Autor Tópico: Bater nos filhos, pode?  (Lida 14698 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #50 Online: 24 de Janeiro de 2006, 16:02:24 »
Citação de: Karl Rove
Citação de: Marcelo Terra
Citação de: Karl Rove
Por mais que possa parecer uma falsa analogia para alguns, quem não espanca seus filhotes quando eles fazem cagada terão cachorros insolentes, e quem espanca o tempo todo, ou nos momentos errados, também.


Ricardo M você era espancado quando fazia cagada? Caso a resposta seja negativa então caberá ao forista acima citado PROVAR que o Ricardo M é ou foi um cachorro insolente.


Talvez não tenha ficado claro (embora eu ache que tenha, e que essa impostura seja apenas uma manifestação de desonestidade intelectual ou incapacidade argumentativa/mental, ou talvez um pouco de ambas), mas eu estava falando da criação de cães nesse parágrafo, e, até onde eu sei, o usuário "Ricardo M" não é um.


Ora, você ficou com vontade de demonstrar um pouco o seu conhecimento sobre cães e, inexplicavelmente, resolveu colocar um parágrafo solto no meio do texto tratando sobre isso?

Para mim, e acredito que para todos aqui, ficou clara a relação com o resto da mensagem, relacionando a educação dos cães com a dos humanos.

Aliás, acho um grande erro compara-las. Tratar pequenos humanos como pequenos cachorros, ora, relacionar a criação dos dois é absurdo. São óbvias as diferenças entre a capacidade de uma criança entender algo e a de um filhote animal. Crianças falam português, ou os seus respectivos idiomas, e entendem a diferença entre "não puxe essa toalha para os talheres não cairem" e "o telefone e a impressora são amigos do ventilador". Fico com pena dos seus filhos, se os pretender ter, Karl, se os tratar como cães.

E, sobre eu ter sido agredido, nunca fui, isso é fato. Talvez eu seja um cão insolente, ou um humano insolente, mas o fato é que, caso eu o seja mesmo, acredito que tapas não teriam resolvido essa situação. E acho que o Oceanos também seria um ótimo rapaz, tanto quanto é hoje, se não tivesse levado uns tapas. Isso é desnecessário, ao meu ver, quando se trata de humanos e não de cachorros.

Mas até que esse ponto é interessante, os animais agridem os seus filhotes em algum momento eu isso é exclusividade nossa?

Offline uiliníli

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 18.107
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #51 Online: 24 de Janeiro de 2006, 17:00:44 »
Citação de: Marcelo Terra
Como você pode discernir até onde são "apenas umas palmadas" e onde começa uma surra?


Não sou eu quem tenho que discernir, é a justiça. Palmada pedagógica pode, espancamento não pode.

Note que eu não estou defedendo a palmada, eu por mim não daria, mas não acho que seja caso de polícia. Eu já levei palmada quando moleque, mas nem por isso quero processar meus pais.

Offline Partiti

  • Conselheiros
  • Nível 29
  • *
  • Mensagens: 1.502
  • Sexo: Masculino
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #52 Online: 24 de Janeiro de 2006, 17:30:39 »
Citação de: Marcelo Terra
...


Citação de: Ricardo M
...


 :dedos:

Concordo com tudo que vocês disseram até agora, não acrescento nada. Um pai que fica impondo "palmadinhas" sempre que os filhos saem do controle acaba ficando dependente delas, e daí, quando o moleque tem 12 anos as palmadas não doem mais e perdem o efeito. Perde-se completamente o respeito pelos pais e qualquer influência que eles teriam na adolescência. Daí basta umas más companias que o adolecente vira um porra-loca.

Comigo foi igualzinho à isso, tirando a parte das mas companias, já que sempre fui nerd... :D  Meus pais, e especialmente a minha mãe sempre batiam em mim quando criança, algumas vezes eu tinha passado dos limites (apesar de não ser justificável), mas na grande maioria das vezes eu nem sabia direito do porque tava apanhando. E o pior é que eu sempre fui uma criança comportada, segundo até os meus pais, não endendo o porque eu devia apanhar tanto. Criança que não faz besteira com medo de surra dos pais vai fazer a mesma besteira quando não houver mais surras, simplismente porque não lhe foi ensinado o motivo pelo qual não fazer essa besteira.
"Trully, if there's evil in this world, it lies within the hearts of mankind" - Edward D. Morrison

Nigh†mare

  • Visitante
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #53 Online: 24 de Janeiro de 2006, 17:53:15 »
Citação de: Ricardo M
"Pode ter certeza"? Alguma prova? Algum estudo sobre isso? Ou sua opinião é só palpite, sem base nenhuma?

