Autor Tópico: Guerra do Vietnã  (Lida 12325 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Nigh†mare

  • Visitante
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #25 Online: 18 de Junho de 2006, 20:29:34 »
Alguns que participaram da guerra do Vietnã, ainda perambulam a cidade perturbados.
O matemático inglês Charles Babbage é conhecido como o "Pai do Computador". Projetou uma máquina que chamou de "Calculador Analítico", com conceitos muito próximos da concepção dos computadores atuais.
Hradec Králové (tcheco: Královéhradecký kraj) é uma região da República Tcheca. Sua capital é a cidade de Hradec Králové.
Tergiversação é o crime cometido pelo advogado que patrocina duas causas opostas simultaneamente, está previsto no artigo 355 do Código Penal e estabelece penas de seis meses a três anos de detenção a quem o comete.

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #26 Online: 18 de Junho de 2006, 20:31:37 »
Alguns que participaram da guerra do Vietnã, ainda perambulam a cidade perturbados.
O matemático inglês Charles Babbage é conhecido como o "Pai do Computador". Projetou uma máquina que chamou de "Calculador Analítico", com conceitos muito próximos da concepção dos computadores atuais.
Hradec Králové (tcheco: Královéhradecký kraj) é uma região da República Tcheca. Sua capital é a cidade de Hradec Králové.
Tergiversação é o crime cometido pelo advogado que patrocina duas causas opostas simultaneamente, está previsto no artigo 355 do Código Penal e estabelece penas de seis meses a três anos de detenção a quem o comete.

a cervejaria itaipava pertence ao ex-dono da cervejaria bohemia, que foi vendida pra antartica. por isso a cerveja itaipava, apesar do preço baixo, não é muito ruim.
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Josilene

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 730
  • Sexo: Feminino
  • "Adoro tudo o que eu não conheço."
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #27 Online: 28 de Junho de 2006, 10:43:03 »
Não fumei nada. Faço parte da geração saude. Enquanto ao Floko, realmente acredito que situações podem e devem ser resolvidas com diplomacia. Você acha lindo o que está acontecendo no Iraque, pessoa morrem lá diariamente, você viu o que aconteceu em São Paulo, morrendo 30 por dia? lá morre diariamente. Você julga que desejo um mundo feliz sem guerra, mas com diplomacia, é verdade desejo, se você acho ridiculo, isso não é mais meu problema.
"Adoro tudo que eu não conheço."

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #28 Online: 28 de Junho de 2006, 11:04:18 »
Não fumei nada. Faço parte da geração saude. Enquanto ao Floko, realmente acredito que situações podem e devem ser resolvidas com diplomacia. Você acha lindo o que está acontecendo no Iraque, pessoa morrem lá diariamente, você viu o que aconteceu em São Paulo, morrendo 30 por dia? lá morre diariamente. Você julga que desejo um mundo feliz sem guerra, mas com diplomacia, é verdade desejo, se você acho ridiculo, isso não é mais meu problema.

Eu acho realmente ridículo você acreditar que quando um não quer, dois não brigam.

Se eu acho lindo ver pessoas morrendo? Eu não. Para mim, guerra é um ato extremamente estúpido. Mas realmente é viver num contod e fadas acreditar que apenas por conversar você vai evitar uma guerra.

Acha mesmo que os iraquianos queriam estar sendo invadidos pelos EUA? Com certeza preferiam ser torturados pelo Sadam, que pelo menos era de casa. Mas o Bush quer levar a liberdade, ops, quero dizer, quer as rezervas de petróleo do país. Um quer e dois brigam. A não ser que você prefira ficar só apanhando.

Offline Josilene

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 730
  • Sexo: Feminino
  • "Adoro tudo o que eu não conheço."
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #29 Online: 28 de Junho de 2006, 11:09:08 »
Como você é.......
O mundo é dominado pelos que pode, essa é a realidade, mas eu não iria para guerra, matar inocêntes, o Lula poderia ter invadido a Bolivia mas não o fez preferiu a diplomacia, isso deveria ser feito mais vezes, ao inves de massacrar um povo já sofrido! Já assistiu num filme de guerra com fatos veridicos?
"Adoro tudo que eu não conheço."

