Autor Tópico: E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"  (Lida 1788 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Eliphas Levi

  • Nível 05
  • *
  • Mensagens: 58
  • ad rosam per crucem
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #50 Online: 09 de Agosto de 2019, 11:55:46 »
A gravidade já existia antes de Newton. A Inteligência não inventa, apenas descobre.
as above so below

Offline Horacio

  • Nível 06
  • *
  • Mensagens: 62
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #51 Online: 09 de Agosto de 2019, 12:00:23 »
Citação de: Sr. Horacio
nossos desejos movem o Universo
:no: justo o contrário: o Universo tá se lixando pro que pensamos, "achamos" ou queremos |(
Citar
Certamente aquela turma toda montou suas equações na base da pura advinhação ou quem sabe jogando buzios...
"Descontando" exageros de figuração & retórica: praticamente :ok:
Veja: (i) o Heisenberg "ajeitou" as séries de Fourier clássicas pra refletirem os resultados "mensuráveis" que seriam as frequências espectrais (não as "coordenadas" hamiltonianas q, p);
(ii) o Schrödinger "ajeitou" a eq. clássica das vibrações esperando se livrar do i depois e jamais pensou que a interpretação viraria probabilística;
(iii) a "não comutabilidade" dos operadores foi descoberta heuristicamente;
[you name it...]
CLARO QUE EU SEI que NÃO FOI o Feynman que falou o cala a boca e calcula — però vero quié por aí mesmo...
Eppur funzionano :stunned:
O essencial mesmo é perceber que a REALIDADE sempre está a superar qq. imaginação, "intuição" ou "lógica" dos hominais terrícolas :ok:

Para quem começou o post com uma falácia tão vagabunda até que o resto não foi tão mal, foi até muito pior.

Offline Horacio

  • Nível 06
  • *
  • Mensagens: 62
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #52 Online: 09 de Agosto de 2019, 12:25:05 »
O essencial mesmo é perceber que a REALIDADE sempre está a superar qq. imaginação, "intuição" ou "lógica" dos hominais terrícolas
========================

Sim, se o primeiro ateu usou o eclipse como prova de que o universo não é guiado pelo Logos , mas pelo Caos, porque não renovar o argumento...

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.298
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #53 Online: 09 de Agosto de 2019, 12:29:08 »
A "DIVINDADE" e o "INTELIGÍVEL" não existem sem o exercício do pensamento e portanto, mais do que contaminados, dependem da imaginação e derivam essencialmente desse desconforto emocional e pessoal diante das lacunas do conhecimento humano. Portanto não se tratam de "verdades"  imunes garantidas pela lógica de uma realidade que deveria envolver tudo e a todos. A "DIVINDADE" e o "INTELIGÍVEL" faz parte da metafísica e não existe metafísica na natureza.
A "CADEIRA EM QUE VOCÊ ESTÁ SENTADO" não existe sem o exercício do tato e da visão e, portanto, mais do que contaminada, depende dos sentidos físicos que derivam do organismo humano. A cadeira ia deixar de existir caso você não pudesse percebê-la? Claro que não.

A contemplação intelectiva é também um tipo de sentido. Um cachorro não consegue tatear a geometria, a matemática, a metafísica e a ética, e nós o fazemos justamente porque temos um princípio racional, intelectivo. Assim como o olfato apreende odores, e como a audição apreende sons, nosso princípio ativo e inteligente também apreende ARCHÉ (Verdades, Formas, ideas etc). Não é porque a contemplação destas se dá através de nosso princípio que a existência dela se resume a nós, porque isso seria o mesmo que dizer que o universo esperou a invenção da matemática para que 1+1 seja =2, quando na verdade 1+1=2 é apenas a percepção e representação humana de algo que sempre foi e sempre será.

Jogo de palavras. A apreensão do Arché já é viajar na maionese. Esse princípio ativo e inteligente é movido pela imaginação e por isso a contemplação intelectiva é um "sentido" falho e portanto duvidoso. Tudo é Maya. E também não existe garantia dessa coisa de algo que sempre foi sempre será.
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.298
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #54 Online: 09 de Agosto de 2019, 12:38:41 »
A gravidade já existia antes de Newton. A Inteligência não inventa, apenas descobre.

O correto é dizer que existiam pessoas antes de Newton que percebiam essa coisa estranha que atrai tudo para o chão. Ninguém inventou ou descobriu nada.

O termo "gravidade" já faz parte do esforço intelectual para entender essa coisa estranha. Para o ignorante as coisas continuam caindo apesar de, para ele, não existir gravidade.

Aliás, a rigor, na relatividade geral, a gravidade newtoniana não existe apesar dessa coisa estranha que atrai tudo para o chão insistir em acontecer.
« Última modificação: 09 de Agosto de 2019, 12:50:34 por Gigaview »
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Gorducho

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.888
  • Sexo: Masculino
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #55 Online: 09 de Agosto de 2019, 13:20:24 »
Para quem começou o post com uma falácia tão vagabunda até que o resto não foi tão mal, foi até muito pior.
Se é pra mim, :susto: que gentil...
+ não entendi bulhufas :umm:

Offline Horacio

  • Nível 06
  • *
  • Mensagens: 62
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #56 Online: 09 de Agosto de 2019, 13:38:37 »
Para quem começou o post com uma falácia tão vagabunda até que o resto não foi tão mal, foi até muito pior.
Se é pra mim, :susto: que gentil...
+ não entendi bulhufas :umm:

Claro que "não entendeu"...  :histeria:

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.327
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #57 Online: 09 de Agosto de 2019, 13:46:05 »
Para quem começou o post com uma falácia tão vagabunda até que o resto não foi tão mal, foi até muito pior.
Se é pra mim, :susto: que gentil...
+ não entendi bulhufas :umm:

Claro que "não entendeu"...  :histeria:
Posts focando no argumentador e não no argumento constituem-se em falácia ad hominem.
« Última modificação: 09 de Agosto de 2019, 13:48:41 por Sergiomgbr »
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #58 Online: 09 de Agosto de 2019, 16:14:16 »
Santa Maria Madalena! O tópico filosófico ocultista está fazendo sucesso. Papo furado agrada.
Pena que eu não tenha nível intelectual para acompanhar tanta besteira. E nem saco.
𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #59 Online: 09 de Agosto de 2019, 16:16:59 »
Para quem começou o post com uma falácia tão vagabunda até que o resto não foi tão mal, foi até muito pior.
Se é pra mim, :susto: que gentil...
+ não entendi bulhufas :umm:

Claro que "não entendeu"...  :histeria:
Posts focando no argumentador e não no argumento constituem-se em falácia ad hominem.