Não é precisa agredir para colocar limites. Pode-se conversar, antes de tudo. Se não funcionar e o desejo for punição, há outras opções que vão além da agressão.

Não me lembro de ter apanhado. Não me lembro de ter sido agredido em nenhum momento pelo meu pai. E nunca tive problemas com a polícia, ao contrário de outras pessoas que foram educadas na base do tapa.

E, além disso, crianças não são seres de completa idiotice. A agressão do pai, algumas vezes, é um sinal de que ele não se sente suficientemente preparado para fazer a criança agir como ele quer e resolve da pior maneira possível. Ele "desconta" a incompetência dele na criança.

Até mesmo uma cara de decepção do meu pai me fazia parar, e ele nunca precisou me agredir para ter esse respeito. Eu o respeitava por gostar muito dele e não gostar de vê-lo chateado comigo, não por medo de apanhar. Posso falar algo que vá deixar alguns magoados comigo, mas, para mim, pai que agride é pai que não é bom o suficiente para causar admiração no filho.

Concordo plenamente, inclusive com o final.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #54 Online: 24 de Janeiro de 2006, 17:57:34 »
Estou um pouco cansado, talvez eu não seja incisivo o suficiente:

Citação de: Marcelo Terra
Ele não vai aprender a distinguir o certo do errado ele vai aprender que não precisa ser responsável quando no final quem pagará por seus erros são os outros. NO EXEMPLO CITADO.

Ou seja, melhor deixar o filho achando que o mundo é dele?

Citação de: Marcelo Terra
Quem julga se o que está acontecendo é "apenas" um pai educando o filho ou se é um caso pra chamar a polícia? O pai agressor nunca vai achar que está errado ou estrapolou os limites.

Continua com teu reducionismo, "Deus existe? Sim ou não?". Não dá pra responder essa pergunda dessa forma. Eu defendo que palmadinhas para quando não há outra saída senão essa punição. Não defendo a agressão em casos que outra coisa pode ser feita ou por motivos banais(aposto 10 reais que você vai me perguntar o que é um motivo banal).

Citação de: Marcelo Terra
Torpe nada, quero esclarecimentos. Na prática como fica?

Esclarecimentos do que? Eu não concordo com aquilo que você disse. Nunca disse que concordava.
Tapinhas as vezes se demonstram necessários, espancamentos nunca se demonstram necessários. E pra esses casos, o pai deve ser punido severamente. Eu não defendo de que isso seja retirado do âmbito da lei, eu só acho que dar semblante de criminoso pra quem dá tapinha em crianças algo extremamente sem sentido.

Citação de: Marcelo Terra
Então sempre que alguém vir uma surra chama a polícia e o juiz vai avaliar esse caso-a-caso. O que não pode é dizer que ninguém nunca vai se meter na história.

Eu não disse isso, também não disse que todo caso-a-caso é caso de Juíz avaliar. Sinceramente, pra mim é auto-evidente a vasta linha que separa o "tapinha educativo" e o "espancamento covarde".

Citação de: Marcelo Terra
Evidência anedota.

Retire os exemplos e fique com o texto. Algumas crianças aprendem com a conversa, outras não.

Citação de: Marcelo Terra
Eu não estou reduzindo nada. Estou perguntando e ninguém responde. Não interessa qual seja a falha da criança a punição também tem limites. Tem um monte de gente dizendo que umas palmadas ou uma "boa surra" é diferente de um espancamento, EU QUERO SABER QUANDO DEIXA DE SER QUANDO DEIXA DE SER UM E PASSA A SER OUTRO PARA OS QUE FAZEM TAL DISTINÇÃO.

Você também não respondeu minhas perguntas, não respondeu se concorda com os métodos que citei. Não respondeu o que separa o conversar com uma criança da agressão verbal.

E vou entrar no seu joguinho então, um bom exemplo pouco pensado: A partir do momento que se deixa marcas na criança, ou que isso pode gerar um trauma, perda de respeito ou um dano para a criança maior que a dor.


