Autor Tópico: A segurança do voto na urna brasileira  (Lida 34437 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #25 Online: 21 de Outubro de 2007, 12:46:42 »
Se um dia os RGs tiverem informação digital atrelada a um banco de dados com dados de biometria de cada um, as fraudes serão muito, muito difíceis de acontecer sem participação de algum envolvido na segurança do sistema.

Duvido que essas fraudes que citei acima não tiveram participação de gente  que cuida do sistema eleitoral.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #26 Online: 21 de Outubro de 2007, 12:54:45 »
Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .
Isso é uma generalização apressada. O próprio TRE está fazendo as investigações. E quanto mais forem investigas as fraudes mais fácil melhorar o sistema de segurança.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #27 Online: 21 de Outubro de 2007, 12:58:44 »
Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .
Isso é uma generalização apressada. O próprio TRE está fazendo as investigações. E quanto mais forem investigas as fraudes mais fácil melhorar o sistema de segurança.

Não acho que seja uma generalização apressada, quem são os fornecedores das urnas? existem vários ou é um só?Quem cuida da segurança das urnas?

Pelo meu modo de pensar, quem frauda  eleição, não vai fazer isso em apenas UM estado e ser honesto e imparcial nos outros.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #28 Online: 21 de Outubro de 2007, 13:25:06 »
Se em 35% das urnas de um estado houve irregularidades, não dá para acreditar que nos outros estados não tenha existido uma fraude igual .
Isso é uma generalização apressada. O próprio TRE está fazendo as investigações. E quanto mais forem investigas as fraudes mais fácil melhorar o sistema de segurança.

Não acho que seja uma generalização apressada, quem são os fornecedores das urnas? existem vários ou é um só?Quem cuida da segurança das urnas?

Pelo meu modo de pensar, quem frauda  eleição, não vai fazer isso em apenas UM estado e ser honesto e imparcial nos outros.
Mas é isso mesmo, será que é apenas um responsável pelo país inteiro? Não seriam favorecimentos de autoridades nos  respectivos estados (Rondônia teve um caso bem diferente) nesse esquema? Para mim foram fatos localizados e que estão sendo investigado. Sim, pode ter mais, mas muito dificilmente nas mesmas proporções.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #29 Online: 21 de Outubro de 2007, 19:00:33 »
Verifique os links que postei, foram pelo menos três apreensões de urnas em estados diferentes.


Irregularidades em Alagoas, urnas falsas em Minas e Brasilia...pode acreditar, não é caso isolado.

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #30 Online: 21 de Outubro de 2007, 21:41:13 »
Do último link:
Citar
Em Rondônia, a Polícia Federal investiga uma denúncia de fraude eleitoral de natureza totalmente distinta. O esquema teria a participação de técnicos do Tribunal Regional Eleitoral. Nas últimas eleições, Josué Donadon, irmão e assessor do candidato ao Senado Melkisedek Donadon, contou à polícia que foi procurado por uma pessoa, quinze dias antes do pleito, que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse. Ofereceu o serviço por 300.000 reais. O candidato, que não aceitou a proposta, perdeu a eleição, mas a PF continua apurando a existência do esquema. A suspeita de fraude pela manipulação eletrônica em Alagoas é um caso único. Suas conseqüências são imprevisíveis. Essa suspeita pode provocar uma avalanche de pedidos de investigação em todo o país e colocar em xeque a confiabilidade do sistema eletrônico de votação. Por isso, é vital que o TSE esclareça o caso o mais rápido possível e de tal modo a evitar que as falhas se repitam. As urnas eletrônicas são um orgulho nacional e é preciso cuidar para que continuem sendo.

Os casos mais graves são esse de Alagoas e o de Rondônia por interferir direto no sistema. No vídeo postado mostrava clonagem de  urnas, mas que foi identificado e está sendo investigado em Guarulhos.

