois da Revolução Russa:



Não se vê tendência persistente do PIB per capita soviético estreitando a lacuna existente entre ele e o PIB per capita dos países desenvolvidos capitalistas. Pelo contrário. A evolução relativa observada é inexistente ou desfavorável, principalmente depois de 1960.

Se a gente for considerar coisas além do PIB, a coisa piora. A União Soviética, no período, passou por genocídio, gulags, violações gravíssimas dos direitos humanos. Ademais, em grande parte por falta de concorrência de mercado, os bens produzidos na União Soviética, fora do âmbito militar-espacial, eram de qualidade inferior, então mesmo um montante de produção custando relativamente muito, pode-se inferir que ele valia relativamente pouco. Lembre da estatística que já pus aqui da ineficiência da Rússia soviética mencionada pelo escritor Dmitri Orlov. Enquanto nos Estados Unidos queimam-se 12 calorias para cada caloria nutritiva transportada, na Rússia soviética, a proporção era de uma para uma.

E o neoliberalismo do Brasil dos últimos 30 anos tem sido proteção tarifária muito acima da média do mundo desenvolvido, redução do superávit primário ou aumento do déficit primário do setor público, política dos campeões nacionais do BNDES, manutenção quase total da estatização da Petrobrás e do setor de água/saneamento,  metade do crédito concentrada nos bancos públicos, etc. Claro, e privatizações lideradas pelo Estado e captura regulatória de cartéis de capitalismo de Estado, como na Rússia pós-URSS. Veja o que aconteceu nos países da Europa Oriental e da América Latina que escaparam bastante dessa armadilha (Estônia e Chile, por exemplo). Eles evoluíram bem mais do que o Brasil e a Rússia pós-URSS nos últimos trinta anos.

JJ quer nos convencer que o socialismo soviético não foi causa do fracasso de nada. O contraste entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental no período da Guerra Fria foi o quê mesmo? O milagre econômico da Alemanha Oriental pós-queda do Muro de Berlim foi o quê mesmo?

Mas que áreas de desenvolvimento ta falando? Técnico-científico? Econômico? Social?
A URSS mesmo não sendo considerada, segundo opinião de anti-comunistas, desenvolvida na área social econômica, fez realizações científicas como envio do homem ao espaço, etc, antes dos EUA, e o Brasil que sempre foi sub-capitalismo do terceiro-mundo não chegou perto disso.
A China semi-comunista ou semi-seja-lá-o-que-for já fez experimentos com envio de astronautas ao espaço e o Brasil ainda não. Nem Cuba, nem Venezuela também.
A América Latina teve colonização de exploração, a Rússia e países eslavos tiveram histórias diferentes. Há desigualdade tanto nos países mais a direita quanto o mais a esquerda da América Latina. Então, essa análise de países sem ver vários aspectos científicos, sociais, econômicos, culturais, etc, e não apenas um só desses, não ajuda muito a entender problema por completo. 






Homem no espaço não enche barriga. Bens de consumo populares, sim. A indústria soviética não sabia sequer fabricar uma televisão que prestasse. A Samsung da então emergente Coreia do Sul na década de 1980 já estava a anos-luz de qualquer coisa-corporativa-eletrônica-para-o-povo que vinha da União Soviética.
« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 21:45:47 por -Huxley- »

Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.248
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6767 Online: 13 de Outubro de 2019, 21:24:13 »


Se existiram privatizações no Brasil no pós-1989, então o Brasil é neoliberal. Logo, se existiram privatizações na Nova Política Econômica de Lenin, então a União Soviética liderada por Lenin era neoliberal. E agora coxinhas leninistas?

A economia soviética entrou em colapso e o país mergulhou na miséria, sendo salva pelo anticoxinha Stalin. Stalin e seus sucessores visionários ajudaram a colocar satélites e homens soviéticos no espaço... para desespero dos neoliberais leninistas que achavam que Lenin era o maior. Os pós-leninistas criaram também a Tsar bomba, a mais potente bomba de hidrogênio já testada, capaz de causar calafrios até no Tio Sam. E agora coxinhas neoliberais leninistas?

Já sei. Vão dizer que Lenin não era o Neoliberalismo de verdade. Eis a falácia do "Neoliberalismo escocês de verdade".

