Autor Tópico: Bater nos filhos, pode?  (Lida 13618 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #25 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:02:12 »
Citação de: bruno
Citação de: Marcelo Terra
Citação de: bruno
eu nunca tive filhos, talvez minha opinião não valha tanto. mas tenho uma impressão de que, com algumas crianças de uma idade em que são tipicamente chatas, como aos 6 anos, não basta sempre a conversa.


Defina chatas.

Será que o que você está observando nessas crianças não seria uma criação incompetente por parte dos pais? Eu vejo isso aos montes. É o caso em que eu mencionei acima de que quem precisa de surra são os pais, mais que os filhos.


chatas. criança até os 3 ou 4 é um amor, depois até os 12 dá vontade de jogar pela janela. aos 12 chega a adolescência e ficam tímidas ou amadurecem um pouco, não enchem o saco, depois de um tempo viram gente. (sim, não gosto de criança e admito).
já presenciou a cena de algum moleque chato ficar, por exemplo, apagando e acendendo a luz? então o pai ou mãe fala, 'filhinho, não faz isso, para....'. então o moleque não para, ou para e depois faz de novo em alguns minutos. pois bem, isso é chatice. e talvez aqui viriam a calhar umas chineladas.
agora, suponha que se façam proibidas as surras. talvez, em muitos casos, se as crianças sabem que a ameaça dos pais é vazia, o que as levará a obedecer? como e quando se cria a noção de respeito nas crianças? creio ser necessária a punição, seja por meio de tapinhas ou castigos (restrições).

não sou especialista em crianças e nem tenho filhos, como já disse. mas acho que deveria-se deixar para os pais o modo de se educar, afinal, são seus filhos.. sem pedagogia do oprimido pro meu lado.


Muita vezes, talvez na maioria absoluta delas, elas fazem isso para chamar a atenção dos pais. Uma criança não é como um adulto que, quando é deixado um pouco de lado, não se importa muito. Elas querem estar junto, querem participar, e, quando os pais acabam negligenciando isso, elas partem para o lado mais institivo: chamar a atenção a qualquer custo.

Offline Alenônimo

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.545
  • Sexo: Masculino
    • Alenônimo.com.br
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #26 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:20:51 »
Tem gente que diz que não pode bater de jeito nenhum, que é um abuso, etc. Que coisa mais infantil!

É claro que não falamos de cinto, tamanco ou chicote. Bater em criança é com chinelada calibre Havaiana ou tapas com a mão mesmo.  :roll:

Crianças podem ficar muito mimadas se não forem castigadas de alguma maneira.
“A ciência não explica tudo. A religião não explica nada.”

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #27 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:27:46 »
Citação de: Alenônimo
Tem gente que diz que não pode bater de jeito nenhum, que é um abuso, etc. Que coisa mais infantil!


Infantil é não saber, ou pior nem tentar, educar o filho e querer adestrá-lo na porrada depois.

Citar
É claro que não falamos de cinto, tamanco ou chicote. Bater em criança é com chinelada calibre Havaiana ou tapas com a mão mesmo.  :roll:


Quantas chineladas/palmadas? Com que força? Onde pode bater?

Citar
Crianças podem ficar muito mimadas se não forem castigadas de alguma maneira.


Só conhece esse meio? Bater? Por que todas as pessoas tem o direito de não ser agredidas, a menos que iniciem uma agressão, e uma criança não tem esse direito? Que noção de direitos mais sem pé nem cabeça é essa?

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #28 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:34:32 »
Citação de: Alenônimo
Tem gente que diz que não pode bater de jeito nenhum, que é um abuso, etc. Que coisa mais infantil!

É claro que não falamos de cinto, tamanco ou chicote. Bater em criança é com chinelada calibre Havaiana ou tapas com a mão mesmo.  :roll:


Infantil é acreditar que as coisas se resolvem com violência. Aliás, não é "coisa infantil". É "coisa de pai que não consegue ter respeito sem agredir o filho".

Citar
Crianças podem ficar muito mimadas se não forem castigadas de alguma maneira.


Se é para dar palpite, vou falar que "crianças podem ficar muito reprimidas se forem agredidas". Ah, você conhece várias que não ficaram? E eu conheço várias que não ficaram mimadas, pelo contrário. Não fale besteiras.

E, além disso, parece óbvio para mim que há muitos outros castigos que não envolvem violência.