Irreguralidades são previsíveis e tem um nível mínimo aceitável. Não dá para saber disso através de reportagens e denúncias na internet. É um bom indício, mas depende de investigação e constatação das irreguralidades em relação a quantidade total de urnas do país, o que é muito grande. Por isso uma pequena porcentagem pode significar uma quantidade absurda em números absolutos.
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #31 Online: 22 de Outubro de 2007, 11:30:10 »
Citar
"""que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse.""

"...TINHA CONTATOS COM TÉCNICOS DENTRO DO TRIBUNAL QUE PODERIAM INTRODUZIR UM SOFTWARE PIRATA NAS URNAS E ASSIM DIRIGIR VOTOS PARA QUEM ELA QUISESSE."

Resumindo:

Eles podem alterar resultador de qualquer urna do Brasil sem tirar a bunda da cadeira.

E vc acha que eleição  não pode ter fraude no resultado geral só por que um caso que veio a público foi em Minas , outro foi em Rondonia e outro em Belo Horizonte?

Offline Adriano

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.672
  • Sexo: Masculino
  • Ativismo quântico
    • Filosofia ateísta
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #32 Online: 22 de Outubro de 2007, 11:54:22 »
Citar
"""que lhe propôs alterar os votos das urnas. Essa pessoa, ainda não identificada, relatou que tinha contatos com técnicos do tribunal que poderiam introduzir um software pirata nas urnas e, assim, dirigir votos para quem ela quisesse.""

"...TINHA CONTATOS COM TÉCNICOS DENTRO DO TRIBUNAL QUE PODERIAM INTRODUZIR UM SOFTWARE PIRATA NAS URNAS E ASSIM DIRIGIR VOTOS PARA QUEM ELA QUISESSE."

Resumindo:

Eles podem alterar resultador de qualquer urna do Brasil sem tirar a bunda da cadeira.

E vc acha que eleição  não pode ter fraude no resultado geral só por que um caso que veio a público foi em Minas , outro foi em Rondonia e outro em Belo Horizonte?
Essa parte é realmente preocupante. Mas mesmo assim ainda acho as eleições confiáveis, não é por uma possibilidade de fraude maior que se deva desconsidera-la.

E se houvessem fraudes significativas mesmo o Lula nem teria se elegido :P
Princípio da descrença.        Nem o idealismo de Goswami e nem o relativismo de Vieira. Realismo monista.

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: Biometria nas eleições 2008
« Resposta #33 Online: 22 de Outubro de 2007, 16:21:00 »
Dinheiro elege qualquer um....

Offline HSette

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.044
  • Sexo: Masculino
A raposa quer tomar conta do galinheiro
« Resposta #34 Online: 18 de Novembro de 2007, 21:16:38 »
Era só o que faltava. Deputados e senadores agora querem ter o controle sobre as urnas eletrônicas.  :stunned:

Se a proposta vingar, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pode deixar de ter o controle das urnas eletrônicas. Há sete meses uma subcomissão foi instituída na Câmara e um relatório deve ser divulgado nos próximos dias com a sugestão de passar a fiscalização das urnas a uma "Comissão de Automação Eleitoral do Congresso Nacional".

Os deputados questionam a isenção da Justiça Eleitoral (caramba, se acham com moral para isso?).
E, a pretexto de resolver o suposto problema, sugerem que as regras do processo eleitoral eletrônico passem a ser definidas pelos próprios deputados e senadores, reunidos numa Comissão Eleitoral (talvez seja mais apropriado dizer Quadrilha Eleitoral).

Quanta cara de pau!  :(

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u346551.shtml

"Eu sei que o Homem Invisível está aqui!"
"Por quê?"
"Porque não estou vendo ele!"