Neste post é muito difícil (para mim) focar no argumento. Para minha pouca inteligência, parece puro nonsense. Embromação, empulhação. Erudição de hospício. Arte do falar, falar, sem dizer nada que faça sentido.
𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

Offline Gorducho

  • Nível 31
  • *
  • Mensagens: 1.888
  • Sexo: Masculino
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #60 Online: 09 de Agosto de 2019, 16:46:50 »
Pra quem tenha interesse na história da QM este artigo analisa o trabalho que o Heisenberg fez c/as séries de Fourier pra ajustá-las aos resultados empíricos.
Ao procurar uma nova regra pra multiplicação de 2 sérias X Y (ele começa procurando o quadrado + daí a generalização decorre...) dá que em geral vai ser XY+%5Cneq+YX
Matrizes não eram usadas na época, então demora algum tempo pra se tocarem que essa é a regra da multiplicação "matricial".
O Schrödinger segue outro caminho, claro, adaptando as eq. de vibrações clássicas com a teoria do de Broglie.
TESTE DE LaTeX
Eq. da corda vibrante clássica...
%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%28x%2C+t%29%7D%7B%5Cpartial+x%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7B1%7D%7Bv%5E2%7D%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%28x%2C+t%29%7D%7B%5Cpartial+t%5E2%7D

Admitindo a solução convencional com separação de variáveis
u+%3D+%5CPsi%28x%29cos%5Comega+t
%5Cfrac%7B%5Cpartial+u%7D%7B%5Cpartial+x%7D+%3D+%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5CPsi%7D%7Bdx%7D%2C
%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%7D%7B%5Cpartial%5E2+x%7D+%3D+%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bdx%5E2%7D
%5Cfrac%7B%5Cpartial+u%7D%7B%5Cpartial+t%7D+%3D+-%5Comega%5Csin%5Comega+t%5Ccdot%5CPsi
%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%7D%7B%5Cpartial+t%5E2%7D+%3D+-%5Comega%5E2%5Ccos%5Comega+t%5Ccdot%5CPsi
A equação fica
%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+%5Ccos%5Comega+t+%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D%5CPsi+%3D+0

Mas valem as relações da quantização da energia e da fórmula de de Broglie
v%5E2+%3D+%5Cfrac%7Bp%5E2%7D%7Bm%5E2%7D
%5Cnu+%3D+%5Cfrac%7B%5Comega%7D%7B2%5Cpi%7D
E+%3D+h%5Cnu
%5Ctherefore+%5Comega%5E2+%3D+%5Cfrac%7B4%5Cpi%5E2E%5E2%7D%7Bh%5E2%7D
%5Ctherefore+%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7B4%5Cpi%5E2%7D%7B%5Clambda%5E2%7D 
%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+%5Ccos%5Comega+t+%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D%5CPsi+%3D+0
v+%3D+%5Clambda%5Cnu%2C
%5Comega+%3D+2%5Cpi%5Cnu%2C
%5Ctherefore%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7B4%5Cpi%5E2%5Cnu%5E2%7D%7B%5Clambda%5E2%5Cnu%5E2%7D
%5Clambda+%3D+%5Cfrac%7Bh%7D%7Bp%7D
%5Ctherefore%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7Bp%5E2%7D%7B%5Chbar%5E2%7D

Mas a energia (constante) do sistema é a soma dos termos potencial e cinético
E+%3D+U+%2B+%5Cfrac%7Bp%5E2%7D%7B2m%7D
%5Ctherefore+p%5E2+%3D+2m%5Cleft+%28+E+-+U+%5Cright+%29
então
%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+%5Cfrac%7B2m%28E+-+U%29%7D%7B%5Chbar%5E2%7D%5CPsi+%3D+0

Reordenando e usando notação de operadores por elegância...
%5Cbigg%28-%5Cfrac%7B%5Chbar%5E2%7D%7B2m%7D%5Cfrac%7Bd%5E2%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+U%5Cbigg%29%5CPsi+%3D+E%5CPsi

A parte "temporal" i%5Chbar%5Cfrac%7B%5Cpartial%7D%7B%5Cpartial+t%7D vem depois...
« Última modificação: 09 de Agosto de 2019, 21:31:03 por Gorducho »

Offline Eliphas Levi

  • Nível 05
  • *
  • Mensagens: 58
  • ad rosam per crucem
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #61 Online: 09 de Agosto de 2019, 18:45:51 »
Santa Maria Madalena!
:susto:

Isso foi uma indireta? :o
as above so below

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #62 Online: 10 de Agosto de 2019, 21:55:53 »
Pra quem tenha interesse na história da QM este artigo analisa o trabalho que o Heisenberg fez c/as séries de Fourier pra ajustá-las aos resultados empíricos.
Ao procurar uma nova regra pra multiplicação de 2 sérias X Y (ele começa procurando o quadrado + daí a generalização decorre...) dá que em geral vai ser XY+%5Cneq+YX
Matrizes não eram usadas na época, então demora algum tempo pra se tocarem que essa é a regra da multiplicação "matricial".
O Schrödinger segue outro caminho, claro, adaptando as eq. de vibrações clássicas com a teoria do de Broglie.
TESTE DE LaTeX
Eq. da corda vibrante clássica...
%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%28x%2C+t%29%7D%7B%5Cpartial+x%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7B1%7D%7Bv%5E2%7D%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%28x%2C+t%29%7D%7B%5Cpartial+t%5E2%7D