Citação de: Marcelo Terra
Dependendo do que você chama de punição. Se forem punições físicas ou de rituais de humilhação eu digo que sim, é possível. E o que não for possível de ser resolvido assim não o será por meio algum. Restrição: isso só é possível através de uma educação que vem desde bebê. Não adianta querer começar a educar aos 10 anos de idade, por exemplo.

Defino punição como um castigo qualquer, diga se você concorda com algum tipo de castigo.
Não discordo de você, humilhar uma criança é a atitude mais imbecil, covarde e torpe que um pai pode ter.

Uma dúvida: Para uma criança que não foi bem educada até os 10 anos de idade, o que fazer?

Citação de: Marcelo Terra
Bem, inútil a discussão não é. Ela só não vai mudar nada na prática. Entendeu?

Dar tapinhas traumatizam? Sem a resposta dessa pergunta, não vejo a discussão como útil.

Ps. Não precisa capitalizar certas frases suas, é segredo, mas sei ler bem em letras minúsculas... :)

Nigh†mare

  • Visitante
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #55 Online: 24 de Janeiro de 2006, 18:11:29 »
Pleno século XXI e valores tão medievais e obsoletos continuam encravados na carne das pessoas.

Sai qualquer notícia sobre as chibatadas no oriente médio e fica todo mundo indignado...

A cada dia sou mais favorável à existência de cursos obrigatórios para pais.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #56 Online: 24 de Janeiro de 2006, 18:19:24 »
Citação de: Nigh†mare
Pleno século XXI e valores tão medievais e obsoletos continuam encravados na carne das pessoas.

Sai qualquer notícia sobre as chibatadas no oriente médio e fica todo mundo indignado...

Realmente, eu nunca vi diferença nenhuma entre dar um tapinha no filho que não aprende com a conversa e espancar um coitado até a morte com um chicote por ele ter feito a barba.

E viva a honestidade intelectual. Se continuar assim, me retiro desse tópico.

Citação de: Nigh†mare
A cada dia sou mais favorável à existência de cursos obrigatórios para pais.

Eu não discordo... :)

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #57 Online: 24 de Janeiro de 2006, 18:27:53 »
Citação de: Oceanos
Não mesmo, pensei que você tinha relacionado "ser criminoso" com "apanhar em casa". Mas acho que houve um entendimento equivocado de sua parte em relação ao post do daniel. Você sempre agiu como se sua casa fosse a casa da mãe Joana(espero que sua mãe não se chame assim.. :D ) ou com se o mundo fosse seu? Limites podem ser impostos sem tapas também em alguns casos. Algumas crianças obedecem, outras não.


Sim, sim. Depois ele respondeu e eu vi que eles estava se referindo a limites de maneira geral.

Citar
Você pode ser o melhor pai de todos, educar desde zigoto seu filho a fazer o certo e não o errado. Mas quem impede dele de ter más companias nas escolas? As vezes as coisas saem do controle, e ai só uns tapinhas resolvem.


Será que uns tapas realmente serão úteis para afastar a criança das más companhias? Será que, se houver uma boa educação sem agressão desde os primeiros anos, as coisas sairão do controle?

Não entendi, Oceanos, porque "uns tapinhas" fariam a criança deixar as más companhias e uma boa conversa, ou atitudes que não envolvem violência, não fariam.

Citar
Citação de: Ricardo M
Mas concorda que, muitas vezes, é algo que poderia ter sido evitado? Como no exemplo que você citou da menina. Eu não a conheço, não sei como foi educada, mas será que não aconteceram algumas falhas na educação no passado?

Sim, sem dúvida nenhuma houve. Mas não sei se tudo pudesse ter sido evitado. Ela sempre teve péssima compania.


E os tapas evitaram, de fato? Ela nunca recebeu uns quando era pequena?

Citar
Acho que concordamos então. Bater as vezes é necessário, mas pode e deve ser evitado na maioria das vezes.