 
« Última modificação: 13 de Outubro de 2019, 21:35:39 por -Huxley- »

Offline Agnoscetico

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.265
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6768 Online: 13 de Outubro de 2019, 22:32:56 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo,



A URSS não faliu, o problema  primordial foi político, não foi econômico. A URSS chegou a ter 50% do PIB americano.   Economicamente (e cientificamente e tecnologicamente) a URSS teve muito mais sucesso do que o Brasil nas décadas de 50/60/70/80.

E mesmo após a desorganização que a imbecil Glasnost causou na URSS, que por consequência atingiu a Rússia na década de 90, e somada a onda imbecil de neoliberalismo (privatizações) na década de 90 que veio para se somar a desordem política causada pela Glasnost na Rússia, ainda assim a Rússia conseguiu sair da crise da década de 90, e tanto o PIB PPC quanto a renda per capita são melhores na Rússia do que no Brasil com quase 30 anos de neoliberalismo/financeirismo neoliberal. E cientificamente/tecnologicamente e militarmente a Rússia é muito melhor do que a porcaria neoliberal Brasil.

E não adianta uns neoliberaizinhos dizerem que o Brasil não é neoliberal de verdade, pois quem comanda essa porcaria há 30 anos (ou mais) é neoliberal capitalismo financeiro.  Quem dá as cartas nessa porcaria financeirizada neoliberal são os barões do capital financeiro. 


Mais um bait, mas ainda assim é bom informar que...

Um só gráfico do economista acadêmico Angus Maddison já refuta bastante o argumento de que a União Soviética foi um país que se desenvolveu bastante depois da Revolução Russa:



Não se vê tendência persistente do PIB per capita soviético estreitando a lacuna existente entre ele e o PIB per capita dos países desenvolvidos capitalistas. Pelo contrário. A evolução relativa observada é inexistente ou desfavorável, principalmente depois de 1960.

Se a gente for considerar coisas além do PIB, a coisa piora. A União Soviética, no período, passou por genocídio, gulags, violações gravíssimas dos direitos humanos. Ademais, em grande parte por falta de concorrência de mercado, os bens produzidos na União Soviética, fora do âmbito militar-espacial, eram de qualidade inferior, então mesmo um montante de produção custando relativamente muito, pode-se inferir que ele valia relativamente pouco. Lembre da estatística que já pus aqui da ineficiência da Rússia soviética mencionada pelo escritor Dmitri Orlov. Enquanto nos Estados Unidos queimam-se 12 calorias para cada caloria nutritiva transportada, na Rússia soviética, a proporção era de uma para uma.

E o neoliberalismo do Brasil dos últimos 30 anos tem sido proteção tarifária muito acima da média do mundo desenvolvido, redução do superávit primário ou aumento do déficit primário do setor público, política dos campeões nacionais do BNDES, manutenção quase total da estatização da Petrobrás e do setor de água/saneamento,  metade do crédito concentrada nos bancos públicos, etc. Claro, e privatizações lideradas pelo Estado e captura regulatória de cartéis de capitalismo de Estado, como na Rússia pós-URSS. Veja o que aconteceu nos países da Europa Oriental e da América Latina que escaparam bastante dessa armadilha (Estônia e Chile, por exemplo). Eles evoluíram bem mais do que o Brasil e a Rússia pós-URSS nos últimos trinta anos.

JJ quer nos convencer que o socialismo soviético não foi causa do fracasso de nada. O contraste entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental no período da Guerra Fria foi o quê mesmo? O milagre econômico da Alemanha Oriental pós-queda do Muro de Berlim foi o quê mesmo?

Mas que áreas de desenvolvimento ta falando? Técnico-científico? Econômico? Social?
A URSS mesmo não sendo considerada, segundo opinião de anti-comunistas, desenvolvida na área social econômica, fez realizações científicas como envio do homem ao espaço, etc, antes dos EUA, e o Brasil que sempre foi sub-capitalismo do terceiro-mundo não chegou perto disso.
A China semi-comunista ou semi-seja-lá-o-que-for já fez experimentos com envio de astronautas ao espaço e o Brasil ainda não. Nem Cuba, nem Venezuela também.
A América Latina teve colonização de exploração, a Rússia e países eslavos tiveram histórias diferentes. Há desigualdade tanto nos países mais a direita quanto o mais a esquerda da América Latina. Então, essa análise de países sem ver vários aspectos científicos, sociais, econômicos, culturais, etc, e não apenas um só desses, não ajuda muito a entender problema por completo. 