Admitindo a solução convencional com separação de variáveis
u+%3D+%5CPsi%28x%29cos%5Comega+t
%5Cfrac%7B%5Cpartial+u%7D%7B%5Cpartial+x%7D+%3D+%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5CPsi%7D%7Bdx%7D%2C
%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%7D%7B%5Cpartial%5E2+x%7D+%3D+%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bdx%5E2%7D
%5Cfrac%7B%5Cpartial+u%7D%7B%5Cpartial+t%7D+%3D+-%5Comega%5Csin%5Comega+t%5Ccdot%5CPsi
%5Cfrac%7B%5Cpartial%5E2+u%7D%7B%5Cpartial+t%5E2%7D+%3D+-%5Comega%5E2%5Ccos%5Comega+t%5Ccdot%5CPsi
A equação fica
%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+%5Ccos%5Comega+t+%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D%5CPsi+%3D+0

Mas valem as relações da quantização da energia e da fórmula de de Broglie
v%5E2+%3D+%5Cfrac%7Bp%5E2%7D%7Bm%5E2%7D
%5Cnu+%3D+%5Cfrac%7B%5Comega%7D%7B2%5Cpi%7D
E+%3D+h%5Cnu
%5Ctherefore+%5Comega%5E2+%3D+%5Cfrac%7B4%5Cpi%5E2E%5E2%7D%7Bh%5E2%7D
%5Ctherefore+%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7B4%5Cpi%5E2%7D%7B%5Clambda%5E2%7D 
%5Ccos%5Comega+t%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+%5Ccos%5Comega+t+%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D%5CPsi+%3D+0
v+%3D+%5Clambda%5Cnu%2C
%5Comega+%3D+2%5Cpi%5Cnu%2C
%5Ctherefore%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7B4%5Cpi%5E2%5Cnu%5E2%7D%7B%5Clambda%5E2%5Cnu%5E2%7D
%5Clambda+%3D+%5Cfrac%7Bh%7D%7Bp%7D
%5Ctherefore%5Cfrac%7B%5Comega%5E2%7D%7Bv%5E2%7D+%3D+%5Cfrac%7Bp%5E2%7D%7B%5Chbar%5E2%7D

Mas a energia (constante) do sistema é a soma dos termos potencial e cinético
E+%3D+U+%2B+%5Cfrac%7Bp%5E2%7D%7B2m%7D
%5Ctherefore+p%5E2+%3D+2m%5Cleft+%28+E+-+U+%5Cright+%29
então
%5Cfrac%7Bd%5E2%5CPsi%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+%5Cfrac%7B2m%28E+-+U%29%7D%7B%5Chbar%5E2%7D%5CPsi+%3D+0

Reordenando e usando notação de operadores por elegância...
%5Cbigg%28-%5Cfrac%7B%5Chbar%5E2%7D%7B2m%7D%5Cfrac%7Bd%5E2%7D%7Bd%5CPsi%5E2%7D+%2B+U%5Cbigg%29%5CPsi+%3D+E%5CPsi

A parte "temporal" i%5Chbar%5Cfrac%7B%5Cpartial%7D%7B%5Cpartial+t%7D vem depois...

Por acaso você tem esse artigo linkado? Gostaria de submetê-lo à apreciação do Prof. Vereza, na próxima aula.
𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #63 Online: 10 de Agosto de 2019, 23:13:33 »
𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

Offline Pedro Reis

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.880
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #64 Online: 11 de Agosto de 2019, 03:01:55 »
Aristóteles e discípulos acreditavam que era possível chegar à verdade através da razão pura. Um filósofo aristotélico partiria do que ele pensava ser alguns princípios fundamentais e chegaria a conclusões sobre qualquer coisa. Fosse física ou metafísica.

Filósofos como Aristóteles e Platão meditaram sobre o que deveria ser a essência da natureza dos astros e dos movimentos celestes, e partindo destas convicções fundamentais propunham aos matemáticos e astrônomos que estabelecessem uma mecânica celeste coerente com suas ideias. Aqui não cabe discutir as razões, mas eles concluíram que os astros só poderiam se mover através de trajetórias circulares e em velocidade constante. Sob influência dos aristotélicos existiu uma corrente na astronomia, que durou possivelmente até a Idade Média, muito preocupada em "salvar os fenômenos".

Salvar os fenômenos significava descrever a realidade sem rejeitar estes tais princípios filosóficos, harmonizar o observável com a filosofia aristotélica. Assim modelos cada vez mais complicados foram concebidos para descrever o sistema solar, sempre com os astros percorrendo trajetórias com movimentos circulares uniformes. E sempre, claro, havia discrepância entre o observado e as previsões do modelo.

Há muito esse tipo de abordagem não tem lugar na Ciência, que se dedica a adequar a teoria aos fatos. E não fatos a teorias. E ninguém mais acredita na razão pura: a experiência já demonstrou exaustivamente que não se compreende o mundo apenas pelo pensamento.

Aristóteles, apoiando-se em uma retórica enormemente mais sofisticada que a do forista Levi, ensinou aos seus contemporâneos que:

- O tempo não teve um começo e é eterno.
- Só o movimento circular é contínuo.
- Que geração e corrupção não tiveram um começo e não terão um fim.

Vejamos um exemplo de como a retórica de Aristóteles produzia a Ciência de Aristóteles ( sobre geração e corrupção ):

A geração das coisas inferiores nunca cessará, como também nunca tem começado. Porque a corrupção antecede e segue toda a geração; e a geração antecede e segue toda a corrupção. Por isso, visto que a corrupção precede qualquer geração e a geração qualquer corrupção, não é possível a corrupção e a geração terem tido início, nem é possível elas terminarem, porque a qualquer geração segue a corrupção e a qualquer corrupção segue a geração. Se, então, a geração e a corrupção terminassem, depois da última geração, teria uma geração, e depois da última corrupção uma corrupção. Que a corrupção precede e segue a geração, Aristóteles provou com uma reflexão sobre os movimentos. A mesma que o levou a inferir que só o movimento circular é contínuo.

Porque a corrupção de um é a geração de outro, asseverava Aristóteles.

Mas deixando o pensamento puro e retornando ao mundo das coisas reais, a 3ª lei da termodinâmica contraria a retórica aristotélica.