Não, não acho que bater seja necessário. Nem as vezes. Acho que não faz diferença alguma. Talvez faça algum efeito depois de velho, pode mudar algo na hora, mas ao longo prazo não acho que existirão mudanças. A conversa e métodos que envolvam a participação da criança na dedução do que é certo e errado são muito mais efetivos, na minha opinião. Nunca tive filhos, mas observo, mesmo na minha família, tios por exemplo, as diferenças brutais entre pais com paciência com os seus filhos e pais esgotados pelo dia-a-dia que esquecem a sua missão de educar decentemente as crianças. Fazer uma delas se sentir sendo ouvida no motivos e conseqüencias dos seus atos é muito mais eficiente do que simplesmente bater. Acho que o método do "doi e não doi" é muito mais fácil de ser quebrado do que um método que envolva o filho no entendimento dos motivos pelos quais as suas atitudes estavam erradas. E, se isso não funcionar, e eu duvido que não funcione se acontecer desde os primeiros anos, não acho que tapas irão resolver. Talvez resolvam por uma semana, mas não vão educar a pessoa.

Em muitos casos, essas duas coisas acontecem juntas, tapas e conversas. Sem dúvida é muito melhor do que apenas tapas, mas acredito que se fossem só convesas os resultados seriam tão bons o quanto.

Só que, claro, para isso, conversar e convencer, é preciso uma boa dose de paciência dos pais e um maneira de "argumentar" mais desenvolvida com a criança. E, como sabemos, o "brasileiro médio" não sabe nem explicar por que votou em alguém, vai saber explicar para o filho por que jogar o lanche do amiguinho no chão é errado?

Sinceramente Oceanos, como eu disse antes, não conheço a sua realidade nem o seu passado, mas acho, e só posso achar porque não tenho grandes informações sobre o assunto, que você teria as mesmas qualidades que tem hoje se não tivesse recebido os tapas.

É o tipo de violência desnecessária, que dependendo do caso - e da gravidade - só afasta o filho dos pais. (Caso que provavelmente não é o seu.)

Só queria que observassem que "não bater" pode perfeitamente conviver com limites. E muito bem, obrigado.

Offline Marcelo Terra

  • Nível 32
  • *
  • Mensagens: 2.126
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #58 Online: 24 de Janeiro de 2006, 18:35:35 »
Citação de: Oceanos
Estou um pouco cansado, talvez eu não seja incisivo o suficiente:


Ou talvez você esteja olhando para o lado errado.

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Ele não vai aprender a distinguir o certo do errado ele vai aprender que não precisa ser responsável quando no final quem pagará por seus erros são os outros. NO EXEMPLO CITADO.

Ou seja, melhor deixar o filho achando que o mundo é dele?


Quem disse que uma criança acha que o mundo é dela apenas por que não apanha? Você está afirmando isso?

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Quem julga se o que está acontecendo é "apenas" um pai educando o filho ou se é um caso pra chamar a polícia? O pai agressor nunca vai achar que está errado ou estrapolou os limites.

Continua com teu reducionismo, "Deus existe? Sim ou não?".


Que comentário mais sem pé nem cabeça.

Citar
Não dá pra responder essa pergunda dessa forma. Eu defendo que palmadinhas para quando não há outra saída senão essa punição. Não defendo a agressão em casos que outra coisa pode ser feita ou por motivos banais(aposto 10 reais que você vai me perguntar o que é um motivo banal).


Perdeu dez reais. Quero saber a diferença entre educação e agressão. Entre um gesto educativo e um gesto de agressão. Um vizinho, um parente, um professor, alguém que presencie uma agressão, ou indícios de agressão no caso da escola, deve denunciar os pais? Sim ou não?

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Torpe nada, quero esclarecimentos. Na prática como fica?

Esclarecimentos do que? Eu não concordo com aquilo que você disse. Nunca disse que concordava.


Eu quero saber quando alguém pode tomar providências com relação às agressões de um pai contra um filho. Tá claro agora? Quando um vizinho, parente ou amigo pode denunciar uma agressão? Nunca? Deixa espancar o quanto quiser e se morrer aí alguém corre atrás? Acho que você não está sugerindo isso, é claro. Então onde está o limite entre um espancamento que deve ser denunciado e uma "boa surra" corretiva na qual ninguém precisa ou deve se meter? Entendeu?

Citar
Tapinhas as vezes se demonstram necessários, espancamentos nunca se demonstram necessários. E pra esses casos, o pai deve ser punido severamente. Eu não defendo de que isso seja retirado do âmbito da lei, eu só acho que dar semblante de criminoso pra quem dá tapinha em crianças algo extremamente sem sentido.


