Autor Tópico: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.  (Lida 114449 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #100 Online: 11 de Outubro de 2006, 10:46:59 »
Não discordo da sua opinião de que seja o melhor que temos. Apenas não deixo de aceitar uma realidade, simplesmente porque a ciência não possa explicar.

"Coisas que a ciência não pode explicar".
Essa é uma frase aparentemente inocente, mas que é muito usada para justificar todo tipo de crenças absurdas (não me refiro a nenhuma em particular, veja bem). Vamos analisar essa frase.
Ela na verdade se refere a dois tipos de argumentos:

1. Hipóteses não-falseáveis, como a da existência de deuses, duendes ou do Saci (louvado seja seu nome) que realmente não podem ser testadas. Embora não possamos provar que esses seres existem (afinal de contas, não se pode provar uma negação), nós também não temos evidência nenhuma de que eles existem. O problema é que existe um risco ao se acreditar nessas hipóteses. Isso é o que a história tem mostrado repetidas vezes (exemplo recente: 11 de Setembro). O fato é que muitas pessoas, ao acreditar nessas hipóteses, se tornam realmente perigosas para os não crentes.

2. Fenômenos misteriosos, como relâmpagos esféricos. Nesse caso, o fato de esses fenômenos não terem sido explicados ainda, não quer dizer que não possam ser explicados científicamente no futuro.
O correto nesse caso é dizer: "coisas que a ciência ainda não explica".

É importante fazer essa distinção porque muitas pessoas usam (2) para tentar justificar a crença em (1), e repito:
Acreditar em (1) é algo que pode ir além de uma mera escolha pessoal e de estilo de vida.
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline Onaiab

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 284
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #101 Online: 11 de Outubro de 2006, 11:03:58 »
Não discordo da sua opinião de que seja o melhor que temos. Apenas não deixo de aceitar uma realidade, simplesmente porque a ciência não possa explicar.

então vc aceita naturalmente uma realidade ficcional como verdade porque a ciência não pode explica-la???


Não. Eu aceito, nem tão naturalmente assim, uma realidade histórica, não como algo incontestável e que realmente a ciência atual é capenga para explicar.
A dúvida pode ser uma pedra no caminho ou uma ponte sobre o rio.
A simples atitude de negação não conduz a nenhuma certeza.
O improvável pode ser perfeitamente possível.

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #102 Online: 11 de Outubro de 2006, 11:45:35 »
Peraí, como é que a ciência sequer poderia ser capenga para explicar uma realidade histórica?  Ou, por falar nisso, como é que ela poderia ser aceita ou rejeitada?  E por que aceitá-la não seria natural.

Explica isso melhor, Onaiab.  Os conceitos estão confusos.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Onaiab

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 284
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #103 Online: 11 de Outubro de 2006, 12:57:46 »
Bem, a menos que se negue tal realidade, existem sim, desde tempos remotíssimos, fatos, catalogados aos milhares, para os quais não existe a tão badalada "explicação da ciência". Essa é a capenguice. Há uma discussão generalizada sobre isso. Eu não vejo nada de definitivo sobre várias questões que grande parte de céticos, salvo raras exceções, insiste em ridicularizar. 
« Última modificação: 11 de Outubro de 2006, 12:59:29 por Onaiab »
A dúvida pode ser uma pedra no caminho ou uma ponte sobre o rio.
A simples atitude de negação não conduz a nenhuma certeza.
O improvável pode ser perfeitamente possível.

Offline Dbohr

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 9.179
  • Sexo: Masculino
  • 無門關 - Mumonkan
    • Meu blog: O Telhado de Vidro - Opinião não-solicitada distribuída livremente!
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #104 Online: 11 de Outubro de 2006, 13:47:53 »
Por exemplo?

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #105 Online: 11 de Outubro de 2006, 14:15:54 »
Bem, a menos que se negue tal realidade, existem sim, desde tempos remotíssimos, fatos, catalogados aos milhares, para os quais não existe a tão badalada "explicação da ciência". Essa é a capenguice.

Mas ciência é simplesmente o conhecimento confiável que existe.  Não acha exagero querer que saibamos explicar confiavelmente todos os fatos catalogados?  Isso tem mais a ver com realismo e humildade do que com "capenguice".

Citar
Há uma discussão generalizada sobre isso. Eu não vejo nada de definitivo sobre várias questões que grande parte de céticos, salvo raras exceções, insiste em ridicularizar.

Seguindo o exemplo do Dbohr, pergunto: por exemplo?