Há duas falhas fundamentais na filosofia de Aristóteles que também reconhecemos na filosofia leviana ( a filosofia do forista Levi ):

- Aristóteles não definia precisamente os conceitos. Geração e, principalmente, corrupção, por exemplo, são coisas um tanto vagas no argumento acima.

- Não havia a preocupação de testar as ideias, de confronta-las com a realidade. Se alguma coisa parecia fazer sentido para Aristóteles, então só poderia estar certa e ser a verdade. E quando a realidade parecer discrepante da "verdade", trate-se de "salvar os fenômenos" para que os fatos não contradigam a  verdade.

A título de curiosidade, mais algumas bobagens do grande Aristóteles:

- Alguns homens nascem para ser escravos.
- A Terra é o centro do universo e está imóvel.
- Quanto mais pesada é uma pedra, mais rápido ela cai.
- O lado esquerdo do corpo é mais frio que o direito.
- Mulheres têm menos dentes que homens.

Quando gênios foram aristotélicos, foram estúpidos:

Galileu provou matematicamente a existência do inferno de Dante. Era cônico e se alargando em direção ao centro da Terra. A ponta do cone se localizava logo abaixo da cidade de Jerusalém. Já Newton calculou que o fim do mundo será em 2060 e  Robert Boyle acreditou que daria para fazer a pedra filosofal com xixi.

Os argumentos de Eliphas Levi seguem um padrão aristotélico, com a diferença que filósofos aristotélicos costumam dar  menos saltos na lógica para ir de uma assertiva a outra.

Citação de: Eliphas Levi
O que é existir? A gente chama de existir coisas que se situam dentro do tempo e do espaço.

Eu chamo de existir ser real. E realidade abarca tudo que exista; se outros universos existirem fora desse tempo e espaço, serão reais. Tudo que se situa dentro do tempo e do espaço existe, mas é um erro crasso de lógica inferir que se A implica em B, então Não-A implica em Não-B.

Citação de: Eliphas Levi
Ora, então essas duas coisas (forma e temporalidade) às quais eu superficialmente atribuo valor positivo são na verdade negativas, porque são sinônimo de não-unidade e não-eternidade.

Se não estou enganado, positivo é quando alguém aponta que algo é assim por tais e tais causas. E negativo é quando alguém garante que algo deva ser por não se encontrar nenhuma razão para que não seja. Exemplo: poderíamos advogar negativamente pela existência de Deus ao apontar uma inexistência aparente de causa para o universo. Não havendo causa, deve haver Deus. O conceito de probabilidade matemática também é filosoficamente negativo: não há nenhuma causa para que o resultado CARA seja mais frequente que o resultado COROA. Logo, argumentamos que não se deva esperar que tal ocorra e dessa presunção extraímos o axioma fundamental da Teoria das Probabilidades.

Então por que forma e temporalidade seriam conceitos negativos? E por que seriam sinônimos de não-unidade e não-eternidade? O que é sinônimo? Sinônimo significa ser a mesma coisa, e na verdade você parece estar querendo dizer não que são sinônimos, mas que forma e temporalidade não possuem os atributos de unidade e eternidade. Por que não? Se o universo fosse eterno existiria dentro do tempo e ainda assim teria a propriedade de ser eterno. Então, o quê, na lógica pura, apoia o seu raciocínio? Além disso é preciso definir o que seria "unidade", porque pelo menos eternidade a gente sabe o que é. Por que a forma não pode ter "unidade"? Não está claro, e um raciocínio frouxo pode nos levar aonde quisermos. Mas nem mesmo um raciocínio rigoroso e correto não nos dirige necessariamente à verdade.

Citação de: Eliphas Levi
Se uma coisa só existe dentro do Tempo, na verdade ela é Não-Eterna.
Se uma coisa só existe no plano da Forma, na verdade ela é Não-Absoluta.
A Divindade é Una e Eterna, então é necessariamente amorfa e atemporal.

Já demonstramos que se o tempo não tiver fim, não há razão para se dizer que a medida do tempo de existência de qualquer coisa possa sempre ser expressa em um número finito. Em outras palavras, não-eterna. Mas falta explicar o que seria o "absoluto" antes de se pensar em chegar a alguma conclusão sobre as coisas que poderiam ou não ser absolutas.

No entanto o interessante é que isso tudo pretende ser uma prova em favor da existência (no meu conceito de existir) da Divindade. Mas já parte da premissa que a Divindade existe! Não só existe como você até sabe que é "Una e Eterna". Como você descobriu que a Divindade existe? Como pôde examinar seus atributos, sua natureza, se para você a Divindade é inefável? Basicamente seu argumento é que tudo que existe, existe no tempo e no espaço, e tudo no tempo e espaço é "não-uno" e "não-eterno". Em que  pese que esta é uma afirmação sem base, mesmo que estivesse correta, não se poderia a partir disso afirmar que o que não está contido no tempo-espaço é por consequência uno e eterno. Novamente "A implica em B" não infere "Não-A implicando em Não-B"

É um argumento inválido e apresentar contra-exemplos seria facílimo:

Todos os números no conjunto dos inteiros são inteiros. Logo o número contido em um conjunto que não o dos inteiros só pode ser não inteiro.

FALSO! Números inteiros podem ser encontrados no conjunto dos Racionais, dos Reais...

Citação de: Eliphas Levi
Tentar procurar a Divindade dentro da Existência seria o mesmo que tentar procurar o Host dentro do jogo.
[...]
Além disso, nossos sentidos só percebem as coisas que são de sua própria natureza -
ex: meu olfato só percebe odores, minha audição só percebe sons, etc.
Qual o sentido de procurar a Divindade com meus sentidos? Que só percebem o contingente e o sensível?

Como vou tentar perceber ou experimentar a Divindade sem um aparato que lhe seja da mesma natureza? e, se só a divindade é a divindade, só ela pode se apreender em si mesma.

Devo concluir então que estou tendo a honra de interagir com uma Divindade. Sim, porque você parece ter apreendido a natureza da Divindade. Identificou suas propriedades de una, absoluta e eterna. Entre outras.