Offline Stéfano

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.779
  • Sexo: Masculino
    • Hepcentro
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #29 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:35:08 »
Marcelo,

Você não está querendo substituir o abuso físico pelo abuso psicológico ? Aonde está o limite entre dar bronca ou deixar de castigo e traumatizar a criança ?
"Alternative and mainstream Medicine are not simply different methods of treating ilness. They are basically incompatible views of reality and how the material world works." Arnold S. Relman

Offline Zibss

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.482
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #30 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:36:22 »

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #31 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:37:47 »
Citação de: Marcelo Terra
De tapinhas eu nunca vi, mas de tais "boas" surras que você citou já vi aos montes. Então pergunto de novo, qual é o limite? O que é uma "boa surra" educativa e uma "boa surra" abusiva? Na dúvida manda os dois pra polícia e o juiz decide que pai surrou com razão e qual abusou na medida.

Não discordo de você que pais geralmente são muito estúpidos e não sabem aplicar a punição, aliás, eu também acho que a quase total maioria das punições poderiam ser evitadas se os pais soubessem conversar e criar os filhos, mas tiro uma "boa surra" por um exemplo da filha da minha madrasta:

Ela tem 18 anos e sem nenhum peso na consciência, te digo: ela é uma completa vagabunda. Embora ela já tenha atingido a maioriade, ela não sabe sabe distinguir o certo e o errado, ela só faz cagada quando meu pai e a mãe dela saem de casa, ela já roubou daqui de casa, e continuaria roubando caso morasse ainda aqui, ela compra coisas sabendo que não pode pagar, e repetiu o 2º ano 3 vezes por baixa frequência. Olha, não que eu discorde que a mãe dela deveria ter criado ela melhor, deveria ter educado ao invés de ficar omissa na maioria dos casos, mas eu só lembro de uma vez que essa menina apanhou e coincidentemente foi nessa vez que ela tomou jeito por um tempinho, pra depois piorar de novo.

Bom, nessa última semana, ela resolveu dar uma festinha aqui em casa, e o resultado? Deu polícia na porta de casa, e depois disso meu pai expulsou ela daqui.

Me diga, se ela tivesse tomado uma boa surra da primeira vez, isso não poderia ser evitado? Ela não sabe o certo e o errado, talvez ilustrar isso com "não dói" e "dói" teria ajudado ela a não fazer tantas cagadas e ter um final tão ruim para ela.

Citação de: Marcelo Terra
Agora outra pergunta, por que um marido não pode dar uma "boa surra" educativa na esposa, e vice-versa, um irmão não pode dar uma "boa surra" educativa no outro, ou um patrão dar uma "boa surra" educativa no empregado mas um pai em um filho "mais crescido" pode? Tem lei pra isso? "Filhos menores de idade podem ser agredidos fisicamente", existe isso? Sinto muito mas acho que lei nenhuma dá suporte à isso.

São coisas diferentes, adolescentes as vezes precisam aprender na marra pois não distinguem a diferença entre o certo e o errado. Bater em gente crescida só porque essa pessoa não pode se defender e/ou discorda de você é covardia.

Citação de: Ricardo M
Não me lembro de ter apanhado. Não me lembro de ter sido agredido em nenhum momento pelo meu pai. E nunca tive problemas com a polícia, ao contrário de outras pessoas que foram educadas na base do tapa.

Non Sequitur.


Citação de: Ricardo M
E, além disso, crianças não são seres de completa idiotice. A agressão do pai, algumas vezes, é um sinal de que ele não se sente suficientemente preparado para fazer a criança agir como ele quer e resolve da pior maneira possível. Ele "desconta" a incompetência dele na criança.

Isso está colocado de forma um tanto quanto trágica. Nenhum ser-humano consegue mudar tudo o que o outro pensa ou quer, essa incapacidade é normal e comum, e não há ninguem que não a tenha.

Citação de: Ricardo M
Até mesmo uma cara de decepção do meu pai me fazia parar, e ele nunca precisou me agredir para ter esse respeito. Eu o respeitava por gostar muito dele e não gostar de vê-lo chateado comigo, não por medo de apanhar.

Eu não discordo em nenhum momento que a grande parte dos tapas que os filhos tomam poderiam ser evitados caso os pais soubessem interagir melhor com o filho.

Citação de: Ricardo M
Posso falar algo que vá deixar alguns magoados comigo, mas, para mim, pai que agride é pai que não é bom o suficiente para causar admiração no filho.

Isso não é verdade, se tem uma coisa que eu admiro na minha falecida mãe, é que ela sempre sabia a hora certa de me bater, e isso sempre me ajudou muito. Aliás, ela era até calma demais, lembrando de como eu era na infância eu acho que deveria ter apanhado mais.

Citação de: Ricardo M
Será que é o filho que não ouve ou o pai que não sabe falar, na maioria das vezes? Será que os pais são tão atenciosos, na maioria das vezes, para explicar as coisas?