Será que não são questões que de fato não cabem no escopo da ciência?  Coisas como por exemplo o sentido metafísico da vida?
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline Onaiab

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 284
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #106 Online: 16 de Outubro de 2006, 11:31:35 »
Por exemplo ? A crença em Deus é o exemplo clássico. Há um texto rolando na internet intitulado "A criação de Deus", com uma análise bem simplista sobre a nossa realidade religiosa. E de um filósofo formado nos States. "Explica" como e porque chegamos aos dias de hoje, acreditando em Deus. Uma grande bobagem inconclusiva.
A dúvida pode ser uma pedra no caminho ou uma ponte sobre o rio.
A simples atitude de negação não conduz a nenhuma certeza.
O improvável pode ser perfeitamente possível.

Offline Luis Dantas

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 15.195
  • Sexo: Masculino
  • Morituri Delendi
    • DantasWiki
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #107 Online: 16 de Outubro de 2006, 11:42:26 »
Por exemplo ? A crença em Deus é o exemplo clássico. Há um texto rolando na internet intitulado "A criação de Deus", com uma análise bem simplista sobre a nossa realidade religiosa. E de um filósofo formado nos States. "Explica" como e porque chegamos aos dias de hoje, acreditando em Deus. Uma grande bobagem inconclusiva.

Seria uma boa pedida nos indicar como encontrar esse texto.  Mas mesmo sem lê-lo, posso te adiantar que uma parcela significativa dos céticos está mais preocupada em conseguir que respeitem seu direito de não crer em Deus do que eu ridicularizar a crença.

Para não falar que céticos não descrêem necessariamente; alguns grupos religiosos valorizam sua fé através do questionamento cético, o que aliás é muito natural.
Wiki experimental | http://luisdantas.zip.net
The stanza uttered by a teacher is reborn in the scholar who repeats the word

Em 18 de janeiro de 2010, ainda não vejo motivo para postar aqui. Estou nos fóruns Ateus do Brasil, Realidade, RV.  Se a Moderação reconquistar meu respeito, eu volto.  Questão de coerência.

Offline PedroAC

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.172
  • Sexo: Masculino
    • PedroAC
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #108 Online: 17 de Outubro de 2006, 13:25:00 »
Por exemplo ? A crença em Deus é o exemplo clássico. Há um texto rolando na internet intitulado "A criação de Deus", com uma análise bem simplista sobre a nossa realidade religiosa. E de um filósofo formado nos States. "Explica" como e porque chegamos aos dias de hoje, acreditando em Deus. Uma grande bobagem inconclusiva.
Não será este o texto?

http://br.geocities.com/perseuscm/criacaodedeus.html
Pedro Amaral Couto
 http://del.icio.us/pedroac/pedroac
 http://pedroac.deviantart.com
 http://crerparaver.blogspot.com

"Tudo o que podemos fazer é pesquisar a falsidade do conteúdo da nossa melhor teoria" -- Karl Popper
"Se um ser humano discorda de vós, deixem-no viver" -- Carl Sagan
"O problema com este mundo é que os estúpidos estão seguros de si e os inteligentes cheios de dúvidas" -- Bertrand Russell

Offline PedroAC

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.172
  • Sexo: Masculino
    • PedroAC
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #109 Online: 18 de Outubro de 2006, 14:31:05 »
Por exemplo ? A crença em Deus é o exemplo clássico. Há um texto rolando na internet intitulado "A criação de Deus", com uma análise bem simplista sobre a nossa realidade religiosa. E de um filósofo formado nos States. "Explica" como e porque chegamos aos dias de hoje, acreditando em Deus. Uma grande bobagem inconclusiva.

  Ainda não mostrou uma página Web com o tal texto... Fazer menção de um texto qualquer com críticas, tais como "uma grande bobagem inconclusiva", e sem indicar a fonte não promove debate, muito pelo contrário. E por falar em "simplista", a sua crítica também é simplista, superficial. Como é que vamos falar sobre o texto criticado? E também dá motivos para crer que não leu o texto (mesmo que não seja verdade; sei lá...).
  O melhor é indicar a fonte e aprofundar as suas críticas, antes que faça ataques irrelevantes à minha pessoa. Eu não entro em brigas.

  Bem, mas vou supor que o texto seja aquele que está em http://br.geocities.com/perseuscm/criacaodedeus.html (tem o título "A Criação de Deus", e o autor é formado em Filosofia pela Universidade de Nova Iorque). Eu estou de acordo com o texto. Mas se a explicação é simplista, talvez queira indicar uma explicação mais profunda, melhor que o texto nas 6 páginas que imprimi da página Web.