Chaves

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: A raposa quer tomar conta do galinheiro
« Resposta #35 Online: 18 de Novembro de 2007, 21:23:00 »
Peraí, isso era para ser levado a sério?
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline HSette

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.044
  • Sexo: Masculino
Re: A raposa quer tomar conta do galinheiro
« Resposta #36 Online: 18 de Novembro de 2007, 21:41:51 »
No Blog do Josias (UOL) tem a cronologia da malandragem:

Citar
A esperteza começou a andar em fevereiro de 2007. O deputado Maurício Quintella Lessa (PR-AL) propôs a realização de uma audiência pública na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara, para discutir a segurança das urnas eletrônicas. A tal audiência foi realizada no mês seguinte. A estrela do encontro foi Clóvis Torres Fernandes, professor da Divisão de Ciência da Computação do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica).
 
O professor Clóvis Torres realizara, no ano passado, um estudo sobre a votação eletrônica realizada em Alagoas. Trabalho feito por encomenda do usineiro João Lyra. Candidato ao governo do Estado, Lyra estava inconformado com o resultado das urnas. Embora fosse o candidato mais bem-posto nas pesquisas eleitorais, terminou derrotado por Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL).
 
Na audiência da CCJ, Clóvis Torres disse aos deputados que, ao periciar as urnas alagoanas, constatara vulnerabilidades em pelo menos 44% delas. O deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA) perguntou ao professor se ele tinha segurança para afirmar que os supostos problemas teriam resultado em fraude. A resposta foi negativa. Clóvis Torres reafirmou a sua convicção quanto à fragilidade das urnas eletrônicas, mas disse que os dados que coletara não permitem dizer que houve fraude efetiva.
 
Convidado a participar da audiência pública, Carlos Veloso, ex-ministro do STF e do TSE, fervoroso defensor da segurança da votação eletrônica, não apareceu. E a urna acabou ficando indefesa. Pressionando aqui, você chega à íntegra da ata da sessão da CCJ da Câmara.
 
No início de abril, aprovou-se por unanimidade um requerimento do deputado Geraldo Magela (PT-DF). Propôs a instalação de uma subcomissão, no âmbito da comissão de Justiça, para estudar a segurança da votação eletrônica no Brasil. Nomeou-se como relator da empreitada Vital do Rego (PMDB-PB). É o relatório desse deputado que será divulgado nos próximos dias. Ele não esconde a intenção de esvaziar o TSE e transferir para o Congresso o controle das urnas eletrônicas.
 
Vital do Rego não foi nomeado relator da subcomissão por acaso. Ele já havia sido designado antes para relatar um projeto de lei complementar que trata do mesmo tema. Apresentou-o, em 2005, o deputado Severiano Alves (PDT-BA). Propõe que as eleições eletrônicas sejam regulamentadas e fiscalizadas por uma “Comissão de Comissão de Automação Eleitoral formada no Congresso Nacional”.
 
Ao justificar o teor de seu projeto, Severiano Alves anota que “a automação do processo eleitoral no Brasil foi desenvolvida de forma pioneira e, para orgulho do brasileiro, tem servido de exemplo” para outros países. Mas ele ressalva: “Não podemos acomodar-nos nos louros do pioneirismo na suposição de que teríamos construído um sistema perfeito e totalmente transparente”.
 
Para o deputado Severiano, a automação das urnas trouxe “o risco inerente provocado pela falta de domínio pela sociedade dos detalhes e peculiaridades das tecnologias de segurança envolvidas”. Acha que “a falta de transparência no processo eleitoral é muito perigosa”. E, a pretexto de “aumentar a eficiência do sistema, especialmente quanto à fiscalização do processo informatizado do voto”, propõe que o Congresso, e não o TSE, passe a ter “a competência exclusiva e prioritária” na regulamentação e fiscalização da matéria.
 
Passa da hora de lideranças sérias e repórteres prestarem um naco de atenção em mais esta manobra urdida na Câmara.
« Última modificação: 18 de Novembro de 2007, 21:51:29 por HSette »
"Eu sei que o Homem Invisível está aqui!"
"Por quê?"
"Porque não estou vendo ele!"