Sendo bem sincero, Oceanos, já vi cada coisa na rua que me dava vontade de brigar com muitos pais por aí. Criança esbarra e derruba uns quinze pacotes de BomBril no chão do supermercado e o pai, ao invés de conversar com a criança e falar "tome mais cuidado, e agora que você derrubou, junte e coloque no lugar", simplesmente dava um tapa no moleque. Criança pede alguma coisa, uma bala ou um chocolate, e escuta "cala a boca". Criança cai no chão e apanha, só por ter caído no chão!

O mais absurdo, esses dias, na fila do caixa no supermercado, um cara com umas cinco caixas de cerveja no carrinho, e quando o filho pede um TicTac daqueles que ficam a mostra nesses lugares, recebe um sonoro "não me enche o saco". Ora, como um filho desses vai respeitar o pai? Será que alguns filhos só "aprendem" apanhando porque é da natureza deles só aprenderem assim, ou porque os pais nunca fizeram nada direito a vida inteira do piá e depois querem que ele os escute e atenda a todos os seus pedidos?

Há muito pai que é estúpido, e não sabendo causar respeito no filho por meios "limpos", acaba precisando da violência. E quem paga é a criança, que não tem culpa alguma.

Acho que já respondi essa pergunta nesse post....

Eu acho isso realmente deprimente, também não concordo, e de forma alguma defendo isso. Aliás, defendo é que o pai precisa de um bom corretivo nesses casos.. :)
E não acho que esses erros excluam a possibilidade de um pai dar uns tapinhas em um filho que não ouviu o que o pai já disse. Alguns casos saem do controle da conversa, e nesse caso, uma punição é necessária(tapinhas, castigos, etc).

Offline Zibss

  • Nível 28
  • *
  • Mensagens: 1.482
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #32 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:46:03 »
Citar
Ela tem 18 anos e sem nenhum peso na consciência, te digo: ela é uma completa vagabunda.


Vamos para o que interessa:
Ela ao menos é gostosa? :?  :roll:

:rola:

Karl Rove

  • Visitante
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #33 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:48:30 »
Crianças precisam apanhar regularmente. Como gongos.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #34 Online: 24 de Janeiro de 2006, 12:59:06 »
Citar
Citação de: Ricardo M
Não me lembro de ter apanhado. Não me lembro de ter sido agredido em nenhum momento pelo meu pai. E nunca tive problemas com a polícia, ao contrário de outras pessoas que foram educadas na base do tapa.

Non Sequitir.


Por quê? Talvez seja evidência anedota, tudo bem, mas non sequitir? Ele disse "Com certeza umas chineladas na bunda ou palmadas fazem parte da educação. Criança sem limites é um porre. E pode ter certeza, que se os pais não colocam os limites, a policia coloca depois." Eu respondi que nunca tinha recebido "limites violentos", e nem por isso tive problemas com a polícia. Acho que você não entendeu.

Citar
Citação de: Ricardo M
E, além disso, crianças não são seres de completa idiotice. A agressão do pai, algumas vezes, é um sinal de que ele não se sente suficientemente preparado para fazer a criança agir como ele quer e resolve da pior maneira possível. Ele "desconta" a incompetência dele na criança.

Isso está colocado de forma um tanto quanto trágica. Nenhum ser-humano consegue mudar tudo o que o outro pensa ou quer, essa incapacidade é normal e comum, e não há ninguem que não a tenha.


Não é trágico quando se trata de crianças que receberam desde pequenas uma noção de "certo" e "errado". Ninguém quer convencer uma criança que o amarelo é igual ao azul. Quando elas fazem algo condenável, se desde pequenas foram bem educadas, sabem que estão erradas. Vai dizer que você nunca tentou esconder nada que tivesse feito quando era pequeno?  :D

Citar
Eu não discordo em nenhum momento que a grande parte dos tapas que os filhos tomam poderiam ser evitados caso os pais soubessem interagir melhor com o filho.


:ok:

Citar
Isso não é verdade, se tem uma coisa que eu admiro na minha falecida mãe, é que ela sempre sabia a hora certa de me bater, e isso sempre me ajudou muito. Aliás, ela era até calma demais, lembrando de como eu era na infância eu acho que deveria ter apanhado mais.


Bom, aí é algo pessoal, e fica tão difícil para você opiniar nas coisas que conto da minha infância quanto eu nas suas.  :)

Citar
E não acho que esses erros excluam a possibilidade de um pai dar uns tapinhas em um filho que não ouviu o que o pai já disse. Alguns casos saem do controle da conversa, e nesse caso, uma punição é necessária(tapinhas, castigos, etc).


Mas concorda que, muitas vezes, é algo que poderia ter sido evitado? Como no exemplo que você citou da menina. Eu não a conheço, não sei como foi educada, mas será que não aconteceram algumas falhas na educação no passado? E, veja bem, não estou falando de violência, mas de conversa, de noção de "certo" e "errado". Tudo bem que agora bater na menina seja mais eficaz que qualquer outra tentativa de conversa, mas é porque chegou-se num ponto no qual não se deveria estar. Acho que a agressão, na imensa maioria das vezes, é algo desnecessário na educação de uma criança, se algo alternativo for feito desde os primeiros anos. E, isso é o pior para muitos pais, exige uma dose de paciência que muitos não estão dispostos a ter. Bater é imensamente mais fácil.