Homem no espaço não enche barriga. Bens de consumo populares, sim. A indústria soviética não sabia sequer fabricar uma televisão que prestasse. A Samsung da então emergente Coreia do Sul na década de 1980 já estava a anos-luz de qualquer coisa-corporativa-eletrônica-para-o-povo que vinha da União Soviética.

Até parece que noa Brasil capitalistas de terceiro mundo todo mundo tava de barriga cheia  :histeria:  :histeria:  :histeria: - cheia de vermes, parasitas, mas de comida mesmo. Tinha lugar do Brasil que tava no mesmo nível que países da África.
O imperador do Brasil disse que venderia jóias da coroa pra acabar com fome e no Nordeste, e desde lá, passando por República Velha e Nova, do Café com leite, da banana, do sei lá mais o quê, da Ditadura, ditamole, e nada!   

MORAL DA HISTÓRIA: Capitalistas de terceiro mundo ainda não tem muita moral pra criticar comunistas. 


Offline Agnoscetico

  • Nível 36
  • *
  • Mensagens: 3.265
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6769 Online: 13 de Outubro de 2019, 23:03:43 »
Bolsonaretes são caso sério, implicam até com site de fofocas sensacionalistas sobre Bozo de coisas que não tem nada haver com política e metem política na história:

https://www.otvfoco.com.br/jair-bolsonaro-luta-ha-3-meses-contra-amputacao-de-penis-sofre-reviravolta-e-desabafa-fundo-do-poco/#comment-4588599089


Offline -Huxley-

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 13.248
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6770 Online: 14 de Outubro de 2019, 02:04:44 »

1) Além do mais, mesmo naquela época aposto como os pobrezinhos gostaram, pois só aceita voluntariamente um trabalho desses quem estava em situação pior antes, a não ser em Estados socialistas, onde o governo determina onde trabalhamos, quanto ganhamos, etc.

Pergunte a qualquer cubano que ingressa ilegalmente nos Estados Unidos se ele se importa com trabalho mal pago rejeitado por americanos. Eles vão para lá justamente para isso, para terem esses trabalhos. Pelo menos a maioria deles.

1) Aposta baseado em quê? Na sua própria vivência? Eles não tinha outra escolha, não é porque gostavam - eles tinham livre mas não espontânea vontade, a necessidade impelia eles. Gostavam tanto que houve movimentos sociais como Cartismo, Ludismo e outros, e abriu espaço pra ideologias como Comunismo ganhar mais apoio. Se o capitalismo no século 19 fosse a maravilha como dizem que norte-americana é atualmente, talvez comunismo nem ganhasse espaço. Enquanto houver desigualdade social a esquerda vai usar isso como justificativa pros movimentos deles. Ficar apenas falando que comunismo não presta porque Cuba, Coréia do norte e a falida ex-URSS não deram e não dão certo,



A URSS não faliu, o problema  primordial foi político, não foi econômico. A URSS chegou a ter 50% do PIB americano.   Economicamente (e cientificamente e tecnologicamente) a URSS teve muito mais sucesso do que o Brasil nas décadas de 50/60/70/80.

E mesmo após a desorganização que a imbecil Glasnost causou na URSS, que por consequência atingiu a Rússia na década de 90, e somada a onda imbecil de neoliberalismo (privatizações) na década de 90 que veio para se somar a desordem política causada pela Glasnost na Rússia, ainda assim a Rússia conseguiu sair da crise da década de 90, e tanto o PIB PPC quanto a renda per capita são melhores na Rússia do que no Brasil com quase 30 anos de neoliberalismo/financeirismo neoliberal. E cientificamente/tecnologicamente e militarmente a Rússia é muito melhor do que a porcaria neoliberal Brasil.

E não adianta uns neoliberaizinhos dizerem que o Brasil não é neoliberal de verdade, pois quem comanda essa porcaria há 30 anos (ou mais) é neoliberal capitalismo financeiro.  Quem dá as cartas nessa porcaria financeirizada neoliberal são os barões do capital financeiro. 


Mais um bait, mas ainda assim é bom informar que...

Um só gráfico do economista acadêmico Angus Maddison já refuta bastante o argumento de que a União Soviética foi um país que se desenvolveu bastante depois da Revolução Russa:



Não se vê tendência persistente do PIB per capita soviético estreitando a lacuna existente entre ele e o PIB per capita dos países desenvolvidos capitalistas. Pelo contrário. A evolução relativa observada é inexistente ou desfavorável, principalmente depois de 1960.