É ingênuo pensar que os agnósticos não estão convencidos da existência de uma Divindade porque nunca a viram,  nunca a tocaram, nunca sentiram o cheiro da Divindade. Se eu vir, tocar ou cheirar alguma coisa, terei certeza absoluta de não se tratar da "Divindade".

Eu não estou convencido apenas porque nunca me apresentaram razão convincente.

Também não estou convencido que exista vida inteligente fora da Terra. É uma possibilidade, mas em que evidência eu poderia me apoiar para ME CONVENCER? Antes do convencimento devem vir as razões convincentes, não há motivo para alguém estar convencido de algo para o qual não foi apresentada nenhuma razão convincente. Simples bom senso.

Citação de: Eliphas Levi
Tendo em vista tudo isso, porque ainda considerar a Divindade?

Boa pergunta.

Citação de: Eliphas Levi
Por três razões:

Hummm...

Citação de: Eliphas Levi
1.NÃO EXISTE FOME SEM COMIDA

Você está querendo dizer que tudo que existe, só pode existir como contraponto de um oposto que também exista.

Mas percebes que o oposto de fome não é comida, mas sim a saciedade? Então a comida existe sem que exista o seu contraponto. A comida não precisa da fome para existir. E nem da saciedade. Até existem raras pessoas incapazes de sentir fome ( assim como existem pessoas que não sentem dor ), mas mesmo estas pessoas comem. Mesmo sem fome e sem saciedade poderia existir a comida.

E aí...

Citação de: Eliphas Levi
Logo, se aqui no reino da Multiplicidade existe o Tempo, a Forma, a Imperfeição no Sensível, isso significa que necessariamente existe no reino da Unidade a Divindade Absoluta e Eterna, precisamente porque todos aqueles não são senão a negação Desta.

Não é intencional como eu julguei inicialmente, mas isso é um primor de retórica vazia. Era assim que o velho Aristóteles concluía que a mulher tinha menos dentes que o homem. E nem se dava ao trabalho de conferir.

Preste bem atenção no que você fez:

Primeiro você observa que algumas coisas só são percebidas e nomeadas como uma consequência de existirem os seus contrastes. De certo se só existisse uma estação do ano, se o clima não variasse ao longo do ano, muito provavelmente não existiria nem um nome para essa estação única. Se não existisse a noite talvez ninguém tivesse dado um nome ao dia.

Mas aí você se confunde com palavras e comete vários equívocos. Primeiramente não se dá conta que este princípio geral que está enunciando ( de nada existir sem sua negação ) não sucede desses fatos. O inverno é apenas um padrão climático, e ele  existe ou não independentemente dos homens lhe darem um nome. Existe independentemente de os homens o perceberem. Existe independentemente de variar para outros padrões ou não. Não foi o verão que fez existir o inverno, a variação do clima apenas obrigou os homens a nomear os diferentes padrões e prever seus períodos. Mas uma coisa ser percebida como consequência de existir seu contraste, é TOTALMENTE diferente de uma coisa EXISTIR SÓ PORQUE existe o que lhe contrasta. Por exemplo: na lua só existe uma estação do ano ( e no sol também ), e ninguém deu um nome para esse padrão de temperaturas, ventos, secura ou umidade, etc... Mas isso significa que o padrão não existe? Um mero jogo de palavras lhe fez dar um enorme  salto na lógica.

Então o guarda-chuva não existe sem a negação do guarda-chuva... É isso? A pedra só existe porque há também a não pedra. Suponho então que se o universo fosse todo pedra simplesmente não existiria. Estaria lá, seria uma grande pedra, mas não existiria até surgir a não pedra.

Veja como você audaciosamente enunciou um princípio geral que é como uma espécie de Lei da Física, mas vai muito além do que a Física ousa e se estende até como um princípio geral a reger este e outros mundos. Só que diferentemente da gravidade ou da conservação de energia, você nem sequer se dá ao trabalho de apresentar uma maneira de testa-lo. Acha que é suficiente esse monte de palavrório e raciocínio desleixado que confunde o perceber de uma coisa com a própria existência da coisa.

Em segundo lugar é óbvio que nem tudo só é definido como consequência de existir seu contraste. A negação do inverno é o verão, da noite o dia, do bem o mal. E o que pra você é a negação da Economia, o não jogo de xadrez, o objeto ou conceito que é negação de um macaco hidráulico? Onde está o não-universo que fez os homens perceberem o universo?

E você está querendo provar a Divindade e até inferir seus atributos só com base nesse princípio geral, nessa Lei da Metafísica, que nem lei, nem princípio e nem geral é.

Citação de: Eliphas Levi
2.A LÓGICA É O FUNDAMENTO DO UNIVERSO

Esse é um ponto mais interessante e profundo. Eu diria que mais provavelmente o universo se conforma a certas regularidades, não é como um desenho animado onde qualquer coisa aleatória pode acontecer.

A lógica foi a ferramenta que a evolução desenvolveu nos humanos para que estes fizessem deduções sobre a realidade. Intuitivamente nosso cérebro conhece uns poucos axiomas da Lógica, bastante simples, e os combina segundo regras também simples para construir raciocínios complexos. Sabemos que uma coisa é igual a ela mesma, que nada deve ser verdadeiro e falso ao mesmo tempo, que se a verdade de A implica na verdade de B, e B na verdade de C, então A implica em C e coisas assim... Mas não há razão para afirmar que a lógica é o fundamento do universo, mas sim que seres inteligentes desenvolveram a Lógica como ferramenta em função das regularidades específicas deste universo. Nada me garante que não exista algum universo onde A seja diferente de A e algo possa ser tanto verdadeiro como falso. Nesse universo mentes seriam construídas com alguma outra lógica. E até mesmo para o nosso universo essa é uma afirmação arriscada porque fenômenos como o detectado na experiência da dupla fenda podem colocar em xeque a presunção intuitiva de que o raciocínio lógico seja capaz de apreender totalmente os fundamentos deste universo.

Citação de: Eliphas Levi
3.1+1=2 ANTES QUE VOCÊ APRENDA MATEMÁTICA

Não.