Offline CoqueiroVermelho

  • Nível 18
  • *
  • Mensagens: 508
  • Camarada Stalin
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #30 Online: 28 de Junho de 2006, 12:06:26 »
Como você é.......
O mundo é dominado pelos que pode, essa é a realidade, mas eu não iria para guerra, matar inocêntes, o Lula poderia ter invadido a Bolivia mas não o fez preferiu a diplomacia, isso deveria ser feito mais vezes, ao inves de massacrar um povo já sofrido! Já assistiu num filme de guerra com fatos veridicos?
Só para constatar os EUA poderiam ter invadido cuba, mais, por livre e espontânea pressão da união soviética resolveram só embarga (a diplomacia feita a misseis nucleares que coisa bonita ne? :histeria: :histeria:), no caso da Bolívia o Lula fez a coisa mais sensata ao meu ver.
...

Offline Josilene

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 730
  • Sexo: Feminino
  • "Adoro tudo o que eu não conheço."
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #31 Online: 28 de Junho de 2006, 12:09:14 »
Foi sensato, todos deveriam fazer isso.
"Adoro tudo que eu não conheço."

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #32 Online: 28 de Junho de 2006, 14:37:38 »
Como você é.......
O mundo é dominado pelos que pode, essa é a realidade, mas eu não iria para guerra, matar inocêntes, o Lula poderia ter invadido a Bolivia mas não o fez preferiu a diplomacia, isso deveria ser feito mais vezes, ao inves de massacrar um povo já sofrido! Já assistiu num filme de guerra com fatos veridicos?

Achei o lula um tremendo bundão no caso da Bolívia. Não digo que o caso fosse de invadir o país. Mas deveria pelo menos ter feito mais pressão, ameaçado. Fica fácil de usar o Brasil desse jeito.

Offline Nightstalker

  • Nível 37
  • *
  • Mensagens: 3.354
  • Sexo: Masculino
  • Suae quisque fortunae faber est
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #33 Online: 01 de Julho de 2006, 20:24:07 »
São bonecos comandados pelo governo.

Errado!

São homens que arriscam as suas vidas por ideais.

Homens com honra.
Conselheiro do Fórum Realidade.

"Sunrise in Sodoma, people wake with the fear in their eyes.
There's no time to run because the Lord is casting fire in the sky.
When you make sin, hope you realize all the sinners gotta die.
Sunrise in Sodoma, all the people see the Truth and Final Light."

ukrainian

  • Visitante
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #34 Online: 03 de Julho de 2006, 11:46:37 »
Alguns que participaram da guerra do Vietnã, ainda perambulam a cidade perturbados.
O matemático inglês Charles Babbage é conhecido como o "Pai do Computador". Projetou uma máquina que chamou de "Calculador Analítico", com conceitos muito próximos da concepção dos computadores atuais.
Hradec Králové (tcheco: Královéhradecký kraj) é uma região da República Tcheca. Sua capital é a cidade de Hradec Králové.
Tergiversação é o crime cometido pelo advogado que patrocina duas causas opostas simultaneamente, está previsto no artigo 355 do Código Penal e estabelece penas de seis meses a três anos de detenção a quem o comete.

Microcalamus é um género botânico pertencente à família Poaceae.

Ora pois...
« Última modificação: 03 de Julho de 2006, 11:50:50 por Ukrainian »

Offline Latorre

  • Nível 12
  • *
  • Mensagens: 249
    • http://www.perineo.cjb.net
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #35 Online: 04 de Julho de 2006, 17:22:09 »
Barbaridade... Mais de 500 posts???
"If a man will begin in certainties, he shall end in doubts. But if he will be content to begin in doubts, he shall end in certainties." (Francis Bacon)

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #36 Online: 05 de Julho de 2006, 03:32:35 »
Barbaridade... Mais de 500 posts???

Não entendi velho.

Rhyan

  • Visitante
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #37 Online: 05 de Julho de 2006, 08:11:01 »
:histeria:

O nome do tópico deveria ser:
Poste na brisa _\|/_!!!111

Não entendi velho.

Ela tem mais de 500 posts.