  É esta a conclusão que acha "uma grande bobagem inconclusiva"?
Citar
A fé é inimiga da lógica, pois ela aceita uma premissa sem investigação posterior. Se ensinássemos as pessoas a pensarem logicamente, talvez parassem de se entregar a todo tipo de culto que aparece à sua frente. É a falta de lógica e de confiança em suas faculdades mentais que faz com as pessoas se entreguem a todo tipo de religião. Por mais absurda que seja.
A religião mantém as pessoas na infância eterna. Sempre se entregando a alguém para resolver seus problemas pessoais. A falta de consciência em suas faculdades mentais e o complexo de inferioridade faz com que muitos parem de pensar logicamente e se entreguem a todo tipo de pensamento, por mais absurdo que seja.
As pessoas raramente analisam as tradições de seu povo. Simplesmente aceitam tudo. Será que isso é bom para a raça como um todo? Será que não precisamos de mais rebeldes ao invés de mais conformistas? Todo avanço foi uma rebeldia. Uma rebeldia contra os padrões vigentes. Rebeldia não significa ser do contra, significa ser verdadeiro consigo próprio. Fazer as coisas em que se acredita, e não fazê-las simplesmente por que todos fazem. Rebeldia também não é ir contra tudo só para ser diferente. Rebeldia é fidelidade a nossa natureza intima. Não é ser do contra ou a favor. É ser integro com o que se acredita.

  Quando recebo 'posts' falando de textos sem qualquer referência e com uma crítica sem qualquer significado, mais acho razão na citação que indiquei. Se fizer uma crítica que não seja "simplista" nem "uma grande bobagem inconclusiva" sobre o que é falado no texto, então poderemos discutir sobre o assunto. E com moderação.
« Última modificação: 18 de Outubro de 2006, 14:32:48 por pedroac »
Pedro Amaral Couto
 http://del.icio.us/pedroac/pedroac
 http://pedroac.deviantart.com
 http://crerparaver.blogspot.com

"Tudo o que podemos fazer é pesquisar a falsidade do conteúdo da nossa melhor teoria" -- Karl Popper
"Se um ser humano discorda de vós, deixem-no viver" -- Carl Sagan
"O problema com este mundo é que os estúpidos estão seguros de si e os inteligentes cheios de dúvidas" -- Bertrand Russell

Offline PauloCesar

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 560
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #110 Online: 18 de Outubro de 2006, 16:44:37 »
Concordo com o pedroac.

Por exemplo ? A crença em Deus é o exemplo clássico. Há um texto rolando na internet intitulado "A criação de Deus", com uma análise bem simplista sobre a nossa realidade religiosa. E de um filósofo formado nos States. "Explica" como e porque chegamos aos dias de hoje, acreditando em Deus. Uma grande bobagem inconclusiva.

Assim fica difícil discutir. Cadê o link? E se o texto é esse mesmo que o pedroac indicou, diga pelo menos por que o texto seria 'uma bobagem inconclusiva'. Demonstre o que te faz pensar dessa forma. Ponha as cartas na mesa. Demonstre sobre quais argumentos se embasa sua opinião. Enfim, refute o texto do cara!!

O cara quer expor um ponto de vista que não se baseia em nada...  :no:

Para não falar que céticos não descrêem necessariamente; alguns grupos religiosos valorizam sua fé através do questionamento cético, o que aliás é muito natural.

O problema é que alguns (talvez por descobrirem isso no momento em que vão debater) percebem que a única coisa que lhes sustenta a fé é a própria fé! Acreditam porque acreditam e pronto! E aí ficam enchendo lingüiça e gastando o tempo alheio... porque simplesmente não têm argumentos.

Depois é o ateu/cético que é 'intolerante'.  |(
FREE YOUR MIND! - Morpheus

Offline Onaiab

  • Nível 13
  • *
  • Mensagens: 284
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #111 Online: 19 de Outubro de 2006, 18:55:16 »
Caríssimos, não se deprimam. Ando um pouco ocupado.
No fritar dos ovos, aquele texto (que é exatamente o que foi indicado aqui), continua sendo uma bobagem inconclusiva, no que se refere à visão do autor em considerar a fé como herança cultural do homem primitivo. Apenas sobre esse ponto, que aliás é o que me interessa.
Críticas à instituição religião são feitas por um grande número de religiosos, eu inclusive.
A dúvida pode ser uma pedra no caminho ou uma ponte sobre o rio.
A simples atitude de negação não conduz a nenhuma certeza.
O improvável pode ser perfeitamente possível.