Esse equívoco de que os números existem atrasou o desenvolvimento da Matemática em alguns séculos. Pitágoras até acreditava que só números inteiros podiam existir e fez matar um de seus pupilos quando este demonstrou que raiz de 2 não poderia ser expresso como um número racional. Na Idade Média a resolução de equações algébricas esbarrou na crença de que os números eram uma descoberta e não uma ferramenta que poderia ser inventada. Isso fez muitos rejeitarem a ideia de desenvolver uma álgebra para raízes de números negativos, porque raíz de número negativo NÃO EXISTIA. Afinal, assim como 1 + 1 = 2, você deve achar evidente que se um número positivo é multiplicado por ele mesmo o resultado é positivo. E se um número negativo é multiplicado por ele mesmo o resultado também é positivo. Então não existe um número que multiplicado por ele mesmo dê negativo porque é contrário a alguma propriedade matemática fundamental do universo, não é?

Bem, não existe até o momento em que alguém invente. Mas alguns matemáticos medievais não ousaram inventar por acreditarem que número era uma descoberta, não uma invenção.

Citação de: Eliphas Levi
Se a inteligência tivesse sua raiz (e não fruto) no próprio homem, 1+1 passaria a ser 2 quando da invenção da matemática. Mas não, o homem apenas representa isso, não inventa. Ele representa porque, por seu intelecto mais evoluído que o dos outros seres que conhecemos, começa a tatear um pouco do Reino Inteligível com o qual suspeitamos verdades além e acima de toda a contingência.

Sinto muito mas está completamente errado. Completamente errado porque os fundamentos que a mente humana utilizou para desenvolver a matemática foi sua capacidade intrínseca de artificialmente organizar a realidade tanto destacando porções dessa realidade como se fossem coisas separadas, individualizadas ( que são percebidas pela mente como unidades desse tipo de coisa ), como relacionando e agrupando estas porções artificialmente individualizadas por semelhanças, abstraindo as diferenças entre estas  coisas como se as diferenças não existissem. Portanto artificialmente.

Não existiria a ideia de um número 1 representando a unidade de alguma coisa se a mente humana não fosse capaz de interpretar  a realidade através dessa ilusão de destacar objetos individualizados do grande todo uno que é a realidade. Não existiria a ideia de conjuntos, nem de contagem, se a mente humana não tivesse este atributo de agrupar unidades por semelhanças que só existem em um nível abstrato.

Creio que a mente da "Divindade" não deva ser tão iludida e limitada quanto a nossa.

Você deve concordar que tato, odores, sons, imagens, etc, não são a realidade mas apenas representações de uma realidade externa à mente que nunca saberemos como verdadeiramente é. Da mesma forma se a sua mente pudesse apreender o universo como realmente é, provavelmente você experimentaria um único turbilhão de energias do qual você mesmo seria parte. Uma árvore só é uma árvore na  sua abstração, na realidade não existe limite entre árvore e não árvore. A todo instante folhas caem, a árvore incorpora carbono ou água ou devolve oxigênio. Em um nível mais profundo toda a matéria de que é composta a árvore é energia sendo parte de um único e indivisível turbilhão de energia que é o universo.

Para poder existir e pensar, sua mente cria uma ilusória representação desta realidade em imagens, texturas, sons, odores, etc... Mas esta ilusória representação inclui a ilusória individualização - separação - de porções da realidade, assim como o ilusório relacionamento entre estas ilusórias individualizações, que é de onde a Matemática retira o conceito de conjuntos.

Nem conjuntos nem unidades existem, são criações da mente humana, entes abstratos assim como formas e cores. Os fundamentos da Matemática partem de abstrações, de expedientes da mente para interpretar a realidade que não são a realidade em si.

A Matemática tem sua raiz no próprio Homem. Uma unidade de uma coisa que pertence a um conjunto, acrescendo este conjunto de outra unidade desta coisa, denota 2 coisas desse tipo pertencendo ao conjunto, apenas porque sua mente foi construída já formatada com os conceitos de unidade e conjunto. Ilusões que necessariamente não devem existir para a inteligência da Divindade, que deve ser capaz de apreender diretamente o real, sem a necessidade de intermediação de sentidos e esquemas mentais imperfeitos.

Offline Pedro Reis

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.880
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #65 Online: 11 de Agosto de 2019, 03:08:14 »
Citar
Só lhe adianto que "eu vi o que você fez e sei quem você é".

2

É tão óbvio mas não é quem todo mundo acha que é. Não vou estragar a festa.

 ::)

Também pensei se tratar dessa outra pessoa por isso respondi inadequadamente. Agora estou consertando.

Offline montalvão

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 701
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #66 Online: 11 de Agosto de 2019, 11:42:44 »
A gravidade já existia antes de Newton. A Inteligência não inventa, apenas descobre.

A gravidade sempre existiu desde que passou a existir, existia desde muito antes de haver quem nela pensasse, o que põe por terra a alegação de que o universo precisa ser pensado para ser. Mas engana-se quem imagina que só os humanos tiveram a glória de identificar essa força, animais também a conhecem, embora, muito ocupados que eram, não tivessem tempo de parar e categorizá-la. Os dinossauros, por exemplo, sabiam que coisas como pedras deveriam ficar no chão e se vissem uma caindo dos céus em direção a eles  saíam rapidinho da frente!
.
É o que se chama em psicanálise de proto-ciência...
.
Entre os sapiens a coisa não começou com Newton, filósofos antigos já faziam cogitações a respeito. Aristóteles postulava que as coisas tinham em si mesmas uma espécie de intuição de seus lugares (finalidade) e os procuravam ativamente. Por isso é que uma pedra lançada para o alto caía, pois ela buscava retornar à real morada...

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #67 Online: 11 de Agosto de 2019, 13:04:25 »
Antes de mais nada, é brilhante o comentário de Pedro Reis.
Dito isto,
Há duas falhas fundamentais na filosofia de Aristóteles que também reconhecemos na filosofia leviana  :histeria: ( a filosofia do forista Levi ):
:histeria:

Citar
A título de curiosidade, mais algumas bobagens do grande Aristóteles:

- Alguns homens nascem para ser escravos.
- A Terra é o centro do universo e está imóvel.
- Quanto mais pesada é uma pedra, mais rápido ela cai.
- O lado esquerdo do corpo é mais frio que o direito.
- Mulheres têm menos dentes que homens.