Se a gente for considerar coisas além do PIB, a coisa piora. A União Soviética, no período, passou por genocídio, gulags, violações gravíssimas dos direitos humanos. Ademais, em grande parte por falta de concorrência de mercado, os bens produzidos na União Soviética, fora do âmbito militar-espacial, eram de qualidade inferior, então mesmo um montante de produção custando relativamente muito, pode-se inferir que ele valia relativamente pouco. Lembre da estatística que já pus aqui da ineficiência da Rússia soviética mencionada pelo escritor Dmitri Orlov. Enquanto nos Estados Unidos queimam-se 12 calorias para cada caloria nutritiva transportada, na Rússia soviética, a proporção era de uma para uma.

E o neoliberalismo do Brasil dos últimos 30 anos tem sido proteção tarifária muito acima da média do mundo desenvolvido, redução do superávit primário ou aumento do déficit primário do setor público, política dos campeões nacionais do BNDES, manutenção quase total da estatização da Petrobrás e do setor de água/saneamento,  metade do crédito concentrada nos bancos públicos, etc. Claro, e privatizações lideradas pelo Estado e captura regulatória de cartéis de capitalismo de Estado, como na Rússia pós-URSS. Veja o que aconteceu nos países da Europa Oriental e da América Latina que escaparam bastante dessa armadilha (Estônia e Chile, por exemplo). Eles evoluíram bem mais do que o Brasil e a Rússia pós-URSS nos últimos trinta anos.

JJ quer nos convencer que o socialismo soviético não foi causa do fracasso de nada. O contraste entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental no período da Guerra Fria foi o quê mesmo? O milagre econômico da Alemanha Oriental pós-queda do Muro de Berlim foi o quê mesmo?

Mas que áreas de desenvolvimento ta falando? Técnico-científico? Econômico? Social?
A URSS mesmo não sendo considerada, segundo opinião de anti-comunistas, desenvolvida na área social econômica, fez realizações científicas como envio do homem ao espaço, etc, antes dos EUA, e o Brasil que sempre foi sub-capitalismo do terceiro-mundo não chegou perto disso.
A China semi-comunista ou semi-seja-lá-o-que-for já fez experimentos com envio de astronautas ao espaço e o Brasil ainda não. Nem Cuba, nem Venezuela também.
A América Latina teve colonização de exploração, a Rússia e países eslavos tiveram histórias diferentes. Há desigualdade tanto nos países mais a direita quanto o mais a esquerda da América Latina. Então, essa análise de países sem ver vários aspectos científicos, sociais, econômicos, culturais, etc, e não apenas um só desses, não ajuda muito a entender problema por completo. 






Homem no espaço não enche barriga. Bens de consumo populares, sim. A indústria soviética não sabia sequer fabricar uma televisão que prestasse. A Samsung da então emergente Coreia do Sul na década de 1980 já estava a anos-luz de qualquer coisa-corporativa-eletrônica-para-o-povo que vinha da União Soviética.

Até parece que noa Brasil capitalistas de terceiro mundo todo mundo tava de barriga cheia  :histeria:  :histeria:  :histeria: - cheia de vermes, parasitas, mas de comida mesmo. Tinha lugar do Brasil que tava no mesmo nível que países da África.
O imperador do Brasil disse que venderia jóias da coroa pra acabar com fome e no Nordeste, e desde lá, passando por República Velha e Nova, do Café com leite, da banana, do sei lá mais o quê, da Ditadura, ditamole, e nada!   

MORAL DA HISTÓRIA: Capitalistas de terceiro mundo ainda não tem muita moral pra criticar comunistas. 

Na maioria esmagadora dos casos, o Estado do capitalismo dos países de Terceiro Mundo se parece muito com o Estado socialista. Um Estado com instituições extrativistas para beneficiar uma elite extrativista, o que torna a concorrência capitalista uma verdadeira farsa. O capitalismo de países que se estagnaram economicamente por muito tempo não passa de uma espécie de socialismo aristocrático.

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6771 Online: 14 de Outubro de 2019, 08:50:02 »
Extra ! Extra !