Offline Alenônimo

  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.545
  • Sexo: Masculino
    • Alenônimo.com.br
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #112 Online: 19 de Outubro de 2006, 19:05:09 »
Caríssimos, não se deprimam. Ando um pouco ocupado.
No fritar dos ovos, aquele texto (que é exatamente o que foi indicado aqui), continua sendo uma bobagem inconclusiva, no que se refere à visão do autor em considerar a fé como herança cultural do homem primitivo. Apenas sobre esse ponto, que aliás é o que me interessa.
Críticas à instituição religião são feitas por um grande número de religiosos, eu inclusive.

Mas a fé não é uma herança cultural do homem primitivo? Por quê?
“A ciência não explica tudo. A religião não explica nada.”

Offline Carta IX

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.753
  • Sexo: Masculino
  • Ecce.
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #113 Online: 20 de Outubro de 2006, 04:48:16 »
Citar
A: É lógico acreditar em Deus. Você não pode provar que ele não existe.
R: Provas só existem em matemática. Todos os deuses se baseiam igualmente
na fé. Todos os deuses se mantêm em silêncio e invisíveis, a menos que
você considere que coisas físicas como planetas e vulcões são deuses.
A Bíblia e outros Livros Sagrados divergem bastante sobre a natureza e
a vontade de seus deuses. As pessoas inventam os deuses e eles são
tão variados quanto a imaginação humana. Processos lógicos seguem
o princípio de que "se entra lixo, sai lixo",
Falei com muitos especialistas em Deus. Eles divergem entre si.
O ateísmo, se considerado como ausência de crença em deuses, é
racional, já que não se vêem deuses. Não é possível provar que deuses
não existem. Mas podemos deixar de acreditar neles. Qualquer deus pode
ser apoiado pela fé, popularidade e emoções.
Uma resposta mais curta e grossa: "me prove que Papai Noel não existe". É divertido responder isso.
É uma aflição das mais estressantes ter um coração sentimental e uma mente cética. - Naguib Mahfouz

Offline PauloCesar

  • Nível 19
  • *
  • Mensagens: 560
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #114 Online: 20 de Outubro de 2006, 08:36:15 »
Caríssimos, não se deprimam. Ando um pouco ocupado.
No fritar dos ovos, aquele texto (que é exatamente o que foi indicado aqui), continua sendo uma bobagem inconclusiva, no que se refere à visão do autor em considerar a fé como herança cultural do homem primitivo. Apenas sobre esse ponto, que aliás é o que me interessa.
Críticas à instituição religião são feitas por um grande número de religiosos, eu inclusive.

Mas a fé não é uma herança cultural do homem primitivo? Por quê?

É... parece que ainda não foi dessa vez...  |(
FREE YOUR MIND! - Morpheus

Offline PedroAC

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.172
  • Sexo: Masculino
    • PedroAC
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #115 Online: 21 de Outubro de 2006, 15:14:17 »
Caríssimos, não se deprimam. Ando um pouco ocupado.
No fritar dos ovos, aquele texto (que é exatamente o que foi indicado aqui), continua sendo uma bobagem inconclusiva, no que se refere à visão do autor em considerar a fé como herança cultural do homem primitivo. Apenas sobre esse ponto, que aliás é o que me interessa.
Críticas à instituição religião são feitas por um grande número de religiosos, eu inclusive.
  Pois bem, escrevo para mostrar evidências sobre a fé como herança cultural do homem primitivo, depois de uma pequena pesquisa em alguns livros.

--- As crianças ---

"Dicionário de psicologia", de Michel e Françoise Gauquelin:
Citar
Animismo
  Tendência para considerar os objectos como vivos e dotados de intenção. Encontra-se esta tendência nas crianças e nos primitivos, de maneira corrente, como mostra Lucien Lévy-Bruhl na sua obra "La Mentalité primitive". É detectado em graus diversos nos adultos em diferentes civilizações. A linguagem favorece essa tendência, pois diz-se «A Lua levanta-se», «Este automóvel não quer arrancar», etc.