Offline Floko

  • Nível 20
  • *
  • Mensagens: 663
  • Sexo: Masculino
  • I'll be back!
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #38 Online: 05 de Julho de 2006, 09:48:28 »
:histeria:

O nome do tópico deveria ser:
Poste na brisa _\|/_!!!111

Não entendi velho.

Ela tem mais de 500 posts.

:biglol:

Saquei.

Offline Leafar

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.806
  • Sexo: Masculino
    • Convicção Espírita
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #39 Online: 05 de Julho de 2006, 14:41:21 »
Os EUA se envolveram usando mentiras (como sempre) historicamente comprovadas.
Alegaram que embarcações suas foram atacadas em águas internacionais.
Oficiais norte-americanos confessaram que foi tudo armação.

O envolvimento dos EUA no conflicto teve como pretexto um ataque norte-vietnamita aos seus navios USS Maddox e USS C.Turney Joy enquanto patrulhavam o golfo de Tonquim, em Julho de 1964. Hoje em dia sabe-se que o ataque foi uma farsa do governo estado-unidense para ter um pretexto de intervir no Vietnã.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_do_Vietnam
Quem tiver curiosidade, assista ao documentário "Sob a Névoa da Guerra" (The Fog of War) - 2003.  Esse documentário fala da Guerra no Japão, na crise dos mísseis de Cuba, e na guerra do Vietnã, inclusive citando o caso acima (como um infeliz mal-entendido, e não uma armação).  É narrado pelo ex-secretário de defesa norte-americano de 1960 a 1967, Robert S. McNamarra.  Eu gostei tanto que até comprei o documentário.  Andou passando há algum tempo na HBO e pode ser que seja exibido novamente.

São bonecos comandados pelo governo.

Errado!

São homens que arriscam as suas vidas por ideais.

Homens com honra.

Concordo!!!  Entretanto, como todas as instituições, também as forças armadas têm a sua banda podre.  Mas por causa de algumas maçãs podres não devemos condenar o barril.

Um abraço a todos.
« Última modificação: 05 de Julho de 2006, 14:45:41 por leafar »
"Ide com a onda que nos arrasta; necessitamos do movimento, que é vida, ao passo que vós nos apresentais a imobilidade, que é a morte.... Queremos lançar-nos à vida, porquanto os séculos vindouros, que divisamos, têm horror à morte." (Obras Póstumas - Allan Kardec).

visite: http://conviccao-espirita.blogspot.com/2013/08/apresentacao-deste-blog.html

Offline Josilene

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 730
  • Sexo: Feminino
  • "Adoro tudo o que eu não conheço."
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #40 Online: 05 de Julho de 2006, 14:44:05 »
São bonecos comandados pelo governo.

Errado!

São homens que arriscam as suas vidas por ideais.

Homens com honra.

Quem te disse que acansamos ideias, matando? Acho que vocês jogaram video game demais.
"Adoro tudo que eu não conheço."

Offline Diegojaf

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 24.133
  • Sexo: Masculino
  • Bu...
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #41 Online: 05 de Julho de 2006, 16:40:02 »
Quem te disse que acansamos ideias, matando? Acho que vocês jogaram video game demais.

E acho que você está assistindo a ursinhos carinhosos demais...
"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto." - Rui Barbosa

http://umzumbipordia.blogspot.com - Porque a natureza te odeia e a epidemia zumbi é só a cereja no topo do delicioso sundae de horror que é a vida.

Offline Josilene

  • Nível 21
  • *
  • Mensagens: 730
  • Sexo: Feminino
  • "Adoro tudo o que eu não conheço."
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #42 Online: 08 de Julho de 2006, 11:34:20 »
Não gosto muito de desenhos fofinhos...
"Adoro tudo que eu não conheço."

Offline CoqueiroVermelho

  • Nível 18
  • *
  • Mensagens: 508
  • Camarada Stalin
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #43 Online: 08 de Julho de 2006, 13:20:46 »
Citar
(como um infeliz mal-entendido, e não uma armação).  É narrado pelo ex-secretário de defesa norte-americano de 1960 a 1967, Robert S. McNamarra.
Mal-entendido? Sei daqui a 30 anos vão falar o mesmo do Iraque, o cara era secretario da defesa era esperado que ele encobrisse a farsa.
...