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #35 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:18:30 »
Citação de: Karl Rove
Crianças precisam apanhar regularmente. Como gongos.


 :lol:

Não simpatizo com a palmadinha, mas proibir também é demais. uma coisa é dar palmada, outra é espancar.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #36 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:20:28 »
Citação de: Ricardo M
Por quê? Talvez seja evidência anedota, tudo bem, mas non sequitir? Ele disse "Com certeza umas chineladas na bunda ou palmadas fazem parte da educação. Criança sem limites é um porre. E pode ter certeza, que se os pais não colocam os limites, a policia coloca depois." Eu respondi que nunca tinha recebido "limites violentos", e nem por isso tive problemas com a polícia. Acho que você não entendeu.

Não mesmo, pensei que você tinha relacionado "ser criminoso" com "apanhar em casa". Mas acho que houve um entendimento equivocado de sua parte em relação ao post do daniel. Você sempre agiu como se sua casa fosse a casa da mãe Joana(espero que sua mãe não se chame assim.. :D ) ou com se o mundo fosse seu? Limites podem ser impostos sem tapas também em alguns casos. Algumas crianças obedecem, outras não.

Citação de: Ricardo M
Não é trágico quando se trata de crianças que receberam desde pequenas uma noção de "certo" e "errado". Ninguém quer convencer uma criança que o amarelo é igual ao azul. Quando elas fazem algo condenável, se desde pequenas foram bem educadas, sabem que estão erradas. Vai dizer que você nunca tentou esconder nada que tivesse feito quando era pequeno?  :D

Você pode ser o melhor pai de todos, educar desde zigoto seu filho a fazer o certo e não o errado. Mas quem impede dele de ter más companias nas escolas? As vezes as coisas saem do controle, e ai só uns tapinhas resolvem.

Citação de: Ricardo M
Mas concorda que, muitas vezes, é algo que poderia ter sido evitado? Como no exemplo que você citou da menina. Eu não a conheço, não sei como foi educada, mas será que não aconteceram algumas falhas na educação no passado?

Sim, sem dúvida nenhuma houve. Mas não sei se tudo pudesse ter sido evitado. Ela sempre teve péssima compania.

Citação de: Ricardo M
Acho que a agressão, na imensa maioria das vezes, é algo desnecessário na educação de uma criança, se algo alternativo for feito desde os primeiros anos. E, isso é o pior para muitos pais, exige uma dose de paciência que muitos não estão dispostos a ter. Bater é imensamente mais fácil.

Acho que concordamos então. Bater as vezes é necessário, mas pode e deve ser evitado na maioria das vezes.

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #37 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:28:03 »
Citação de: GCF
Não simpatizo com a palmadinha, mas proibir também é demais. uma coisa é dar palmada, outra é espancar.


Como você pode discernir até onde são "apenas umas palmadas" e onde começa uma surra?

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #38 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:39:25 »
Citação de: Oceanos
Citação de: Marcelo Terra
Agora outra pergunta, por que um marido não pode dar uma "boa surra" educativa na esposa, e vice-versa, um irmão não pode dar uma "boa surra" educativa no outro, ou um patrão dar uma "boa surra" educativa no empregado mas um pai em um filho "mais crescido" pode? Tem lei pra isso? "Filhos menores de idade podem ser agredidos fisicamente", existe isso? Sinto muito mas acho que lei nenhuma dá suporte à isso.

São coisas diferentes, adolescentes as vezes precisam aprender na marra pois não distinguem a diferença entre o certo e o errado. Bater em gente crescida só porque essa pessoa não pode se defender e/ou discorda de você é covardia.


E adultos que não distinguem o certo do errado e só fazem cagadas, podem levar uns tabefes? Conheço uns que estou querendo dar umas "porradas corretivas" a tempos.

Citar
Citação de: Ricardo M
E, além disso, crianças não são seres de completa idiotice. A agressão do pai, algumas vezes, é um sinal de que ele não se sente suficientemente preparado para fazer a criança agir como ele quer e resolve da pior maneira possível. Ele "desconta" a incompetência dele na criança.

Isso está colocado de forma um tanto quanto trágica. Nenhum ser-humano consegue mudar tudo o que o outro pensa ou quer, essa incapacidade é normal e comum, e não há ninguem que não a tenha.


Então podemos dar uns tabefes em adultos que precisem aprender alguma coisa?