  Observem as crianças de tenra idade: elas são egocêntricas, para elas tudo existe com intenções relacionadas com elas e têm imensas fabulações.
  Os pais existem para cuidá-las, o Sol para aquecê-las e poderem brincar, a noite para dormirem, tudo gira em torno dela. O Sol é um homem e a Lua uma mulher, ambos com olhos e boca. Se uma criança magoa-se numa cadeira, a culpa é da própria cadeira. como se tivesse vida. Lembro-me da minha irmã mais nova dar pontapés numa cadeira dizendo que ela magoou, como se tivesse vida.
  Eis os deuses das crianças, o Pai Natal (Papai Noel), o Menino Jesus, a Fada e o ratinho dos dentes, o João Pestana, e muitos mais. Eles são omnipresentes e omniscientes. Presenteiam pela boa conduta, mas também há os que castigam, como o Pai Natal que dá carvão aos meninos maus.
  Há também os demónios, e muitos, mais que os deuses agradáveis: os papões no armário e debaixo da cama, os monstros que castigam os meninos maus, vampiros, seres monstruosos que raptam os meninos descuidados, os fantamas, as bruxas, o lobo mau que ataca os que se aventuram na floresta... tantos seres que são contados em fábulas para que as crianças refreiam de determinada conduta pelo medo. As crianças vivem as suas fábulas.
  Quando era criança tinha medo do escuro: via duendes em fila a subir para a cama, e quando escondia-me no cobertor via vermes sobre o corpo e uma serpente a dirigir-se para mim. Olhava para a lâmpada no tecto e via uma face horrível. Os brinquedos no armário moviam-se. Eram os meus demónios. Até já vi o Pai Natal a colocar presentes perto da árvore de Natal, e para mim ele podia ser uma luz no céu.

  As crianças são humanos em vias de crescimento, e deixam de agir do mesmo modo devido à sociedade informada. Ainda existem povos com as mesmas superstições que as crianças têm, com a personificação das coisas e fantasia. No próprio espiritismo há animismo.  Como está escrito no dicionário citado, "é necessário conhecer com muita exactidão os mecanismos da Natureza para escapar este modo de explicação".

--- Os artefactos arqueológicos ---

  Li sobre o assunto na "Enciclopédia COMBI VISUAL", nas secções "Idade da Pedra" (vol. 4, FLO-IN) e "Religião" (vol. 7, PLA-SOC).
Sobre a Idade da Pedra, diz que foram encontradas várias estatuetas que representavam mulheres roliças, a maioria grávidas, levando a pensar que era praticado algum ritual mágico relacionado com a fertilidade.
Também faz referência a grutas onde se encontram pinturas rupestres com imagens que representam a caça e as armas utilizadas, e animais com orifícios nas zonas que deveriam ser atingidas (talvez uma espécie de "vudu"). É realçado que as grutas não têm fonte de luz e muitas são de difícil acesso, logo não tinham quaquer finalidade estética.
  Há mais de 150.000 anos, os homens de Neandertal enterravam os homens mortos com objectos usados no dia-a-dia, o que leva a pensar que acreditavam numa vida do além, enquanto que outros povos abandonavam os mortos. Na secção "Religião" da enciclopédia, diz que havia certas culturas onde acreditava-se que apenas certas pessoas viveriam após a morte; por exemplo (dado na enciclopédia) apenas os homens, e não as mulheres e crianças, ou apenas os reis e poderosos.

  Sobre esse tema encontra-se muita matéria na TV, como no "Discovery Channel", "Canal Odisseia", "National Geographic" e "Canal História".

--- Certos povos actuais ---

"A Vida na Terra", de David Attenborough (selecções da "Reader's Digest", baseada na edição original Collins/BBC), sobre os aborígenes na Austrália:
Citar
Actualmente, são em número reduzido e desapareceram de grande parte dos seus territórios primitivos. Não fora o testemunho escrito dos primeiros colonos europeus e as poucas colecções de objectos curiosos que reuniram, e as únicas provas da existência dessas tribos extintas seriam alguns utensílios de pedra e alguns ossos -- na realidade, em tudo semelhantes aos objectos deixados pelo homem primitivo da Europa.

  Na enciclopédia já referida, dizia que ainda existem civilizações que pertencem à Idade da Pedra em regiões isoladas com na selva da Amazónia e Austrália. Há ainda povos que nem têm sequer o conceito de número, apenas com sons para indicar um, dois e muitos, mas sem qualquer abstracção, criando variantes para cada tipo de objectos (alguns livro de História da Matemática falam sobre isso).
  O famoso biólogo David Attenborough mostrou povos que apresentam, sobre aquilo que sabemos, características dos homens primitivos. Aborígenes australianos fazem ritos sobre o seu mito de criação, com representações de lagartos ancestrais e a serpente arco-íris. Há uma caverna sagrada para os Walbini, onde dizem viver espíritos poderosos.