Offline Leafar

  • Nível 30
  • *
  • Mensagens: 1.806
  • Sexo: Masculino
    • Convicção Espírita
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #44 Online: 08 de Julho de 2006, 21:51:42 »
Citar
(como um infeliz mal-entendido, e não uma armação). É narrado pelo ex-secretário de defesa norte-americano de 1960 a 1967, Robert S. McNamarra.
Mal-entendido? Sei daqui a 30 anos vão falar o mesmo do Iraque, o cara era secretario da defesa era esperado que ele encobrisse a farsa.
Vejam bem, meus amigos:  Quando indiquei o documentário, talvez tenha passado a impressão de que afirmei que os relatos do Sr. McNamarra fossem a expressão da verdade.  Na realidade são só versões de um dos lados da história.  Qualquer um que deseje fazer uma análise imparcial dos fatos deve sempre procurar ouvir todos os lados envolvidos nas questões.  Esse documentário é narrado por uma pessoa que foi uma das cabeças americanas que decidiam as questões de guerra e, portanto, é um depoimento válido na análise dos fatos.  Para quem gosta de história é um ótimo filme para adquirir.  Acho que também é possível alugar em locadoras.

Nos links abaixo seguem algumas críticas ao filme:

http://www.bonequinhocego.com.br/index.php?p=22&more=1&c=1
http://www.contracampo.com.br/58/fogofwar.htm
http://www.terra.com.br/istoe/1798/artes/1798_estrategista_do_vietna.htm

Um abraço a todos.
"Ide com a onda que nos arrasta; necessitamos do movimento, que é vida, ao passo que vós nos apresentais a imobilidade, que é a morte.... Queremos lançar-nos à vida, porquanto os séculos vindouros, que divisamos, têm horror à morte." (Obras Póstumas - Allan Kardec).

visite: http://conviccao-espirita.blogspot.com/2013/08/apresentacao-deste-blog.html

Offline Rodion

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.871
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #45 Online: 09 de Julho de 2006, 00:24:03 »
eu gostei do documentário, aluguei em locadora mesmo...
"Notai, vós homens de ação orgulhosos, não sois senão os instrumentos inconscientes dos homens de pensamento, que na quietude humilde traçaram freqüentemente vossos planos de ação mais definidos." heinrich heine

Offline Unknown

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.324
  • Sexo: Masculino
  • Sem humor para piada ruim, repetida ou previsível
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #46 Online: 03 de Março de 2011, 10:35:44 »
Fotos feitas por soldados revelam lado pouco conhecido da Guerra do Vietnã

Álbuns de fotos criados por veteranos da guerra do Vietnã na internet revelam detalhes do cotidiano dos soldados americanos e sua convivência com a população local, e trazem novos recursos para relembrar e compreender um dos mais sangrentos conflitos militares dos últimos 50 anos.

O arquivo foi criado espontaneamente nos últimos anos em um dos sites mais populares de publicação de fotografias, o Flickr. Os autores e distribuidores das imagens são veteranos da guerra, em sua maioria aposentados, que usam o tempo livre para contar a história do que viveram em imagens.

Daniel Love é um dos veteranos cujas fotos são mais populares nos grupos dedicados inteiramente às imagens da guerra, que ocorreu entre 1955 e 1975.

Love, que esteve no Vietnã entre 1969 e 1970, diz que foi convencido a publicar as fotos por um colega de trabalho 15 anos mais novo. Ele diz que se surpreendeu com o interesse que elas despertaram na internet.

"Eu publiquei uma foto que tirei de um helicóptero e ela teve mais de 1800 visualizações. Aí comecei a colocar outras. Quem poderia imaginar que haveria tanto interesse no dia-a-dia de um soldado no Vietnã?", diz.

Para o veterano, as memórias evocadas pelas fotos são "muito poderosas".

"Me lembro do estresse e, ao mesmo tempo, da atitude alegre e despreocupada daquelas pessoas, que podiam morrer a qualquer momento."

O historiador americano Andrew Wiest, que publicou seis livros sobre a Guerra do Vietnã, diz que a necessidade de compartilhar suas histórias de guerra à medida que envelhecem é comum a todas as gerações de soldados veteranos.