Citar
Citação de: Ricardo M
Até mesmo uma cara de decepção do meu pai me fazia parar, e ele nunca precisou me agredir para ter esse respeito. Eu o respeitava por gostar muito dele e não gostar de vê-lo chateado comigo, não por medo de apanhar.

Eu não discordo em nenhum momento que a grande parte dos tapas que os filhos tomam poderiam ser evitados caso os pais soubessem interagir melhor com o filho.


No entanto mesmo assim você acha que a lei deve ser indulgente e que um pai pode punir através da agressão física um filho pelo seu próprio erro? "Não soube te educar agora vou resolver isso na porrada"?

Citar
Citação de: Ricardo M
Há muito pai que é estúpido, e não sabendo causar respeito no filho por meios "limpos", acaba precisando da violência. E quem paga é a criança, que não tem culpa alguma.

Acho que já respondi essa pergunta nesse post...


Eu não tenho essa impressão.

Citar
Eu acho isso realmente deprimente, também não concordo, e de forma alguma defendo isso. Aliás, defendo é que o pai precisa de um bom corretivo nesses casos.. :)
E não acho que esses erros excluam a possibilidade de um pai dar uns tapinhas em um filho que não ouviu o que o pai já disse. Alguns casos saem do controle da conversa, e nesse caso, uma punição é necessária(tapinhas, castigos, etc).


Quem julga isso? Você defende que seja retirado do âmbito da lei e deixado ao bom-senso (hahahahaha que piada) dos pais decidir se agressões físicas são a melhor ou a única forma de educar seus filhos e ninguém pode julgá-los por isso? Qual é o limite? Ninguém responde. O limite é não quebrar ossos, tirar sangue, deixar hematomas? Qual é o limite? Isso por que eu não vou pedir pra ninguém provar que punição física seja o ÚNICO meio em determinados casos, ninguém aqui tem recursos para obter tão prova, caso seja possível.

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #39 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:41:08 »
Fora da própria idéia:

Qual a idéia da punição física? Para quando não se consegue fazer entender com palavras (no caso de animais, e talvez bebes), pode até se dizer que é para explicar que aquilo é errado pela associação (Não que eu concorde em bater em bebes. Espere ele saber falar, ai você pode explicar), mas fora disso quando se pode explicar, é simplesmente a ideia do medo. "Não faça isso se não apanha" A mesma idéia que se tem em qualquer punição física, pelos pais ou não.
Ou seja, a ideia de tanto a gangue que surra o cara quase até a morte ou o pai que bate no filho por que ele falou alguma coisa é a mesma. Em casos emergenciais, não tem muita escolha, mas ai ja é culpa da criação passada.

Só não defendo testes psicológicos para ver se as pessoas são aptas a ter filhos por que teria um declinio muito rapido da população, e não defendo que os filhos sejam criados pelo estado por que seria linchado em praça pública.
"The patient refused an autopsy."

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #40 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:46:09 »
Citação de: Stéfano
Você não está querendo substituir o abuso físico pelo abuso psicológico ? Aonde está o limite entre dar bronca ou deixar de castigo e traumatizar a criança ?


Educação e respeito. Sabe como se resolve os mesmos problemas que se tem com crianças quando acontece com esposas, irmãos, funcionários? Liberdade x responsabilidade. Quanto mais responsabilidade você tem maior a liberdade. "Ah, mas isso não é fácil". Oras, se não quer arcar com as responsabilidades de ter filhos não os tenha, apelar para que a lei exclua as crianças do direito de não ser agredido pra compensar a falta de competência ou diposição para fornecer uma boa educação não é uma proposta razoável.

E sim, existe violência não física que não deveria ser aplicada também. Não adianta trocar as palmadas por meia hora de cara pra parede na frente das visitas, isso é uma forma de violência da mesma maneira.

Offline Aronax

  • Nível 27
  • *
  • Mensagens: 1.320
  • Sexo: Masculino
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #41 Online: 24 de Janeiro de 2006, 13:51:22 »
Como as crianças, até certa idade, são legalmente dependentes, sendo os pais responsáveis por seus atos, estes devem impor os limites que julgarem corretos....afinal serão cobrados pelo que ultrapassar estes limites.
Como já mencionado aqui, limites fazem parte do aprendizado para viver em sociedade.
Crianças que desconhecem isto, seja por deficiencia na educação, ou por temperamento mesmo, devem ser contidas dentro deste limite.
As vezes não tem "papo"  que resolva uma situação, ou por falta de capacidade de entendimento, ou por falta de capacidade de convencimento......
Tenho duas filhas..(26 e 24 anos).....no máximo dei umas palmadas no bumbum (2 vezes)....nunca foi necessário mais que isto.....mas nem todos tem esta sorte....sei de casos bem extremos.
E crianças sem limites resultam muitas vezes no que se ve com frequencia....filhos até espancando pais.
Uma verdade ou um ser podem ser vistos de vários pontos, porém a verdade e o ser estão acima de pontos de vista.