Neoliberloidismo entrega resultados espetaculares para a economia do Brasil em 2019 e com isso cala a boca dos  críticos do neoliberloidismo  financeirista do gué:


Mercado volta a reduzir previsão de crescimento do PIB de 2019



Relatório Focus, divulgado pelo Banco Central, prevê que a economia vai crescer 0,81% em 2019. Previsão anterior era de 0,82%.

Por Laís Lis, G1 — Brasília
12/08/2019 08h37 · Atualizado
ECONOMIA
há 2 meses



Analista do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central voltaram a reduzir a previsão de crescimento da Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, de 0,82% para 0,81%.
Os números foram divulgados nesta segunda-feira (12), na pesquisa conhecida como Focus, em que o BC ouviu na semana passada especialistas de mais de 100 instituições financeiras.
A previsão do PIB não caía desde a pesquisa divulgada no dia 29 de julho.


Os especialistas também diminuíram a previsão de inflação para o ano, de 3,80% para 3,76%.

Outro indicador divulgado nesta segunda pelo Banco Central, o Índice de Atividade Econômica (espécie de prévia do PIB), registrou retração de 0,13% no segundo trimestre. Como o primeiro trimestre registrou queda no PIB, o resultado do segundo, se confirmado, colocará o país em recessão técnica.


--------------------------


https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/08/12/mercado-volta-a-reduzir-previsao-de-crescimento-do-pib-de-2019.ghtml




Diante dos  ultra espetaculares resultados do Mega Ultra Plus Gold Platinum   Neo Liber loidismo  só resta aos seus críticos que parem de criticar o Super Hiper  Ministron Pá  Gué .


 :histeria:



De 1981 a 1985  a URSS teve um crescimento do PIB de 3,5% ao ano (fraco se comparado aos enormes índices de décadas anteriores, mas muito fortes se comparados ao atual brazuca),  já o Brasil  comandado pelo Hiper Super  Ministron  está conseguindo 0,81%  ou seja   3,5/0,81  = 4,32 x menor do que a URSS em crise


 8-)
« Última modificação: 14 de Outubro de 2019, 09:20:05 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6772 Online: 14 de Outubro de 2019, 09:18:11 »
Deu a louca no PSL: Janaina contraria Flávio Bolsonaro e Frota ameaça revelar podres dos bastidores do partido


31/07/2019 - 15h54

Da Redação



A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), co-autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, agora quer a cassação do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que trancou uma ação contra Flávio Bolsonaro alegando uso indevido de relatório do Coaf, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, ligado ao Ministério da Economia (o ex-juiz federal Sérgio Moro fracassou na tentativa de assumir o controle do Coaf ao se tornar ministro da Justiça).

A parlamentar alega que a decisão de Toffoli prejudica investigações contra a corrupção.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) é suspeito de enriquecimento ilícito através de repasses de um ex-assessor e amigo da família Bolsonaro, Fabrício Queiroz.

Queiroz, que está desaparecido, admite que arrecadou dinheiro do salário de colegas de gabinete, quando Flávio era deputado estadual no Rio de Janeiro, para financiar atividades parlamentares do chefe, sem que Flávio soubesse ou tivesse recebido repasses.

Queiroz comprovadamente transferiu R$ 24 mil à primeira dama Michelle Bolsonaro. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, foi parte do pagamento de um empréstimo que ele havia feito ao amigo.

Saques e depósitos em dinheiro levantaram a suspeita de que Queiroz trabalhava como uma espécie de “caixa informal” da família Bolsonaro, fazendo transferência de valores de origem duvidosa.

Queiroz também é suspeito de ligações com milícia que controla território na Zona Oeste do Rio de Janeiro, comandada por investigados no assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ).

Apoiadores de Jair e Flávio Bolsonaro ainda não acusaram Janaina de ligações com o comunismo internacional.

Janaina é integrante de um grupo batizado de MP-Pró sociedade. O texto do grupo endereçado ao presidente do Senado, casa do Congresso que pode cassar ministros do STF, diz:

A criminosa decisão do ministro ora denunciado causa danos irreversíveis à população com a obstrução de investigações efetuadas pela Polícia Judiciária e/ou Ministério Público, já que suspende todos os processos que usam dados fiscais e bancários de contribuintes sem autorização judicial, afetando diretamente o combate à lavagem de dinheiro no país, ou seja, a todas as investigações ligadas à corrupção, narcotráfico, roubo de cargas, contrabando, entre outros, inclusive, com reversão de condenações, bens e propinas confiscados ao longo dos últimos 20 anos.