No entanto, os que lutaram no Vietnã tiveram à sua disposição a primeira geração de câmeras fotográficas realmente fáceis de usar. Por isso, o cotidiano desta guerra é um dos mais bem documentados da História.

"A fotografia foi um grande hobby entre os soldados da época. Muitos deles perceberam que estavam participando do que seria o maior evento de suas vidas, e podiam registrar isso em filme de maneira fácil e barata", diz Wiest.

Documento

O historiador Ronald Frankum, ex-diretor de um dos maiores arquivos de fotografias e relatos do Vietnã, na Universidade Tecnológica do Texas, diz que a importância da publicação das imagens em sites abertos está em permitir que mais pessoas discutam e conheçam os bastidores da guerra.

"Os veteranos do Vietnã sempre publicaram livros aos montes. Mas agora eles tem a oportunidade de compartilhar essas imagens com outros e comentá-las em um formato acessível a milhões", diz.

"Nossa compreensão da guerra agora, de todas as perspectivas, será muito mais rica do que a que temos de outros conflitos."

Andrew Wiest acredita que as fotos amadoras na internet são um documento mais preciso do que os livros mais famosos sobre o Vietnã, cujo foco está nos grandes eventos da guerra.

"Os livros de fotos têm espaço limitado, então se atem às grandes batalhas em detrimento das coisas menores. Mas para a maioria dos soldados, o período da guerra foi marcado por tédio, marchas, burocracia - a vida militar."

"O que esses álbuns de internet fazem é usar mais tempo para documentar o que a maioria dos soldados realmente viveu no Vietnã, incluindo os momentos bons e engraçados", diz o historiador.

Lance Nix, que serviu entre 1968 e 1969, esperou muito anos pelo momento de publicar as fotos. "Sabia que elas tinham valor histórico, mas nunca tive tempo. Quando me aposentei, descobri a internet", diz.

O veterano diz que o processo de escanear as antigas fotos para a publicação digital fez com que ele lembrasse em detalhes mais vívidos as experiências que viveu no país asiático. Mas a principal surpresa foi as respostas que recebeu das pessoas que viram as imagens no site.

"Tive uma resposta muito grande de outros soldados, incluindo alguns que estavam baseados perto de onde eu estava e filhos de soldados com quem eu servi. Vietnamitas que viviam na cidade de My Tho, onde eu estava, comentavam que reconheciam seus antigos vizinhos nas fotos."

Nix chegou a receber até mesmo e-mails de atuais habitantes de My Tho, no sul do país, com imagens dos mesmos lugares que ele fotografou como estão hoje.

Quando soldado, ele trabalhava em uma operação confidencial de inteligência, fora das bases militares da região. Por isso, suas fotos mostram mais o cotidiano dos moradores da cidade.

"O trabalho que eu fazia no Vietnã era interessante porque me permitiu viajar pelo Vietnã e ver muitos aspectos diferentes da guerra. Tive sorte", diz Nix.

Cotidiano

O professor aposentado Louis Galanos, que serviu no Vietnã entre 1966 e 1967 e passou um ano e meio no hospital militar tratando ferimentos de guerra, é um dos poucos a mostrar também imagens de vietcongues mortos ou capturados pelo Exército americano.

"Algumas pessoas não gostam, mas outras entendem que isso é parte da História. Eu mostrava estas fotos para meus estudantes e eles recebiam muito bem."

O veterano acredita que falar sobre a guerra e mostrar as fotos o ajudou a superar os traumas da experiência.

Em suas fotografias, é possível ver desde prostitutas vietnamitas nas ruas até shows apresentados para os soldados durante a guerra. Nas legendas, ele explica detalhadamente como eram as relações dos soldados com as mulheres locais e como funcionava o mercado negro no Vietnã.

"Alguns soldados trocavam cigarros americanos pela maconha local. Eles levavam pacotes de cigarro para a cidade, trocavam o tabaco por cigarros de maconha e fechavam os pacotes para revendê-los a outros soldados, que poderiam enviá-los para amigos nos Estados Unidos.