--- As religiões actuais ---

  Não vou falar muito neste tema, querendo apenas dizer que até nas religiões modernas mostra mudanças e ramificações, e que os próprios textos sagrados, como a Bíblia, dizem que os povos acreditavam antes noutros deuses.
  A maioria das religiões modernas apresentam características similares com a religião da antiga Babilónia. O cristianismo absorveu imensas crenças politaístas, e a Bíblia, em certas passagens, diz que há vários deuses. O http://www.bibleorigins.net/ fala sobre o cristianismo e judaísmo.
  O budismo, a religião sem Deus, tem origem no hinduísmo. No Egipto já adoraram o deus único, Aton, muito antes dos hebreus. E, na Pésia, Zaratrusta já tinha inventado uma religião com uma luta entre o Bem e o Mal, muito antes do cristianismo transformar Satanás no arqui-inimigo de Deus.



  Houve transições para novas crenças, tal como tudo na História. Estamos habituados a ouvir sobre o Império Romano como algo que surgiu espontâneamente, mas vi um interessante documentário sobre os Etruscos. Também já vi um documentário em série sobre a exploração espacial, com os fracassos antes de poder enviar um foguetão para alturas consideráveis. Conhecendo transições na História tive uma ideia diferente sobre os pontos culminares.
  Nada surge como por magia. Há tempo que decorre para surgir uma modificação importante, e antes dessa há várias modificações menos importantes. Sobre teorias da origem da religião, apresento algumas páginas Web:
  A EVOLUÇÃO PRIMITIVA DA RELIGIÃO;
 Animismo;
 http://www.geocities.com/mgstenz/livro19032002.html;

 Abraços.
« Última modificação: 22 de Outubro de 2006, 10:25:23 por pedroac »
Pedro Amaral Couto
 http://del.icio.us/pedroac/pedroac
 http://pedroac.deviantart.com
 http://crerparaver.blogspot.com

"Tudo o que podemos fazer é pesquisar a falsidade do conteúdo da nossa melhor teoria" -- Karl Popper
"Se um ser humano discorda de vós, deixem-no viver" -- Carl Sagan
"O problema com este mundo é que os estúpidos estão seguros de si e os inteligentes cheios de dúvidas" -- Bertrand Russell

Offline Mussain!

  • Contas Excluídas
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.228
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #116 Online: 23 de Outubro de 2006, 10:32:11 »
"me prove que Papai Noel não existe".
   Existem no mundo cerca de 2 bilhões de crianças ( i.e., pessoas com idade entre 0 e 18 anos) no mundo. PORÉM, dado que Papai Noel não tem sua crença entre as crianças muçulmanas, hindus, judias e budistas (para não falar de um sem-número de outras religiões não cristãs), temos nosso universo reduzido para 15% deste total, isto é, 378 milhões de pessoas, segundo o US Population Reference Bureau. Supondo que há uma media de 3,5 crianças por lar (segundo o último censo), nós temos 91,8 milhões de lares.
   Podemos supor, sem medo de errar, que pelo menos uma criança por lar acredita em papai noel. Devido aos diferentes fusos horários e à rotação da terra, Papai Noel tem 31 horas, no dia de natal, para executar seu trabalho, supondo que ele viaja de leste para oeste (o que seria mais lógico) Isto nos dá 822,6 visitas por segundo. Resumindo, para os que não conseguiram acompanhar nosso raciocínio, para cada lar cristão, com uma criança que crê em Papai Noel, ele tem aproximadamente 1/1000 segundos para: estacionar, pular a cerca ou o muro, escalar a casa, descer pela chaminé (quando for o caso), encher as meias das crianças, eventualmente comer alguma coisinha, depois subir pela chaminé (pressupondo que ele a utilizou para entrar) pegar o seu trenó e partir para a casa seguinte. Supondo, para simplificar, que os 91,8 milhões de lares são uniformemente divididos no globo (isto não corresponde a verdade, mas o cálculo exato levaria a horas de simulação) isto nos dá 1,25 quilômetros por lar a visitar, totalizando uma viagem de 120 milhões de quilômetros.
   Isto quer dizer que o trenó de papai noel se desloca a uma velocidade de mais de 1000 quilômetros por segundo, ou seja, 3000 vezes a velocidade do som. A titulo de comparação, o veiculo mais rápido jamais construído pelo homem, a sonda espacial Ulisses, tem uma velocidade de míseros 44 quilômetros por segundo. vale sempre lembrar que uma rena normal consegue alcançar a velocidade de 25 quilômetros POR HORA!.
   A carga do Trenó pode fornecer também pistas importantes a nossa investigação. Supondo que cada criança ganhará uma caixa media de LEGO (marca registrada), o peso útil da carga do trenó seria de 321 300 toneladas!. Isto sem contar o próprio Papai Noel, invariavelmente descrito como obeso. Uma rena normal (que não voa) pode puxar mais ou menos 150 quilos. Mesmo supondo que uma " rena voadora " possa puxar DEZ VEZES esta carga, papai noel não poderia se contentar com apenas 8 ou 9 renas voadoras: seriam necessárias 214 200 renas voadoras. Com isto aumentamos a carga, sem contar o peso do treno, para 353 430 toneladas. Mais uma vez, a titulo de comparação, este numero representa 4 vezes o peso do navio Queen Elizabeth.
   Ainda, 353 000 toneladas viajando a mais de 1000 quilômetros por hora implica numa enorme resistência do ar - isto queimaria as renas voadoras da mesma maneira que queima um foguete quando da reentrada na atmosfera. Deste modo as duas renas da frente deveriam absorver uma energia de 14,3 quintilhoes de joules, por segundo, cada uma. Logo elas se evaporariam em chamas, quase que instantaneamente. As renas seguintes teriam o mesmo destino. Isto tudo provocaria um ruído supersônico ensurdecedor. O desaparecimento total de todas s renas levaria apenas 4,26 milésimos de segundo. Durante este tempo, papai noel seria submetido a uma forca centrifuga de 17500,06 G. Um Papai Noel de 125 quilos (obeso) seria colado ao fundo de seu trenó por uma forca equivalente de 2 157 507 quilos.
 