Chaves

Offline FxF

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.720
  • Sexo: Masculino
  • Yohohoho!
Re: A raposa quer tomar conta do galinheiro
« Resposta #37 Online: 18 de Novembro de 2007, 23:30:45 »
É a democria do Brasil. Mais democrático que urna eletrônica.

RAPOSA O CARALHO!
« Última modificação: 18 de Novembro de 2007, 23:35:22 por Ilovefoxes »

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #38 Online: 04 de Outubro de 2008, 09:23:48 »
O Brasil se orgulha de ter "o sistema de votação mais moderno do mundo", mas ainda cabe a pergunta: é confiável? É a prova de fraude ?

O Brasil não é um país dos mais "high-tech" que eu conheço. Países exportadores de tecnologia não adotam esse sistema, preferindop métodos mais "primitivos". Por quê? Eles não seriam tão chegados assim em inovações tecnológicas?

O Brasil também não é um dos maiores faróis da democracia que eu conheço. Países de longuíssima história democrática também preferem métodos mais "primitivos" de votação. Eles não valorizariam tanto as eleições como o Brasil?

Enfim... o que acham?



PS: Lembrei-me daquela placa super high-tech que a Ferrari adotou na fórmula-1 na hora do pit-stop, substituindo o antigo e sem graça "pirulito", e deu no que deu.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #39 Online: 04 de Outubro de 2008, 10:26:20 »
Hoje mesmo postei um tópico sobre isso...

Uma urna guardada no apartamento de um mesário quase foi queimada em um incêndio, fico pensando na "grande segurança" dessas urnas guardadas por qualquer um ao invés de ficar em um galpão vigiado.

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2008/interna/0,,OI3231742-EI11839,00-MS+apartamento+pega+fogo+e+quase+destroi+urna+eletronica.html

"Um princípio de incêndio em um apartamento localizado no bairro Nova Bandeirantes, em Campo Grande (MS), quase destruiu uma urna eletrônica nesta manhã. A residência pertence a um mesário, que não estava no local no momento do acidente.

Em Campo Grande, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confiou as urnas eletrônicas aos presidentes de cada seção eleitoral, que ficam responsáveis pelo equipamento até o dia das eleições. O Estado do Mato Grosso do Sul contará com 5.897 urnas, sendo 1.381 delas somente na capital.

-------------------------------------------------------------------------------

São 5.897 possibilidades de fraude .
« Última modificação: 04 de Outubro de 2008, 10:30:51 por Arcanjo Lúcifer »

Offline FxF

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 5.720
  • Sexo: Masculino
  • Yohohoho!
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #40 Online: 04 de Outubro de 2008, 11:50:23 »
Máquinas não mentem. Infelizmente quem tem a senha o faz.

Offline Pregador

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 7.957
  • Sexo: Masculino
  • "Veritas vos Liberabit".
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #41 Online: 04 de Outubro de 2008, 21:33:46 »
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...
"O crime é contagioso. Se o governo quebra a lei, o povo passa a menosprezar a lei". (Lois D. Brandeis).

Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #42 Online: 05 de Outubro de 2008, 08:32:27 »
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...


É verdade.
Aí então vem a pergunta: por que os países mais avançados não adotam um sistema de votação parecido?
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #43 Online: 05 de Outubro de 2008, 08:40:05 »
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...


É verdade.
Aí então vem a pergunta: por que os países mais avançados não adotam um sistema de votação parecido?

Por que vários países já estudaram esse sistema das urnas brasileiras e vários deles disseram que é fácil de fraudar.

Se não me engano houve até proibição de uso em um país da A.L.

Vou ver se encontro algo e coloco aqui.



Offline DDV

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.724
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #44 Online: 05 de Outubro de 2008, 08:50:37 »
Eu não confio muito, mas não vejo alternativa melhor. Outra coisa a favor das urnas é que em 2002 Lula venceu FHC. Outra coisa é que, salvo raras exceções, as pesquisas de intenção de voto ou boca de urna costumam refletir o resultado aproximado das eleições...