Segundo Galanos, era comum que os soldados torturassem os vietcongues capturados para conseguir informações. "Eles batiam, ameaçavam cortar partes do corpo, queimavam seus corpos com cigarros, os afogavam em água, etc. Mas a maioria dos vietcongues eram jovens recrutados à força para lutar contra nós."

As jovens nativas que trabalhavam como empregadas domésticas nas bases também aparecem nas imagens de muitos dos fotógrafos amadores.

"A maioria delas eram garotas católicas, que jamais saíram com os soldados. Suas famílias as deixavam trabalhar porque, em um mês, elas ganhavam mais do que um capitão do Exército vietnamita", conta Galanos.

Para Ronald Frankum, as fotografias de muitos soldados mostram interesse e compaixão pelos vietnamitas, além de serem um documento sobre o impacto da presença americana no Vietnã.

"As fotos das mulheres que trabalhavam como prostitutas ou como domésticas dos soldados para sustentar suas famílias mostram como a presença americana foi significante para aquelas pessoas. As crianças também costumavam perambular pelas bases procurando coisas jogadas fora para vender. Uma indústria foi criada com base no lixo americano", diz Frankum.

Rejeição

Segundo os especialistas, a rejeição sofrida quando retornaram do Vietnã é um dos motivos pelos quais mostrar as imagens para o maior número de pessoas possível se tornou importante para os veteranos.

"Estes soldados não foram bem recebidos pelo país, especialmente porque não havia vitória para celebrar", diz Andrew Wiest. "Houve, na verdade, um esforço nacional para esquecer os veteranos do Vietnã até os anos 1980."

Por causa disso, os ex-combatentes de uma das guerras mais polêmicas da História dos Estados Unidos querem garantir que suas versões da história sejam contadas.

"Eles provavelmente começaram a sentir, ao se aposentarem, que a oportunidade de contar o que viveram estava sendo desperdiçada", analisa Ronald Frankum.

Para ele, tirar as fotos antigas dos armários e publicá-las ofereceu aos soldados uma oportunidade de relembrar os bons momentos.

"As imagens mostram que os homens que estavam tirando as fotos eram na verdade meninos. Muitos deles estavam fora do seu país pela primeira vez."

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/01/110105_galeria_vietna_veteranos_cc.shtml


GALERIA DE FOTOS: A VIDA NA GUERRA DO VIETNÃ


Soldados veteranos do Vietnã publicam suas fotografias da guerra na internet. Esta imagem foi feita de dentro de um helicóptero do Exército, que levava soldados para o show do comediante Bob Hope, em uma base militar. Foto: Daniel E. Love


Algumas das imagens mais comuns entre os fotógrafos amadores são de clubes como este, dos oficiais do Exército. Grupos asiáticos de rock das Filipinas faziam apresentações para entreter os soldados. Foto: Daniel E. Love


Os veteranos contam que as crianças nativas frequentemente pediam aos soldados doces, dinheiro ou cigarros, que serviam para diminuir a fome. Na foto, um menino vietnamita fuma um cigarro que ganhou de um soldado. Foto: Daniel E. Love


Na foto, duas adolescentes que trabalhavam como empregadas domésticas para os militares americanos aproveitam o domingo de folga. Elas ganhavam cerca de US$ 10 por semana, para lavar roupas e limpar os alojamentos. Foto: Louis Galanos


Uma menina menor de idade trabalha como prostituta em Qui Nhon, no centro do país. Segundo o fotógrafo Louis Galanos, elas se vestiam com roupas ocidentais para ser mais atraentes aos americanos. Foto: Louis Galanos


Nos arredores de algumas bases militares era comum encontrar crianças brincando. Na foto, meninos em frente a um depósito de carcaças de artilharia já utilizadas, que eram levadas volta aos Estados Unidos para serem transformadas novamente em munição. Foto: Louis Galanos


Vietcongues capturados no delta do rio Mekong, enquanto atravessavam um campo aberto de arroz. Foto: Louis Galanos


Dois vietcongues capturados, de capuz, são levados para um interrogatório. Foto: Louis Galanos


Um capitão e um sargento do Exército tomam sol no teto de uma casa que servia de base para operações de inteligência em My Tho, no sul do país. Foto: Lance V. Nix