O pai só vai ser punido se for denunciado. Quem pode ou deve denunciar? E no que esse possível denunciante deve se basear para decidir se um pai está apenas "educando" seu filho ou o agredindo para então denunciá-lo?

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Então sempre que alguém vir uma surra chama a polícia e o juiz vai avaliar esse caso-a-caso. O que não pode é dizer que ninguém nunca vai se meter na história.

Eu não disse isso, também não disse que todo caso-a-caso é caso de Juíz avaliar. Sinceramente, pra mim é auto-evidente a vasta linha que separa o "tapinha educativo" e o "espancamento covarde".


Quando o juiz deve avaliar isso? Você não responde. Só fica falando que existe um limite mas não diz qual é ele. O meu vizinho bate no filho, no que eu devo me basear para decidir se devo denunciá-lo? Pode responder essa pergunta pra mim? No que eu devo basear minha decisão de denunciar ou não o meu vizinho? Frequencia das surras? Intensidade de cada pancada? Duração de cada surra?

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Eu não estou reduzindo nada. Estou perguntando e ninguém responde. Não interessa qual seja a falha da criança a punição também tem limites. Tem um monte de gente dizendo que umas palmadas ou uma "boa surra" é diferente de um espancamento, EU QUERO SABER QUANDO DEIXA DE SER QUANDO DEIXA DE SER UM E PASSA A SER OUTRO PARA OS QUE FAZEM TAL DISTINÇÃO.

Você também não respondeu minhas perguntas, não respondeu se concorda com os métodos que citei. Não respondeu o que separa o conversar com uma criança da agressão verbal.


Abra outro tópico para falar sobre isso, agora vai entrar numa de só responder uma pergunta que é assunto do tópico se alguém responder o desvio de assunto (que nesse caso é até pertinente)? Ninguém ainda respondeu a minha pergunta.

Citar
E vou entrar no seu joguinho então, um bom exemplo pouco pensado: A partir do momento que se deixa marcas na criança, ou que isso pode gerar um trauma, perda de respeito ou um dano para a criança maior que a dor.


A resposta disso aqui depende da resposta à pergunta sobre "Devo denunciar meu vizinho" acima, então vou deixar isso pra depois.

Citar
Citação de: Marcelo Terra
Dependendo do que você chama de punição. Se forem punições físicas ou de rituais de humilhação eu digo que sim, é possível. E o que não for possível de ser resolvido assim não o será por meio algum. Restrição: isso só é possível através de uma educação que vem desde bebê. Não adianta querer começar a educar aos 10 anos de idade, por exemplo.

Defino punição como um castigo qualquer, diga se você concorda com algum tipo de castigo.
Não discordo de você, humilhar uma criança é a atitude mais imbecil, covarde e torpe que um pai pode ter.


Surra de cinto é diferente?

Citar
Uma dúvida: Para uma criança que não foi bem educada até os 10 anos de idade, o que fazer?


Lamente.

Citar
Ps. Não precisa capitalizar certas frases suas, é segredo, mas sei ler bem em letras minúsculas... :)

Estava "frisando", se é que você me entende.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #59 Online: 24 de Janeiro de 2006, 18:36:25 »
Citação de: Oceanos
Citação de: Nigh†mare
Pleno século XXI e valores tão medievais e obsoletos continuam encravados na carne das pessoas.

Sai qualquer notícia sobre as chibatadas no oriente médio e fica todo mundo indignado...

Realmente, eu nunca vi diferença nenhuma entre dar um tapinha no filho que não aprende com a conversa e espancar um coitado até a morte com um chicote por ele ter feito a barba.

E viva a honestidade intelectual. Se continuar assim, me retiro desse tópico.


Não briguem, vai. Ficarmos nos acusando não vai levar a nada. Que o Nightmare explique quais semelhanças observa entre as coisas e que você diga quais as diferenças observa. Talvez eu seja ingênuo, mas não vejo motivos para alguém ficar com "desonestidade intelectual" em um fórum na internet onde ninguém ganha nada debatendo: excluindo-se o próprio crescimento intelectual.

Aliás, em alguns casos nem sabemos os nossos nomes, nem há muitos motivos relacionados ao ego para "ganhar" um debate sendo desonesto. E mesmo que soubessemos, seria muita infantilidade faze-lo.