Ari viveu há cerca de 2.400 anos. As pessoas daquela época não tinham conhecimento de praticamente nada. Acho razoável as besteiras de Ari, considerando sua época.
Tanto é assim que durante séculos ele impôs suas ideias, certas ou erradas. Já o Levi é nosso contemporâneo.

Ainda assim fico impressionado com o fato de o Ari ser tão preguiçoso ao ponto de não contar dentes de homens e mulheres.

Citar
Galileu provou matematicamente a existência do inferno de Dante.
O que prova que temos que ter uma certa cautela com provas matemáticas. Matemática é imprescindível e fornece provas contundentes e muito precisas, mas serve tanto para o mundo real quanto para o imaginário. Por exemplo:

Se sabemos que um trem, deslocando-se a 50 km por hora, parte da estação A e chega à estação B em 1 hora, podemos inferir, com certeza, que a distância percorrida pelo trem foi de 50 km. Por outro lado, se o trem deslocar-se com velocidade igual ao triplo da velocidade das ondas eletromagnéticas, podemos calcular quanto tempo levará para percorrer o mesmo espaço, só que sabemos que essa velocidade só é possível matematicamente, não na realidade.

O mais curioso é que a própria matemática prova que não podemos atingir essas velocidades. É só considerar outros fatores que não foram levados em conta.

Isto não dá ao Levi argumentos retóricos para provar que devido a fatores que desconhecemos, deus sei-lá-o-que. Ou que seja tão grande que está fora do nosso conceito de existência.


Citar
Os argumentos de Eliphas Levi seguem um padrão aristotélico, com a diferença que filósofos aristotélicos costumam dar  menos saltos na lógica para ir de uma assertiva a outra.

É que o Levi, diferentemente de Ari, dá “saltos quânticos”.

Citar
Eu chamo de existir ser real.

É que deus não pode ser posto sob a forma %5Cfrac%7Bp%7D%7Bq%7D, sendo p e q números inteiros e q ≠ 0.


Citar
Mas já parte da premissa que a Divindade existe! Não só existe como você até sabe que é "Una e Eterna". Como você descobriu que a Divindade existe? 

Com todo o devido respeito, Senhor Levi, o senhor gosta de conversa fiada. Agora eu sei porque teve aqueles "insights" do outro tópico.
Sabe de uma coisa? O senhor tem razão. Deus existe! Aleluia!
Estou plenamente convencido.
Crio um tópico inteiro com diversos argumentos demonstrando porque Deus não 'existe', e você interpreta como se eu intencionasse justamente o contrário. Pelo visto tenho razão mesmo, sr. Marciano, mas sobre sua incapacidade interpretativa. :ok:

Citar
Esse equívoco de que os números existem atrasou o desenvolvimento da Matemática em alguns séculos. 

Só a título de curiosidade, eu vinha apresentando um argumento em outras plagas, defendendo a inexistência aristotélica do tempo, usando como analogia justamente a inexistência dos números.

𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

Offline Buckaroo Banzai

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 38.218
  • Sexo: Masculino
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #68 Online: 11 de Agosto de 2019, 14:02:55 »
- Mulheres têm menos dentes que homens.


Citar

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17917610

Women are periodontally healthier than men, but why don't they have more teeth than men?
Meisel P1, Reifenberger J, Haase R, Nauck M, Bandt C, Kocher T.
Author information
1
Department of Pharmacology, Ernst Moritz Arndt University of Greifswald, Greifswald, Germany. meiselp@uni-greifswald.de
Abstract
OBJECTIVE:
Periodontal diseases are more prevalent in men than in women. However, in a population-based epidemiological study, we found that, on average, women have fewer teeth than men. The aim of this study was to test different hypotheses that could explain this obvious paradox.

DESIGN:
In 4,290 randomly selected participants from the normal population (Study of Health in Pomerania), we determined diagnostic periodontal parameters, attachment loss, and number of teeth. Behavioral and environmental risk factors were assessed by interviews and questionnaires. Use of estrogens was assessed, and urinary excretion of collagen cross-links was determined.

RESULTS:
Multiple regression analyses adjusted for caries and periodontitis revealed that in the women of this population, there is an inverse association between the number of children born and the number of teeth (P < 0.01). This relationship depends on socioeconomic status, bone metabolism, and the use of estrogens. In the group of the youngest (20-40 years), the bone turnover rate is positively related to the number of children born (P < 0.01). In postmenopausal women treated with estrogens, the number of teeth was higher than in men of the same age group. Only in women without hormone treatment were there fewer teeth.

CONCLUSION:
The apparent paradox of having fewer teeth despite better periodontal health in women compared with men is related to an increased bone turnover rate and socioeconomic conditions such as low education and low social status. Periodontal health is even worse if these factors are combined.





Mais importante:

Citação de: Aristóteles
”Males have more teeth than females in the case of men, sheep, goats, and swine; in the case of other animals observations have not yet been made.”

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #69 Online: 11 de Agosto de 2019, 14:09:58 »
- Mulheres têm menos dentes que homens.


Citar

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17917610

Women are periodontally healthier than men, but why don't they have more teeth than men?
Meisel P1, Reifenberger J, Haase R, Nauck M, Bandt C, Kocher T.
Author information
1
Department of Pharmacology, Ernst Moritz Arndt University of Greifswald, Greifswald, Germany. meiselp@uni-greifswald.de
Abstract
OBJECTIVE:
Periodontal diseases are more prevalent in men than in women. However, in a population-based epidemiological study, we found that, on average, women have fewer teeth than men. The aim of this study was to test different hypotheses that could explain this obvious paradox.

DESIGN:
In 4,290 randomly selected participants from the normal population (Study of Health in Pomerania), we determined diagnostic periodontal parameters, attachment loss, and number of teeth. Behavioral and environmental risk factors were assessed by interviews and questionnaires. Use of estrogens was assessed, and urinary excretion of collagen cross-links was determined.