É verdade.
Aí então vem a pergunta: por que os países mais avançados não adotam um sistema de votação parecido?

Por que vários países já estudaram esse sistema das urnas brasileiras e vários deles disseram que é fácil de fraudar.

Se não me engano houve até proibição de uso em um país da A.L.

Vou ver se encontro algo e coloco aqui.





Outro problema também é a facilidade  com que dados de votação podem ser perdidos de forma irrecuperável.

Nos EUA, se não me engano, o sistema é parecido com aquelas cartelas antigas de bater ponto em firma, baseado em cartões perfurados. Caso haja alguma dúvida, e seja necessária uma recontagem, os votos estão lá. O sistema brasileiro é completamente digitalizado, ou seja, se houver perda de dados ou erros de processamento, não há nada "concreto" disponível para se corrigir ou recuperar os dados.
Não acredite em quem lhe disser que a verdade não existe.

"O maior vício do capitalismo é a distribuição desigual das benesses. A maior virtude do socialismo é a distribuição igual da miséria." (W. Churchill)

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #45 Online: 05 de Outubro de 2008, 08:58:36 »
http://www.casaca.com.br/home/2008/09/09/a-falacia-da-lisura-das-urnas-eletronicas/


"Trecho da entrevista do engenheiro Amilcar Brunazo Filho que acompanha, desde 2000, o desenvolvimento do sistema eletrônico eleitoral no Brasil (as “intocáveis” urnas eletrônicas) ao blog Dia a Dia, Bit a Bit, de Silvio Meira, portal Terra. Lembrando que, recentemente, enfiaram goela abaixo dos vascaínos a garantia de lisura de um processo eleitoral baseado em urnas eletrônicas:

blog: a urna, em particular, é segura? se você, que conhece -como muita gente- seus princípios, fosse fraudá-la, faria o que e em qual estágio do processo? que cuidados a mais o TSE deveria tomar para, mesmo com a urna insegura, diminuir tal risco?

O processo eleitoral se inicia com o cadastramento de eleitores, passa pela votação, apuração e termina na totalização. Qualquer um destes pontos pode ser atacado para se deturpar o resultado. E isto quer dizer que o melhor ponto para atacar é aquele ao qual se obtém acesso mais fácil.

Assim, quem tem acesso ao cadastro pode inserir eleitores fantasmas; os mesários podem inserir, nas urnas, votos de eleitores ausentes; quem tem acesso aos programas-fonte (versão em texto legível dos programas de computador da urna), pode adulterá-los para desviar votos em todo um estado. E, se o acesso for a apenas algumas urnas, pode-se tentar modificar seus programas e burlar suas defesas.

No caso das urnas, eu vejo nos flash-cards de carga (que são os cartões de memória que transportam os programas oficiais para as urnas eletrônicas) um ponto vulnerável, que se explorado pode contaminar 100 urnas eletrônicas de cada vez com programas desonestos, capazes de mudar o resultado da votação nas urnas em que forem inseridos com sucesso.

Este tipo de ataque foi usado -e deu resultado- por técnicos da Universidade de Princeton, em urnas eletrônicas muito similares às brasileiras em termos de projeto de segurança. Um vídeo (em inglês) sobre este ataque está neste link . Mas é claro que é muito difícil prever todas as formas de ataque e projetar defesas contra cada uma delas é ainda mais complicado.

Por exemplo, o TSE anunciou para outubro deste ano testes em urnas com biometria para impedir a “compra de votos”, ou seja, quando se paga a eleitores para fornecerem seus títulos a outras pessoas que votarão em seu lugar. O custo destas urnas biométricas será enorme. Mas o teste ainda nem foi feito e o TSE já sabe de modificações na forma de fraudar que burla as urnas biométricas, como a “compra do voto com celular”, onde o eleitor usa o telefone celular para filmar a tela da urna com seu voto e a “compra da abstenção”, quando se paga eleitores do adversário para fornecerem seus títulos e identidades, impedindo-os de votar.