PSL paulista em chamas

O PSL paulista está em chamas por causa da luta pela sucessão de Bruno Covas e João Dória, na prefeitura e no Palácio dos Bandeirantes.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) acusa o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP), e a líder do governo Bolsonaro na Câmara, Joice Hasselmann, de serem mais fiéis a João Doria, do PSDB, do que ao PSL.

“Por que Joice e Frota não migram logo para o PSDB de Doria?”, declarou Zambelli.

Frota, que tem causado polêmica por discordar do discurso oficial bolsonarista em algumas situações, respondeu que Zambelli é duas caras.

“Zambelli acho que vc deveria cuidar da sua vida, feio, um dia vc beija outro dia vc cospe. Duas caras a essa altura não dá. Cuida da vidinha seja feliz e me esqueça. Seja feliz”, escreveu o parlamentar no tweeter.

Frota fez acusações mais graves contra o líder do PSL no Senado, Major Olímpio (PSL-SP).

Para Frota, o ex major da Polícia Militar pratica “coronelismo” e montou “milícia de ex-PMs” dentro do partido.

Segundo escreveu em rede social, até hoje estamos esperando a prestação de contas do Psl SP antes durante e depois da eleição. O Sr deixou 43 diretórios com sérios problemas estamos na liminar até hoje. Fora a sua milicia de ex PMs, em cada lugar que passo tem um Coronel que é dono do Psl.

O senador reagiu levando Frota ao Conselho de Ética do partido.

Por causa disso, Frota teve o que é chamado de tweet storm, sugerindo que sabe de podres nos bastidores do PSL:

Major Olimpio quem deveria ter sido colocado no Conselho de ética seria o Sr por ter feito campanha falando pelo Psl para o Márcio França passando por cima de tudo e de todos. Agora fica rastejando atrás do Bolsonaro. O Sr é um falastrão, bobo e que joga do lado q te interessa. Major me coloca lá tenho bastante coisa mesmo pra falar. Sobre o lixo de Cubatão, sobre os problemas nos diretórios, sobre a Estadual, vai ser uma briga boa. Espero que aguente porque com a Joice [Hasselmann, líder do PSL na Câmara] o Sr sucumbiu foi humilhado ficou sem moral @majorolimpio igual boneco de posto. Major peito pra pedir conselho de ética pra quem fez rachadinha o Sr não teve, peito para pedir conselho de ética para quem tem os laranjas no partido o Sr não tem. Apoiou a decisão do Toffoli se calou no COAF, aplaudiu o nepotismo, onde está o Sr para defender a Prev da Pm? Eu entendi a manobra do Major, mas ele precisa saber que não temos nem um Presidente Estadual que está dividido entre EUA e o Brasil. Aliás se tornou Presidente Estadual na marra e na marra vai ser Embaixador qualificação falar inglês, surfar, ser amigo do filho do Trump.

Nesta última mensagem, Frota ataca Eduardo Bolsonaro, presidente do PSL paulista. O controle da máquina estadual é importante para futuras campanhas e foi transferido de Olímpio para o filho deputado federal do presidente da República.


https://www.viomundo.com.br/politica/deu-a-louca-no-psl-janaina-contraria-flavio-bolsonaro-e-frota-ameaca-revelar-podres-dos-bastidores-do-partido.html



______________________


De dois meses atrás, mas  como o cabaré está pegando fogo, e ainda tem vários cômodos para queimar, então, continua atual.   :hihi:


« Última modificação: 14 de Outubro de 2019, 09:36:20 por JJ »

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6773 Online: 14 de Outubro de 2019, 09:29:34 »

Análise: briga no PSL tem potencial para desestabilizar Bolsonaro


Ao cobrar auditoria nas contas do partido, presidente tenta se antecipar a problemas na Justiça Eleitoral, mas deixa aliados insatisfeitos



Cresce no PSL um foco de crise com final imprevisível. Principal nome do partido, o presidente Jair Bolsonaro aumenta a tensão interna com um pedido de auditoria nas contas da legenda nos últimos cinco anos.


Esse é um jogo arriscado para o capitão. Nos aspectos mais explosivos, a briga tem potencial para expor as entranhas da eleição do ano passado. Investigações da Polícia Federal levantam suspeitas de uso de dinheiro desviado de candidaturas laranja para a campanha de Bolsonaro.