(Mas o seu nome eu sei, Chiquinho!) :hihi:

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #60 Online: 24 de Janeiro de 2006, 22:17:29 »
Citação de: Ricardo M
Será que uns tapas realmente serão úteis para afastar a criança das más companhias? Será que, se houver uma boa educação sem agressão desde os primeiros anos, as coisas sairão do controle?

Não digo tapas para afastar o filho da má influencia, e sim para educa-lo caso algo ocorra de errado. Foi apenas um exemplo. Quis dizer que as coisas podem sair do controle.

Citar
E os tapas evitaram, de fato? Ela nunca recebeu uns quando era pequena?

Não, não apanhava. Ela teve uma péssima educação. E eu sinceramente acho que uns tapas na primeira cagada muito grande que ela tenha feito, poderia ter evitado o que aconteceu.


Citar
Não, não acho que bater seja necessário. Nem as vezes. Acho que não faz diferença alguma. Talvez faça algum efeito depois de velho, pode mudar algo na hora, mas ao longo prazo não acho que existirão mudanças. A conversa e métodos que envolvam a participação da criança na dedução do que é certo e errado são muito mais efetivos, na minha opinião. Nunca tive filhos, mas observo, mesmo na minha família, tios por exemplo, as diferenças brutais entre pais com paciência com os seus filhos e pais esgotados pelo dia-a-dia que esquecem a sua missão de educar decentemente as crianças.

Pois é... Tem gente que não deveria ter filho mesmo.

Citar
Fazer uma delas se sentir sendo ouvida no motivos e conseqüencias dos seus atos é muito mais eficiente do que simplesmente bater.

Mas nem sempre isso é possível.

Citar
Acho que o método do "doi e não doi" é muito mais fácil de ser quebrado do que um método que envolva o filho no entendimento dos motivos pelos quais as suas atitudes estavam erradas. E, se isso não funcionar, e eu duvido que não funcione se acontecer desde os primeiros anos, não acho que tapas irão resolver. Talvez resolvam por uma semana, mas não vão educar a pessoa.

Eu discordo, tapas educam sim. Ainda mais se vierem seguido de conversa. Bater sem dar nenhuma satisfação, num ato incontrolado e furioso não serve pra nada, mas se você explicar porque bateu, e mostrar pra criança que os atos dela tem consequências, ela com certeza vai aprender.

Citar
Só que, claro, para isso, conversar e convencer, é preciso uma boa dose de paciência dos pais e um maneira de "argumentar" mais desenvolvida com a criança. E, como sabemos, o "brasileiro médio" não sabe nem explicar por que votou em alguém, vai saber explicar para o filho por que jogar o lanche do amiguinho no chão é errado?

Concordo. :)
Como já disse(não que você tenha discordado), não acho que bater seja o único meio, só acho que isso as vezes seja inevitável. Acho que a grande maioria dos pais não sabem criar os filhos, sem dúvida alguma. Só vejo mals exemplos por aqui, crianças apanhando por nada, ou pais gritando com seus filhos porque seus filhos só pediram alguma coisa ou querem brincar ou chamar a atenção dos seus pais.

Citar
Sinceramente Oceanos, como eu disse antes, não conheço a sua realidade nem o seu passado, mas acho, e só posso achar porque não tenho grandes informações sobre o assunto, que você teria as mesmas qualidades que tem hoje se não tivesse recebido os tapas.

Olha, com certeza eu teria um maior sentimento de impunidade e seria muito mais 'folgado'.. :)

Citar
É o tipo de violência desnecessária, que dependendo do caso - e da gravidade - só afasta o filho dos pais. (Caso que provavelmente não é o seu.)

Concordo.

Citar
Só queria que observassem que "não bater" pode perfeitamente conviver com limites. E muito bem, obrigado.

Eu ainda discordo. Você pode dar limites com o "não bater" e a criança segui-lo. Mas caso ela ultrapasse a linha, ela merece ser castigada.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #61 Online: 24 de Janeiro de 2006, 22:34:49 »
Citação de: Marcelo Terra
Ou talvez você esteja olhando para o lado errado.

Oh poderosa retórica, abraçai-me na tua glória.

Citar
Quem disse que uma criança acha que o mundo é dela apenas por que não apanha? Você está afirmando isso?

Marcelo, releia o caso citado e tire novamente suas conclusões. Eu não afirmei isso.

Citar
Que comentário mais sem pé nem cabeça.