  CONCLUSAO: Papai Noel não existe, e se um dia tivesse existido, teria virado carvãozinho.


 :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria: :histeria:

Offline Felius

  • Nível 34
  • *
  • Mensagens: 2.746
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #117 Online: 24 de Outubro de 2006, 01:21:44 »
Refutacao a sua refutacao:

"A wizard did it"

"The patient refused an autopsy."

Offline Carta IX

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.753
  • Sexo: Masculino
  • Ecce.
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #118 Online: 26 de Outubro de 2006, 14:58:00 »
Mussolim Bucetê:

[besteiras teístas]
Papai Noel é superpoderoso. Quando ele viaja no trenozinho dele, ele passa parte de seus poderes às renas, que assim podem viajar a uma velocidade de 1/3 da luz. Ele cria um campo de magnetismo animal ao redor do trenó e das renas, assim não se queima.

Vários cientistas, como Einstein, Kepler e Dawkins, acreditaram em Papai Noel quando eram criança, você vai contrariá-los??? Fique sabendo que Papai Noel te ama muito que quer te dar presentes no Natal, mas ele tá vendo tudo o que você tá fazendo, viu??? E se você não acredita em Papai Noel, é porque você é uma criança má, muito má. Por isso nunca ganhou presentes dele.

[/besteiras teístas]

Mas a refutação é divertida, assim como a refutação do monoteísmo.
É uma aflição das mais estressantes ter um coração sentimental e uma mente cética. - Naguib Mahfouz

Offline Mussain!

  • Contas Excluídas
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.228
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #119 Online: 26 de Outubro de 2006, 15:14:10 »
Papai Noel é superpoderoso. Quando ele viaja no trenozinho dele, ele passa parte de seus poderes às renas, que assim podem viajar a uma velocidade de 1/3 da luz.
E os presentes que ele carrega? :histeria:

Offline Carta IX

  • Nível 38
  • *
  • Mensagens: 3.753
  • Sexo: Masculino
  • Ecce.
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #120 Online: 29 de Outubro de 2006, 02:18:35 »
Papai Noel é superpoderoso. Quando ele viaja no trenozinho dele, ele passa parte de seus poderes às renas, que assim podem viajar a uma velocidade de 1/3 da luz.
E os presentes que ele carrega? :histeria:

Simples. A parte de Papai Noel ter um saco pra carregar presentes é mentira. Ele faz mais ou menos como contrabando de cocaína por aroporto: transforma os presentes em pílulas e engole. Depois... bom, ele chama o Hugo em velocidade ultrasônica.

Tô gostando de achar desculpas esdrúxulas para coisas imbecis. Acho que vou montar a Igreja de Natal do Reino do Papai Noel.
É uma aflição das mais estressantes ter um coração sentimental e uma mente cética. - Naguib Mahfouz

Offline Mussain!