Offline Donatello

  • Nível 39
  • *
  • Mensagens: 3.862
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #46 Online: 05 de Outubro de 2008, 09:23:47 »
Citar
Assim, quem tem acesso ao cadastro pode inserir eleitores fantasmas; os mesários podem inserir, nas urnas, votos de eleitores ausentes; quem tem acesso aos programas-fonte (versão em texto legível dos programas de computador da urna), pode adulterá-los para desviar votos em todo um estado. E, se o acesso for a apenas algumas urnas, pode-se tentar modificar seus programas e burlar suas defesas.
Citar
Por exemplo, o TSE anunciou para outubro deste ano testes em urnas com biometria para impedir a “compra de votos”, ou seja, quando se paga a eleitores para fornecerem seus títulos a outras pessoas que votarão em seu lugar. O custo destas urnas biométricas será enorme. Mas o teste ainda nem foi feito e o TSE já sabe de modificações na forma de fraudar que burla as urnas biométricas, como a “compra do voto com celular”, onde o eleitor usa o telefone celular para filmar a tela da urna com seu voto e a “compra da abstenção”, quando se paga eleitores do adversário para fornecerem seus títulos e identidades, impedindo-os de votar.
É legal perceber que nenhuma das possibilidades de fraude apresentadas aí é maior em se usando urnas eletrônicas do que cédulas.

No primeiro quote são citadas possibilidades de fraudes típicas do meio eletrônico mas que de maneira nenhuma são mais relevantes do que as possibilidades de fraude no meio de papel.

No segundo quote as duas formas de fraude citadas são perfeitamente aplicáveis tanto num meio quanto no outro, aliás, no caso do celular, se o comprador exigir apenas uma foto da tela e não a filmagem de todo o processo fica extremamente simples enganá-lo (venda seu voto, digite o número do candidato corrupto, fotografe a tela, corrija, vote no seu candidato, apresente a foto ao candidato ladrão e receba o dinheiro do FDP).

Offline FZapp

  • Administradores
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.914
  • Sexo: Masculino
  • El Inodoro Pereyra
    • JVMC
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #47 Online: 05 de Outubro de 2008, 12:13:46 »
Geeeeente, é mais barato pagar uma cesta básica pro cara, ou ameaçar a favela e pronto...

Por outro lado tem esse problema de não recuperação de dados, mas isso não seria fraude, seria falha de segurança.
--
Si hemos de salvar o no,
de esto naides nos responde;
derecho ande el sol se esconde
tierra adentro hay que tirar;
algun día hemos de llegar...
despues sabremos a dónde.

"Why do you necessarily have to be wrong just because a few million people think you are?" Frank Zappa

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #48 Online: 05 de Outubro de 2008, 12:38:04 »
Citar
É legal perceber que nenhuma das possibilidades de fraude apresentadas aí é maior em se usando urnas eletrônicas do que cédulas.

Não existe sistema impossível de ser fraudado e não entendo de informática ma acho que em certo ponto as cédulas de papel eram mais confiáveis.

Penso da seguinte forma, um só cara pode alterar um programa da urna eletrônica e  mudar o resultado de várias delas mas para alterar o resultado de várias urnas com cédulas de papel vc precisaria de um monte de gente sendo conivente com a fraude, principalmente por que a contagem era manual.

Se usassem cédulas de papel perfurado com contagem por leitor ótico seria uma apuração tb bem rápida e ainda teria o papel como contra-prova, não acham?

Offline Arcanjo Lúcifer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 21.269
  • Sexo: Masculino
Re: As urnas eletrônicas são confiáveis?
« Resposta #49 Online: 05 de Outubro de 2008, 12:39:10 »
Citar
Por outro lado tem esse problema de não recuperação de dados, mas isso não seria fraude, seria falha de segurança.

Se "perderem" os dados de um  candidato, é fraude sim.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!