Meninos apontam uma arma de brinquedo para o fotógrafo em uma rua de My Tho. Foto: Lance V. Nix


Para especialistas na guerra do Vietnã, as diferenças culturais na vida dos nativos atraíam muitos soldados, já que boa parte deles eram jovens que visitavam um país estrangeiro pela primeira vez. Na foto, uma menina vietnamita no rio Mekong. Foto: Lance V. Nix


Vienamitas trabalham em uma construção ao lado de aviões militares em Can Tho, no delta do rio Mekong. Segundo pesquisadores da guerra, as fotos mostram o impacto que a presença militar americana causou na economia do país. Foto: Lance V. Nix


Dançarinas vietnamitas se apresentam para os soldados em uma casa noturna em Nha Be, distrito de Ho Chi Min, a maior cidade do Vietnã. Na maioria das vezes fotos que mostravam entretenimento eram enviadas pelos somente para os seus amigos, mas não para as famílias. Foto: Richard Leonhardt


Segundo o fotógrafo, os soldados de baixa patente iam a casas noturnas em seu tempo livre, para assistir a shows de bandas de rock ou quartetos de cantores do Japão, Filipinas, Australia e Vietnã. Foto: Richard Leonhardt


Ao contrário da maioria das fotos do Vietnã publicadas em livros sobre o tema, os álbuns dos soldados retratam mais momentos de descanso e de descontração do que os combates. Nesta imagem, marinheiros da base em Nha Be jogam basquete. Foto: Richard Leonhardt


Os veteranos mantém um pacto de discrição sobre romances que aconteceram durante a guerra. Mesmo assim, Leonhardt diz que era comum que soldados se envolvessem com mulheres vietnamitas, como o casal retratado na imagem. Foto: Richard Leonhardt

"That's what you like to do
To treat a man like a pig
And when I'm dead and gone
It's an award I've won"
(Russian Roulette - Accept)

Offline Moro

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 20.984
Re: Guerra do Vietnã
« Resposta #47 Online: 03 de Março de 2011, 23:14:25 »
Citar
(como um infeliz mal-entendido, e não uma armação). É narrado pelo ex-secretário de defesa norte-americano de 1960 a 1967, Robert S. McNamarra.
Mal-entendido? Sei daqui a 30 anos vão falar o mesmo do Iraque, o cara era secretario da defesa era esperado que ele encobrisse a farsa.
Vejam bem, meus amigos:  Quando indiquei o documentário, talvez tenha passado a impressão de que afirmei que os relatos do Sr. McNamarra fossem a expressão da verdade.  Na realidade são só versões de um dos lados da história.  Qualquer um que deseje fazer uma análise imparcial dos fatos deve sempre procurar ouvir todos os lados envolvidos nas questões.  Esse documentário é narrado por uma pessoa que foi uma das cabeças americanas que decidiam as questões de guerra e, portanto, é um depoimento válido na análise dos fatos.  Para quem gosta de história é um ótimo filme para adquirir.  Acho que também é possível alugar em locadoras.

Nos links abaixo seguem algumas críticas ao filme:

http://www.bonequinhocego.com.br/index.php?p=22&more=1&c=1
http://www.contracampo.com.br/58/fogofwar.htm
http://www.terra.com.br/istoe/1798/artes/1798_estrategista_do_vietna.htm

Um abraço a todos.

documentário é fantástico!!!
“If an ideology is peaceful, we will see its extremists and literalists as the most peaceful people on earth, that's called common sense.”

Faisal Saeed Al Mutar


"To claim that someone is not motivated by what they say is motivating them, means you know what motivates them better than they do."

Peter Boghossian

Sacred cows make the best hamburgers

I'm not convinced that faith can move mountains, but I've seen what it can do to skyscrapers."  --William Gascoyne

Offline Unknown

  • Conselheiros
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 11.324
  • Sexo: Masculino
  • Sem humor para piada ruim, repetida ou previsível
Re:Guerra do Vietnã
« Resposta #48 Online: 26 de Abril de 2012, 20:04:22 »
História do Vietnã se perde em guerras e conflitos

O Vietnã seria um daqueles países que as pessoas teriam dificuldade em localizar no mapa se sua história não estivesse vinculada tão intensamente -ou melhor, violentamente- a duas potências mundiais: a França e os EUA.