Como disse, estava cansado..  :D
O que eu tentei demonstrar é que você quer deixar todo o caso em uma simples pergunta e tirar uma conclusão a partir dela, o que não é possível.

Citar
Perdeu dez reais. Quero saber a diferença entre educação e agressão. Entre um gesto educativo e um gesto de agressão. Um vizinho, um parente, um professor, alguém que presencie uma agressão, ou indícios de agressão no caso da escola, deve denunciar os pais? Sim ou não?

Vou apostar mais, me poupa ter que explicar muita coisa.

Sim, se lhe parecer uma agressão física(e não uns tapinhas porque o filho fez algo errado, por exemplo), com certeza deve denunciar pra polícia.

Citar
Eu quero saber quando alguém pode tomar providências com relação às agressões de um pai contra um filho. Tá claro agora? Quando um vizinho, parente ou amigo pode denunciar uma agressão? Nunca? Deixa espancar o quanto quiser e se morrer aí alguém corre atrás? Acho que você não está sugerindo isso, é claro. Então onde está o limite entre um espancamento que deve ser denunciado e uma "boa surra" corretiva na qual ninguém precisa ou deve se meter? Entendeu?

Já respondido.
Só um adendo: Quando o caso demonstrar dubiedade entre educação e agressão, que se chame a polícia.

Citar
E no que esse possível denunciante deve se basear para decidir se um pai está apenas "educando" seu filho ou o agredindo para então denunciá-lo?

Hum... Que tal bom-senso?

Citar
Quando o juiz deve avaliar isso? Você não responde. Só fica falando que existe um limite mas não diz qual é ele.

Marcelo, eu já dei um exemplo de qual pode ser o limite. Leia atentamente a discussão e pare de falar na sua questão-milagrosa-que-acabaria-com-a-discussão-que-nós-defensores-da-violência-gratuita-teimamos-em-não-responder.

Citar
Abra outro tópico para falar sobre isso, agora vai entrar numa de só responder uma pergunta que é assunto do tópico se alguém responder o desvio de assunto (que nesse caso é até pertinente)? Ninguém ainda respondeu a minha pergunta.

Não. Aquelas perguntas são de muita importância para a questão. Você acha que uma criança pode ser educada sem punições? Se não, como definir qual punição ela deve receber?

Citar
Surra de cinto é diferente?

Depende. Uma surra de sinto não deveria nunca ser executada, mas, caso seja, cabe saber muitas variáveis antes de se tirar uma conclusão.

Citar
Lamente.

E aos 18 anos você expulsa seu filho de casa? Ou deixa ele fazer o que quiser na mesma?

Citar
Estava "frisando", se é que você me entende.

;)

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #62 Online: 24 de Janeiro de 2006, 22:37:32 »
Citação de: Ricardo M
... e que você diga quais as diferenças observa.

Pra mim é auto-evidente.

Citação de: Ricardo M
(Mas o seu nome eu sei, Chiquinho!) :hihi:

|(

Me recuso a discutir com você, seu desonesto, mentiroso, assassino e comedor de criancinhas marxista. :P Aliás, vocês comunistas comem criancinhas e agora vem com este papinho defendendo que elas não podem apanhar... tsc tsc... :P

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #63 Online: 25 de Janeiro de 2006, 11:12:47 »
E pq nw substituir a palmada na bunda por um dia sem tv?No que uma palmada é melhor que isso?Isso tb mostra que os atos tem consequencia....... Nw vejo pq bater se existem outras formas...
Bater nw é educação é adestração........ aliás nem em cachorro se bate pra adestrar.....
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Bater nos filhos, pode?
« Resposta #64 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 15:39:38 »
Pensando melhor, mudei um pouco de idéia.

A lei está correta. Como o Marcelo disse, creio que a maioria dos pais que agridem os filhos são os pais que não conseguem educa-los de forma correta, que não conseguem dialogar e/ou argumentar satisfatóriamente. Enfim, embora eu ainda ache que uns tapinhas em casos extremos podem ajudar, também acho que casos extremos podem ser evitados com dialogo e educação, e caso não forem evitados (mas certamente serão se o dialogo for empregado de forma correta), é quase certo que outros castigos podem ser usados e podem produzir resultados iguais ou melhores que a agressão.

