Autor Tópico: A Tranquilidade da Alma não se Alcança em Viagens  (Lida 715 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Südenbauer

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.297
  • Sexo: Masculino
A Tranquilidade da Alma não se Alcança em Viagens
« Online: 10 de Novembro de 2005, 00:52:37 »
A Tranquilidade da Alma não se Alcança em Viagens[/size]

Pensas que só a ti isso sucedeu; admiras-te, como se fosse um caso raro, de após uma tão grande viagem e uma tão grande variedade de locais visitados não teres conseguido dissipar essa tristeza que te pesa na alma!? Deves é mudar de alma, não de clima. Ainda que atravesses a vastidão do mar, ainda que, como diz o nosso Vergílio, as costas, as cidades desapareçam no horizonte, os teus vícios seguir-te-ão onde quer que tu vás. Do mesmo se queixou um dia alguém a Sócrates: «Porquê admirar-te da inutilidade das tuas viagens,» - foi a resposta, - «se para todo o lado levas a mesma disposição? A causa que te aflige é exactamente a mesma que te leva a partir!» De facto, em que pode ajudar a mudança de local, ou o conhecimento de novas paisagens e cidades? Toda essa agitação carece de sentido. Andares de um lado para o outro não te ajuda em nada, porque andas sempre na tua própria companhia. Tens de alijar o peso que tens na alma; antes disso não há terra alguma que te possa dar prazer!

Temos de viver com essa convicção: não nascemos destinados a nenhum lugar particular, a nossa pátria é o mundo inteiro! Quando te tiveres convencido desta verdade, deixará de espantar-te a inutilidade de andares de terra em terra, levando para cada uma o tédio que tinhas à partida. Se te persuadires de que toda a terra te pertence, o primeiro ponto em que parares agradar-te-á de imediato. O que tu fazes agora não é viajar, mas sim andar à deriva, a saltar de um lado para o outro, quando na realidade o que tu pretendes - viver segundo a virtude - podes consegui-lo em qualquer sítio.

Séneca, in 'Cartas a Lucílio'


Fonte: Citador

Bem, mas as pessoas geralmente viajam quando estão passando pelo problema da monotomia, geralmente causada pela agitada vida urbana de hoje em dia. Uma viagem é algo bom porque faz com que você saia do cotidiano para descansar e ver coisas diferentes do que se vê no dia-a-dia.

E então na viagem você passa a ter saudade do lar, e volta mais disposto.

É claro que uma viagem não irá resolver tudo, mas é bom para refletir, libertar-se da rotina. O interessante é o texto ser escrito a 2000 anos atrás e ser tão contemporâneo assim. Apesar de que na época eu creio que a vida nas cidades não aprisionava tanto o ser humano e que as cidades costumavam ser mais iguais entre si.

Offline Zibs

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 727
Re.: A Tranquilidade da Alma não se Alcança em Viagens
« Resposta #1 Online: 29 de Novembro de 2005, 04:12:14 »
Bom, se o texto é de 2000 anos atras, da para imaginar que toda viagem era um saco.Imagine só ficar viajando em burros e carroças durante meses :hihi: ...
A verdade, em sua essencia, se manifesta sob diferentes roupagens.Sabedoria é comunica-la usando-se da veste do seu interlocutor.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!