Trânsito caótico e serenidade nos templos impõem ritmo ao Vietnã
Veja galeria de fotos do Vietnã
Café da manhã no Vietnã tem sopa com macarrão e carne
Baía de Ha Long tem águas verdes e pequenas ilhas

O país viveu em guerra por praticamente 30 anos, de 1945 a 1975, e teve um conflito de fronteira com a China em 1979. A colonização francesa ocorreu gradualmente na segunda metade do século 19, em um processo de erosão da autoridade local. Campanhas militares eram realizadas contra rebeldes e "bandidos".

O domínio francês recebeu golpe letal em 1940, quando a Alemanha derrotou a França. A Indochina francesa (que incluía também o Laos e o Camboja) foi ocupada então pelos japoneses.

A independência das colônias europeias na Ásia e África era só questão de tempo. Mas a França, humilhada em 1940, relutava em perder as colônias ao final da Segunda Guerra em 1945. O resultado foi nova humilhação, quando os vietnamitas derrotam os franceses na batalha de Dien Bien Phu, em 1954.

Foram então criados dois Estados, o comunista Vietnã do Norte e o capitalista Vietnã do Sul. Uma guerrilha comunista se instalou no Sul visando a reunificação. Era um momento intenso da Guerra Fria e os EUA passaram a apoiar as corruptas e incompetentes ditaduras do Sul.

Gradualmente, os norte-americanos, a partir de 1965, intervieram com suas tropas. No auge, em 1968-69, havia 543 mil soldados americanos no país. O Exército sul-vietnamita tinha 819 mil homens.

Nesse momento, os americanos lançavam 1,2 milhão de toneladas de bombas por ano. Estima-se que 130 mil eram as baixas civis por mês.

Cerca de 55 mil soldados norte-americanos morreram durante uma década, tornando a guerra muitíssimo impopular na sociedade dos EUA.

O fim da intervenção começou, ironicamente, com uma vitória militar, quando a guerrilha vietcongue realizou a Ofensiva do Tet, em 1968, atacando em massa as principais cidades do país.
Foram derrotados. Estima-se que foram mortos 45 mil guerrilheiros, de um total de 84 mil. Mas o choque psicológico na opinião pública americana foi decisivo.

As tropas foram sendo reduzidas. Uma invasão convencional pelo Exército do Vietnã do Norte foi derrotada em 1972, com forte ajuda da aviação dos EUA. Mas não havia mais condições políticas para refazer o feito na nova invasão em 1975, quando o país



http://www1.folha.uol.com.br/turismo/1081345-historia-do-vietna-se-perde-em-guerras-e-conflitos.shtml

"That's what you like to do
To treat a man like a pig
And when I'm dead and gone
It's an award I've won"
(Russian Roulette - Accept)

Offline JJ

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 10.726
  • Sexo: Masculino
Re:Guerra do Vietnã
« Resposta #49 Online: 28 de Abril de 2012, 10:25:49 »
São bonecos comandados pelo governo.

Errado!

São homens que arriscam as suas vidas por ideais.

Homens com honra.



Ao meu ver , principalmente no caso de ataques , a maioria não passa de bucha de canhão , comandados como robôs via controle remoto.  Muitas vezes são apenas uns coitados azarados que vão dar suas vidas para que alguns barões  aumentem seu poder e suas riquezas.



Gurerras normalmente são motivadas pela ganância sem fim de um grupo/classe  que  tem o poder nas mãos ,  e que utilizam de coitados condicionados/manipulados/sem poder para atingirem satisfazerem sua ganância.


Sempre que vejo alguém defender/racionalizar  esse inferno chamado guerra, eu penso que seria muito didático  que essa pessoa tivesse sua casa atingida por uma bomba de 1000 kg , e que estivesse com os seus familiares dentro .  Também seria bastante didático que essa pessoa fosse para uma maldita frente de batalha e que levasse um estilhaço de granada nos intestinos .  Seria interessante ver a reação dessa pessoa nessa hora.





.
« Última modificação: 28 de Abril de 2012, 10:40:57 por JJ »

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!