:)

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #65 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 15:43:34 »
:clap:

Offline Alenônimo

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.545
  • Sexo: Masculino
    • Alenônimo.com.br
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #66 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 15:45:26 »
Eu apóio castigos físicos nas crianças. Mas se espancar também, tem mais é que ser preso!

Mas peralá… Isso já não é feito?

Então que diabos estão fazendo mais leis? Para aumentar o tamanho do Código Penal?
“A ciência não explica tudo. A religião não explica nada.”

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #67 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 15:49:05 »
Não, para não permitir castigos físicos. Se gosta de bater nos outros que vá para uma academia de boxe e tente acertar alguém que possa se defender e reagir, não uma criança.

Offline Oceanos

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.924
  • Sexo: Masculino
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #68 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 15:56:15 »
Citação de: Ricardo M
Não, para não permitir castigos físicos. Se gosta de bater nos outros que vá para uma academia de boxe e tente acertar alguém que possa se defender e reagir, não uma criança.

Realmente. Agredir o incapaz é sempre tentador para o mais forte. E nem sempre a agressão é justa. As vezes a agredir o filho pode se fazer a máscara do pai, que agride por estar errado e não conseguir/querer compreender isso.

Um castigo de uma semana sem televisão pode ser anulado depois de 2 horas, quando os animos esfriarem. Uma agressão não.

Rhyan

  • Visitante
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #69 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 17:02:32 »
Sei não, se tivesse tomado uma porrada na cara na 1ª vez que falei torto com a minha mãe eu não falaria com ela assim até hoje.

Mãe: Bom dia!
Rhyan: Bom dia é o cacete!

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #70 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 17:51:31 »
Citação de: Nigh†mare
Citação de: Ricardo M
"Pode ter certeza"? Alguma prova? Algum estudo sobre isso? Ou sua opinião é só palpite, sem base nenhuma?

Não é precisa agredir para colocar limites. Pode-se conversar, antes de tudo. Se não funcionar e o desejo for punição, há outras opções que vão além da agressão.

Não me lembro de ter apanhado. Não me lembro de ter sido agredido em nenhum momento pelo meu pai. E nunca tive problemas com a polícia, ao contrário de outras pessoas que foram educadas na base do tapa.

E, além disso, crianças não são seres de completa idiotice. A agressão do pai, algumas vezes, é um sinal de que ele não se sente suficientemente preparado para fazer a criança agir como ele quer e resolve da pior maneira possível. Ele "desconta" a incompetência dele na criança.

Até mesmo uma cara de decepção do meu pai me fazia parar, e ele nunca precisou me agredir para ter esse respeito. Eu o respeitava por gostar muito dele e não gostar de vê-lo chateado comigo, não por medo de apanhar. Posso falar algo que vá deixar alguns magoados comigo, mas, para mim, pai que agride é pai que não é bom o suficiente para causar admiração no filho.

Concordo plenamente, inclusive com o final.


Somos dois.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline n/a

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 6.699
Re: Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #71 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 18:02:12 »
Citação de: Rhyan
Sei não, se tivesse tomado uma porrada na cara na 1ª vez que falei torto com a minha mãe eu não falaria com ela assim até hoje.

Mãe: Bom dia!
Rhyan: Bom dia é o cacete!


E por que fala assim?

Rhyan

  • Visitante
Re.: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #72 Online: 05 de Fevereiro de 2006, 20:36:13 »
Acostumei.

Offline Barata Tenno

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 16.283
  • Sexo: Masculino
  • Dura Lex Sed Lex !
Re: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #73 Online: 06 de Fevereiro de 2006, 10:42:59 »
Se em vez de te bater ela tivesse te deixado uma semana sem tv o efeito teria sido melhor que o tapa
He who fights with monsters should look to it that he himself does not become a monster. And when you gaze long into an abyss the abyss also gazes into you. Friedrich Nietzsche

Claudinha

  • Visitante
Re: Bater nos filhos, pode?
« Resposta #74 Online: 06 de Fevereiro de 2006, 11:33:28 »
alguem ja assistiu a série Supernanny???

eu nunca levei um tapa e pensava q o caso da minha mae era raro, pq minha tias e tios educaram batendo, mas vi nessa série q a babá nao apoia os tapas, mas ela corrige com castigos e tal, cada desobediencia da criança tem um resultado q é um brinquedo tirado e o castigo numa sala q ela chama de sala da reflexão, até hoje os casos ssao selecionados.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!