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #42 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:04:52 »
Citação de: Felipe
Só não defendo testes psicológicos para ver se as pessoas são aptas a ter filhos por que teria um declinio muito rapido da população, e não defendo que os filhos sejam criados pelo estado por que seria linchado em praça pública.


Pensando por essse lado... Acho que esses testes deveriam ser adotados imediatamente! :hihi:

Karl Rove

  • Visitante
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #43 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:11:30 »
Falando sério, especialistas em parentalidade são vermes que mudam de opinião a cada dois anos, só para conseguir espaços na mídia para suas controvérsias de controvérsias, sem método científico nenhum, só achismo.

Acho que cabe o discernimento de cada pai. Meu avô batia no meu pai e nos meus tios com fio de ferro, mas só quando faziam merdas muito grandes. Pode parecer uma grande violência, mas nenhum deles guarda ressentimentos e até agradecem pelas surras, que nunca chegavam a debilitá-los, mas apenas a mostrar que agiram errados e que mereciam ser punidos.

Apesar de já ter apanhado bastante dos meus pais quando era pequeno, também não guardo ressentimentos, pois sei que quando eles fizeram isso, fizeram com razão, e com a intenção de melhorar a minha postura.

Acho complicado ficar perdendo tempo tentando explicar certas coisas para crianças que ainda não desenvolveram uma noção moral completa, e que funcionam baseadas em interesses distintos. Para uma criança que ainda não compreende porque é obrigada a ir a escola, é muito mais interessante matar aula, não importa quantos sermões se passem, ela continuará a pensar assim por um bom tempo, até começar a perceber a cobrança do mundo pelos seus conhecimentos.

O importante é não ser permissivo e indiferente demais, nem prostituir a punição, aplicando-a a todo momento para qualquer atitude, pois assim a criança não assimilará.

Por mais que possa parecer uma falsa analogia para alguns, quem não espanca seus filhotes quando eles fazem cagada terão cachorros insolentes, e quem espanca o tempo todo, ou nos momentos errados, também.

O espancar deve ter um significado claro, se não é apenas uma manifestação sádica e não um ato de edificação moral e educacional/correcional.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #44 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:23:58 »
Citação de: Marcelo Terra
E adultos que não distinguem o certo do errado e só fazem cagadas, podem levar uns tabefes? Conheço uns que estou querendo dar umas "porradas corretivas" a tempos.

Nesse caso existe alternativas, como a polícia.

Citação de: Marcelo Terra
Então podemos dar uns tabefes em adultos que precisem aprender alguma coisa?

Achei essa resposta desconexa com meu post.

Citação de: Marcelo Terra
No entanto mesmo assim você acha que a lei deve ser indulgente e que um pai pode punir através da agressão física um filho pelo seu próprio erro? "Não soube te educar agora vou resolver isso na porrada"?

Melhor isso do que deixar ele não distinguir o certo e o errado, não? E você colcoa isso de uma forma trágica também. Nem sempre é erro do pai o filho desobedecer. Aliás, você realmente quer que os pais se conscientizem, parem de bater nos filhos e comecem a educa-los de forma satisfatória?

Citação de: Marcelo Terra
Eu não tenho essa impressão.

Aqui:
Citação de: Oceanos
Eu não discordo em nenhum momento que a grande parte dos tapas que os filhos tomam poderiam ser evitados caso os pais soubessem interagir melhor com o filho.


Citação de: Marcelo Terra
Quem julga isso?

Quem julga o que? O pai que merece ser corrigido ou o filho que merece ser corrigido? No primeiro, o bom-senso, no segundo, o próprio pai.

Citação de: Marcelo Terra
Você defende que seja retirado do âmbito da lei e deixado ao bom-senso (hahahahaha que piada) dos pais decidir se agressões físicas são a melhor ou a única forma de educar seus filhos e ninguém pode julgá-los por isso?

Você está distorcendo meus argumentos de forma torpe Marcelo.
1) Bater nos filhos só caso eles não estejam educados depois de uma boa tentativa de educação verbal. E perguntar:"Quem julga isso?" é reduzir o problema a uma simples regra, o que nunca vai acontecer. Cada caso é um caso. Algumas crianças não precisaram apanhar pra aprender(como é o caso do Mioto), outras precisaram(como o meu caso, e eu tive uma boa educação, o que me deixava fazer coisas erradas era meu sentimento de impunidade).
2) Quem espera bom-senso é exatamente os defensores do "apanhar em nenhuma circunstância", pensando que essa lei servirá pra algo(isso sim é piada) ou que os pais nunca mais irão agredir seus filhos.