  • Contas Excluídas
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.228
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #121 Online: 30 de Outubro de 2006, 10:36:25 »
Fala baixo seu doido. Vai encher de gente te perturbando para participar.

Offline Mussain!

  • Contas Excluídas
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.228
  • Sexo: Masculino
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #122 Online: 30 de Outubro de 2006, 11:01:04 »
Acho que vou montar a Igreja de Natal do Reino do Papai Noel.
Mas para falar a verdade estou pensando em fazer a Igreja do Deus ta Dormindo.

Algumas de suas idéias:

1 Deus existe, mas está cagando pra vc, ou seja, pode fulerar bastante e pare de dizer que o encosto atrapalha sua vida, seu corno complexado.

2 Deus é preguiçoso. E daí? É o quê? Vai encarar? Ora porra mesmo...

3 Só existe um único DEUS, o qual é cachaceiro, portanto é obrigatório beber uma pinga pelo menos uma vez por mês.

4 Ele irá mandar um redentor, mas o mesmo está impossibilitado no momento. Fininha é uma desgraça rapaz...

5 Ceremos afavor da Siência e dos istudos para dezenvolvimento da populassão. (Isso é levado com rigidez, que fique bem claro)

6 As mulheres sempre serão reverenciadas, pois macho é coisa do cão! (E não venha me dizer que isso é um ato assimilado de Creta!)

7 Estamos com falta de sarcasmo no momento, por ter sido feito agora, mas estamos em constante progresso.


Offline Dr. Manhattan

  • Moderadores Globais
  • Nível Máximo
  • *
  • Mensagens: 8.342
  • Sexo: Masculino
  • Malign Hypercognitive since 1973
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #123 Online: 30 de Outubro de 2006, 11:37:27 »
Papai Noel é superpoderoso. Quando ele viaja no trenozinho dele, ele passa parte de seus poderes às renas, que assim podem viajar a uma velocidade de 1/3 da luz.
E os presentes que ele carrega? :histeria:

Quem é você para ousar tentar entender Papai Noel?!!
Saiba que Papai Noel está além da capacidade de compreensão de um mero humano!!!!

(e aposto que você não vai ganhar presente de Natal este ano :P )

P.S. Quanto à idéia para uma nova igreja, vai uma idéia sugerida originalmente por um colega do colégio: A Igreja Transversal do Reino de Deus!
(nela os pastores tiram deus do corpo das pessoas. "Sai divino deste corpo que não te pertence!!")
You and I are all as much continuous with the physical universe as a wave is continuous with the ocean.

Alan Watts

Offline PedroAC

  • Nível 25
  • *
  • Mensagens: 1.172
  • Sexo: Masculino
    • PedroAC
Re: Argumentos teístas freqüentes e suas refutações.
« Resposta #124 Online: 05 de Novembro de 2006, 13:17:06 »
Caríssimos, não se deprimam. Ando um pouco ocupado.
No fritar dos ovos, aquele texto (que é exatamente o que foi indicado aqui), continua sendo uma bobagem inconclusiva, no que se refere à visão do autor em considerar a fé como herança cultural do homem primitivo. Apenas sobre esse ponto, que aliás é o que me interessa.
Críticas à instituição religião são feitas por um grande número de religiosos, eu inclusive.
  Como podes verificar tive algum trabalho em elaborar um argumento para defender o meu ponto de vista, mas até agora não recebi qualquer coisa de relevante vinda de si. Era exactamente sobre esse tipo de atitude que estava a falar, e só a tens confirmado. Eu tive de procurar pelo texto e tive de argumentar. Não vejo debate.

  O que queres que eu diga? Tens razão pelo teu silêncio? Tens razão por simplesmente acreditares em algo? É assim que tens a vossa aclamada verdade? É assim que investigam e fazem escrutínio? Não percebo... mas a esse tipo de atitude chamo arrogância.

Uma resposta mais curta e grossa: "me prove que Papai Noel não existe". É divertido responder isso.

http://whywontgodhealamputees.com/your-delusion.htm

Pedro Amaral Couto
 http://del.icio.us/pedroac/pedroac
 http://pedroac.deviantart.com
 http://crerparaver.blogspot.com

"Tudo o que podemos fazer é pesquisar a falsidade do conteúdo da nossa melhor teoria" -- Karl Popper
"Se um ser humano discorda de vós, deixem-no viver" -- Carl Sagan
"O problema com este mundo é que os estúpidos estão seguros de si e os inteligentes cheios de dúvidas" -- Bertrand Russell

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!