O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, está no centro do alvoroço. No pior dos cenários, ele arrasta o chefe para o escândalo do laranjal e o caso chegará ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com questionamentos sobre o resultado da disputa presidencial de 2018.


Ao solicitar a auditoria, o presidente tenta se antecipar de possíveis problemas nas finanças do PSL. Em uma atitude preventiva, procura se blindar contra eventual processo no TSE. Conta para essa empreitada com a ajuda de um ex-ministro do tribunal, o advogado Admar Gonzaga


A entrada em campo do ex-magistrado fornece uma medida da gravidade da situação. Pelo currículo, Gonzaga conhece os caminhos que levam à absolvição de políticos no tribunal eleitoral.


Bolsonaro ainda tem pontes para queimar se o caso da campanha em Minas chegar ao TSE. Em última instância, tentará jogar para Álvaro Antônio a culpa de eventuais desvios de dinheiro administrado pelo PSL.

Para quem já se livrou de aliados importantes – como o ex-ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, ou o ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz –, essa perspectiva desponta como uma alternativa sem dramas de consciência para Bolsonaro.

A mesma estratégia vale para o presidente nacional do PSL, o experiente Luciano Bivar, responsável por abrir as portas da sigla para Bolsonaro em 2018. Quando pede auditoria das contas, o presidente demonstra intenção de encurralar o dirigente do partido.


Arriscada no campo jurídico, a estratégia de peitar o PSL também se mostra temerária do ponto de vista político. Nas duas vertentes,o chefe do Executivo abre a guarda para a exploração de pontos frágeis pelos adversários e por aliados insatisfeitos com os rumos do partido. As projeções mais desfavoráveis levam em cota que os gestos ousados de Bolsonaro criam condições para a desestabilização do governo.

Líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP) disputa com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o “Zero 3”, o comando da legenda no estado. “Não reconheço no país a monarquia, a dinastia. O que desgasta o presidente são os filhos com mania de príncipe”, afirmou o parlamentar.

Olímpio reclama também dos movimentos do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) contra a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Esse episódio escancarou a aproximação do “Zero 1” com a banda do Congresso interessada em barrar o combate à corrupção

[...]


https://www.metropoles.com/brasil/politica-br/analise-briga-no-psl-tem-potencial-para-desestabilizar-bolsonaro



---------------------------------------



O  Partido Cabaré  está pegando fogo


 :biglol:

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.271
  • Sexo: Masculino
Re:Governo Bolsonaro
« Resposta #6774 Online: 14 de Outubro de 2019, 09:32:49 »

Nova Política



Frota rebate Onyx e diz que não há como superar divergências: "eu sei de tudo e porque estamos passando por isso"




Alexandre Frota, ex-PSL e agora PSDB de São Paulo, escreveu em sua redes sociais que a proposta do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, de"superar as divergências" está longe de acontecer. "Onyx gosto de vc e prometo preservá lo. Mas superar divergências é o caralho", disse o deputado

12 de outubro de 2019, 17:20 h Atualizado em 12 de outubro de 2019, 17:22



247 - O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) rebateu as declarações do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que disse que durante evento dos conservadores em São Paulo que a direita precisa "superar as divergências".

"Direita deve superar divergências para não perder chance histórica. Onyx gosto de vc e prometo preservá lo. Mas superar divergências é o caralho. Ok eu sei de tudo e sei como foi feito .E porque estamos passando por isso. Fiquei 5 anos dentro dessa merda", escreveu Frota.


Antes, o deputado fez uma postagem em que afirma ter conversado com o "amigo Rueda Vice do Psl e quem financiou ontem a toda a operação". "Me contou detalhes", disse, provavelmente se referindo ao evento dos conservadores.

Direita deve superar divergências para não perder chance histórica. Onyx gosto de vc e prometo preservá lo.Mas superar divergências é o caralho .Ok eu sei de tudo e sei como foi feito .E porque estamos passando por isso.Fiquei 5 anos dentro dessa merda. https://t.co/xwquNc0xAh

— Alexandre Frota (@alefrota77) October 12, 2019



https://www.brasil247.com/brasil/frota-rebate-onyx-e-diz-que-nao-ha-como-superar-divergencias-eu-sei-de-tudo-e-porque-estamos-passando-por-isso


 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!