Citação de: Marcelo Terra
Qual é o limite? Ninguém responde. O limite é não quebrar ossos, tirar sangue, deixar hematomas? Qual é o limite?

Você está reduzindo tudo a uma simples regra, e não é, como já disse. Qual o limite da conversa com uma criança arteira? O que fazer? Gritar? Qual castigo dar? Uma semana sem televisão? Uma semana sem sair do quarto? Dez minutos sem sair do quarto? E isso adiantaria? Deixar uma criança atrás da porta por quanto tempo? Uma hora? Dez minutos?

Marcelo, para eu conseguir entender melhor seu ponto de vista, você acha que uma criança pode ser educada sem receber nenhum tipo de punição?

Citação de: Marcelo Terra
Isso por que eu não vou pedir pra ninguém provar que punição física seja o ÚNICO meio em determinados casos, ninguém aqui tem recursos para obter tão prova, caso seja possível.

Do mesmo jeito que você pode pedir para provar que punição física é o único meio em determinados casos, eu posso pedir pra você provar que a conversa é 100% eficaz em todos os casos. Mas como você disse, ninguem aqui pode obter tal prova.

Também estou começando a achar essa discussão um tanto quanto inútil, a não ser que existam provas a favor ou contra de que bater em crianças deixem traumas nelas.

Offline Rina

  • Nível 23
  • *
  • Mensagens: 983
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #45 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:25:10 »
Realmente até aos tres anos são uns amores. Passando daí até os 13 viram umas pestinhas. Se vc não se impor com umas palmadinhas no bumbum vai ter conseqüencias depois. Uma palmada no bumbum não é uma agressão séria, e sim, um basta para a criança não continuar quando o dialogo não funcionar, colocando limites.
Se vc adverte uma criança para não fazer algo perigoso por exemplo, mas ela não dá ouvidos, voce como responsável deve obriga-la a ouvir, colocando limites, mesmo que a força. Afinal vc é o responsável.

" O medo de sofrer é pior do que o próprio sofrimento. E nenhum coração jamais sofreu quando foi em busca de seus sonhos.”
http://cantinhodarina.blogspot.com/

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #46 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:26:32 »
Citação de: Karl Rove
Por mais que possa parecer uma falsa analogia para alguns, quem não espanca seus filhotes quando eles fazem cagada terão cachorros insolentes, e quem espanca o tempo todo, ou nos momentos errados, também.


Ricardo M você era espancado quando fazia cagada? Caso a resposta seja negativa então caberá ao forista acima citado PROVAR que o Ricardo M é ou foi um cachorro insolente.

Karl Rove

  • Visitante
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #47 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:41:50 »
Citação de: Marcelo Terra
Citação de: Karl Rove
Por mais que possa parecer uma falsa analogia para alguns, quem não espanca seus filhotes quando eles fazem cagada terão cachorros insolentes, e quem espanca o tempo todo, ou nos momentos errados, também.


Ricardo M você era espancado quando fazia cagada? Caso a resposta seja negativa então caberá ao forista acima citado PROVAR que o Ricardo M é ou foi um cachorro insolente.


Talvez não tenha ficado claro (embora eu ache que tenha, e que essa impostura seja apenas uma manifestação de desonestidade intelectual ou incapacidade argumentativa/mental, ou talvez um pouco de ambas), mas eu estava falando da criação de cães nesse parágrafo, e, até onde eu sei, o usuário "Ricardo M" não é um.

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #48 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:45:03 »
Citação de: Oceanos
Citação de: Marcelo Terra
No entanto mesmo assim você acha que a lei deve ser indulgente e que um pai pode punir através da agressão física um filho pelo seu próprio erro? "Não soube te educar agora vou resolver isso na porrada"?

Melhor isso do que deixar ele não distinguir o certo e o errado, não?


Ele não vai aprender a distinguir o certo do errado ele vai aprender que não precisa ser responsável quando no final quem pagará por seus erros são os outros. NO EXEMPLO CITADO.

Citar
E você colcoa isso de uma forma trágica também. Nem sempre é erro do pai o filho desobedecer. Aliás, você realmente quer que os pais se conscientizem, parem de bater nos filhos e comecem a educa-los de forma satisfatória?


Querer eu até queria, mas isso não vai acontecer. Pelo menos não a curto ou médio prazo.

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Quem julga isso?

Quem julga o que? O pai que merece ser corrigido ou o filho que merece ser corrigido? No primeiro, o bom-senso, no segundo, o próprio pai.


Quem julga se o que está acontecendo é "apenas" um pai educando o filho ou se é um caso pra chamar a polícia?  O pai agressor nunca vai achar que está errado ou estrapolou os limites.