RESULTS:
Multiple regression analyses adjusted for caries and periodontitis revealed that in the women of this population, there is an inverse association between the number of children born and the number of teeth (P < 0.01). This relationship depends on socioeconomic status, bone metabolism, and the use of estrogens. In the group of the youngest (20-40 years), the bone turnover rate is positively related to the number of children born (P < 0.01). In postmenopausal women treated with estrogens, the number of teeth was higher than in men of the same age group. Only in women without hormone treatment were there fewer teeth.

CONCLUSION:
The apparent paradox of having fewer teeth despite better periodontal health in women compared with men is related to an increased bone turnover rate and socioeconomic conditions such as low education and low social status. Periodontal health is even worse if these factors are combined.


Esse problema de desigualdade entre homens e mulheres data dos tempos de Ari.
A culpa quanto aos hormônios é de deus, que ao tirar uma costela de Adão o fez com imperícia, resultando numa cópia... deixa pra lá.

Após uma visitinha ao tópico "A Mulher Mais Gostosa Que Eu Já Vi" esqueci-me do que estava prestes a dizer. Ishtar seja louvada!
𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.327
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #70 Online: 11 de Agosto de 2019, 14:18:14 »
Tá todo mundo dôidio. Mulher não existe na natureza, se tratando de um constrúquito.
Até onde eu sei eu não sei.

Offline montalvão

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 701
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #71 Online: 11 de Agosto de 2019, 14:39:44 »
Aristóteles e discípulos acreditavam que era possível chegar à verdade através da razão pura. Um filósofo aristotélico partiria do que ele pensava ser alguns princípios fundamentais e chegaria a conclusões sobre qualquer coisa. Fosse física ou metafísica.
.
Pedro, sua peroração foi dez! Apenas acrescento miúdos comentários...


Não só os aristotélicos pensavam desse modo. Durante muitos séculos julgou-se que ciência (conhecimento) se obtinha por meio de exercício de reflexão. A ideia moderna de que se devem propor hipóteses testáveis e testá-las não passava pela cabeça dos sábios de antanho. Filosofia e ciência se confundiam. A ciência experimental praticamente começou com Galileu e, até se consolidar como proposta viável e adequada,  encontrou forte resistência até entre os homens de ciência daquela época.
.
Citação de: Pedro Reis
Filósofos como Aristóteles e Platão meditaram sobre o que deveria ser a essência da natureza dos astros e dos movimentos celestes, e partindo destas convicções fundamentais propunham aos matemáticos e astrônomos que estabelecessem uma mecânica celeste coerente com suas ideias. Aqui não cabe discutir as razões, mas eles concluíram que os astros só poderiam se mover através de trajetórias circulares e em velocidade constante. Sob influência dos aristotélicos existiu uma corrente na astronomia, que durou possivelmente até a Idade Média, muito preocupada em "salvar os fenômenos".
.
Aristóteles e Platão deram passo adiante nas concepções dos filósofos da “arché” (princípios), estes buscavam a causa estrutural da natureza e apontavam o que julgavam fosse a melhor candidata. Assim, havia quem defendesse ser a água (ou o úmido) a essência da realidade; outros propunham o fogo; a terra; o ar, ou esses quatro elementos... Hoje essas idealizações soam ingênuas, mas eram os passos iniciais de um longo processo que resultaria na ciência moderna.
.
Platão selecionou o que achou de melhor nas visões precedentes e construiu sua tese de um mundo ideal, do qual emanava o mundo sensível. De Parmênides tirou a proposta de que o ser é imóvel; de Heráclito a de que a realidade é perenemente mutável; de Pitágoras a de que os números determinam a realidade.
.
Aristóteles criticou fortemente a teoria de seu antigo mestre, ponderou que colocar a causa das coisas numa dimensão apartada do sensível, e inacessível,  limitava o conhecimento. Era preciso trazer o mundo platônico da suposta realidade metafísica (embora essa palavra não fosse usada) para o mundo concreto.  Segundo o estagirita as coisas eram constituídas de forma e matéria e estavam circunscritas a quatro “causas”: causa material, formal, eficiente e final. Tudo o que existe tenderia à finalidade para a qual fora concebida.
.
Curiosamente, o discurso dos atomistas não encontrou eco na proposições desses dois gigantes do pensamento filosófico...
.
No que tange à reflexão do Eliphas ela é claramente gnóstica/platônica. Ele insinua que existam “coisas-em-si”, qual os platônicos defendem a existência dos “universais”, sendo assim 1+1=2 não é fruto da capacidade humana de raciocinar a partir de abstrações, nada, existe uma realidade transcendental na qual essa operação está estabelecida. Os homens tão somente apreendem essa verdade e dela fazem uso. Gnosticamente, o Eliphas pleiteia que, por meio de lucubrações elaboradas, a realidade substancial é desvelada, o que inclui o conhecimento da divindade...
.
Mas havia uma pedra (digo, Pedro) no caminho...

Offline Sergiomgbr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.327
  • Sexo: Masculino
  • uê?!
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #72 Online: 11 de Agosto de 2019, 15:07:11 »
Se assumido o axioma "a Realidade só pode ser apreendida de forma indireta", se pode afirmar tanto coisas como "números existem por si mesmos" como a negação disso.
Até onde eu sei eu não sei.

Offline Gigaview

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.298
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #73 Online: 11 de Agosto de 2019, 15:38:42 »
Citar
- A Terra é o centro do universo e está imóvel.

E por que não? E qual é o problema em colocar a Terra como sistema inercial de referência e defini-la como o centro do universo?
Brandolini's Bullshit Asymmetry Principle: "The amount of effort necessary to refute bullshit is an order of magnitude bigger than to produce it".

Offline Marciano

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 986
  • “Was mich nicht umbringt, macht mich stärker.”
Re:E se o problema for a PERGUNTA? "Deus existe?"
« Resposta #74 Online: 11 de Agosto de 2019, 15:45:46 »
Citar
- A Terra é o centro do universo e está imóvel.

E por que não? E qual é o problema em colocar a Terra como sistema inercial de referência e defini-la como o centro do universo?

É, provavelmente foi nisso que Ari pensou. Aliás, inércia era o forte dele.
𝕸𝖆𝖗𝖈𝖎𝖆𝖓𝖔

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!