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Você defende que seja retirado do âmbito da lei e deixado ao bom-senso (hahahahaha que piada) dos pais decidir se agressões físicas são a melhor ou a única forma de educar seus filhos e ninguém pode julgá-los por isso?

Você está distorcendo meus argumentos de forma torpe Marcelo.


Torpe nada, quero esclarecimentos. Na prática como fica?

Citar
1) Bater nos filhos só caso eles não estejam educados depois de uma boa tentativa de educação verbal. E perguntar:"Quem julga isso?" é reduzir o problema a uma simples regra, o que nunca vai acontecer. Cada caso é um caso.


Então sempre que alguém vir uma surra chama a polícia e o juiz vai avaliar esse caso-a-caso. O que não pode é dizer que ninguém nunca vai se meter na história.

Citar
Algumas crianças não precisaram apanhar pra aprender(como é o caso do Mioto), outras precisaram(como o meu caso, e eu tive uma boa educação, o que me deixava fazer coisas erradas era meu sentimento de impunidade).


Evidência anedota.

Citar
2) Quem espera bom-senso é exatamente os defensores do "apanhar em nenhuma circunstância", pensando que essa lei servirá pra algo(isso sim é piada) ou que os pais nunca mais irão agredir seus filhos.


Aí já concordo com você. Que a lei vai ser mais uma juntando poeira isso será. E também tem o problema da ruptura, não se muda de um modelo de educação que dá margem a abusos para um mais responsável de uma hora pra outra e com apenas uma lei, isso se ela realmente funcionasse.

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Qual é o limite? Ninguém responde. O limite é não quebrar ossos, tirar sangue, deixar hematomas? Qual é o limite?

Você está reduzindo tudo a uma simples regra, e não é, como já disse. Qual o limite da conversa com uma criança arteira? O que fazer? Gritar? Qual castigo dar? Uma semana sem televisão? Uma semana sem sair do quarto? Dez minutos sem sair do quarto? E isso adiantaria? Deixar uma criança atrás da porta por quanto tempo? Uma hora? Dez minutos?


Eu não estou reduzindo nada. Estou perguntando e ninguém responde. Não interessa qual seja a falha da criança a punição também tem limites. Tem um monte de gente dizendo que umas palmadas ou uma "boa surra" é diferente de um espancamento, EU QUERO SABER QUANDO DEIXA DE SER QUANDO DEIXA DE SER UM E PASSA A SER OUTRO PARA OS QUE FAZEM TAL DISTINÇÃO.

Citar
Marcelo, para eu conseguir entender melhor seu ponto de vista, você acha que uma criança pode ser educada sem receber nenhum tipo de punição?


Dependendo do que você chama de punição. Se forem punições físicas ou de rituais de humilhação eu digo que sim, é possível. E o que não for possível de ser resolvido assim não o será por meio algum. Restrição: isso só é possível através de uma educação que vem desde bebê. Não adianta querer começar a educar aos 10 anos de idade, por exemplo.

Citar
Também estou começando a achar essa discussão um tanto quanto inútil, a não ser que existam provas a favor ou contra de que bater em crianças deixem traumas nelas.


Bem, inútil a discussão não é. Ela só não vai mudar nada na prática. Entendeu? :wink:

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #49 Online: 24 de Janeiro de 2006, 14:49:41 »
Citação de: Karl Rove
Citação de: Marcelo Terra
Citação de: Karl Rove
Por mais que possa parecer uma falsa analogia para alguns, quem não espanca seus filhotes quando eles fazem cagada terão cachorros insolentes, e quem espanca o tempo todo, ou nos momentos errados, também.


Ricardo M você era espancado quando fazia cagada? Caso a resposta seja negativa então caberá ao forista acima citado PROVAR que o Ricardo M é ou foi um cachorro insolente.


Talvez não tenha ficado claro (embora eu ache que tenha, e que essa impostura seja apenas uma manifestação de desonestidade intelectual ou incapacidade argumentativa/mental, ou talvez um pouco de ambas), mas eu estava falando da criação de cães nesse parágrafo, e, até onde eu sei, o usuário "Ricardo M" não é um.


OK. Como é uma analogia eu substituo o "cachorro insolente" para "humano insolente" ou o que você ache equivalente em humanos a um "cachorro insolente". Melhorou? Mas para que a analogia não seja falsa continua tendo que ser verdadeira a resposta à pergunta "Ricardo M você era espancado quando fazia cagada?" senão a sua afirmação, que é uma generalização, vai continuar sendo falsa.

Quanto à sua afirmação "essa impostura seja apenas uma manifestação de desonestidade intelectual ou incapacidade argumentativa/mental, ou talvez um pouco de ambas", eu realmente não percebi que era uma analogia mas como você prefere antes de qualquer coisa recorrer à desqualificação das pessoas que discordam de você eu vou ter que solicitar a moderação que avalie esse caso.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!